Você está na página 1de 50

Redes Infra-Estrutura e Cablagem

1º Sessão

1
Conteúdo

 Rede Informática;
 Vantagens das Redes;
 Hardware e Software;
 Modelo OSI;
 Arquitectura TCP/IP;
 Conceitos de Redes;
 Tipos de Redes;
 Topologias de Redes.

2
O que é uma rede de
computadores?
 É um sistema de
comunicação de
dados constituído
através da
interligação de
computadores e
periféricos, com a
finalidade de trocar
informação e partilhar
recursos.

3
Vantagens das redes
 Partilha de recursos físicos (discos,
impressoras, etc.);
 Partilha de programas;
 Partilha de ficheiros;
 Intercâmbio de mensagens e informação;
 Melhor organização do trabalho em
grupo.

4
A nível de hardware necessitam de:

1. Computadores;
2. Periféricos (impressoras, cd´s, modem´s, etc.);
3. Meios físicos de transmissão ( cabos, ou sistemas
de comunicações sem fios – ondas propagadas no
espaço);
4. Dispositivos de ligação dos computadores à rede
(placas de rede, modems e/ou outros dispositivos);

5
A nível de Software necessitam

1. Utilitários e programas de aplicação para


trabalho em rede;
2. Sistemas operativos específicos para redes;
3. Drivers de placa de rede, complementam o
sistema operativo no sentido de este poder
comunicar com a placa;
4. Protocolos de comunicação que tornam possível
tecnicamente a emissão e recepção de dados entre
os computadores envolvidos numa comunicação;

6
Esquema de camadas nas
comunicações
 Escrevo uma carta a um colega
 Entrego-a à minha secretária...
 ... que a leva aos correios...
 ... segue por comboio para o destino...
 ... para os correios da outra terra...
 ... o carteiro leva-o à empresa do meu
colega...
 ... A secretária dele leva-lhe a carta...
 ... E ele abre-a!

7
O modelo OSI

 Surgiu nos anos 70, porque se tornou


evidente a necessidade de tornar
possível a possibilidade de os
equipamentos poderem ligar-se e
comunicar entre si, independentemente
das suas diferenças quer ao nível do
Hardware quer ao nível do Software.

8
O modelo OSI

 Conjunto de normas que podem ser


adoptadas livremente para o fabrico de
equipamentos e desenvolvimento de
software, destinados a funcionar em
redes de computadores, este modelo
subdivide o processo global de
comunicação de dados entre
computadores em sete níveis ou
camadas.

9
O modelo OSI

 7 – Aplicação
 6 – Apresentação
 5 – Sessão
 4 – Transporte
 3 – Rede
 2 – Ligação de dados
 1 – Camada física

10
O modelo OSI
 Cada camada fornece
serviços à camada acima dela
 definido em termos de
primitivas (funções básicas)
e dados associados
 Cada camada depende
camada abaixo dela
 nenhuma camada pode
interagir com uma camada
que não lhe seja vizinha

11
Aplicação

Estabelece um interface entre o


software de aplicação e a
camada seguinte (inferior)

12
Apresentação

Providencia independência da camada


de Aplicação para as camadas
seguintes. Contribui para a codificação
e descodificação dos dados ao nível
do seu formato visual. Conversão de
formatos entre sistemas diferentes.

13
Sessão

Inicia, gere e termina as conexões


(sessões) entre sistemas
coordenando o intercambio de dados
entre o emissor e o receptor durante
uma sessão de comunicação.

14
Transporte

Cuida da transferência dos dados e


dos controlos de erros de
transmissão. Retransmite pacotes se
necessário. Controla o fluxo da
informação transmitida por forma a
que as mensagens sejam entregues
correctamente.

15
Rede

Providencia independência às
camadas superiores das tarefas de
comunicações de dados e de routing.
Estabelece com base nos endereços
dos pacotes das mensagens um
caminho através dos nós da rede
para o percurso até ao destino.

