Você está na página 1de 260

9/23/2020

Contratações Públicas à luz da


Lei 13.303/2016
com foco em Serviços de
Engenharia e nos impactos dos
novos regimes de execução
Palestrante
Prof. Cláudio Sarian Altounian

NOTÍCIAS VEICULADAS NA IMPRENSA


Mário Gobbi justifica atraso na entrega do Itaquerão:

“É uma cultura nossa”


http://radioglobo.globoradio.globo.com)

Gobbi afirmou que a situação é normal, pois "estamos no


Brasil": "Não conheço nenhuma reforma ou construção
que seja, primeiro, entregues no prazo. Segundo, que não
haja um acidente de trabalho. Terceiro, que não haja um
estouro do orçamento. Quarto, estamos no Brasil, e o
brasileiro termina tudo em cima da hora. Ele licencia o
carro no último dia, entrega o imposto de renda no último
dia. É uma cultura nossa", concluiu o presidente.

1
9/23/2020

Quando alguém compra ...

Qualidade
Para outro

Qualidade
Preço Preço

Qualidade
Para si mesmo

Qualidade
Preço Preço

Com dinheiro próprio Com dinheiro do outro

2
9/23/2020

CONSTITUIÇÃO FEDERAL (EC 19/98)


Art. 173. Ressalvados os casos previstos nesta Constituição, a exploração direta de atividade econômica
pelo Estado só será permitida quando necessária aos imperativos da segurança nacional ou a relevante
interesse coletivo, conforme definidos em lei.
§ 1º A lei estabelecerá o estatuto jurídico da empresa pública, da sociedade de economia mista e de
suas subsidiárias que explorem atividade econômica de produção ou comercialização de bens ou de
prestação de serviços, dispondo sobre:
I - sua função social e formas de fiscalização pelo Estado e pela sociedade;
II - a sujeição ao regime jurídico próprio das empresas privadas, inclusive quanto aos direitos e obrigações
civis, comerciais, trabalhistas e tributários;
III - licitação e contratação de obras, serviços, compras e alienações, observados os princípios da
administração pública;
IV - a constituição e o funcionamento dos conselhos de administração e fiscal, com a participação de
acionistas minoritários;
V - os mandatos, a avaliação de desempenho e a responsabilidade dos administradores.

3
9/23/2020

LEI 13.303/16
DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
Art. 1º Esta Lei dispõe sobre o estatuto jurídico da empresa pública, da sociedade de
economia mista e de suas subsidiárias, abrangendo toda e qualquer empresa pública e
sociedade de economia mista da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos
Municípios que explore atividade econômica de produção ou comercialização de bens
ou de prestação de serviços, ainda que a atividade econômica esteja sujeita ao regime
de monopólio da União ou seja de prestação de serviços públicos.
§ 1º O Título I desta Lei, exceto o disposto nos arts. 2º, 3º, 4º, 5º, 6º, 7º, 8º, 11, 12 e
27, não se aplica à empresa pública e à sociedade de economia mista que tiver, em
conjunto com suas respectivas subsidiárias, no exercício social anterior, receita
operacional bruta inferior a R$ 90.000.000,00 (noventa milhões de reais).

LEI 13.303/16

4
9/23/2020

TRIP
GOVERNANÇA
progress
innovation

risk

FINALIDADE
trust

Qual o artigo mais


importante da Lei 13.303 em
matéria de contratação?

5
9/23/2020

LEI 13.303/16
Art. 8º As empresas públicas e as sociedades de economia mista deverão observar, no mínimo, os
seguintes requisitos de transparência:

I - elaboração de carta anual, subscrita pelos membros do Conselho de Administração, com a explicitação
dos compromissos de consecução de objetivos de políticas públicas pela empresa pública, pela sociedade
de economia mista e por suas subsidiárias, em atendimento ao interesse coletivo ou ao imperativo de
segurança nacional que justificou a autorização para suas respectivas criações, com definição clara dos
recursos a serem empregados para esse fim, bem como dos impactos econômico-financeiros da
consecução desses objetivos, mensuráveis por meio de indicadores objetivos;

III - divulgação tempestiva e atualizada de informações relevantes, em especial as relativas a atividades


desenvolvidas, estrutura de controle, fatores de risco, dados econômico-financeiros, comentários dos
administradores sobre o desempenho, políticas e práticas de governança corporativa e descrição da
composição e da remuneração da administração;

VIII - ampla divulgação, ao público em geral, de carta anual de governança corporativa, que consolide em
um único documento escrito, em linguagem clara e direta, as informações de que trata o inciso III;

TRIP
ART. 8º, VIII

GOVERNANÇA
progress
innovation

risk

FINALIDADE
trust
ART. 8º, I

6
9/23/2020

Qual é o objetivo da
contratação?

Lei 13.303/2016
objetivo da contratação
Art. 31. As licitações realizadas e os contratos celebrados por empresas
públicas e sociedades de economia mista destinam-se a assegurar a
seleção da proposta mais vantajosa, inclusive no que se refere ao ciclo de
vida do objeto, e a evitar operações em que se caracterize sobrepreço ou
superfaturamento, devendo observar os princípios da impessoalidade, da
moralidade, da igualdade, da publicidade, da eficiência, da probidade
administrativa, da economicidade, do desenvolvimento nacional
sustentável, da vinculação ao instrumento convocatório, da obtenção de
competitividade e do julgamento objetivo.

7
9/23/2020

Lei 13.303
Art. 28. Os contratos com terceiros destinados à prestação de serviços às empresas
públicas e às sociedades de economia mista, inclusive de engenharia e de publicidade, à
aquisição e à locação de bens, à alienação de bens e ativos integrantes do respectivo
patrimônio ou à execução de obras a serem integradas a esse patrimônio, bem como à
implementação de ônus real sobre tais bens, serão precedidos de licitação nos termos
desta Lei, ressalvadas as hipóteses previstas nos arts. 29 e 30.
§ 1º Aplicam-se às licitações das empresas públicas e das sociedades de economia mista
as disposições constantes dos arts. 42 a 49 da Lei Complementar nº 123, de 14 de
dezembro de 2006 .
§ 2º O convênio ou contrato de patrocínio celebrado com pessoas físicas ou jurídicas de
que trata o § 3º do art. 27 observará, no que couber, as normas de licitação e contratos
desta Lei.

Lei 13.303
I - comercialização, prestação ou execução, de forma direta, pelas
empresas mencionadas no caput, de produtos, serviços ou obras
especificamente relacionados com seus respectivos objetos sociais;
II - nos casos em que a escolha do parceiro esteja associada a suas
características particulares, vinculada a oportunidades de negócio
definidas e específicas, justificada a inviabilidade de procedimento
competitivo.

Hipóteses exaustivas relacionadas

inviabilidade de competição

8
9/23/2020

OBRAS PÚBLICAS CARACTERÍSTICAS


E CONSTATAÇÕES IMPORTANTES

SUPERFATURAMENTO

PREÇO QUANTIDADE QUALIDADE

CONTRATAÇÃO MEDIÇÃO MEDIÇÃO


CONTRATAÇÃO

Lei 13.303/2016
Art. 31. As licitações realizadas e os contratos celebrados por empresas públicas e
sociedades de economia mista destinam-se a assegurar a seleção da proposta mais
vantajosa, inclusive no que se refere ao ciclo de vida do objeto, e a evitar operações
em que se caracterize sobrepreço ou superfaturamento, devendo observar os
princípios da impessoalidade, da moralidade, da igualdade, da publicidade, da
eficiência, da probidade administrativa, da economicidade, do desenvolvimento
nacional sustentável, da vinculação ao instrumento convocatório, da obtenção de
competitividade e do julgamento objetivo.

§ 1o Para os fins do disposto no caput, considera-se que há:

I - sobrepreço quando os preços orçados para a licitação ou os preços contratados são


expressivamente superiores aos preços referenciais de mercado, podendo referir-se
ao valor unitário de um item, se a licitação ou a contratação for por preços unitários
de serviço, ou ao valor global do objeto, se a licitação ou a contratação for por preço
global ou por empreitada;

9
9/23/2020

Lei 13.303/2016
II - superfaturamento quando houver dano ao patrimônio da empresa pública ou
da sociedade de economia mista caracterizado, por exemplo:

a) pela medição de quantidades superiores às efetivamente executadas ou


fornecidas;

b) pela deficiência na execução de obras e serviços de engenharia que resulte em


diminuição da qualidade, da vida útil ou da segurança;

c) por alterações no orçamento de obras e de serviços de engenharia que causem o


desequilíbrio econômico-financeiro do contrato em favor do contratado;

d) por outras alterações de cláusulas financeiras que gerem recebimentos


contratuais antecipados, distorção do cronograma físico-financeiro, prorrogação
injustificada do prazo contratual com custos adicionais para a empresa pública ou a
sociedade de economia mista ou reajuste irregular de preços.

Lei 13.303/2016 - diretrizes da contratação


Art. 32. Nas licitações e contratos de que trata esta Lei serão observadas as seguintes
diretrizes:
I - padronização do objeto da contratação, dos instrumentos convocatórios e das minutas de
contratos, de acordo com normas internas específicas;
II - busca da maior vantagem competitiva para a empresa pública ou sociedade de economia mista,
considerando custos e benefícios, diretos e indiretos, de natureza econômica, social ou ambiental,
inclusive os relativos à manutenção, ao desfazimento de bens e resíduos, ao índice de depreciação
econômica e a outros fatores de igual relevância;
III - parcelamento do objeto, visando a ampliar a participação de licitantes, sem perda de economia
de escala, e desde que não atinja valores inferiores aos limites estabelecidos no art. 29, incisos I e II;
IV - adoção preferencial da modalidade de licitação denominada pregão, instituída pela Lei nº
10.520, de 17 de julho de 2002 , para a aquisição de bens e serviços comuns, assim considerados
aqueles cujos padrões de desempenho e qualidade possam ser objetivamente definidos pelo edital,
por meio de especificações usuais no mercado;
V - observação da política de integridade nas transações com partes interessadas.

10

10
9/23/2020

Lei 13.303/2016 - treinamento


Art. 9º A empresa pública e a sociedade de economia mista adotarão regras
de estruturas e práticas de gestão de riscos e controle interno que abranjam:
VI - previsão de treinamento periódico, no mínimo anual, sobre
Código de Conduta e Integridade, a empregados e administradores, ...
e sobre a política de gestão de riscos, a administradores.

Art. 17, § 4º Os administradores eleitos devem participar, na posse e


anualmente, de treinamentos específicos sobre legislação societária e de
mercado de capitais, divulgação de informações, controle interno, código de
conduta, a Lei nº 12.846, de 1º de agosto de 2013 (Lei Anticorrupção), e
demais temas relacionados às atividades da empresa pública ou da sociedade
de economia mista.

LINDB
Decreto 4.657, alterado pela Lei 12.376
Art. 22. Na interpretação de normas sobre gestão pública, serão considerados os obstáculos e as
dificuldades reais do gestor e as exigências das políticas públicas a seu cargo, sem prejuízo dos direitos
dos administrados.

1º Em decisão sobre regularidade de conduta ou validade de ato, contrato, ajuste, processo ou norma
administrativa, serão consideradas as circunstâncias práticas que houverem imposto, limitado ou
condicionado a ação do agente. (Incluído pela Lei nº 13.655, de 2018)

§ 2º Na aplicação de sanções, serão consideradas a natureza e a gravidade da infração cometida, os


danos que dela provierem para a administração pública, as circunstâncias agravantes ou atenuantes e
os antecedentes do agente. (Incluído pela Lei nº 13.655, de 2018)

§ 3º As sanções aplicadas ao agente serão levadas em conta na dosimetria das demais sanções de
mesma natureza e relativas ao mesmo fato.

11

11
9/23/2020

LINDB
Decreto 4.657, alterado pela Lei 12.376

Art. 28. O agente público responderá pessoalmente por suas


decisões ou opiniões técnicas em caso de dolo ou erro grosseiro.

Lei 13.303/2016 - da flexibilidade

12

12
9/23/2020

Filosofia do novo Regime

GOVERNANÇA CONTRATAÇÃO

 Segregação de Funções  Planejamento


 Relevância dos  Flexibilidade
Conselhos  Discricionariedade
 Independência da  Opções
Auditoria Interna
 Competência técnica
 Clareza dos planos e
metas
 Meritocracia
 Fiscalização pela
sociedade

Filosofia do novo Regime


MAIS
FERRAMENTAS
Trilha;
não trilho

MAIOR
MAIOR DEVER
DISCRICIONARI-
MOTIVADOR
EDADE

13

13
9/23/2020

Lei 13.303/2016 - da flexibilidade


Art. 40. As empresas públicas e as sociedades de economia mista deverão publicar e
manter atualizado regulamento interno de licitações e contratos, compatível com o
disposto nesta Lei, especialmente quanto a:
I - glossário de expressões técnicas;
II - cadastro de fornecedores;
III - minutas-padrão de editais e contratos;
IV - procedimentos de licitação e contratação direta;
V - tramitação de recursos;
VI - formalização de contratos;
VII - gestão e fiscalização de contratos;
VIII - aplicação de penalidades;
IX - recebimento do objeto do contrato.

Filosofia do novo Regime

Lei 8.666/93 Lei 13.303/16

14

14
9/23/2020

Lei 13.303/2016 - do objeto

Art. 33. O objeto da licitação e do contrato dela decorrente será


definido de forma sucinta e clara no instrumento convocatório.

CONTRATAÇÕES PÚBLICAS
CONTRATAÇÕES

BENS SERVIÇOS OBRAS

DE
DE ENGENHARIA
ENGENHARIA

OUTROS TIPOS

15

15
9/23/2020

LICITAÇÕES
LEI 8.666/93

Art. 6o Para os fins desta Lei, considera-se:


I - Obra - toda construção, reforma, fabricação, recuperação ou ampliação,
realizada por execução direta ou indireta;
II - Serviço - toda atividade destinada a obter determinada utilidade de
interesse para a Administração, tais como: demolição, conserto, instalação,
montagem, operação, conservação, reparação, adaptação, manutenção,
transporte, locação de bens, publicidade, seguro ou trabalhos técnico-
profissionais;
III - Compra - toda aquisição remunerada de bens para fornecimento de
uma só vez ou parceladamente;

OBRA

1- relação exaustiva: construção, reforma, fabricação,


recuperação ou ampliação;
2 - gera acréscimo material significativo;
3 – é permanente;
4 – precisa de profissional habilitado (engenheiro ou
arquiteto – ART ou RRT).

16

16
9/23/2020

CONTRATAÇÕES PÚBLICAS
SOB A CARACTERÍSITCA DA OBRIGAÇÃO

CONTRATAÇÕES

BENS SERVIÇOS OBRAS

DE
DE ENGENHARIA
ENGENHARIA

OUTROS TIPOS

CONTRATAÇÕES PÚBLICAS
SOB A CLASSIFICAÇÃO DE COMUM OU NÃO

CONTRATAÇÕES

BENS SERVIÇOS OBRAS

DE
DE ENGENHARIA
ENGENHARIA

OUTROS TIPOS

17

17
9/23/2020

CONTRATAÇÕES PÚBLICAS

FISCALIZAÇÃO CONTRATUAL
VIGÊNCIA E PRORROGAÇÃO

Prazo

Escopo Contínuos

18

18
9/23/2020

CONTRATAÇÕES

BENS SERVIÇOS OBRAS

DE
DE ENGENHARIA
ENGENHARIA

OUTROS TIPOS

contratos de limpeza, vigilância, recepção, portaria, que, via de regra, requerem


disponibilização contínua e permanente dos empregados nas dependências do órgão.

serviços nos quais há cessão de mão-


de-obra pela Contratada, ou seja, se faz
necessário que ela mantenha, em
período integral e de forma exclusiva,
funcionários à disposição da
Administração, para que executem
tarefas de seu interesse.

serviços realizados de forma contínua


mas sem a necessidade da Contratada
manter, em período integral e de forma
exclusiva, os funcionários à disposição da
Administração para que executem tarefas
de seu interesse.
consultoria, supervisão, manutenção* preventiva ou corretiva de
equipamentos, locação de máquinas, etc.

19

19
9/23/2020

Clique para editar o título mestre


contratos de limpeza, vigilância, recepção, portaria, que,
via de regra, requerem disponibilização contínua e
permanente dos empregados nas dependências do serviços nos quais há cessão de mão-
órgão. de-obra pela Contratada, ou seja, se faz
necessário que ela mantenha, em
período integral e de forma exclusiva,
funcionários à disposição da
Administração, para que executem
tarefas de seu interesse.

serviços realizados de forma contínua


mas sem a necessidade da Contratada
manter, em período integral e de forma
exclusiva, os funcionários à disposição da
consultoria, supervisão, manutenção* preventiva ou Administração para que executem tarefas
corretiva de equipamentos, locação de máquinas, etc. de seu interesse.

Os serviços prestados de forma contínua são aqueles que, pela sua


essencialidade, visam a atender à necessidade pública de forma permanente e
contínua, por mais de um exercício financeiro, assegurando a integridade do
patrimônio público ou o funcionamento das atividades finalísticas do órgão ou
entidade, de modo que sua interrupção possa comprometer a prestação de um
serviço público ou o cumprimento da missão institucional.
Já os serviços considerados não continuados ou contratados por escopo são
aqueles que impõem aos contratados o dever de realizar a prestação de um
serviço específico em um período predeterminado, podendo ser prorrogado,
desde que justificadamente, pelo prazo necessário à conclusão do objeto,
observadas as hipóteses previstas no § 1º do art. 57 da Lei nº 8.666, de 1993.
No que tange à diferença entre serviço com dedicação exclusiva de mão de obra
e sem dedicação exclusiva, esclarecemos que não é necessariamente o objeto
do contrato que define a condição do serviço como “COM” ou “SEM” dedicação
exclusiva de mão de obra, mas sim o modelo de execução contratual.

https://www.comprasgovernamentais.gov.br/index.php/in-servico-faq#P1.6

20

20
9/23/2020

IX - INSTRUMENTO DE MEDIÇÃO DE RESULTADO (IMR):


mecanismo que define, em bases compreensíveis, tangíveis,
objetivamente observáveis e comprováveis, os níveis esperados
de qualidade da prestação do serviço e respectivas adequações
de pagamento.
Item 2.5. d) Definir a forma de aferição/medição do serviço para
efeito de pagamento com base no resultado, conforme as
seguintes diretrizes, no que couber:
d.1. estabelecer a unidade de medida adequada para o tipo de
serviço a ser contratado, de forma que permita a mensuração
dos resultados para o pagamento da contratada e elimine a
possibilidade de remunerar as empresas com base na
quantidade de horas de serviço ou por postos de trabalho,
observando que:
d.1.1. excepcionalmente poderá ser adotado critério de
remuneração da contratada por quantidade de horas de serviço,
devendo ser definido o método de cálculo para quantidade,
qualificação da mão de obra e tipos de serviços sob demanda,
bem como para manutenção preventiva, se for o caso;

Qual será o nosso foco neste


curso?

21

21
9/23/2020

CONTRATAÇÕES PÚBLICAS
CONTRATAÇÕES

BENS SERVIÇOS OBRAS

DE
DE ENGENHARIA
ENGENHARIA

OUTROS TIPOS

REGIMES DE EXECUÇÃO - ESCOLHA


LEGISLAÇÃO

PROJETO OBJETO

REGIMES
MEDIÇÃO DE ADITIVO
EXECUÇÃO
JURISPRUDÊNCIA ORÇAMENTO

RISCOS

22

22
9/23/2020

Quais as diferenças?

