Você está na página 1de 2

Marina S.

Castro

Resenha comparativa entre 1ª Lei da Educação de 1827 e a LDB de 1996:

O primeiro sistema educacional existente no Brasil foi promovido pela Companhia de Jesus a partir
do século XVI, Portugal concedeu aos jesuítas a responsabilidade de organizar e executar a educação
escolarizada da colônia por mais de dois séculos, até a reforma pombalina de 1759, quando o Estado
assume pela primeira a organização da educação escolar na colônia.

Com a vinda da corte portuguesa na primeira década do século XIX, o Brasil passa por diversas
mudanças modernizantes a fim de melhor receber a nobreza, na educação não é diferente. O
sistema educacional é ampliado e diversas instituições de ensino superior surgem, mas não demora
muito para que a crise econômico-política portuguesa e as mudanças na economia internacional,
com o crescente fortalecimento do capitalismo industrial, apontem para a necessidade da
independência do Brasil, que se dá em 1822.

Em 1824 é outorgada a primeira constituição nacional, onde a educação básica aparece como direito
de todo cidadão. É ainda no primeiro reinado que surge a primeira lei geral da educação no Brasil,
documento de uma página sancionado pelo Imperador em outubro de 1827, sua principal função era
a expansão do ensino básico em todo o território, assim, o primeiro artigo proclama a abertura de
escolas em todas as cidades e vilarejos mais populosos.

Os professores eram responsáveis pela alfabetização, pelo ensino da matemática básica, dos
princípios morais da tradição cristã e da Constituição e História do Brasil. Meninos e meninas
estudavam em escolas separadas, o ensino oferecido para as mulheres era mais raro, contava ainda
com o aprendizado dos afazeres domésticos, e restringia o ensino da matemática apenas as quatro
operações básicas.

Os custos da escola, incluindo os matérias didáticos necessários eram garantidos pela Fazenda
Pública, a organização e fiscalização dessas escolas era de responsabilidade dos Presidentes dos
Conselhos Gerais, e o cargo de professor era conquistado via concurso, vitalício, e com bonificação
por tempo de serviço prestado, inclusive para as mulheres que também recebiam o mesmo salário. A
especialização dos professores era de responsabilidade individual, e o método era obrigatoriamente
lancasteriano.

Durante a história do Brasil variados parâmetros educacionais foram sancionados, com a variação
entre períodos democráticos e ditatoriais, apenas em 1996 foi redigida a LDB que conhecemos hoje.
Apesar de mais de 150 anos terem se passado desde a primeira lei da educação, o objetivo primeiro
da LDB continuava o mesmo, expandir o ensino básico e alfabetizar a população brasileira,
preparando-a para o trabalho e para o exercício da cidadania.

Assim como na primeira lei, é obrigação do Estado garantir o acesso e custear o necessário para o
funcionamento das escolas públicas, assim como o transporte, a alimentação e assistência à saúde. A
responsabilidade pela existência e manutenção das escolas acontecem em três níveis, federal,
estadual e municipal, entretanto, a gestão se dá de forma particular em cada escola, devendo
respeitar os princípios democráticos, não havendo mais nenhum método pedagógico obrigatório. É
obrigação da escola a gestão financeira, de materiais e dos profissionais, assim como o
desenvolvimento de uma proposta pedagógica em conjunto com o corpo docente. Além da educação
básica, o ensino médio também aparece como obrigatório.

O ensino deve respeitar um currículo básico nacional, mas deve implementar o necessário a partir
das diferenças regionais, culturais e étnicas. O ensino da História do Brasil continua como prioridade,
dessa vez sendo assegurado a diversidade da formação populacional brasileira, em especial indígena
e africana, e claro, europeia.

A LDB de 96 possui cerca de 60 páginas onde há divisão entre educação básica, profissional, superior
e especial. A preocupação com a preparação para o trabalho aparece desde a primeira página e se
faz presente em todo o documento. Além de português, matemática e história, a escola passa a
oferecer o ensino de uma língua estrangeira moderna, de ciências naturais, educação física e
também de filosofia e sociologia para estimular o pensamento crítico e de artes para o
desenvolvimento cultural. O ensino religioso é facultativo.

O objetivo dá LDB é apresentar uma escola que em relação com a comunidade, fomente o
pensamento crítico e científico, o desenvolvimento cultural e o comportamento ético. Os regimento
se dá tanto para a escola pública, quanto para a rede privada.