16
Ligação de dados

Trata da transmissão a nível físico,


assim como do tratamento dos erros,
também a nível físico. Procede à
montagem dos pacotes de bits no
formato apropriado à sua transmissão
na rede; controla o acesso aos meios
físicos e o fluxo dos pacotes.

17
Camada física

Trata das características físicas dos


meios de transmissão. Define as
características do meio físico de
transmissão da rede , conectores,
interfaces,…

18
Modelo simplificado

 A primeira camada trata


das operações com
ficheiros – abrir, ler,
gravar, fechar.
 A segunda camada trata
da correcta
transferência dos dados.
 A terceira camada trata
do acesso às ligações
físicas através do meio
de transmissão em
causa.

19
Arquitectura TCP/IP (1/2)

 TCP/IP (Transmission Control Protocol/ Internet


Protocol) – permite a partilha de recursos de uma
rede;
 Estruturado por camadas: TCP e IP;
 Camada TCP – gere o envio de mensagens ou
ficheiros. Por vezes é necessário dividir em
pacotes de tamanho apropriado para que seja
enviado;
 Camada IP – responsável por fazer chegar a
mensagem ao endereço IP de destino.

20
Arquitectura TCP/IP (2/2)

21
Redes cliente/servidor

 Rede cliente/servidor –
rede em que existe pelo
menos um computador
– o servidor – possui
algum recurso ou função
de que os outros – os
clientes – se servem.
 Exemplos de servidores:
de ficheiros, de
software, de e-mail,
proxy...

22
Clientes e Servidores

 Um computador actua como servidor quando


fornece serviços, tais como a partilha de espaço
em disco, serviços de impressão, a partilha de
aplicações, o acesso a ficheiros, etc.

 Um computador designa-se cliente quando


solicita e obtém serviços de outros computadores.

23
Clientes e Servidores

Pedido

Resposta
Servidor Cliente

24
Servidores

Servidor de programas ou ficheiros - file


server;

Servidor de bases de dados – database server;

Servidor de impressora – printer server;

Servidor de comunicações – communications


server.

25
Redes Ponto-a-Ponto

 Redes peer-to-peer – não


existem servidores, todos
os computadores estão ao
mesmo nível na hierarquia
da rede, sendo, por isso,
todos servidores e todos
clientes.
 Não permitem um grande
número de utilizadores; ao
contrário das redes client-
server.

26
Redes Ponto-a-Ponto

Cliente/servidor Cliente/servidor Cliente/servidor

Cliente/servidor Cliente/servidor Cliente/servidor Cliente/servidor

27
Classificação das redes quanto a
abrangência geográfica(1/4)
 PAN (Personal Area Network) – rede local de
alcance muito restrito, para apenas um
utilizador.
 LAN (Local Area Network) – rede local
confinada a uma sala ou, no máximo, a um
edifício.
 CN (Campus Network) – rede que interliga
redes locais em edifícios próximos.

28
Classificação das redes quanto a
abrangência geográfica(2/4)

 MAN (Metropolitan Area Network) – rede


alargada a uma cidade ou região.

 WAN (Wide Area Network) – rede


alargada a um país ou até ao mundo
inteiro...

29
Classificação das redes quanto a
abrangência geográfica(3/4)
 VAN (Virtual Area Nework) – As redes virtuais
interligam apenas alguns computadores
pertencentes à mesma rede ou a diferentes
redes.
 VLAN (Virtual Local Area Network) em que
computadores fisicamente ligados à mesma
rede estão separados em sub-redes por
questões de segurança e/ou performance, são
muito usadas actualmente .

30
Classificação das redes quanto a
abrangência geográfica(4/4)

Na rede há duas VLANs

Rede “Alunos”

Internet

Rede
“Administração”

31
Topologias das redes

 Barramento (Bus);
 Estrela (Star);
 Anel (Ring);
 Malha (Mash);
 Árvore (Tree).

32
Topologia em barramento (bus)

 Todos os
computadores
ligados a um cabo
comum que tem
as duas
extremidades
separadas.