SÚMULA

JURISPRUDÊNCIA

ACÓRDÃO

ESTRUTURA NORMATIVA NACIONAL


HIERARQUIA

CONSTITUIÇÃO
FEDERAL
LEGISLAÇÃO
N SÚMULAS
O
R
M JURISPRUDÊNCIA
A
T ACÓRDÃOS
I
V
O
S

Decretos
RLC
Instruções Normativas

23

23
9/23/2020

“LEI BOA É LEI VELHA”

IMPORTANTE!
QUESTÕES NA LEI JURISPRUDÊNCIA
13.303 EM RELAÇÃO A
LEI 8.666 E AO RDC

IDÊNTICAS SE APLICA
COMPLETAMENTE
SIMILARES SE APLICA COM
AJUSTES
NOVAS SE APLICA COM
CAUTELA EM FACE DA
LACUNA

24

24
9/23/2020

CONSULTAS SUGERIDAS
SITES ÚTEIS
 site www.tcu.gov.br (Link: Publicações)

 Licitações e Contratos - Orientações Básicas


 Obras Públicas - Recomendações Básicas para a
Contratação e Fiscalização de Obras de
Edificações Públicas;
 Cartilha de Licenciamento Ambiental
 Informativo de Jurisprudência

CONSULTAS SUGERIDAS
SITES ÚTEIS

 www.planalto.gov.br (legislação)
 www.camara.gov.br(PPA, LDO, LOA)
 www.fgvdados.fgv.br (indicadores econômicos)
 www.mma.gov.br (legislação ambiental)
 www.cef.gov.br( informações sobre o Sinapi)
 www.confea.gov.br (legislação ref. ao exercício
profissional de engenharia)
 www.abnt.org.br (relação de normas técnicas)

25

25
9/23/2020

LIVES
@CLAUDIOSARIAN (IGTV)

O QUE É UM PROJETO?

26

26
9/23/2020

PROJETO
 Um projeto é um esforço temporário empreendido
para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo.
Os projetos e as operações diferem, principalmente,
no fato de que os projetos são temporários e
exclusivos, enquanto as operações são contínuas e
repetitivas. (PMI)

 Não confundir Projeto com projeto

PROJETO – VISÃO SISTÊMICA


Projeto

Contrato 1 Contrato 2 Contrato 3 Contrato...

Execução Execução
1
...
projeto 2

27

27
9/23/2020

Você CONHECE A ESTRATÉGIA da sua organização?


PLANOS
NACIONAIS
PNL

PLANO ANUAL DE
CONTRATAÇÕES
CONTRATAÇÕES

EDITAL CONTRATOS

EXEMPLO: MAPA ESTRATÉGICO TCU

28

28
9/23/2020

FASES DE UM PROJETO

FASES DE UM PROJETO (EDITAIS)

29

29
9/23/2020

FASES DE UM PROJETO

Projeto
Executivo

Projeto
Básico
Ante-
Estudo de projeto Documentação
viabilidade as built

Lei 8.666: Licitação Projeto Licitação Obra

FASES DE UM PROJETO
CONTRATAÇÃO INTEGRADA

Projeto
Executivo

Estudo de Ante- Projeto


viabilidade projeto Básico
Documentação
as built

30

30
9/23/2020

Não confundir
Projeto básico
x
Projeto básico de
engenharia

LEGISLAÇÃO

ESTUDOS
8.666/93 12.462/11 13.303/16 10.520/02
PRELIMINARES

PROJETO ANTEPROJETO TERMO DE


BÁSICO INTEGRADA REFERÊNCIA

EDITAL

31

31
9/23/2020

LEGISLAÇÃO DECRETOS E INs

8.666/93 12.462/11 13.303/16 10.520/02

7.892/13 7.581/11 8.945/16 10.024/19


DECRETOS
7.983/13

5/2017 (SERVIÇOS), 1/2019 (TIC), IN 1/2019 (PLANO ANUAL)


IN
....

SÚMULA Nº 261/2010
Em licitações de obras e serviços de engenharia, é
necessária a elaboração de projeto básico adequado e
atualizado, assim considerado aquele aprovado com
todos os elementos descritos no art. 6º, inciso IX, da Lei
nº 8.666, de 21 de junho de 1993, constituindo prática
ilegal a revisão de projeto básico ou a elaboração de
projeto executivo que transfigurem o objeto
originalmente contratado em outro de natureza e
propósito diversos.

32

32
9/23/2020

ÁREAS DE UM PROJETO
INTEGRAÇÃO
AQUISIÇÕES
CUSTO  QUALIDADE

COMUNICAÇÃO
PROJETO RISCOS

PRAZO ESCOPO

RECURSOS HUMANOS

LEGISLAÇÃO
 Constituição Federal
 Lei nº 8.666/93 x 10.520/02 x 12.462/11 x 13.303/16
 Plano Plurianual
 Lei de Diretrizes Orçamentárias:
 Lei Orçamentária Anual
 Lei de Responsabilidade Fiscal
 Lei Complementar nº 123
 Lei nº 5.194/66; 6.496/77; E 12.378/10
Decreto 8.945/2016
 Resoluções CONFEA/ CONAMA

33

33
9/23/2020

LICITAÇÃO

Decreto Lei Lei Lei Lei


2.300 8.666 10.520 12.462 13.303
1986 1993 2002 2011 2016

CONSTITUIÇÃO FEDERAL
Art. 22 - Competência privativa da União (Redação dada
pela Emenda Constitucional nº 19, de 04/06/98):
"XXVII – normas gerais de licitação e contratação, em todas
as modalidades, para as administrações públicas diretas,
autárquicas e fundacionais da União, Estados, Distrito
Federal e Municípios, obedecido o disposto no art. 37, XXI,
e para as empresas públicas e sociedades de economia
mista, nos termos do art. 173, § 1°, III;”

34

34
9/23/2020

CONSTITUIÇÃO FEDERAL
Art. 37. (...)
XXI - ressalvados os casos especificados na legislação, as
obras, serviços, compras e alienações serão contratados
mediante processo de licitação pública que assegure
igualdade de condições a todos os concorrentes, com
cláusulas que estabeleçam obrigações de pagamento,
mantidas as condições efetivas da proposta, nos termos
da lei, o qual somente permitirá as exigências de
qualificação técnica e econômica indispensáveis à
garantia do cumprimento das obrigações.

CONSTITUIÇÃO FEDERAL

Art. 37. A administração pública direta e indireta


de qualquer dos Poderes da União, dos Estados,
do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá
aos princípios de legalidade, impessoalidade,
moralidade, publicidade e eficiência e, também,
ao seguinte:”

35

35
9/23/2020

CONSTITUIÇÃO FEDERAL (EC 19/98)


Art. 173. Ressalvados os casos previstos nesta Constituição, a exploração direta de atividade econômica
pelo Estado só será permitida quando necessária aos imperativos da segurança nacional ou a relevante
interesse coletivo, conforme definidos em lei.
§ 1º A lei estabelecerá o estatuto jurídico da empresa pública, da sociedade de economia mista e de
suas subsidiárias que explorem atividade econômica de produção ou comercialização de bens ou de
prestação de serviços, dispondo sobre:
I - sua função social e formas de fiscalização pelo Estado e pela sociedade;
II - a sujeição ao regime jurídico próprio das empresas privadas, inclusive quanto aos direitos e obrigações
civis, comerciais, trabalhistas e tributários;
III - licitação e contratação de obras, serviços, compras e alienações, observados os princípios da
administração pública;
IV - a constituição e o funcionamento dos conselhos de administração e fiscal, com a participação de
acionistas minoritários;
V - os mandatos, a avaliação de desempenho e a responsabilidade dos administradores.

REGULAMENTAÇÃO
EM 24 MESES

36

36
9/23/2020

Lei 13.303

Art. 91. A empresa pública e a


sociedade de economia mista
constituídas anteriormente à vigência
desta Lei deverão, no prazo de 24 (vinte
e quatro) meses, promover as
adaptações necessárias à adequação ao
disposto nesta Lei.

REGULAMENTAÇÃO
PRAZO 30/6/2018

Art. 71§ 1o Decreto 8.945/2016


A empresa estatal deverá editar regulamento interno
de licitações e contratos até o dia 30 de junho de 2018,
que deverá dispor sobre o estabelecido nos incisos
do caput, os níveis de alçada decisória e a tomada de
decisão, preferencialmente de forma colegiada, e ser
aprovado pelo Conselho de Administração da empresa,
se houver, ou pela assembleia geral.

37

37
9/23/2020

Decreto 8.945/16
Art. 2º Para os fins deste Decreto, considera-se:

I - empresa estatal - entidade dotada de personalidade jurídica de direito privado, cuja maioria do
capital votante pertença direta ou indiretamente à União;

II - empresa pública - empresa estatal cuja maioria do capital votante pertença diretamente à União e
cujo capital social seja constituído de recursos provenientes exclusivamente do setor público;

III - sociedade de economia mista - empresa estatal cuja maioria das ações com direito a voto pertença
diretamente à União e cujo capital social admite a participação do setor privado;

IV - subsidiária - empresa estatal cuja maioria das ações com direito a voto pertença direta ou
indiretamente a empresa pública ou a sociedade de economia mista;

VII - administradores - membros do Conselho de Administração e da Diretoria da empresa estatal.

REGULAMENTAÇÃO - VANTAGENS
PRAZO 30/6/2018

• Preenchimento de lacunas da Lei 13.303


• Maior flexibilidade à customização
• Maior segurança aos gestores e servidores
• Customização às necessidades da empresa

38

38
9/23/2020

ETAPAS DE
CONTRATAÇÃO

FASE PRELIMINAR À LICITAÇÃO

DECISÃO DE LICITAR

LICITAÇÃO – FASE INTERNA


ETAPAS PUBLICAÇÃO DO EDITAL
LICITAÇÃO – FASE EXTERNA
CONTRATAÇÃO
ASSINATURA DO CONTRATAÇÃO
CONTRATO DIRETA

FASE CONTRATUAL

RECEBIMENTO DEFINITIVO

FASE POSTERIOR À CONTRATAÇÃO

39

39
9/23/2020

LICITAÇÃO

PRIMEIRA PÁGINA DO PROCESSO É A


DEFINIÇÃO DA NECESSIDADE

40

40
9/23/2020

PASSO 1 (FASE PRELIMINAR)

 Programa de necessidades

 Alinhamento ao Plano Estratégico

 Estudo de Viabilidade

 Plano Anual de aquisições

 Regularidade do terreno e interferências relevantes

 Restrições legais

 Disponibilidade de recursos

PASSO 2 (FASE INTERNA)

 Elaboração de projetos

 Projeto Básico
 Anteprojeto (integrada)
 Formação e treinamento da equipe

 Licenciamento ambiental

 Definição do orçamento

 Inclusão na Lei Orçamentária

 Elaboração do Edital (definição das regras de julgamento)

41

41
9/23/2020

PASSO 3 (FASE EXTERNA)

 Nomeação da Comissão de Licitação

 Observância a prazos

 Respostas a questionamento

 Avaliação da habilitação

 Avaliação das propostas (critérios de aceitabilidade e


exequibilidade)
 Homologação e Adjudicação do Objeto

PASSO 4 (FASE CONTRATUAL)

 Assinatura do contrato

 Ordem de serviço

 Designação da equipe de fiscalização

 Acompanhamento dos serviços (medição)

 Aditivos

 Correção de falhas de projeto

 Recebimentos

42

42
9/23/2020

FASE INTERNA

LICITAÇÃO - FASE INTERNA

EDITAL

O QUÊ COM QUAIS COM QUEM COMO COMO


CONTRATAR RECURSOS CONTRATAR EXECUTAR CONTRATAR

REGRAS
CARACTERIZ. PREVISÃO REGRAS REGRAS REGRAS
PARA
DO DE PARA PARA PARA
ESTRUTURAR
OBJETO RECURSOS HABILITAÇÃO CONTRATAÇÃO JULGAMENTO
A LICITAÇÃO

43

43
9/23/2020

LICITAÇÃO
FASE INTERNA
 REQUISITOS (O QUE CONTRATAR E COM QUAIS
RECURSOS)
Art. 7º , § 2º, Lei nº 8666/93 As obras e os serviços
somente poderão ser licitados quando:
I - houver projeto básico aprovado pela autoridade
competente e disponível para exame dos interessados em
participar do processo licitatório;
II - existir orçamento detalhado em planilhas que expressem
a composição de todos os seus custos unitários;

LICITAÇÃO
FASE INTERNA
 REQUISITOS (O QUE CONTRATAR E COM QUAIS
RECURSOS)
Art. 7º , § 2º, 8666 As obras e os serviços somente
poderão ser licitados quando:
III - houver previsão de recursos orçamentários que
assegurem o pagamento das obrigações decorrentes de
obras ou serviços a serem executadas no exercício
financeiro em curso, de acordo com o respectivo
cronograma;
IV - o produto dela esperado estiver contemplado nas
metas estabelecidas no Plano Plurianual de que trata o art.
165 da Constituição Federal.

44

44
9/23/2020

13.303/16
CARACT. REGIMES
DO ORÇAMENTO DE PROCEDI-
HABILITAÇÃO CONTRATAÇÃO
OBJETO EXECUÇÃO MENTOS

ESTRUTURAÇÃO Cuidados
AP e PB e TR Referência Requisitos 4 NORMAIS Prazo Fiscalização
Pregão Aditivos
Assessoria Jur.

Especificação PROCEDIM.
Sigilo INTEGRADA
Marcas AUXILIARES Recebimento
SEMI-INTEGR Pré-qualifica
Normas Técnicas
Cadstramento
SRP
Análise das Catálogo
propostas MATRIZES RISCO eletrônico

45

45
9/23/2020

PARTE 2 – LICITAÇÃO

O QUE CONTRATAR?
A definição do objeto

46

1
9/23/2020

8.666 X 13.303 X 10.520


Lei 8.666 13.303 10.520
Anteprojeto Subsidiário Obrigatório Termo de
(Integrada) referência

Projeto Básico Obrigatório Obrigatório


(Outros
regimes)
Projeto Não há menção Obrigatório
Executivo da antes da
obrigatoriedade execução dos
serviços

CARACTERIZAÇÃO DO OBJETO
CARACTERIZAÇÃO DA OBRA

ANTEPROJETO ORÇAMENTO
ESTIMATIVO

LICENÇA PROJETO ORÇAMENTO


AMBIENTAL BÁSICO DETALHADO
PRÉVIA

PROJETO
EXECUTIVO

DOCUMENTAÇÃO
“AS BUILT”

47

2
9/23/2020

FASES DE UM PROJETO

Projeto
Executivo

Projeto
Básico
Ante-
Estudo de projeto Documentação
viabilidade as built

Lei 8.666: Licitação Projeto Licitação Obra

Definições – Lei 13.303


VII - anteprojeto de engenharia: peça técnica com todos os
elementos de contornos necessários e fundamentais à elaboração do
projeto básico, devendo conter minimamente os seguintes
elementos:
a) demonstração e justificativa do programa de necessidades, visão
global dos investimentos e definições relacionadas ao nível de
serviço desejado;
b) condições de solidez, segurança e durabilidade e prazo de entrega;
c) estética do projeto arquitetônico;

48

3
9/23/2020

Definições – Lei 13.303


d) parâmetros de adequação ao interesse público, à economia
na utilização, à facilidade na execução, aos impactos ambientais
e à acessibilidade;
e) concepção da obra ou do serviço de engenharia;
f) projetos anteriores ou estudos preliminares que embasaram a
concepção adotada;
g) levantamento topográfico e cadastral;
h) pareceres de sondagem;
i) memorial descritivo dos elementos da edificação, dos
componentes construtivos e dos materiais de construção, de
forma a estabelecer padrões mínimos para a contratação;

Definições – Lei 13.303


VIII - projeto básico: conjunto de elementos necessários e
suficientes, com nível de precisão adequado, para, observado
o disposto no § 3º, caracterizar a obra ou o serviço, ou o
complexo de obras ou de serviços objeto da licitação,
elaborado com base nas indicações dos estudos técnicos
preliminares, que assegure a viabilidade técnica e o adequado
tratamento do impacto ambiental do empreendimento e que
possibilite a avaliação do custo da obra e a definição dos
métodos e do prazo de execução, devendo conter os seguintes
elementos:

49

4
9/23/2020

Definições – Lei 13.303


a) desenvolvimento da solução escolhida, de forma a fornecer visão global
da obra e a identificar todos os seus elementos constitutivos com clareza;
b) soluções técnicas globais e localizadas, suficientemente detalhadas, de
forma a minimizar a necessidade de reformulação ou de variantes durante
as fases de elaboração do projeto executivo e de realização das obras e
montagem;
c) identificação dos tipos de serviços a executar e de materiais e
equipamentos a incorporar à obra, bem como suas especificações, de
modo a assegurar os melhores resultados para o empreendimento, sem
frustrar o caráter competitivo para a sua execução;

Definições – Lei 13.303

d) informações que possibilitem o estudo e a dedução de


métodos construtivos, instalações provisórias e condições
organizacionais para a obra, sem frustrar o caráter competitivo
para a sua execução;
e) subsídios para montagem do plano de licitação e gestão da
obra, compreendendo a sua programação, a estratégia de
suprimentos, as normas de fiscalização e outros dados
necessários em cada caso;

50

5
9/23/2020

Definições – Lei 13.303

Art. 32. Nas licitações e contratos de que trata esta Lei serão
observadas as seguintes diretrizes:
II - busca da maior vantagem competitiva para a empresa
pública ou sociedade de economia mista, considerando custos
e benefícios, diretos e indiretos, de natureza econômica, social
ou ambiental, inclusive os relativos à manutenção, ao
desfazimento de bens e resíduos, ao índice de depreciação
econômica e a outros fatores de igual relevância;

Definições – Lei 13.303

Art. 42, IX - projeto executivo: conjunto dos


elementos necessários e suficientes à
execução completa da obra, de acordo com as
normas técnicas pertinentes;
Art. 43,§ 2º É vedada a execução, sem projeto
executivo, de obras e serviços de engenharia.

51

6
9/23/2020

Art. 81. Os contratos celebrados nos regimes previstos


nos incisos I a V do art. 43 contarão com cláusula que
estabeleça a possibilidade de alteração, por acordo
entre as partes, nos seguintes casos:

[...]

§ 8º É vedada a celebração de aditivos decorrentes de


eventos supervenientes alocados, na matriz de riscos,
como de responsabilidade da contratada.

Art. 42. § 3º Nas contratações integradas ou semi-


integradas, os riscos decorrentes de fatos
supervenientes à contratação associados à escolha da
solução de projeto básico pela contratante deverão ser
alocados como de sua responsabilidade na matriz de
riscos.

52

7
9/23/2020

RESPONSABILIDADE

Responsabilidade

Profissional Administrativa Civil Penal

53

8
9/23/2020

RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL
LEI nº 5.194/66

Art . 7º As atividades e atribuições profissionais do


engenheiro, do arquiteto e do engenheiro-agrônomo
consistem em:
a) desempenho de cargos, funções e comissões em
entidades estatais, paraestatais, autárquicas, de economia
mista e privada;
b) planejamento ou projeto, em geral, de regiões, zonas,
cidades, obras, estruturas, transportes, explorações de
recursos naturais e desenvolvimento da produção
industrial e agropecuária;

RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL
LEI nº 5.194/66
Art . 7º (...)
c) estudos, projetos, análises, avaliações, vistorias,
perícias, pareceres e divulgação técnica;
d) ensino, pesquisas, experimentação e ensaios;
e) fiscalização de obras e serviços técnicos;
f) direção de obras e serviços técnicos;
g) execução de obras e serviços técnicos;
h) produção técnica especializada, industrial ou agro-
pecuária.

