Você está na página 1de 4

1 INTRODUÇÃO

Até o século XX, Segundo MMA (2009) restos de comida e outros materiais
orgânicos, eram utilizados apenas como adubo na agricultura. Devido à grande
industrialização e o crescimento dos centros urbanos, os resíduos se tornaram um
problema cada vez maior.
Inicia-se na idade média, toda uma preocupação sobre o destino dos resíduos
gerados pela população, tais avanços eram lentos, mas importantes, desde a criação
de ações de saúde pública a estruturação das vias das cidades, para uma melhor
logística no recolhimento dos resíduos ao uso das carroças para tal; tais atos
trouxeram segundo Maciel (2009. P 61) “Hõsel assinala que, graças aos médicos
dedicados à saúde pública, foi possível evitar, nos séculos XV e XVI, maiores
calamidades na Alemanha”.
O calçamento, mesmo apenas em ruas e praças centrais, ajudou na
movimentação das carroças. Segundo Maciel (2009. P 64) “começando em Paris no
ano de 1185, em Praga, em 1331, em Berna, em 1399, e em Augsburg, 1416”. Em
1671, na cidade de Stettin, exigia-se do cidadão um barril para o depósito de resíduos,
o qual se cobrava uma taxa para o recolher. A cobrança para recolher os resíduos
gerados e recipientes adequados é, nos dias de hoje, um assunto decisivo para a
limpeza urbana, pois os mesmo sem um padrão, seria difícil a coleta e o controle das
cobranças de taxas (Ventura e Shibasaki 2016).
Com a aparição da teoria microbiana, na segunda metade do século XIX, nos
fornecendo uma mudança sem igual referente a como enxergamos a saúde pública e
a devida atenção aos nossos dejetos. Começamos a dar maior importância à
qualidade da água a qual consumimos fixando a necessidade de separar esgoto de
resíduos sólidos. Segundo Maciel (2009. P 70) “Até a década de 50, já no século XX,
encontraremos ainda capítulos destinados ao trato do lixo quase que exclusivamente
em tratados sobre higiene, sempre bastante reduzidos”.
Devido à grande demanda de bens de consumo para o homem, estamos
extraindo uma grande quantidade de matéria prima, consequentemente aumentando a
quantidade de resíduos, provenientes de tal consumo desenfreado. “O lixo é um grave
problema para nossa sociedade atual, sabemos que os resíduos sólidos na sua
maioria, são materiais reaproveitáveis” (Santos 2014, p.02).
O grande volume de resíduos sólidos nos traz vários problemas como: altos
custos para coleta e tratamento dos resíduos, redução de áreas disponíveis para a
disposição final dos resíduos. Segundo MMA (2009) A disposição de resíduos em área
inadequada ou com coleta deficitáriapode nos causar problemas como: a
contaminação do solo, ar ou água, os quais influem na proliferação de vetores os
quais são transmissores de doenças.
O gerenciamento dos resíduos sólidos é uma preocupação nacional, segundo
suas definições,a Lei Federal 12.305/2010 (BRASIL, 2010ª), que institui a Política
Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), Art. 3º, Inciso XVI:
“resíduos sólidos: material, substância, objeto ou bem descartado
resultante de atividades humanas em sociedade, a cuja destinação
final se procede, se propõe proceder ou se está obrigado a proceder,
nos estados sólido ou semissólido, bem como gases contidos em
recipientes e líquidos cujas particularidades tornem inviável o seu
lançamento na rede pública de esgotos ou em corpos d’água, ou
exijam para isso soluções técnica ou economicamente inviáveis em
face da melhor tecnologia disponível; (BRASIL, 2010ª)”

Resíduos, também são classificados quanto à sua origem, simplificando, de


onde ele veio.De acordo com a Lei Federal 12.305/2010 (BRASIL, 2010), que institui a
Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), Art. 3º, Inciso XVI, define quanto a
origem dos resíduos sólidos:
“A) resíduos domiciliares: os originários de atividades domésticas em
residências urbanas; 
B) resíduos de limpeza urbana: os originários da varrição, limpeza de
logradouros e vias públicas e outros serviços de limpeza urbana; 
C) resíduos sólidos urbanos: os englobados nas alíneas “a” e “b”; “