33
Topologia em barramento (bus)

Vantagens
 Serem relativamente simples de montar,
pelo que foi esta a solução que imperou
durante vários anos a nível de redes
locais;
 São pouco exigentes em termos do tipo
de equipamento e comprimento de
cabos, sendo por isso baratas.

34
Topologia em barramento (bus)

Desvantagens
 Uma avaria no cabo backbone, ao qual se ligam os
outros computadores, invalida o funcionamento da
rede;
 Pouca possibilidade de expansão, já que se o cabo
backbone não for suficiente para se poderem ligar
mais, há que substituí-lo por outro;
 A remoção ou adição de um dispositivo à rede deve
ser feita com todos os computadores desligados;
 Pode ser difícil detectar a origem de uma falha na
rede.

35
A desvantagem principal do bus

Uma avaria no cabo principal invalida a rede.

36
Topologia em estrela (star)

 Todos os
computadores
ligados a um
dispositivo
concentrador,
que pode ser
um hub ou um
switch.

37
Topologia em estrela (star)

Vantagens
 Muito fácil de montar e configurar;
 Não é necessário parar o
funcionamento da rede para inserir
ou remover dispositivos;
 É fácil detectar os dispositivos
avariados.

38
Topologia em estrela (star)

Desvantagens
 Requer mais cabo do que a topologia
em bus;
 A avaria do concentrador implica a falha
da rede;
 Devido ao custo do concentrador, é
mais cara do que a topologia em bus.

39
A vantagem principal da estrela

Uma avaria no cabo que liga um posto ao dispositivo


concentrador apenas retira da rede esse posto.

40
Topologia em anel (ring)

 Todos os
computadores
ligados a um
cabo comum
fechado em anel.
As mensagens
passam de
computador em
computador até
chegar ao
destino.

41
Topologia em anel (ring)

Vantagens
 Muito boa para um pequeno número de
postos com ligação a alta velocidade ou para
redes maiores em que as transmissões estão
igualmente distribuídas entre os postos.
 A expansão da rede é facilmente conseguida.
 Ideal para o uso de fibra óptica por cada
posto poder estar directamente ligado ao
outro.

42
Topologia em anel (ring)

Desvantagens
 Os atrasos entre transmissões são grandes
mesmo com o tráfego ligeiro.
 Necessidade de hardware adequado
(transceivers ou MAUs) para a ligação dos
computadores às redes.
 Para que a rede funcione é necessário que
todos os computadores estejam ligados.
 A avaria de um computador pode invalidar a
rede (depende do tipo de anel) e não é fácil
identificar o posto avariado.
43
Topologia em malha (mesh)

 Sem forma
definida, todos os
computadores
estão ligados a
todos os outros.

44
Topologia em malha (mesh)

Vantagens
 Estabilidade: a redundância das
ligações garante que as mensagens
têm sempre um caminho possível.
 Segurança: devido à existência de
linhas dedicadas, apenas o destinatário
recebe a mensagem que lhe é
destinada.

45
Topologia em malha (mesh)

Desvantagens
 Mais cabo necessário do que em
qualquer outra topologia.
 Necessárias muitas portas de I/O, o que
pode ser extremamente dispendioso.

46
Topologia em árvore (tree)

 Várias sub-redes,
normalmente com
ligações internas em
estrela, interligadas.
 A ligação entre elas
pode ser feita a partir de
um dispositivo
centralizador ou a um
cabo comum que
tomará o nome de
backbone.

47
Topologia em árvore (tree)

Vantagens
 Ligação ponto-a-ponto entre as sub-
redes.
 Permite o controlo por parte de um
servidor central que pode estar por
detrás do dispositivo centralizador ou
do backbone.
 Suportada pela grande maioria de
fabricantes de hardware e software.

48
Topologia em árvore (tree)

Desvantagens
 Se o dispositivo centralizador ou o
backbone falha, a rede também falha.
 Normalmente usa dispositivos caros,
sobretudo na configuração com
dispositivo centralizador.

49
Principais padrões de redes:

 Ethernet
 Token Ring
 FDDI
 ISDN-RDIS

50