54

9
9/23/2020

RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL
LEI nº 12.378
Art. 2o As atividades e atribuições do arquiteto e urbanista consistem em:

I - supervisão, coordenação, gestão e orientação técnica;

II - coleta de dados, estudo, planejamento, projeto e especificação;

III - estudo de viabilidade técnica e ambiental;

IV - assistência técnica, assessoria e consultoria;

V - direção de obras e de serviço técnico;

VI - vistoria, perícia, avaliação, monitoramento, laudo, parecer técnico, auditoria e arbitragem;

VII - desempenho de cargo e função técnica;

VIII - treinamento, ensino, pesquisa e extensão universitária;

IX - desenvolvimento, análise, experimentação, ensaio, padronização, mensuração e controle de qualidade;

X - elaboração de orçamento;

XI d ã di l ã é i i li d

RESPONSABILIDADE ADMINSITRATIVA
Decreto Lei 6.657 alterado pela Lei 13.655/2018

Art. 22. Na interpretação de normas sobre gestão pública, serão considerados os


obstáculos e as dificuldades reais do gestor e as exigências das políticas públicas a seu
cargo, sem prejuízo dos direitos dos administrados.
§ 1º Em decisão sobre regularidade de conduta ou validade de ato, contrato, ajuste,
processo ou norma administrativa, serão consideradas as circunstâncias práticas que
houverem imposto, limitado ou condicionado a ação do agente.
§ 2º Na aplicação de sanções, serão consideradas a natureza e a gravidade da
infração cometida, os danos que dela provierem para a administração pública, as
circunstâncias agravantes ou atenuantes e os antecedentes do agente.
§ 3º As sanções aplicadas ao agente serão levadas em conta na dosimetria das
demais sanções de mesma natureza e relativas ao mesmo fato.

55

10
9/23/2020

RESPONSABILIDADE ADMINSITRATIVA
Decreto Lei 6.657 alterado pela Lei 13.655/2018

Art. 28. O agente público responderá


pessoalmente por suas decisões ou opiniões
técnicas em caso de dolo ou erro grosseiro.

ENTENDIMENTOS TCU

Para fins de responsabilização perante o TCU,


considera-se erro grosseiro aquele que pode ser
percebido por pessoa com diligência abaixo do
normal ou que pode ser evitado por pessoa com
nível de atenção aquém do ordinário, decorrente
de grave inobservância de dever de cuidado.
Acórdão 3327/2019- P

56

11
9/23/2020

ENTENDIMENTOS TCU

Para fins de responsabilização perante o TCU,


pode ser tipificada como erro grosseiro (art. 28
do Decreto-lei 4.657/1942 - Lei de Introdução às
Normas do Direito Brasileiro) a autorização de
pagamento sem a devida liquidação da despesa.
Acórdão 2699/2019-Primeira Câmara

ENTENDIMENTOS TCU

Para fins do exercício do poder sancionatório do


TCU, pode ser tipificado como erro grosseiro (art.
28 do Decreto-lei 4.657/1942 - Lindb) o
pagamento de serviços de natureza continuada
prestados sem respaldo contratual, em afronta ao
art. 60, parágrafo único, da Lei 8.666/1993.
Acórdão 13053/2019-Segunda Câmara

57

12
9/23/2020

ENTENDIMENTOS TCU
Para fins de responsabilização perante o TCU, pode ser
tipificada como erro grosseiro (art. 28 do Decreto-lei
4.657/1942 - Lei de Introdução às Normas do Direito
Brasileiro) a decisão do gestor que desconsidera, sem a
devida motivação, parecer da consultoria jurídica do
órgão ou da entidade que dirige. Tal conduta revela
desempenho aquém do esperado do administrador
médio, o que configura culpa grave, passível de multa.
Acórdão 1264/2019-Plenário

SÚMULA Nº 260
 É dever do gestor exigir apresentação de
Anotação de Responsabilidade Técnica – ART
referente a projeto, execução, supervisão e
fiscalização de obras e serviços de engenharia,
com indicação do responsável pela elaboração
de plantas, orçamento-base, especificações
técnicas, composições de custos unitários,
cronograma físico-financeiro e outras peças
técnicas.

58

13
9/23/2020

TCU – Acórdão nº 1.033/08 - Plenário

21. Outro ponto a destacar refere-se ao fato de


que o Tribunal já decidiu sobre a possibilidade
de responsabilização do projetista, em razão da
confecção de projetos deficientes (Decisão nº
767/2002-Plenário, e Acórdãos nºs 583/2003,
938/2003 e 2.084/2004, do Plenário).

TCU – Acórdão nº 1.039/08 – 1ª Câmara


9.4.6. oriente os membros da Comissão Permanente de
Licitação acerca do teor do art. 51, § 3º, da Lei n.
8.666/1993, que trata da responsabilidade solidária por
todos os atos praticados pela Comissão, salvo se posição
individual divergente e devidamente fundamentada estiver
registrada em ata lavrada na reunião em que tiver sido
tomada a decisão;
9.4.7. alerte os assessores jurídicos do conselho sobre a
necessidade de consignarem em seus pareceres as
irregularidades constantes dos procedimentos licitatórios
deflagrados pela entidade, sob pena de responsabilização
solidária desses pareceristas com os gestores;

59

14
9/23/2020

QUAIS OS ELEMENTOS TÉCNICOS MÍNIMOS DO


PROJETO BÁSICO?
 PRECISÃO (15%)

 CONJUNTO DE ELEMENTOS:
 1 - DE AVALIAÇÃO DO MEIO AMBIENTE
 2 - DE INSERÇÃO DO PROJETO NO MEIO
AMBIENTE
 RESPONSÁVEL TÉCNICO HABILITADO (COM ART)

 DEPENDE DE CADA EMPREENDIMENTO

QUAIS OS ELEMENTOS TÉCNICOS MÍNIMOS DO


PROJETO BÁSICO
 VER IBRAOP: OT – IBR 001/2006
 Edificações
 Obras Rodoviárias
 Pavimentação Urbana
 Detalhamento dos desenhos, especificações e
memoriais
 www.ibraop.org.br

60

15
9/23/2020

QUAIS OS ELEMENTOS TÉCNICOS MÍNIMOS DO


PROJETO BÁSICO

 VER IBRAOP: OT – IBR 006/2016

 www.ibraop.org.br

DECISÃO NORMATIVA Nº 106, DE 17 DE ABRIL DE


2015.
Conceitua o termo “Projeto” e define suas tipificações.

Art. 1° Conceituar o termo “Projeto” como a somatória do


conjunto de todos os elementos conceituais, técnicos, executivos e
operacionais abrangidos pelas áreas de atuação, pelas atividades e
pelas atribuições dos profissionais da Engenharia e da Agronomia,
nos termos das leis, dos decretos-lei e dos decretos que
regulamentam tais profissões, quais sejam: Decreto nº 23.196, de
1933, Decreto nº 23.569, de 1933, Decreto-Lei nº 8.620, de 1946,
Lei n° 4.076, de 1962, Lei nº 4.643, de 1965, Lei n° 5.194, de
1966, Lei n° 6.664, de 1979, Lei n° 6.835, de 1980, e Lei n°
7.410, de 1985, e a Constituição Federal de 1988.

61

16
9/23/2020

DECISÃO NORMATIVA Nº 106, DE 17 DE ABRIL DE


2015.
Conceitua o termo “Projeto” e define suas tipificações.

Art. 2º Para efeito desta decisão normativa, considera-se o termo


genérico “Projeto” como:
I – o Projeto Básico, abordado pela Resolução nº 361, de 1991, e
pela Orientação Técnica IBRAOP/OT - IBR 001/2006, que consiste
nos principais conteúdos e elementos técnicos correntes aplicáveis
às obras e serviços, sem restringir as constantes evoluções e
impactos da ciência, da tecnologia, da inovação, do
empreendedorismo e do conhecimento e desenvolvimento do
empreendimento social e humano, nas seguintes especialidades:

DECISÃO NORMATIVA Nº 106, DE 17 DE ABRIL DE


2015.
Conceitua o termo “Projeto” e define suas tipificações.

a) levantamento Topográfico;
b) sondagem;
c) projeto Arquitetônico;
d) projeto de Terraplenagem;
e) projeto de Fundações;
f) projeto Estrutural;
g) projeto de Instalações Hidráulicas;
h) projeto de Instalações Elétricas;
i) projeto de Instalações Telefônica, de dados e som;
j) projeto de Instalações de Prevenção de Incêndio;
k) projeto de Instalações Especiais (lógicas, CFTV, alarme, detecção de fumaça);
l) projeto de Instalações de Ar-condicionado;
m) projeto de Instalações de Transporte Vertical; e
n) projeto de Paisagismo.

62

17
9/23/2020

Gerenciamento de riscos
Riscos internos x Riscos externos

-Risco: Evento futuro que pode afetar os


objetivos pretendidos
Fatores Ambientais: atitudes e tolerância
em relação ao risco
Metodologia: abordagens, ferramentas e
fontes de informação
Matriz de probabilidade e impacto
(qualitativa e quantitativa)

63

18
9/23/2020

PLANEJAMENTO DE RESPOSTA AOS RISCOS


RISCOS NEGATIVOS OU RISCOS POSITIVOS OU
AMEAÇAS OPORTUNIDADES
Prevenir: eliminar a ameaça Explorar: fazer com que aconteça

Transferir: passagem para Compartilhar: atribuir a terceiros que


terceiros posam capturar melhor a
oportunidade para o projeto
Mitigar: redução da Melhorar: modificar o tamanho da
probabilidade até limite aceitável oportunidade

Aceitar: submeter ao superior

ESTRATÉGIA PARA RISCOS

64

19
9/23/2020

Base para análise de Risco

PA Ib PA IA
PROBABILIDADE

Pb Ib Pb IA
IMPACTO

65

20
9/23/2020

Base para análise de Risco

MAPA
x DE RISCO
MATRIZ

66

21
9/23/2020

MAPA DE RISCOS – IN 5/2017

Art. 26. O Gerenciamento de Riscos materializa-se no


documento Mapa de Riscos.
§ 1º O Mapa de Riscos deve ser atualizado e juntado aos
autos do processo de contratação, pelo menos:
I - ao final da elaboração dos Estudos Preliminares;
II - ao final da elaboração do Termo de Referência ou Projeto
Básico;
III - após a fase de Seleção do Fornecedor; e
IV - após eventos relevantes, durante a gestão do contrato
pelos servidores responsáveis pela fiscalização.
2º Para elaboração do Mapa de Riscos poderá ser observado
o modelo constante do Anexo IV.

MAPA DE RISCOS – IN 5/2017

XII - MAPA DE RISCOS: documento


elaborado para identificação dos
principais riscos que permeiam o
procedimento de contratação e das
ações para controle, prevenção e
mitigação dos impactos.

67

22
9/23/2020

Definições – Lei 13.303


X - matriz de riscos: cláusula contratual definidora de riscos e
responsabilidades entre as partes e caracterizadora do
equilíbrio econômico-financeiro inicial do contrato, em termos
de ônus financeiro decorrente de eventos supervenientes à
contratação, contendo, no mínimo, as seguintes informações:
a) listagem de possíveis eventos supervenientes à assinatura
do contrato, impactantes no equilíbrio econômico-financeiro
da avença, e previsão de eventual necessidade de prolação de
termo aditivo quando de sua ocorrência;

Definições – Lei 13.303


b) estabelecimento preciso das frações do objeto em que
haverá liberdade das contratadas para inovar em soluções
metodológicas ou tecnológicas, em obrigações de resultado,
em termos de modificação das soluções previamente
delineadas no anteprojeto ou no projeto básico da licitação;
c) estabelecimento preciso das frações do objeto em que não
haverá liberdade das contratadas para inovar em soluções
metodológicas ou tecnológicas, em obrigações de meio,
devendo haver obrigação de identidade entre a execução e a
solução pré-definida no anteprojeto ou no projeto básico da
licitação.

68

23
9/23/2020

LIVRO RDC – FIGURA 12.17

Art. 81. Os contratos celebrados nos regimes previstos


nos incisos I a V do art. 43 contarão com cláusula que
estabeleça a possibilidade de alteração, por acordo
entre as partes, nos seguintes casos:

[...]

§ 8º É vedada a celebração de aditivos decorrentes de


eventos supervenientes alocados, na matriz de riscos,
como de responsabilidade da contratada.

69

24
9/23/2020

Entendimento do TCU
Projeto básico como condição para a instauração
da licitação

LICITAÇÃO
FASE INTERNA - PROJETO BÁSICO - TCU - MÁ QUALIDADE
TCU – Acórdão nº 77/2002 – Plenário
Voto
Creio que se possa, nesse ponto, repetir o que tenho, insistentemente,
afirmado acerca do açodamento com que são feitos os projetos de
engenharia para a grande maioria de obras realizadas pelo poder público
em nosso País, independentemente da esfera governamental em que se
encontrem tais obras. O Projeto Básico, que deve ser encarado como
elemento fundamental para a realização de qualquer licitação, deve,
também, ser considerado o pilar de todo empreendimento, público ou
privado, mas que tem sido constantemente mal-elaborado, quando há
envolvimento de recursos públicos, em quaisquer das esferas
administrativas, sem a atenção mínima necessária quando da sua
confecção, o que é lamentável por se tornar fonte de desvios e toda sorte
de irregularidades que se tem notícia no Brasil.

70

25
9/23/2020

EDITAL
TCU – Acórdão nº 1.556/2007 - Plenário

A restrição à competitividade, causada pela


ausência de informações essenciais no
instrumento convocatório, é causa que enseja a
nulidade da licitação.

SÚMULA Nº 261
Em licitações de obras e serviços de engenharia, é
necessária a elaboração de projeto básico adequado e
atualizado, assim considerado aquele aprovado com
todos os elementos descritos no art. 6º, inciso IX, da Lei
nº 8.666, de 21 de junho de 1993, constituindo prática
ilegal a revisão de projeto básico ou a elaboração de
projeto executivo que transfigurem o objeto
originalmente contratado em outro de natureza e
propósito diversos.

71

26
9/23/2020

LICITAÇÃO
FASE INTERNA - PROJETO BÁSICO - Resolução 361 - CONFEA

Art. 1º - O Projeto Básico é o conjunto de elementos que define


a obra, o serviço ou o complexo de obras e serviços que
compõem o empreendimento, de tal modo que suas
características básicas e desempenho almejado estejam
perfeitamente definidos, possibilitando a estimativa de seu
custo e prazo de execução.
Art. 2º - O Projeto Básico é uma fase perfeitamente definida de
um conjunto mais abrangente de estudos e projetos, precedido
por estudos preliminares, anteprojeto, estudos de viabilidade
técnica, econômica e avaliação de impacto ambiental, e
sucedido pela fase de projeto executivo ou detalhamento.

LICITAÇÃO
FASE INTERNA - PROJETO BÁSICO - Resolução 361 - CONFEA

Art. 3º - As principais características de um Projeto Básico


são:
(...)
e) identificar e especificar, sem omissões, os tipos de serviços
a executar, os materiais e equipamentos a incorporar à obra;
f) definir as quantidades e os custos de serviços e
fornecimentos com precisão compatível com o tipo e porte
da obra, de tal forma a ensejar a determinação do custo
global da obra com precisão de mais ou menos 15% (quinze
por cento);

72

27
9/23/2020

LICITAÇÃO
FASE INTERNA – PROJETO BÁSICO – Resolução 361 – CONFEA

Art. 7º Os autores do Projeto Básico, sejam eles


contratados ou pertencentes ao quadro técnico do
órgão contratante, deverão providenciar a Anotação
de Responsabilidade Técnica - ART, instituída pela Lei
Federal nº 6.496, de 07 DEZ 1977, e regulamentada
através de Resoluções específicas do Conselho Federal
de Engenharia, Arquitetura e Agronomia - CONFEA.

PMI

73

28
9/23/2020

PMI

Art. 31,§ 4º A empresa pública e a sociedade de economia mista


poderão adotar procedimento de manifestação de interesse privado
para o recebimento de propostas e projetos de empreendimentos
com vistas a atender necessidades previamente identificadas,
cabendo a regulamento a definição de suas regras específicas.
§ 5º Na hipótese a que se refere o § 4º, o autor ou financiador do
projeto poderá participar da licitação para a execução do
empreendimento, podendo ser ressarcido pelos custos aprovados
pela empresa pública ou sociedade de economia mista caso não
vença o certame, desde que seja promovida a cessão de direitos de
que trata o art. 80.

Cessão de direitos de projeto

Art. 80. Os direitos patrimoniais e autorais de projetos


ou serviços técnicos especializados desenvolvidos por
profissionais autônomos ou por empresas contratadas
passam a ser propriedade da empresa pública ou
sociedade de economia mista que os tenha
contratado, sem prejuízo da preservação da
identificação dos respectivos autores e da
responsabilidade técnica a eles atribuída.

74

29
9/23/2020

FORMA E REGIME DE
EXECUÇÃO

CONTRATAÇÕES PÚBLICAS
CONTRATAÇÕES

BENS SERVIÇOS OBRAS

DE
DE ENGENHARIA
ENGENHARIA

OUTROS TIPOS

75

30
9/23/2020

CONTRATAÇÕES PÚBLICAS
SOB A CARACTERÍSITCA DA OBRIGAÇÃO

CONTRATAÇÕES

BENS SERVIÇOS OBRAS

DE
DE ENGENHARIA
ENGENHARIA

OUTROS TIPOS

CONTRATAÇÕES PÚBLICAS

76

31
9/23/2020

Regimes de
Execução

8.666 12.462 13.303

Contratação Contratação
Preço Unitário
integrada semi-integrada

Preço Global

ANTEPROJETO
Tarefa

PROJETO
Empreitada BÁSICO

Integral

DEFINIÇÕES - Lei nº 8.666/93


Execução indireta - a que o órgão ou entidade contrata
com terceiros, sob qualquer das seguintes modalidades:
a) empreitada por preço global - quando se contrata a
execução da obra ou do serviço por preço certo e total;
b) empreitada por preço unitário - quando se contrata a
execução da obra ou do serviço por preço certo de
unidades determinadas;
c) tarefa - quando se ajusta mão-de-obra para pequenos
trabalhos por preço certo, com ou sem fornecimento de
materiais;

77

32
9/23/2020

DEFINIÇÕES - Lei nº 8.666/93


d) empreitada integral - quando se contrata um
empreendimento em sua integralidade,
compreendendo todas as etapas das obras, serviços e
instalações necessárias, sob inteira responsabilidade
da contratada até a sua entrega ao contratante em
condições de entrada em operação, atendidos os
requisitos técnicos e legais para sua utilização em
condições de segurança estrutural e operacional e com
as características adequadas às finalidades para que
foi contratada.

REGIME DE EXECUÇÃO
MAIOR MENOR

PREÇO GLOBAL PREÇO UNITÁRIO


COMPLEXIDADE DA OBRA

++ -FACILIDADE DE PREVISÃO -PAGO O JUSTO


DO VALOR FINAL -FACILIDADE DE AJUSTES DE
-MEDIÇÃO SERVIÇOS
- RISCO MAIOR DA
CONTRATADA

-- -ERROS DE -RISCO MAIOR DA ADMINISTR.