Manejar de forma inadequada os resíduos sólidos de qualquer fonte


proporciona desperdícios, o que influencia no aumento das desigualdes sociais,
apresentando uma ameaça constante a saúde da população e aumenta a degradação
ambiental, corrompendo a qualidade de vida das populações, principalmente nos
médios e grandes centros urbanos. (SCHALCH et al., 2002)
Os resíduos produzidos pela população, abrangem diversas formas com
relação a origem e produção, segundo Santos (2014) as mudanças nos padrões de
consumo, no desenvolvimento das indústrias e os avanços em tecnologia provocam
alterações nos tipos e quantidades dos resíduos gerados.Devido ao homem ter se
fixado ao local, abandonando o seu lado nômade, iniciou o problema com os resíduos,
unido ao fato de não poder depositar estes resíduos em qualquer lugar, se faz
necessário a determinação de lugares distantes dos centros de concentração urbana.
Segundo FEAM (2009, p.08). Cada brasileiro gera, em média, 1⁄2 kg de lixo por dia
(dependendo da região e do poder aquisitivo, pode chegar a 1 kg).
Segundo Santos (2014) basicamente, é seguro afirmar que os resíduos
urbanos diários da sociedade possuem dois fatores os quais definem sua fonte e
produção: aumento da população e o aumento da industrialização. A crescente
demanda por matéria prima, devido ao grande aumento do consumo humano cria
cada vez mais resíduos, os quais devido ao descarte inadequado causam danos
ambientais. Segundo ABRELPE (2017, p.15) “A populaçãobrasileira apresentou um
crescimento de 0,75% entre 2016 e 2017, enquanto a geração per capita de RSU
apresentou aumento de 0,48%. A geração total de resíduos aumentou 1% no mesmo
período, atingindo um total de 214.868 toneladas diárias de RSU no país”.
De grande importância quanto à preservação do meio ambiente e um
crescimento sustentável, o sistema de coleta seletiva, devido às toneladas de resíduos
gerados diariamente, uma destinação correta que produza menor impacto ao meio se
faz necessária. Como grande fonte geradora de lixo, a população atual necessitar de
uma saída viável para este problema, pois a sua maioria édestinada para os
chamados lixões, onde os resíduos ficam a céu aberto, poluindo o ar, a água e o solo
(BRASIL, 2011).
A coleta seletiva de lixo não é uma prática exercida em cidades pequenas,
devido a alguns fatores limitantes, sendo o principal, recursos financeiros, pois
demanda uma maior mão de obra para ser feita. Segundo Richter (2014) em alguns
casos pode haver a disposição em locais impróprios, como terrenos baldios, córregos
ou beira das estradas. Uma Implantação de coleta seletiva, poderá proporcionar as
cidades uma melhor qualidade de vida aos habitantes, mudança de hábitos e
contribuir para preservação do meio ambiente.Segundo Abrelpe (2017) a quantidade
de resíduos sólidos urbanos foi de 71,6 milhões de toneladas, com um índice de coleta
de 91,2% para o país, ficando 6,9 milhões de resíduos sem coleta.
O tipo de resíduo sólido gerado, varia de acordo com a sociedade devido aos
hábitos e costumes de cada região do mundo, como situação econômica de cada
cidadão em um município. Segundo Siqueira, Souza e Abdala(2016, p.03) “se torna
indispensável à identificação periódica das características dos resíduos sólidos
gerados pelo município, que é o estudo primordial para se caracterizar tanto sua
quantidade quanto sua tipologia. ”
A composição gravimétrica dos resíduos sólidos pode expressar a quantidade
percentual de cada material presente nos resíduos. Os materiais presentes no RSU
pode ser composto por: papel, papelão, plástico rígido, plástico filme, metais ferrosos,
metais não ferrosos, vidros, borrachas, madeira, couros, trapos, cerâmicas, ossos,
madeiras e resíduo orgânico (PEREIRA, 2007; NEVES, 2007).
A amostra deve sempre vir de vários locais diferentes e em quantidade, assim
conhecendo os resíduos gerados pela população, permitirá um melhor processo de
destinação final, forma de tratamento e destinação, de acordo com cada tipo de
resíduo.Segundo Barros (2012, p. 52)”O objetivo da análise do RS produzidos numa
cidade ou região é conhecer suas características, como também as quantidades e as
condições sob as quais são produzidos e seus fluxos. Assim pode se orientar a
escolha de alternativas técnicas, estratégias e operacionais para as atividades
relacionadas a sua coleta, transporte, tratamento e disposição”.
O objetivo geral do trabalho é caracterizar os resíduos sólidos gerados em uma
instituição religiosa no município de Governador Valadares. E como Objetivos
específicos qualificar e quantificar os resíduos gerados; identificar os coletores
utilizados para descarte dos resíduos sólidos gerados.