QUANTIFICAÇÃO DE -MAIOR TRABALHO NAS
PROJETO A MAIOR MEDIÇÕES
- ADITIVOS - ADITIVOS

78

33
9/23/2020

CUIDADO – NÃO CONFUNDA


PREÇO UNITÁRIO PREÇO GLOBAL

ADJUDICAÇÃO

CRITÉRIO DE
ACITABILIDADE
DE PREÇOS
REGIME DE
EXECUÇÃO

TIPOS DE ADITIVOS
REGIME PEDIDO ERROS E
NOVO OMISSÕES DO
ORÇAMENTO
PREÇO
UNITÁRIO

PREÇO
GLOBAL

79

34
9/23/2020

TCU – Acórdão nº 1.977/2013


9.1. determinar à Segecex que oriente às unidades técnicas
desta Corte a observarem as seguintes disposições em suas
fiscalizações de obras e serviços de engenharia executadas
sob o regime de empreitada por preço global, a serem
aplicadas de acordo com as circunstâncias de cada caso
concreto:
9.1.1. a escolha do regime de execução contratual pelo
gestor deve estar fundamentada nos autos do processo
licitatório, em prestígio ao definido no art. 50 da Lei
9.784/99;

TCU – Acórdão nº 1.977/2013

9.1.2. os instrumentos convocatórios devem


especificar, de forma objetiva, as regras sobre
como serão realizadas as medições, a exemplo de
pagamentos após cada etapa conclusa do
empreendimento ou de acordo com o cronograma
físico-financeiro da obra, em atendimento ao que
dispõe o art. 40, inciso XIV, da Lei 8.666/93;

80

35
9/23/2020

9.1.3. a empreitada por preço global, em regra, em razão de


a liquidação de despesas não envolver, necessariamente, a
medição unitária dos quantitativos de cada serviço na
planilha orçamentária, nos termos do art. 6º, inciso VIII,
alínea 'a', da Lei 8.666/93, deve ser adotada quando for
possível definir previamente no projeto, com boa margem de
precisão, as quantidades dos serviços a serem
posteriormente executados na fase contratual; enquanto que
a empreitada por preço unitário deve ser preferida nos casos
em que os objetos, por sua natureza, possuam uma
imprecisão inerente de quantitativos em seus itens
orçamentários, como são os casos de reformas de edificação,
obras com grandes movimentações de terra e interferências,
obras de manutenção rodoviária, dentre outras;

9.1.4. nas situações em que, mesmo diante de objeto


com imprecisão intrínseca de quantitativos, tal qual
asseverado no item 9.1.3. supra, se preferir a utilização
da empreitada por preço global, deve ser justificada, no
bojo do processo licitatório, a vantagem dessa
transferência maior de riscos para o particular – e,
consequentemente, maiores preços ofertados – em
termos técnicos, econômicos ou outro objetivamente
motivado, bem assim como os impactos decorrentes
desses riscos na composição do orçamento da obra, em
especial a taxa de BDI – Bonificação e Despesas
Indiretas;

81

36
9/23/2020

9.1.5. a proposta ofertada deverá seguir as quantidades


do orçamento-base da licitação, cabendo, no caso da
identificação de erros de quantitativos nesse
orçamento, proceder-se a impugnação tempestiva do
instrumento convocatório, tal qual assevera o art. 41, §
2º, da Lei 8.666/93;
9.1.6. alterações no projeto ou nas especificações da
obra ou serviço, em razão do que dispõe o art. 65, inciso
I, alínea 'a', da Lei 8.666/93, como também do art. 37,
inciso XXI, da Constituição Federal, repercutem na
necessidade de prolação de termo aditivo;

9.1.7. quando constatados, após a assinatura do


contrato, erros ou omissões no orçamento relativos a
pequenas variações quantitativas nos serviços
contratados, em regra, pelo fato de o objeto ter sido
contratado por "preço certo e total", não se mostra
adequada a prolação de termo aditivo, nos termos do
ideal estabelecido no art. 6º, inciso VIII, alínea "a", da
Lei 8.666/93, como ainda na cláusula de expressa
concordância do contratado com o projeto básico,
prevista no art. 13, inciso II, do Decreto 7.983/2013;

82

37
9/23/2020

9.1.8. excepcionalmente, de maneira a evitar o


enriquecimento sem causa de qualquer das partes,
como também para garantia do valor fundamental da
melhor proposta e da isonomia, caso, por erro ou
omissão no orçamento, se encontrarem subestimativas
ou superestimativas relevantes nos quantitativos da
planilha orçamentária, poderão ser ajustados termos
aditivos para restabelecer a equação econômico-
financeira da avença, situação em que se tomarão os
seguintes cuidados:

9.1.8.1. observar se a alteração contratual decorrente não


supera ao estabelecido no art. 13, inciso II, do Decreto
7.983/2013, cumulativamente com o respeito aos limites
previstos nos §§ 1º e 2º do art. 65 da Lei 8.666/93, estes
últimos, relativos a todos acréscimos e supressões
contratuais;
9.1.8.2. examinar se a modificação do ajuste não ensejará
a ocorrência do "jogo de planilhas", com redução
injustificada do desconto inicialmente ofertado em relação
ao preço base do certame no ato da assinatura do
contrato, em prol do que estabelece o art. 14 do Decreto
7.983/2013, como também do art. 37, inciso XXI, da
Constituição Federal;

83

38
9/23/2020

Art. 13. Em caso de adoção dos regimes de empreitada por


preço global e de empreitada integral, deverão ser observadas
as seguintes disposições para formação e aceitabilidade dos
preços:...
II - deverá constar do edital e do contrato cláusula expressa de
concordância do contratado com a adequação do projeto que
integrar o edital de licitação e as alterações contratuais sob
alegação de falhas ou omissões em qualquer das peças,
orçamentos, plantas, especificações, memoriais e estudos
técnicos preliminares do projeto não poderão ultrapassar, no seu
conjunto, dez por cento do valor total do contrato, computando-
se esse percentual para verificação do limite previsto no § 1º
do art. 65 da Lei 8.666, de 1993.

Limite máximo

Limite para erros e


omissões

ADITIVOS EM RPG Não tem

Não tem

Limite para erros e


omissões

Limite máximo

84

39
9/23/2020

9.2. nos contratos executados mediante o Regime


Diferenciado de Contratações Públicas (RDC), aplicam-
se, no que couber, os entendimentos expressos nesta
decisão, por força do disposto no art. 2º, inciso II; art.
8º, § 1º; art. 39; art. 45, inciso I, alínea "b" e art. 63,
todos da Lei 12.462/2011, como também no Acórdão
1.510/2013-Plenário, mormente no que se refere à
necessidade de estabelecer uma matriz de riscos, a
explicitar as exatas responsabilidades e encargos a
serem assumidos pelos particulares – inclusive no que
se refere a erros quantitativos;

E como ficam os REGIMES


DE EXECUÇÃO na Lei das
Estatais?

85

40
9/23/2020

Art. 42. Na licitação e na contratação de obras e serviços por


empresas públicas e sociedades de economia mista, serão
observadas as seguintes definições:
I - empreitada por preço unitário: contratação por preço certo de
unidades determinadas;
II - empreitada por preço global: contratação por preço certo e total;
III - tarefa: contratação de mão de obra para pequenos trabalhos por
preço certo, com ou sem fornecimento de material;
IV - empreitada integral: contratação de empreendimento em sua
integralidade, com todas as etapas de obras, serviços e instalações
necessárias, sob inteira responsabilidade da contratada até a sua
entrega ao contratante em condições de entrada em operação,
atendidos os requisitos técnicos e legais para sua utilização em
condições de segurança estrutural e operacional e com as
características adequadas às finalidades para as quais foi contratada;

V - contratação semi-integrada: contratação que


envolve a elaboração e o desenvolvimento do projeto
executivo, a execução de obras e serviços de
engenharia, a montagem, a realização de testes, a pré-
operação e as demais operações necessárias e
suficientes para a entrega final do objeto, de acordo
com o estabelecido nos §§ 1º e 3º deste artigo;
VI - contratação integrada: contratação que envolve a
elaboração e o desenvolvimento dos projetos básico e
executivo, a execução de obras e serviços de
engenharia, a montagem, a realização de testes, a pré-
operação e as demais operações necessárias e
suficientes para a entrega final do objeto, de acordo
com o estabelecido nos §§ 1º, 2º e 3º deste artigo;

86

41
9/23/2020

Quando utilizar cada um dos


REGIMES DE EXECUÇÃO na
Lei das Estatais?

NÍVEIS DE PRECISÃO
Precisão x
complexidade
?? 15% 0%

Valor real

Precisão x
complexidade

Estudo de Projeto Projeto Documentação


Anteprojeto
viabilidade Básico Executivo as built

84

87

42
9/23/2020

INTEGRADA E SEMI-INTEGRADA SOMENTE PARA


OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA

Art. 42§ 1º As contratações semi-integradas e integradas


referidas, respectivamente, nos incisos V e VI do caput deste
artigo restringir-se-ão a obras e serviços de engenharia e
observarão os seguintes requisitos:
I - o instrumento convocatório deverá conter:
a) anteprojeto de engenharia, no caso de contratação
integrada, com elementos técnicos que permitam a
caracterização da obra ou do serviço e a elaboração e
comparação, de forma isonômica, das propostas a serem
ofertadas pelos particulares;
b) projeto básico, nos casos de empreitada por preço unitário,
de empreitada por preço global, de empreitada integral e de
contratação semi-integrada, nos termos definidos neste artigo;

Art. 43. Os contratos destinados à execução de obras


e serviços de engenharia admitirão os seguintes
regimes:
I - empreitada por preço unitário, nos casos em que
os objetos, por sua natureza, possuam imprecisão
inerente de quantitativos em seus itens
orçamentários;
II - empreitada por preço global, quando for possível
definir previamente no projeto básico, com boa
margem de precisão, as quantidades dos serviços a
serem posteriormente executados na fase contratual;

88

43
9/23/2020

III - contratação por tarefa, em contratações de


profissionais autônomos ou de pequenas empresas
para realização de serviços técnicos comuns e de
curta duração;
IV - empreitada integral, nos casos em que o
contratante necessite receber o empreendimento,
normalmente de alta complexidade, em condição de
operação imediata;

SEMI-INTEGRADA

89

44
9/23/2020

SEMI-INTEGRADA É PREFERENCIAL
Art. 42§ 4º No caso de licitação de obras e serviços de
engenharia, as empresas públicas e as sociedades de economia
mista abrangidas por esta Lei deverão utilizar a contratação
semi-integrada, prevista no inciso V do caput , cabendo a elas a
elaboração ou a contratação do projeto básico antes da licitação
de que trata este parágrafo, podendo ser utilizadas outras
modalidades previstas nos incisos do caput deste artigo, desde
que essa opção seja devidamente justificada.

Art. 43, V - contratação semi-integrada, quando


for possível definir previamente no projeto
básico as quantidades dos serviços a serem
posteriormente executados na fase contratual,
em obra ou serviço de engenharia que possa
ser executado com diferentes metodologias ou
tecnologias;

90

45
9/23/2020

Art. 42, IV - na contratação semi-integrada, o


projeto básico poderá ser alterado, desde que
demonstrada a superioridade das inovações
em termos
 de redução de custos,

 de aumento da qualidade,

 de redução do prazo de execução e

 de facilidade de manutenção ou operação.

Quando o PB poderá ser alterado (antes ou depois do contrato?)

Art. 39. Os procedimentos licitatórios, a pré-qualificação e os


contratos disciplinados por esta Lei serão divulgados em portal
específico mantido pela empresa pública ou sociedade de
economia mista na internet, devendo ser adotados os seguintes
prazos mínimos para apresentação de propostas ou lances,
contados a partir da divulgação do instrumento convocatório:
III - no mínimo 45 (quarenta e cinco) dias úteis para licitação em
que se adote como critério de julgamento a melhor técnica ou
a melhor combinação de técnica e preço, bem como para
licitação em que haja contratação semi-integrada ou integrada.

91

46
9/23/2020

INTEGRADA

HIPÓTESES DE UTILIZAÇÃO

VI - contratação integrada, quando a obra ou o serviço


de engenharia for:
• de natureza predominantemente intelectual e de
inovação tecnológica do objeto licitado ou
• puder ser executado com diferentes metodologias
ou
• tecnologias de domínio restrito no mercado.

92

47
9/23/2020

Art 42§ 5º Para fins do previsto na parte


final do § 4º, não será admitida, por
parte da empresa pública ou da sociedade
de economia mista, como justificativa
para a adoção da modalidade de
contratação integrada, a ausência de
projeto básico.

ACÓRDÃO 2.075/2018 - PL
Nessa linha, ao revisitar o voto que apresentei na discussão do
TC 030.958/2014-8, reitero não ser admissível que a simples
possibilidade de execução de qualquer serviço com metodologias
diferenciadas seja suficiente para o enquadramento pretendido. Tal
interpretação do art. 9º levaria à sua inocuidade, pois, se assim fosse,
toda obra contratada a partir de um anteprojeto – como é o caso das
contratações integradas – atenderia à condição da lei.

Admitida a variação metodológica irrelevante, a consequência


imediata seria a indiscriminada adoção da contratação integrada com
fundamento na possibilidade de execução com diferentes
metodologias, como usualmente tem se constatado. Esse
entendimento, a um só tempo, levaria à inaplicabilidade prática dos
incisos I e III do art. 9º da Lei 12.462/2011 e tornaria letra morta o
§ 3º do mesmo dispositivo.
96

93

48
9/23/2020

ACÓRDÃO 2.075/2018 - PL
Ademais, o esvaziamento da contratação integrada que envolve inovação
tecnológica (inciso I) e a aplicação de tecnologias de domínio restrito (inciso
III) ofenderia aos princípios norteadores do Regime Diferenciado de
Contratações, discriminados no § 1º, art. 1º da lei, que incluem o incentivo à
inovação tecnológica e à troca de experiências e tecnologias.

No sentido de uma interpretação mais substantiva do art. 9º do RDC, como


suscitado pelo ministro Zymler, de forma que a proposição básica da cabeça
do artigo tenha desdobramento lógico nos demais componentes —
parágrafos, incisos, alíneas, é forçoso concluir que o regime da contratação
integrada foi concebido para situações próprias, distinguidas pelo legislador
como aquelas que envolvem inovação tecnológica (inciso I), metodologias
diferenciadas de execução (inciso II) e uso de tecnologias de domínio restrito
(inciso III). Seria dissonante e contraditório interpretar que esse regime de
licitação é tanto voltado a situações singulares da engenharia, com inovação
ou tecnologia restrita, quanto àquelas em que a variação metodológica é
desimportante.
97

CONTRATAÇÃO INTEGRADA
FIGURA 12.16 LIVRO RDC

98

94

49
9/23/2020

CONTRATAÇÃO INTEGRADA
FIGURA 12.14 LIVRO RDC

99

REGIMES DE EXECUÇÃO

95

50
9/23/2020

GÊNERO REGIME LEI PROJETO DETALHES OBJETO


origem PROJETO

Preço unitário por preço 8.666 BÁSICO PRECISO OBRAS E SERVIÇOS


unitário
Preço global por preço 8.666 BÁSICO PRECISO OBRAS E SERVIÇOS
global
tarefa 8.666 BÁSICO PRECISO OBRAS E SERVIÇOS

empreitada 8.666 BÁSICO PRECISO OBRAS E SERVIÇOS


integral
Integrada 12.462 ANTEPROJETO MUITO OBRAS E SERVIÇOS
(RESULTADO)
FLEXÍVEL DE ENGENHARIA

Preço unitário Semi- 13.303 BÁSICO FLEXÍVEL OBRAS E SERVIÇOS


OU integrada DE ENGENHARIA
Preço global
(RESULTADO)

MATRIZ DE OBRIGAÇÃO
RISCOS É DE
IMPORTANTE RESULTADO

A licitante irá elaborar A licitante deverá


CONTRATAÇÃO no PB (FASE manter as linhas
INTEGRADA CONTRATUAL) a propostas na
melhor solução, com licitação, com a
ANTEPROJETO os ajustes que entrega do PB, sem
entender necessários aumento de valor
FASE FASE
FASE INTERNA
EXTERNA CONTRATUAL
PROJETO  A licitante irá A licitante poderá
propor ajustes no propor ajustes no PB,
BÁSICO PB da caso seja vantajoso
Administração, para Administração
CONTRATAÇÃO nos limites da
SEMI-INTEGRADA matriz de riscos
 Se não quiser
MATRIZ DE mudar, basta
apresentar na
RISCOS É linha do PB
IMPORTANTE
OBRIGAÇÃO
MISTA

96

51
9/23/2020

COMO ELABORAR UMA


MATRIZ DE RISCO?

1 – identificar os eventos/riscos
2 – definir probabilidade e impacto
3 – priorizar

ETAPAS 4 – estabelecer quais riscos serão transferidos


5 - estabelecer quais riscos serão assumidos e, por
consequência, mitigados
6 – estabelecer as frações do objeto que poderão ser
alteradas (obrigação de resultado)
7 – estabelecer as frações do objeto que não poderão
alteradas (obrigação de meio)
8 – avaliar os impactos das decisões na taxa de risco do BDI

97

52
9/23/2020

Alocação de Responsabilidade pelo


Tipo de Risco Evento Dano Prevenção
Risco/Contingência

O Contratante prorrogará o contrato no prazo necessário.


(Art. 79, § 5º, 8.666/93: Ocorrendo impedimento,
paralisação ou sustação do contrato, o cronograma de
execução será prorrogado automaticamente por igual
Cláusula contratual tempo).
prevendo revisão do
Atraso no início cronograma e/ou Se a empresa comprovar estar mobilizada e ficar ociosa, a
da obra e recomposição do Administração arcará com a indenização dos custos
eventual equilíbrio econômico- regularmente comprovados por meio de folhas de
Atraso na
aumento de financeiro. pagamento, notas fiscais e outros documentos válidos.
liberação da obra
custos.
Construção por fatos não
Determinação da As partes convencionam que não haverá qualquer
imputáveis ao
fiscalização para que indenização dos equipamentos e ferramentas de
contratado.
a empresa se propriedade do construtor que ficarem ociosos.
Necessidade de desmobilize ou
desmobilização. ataque outra frente de
serviço que não tenha As ferramentas e equipamentos locados serão indenizados
problemas. pelo valor da locação.

Se houver determinação para que a empresa se


desmobilize, a Administração arcará com o valor
contratual da desmobilização e nova mobilização.

Art. 42.

§ 3º Nas contratações integradas ou semi-integradas,


os riscos decorrentes de fatos supervenientes à
contratação associados à escolha da solução de projeto
básico pela contratante deverão ser alocados como de
sua responsabilidade na matriz de riscos.

98

53
9/23/2020

Art. 81. Os contratos celebrados nos regimes previstos


nos incisos I a V do art. 43 contarão com cláusula que
estabeleça a possibilidade de alteração, por acordo
entre as partes, nos seguintes casos:

[...]

§ 8º É vedada a celebração de aditivos decorrentes de


eventos supervenientes alocados, na matriz de riscos,
como de responsabilidade da contratada.

AQUISIÇÕES

99

54
9/23/2020

LEI 13.303/16
Art. 47. A empresa pública e a sociedade de economia mista, na
licitação para aquisição de bens, poderão:
I - indicar marca ou modelo, nas seguintes hipóteses:
a) em decorrência da necessidade de padronização do objeto;
b) quando determinada marca ou modelo comercializado por
mais de um fornecedor constituir o único capaz de atender o
objeto do contrato;
c) quando for necessária, para compreensão do objeto, a
identificação de determinada marca ou modelo apto a servir
como referência, situação em que será obrigatório o acréscimo da
expressão “ou similar ou de melhor qualidade”;

SÚMULA Nº 270 TCU


Em licitações referentes a compras, inclusive de
softwares, é possível a indicação de marca,
desde que seja estritamente necessária para
atender exigências de padronização e que haja
prévia justificação.

100

55
9/23/2020

LEI 13.303/16

II. Exigir amostra do bem no procedimento de pré-qualificação


e na fase de julgamento das propostas ou de lances, desde que
justificada a necessidade de sua apresentação;
III. Solicitar a certificação da qualidade do produto ou do
processo de fabricação, inclusive sob o aspecto ambiental, por
instituição previamente credenciada.

LEI 13.303/16

Art. 48. Será dada publicidade, com periodicidade mínima


semestral, em sítio eletrônico oficial na internet de acesso
irrestrito, à relação das aquisições de bens efetivadas pelas
empresas públicas e pelas sociedades de economia mista,
compreendidas as seguintes informações:
I - identificação do bem comprado, de seu preço unitário e da
quantidade adquirida;
II - nome do fornecedor;
III - valor total de cada aquisição.

101

56
9/23/2020

Entendimento do TCU
Impedimentos – Elaboração de projetos,
licitação da obra e fiscalização do contrato

VEDAÇÕES - Lei 13.303 (= art. 36 do RDC)


Art. 44. É vedada a participação direta ou indireta nas licitações
para obras e serviços de engenharia de que trata esta Lei:
I - de pessoa física ou jurídica que tenha elaborado o anteprojeto
ou o projeto básico da licitação;
II - de pessoa jurídica que participar de consórcio responsável
pela elaboração do anteprojeto ou do projeto básico da
licitação;
III - de pessoa jurídica da qual o autor do anteprojeto ou do
projeto básico da licitação seja administrador, controlador,
gerente, responsável técnico, subcontratado ou sócio, neste
último caso quando a participação superar 5% (cinco por cento)
do capital votante.

102

57
9/23/2020

VEDAÇÕES - Lei 13.303 (= art. 36 do RDC)

§ 1o A elaboração do projeto executivo constituirá encargo do


contratado, consoante preço previamente fixado pela empresa
pública ou pela sociedade de economia mista.
§ 2o É permitida a participação das pessoas jurídicas e da
pessoa física de que tratam os incisos II e III do caput deste
artigo em licitação ou em execução de contrato, como consultor
ou técnico, nas funções de fiscalização, supervisão ou
gerenciamento, exclusivamente a serviço da empresa pública e
da sociedade de economia mista interessadas.

IMPEDIMENTO - Lei 13.303


Art. 38. Estará impedida de participar de licitações e de ser
contratada pela empresa pública ou sociedade de economia mista
a empresa:
I - cujo administrador ou sócio detentor de mais de 5% (cinco por
cento) do capital social seja diretor ou empregado da empresa
pública ou sociedade de economia mista contratante;
II - suspensa pela empresa pública ou sociedade de economia
mista;
III - declarada inidônea pela União, por Estado, pelo Distrito
Federal ou pela unidade federativa a que está vinculada a
empresa pública ou sociedade de economia mista, enquanto
perdurarem os efeitos da sanção;

103

58
9/23/2020

IMPEDIMENTO - Lei 13.303


IV - constituída por sócio de empresa que estiver suspensa, impedida ou
declarada inidônea;
V - cujo administrador seja sócio de empresa suspensa, impedida ou
declarada inidônea;
VI - constituída por sócio que tenha sido sócio ou administrador de
empresa suspensa, impedida ou declarada inidônea, no período dos
fatos que deram ensejo à sanção;
VII - cujo administrador tenha sido sócio ou administrador de empresa
suspensa, impedida ou declarada inidônea, no período dos fatos que
deram ensejo à sanção;
VIII - que tiver, nos seus quadros de diretoria, pessoa que participou, em
razão de vínculo de mesma natureza, de empresa declarada inidônea.

IMPEDIMENTO - Lei 13.303


Parágrafo único. Aplica-se a vedação prevista no caput :
I - à contratação do próprio empregado ou dirigente, como pessoa
física, bem como à participação dele em procedimentos licitatórios, na
condição de licitante;
II - a quem tenha relação de parentesco, até o terceiro grau civil, com:
a) dirigente de empresa pública ou sociedade de economia mista;
b) empregado de empresa pública ou sociedade de economia mista
cujas atribuições envolvam a atuação na área responsável pela licitação
ou contratação;
c) autoridade do ente público a que a empresa pública ou sociedade de
economia mista esteja vinculada.
III - cujo proprietário, mesmo na condição de sócio, tenha terminado
seu prazo de gestão ou rompido seu vínculo com a respectiva empresa
pública ou sociedade de economia mista promotora da licitação ou
contratante há menos de 6 (seis) meses.

104

59
9/23/2020

LICENCIAMENTO
AMBIENTAL

QUESTÃO INTERESSANTE

Quais exigências e licenças ambientais


devem ser providenciadas para o início da
execução da obra?

105

60
9/23/2020

LICITAÇÃO
FASE INTERNA - PROJETO BÁSICO - TCU - LICENÇA AMBIENTAL

TCU – Acórdão nº 516/2003 - Plenário


9.2.3. inclua no Fiscobras, como indício de irregularidade
grave, as seguintes ocorrências:
9.2.3.1. a contratação de obras com base em projeto básico
elaborado sem a existência da licença prévia, conforme art.
2º, § 2º, inciso I e art. 12, ambos da Lei nº 8.666/93 c/c o art.
8º, inciso I, da Resolução Conama nº 237/97;
9.2.3.2. o início de obras sem a devida licença de instalação,
bem como o início das operações do empreendimento sem a
licença de operação com base nas Resoluções Conama nº
237/97 e 06/87;

ACÓRDÃO 2725/2016 – TCU-PL


 9.1.3. apresente ao Tribunal plano de ação com
vistas a exigir a obtenção da licença prévia
ambiental antes da licitação de obras pelo regime
de contratação integrada do RDC, em
conformidade com os princípios da eficiência e da
economicidade estabelecidos nos art. 37 e 70 da
Constituição Federal, de 5/10/1988, bem como
com a alínea "d" do inciso I do § 2º do art. 9º da
Lei 12.462/2011 (Lei do RDC) c/c art. 10 da Lei
6.938, de 31 de agosto de 1981;
12
2

106

61
9/23/2020

ACÓRDÃO 2075/2018 – TCU-PL

A elaboração de plano de ação com vistas a exigir a obtenção da licença


prévia ambiental antes da licitação de obras pelo regime de contratação
integrada, consignada na determinação deste subitem, também não
pode ser afastada pelos argumentos recursais trazidos pelo Dnit.

Conforme estabelecido no Decreto 7.581/2011, que regulamenta o


Regime Diferenciado de Contratações Públicas – RDC, o anteprojeto deve
delinear a concepção da obra ou serviço de engenharia e estabelecer
padrões mínimos para a contratação, por meio de desenhos e
especificações que permitam a compreensão da obra. Para tal, ele deve
ser precedido de estudos preliminares de necessidade e de viabilidade.

12
3

ACÓRDÃO 2075/2018 – TCU-PL

O anteprojeto pressupõe a prévia avaliação da viabilidade técnica e


econômica, e, no mesmo passo, a licença prévia atesta a viabilidade
ambiental. Não há que se falar em lançamento de processo licitatório
sem que as análises de projeto tenham maturidade que permita, ao
menos, avaliar a viabilidade do empreendimento.

Apenas seria razoável imaginar que a licença ambiental prévia seria


dispensável na fase de anteprojeto caso se admitisse a possibilidade de
que este fosse substancialmente alterado pelo projeto básico. No
entanto, diante da obrigação de um anteprojeto de caracterizar
adequadamente a atividade de engenharia, por óbvio não se vislumbra a
realização de modificações que desnaturem as premissas iniciais.

12
4

107

62
9/23/2020

ACÓRDÃO 2075/2018 – TCU-PL

Nesse momento em que o Regime de Contratações Diferenciadas, e


sobretudo o modelo de contratação integrada, ainda não possui a
maturidade típica das normas consolidadas, é importante marcar o grau
de detalhamento e completude que se espera de um anteprojeto. Deve-
se impedir que ocorra aqui o desvirtuamento experimentado pela
significação do termo “projeto básico” da Lei 8.666/1993, que em muitas
obras deixou de ser elaborado como um competente “projeto de base”
para se deformar em um mero “projeto rudimentar”.

Ao contrário do que foi alegado, não há qualquer óbice legal ao


desenvolvimento ou à contratação de anteprojeto antes da emissão da
licença ambiental prévia, mas é certo que a licitação de obra com base
em anteprojeto de engenharia pressupõe a conclusão da primeira fase do
licenciamento ambiental (licença prévia).

12
5

COM QUEM
CONTRATAR?

108

63
9/23/2020

HABILITAÇÃO
FASE INTERNA

Pesquisa
Nº de participantes x desconto P.B.

109

64
9/23/2020

HABILITAÇÃO – Lei 8.666/93


Art. 43. A licitação será processada e julgada com
observância dos seguintes procedimentos:
I - abertura dos envelopes contendo a documentação relativa à
habilitação dos concorrentes, e sua apreciação;
II - devolução dos envelopes fechados aos concorrentes
inabilitados, contendo as respectivas propostas, desde que não
tenha havido recurso ou após sua denegação;
III - abertura dos envelopes contendo as propostas dos
concorrentes habilitados, desde que transcorrido o prazo sem
interposição de recurso, ou tenha havido desistência expressa,
ou após o julgamento dos recursos interpostos;

HABILITAÇÃO – Lei 13.303


Art. 51. As licitações de que trata esta Lei observarão a seguinte
sequência de fases:
I - preparação;
II - divulgação;
III - apresentação de lances ou propostas, conforme o modo de disputa
adotado;
IV - julgamento;
V - verificação de efetividade dos lances ou propostas;
VI - negociação;
VII - habilitação;
VIII - interposição de recursos;
IX - adjudicação do objeto;
X - homologação do resultado ou revogação do procedimento.
§ 1o A fase de que trata o inciso VII do caput poderá, excepcionalmente,
anteceder as referidas nos incisos III a VI do caput, desde que expressamente
previsto no instrumento convocatório.

110

65
9/23/2020

HABILITAÇÃO – Lei 13.303

Art. 59. Salvo no caso de inversão de fases, o procedimento licitatório terá


fase recursal única.

§ 1o Os recursos serão apresentados no prazo de 5 (cinco) dias úteis após a


habilitação e contemplarão, além dos atos praticados nessa fase, aqueles
praticados em decorrência do disposto nos incisos IV e V do caput do art. 51
desta Lei.

§ 2o Na hipótese de inversão de fases, o prazo referido no § 1o será aberto


após a habilitação e após o encerramento da fase prevista no inciso V
do caput do art. 51, abrangendo o segundo prazo também atos decorrentes
da fase referida no inciso IV do caput do art. 51 desta Lei.

HABILITAÇÃO (LEI 8.666/93)

Art. 27. Para a habilitação nas licitações exigir-se-á dos


interessados, exclusivamente, documentação relativa a:
I - habilitação jurídica;
II - qualificação técnica;
III - qualificação econômico-financeira;
IV – regularidade fiscal e trabalhista;
V – cumprimento do disposto no inciso XXXIII do art. 7º da
Constituição Federal.

111

66
9/23/2020

HABILITAÇÃO (LEI 8.666/93)

Art. 28. A documentação relativa à habilitação jurídica,


conforme o caso, consistirá em: ...
Art. 29. A documentação relativa à regularidade fiscal e
trabalhista, conforme o caso, consistirá em: ...
Art. 30. A documentação relativa à qualificação técnica
limitar-se-á a: ...
Art. 31. A documentação relativa à qualificação econômico-
financeira limitar-se-á a: ...

HABILITAÇÃO (LEI 13.303)

Art. 58. A habilitação será apreciada exclusivamente a partir dos


seguintes parâmetros:
I - exigência da apresentação de documentos aptos a comprovar a
possibilidade da aquisição de direitos e da contração de obrigações
por parte do licitante; (JURÍDICA)
II - qualificação técnica, restrita a parcelas do objeto técnica ou
economicamente relevantes, de acordo com parâmetros
estabelecidos de forma expressa no instrumento convocatório;
III - capacidade econômica e financeira;
IV - recolhimento de quantia a título de adiantamento, tratando-se de
licitações em que se utilize como critério de julgamento a maior oferta
de preço.

112

67
9/23/2020

HABILITAÇÃO
o que é obrigatório?
Acórdão 1.239/2019-Plenário:

sempre que adotar requisitos técnicos mais rigorosos em suas


contratações, especialmente nas hipóteses em que, em tese, tal
providência possa restringir o caráter competitivo do certame, deixe
consignadas nos autos do processo licitatório as devidas e suficientes
justificativas para tanto, a fim de que fique demonstrado que os requisitos
técnicos exigidos são coerentes e necessários à contratação que se
pretende realizar, dadas as suas características, razão pela qual, no caso
concreto, não haverá ofensa ao princípio da igualdade.

HABILITAÇÃO
o que é obrigatório?

A regularidade junto à seguridade social para


contratação com o Poder Pública é exigência
expressa da Carta Magna em seu art. 195:
§ 3º A pessoa jurídica em débito com o sistema da
seguridade social, como estabelecido em lei, não
poderá contratar com o Poder Público nem dele
receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios.

113

68
9/23/2020

HABILITAÇÃO
o que é obrigatório?

Por sua vez, a ausência de débito com o Fundo de


Garantia de Tempo de Serviço é condição expressa
na Lei 9.012/1995:
Art. 2º As pessoas jurídicas em débito com o FGTS
não poderão celebrar contratos de prestação de
serviços ou realizar transação comercial de compra e
venda com qualquer órgão da administração direta,
indireta, autárquica e fundacional, bem como
participar de concorrência pública.

ETAPAS
CONTRATAÇÃO DO EMPREENDIMENTO

HABILITAÇÃO (arts. 27 a 33 da 8.666)

HABILITAÇÃO QUALIFICAÇÃO REGULARIDADE ART. 7º,


QUALIFICAÇÃO
JURÍDICA TÉCNICA EC. FINANCEIRA FISCAL XXXIII
CONST. FED.

OPERACIONAL PROFISSIONAL

114

69
9/23/2020

QUESTÃO INTERESSANTE
Do ponto de vista técnico, quais as cautelas a
serem observadas na definição das parcelas de
maior relevância e valor significativo? Uma
mesma obra (ou serviço) pode ter mais de uma
parcela de maior relevância e valor
significativo?

HABILITAÇÃO
TÉCNICA -RESP 295806/SP - STJ

Há situações em que as exigências de experiência


anterior com a fixação de quantitativos mínimos são
plenamente razoáveis e justificáveis, porquanto
traduzem modo de aferir se as empresas licitantes
preenchem, além dos pressupostos operacionais
propriamente ditos — vinculados ao aparelhamento e
pessoal em número adequado e suficiente à realização
da obra —, requisitos não menos importantes, de
ordem imaterial, relacionados com a organização e
logística empresarial.

115

70
9/23/2020

HABILITAÇÃO
PROFISSIONAL OPERACIONAL

DE QUEM? ENGENHEIRO EMPRESA

PARCELAS DE MAIOR
PARCELAS DE MAIOR
RELEVÂNCIA E VALOR
EXIGÊNCIA RELEVÂNCIA E VALOR
SIGNIFICATIVO
SIGNIFICATIVO

CARACTERÍSTICAS SEMELHANTES SEMELHANTES

QUANTIDADE NÃO SIM

ATESTADO ACERVO CREA ATESTADO PJ OU PF

INSTALAÇÃO, EQUIPAMENTO E
OUTROS ----
PESSOAL

HABILITAÇÃO
FASE INTERNA - TCU – RESTRIÇÃO - ACÓRDÃO N° 513/2003 - P

9.1. determinar ao ..., cautelarmente, inaudita altera par, que se


abstenha de repassar quaisquer recursos destinados à obra .....
9.2.1.1. exigência de experiência anterior relativa a parcelas de
valor não significativo em face do objeto da licitação, infringindo o
art. 30, § 1°, inciso I, da Lei 8.666/93, como, por exemplo,
“Enfilagem injetada em túneis” (R$ 310.500,00 ou 0,39%),
“Execução de solda aluminotérmica em trilho TR 45 ou superior”
(R$ 146.861,88 ou 0,18%), “Assentamento de AMV (R$ 221.206,00
ou 0,28%), “Pré-fissuramento para corte em rocha” (R$
275.836,20 ou 0,35%) e “Execução de geodreno flexível vertical”
(R$ 784.740,00 ou 0,98%), além de vários itens entre 1% e 5%;

116

71
9/23/2020

HABILITAÇÃO
FASE INTERNA - TCU – RESTRIÇÃO - ACÓRDÃO N° 513/2003 - P

9.2.1.8. exigência, como experiência anterior, de


percentuais variando entre 57,39% e 62,50% dos
quantitativos a serem licitados para 13 dos 16 itens que
compuseram a lista de serviços cuja experiência técnico-
operacional anterior era indispensável (item 6.1.4.d.4
do edital), em vez de um mesmo percentual fixo, o que
pode levar à conclusão de direcionamento em favor da
empresa .., que não conseguiria comprovar 60% em
relação ao item “Pré-fissuramento para corte em rocha”

HABILITAÇÃO
FASE INTERNA - TCU – DIRECIONAMENTO - ACORDÃO 307/2001-P

Representação formulada por equipe de auditoria


do TCU. Irregularidades praticadas pelo DER RO.
Indícios de direcionamento de licitação consistente
na exigência de comprovação de aptidão para
execução dos serviços. Multa. Determinação.
Inabilitação do responsável para o exercício de
cargo em comissão ou função de confiança por oito
anos. Remessa de cópia ao MPU.

117

72
9/23/2020

HABILITAÇÃO
FASE INTERNA - TCU – DIRECIONAMENTO - ACORDÃO 307/2001-P

10. Convém ressaltar que a restrição ao caráter competitivo


presente no edital resultou, conforme comprovado nos
autos, em um direcionamento explícito do certame à
Construtora ...., empresa adjudicada na licitação. Conforme
está demonstrado no Relatório, os requisitos de qualificação
técnica exigidos aos licitantes, que não poderiam se
apresentar como consorciados, são idênticos aos constantes
em um atestado expedido pelo Departamento de Estradas
de Rodagem da Bahia em nome da mencionada construtora.
Tal evidência constitui forte indício de que e licitação em
tela fora direcionada.

SÚMULA 263 - TCU


Para a comprovação da capacidade técnico-operacional
das licitantes, e desde que limitada, simultaneamente,
às parcelas de maior relevância e valor significativo do
objeto a ser contratado, é legal a exigência de
comprovação da execução de quantitativos mínimos em
obras ou serviços com características semelhantes,
devendo essa exigência guardar proporção com a
dimensão e a complexidade do objeto a ser executado.

118

73
9/23/2020

Acórdão nº 2.462/2007 - P
abstenha-se de estabelecer percentuais mínimos acima
de 50% dos quantitativos dos itens de maior relevância
da obra ou serviço, salvo em casos excepcionais, cujas
justificativas deverão estar tecnicamente explicitadas
no processo administrativo anterior ao lançamento do
respectivo edital, ou no próprio edital e seus anexos,
em observância ao art. 37, inciso XXI, da Constituição
Federal, art. 3º, § 1º, inciso I, e art. 30, inciso II, ambos
da Lei 8.666/93;

Acórdão nº 165/2012 – P
EXIGÊNCIA DE QUANTITATIVOS
dar ciência à Secretaria de Administração da Secretaria-
Geral da Presidência da República que a exigência de
quantitativo mínimo para fins de comprovação da
capacidade técnico-profissional, a exemplo do ocorrido no
Pregão Eletrônico 133/2010, contraria o estabelecido no art.
30, § 1º, inciso I, da Lei 8.666/93, c/c o art. 37, inciso XXI,
da Constituição Federal, bem como na jurisprudência deste
Tribunal de Contas, conforme consta nos Acórdãos
2.081/2007, 608/2008, 1.312/2008, 2.585/2010, 3.105/2010
e 276/2011, todos do Plenário

119

74
9/23/2020

Acórdão nº 597/2007 – P
VÍNCULO TRABALHISTA

9.3.2. não requeira, na avaliação da capacidade


técnico-profissional a que se refere o art. 30, § 1º,
inciso I, da Lei n. 8.666/1993, vínculo trabalhista
entre o profissional e a empresa, admitindo a sua
comprovação por contrato de prestação de serviços,
regido pela legislação civil comum;

Acórdão nº 110/2012 – P
ATESTADO DE VISITA
9.4.1. inserção de cláusula impondo a obrigatoriedade de
visita ao local das obras, o que constitui ofensa ao
disposto no art. 3º, caput, e § 1º, inciso I, da Lei nº
8.666/1993, sendo suficiente exigir a apresentação de
declaração do licitante de que conhece as condições
locais para a execução do objeto. Para os casos onde haja
a imprescindibilidade da visita, deve-se evitar reunir os
licitantes em data e horário marcados capaz de dar-lhes
conhecimento prévio acerca do universo de concorrentes
ou mesmo restringir a participação

120

75
9/23/2020

Acórdão nº 1.636/2007
LIMITE DE ATESTADOS TÉCNICOS

9.3.2.2. justifique, nos processos administrativos


correspondentes à licitação, a limitação do número de
atestados a serem aceitos na fase de qualificação
técnica, nos termos do art. 30, § 1º, inciso I, da Lei nº
8.666/1993 e do art. 37, inciso XXI, da Constituição
Federal, quando entender necessário incluir tal
disposição em seus editais;

COMO CONTRATAR

121

76
9/23/2020

TIPOS DE LICITAÇÃO

TIPOS DE LICITAÇÃO
FASE INTERNA

Art. 45. O julgamento das propostas será objetivo,


devendo a Comissão de licitação ou o responsável pelo
convite realizá-lo em conformidade com os tipos de
licitação, os critérios previamente estabelecidos no ato
convocatório e de acordo com os fatores
exclusivamente nele referidos, de maneira a possibilitar
sua aferição pelos licitantes e pelos órgãos de controle.

122

77
9/23/2020

TIPOS DE LICITAÇÃO
FASE INTERNA

Art. 45. (...)


§ 1o Para os efeitos deste artigo, constituem tipos de licitação, exceto
na modalidade concurso
I - a de menor preço - quando o critério de seleção da proposta mais
vantajosa para a Administração determinar que será vencedor o
licitante que apresentar a proposta de acordo com as especificações
do edital ou convite e ofertar o menor preço;
II - a de melhor técnica;
III - a de técnica e preço;
IV - ...........

TIPOS DE LICITAÇÃO
na 13.303/ RDC?
ou CRITÉRIOS DE
JULGAMENTO?

123

78
9/23/2020

Lei 13.303 CRITÉRIOS DE JULGAMENTO


Art. 54. Poderão ser utilizados os seguintes critérios de julgamento:
I - menor preço;
II - maior desconto;
III - melhor combinação de técnica e preço;
IV - melhor técnica;
V - melhor conteúdo artístico;
VI - maior oferta de preço;
VII - maior retorno econômico;
VIII - melhor destinação de bens alienados.

Lei 13.303 CRITÉRIOS DE JULGAMENTO

§ 1º Os critérios de julgamento serão expressamente identificados no instrumento


convocatório e poderão ser combinados na hipótese de parcelamento do objeto,
observado o disposto no inciso III do art. 32.
§ 2º Na hipótese de adoção dos critérios referidos nos incisos III, IV, V e VII
do caput deste artigo, o julgamento das propostas será efetivado mediante o emprego
de parâmetros específicos, definidos no instrumento convocatório, destinados a
limitar a subjetividade do julgamento.
§ 3º Para efeito de julgamento, não serão consideradas vantagens não previstas no
instrumento convocatório.

124

79
9/23/2020

Lei 13.303
CRITÉRIOS DE JULGAMENTO – MAIOR DESCONTO

§ 4o O critério previsto no inciso II do caput:


I - terá como referência o preço global fixado no instrumento
convocatório, estendendo-se o desconto oferecido nas
propostas ou lances vencedores a eventuais termos aditivos;
II - no caso de obras e serviços de engenharia, o desconto
incidirá de forma linear sobre a totalidade dos itens
constantes do orçamento estimado, que deverá
obrigatoriamente integrar o instrumento convocatório.

Lei 12.462/11
CRITÉRIOS DE JULGAMENTO
importante
Art. 19. O julgamento pelo menor preço ou maior desconto considerará o
menor dispêndio para a administração pública, atendidos os parâmetros
mínimos de qualidade definidos no instrumento convocatório.
§ 1o Os custos indiretos, relacionados com as despesas de manutenção,
utilização, reposição, depreciação e impacto ambiental, entre outros
fatores, poderão ser considerados para a definição do menor dispêndio,
sempre que objetivamente mensuráveis, conforme dispuser o
regulamento.

125

80
9/23/2020

Lei 13.303/16

Art. 32. Nas licitações e contratos de que trata esta Lei serão
observadas as seguintes diretrizes:
II - busca da maior vantagem competitiva para a empresa pública
ou sociedade de economia mista, considerando custos e
benefícios, diretos e indiretos, de natureza econômica, social ou
ambiental, inclusive os relativos à manutenção, ao desfazimento
de bens e resíduos, ao índice de depreciação econômica e a
outros fatores de igual relevância;

Lei 13.303
CRITÉRIOS DE JULGAMENTO TÉCNICA E PREÇO

§ 5o Quando for utilizado o critério referido


no inciso III do caput, a avaliação das propostas
técnicas e de preço considerará o percentual de
ponderação mais relevante, limitado a 70%
(setenta por cento).

126

81
9/23/2020

Lei 12.462/11
CRITÉRIOS DE JULGAMENTO
importante
Art. 20. No julgamento pela melhor combinação de técnica e preço,
deverão ser avaliadas e ponderadas as propostas técnicas e de preço
apresentadas pelos licitantes, mediante a utilização de parâmetros
objetivos obrigatoriamente inseridos no instrumento convocatório.
§ 1o O critério de julgamento a que se refere o caput deste artigo será
utilizado quando a avaliação e a ponderação da qualidade técnica das
propostas que superarem os requisitos mínimos estabelecidos no
instrumento convocatório forem relevantes aos fins pretendidos pela
administração pública, e destinar-se-á exclusivamente a objetos:

Lei 12.462/11
CRITÉRIOS DE JULGAMENTO
Art. 20.
I - de natureza predominantemente intelectual e de inovação
tecnológica ou técnica; ou
II - que possam ser executados com diferentes metodologias ou
tecnologias de domínio restrito no mercado, pontuando-se as
vantagens e qualidades que eventualmente forem oferecidas
para cada produto ou solução.
§ 2o É permitida a atribuição de fatores de ponderação distintos
para valorar as propostas técnicas e de preço, sendo o percentual
de ponderação mais relevante limitado a 70% (setenta por
cento).

127

82
9/23/2020

Lei 12.462/11 - CRITÉRIOS DE JULGAMENTO


importante
Art. 21. O julgamento pela melhor técnica ou pelo melhor conteúdo
artístico considerará exclusivamente as propostas técnicas ou artísticas
apresentadas pelos licitantes com base em critérios objetivos
previamente estabelecidos no instrumento convocatório, no qual será
definido o prêmio ou a remuneração que será atribuída aos
vencedores.
Parágrafo único. O critério de julgamento referido no caput deste artigo
poderá ser utilizado para a contratação de projetos, inclusive
arquitetônicos, e trabalhos de natureza técnica, científica ou artística,
excluindo-se os projetos de engenharia.
Art. 22. O julgamento pela maior oferta de preço será utilizado no caso
de contratos que resultem em receita para a administração pública.

Lei 13.303
CRITÉRIOS DE JULGAMENTO
MAIOR RETORNO ECONÔMICO

§ 6º Quando for utilizado o critério referido no inciso


VII do caput , os lances ou propostas terão o objetivo de
proporcionar economia à empresa pública ou à
sociedade de economia mista, por meio da redução de
suas despesas correntes, remunerando-se o licitante
vencedor com base em percentual da economia de
recursos gerada.

128

83
9/23/2020

Lei 12.462/11 - CRITÉRIOS DE JULGAMENTO


importante

Art. 23. No julgamento pelo maior retorno econômico, utilizado


exclusivamente para a celebração de contratos de eficiência, as
propostas serão consideradas de forma a selecionar a que
proporcionará a maior economia para a administração pública
decorrente da execução do contrato.
§ 1o O contrato de eficiência terá por objeto a prestação de serviços,
que pode incluir a realização de obras e o fornecimento de bens, com o
objetivo de proporcionar economia ao contratante, na forma de
redução de despesas correntes, sendo o contratado remunerado com
base em percentual da economia gerada.

Lei 12.462/11 - CRITÉRIOS DE JULGAMENTO


§ 3o Nos casos em que não for gerada a economia prevista no
contrato de eficiência:
I - a diferença entre a economia contratada e a efetivamente obtida
será descontada da remuneração da contratada;
II - se a diferença entre a economia contratada e a efetivamente obtida
for superior à remuneração da contratada, será aplicada multa por
inexecução contratual no valor da diferença; e
III - a contratada sujeitar-se-á, ainda, a outras sanções cabíveis caso a
diferença entre a economia contratada e a efetivamente obtida seja
superior ao limite máximo estabelecido no contrato.

129

84
9/23/2020

4.2 REGRAS PARA


ESTRUTURAÇÃO DA LICITAÇÃO?

MODALIDADES DE
LICITAÇÃO

130

85
9/23/2020

LICITAÇÃO - MODALIDADES

LICITAÇÃO – MODALIDADES

VALOR NATUREZA DO OBJETO

TOMADA
CONCORRÊNCIA DE CONVITE CONCURSO LEILÃO PREGÃO
PREÇOS

Considerações Introdutórias
Quando parcelar e quando reunir o objeto?

131

86
9/23/2020

LICITAÇÃO
FRACIONAMENTO x PARCELAMENTO

Art. 32. Lei 13.303. Nas licitações e contratos de que


trata esta Lei serão observadas as seguintes diretrizes:
III - parcelamento do objeto, visando a ampliar a
participação de licitantes, sem perda de economia de
escala, e desde que não atinja valores inferiores aos
limites estabelecidos no art. 29, incisos I e II;

LICITAÇÃO
FRACIONAMENTO x PARCELAMENTO
Art.23, 8.666, § 1o (Parcelamento) As obras, serviços e compras efetuadas
pela administração serão divididas em tantas parcelas quantas se
comprovarem técnica e economicamente viáveis, procedendo-se à
licitação com vistas ao melhor aproveitamento dos recursos disponíveis no
mercado e à amplicação da competitiivdade, sem perda da economia de
escala.
§ 2o Na execução de obras e serviços e nas compras de bens, parceladas
nos termos do parágrafo anterior, a cada etapa ou conjunto de etapas da
obra, serviço ou compra, há de corresponder licitação distinta, preservada
a modalidade pertinente para a execução do objeto em licitação.

132

87
9/23/2020

LICITAÇÃO
FRACIONAMENTO x PARCELAMENTO
Art.23, 8.666, § 5o (Fracionamento) É vedada a utilização da
modalidade "convite" ou "tomada de preços", conforme o
caso, para parcelas de uma mesma obra ou serviço, ou ainda
para obras e serviços da mesma natureza e no mesmo local
que possam ser realizadas conjunta e concomitantemente,
sempre que o somatório de seus valores caracterizar o caso de
"tomada de preços" ou "concorrência", respectivamente, nos
termos deste artigo, exceto para as parcelas de natureza
específica que possam ser executadas por pessoas ou
empresas de especialidade diversa daquela do executor da
obra ou serviço.

TCU – Acórdão nº 839/09 - Plenário


Em consonância com o disposto nos arts. 3º, § 1º,
inciso I, e 23, §§ 1º e 2º, da Lei nº 8.666/1993,
incumbe ao gestor promover o parcelamento do
objeto a ser licitado com vistas ao melhor
aproveitamento dos recursos disponíveis no mercado
e à ampliação da competitividade, ou, na
impossibilidade técnica e econômica de fazê-lo,
apresentar justificativas fundamentadas nos autos do
procedimento licitatório.

133

88
9/23/2020

TCU – Acórdão nº 678/08 - Plenário

Se o parcelamento das obras, no caso concreto,


mostra-se prejudicial ao gerenciamento dos
serviços, é admissível a realização de licitação
única para contratação da execução de todas as
etapas que compõem o empreendimento.

LICITAÇÃO
FASE INTERNA - MODALIDADES - TCU - PREGÃO

Lei nº 10.520/2002, regulamentada pelos Decretos nº


3.555/2000 e nº 5.450/2005

Nova modalidade

Aquisição de bens e serviços comuns, considerados como


“aqueles cujos padrões de desempenho e qualidade
possam ser objetivamente definidos pelo edital, por meio
de especificações usuais no mercado”

134

89
9/23/2020

LICITAÇÃO
FASE INTERNA - MODALIDADES - TCU - PREGÃO

Art. 32. Nas licitações e contratos de que trata esta Lei serão
observadas as seguintes diretrizes:
IV - adoção preferencial da modalidade de licitação denominada
pregão, instituída pela Lei nº 10.520, de 17 de julho de 2002 ,
para a aquisição de bens e serviços comuns, assim considerados
aqueles cujos padrões de desempenho e qualidade possam ser
objetivamente definidos pelo edital, por meio de especificações
usuais no mercado;

LICITAÇÃO
FASE INTERNA - MODALIDADES - TCU - PREGÃO

13.303 é novo regime jurídico


Regras procedimentais – 10.520/02
(ex: modos de disputa)
x
Regras materiais - 13.303/16
(ex: sanções e contratos de eficiência)

135

90
9/23/2020

TIPOS DE LICITAÇÃO
PREGÃO - Decisão PL-0074/2007 - CONFEA

1. tecnicamente, não há diferenciação entre


serviços comuns e não comuns no âmbito da
Engenharia, da Arquitetura ou da Agronomia, haja
vista que estes serviços possuem características
próprias e envolvem circunstâncias específicas,
variáveis segundo as peculiaridades do local em
que serão executados, e

SÚMULA Nº 257/2010

 O uso do pregão nas contratações de serviços


comuns de engenharia encontra amparo na Lei
nº 10.520/2002.

136

91
9/23/2020

TIPOS DE LICITAÇÃO
PREGÃO - Acórdão nº 2.079/2007 - Plenário

Voto: De tudo isso, percebe-se que o pregão apenas é vedado


nas hipóteses em que o atendimento do contrato possa ficar sob
risco previsível, pela dificuldade de transmitir aos licitantes, em
um procedimento enxuto, a complexidade do trabalho e o nível
exigido de capacitação. Logo, a eventual inaplicabilidade do
pregão precisa ser conferida conforme a situação, pelo menos
enquanto a lei não dispuser de critérios objetivos mais diretos
para o uso da modalidade. E ouso imaginar que, pelos
benefícios do pregão, no que concerne à efetivação da isonomia
e à conquista do menor preço, o administrador público talvez
deva ficar mais apreensivo e vacilante na justificativa de que um
serviço não é comum do que o contrário.

USO DO PREGÃO – PROJETOS


ACÓRDÃO Nº 601/2011
1. O pregão não deverá ser utilizado para a contratação de serviços de
natureza predominantemente intelectual, assim considerados aqueles
que podem apresentar diferentes metodologias, tecnologias e níveis de
desempenho e qualidade, sendo necessário avaliar as vantagens e
desvantagens de cada solução.
2. Se o projeto ou estudo a ser elaborado por um profissional ou
empresa for similar ao que vier a ser desenvolvido por outro(a), o
serviço pode ser caracterizado como comum. Caso contrário, se a
similaridade dos produtos a serem entregues não puder ser
assegurada, o objeto licitado não se enquadra na categoria de comum.

137

92
9/23/2020

USO DO PREGÃO – PROJETOS


ACÓRDÃO Nº 601/2011

3. É possível a existência de soluções distintas para o objeto


licitado, mas a consequência advinda da diferença entre elas
não deverá ser significativa para o ente público que adota o
pregão. Se, no entanto, os serviços comportarem variações de
execução relevantes, a técnica a ser empregada pelos licitantes
merecerá a devida pontuação no certame.

USO DO PREGÃO – SUPERVISÃO


ACÓRDÃO Nº 3341/2012
9.2.3. para contratação de serviços de supervisão e consultoria, realize a
licitação na modalidade pregão, especificando detalhadamente os serviços
que a empresa de supervisão ou de consultoria deverá prestar, ressalvando
as situações excepcionais em que tais serviços não se caracterizam como
"serviços comuns", caso em que deverá ser justificada, dos pontos de vista
técnico e jurídico, nos autos do processo de licitação, a utilização
extraordinária de outra modalidade licitatória que não o pregão;"

7. Portanto, para esta Corte de Contas, o serviço de supervisão de obras


deve ser, em regra, licitado na modalidade pregão, pois, na maioria dos
casos, seu padrão de desempenho e qualidade pode ser objetivamente
definido, conforme previsão legal.

138

93
9/23/2020

Acórdão 713/2019-Plenário

São considerados serviços comuns, tornando obrigatória a


utilização do pregão, preferencialmente em sua forma
eletrônica, os serviços de engenharia consultiva com padrões
de desempenho e qualidade que possam ser objetivamente
definidos no edital de licitação, por meio de especificações
usuais no mercado (art. 1º da Lei 10.520/2002 c/c art. 4º do
Decreto 5.450/2005) .

Acórdão 2801/2019-Plenário

Os serviços de consultoria devem ser contratados mediante


pregão, ressalvadas situações excepcionais, devidamente
justificadas, em que tais serviços não se caracterizem como
comuns.

139

94
9/23/2020

Acórdão 1092/2014-Plenário |
O emprego da modalidade pregão, como regra para a
contratação de serviços de engenharia consultiva, supervisão e
elaboração de projetos de obras, não exclui o modelo
tradicional de licitação por melhor técnica ou técnica e preço,
para o caso de trabalhos de alta complexidade que não possam
ser enquadrados como comuns e, portanto, ter padrões de
desempenho e qualidade objetivamente definidos por meio de
especificações usuais, segundo reconhecimento e justificativa
prévia do contratante.

MODOS DE DISPUTA?

140

95
9/23/2020

PROCEDIMENTOS PARA
PROPOSTAS OU LANCES
GRANDE FLEXIBILIDADE!

LEI Nº 13.303 – ABERTO E FECHADO

Art. 52. Poderão ser adotados os modos de disputa aberto ou fechado, ou,
quando o objeto da licitação puder ser parcelado, a combinação de ambos,
observado o disposto no inciso III do art. 32 desta Lei.
§ 1o No modo de disputa aberto, os licitantes apresentarão lances públicos e
sucessivos, crescentes ou decrescentes, conforme o critério de julgamento
adotado.
§ 2o No modo de disputa fechado, as propostas apresentadas pelos licitantes
serão sigilosas até a data e a hora designadas para que sejam divulgadas.

141

96
9/23/2020

LEI Nº 13.303 – ABERTO E FECHADO

Art. 53. Quando for adotado o modo de disputa aberto,


poderão ser admitidos:
I - a apresentação de lances intermediários;
II - o reinício da disputa aberta, após a definição do melhor
lance, para definição das demais colocações, quando existir
diferença de pelo menos 10% (dez por cento) entre o melhor
lance e o subsequente.

LEI Nº 13.303 – ABERTO E FECHADO

Parágrafo único. Consideram-se intermediários os lances:


I - iguais ou inferiores ao maior já ofertado, quando adotado o
julgamento pelo critério da maior oferta;
II - iguais ou superiores ao menor já ofertado, quando adotados
os demais critérios de julgamento.

142

97
9/23/2020

REGULAMENTO – ABERTO E FECHADO

Artigo 93. No modo de disputa aberto, os licitantes apresentarão


suas propostas escritas ou eletrônicas em sessão pública e, na
sequência, ofertarão lances sucessivos, crescentes ou
decrescentes, conforme o critério de julgamento adotado.
Parágrafo único. O instrumento convocatório poderá estabelecer
intervalo mínimo de diferença de valores entre os lances, que
incidirá tanto em relação aos lances intermediários quanto em
relação à proposta que cobrir a melhor oferta.

REMUNERAÇÃO
VARIÁVEL E
CONTRATAÇÃO
SIMULTÂNEA NO RDC

143

98
9/23/2020

REMUNERAÇÃO VARIÁVEL
Art. 45. Na contratação de obras e serviços, inclusive de
engenharia, poderá ser estabelecida remuneração variável
vinculada ao desempenho do contratado, com base em metas,
padrões de qualidade, critérios de sustentabilidade ambiental e
prazos de entrega definidos no instrumento convocatório e no
contrato.
Parágrafo único. A utilização da remuneração variável respeitará
o limite orçamentário fixado pela empresa pública ou pela
sociedade de economia mista para a respectiva contratação.

CONTRATAÇÃO SIMULTÂNEA
Art. 46. Mediante justificativa expressa e desde que não implique
perda de economia de escala, poderá ser celebrado mais de um
contrato para executar serviço de mesma natureza quando o
objeto da contratação puder ser executado de forma concorrente
e simultânea por mais de um contratado.
§ 1o Na hipótese prevista no caput deste artigo, será mantido
controle individualizado da execução do objeto contratual
relativamente a cada um dos contratados.
.

144

99
9/23/2020

PROCEDIMENTOS
AUXILIARES

PROCEDIMENTOS AUXILIARES

Art. 63. São procedimentos auxiliares das licitações


regidas por esta Lei:
I - pré-qualificação permanente;
II - cadastramento;
III - sistema de registro de preços;
IV - catálogo eletrônico de padronização.

145

100
9/23/2020

PROCEDIMENTOS AUXILIARES
Art. 64. Considera-se pré-qualificação permanente o
procedimento anterior à licitação destinado a identificar:
(SUBJETIVA) I - fornecedores que reúnam condições de habilitação
exigidas para o fornecimento de bem ou a execução de serviço ou
obra nos prazos, locais e condições previamente estabelecidos;
(OBJETIVA) II - bens que atendam às exigências técnicas e de
qualidade da administração pública.

PROCEDIMENTOS AUXILIARES
§ 1o O procedimento de pré-qualificação será público e permanentemente aberto
à inscrição de qualquer interessado.
§ 2o A empresa pública e a sociedade de economia mista poderão restringir a
participação em suas licitações a fornecedores ou produtos pré-qualificados, nas
condições estabelecidas em regulamento.
§ 3o A pré-qualificação poderá ser efetuada nos grupos ou segmentos, segundo as
especialidades dos fornecedores.
§ 4o A pré-qualificação poderá ser parcial ou total, contendo alguns ou todos os
requisitos de habilitação ou técnicos necessários à contratação, assegurada, em
qualquer hipótese, a igualdade de condições entre os concorrentes.

146

101
9/23/2020

SRP

Lei 8.666/93
Art. 15. As compras, sempre que possível, deverão:

I - atender ao princípio da padronização, que imponha compatibilidade de


especificações técnicas e de desempenho, observadas, quando for o caso, as
condições de manutenção, assistência técnica e garantia oferecidas;

II - ser processadas através de sistema de registro de preços;

III - submeter-se às condições de aquisição e pagamento semelhantes às do setor


privado;

IV - ser subdivididas em tantas parcelas quantas necessárias para aproveitar as


peculiaridades do mercado, visando economicidade;

V - balizar-se pelos preços praticados no âmbito dos órgãos e entidades da


Administração Pública.

147

102
9/23/2020

Decreto 7.892/2013
Art. 1º As contratações de serviços e a aquisição de
bens, quando efetuadas pelo Sistema de Registro de
Preços - SRP, no âmbito da administração pública
federal direta, autárquica e fundacional, fundos
especiais, empresas públicas, sociedades de economia
mista e demais entidades controladas, direta ou
indiretamente pela União, obedecerão ao disposto
neste Decreto.

Decreto 7.892/2013
Art. 3º O Sistema de Registro de Preços poderá ser adotado nas seguintes hipóteses:
I - quando, pelas características do bem ou serviço, houver necessidade de
contratações frequentes;
II - quando for conveniente a aquisição de bens com previsão de entregas parceladas
ou contratação de serviços remunerados por unidade de medida ou em regime de
tarefa;
III - quando for conveniente a aquisição de bens ou a contratação de serviços para
atendimento a mais de um órgão ou entidade, ou a programas de governo; ou
IV - quando, pela natureza do objeto, não for possível definir previamente o
quantitativo a ser demandado pela Administração.

148

103
9/23/2020

Decreto 7.892/2013 (limites carona)


Art. 22. Desde que devidamente justificada a vantagem, a ata de registro de
preços, durante sua vigência, poderá ser utilizada por qualquer órgão ou
entidade da administração pública federal que não tenha participado do
certame licitatório, mediante anuência do órgão gerenciador.

§ 3º As aquisições ou as contratações adicionais de que trata este artigo


não poderão exceder, por órgão ou entidade, a cinquenta por cento dos
quantitativos dos itens do instrumento convocatório e registrados na ata de
registro de preços para o órgão gerenciador e para os órgãos participantes.

§ 4º O instrumento convocatório preverá que o quantitativo decorrente das


adesões à ata de registro de preços não poderá exceder, na totalidade, ao
dobro do quantitativo de cada item registrado na ata de registro de preços
para o órgão gerenciador e para os órgãos participantes,
independentemente do número de órgãos não participantes que aderirem

Lei 13.303
Art. 66. O Sistema de Registro de Preços especificamente
destinado às licitações de que trata esta Lei reger-se-á pelo
disposto em decreto do Poder Executivo e pelas seguintes
disposições:
§ 1o Poderá aderir ao sistema referido no caput qualquer
órgão ou entidade responsável pela execução das atividades
contempladas no art. 1o desta Lei.

149

104
9/23/2020

Lei 13.303
§ 2o O registro de preços observará, entre outras, as seguintes condições:

I - efetivação prévia de ampla pesquisa de mercado;


II - seleção de acordo com os procedimentos previstos em regulamento;
III - desenvolvimento obrigatório de rotina de controle e atualização periódicos dos
preços registrados;
IV - definição da validade do registro;
V - inclusão, na respectiva ata, do registro dos licitantes que aceitarem cotar os bens
ou serviços com preços iguais ao do licitante vencedor na sequência da classificação
do certame, assim como dos licitantes que mantiverem suas propostas originais.

Lei 13.303

§ 3o A existência de preços registrados não


obriga a administração pública a firmar os
contratos que deles poderão advir, sendo
facultada a realização de licitação específica,
assegurada ao licitante registrado preferência
em igualdade de condições.

150

105
9/23/2020

Acórdão nº 296/2007 – 2ª C

Carece de amparo legal a utilização da modalidade


licitatória denominada pregão ou a utilização de
sistema de registro de preços objetivando a
contratação de empresa para execução de obras e
serviços não comuns de engenharia.

Acórdão 2006/2012-Plenário

A utilização do sistema de registro de preços


para contratação de serviços técnicos
especializados de consultoria, engenharia e
arquitetura não encontra amparo na
legislação vigente.

151

106
9/23/2020

PARTE 3 - ORÇAMENTO
CUSTOS E PREÇOS

PREÇOS

152

1
9/23/2020

PREÇOS
CONTRATAÇÕES

BENS SERVIÇOS OBRAS

DE
DE ENGENHARIA
ENGENHARIA

OUTROS
TIPOS

Lei 13.303

Art. 32. Nas licitações e contratos de que trata esta Lei serão
observadas as seguintes diretrizes:

II - busca da maior vantagem competitiva para a empresa


pública ou sociedade de economia mista, considerando custos e
benefícios, diretos e indiretos, de natureza econômica, social
ou ambiental, inclusive os relativos à manutenção, ao
desfazimento de bens e resíduos, ao índice de depreciação
econômica e a outros fatores de igual relevância

153

2
9/23/2020

Lei 13.303
Art. 31. As licitações realizadas e os contratos celebrados por empresas públicas e
sociedades de economia mista destinam-se a assegurar a seleção da proposta mais
vantajosa, inclusive no que se refere ao ciclo de vida do objeto, e a evitar operações em
que se caracterize sobrepreço ou superfaturamento, devendo observar os princípios da
impessoalidade, da moralidade, da igualdade, da publicidade, da eficiência, da
probidade administrativa, da economicidade, do desenvolvimento nacional sustentável,
da vinculação ao instrumento convocatório, da obtenção de competitividade e do
julgamento objetivo.
§ 1o Para os fins do disposto no caput, considera-se que há:
I - sobrepreço quando os preços orçados para a licitação ou os preços contratados são
expressivamente superiores aos preços referenciais de mercado, podendo referir-se ao
valor unitário de um item, se a licitação ou a contratação for por preços unitários de
serviço, ou ao valor global do objeto, se a licitação ou a contratação for por preço global
ou por empreitada;
II - superfaturamento quando houver dano ao patrimônio da empresa pública ou da
sociedade de economia mista caracterizado, por exemplo:

E o sigilo do
orçamento base?

154

3
9/23/2020

Lei 13.303

Art. 34. O valor estimado do contrato a ser celebrado pela empresa pública ou
pela sociedade de economia mista será sigiloso, facultando-se à contratante,
mediante justificação na fase de preparação prevista no inciso I do art. 51
desta Lei, conferir publicidade ao valor estimado do objeto da licitação, sem
prejuízo da divulgação do detalhamento dos quantitativos e das demais
informações necessárias para a elaboração das propostas.
§ 1º Na hipótese em que for adotado o critério de julgamento por maior
desconto, a informação de que trata o caput deste artigo constará do
instrumento convocatório.

Lei 13.303

§ 2º No caso de julgamento por melhor técnica, o valor do prêmio


ou da remuneração será incluído no instrumento convocatório.
§ 3º A informação relativa ao valor estimado do objeto da
licitação, ainda que tenha caráter sigiloso, será disponibilizada a
órgãos de controle externo e interno, devendo a empresa pública
ou a sociedade de economia mista registrar em documento formal
sua disponibilização aos órgãos de controle, sempre que solicitado.

155

4
9/23/2020

Acórdão 306/2013 - Pl

De modo objetivo – e novamente com as vênias de praxe – existem situações em que não
vislumbro como manter, de modo judicioso e a estrito rigor, o sigilo na fase de negociação.
Se a "menor proposta" (em casos de licitações pelo menor preço) for superior ao valor
máximo admitido, existem duas possibilidades: a primeira é de, na fase de negociação, a
licitante abaixar sucessivamente seu preço para tentar atingir a "cota" permitida, em um
processo de tentativas e erros – quase um jogo de "quente e frio". Na prática, o "sigilo"
seria quebrado no exato momento em que o preço atingir o teto de contratação. Nessa
hipótese, a manutenção do sigilo só tornou o processo mais moroso, situação que, na
busca pela eficiência (princípio explícito do RDC), inclusive no que se refere ao tempo para
contratação, parece-me um contrassenso.

Acórdão 306/2013 - Pl

A outra hipótese é que, após consecutivas tentativas, a


licitante não atinja o preço máximo admitido. A licitação
restar-se-ia, então, fracassada. O próximo passo, por óbvio,
seria empreender uma nova análise do orçamento, de modo
a verificar-lhe a exequibilidade. Caso se decida, porém, pela
manutenção do preço paradigma, a Administração correrá o
risco de, novamente, ter o certame mal sucedido.

156

5
9/23/2020

Como detalhar o orçamento


base de Obras e serviços de
engenharia?
CONCEITOS E PROCEDIMENTOS

AVALIAÇÃO x FASE DO
EMPREENDIMENTO
Fase do Recurso
Avaliação
empreendi- Referências Precisão para a
de custo
mento avaliação
Custos por m2
Inicial Expedita Baixa Pouco
ou km
Orçamento
Intermediária Resumida estimado dos Média Médio
serviços
Orçamento
Final Detalhada detalhado dos Alta Elevado
serviços

157

6
9/23/2020

AVALIAÇÃO x FASE DO
EMPREENDIMENTO
Lei 8.666 RDC Lei Estatais
Orçamento Subsidiário Obrigatório Obrigatório
estimado (RDC2 – (Integrada)
Integrada)

Orçamento Obrigatório Obrigatório Obrigatório


Detalhado (RDC 1 – (Outros regimes)
Outros regimes)
Referência LDO Lei 12.462/11 Lei 13.303
custos

Decreto Decreto 7.581/11


7.983/13

ORÇAMENTO
DETALHADO

158

7
9/23/2020

ORÇAMENTO

 O QUE É?

 PARA QUE SERVE?

 QUAIS OS PRINCIPAIS CONCEITOS?

 POSSUI RELAÇÃO COM A LEGISLAÇÃO?

 QUAIS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS?

LICITAÇÃO
FASE INTERNA - PROJETO BÁSICO – ORÇAMENTO
DETALHADO
FUNÇÕES DO ORÇAMENTO:
1) PARÂMETRO PARA A ADMINISTRAÇÃO NA FASE
INTERNA:
 VERIFICAR A EXISTÊNCIA DE RECURSOS SUFICIENTES
 DEFINIR CRITÉRIOS DE ACEITABILIDADE

2) REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DOS PREÇOS


RECEBIDOS DAS EMPRESAS NA FASE EXTERNA
3) ACOMPANHAMENTO DOS SERVIÇOS NA FASE
CONTRATUAL

159

8
9/23/2020

ORÇAMENTO E BDI
Considerações Introdutórias
Conteúdo do orçamento e do BDI

ORÇAMENTOS
Principais definições
Insumo: bens naturais ou intermediários utilizados na
produção de outros bens econômicos.
Ex:
- cimento (saco ou kg);
- porta (un)
- areia (m3);
Serviço: qualquer atividade na construção definida em
função da combinação de quantidades de insumos.
- Ex.: concreto(m3) - areia, pedra, cimento, pedreiro e
servente

160

9
9/23/2020

ORÇAMENTOS
Principais definições

Insumo A

Quantidades
Insumo B Serviço
Insumo C
Insumo D

Material
Grupos Mão de obra
Equipamento

ORÇAMENTOS
Principais definições
Custo: denominação genérica dada a importância paga por
um bem ou serviço, necessários para a obtenção de
determinado produto.
Preço: importância paga por um bem ou serviço na sua
comercialização. É igual ao custo mais o lucro;
Custo Direto (CD): parte do custo que varia
proporcionalmente a quantidade de serviços produzidos.
Pode ser facilmente vinculado à execução de determinado
serviço.
Custo Indireto (CI): parte do custo que possui dificuldade de
ser atribuída a um serviço específico no canteiro de obras.

161

10
9/23/2020

ORÇAMENTOS
Principais definições
BDI (Benefício e Despesas Indiretas): fator multiplicador
que, aplicado ao valor total do custo direto, fornece o
preço final da obra. Engloba o valor dos custos indiretos
(DI) e o lucro da construtora (B)

BDI é sigla de origem anglófona, com o significado


originário de Budget Difference Income. (budget deviation
index )

Ex: CD = 200; BDI = 60 (30%); PV = 260

ORÇAMENTOS
Principais definições

Insumo A
Quantidades

Insumo B Serviço
Insumo C
Insumo D

Custos Diretos
Custo
Preço Custos Indiretos Preço
BDI
Lucro

162

11
9/23/2020

Decreto 7.581/11

Art. 42§ 6º O orçamento estimado das obras e


serviços de engenharia será aquele resultante da
composição dos custos unitários diretos do sistema
de referência utilizado, acrescida do percentual de
BDI de referência, ressalvado o disposto no art. 9º da
Lei nº 12.462, de 2011, para o regime de contratação
integrada.

ORÇAMENTOS
Principais definições

Curva ABC: % %
ITENS VALOR
 Demonstra a participação
percentual de cada A 10 70
componente de custo no
valor total da obra. Pode B 20 20
ser elaborada tanto para
insumos, quanto para
C 70 10
serviços.

163

12
9/23/2020

ORÇAMENTO
REFERÊNCIAS DE
CUSTOS

Lei 13.303
Art. 31,§ 2o O orçamento de referência do custo global de obras e serviços de
engenharia deverá ser obtido a partir de custos unitários de insumos ou serviços
menores ou iguais à mediana de seus correspondentes no Sistema Nacional de
Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi), no caso de construção civil
em geral, ou no Sistema de Custos Referenciais de Obras (Sicro), no caso de obras e
serviços rodoviários, devendo ser observadas as peculiaridades geográficas.
§ 3o No caso de inviabilidade da definição dos custos consoante o disposto no § 2o,
a estimativa de custo global poderá ser apurada por meio da utilização de dados
contidos em tabela de referência formalmente aprovada por órgãos ou entidades da
administração pública federal, em publicações técnicas especializadas, em banco de
dados e sistema específico instituído para o setor ou em pesquisa de mercado.

164

13
9/23/2020

ORÇAMENTOS
Custos de Insumos
Obtenção dos custos de insumos ou serviços
 Sistema SINAPI/CEF ou SICRO/DNIT (referência legal) ;
 Tabelas referenciais de órgãos públicos;
 Revistas de editoras especializadas (Ex.: PINI);
 Pesquisa de mercado (atentar para curva ABC).
Observações:
 Justificativas para os acréscimos;
 Lembrar importância da escala do serviço.

Similaridade entre Decreto


7.983/13 e Lei 13.303

 Referência Sinapi e Sicro

 Tratamento de situações nos quais os sistemas não


possuem custos
 Cuidado com a região de execução dos serviços

165

14
9/23/2020

BDI

QUESTÃO INTERESSANTE

Nos termos do Acórdão 2.622/2013 – Plenário


do TCU, os percentuais de BDI indicados são
obrigatórios e vinculam a Administração?
Podem ser adotados percentuais distintos?

166

15
9/23/2020

ORÇAMENTO
TCU - Acórdão nº 2.622/2013 – Plenário

9.1. determinar às unidades técnicas deste


Tribunal que, nas análises do orçamento de obras
públicas, utilizem os parâmetros para taxas de BDI
a seguir especificados, em substituição aos
referenciais contidos nos Acórdãos ns. 325/2007 e
2.369/2011

167

16
9/23/2020

168

17
9/23/2020

169

18
9/23/2020

170

19
9/23/2020

171

20
9/23/2020

ACÓRDÃO Nº 508/2018 – TCU – Plenário

75. Considero que a Secex-SP colacionou extensa relação de referências a justificar a adoção de taxa de
overhead de 20%, de forma que julgo caracterizada a ocorrência de uma contratação antieconômica. Em
adição aos exemplos apresentados pela unidade técnica regional, vejo que o próprio TCU praticou, no
âmbito do Contrato 4/2014-Segedam, taxa de overhead de apenas 5% (documentação disponível para
download no site do TCU). O referido contrato foi resultante do Edital de Pregão eletrônico nº 06/2014 e
teve como objeto a “prestação dos serviços técnicos de apoio ao TCU na fiscalização da obra de construção
da Escola Superior de Controle, em Brasília/DF”, ou seja, objeto semelhante ao que ora se examina nos
autos.

76. Com vistas a evitar futuras contratações antieconômicas pela Valec, proponho expedir determinação
para que a entidade limite em 20% o percentual de despesas administrativas (overhead) a ser empregado
nas estimativas de custos de futuras contratações de serviços de engenharia consultiva.

77. Em acréscimo ao exame da unidade técnica, minha assessoria observou que a formação de preço do
contrato utilizou percentual de encargos sociais variando entre 90,11% e 94,27% (peça 16, fls. 34/56), taxas
que se situam acima das referências de mercado. Adotando o parâmetro atualmente empregado na tabela de
engenharia consultiva do Dnit, determino à unidade técnica que realize a quantificação do débito
considerando o parâmetro de 84,04% para os encargos sociais.

172

21
9/23/2020

PARTE 4 – FASE EXTERNA


ANÁLISE DE PREÇOS

PUBLICAÇÃO DO EDITAL

Reabertura de prazo
ESCLARECIMENTOS A QUESITOS
em caso de alteração

ETAPAS
RECEBIMENTO DAS PROPOSTAS
FASE EXTERNA

ANÁLISE DA HABILITAÇÃO DILIGÊNCIAS

ANÁLISE DAS PROPOSTAS


ANÁLISE DE RECURSOS
Preço global e unitário

CLASSIFICAÇÃO

HOMOLOGAÇÃO E ADJUDICAÇÃO

CONVOCAÇÃO PARA CONTRATO

173

1
9/23/2020

PREÇOS - DESCLASSIFICAÇÃO

Como deve ser realizada a análise de exequibilidade


do orçamento apresentado pelo licitante? Quando
o preço é inexequível? Como a Administração deve
proceder diante da inexequibilidade? Qual o
entendimento do TCU?

PREÇOS - DESCLASSIFICAÇÃO
Art. 51. As licitações de que trata esta Lei observarão a
seguinte sequência de fases:
I - preparação;
II - divulgação;
III - apresentação de lances ou propostas, conforme o
modo de disputa adotado;
IV - julgamento;
V - verificação de efetividade dos lances ou propostas;

174

2
9/23/2020

PREÇOS - DESCLASSIFICAÇÃO
Art. 56. Efetuado o julgamento dos lances ou propostas, será
promovida a verificação de sua efetividade, promovendo-se a
desclassificação daqueles que:
I - contenham vícios insanáveis;
II - descumpram especificações técnicas constantes do
instrumento convocatório;
III - apresentem preços manifestamente inexequíveis;
IV - se encontrem acima do orçamento estimado para a
contratação de que trata o § 1º do art. 57, ressalvada a hipótese
prevista no caput do art. 34 desta Lei;

PREÇOS - DESCLASSIFICAÇÃO

V - não tenham sua exequibilidade demonstrada, quando exigido


pela empresa pública ou pela sociedade de economia mista;
VI - apresentem desconformidade com outras exigências do
instrumento convocatório, salvo se for possível a acomodação a
seus termos antes da adjudicação do objeto e sem que se
prejudique a atribuição de tratamento isonômico entre os
licitantes.

175

3
9/23/2020

PREÇOS - DESCLASSIFICAÇÃO

§ 1º A verificação da efetividade dos lances ou propostas


poderá ser feita exclusivamente em relação aos lances e
propostas mais bem classificados.
§ 2º A empresa pública e a sociedade de economia mista
poderão realizar diligências para aferir a exequibilidade das
propostas ou exigir dos licitantes que ela seja demonstrada, na
forma do inciso V do caput .

PREÇOS - DESCLASSIFICAÇÃO
§ 3º Nas licitações de obras e serviços de engenharia,
consideram-se inexequíveis as propostas com valores globais
inferiores a 70% (setenta por cento) do menor dos seguintes
valores:
I - média aritmética dos valores das propostas superiores a 50%
(cinquenta por cento) do valor do orçamento estimado pela
empresa pública ou sociedade de economia mista; ou
II - valor do orçamento estimado pela empresa pública ou
sociedade de economia mista.
Obs: cópia do art. 48, § 1º, da Lei 8.666/93

176

4
9/23/2020

PREÇOS
EXEMPLO (1/4)

Em determinado certame, a Administração estabeleceu, com


base em projeto bem elaborado, o preço global máximo de
R$9.000.000,00 para a contratação. Foram apresentadas as
seguintes propostas:
 empresa A = R$ 9.000.000,00;
 empresa B = R$ 7.200.000,00;
 empresa C = R$ 4.800.000,00;
 empresa D = R$ 4.000.000,00;
 empresa E = R$10.000.000,00.
Qual o procedimento da comissão para a identificação da
proposta mais vantajosa sob o aspecto do preço global?

PREÇOS
EXEMPLO (2/4)

Análise 1 – desclassificar as empresas que não atenderam as


condições fixadas no edital, ou seja, critério de
aceitabilidade de preço global máximo: estará
desclassificada a empresa E por ter apresentado valor
elevado (R$10.000.000,00).
 Obs: As propostas acima do limite de aceitabilidade fixado
pela Administração devem ser desclassificadas antes do
cálculo da média, caso contrário, valores excessivos
apresentados por licitantes desvirtuariam o critério legal
previsto na art. 48, §1º, alínea a, da Lei nº 8.666/93.

177

5
9/23/2020

PREÇOS
EXEMPLO (3/4)

b) Análise 2 – verificar a exeqüibilidade, nos termos do art. 48, II e


§1º da lei de licitações:
b.1) 1º passo: calcular a média aritmética dos valores das propostas
superiores a 50% do valor orçado pela Administração, definida
no art. 48, §1º, “a”: (deverá ser excluída a proposta de
R$4.000.000,00 visto ser inferior a 50% do valor estipulado pela
Administração).
V = 9.000.000 + 7.200.000 + 4.800.000 = 7.000.000,00
3
b.2) 2º passo: considerar o valor orçado pela Administração, nos
termos do art. 48, §1°, “b”.
V = 9.000.000,00

PREÇOS
EXEMPLO (4/4)

b.3) 3º passo: definir o valor equivalente a 70% do menor dos


seguintes montantes calculados nos 1º e 2º passos, nos termos
do art. 48, §1°.
 V = 70% do menor dos valores = R$(0,7) x 7.000.000,00 =
R$4.900.000,00
b.4) 4º passo: classificar as empresas que apresentaram preços
superiores ao limite mínimo calculado na forma da lei
(R$4.900.000,00): devem ser desclassificadas, em virtude de
apresentar o preço menor que o limite mínimo, as empresas C
e D. Restam, portanto, as empresas A e B.
b.5) 5º passo: B foi o vencedor com menor preço
(R$7.200.000,00) do que A (R$9.000.000,00).

178

6
9/23/2020

QUESTÃO INTERESSANTE
Uma vez aplicada a fórmula prevista no § 1º do
art. 48, e tendo como resultado que determinado
preço é inexequível, é possível que a
Administração, por solicitação do licitante,
oportunize prazo para ele demonstrar
documentalmente a exequibilidade de sua
proposta?

SÚMULA Nº 262/2010

 O critério definido no art. 48, inciso II, § 1º,


alíneas “a” e “b”, da Lei nº 8.666/93 conduz a
uma presunção relativa de inexequibilidade de
preços, devendo a Administração dar à licitante a
oportunidade de demonstrar a exequibilidade da
sua proposta.

179

7
9/23/2020

QUESTÃO INTERESSANTE

Quando o preço é inexequível? Como a


Administração deve proceder diante da
inexequibilidade? Qual o entendimento do TCU?

PREÇO INEXEQUÍVEL
Art. 48. Serão desclassificadas:
I - as propostas que não atendam às exigências do ato
convocatório da licitação;
II - propostas com valor global superior ao limite estabelecido
ou com preços manifestamente inexeqüiveis, assim
considerados aqueles que não venham a ter demonstrada sua
viabilidade através de documentação que comprove que (1)os
custos dos insumos são coerentes com os de mercado e que (2)
os coeficientes de produtividade são compatíveis com a
execução do objeto do contrato, condições estas
necessariamente especificadas no ato convocatório da
licitação. (Redação dada pela Lei nº 8.883, de 1994)

180

8
9/23/2020

PREÇO INEXEQUÍVEL
Art. 44. No julgamento das propostas, a Comissão levará em
consideração os critérios objetivos definidos no edital ou
convite, os quais não devem contrariar as normas e princípios
estabelecidos por esta Lei.
§ 3o Não se admitirá proposta que apresente preços global ou
unitários simbólicos, irrisórios ou de valor zero, incompatíveis
com os preços dos insumos e salários de mercado, acrescidos
dos respectivos encargos, ainda que o ato convocatório da
licitação não tenha estabelecido limites mínimos, exceto quando
se referirem a materiais e instalações de propriedade do próprio
licitante, para os quais ele renuncie a parcela ou à totalidade da
remuneração. (Redação dada pela Lei nº 8.883, de 1994)

PREÇOS (negociação)

Art. 57. Confirmada a efetividade do lance ou proposta que obteve a


primeira colocação na etapa de julgamento, ou que passe a ocupar essa
posição em decorrência da desclassificação de outra que tenha obtido
colocação superior, a empresa pública e a sociedade de economia mista
deverão negociar condições mais vantajosas com quem o apresentou.
§ 1º A negociação deverá ser feita com os demais licitantes, segundo a
ordem inicialmente estabelecida, quando o preço do primeiro colocado,
mesmo após a negociação, permanecer acima do orçamento estimado.
§ 3º Se depois de adotada a providência referida no § 1º deste artigo não
for obtido valor igual ou inferior ao orçamento estimado para a contratação,
será revogada a licitação.

181

9
9/23/2020

ETAPAS - CONTRATAÇÃO DO EMPREENDIMENTO


Preço Global Preço Unitário
Limite art. 48, II c/c art. 40, X art. 48, I c/c art. 40, X - Critério de aceitabilidade
superior Critério de aceitabilidade previsto no Edital previsto no Edital

FAIXA ACEITÁVEL DE PREÇOS


Limite art. 48, II e § 1º art. 48, II c/c art. 44, § 3º
inferior - propostas cujos valores globais sejam - propostas que não comprovarem que os custos dos
inferiores a 70% (setenta por cento) do menor insumos são coerentes com os de mercado e que os
dos seguintes valores: coeficientes de produtividade são compatíveis com a
a) média aritmética dos valores das propostas execução do objeto do contrato;
superiores a 50% (cinqüenta por cento) do ou
valor orçado pela administração, ou b) valor
orçado pela administração. ou

- proposta que apresente preços global - proposta que apresente preços global ou unitários
simbólico, irrisório ou de valor zero, simbólicos, irrisórios ou de valor zero, incompatíveis
incompatíveis com os preços dos insumos e com os preços dos insumos e salários de mercado,
salários de mercado, acrescidos dos acrescidos dos respectivos encargos, ainda que o ato
respectivos encargos, ainda que o ato convocatório da licitação não tenha estabelecido
convocatório da licitação não tenha limites mínimos, exceto quando se referirem a
estabelecido limites mínimos, exceto quando materiais e instalações de propriedade do próprio
se referirem a materiais e instalações de licitante, para os quais ele renuncie a parcela ou à
propriedade do próprio licitante, para os quais totalidade da remuneração.
ele renuncie a parcela ou à totalidade da
remuneração.

PREÇOS – Lei 13.303


Art. 69.
§ 2º Nos contratos decorrentes de licitações de obras ou serviços de
engenharia em que tenha sido adotado o modo de disputa aberto, o
contratado deverá reelaborar e apresentar à empresa pública ou à
sociedade de economia mista e às suas respectivas subsidiárias, por
meio eletrônico, as planilhas com indicação dos quantitativos e dos
custos unitários, bem como do detalhamento das Bonificações e
Despesas Indiretas (BDI) e dos Encargos Sociais (ES), com os respectivos
valores adequados ao lance vencedor, para fins do disposto no inciso III
do caput deste artigo.

182

10
9/23/2020

PREÇOS (integrada) – Decreto 7.581

Art. 40. Na verificação da conformidade da melhor proposta apresentada com os requisitos do


instrumento convocatório, será desclassificada aquela que: (...)

§ 2º Com exceção da contratação integrada prevista no art. 9º da Lei nº 12.462, de 2011, nas licitações de
obras ou serviços de engenharia, o licitante da melhor proposta apresentada deverá reelaborar e
apresentar à comissão de licitação, por meio eletrônico, conforme prazo estabelecido no instrumento
convocatório, planilha com os valores adequados ao lance vencedor, em que deverá constar:

a) indicação dos quantitativos e dos custos unitários, vedada a utilização de unidades genéricas ou
indicadas como verba;

b) composição dos custos unitários quando diferirem daqueles constantes dos sistemas de referências
adotados nas licitações; e

c) detalhamento das Bonificações e Despesas Indiretas - BDI e dos Encargos Sociais - ES.

PREÇOS – Decreto 7.581


Art. 42. Nas licitações de obras e serviços de engenharia, a economicidade da proposta será aferida com base nos custos globais e unitários.

§ 1º O valor global da proposta não poderá superar o orçamento estimado pela administração pública, com base nos parâmetros previstos
nos §§ 3º , 4º ou 6º do art. 8º da Lei nº 12.462, de 2011 , e, no caso da contratação integrada, na forma estabelecida no art. 9º , § 2º ,
inciso II, da Lei nº 12.462, de 2011. (Redação dada pelo Decreto nº 8.080, de 2013)

§ 2º No caso de adoção do regime de empreitada por preço unitário ou de contratação por tarefa, os custos unitários dos itens
materialmente relevantes das propostas não podem exceder os custos unitários estabelecidos no orçamento estimado pela administração
pública, observadas as seguintes condições:

I - serão considerados itens materialmente relevantes aqueles de maior impacto no valor total da proposta e que, somados, representem pelo
menos oitenta por cento do valor total do orçamento estimado ou que sejam considerados essenciais à funcionalidade da obra ou do serviço
de engenharia; e (Redação dada pelo Decreto nº 8.080, de 2013)

II - em situações especiais, devidamente comprovadas pelo licitante em relatório técnico circunstanciado aprovado pela administração
pública, poderão ser aceitos custos unitários superiores àqueles constantes do orçamento estimado em relação aos itens materialmente
relevantes, sem prejuízo da avaliação dos órgãos de controle, dispensada a compensação em qualquer outro serviço do orçamento de
referência; (Redação dada pelo Decreto nº 8.080, de 2013)

§ 3º Se o relatório técnico de que trata o inciso II do §2º não for aprovado pela administração pública, aplica-se o disposto no art. 62, salvo
se o licitante apresentar nova proposta, com adequação dos custos unitários propostos aos limites previstos no §2º , sem alteração do valor
global da proposta.

183

11
9/23/2020

PREÇOS – Decreto 7.581

§ 4º No caso de adoção do regime de empreitada por preço global ou de empreitada integral, serão
observadas as seguintes condições:

I – no cálculo do valor da proposta, poderão ser utilizados custos unitários diferentes daqueles previstos
nos §§ 3º , 4º ou 6º do art. 8º da Lei nº 12.462, de 2011, desde que o valor global da proposta e o valor
de cada etapa prevista no cronograma físico-financeiro seja igual ou inferior ao valor calculado a partir do
sistema de referência utilizado;

II - em situações especiais, devidamente comprovadas pelo licitante em relatório técnico circunstanciado,


aprovado pela administração pública, os valores das etapas do cronograma físico-financeiro poderão
exceder o limite fixado no inciso I; e

III - as alterações contratuais sob alegação de falhas ou omissões em qualquer das peças, orçamentos,
plantas, especificações, memoriais ou estudos técnicos preliminares do projeto básico não poderão
ultrapassar, no seu conjunto, dez por cento do valor total do contrato.

PREÇOS

E como proceder na contratação integrada?

184

12
9/23/2020

PREÇOS – Decreto 7.581

§ 3º No caso da contratação integrada prevista no art.


9º da Lei nº 12.462, de 2011, o licitante que ofertou a
melhor proposta deverá apresentar o valor do lance
vencedor distribuído pelas etapas do cronograma físico,
definido no ato de convocação e compatível com o critério
de aceitabilidade por etapas previsto no § 5º do art. 42.

PREÇOS – Decreto 7.581

Art. 42. Nas licitações de obras e serviços de engenharia, a


economicidade da proposta será aferida com base nos custos
globais e unitários.
§ 5º No caso de adoção do regime de contratação integrada,
deverão ser previstos no instrumento convocatório critérios de
aceitabilidade por etapa, estabelecidos de acordo com o
orçamento estimado na forma prevista no art. 9º da Lei nº 12.462,
de 2011, e compatíveis com o cronograma físico do objeto licitado.

185

13
9/23/2020

Gestão e Fiscalização
contratual, de acordo com a
Lei 13.303/2016
Obras e serviços de
engenharia
Palestrante
Prof. Cláudio Sarian Altounian

ASSINATURA DO CONTRATO

ETAPAS CADASTRAMENTO DO CONTRATO

FASE CONTRATUAL ORDEM DE SERVIÇO

EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS


ADITIVOS

SERVIÇOS FISCALIZAÇÃO

SUBCONTRATAÇÃO
1– 2-
Com PB Integrada MEDIÇÃO E PAGAMENTO
SANÇÃO

x PB
Obra Obra RECEBIMENTO DOS SERVIÇOS

PROVISÓRIO

DEFINITIVO

186

1
9/23/2020

CONTRATOS LEI 13.303


Art. 69. São cláusulas necessárias nos contratos disciplinados por
esta Lei:
I - o objeto e seus elementos característicos;
II - o regime de execução ou a forma de fornecimento;
III - o preço e as condições de pagamento, os critérios, a data-base
e a periodicidade do reajustamento de preços e os critérios de
atualização monetária entre a data do adimplemento das
obrigações e a do efetivo pagamento;
IV - os prazos de início de cada etapa de execução, de conclusão,
de entrega, de observação, quando for o caso, e de recebimento;
V - as garantias oferecidas para assegurar a plena execução do
objeto contratual, quando exigidas, observado o disposto no art.
68;
VI - os direitos e as responsabilidades das partes, as tipificações
das infrações e as respectivas penalidades e valores das multas;

CONTRATOS LEI 13.303


VII - os casos de rescisão do contrato e os mecanismos para
alteração de seus termos;
VIII - a vinculação ao instrumento convocatório da respectiva
licitação ou ao termo que a dispensou ou a inexigiu, bem como ao
lance ou proposta do licitante vencedor;
IX - a obrigação do contratado de manter, durante a execução do
contrato, em compatibilidade com as obrigações por ele
assumidas, as condições de habilitação e qualificação exigidas no
curso do procedimento licitatório;
X - matriz de riscos.

187

2
9/23/2020

CONTRATOS LEI 13.303


Art. 40. As empresas públicas e as sociedades de economia mista
deverão publicar e manter atualizado regulamento interno de
licitações e contratos, compatível com o disposto nesta Lei,
especialmente quanto a:
I - glossário de expressões técnicas;
...
VII - gestão e fiscalização de contratos;
VIII - aplicação de penalidades;
IX - recebimento do objeto do contrato.

DURAÇÃO

188

3
9/23/2020

CONTRATOS LEI 13.303


Duração
Art. 71. A duração dos contratos regidos por esta Lei não excederá
a 5 (cinco) anos, contados a partir de sua celebração, exceto:
I - para projetos contemplados no plano de negócios e
investimentos da empresa pública ou da sociedade de economia
mista;
II - nos casos em que a pactuação por prazo superior a 5 (cinco)
anos seja prática rotineira de mercado e a imposição desse prazo
inviabilize ou onere excessivamente a realização do negócio.
Parágrafo único. É vedado o contrato por prazo indeterminado.

CONTRATOS LEI 13.303


Duração
Acórdão 1.674/2014 - Plenário
Enunciado
Nos contratos por escopo, inexistindo motivos para sua rescisão
ou anulação, a extinção do ajuste somente se opera com a
conclusão do objeto e o seu recebimento pela Administração,
diferentemente dos ajustes por tempo determinado, nos quais o
prazo constitui elemento essencial e imprescindível para a
consecução ou a eficácia do objeto avençado.

189

4
9/23/2020

CONTRATOS
FISCALIZAÇÃO

QUESTÃO INTERESSANTE

Quais as atribuições e responsabilidades do


fiscal do contrato? Quais documentos deve
conhecer para ter condições de exercer as
suas atribuições?

190

5
9/23/2020

CONTRATOS
FISCALIZAÇÃO

Art. 67. A execução do contrato deverá ser acompanhada e fiscalizada


por um representante da Administração especialmente designado,
permitida a contratação de terceiros para assisti-lo e subsidiá-lo de
informações pertinentes a essa atribuição.
§ 1o O representante da Administração anotará em registro próprio
todas as ocorrências relacionadas com a execução do contrato,
determinando o que for necessário à regularização das faltas ou
defeitos observados.
§ 2o As decisões e providências que ultrapassarem a competência do
representante deverão ser solicitadas a seus superiores em tempo
hábil para a adoção das medidas convenientes.

CONTRATOS
FISCALIZAÇÃO

Art. 68. O contratado deverá manter preposto, aceito


pela Administração, no local da obra ou serviço, para
representá-lo na execução do contrato.

OBS: CUIDADO PARA QUE O ENGENHEIRO


HABILITADO ACOMPANHE O EMPREENDIMENTO

191

6
9/23/2020

TCU - Acórdão nº 1715/2008 - Plenário

Enunciado
O dirigente máximo de órgão público tem a
obrigação de acompanhar, controlar e fiscalizar a
execução dos atos de seus subordinados, além
escolher seus auxiliares diretos com esmero, sob
pena de responder por culpa in vigilando e
culpa in elegendo.

TCU - Acórdão nº 1529/2019 - Plenário

Enunciado
Não cabe a responsabilização de dirigente de órgão ou
entidade por irregularidade que só poderia ser
detectada mediante completa e minuciosa revisão dos
atos praticados pelos subordinados, sobretudo na
presença de pareceres técnico e jurídico recomendando
a prática do negócio jurídico, salvo quando se tratar de
falha grosseira ou situação recorrente, que impede o
reconhecimento da irregularidade como caso isolado.

192

7
9/23/2020

CONTRATOS
INÍCIO DOS SERVIÇOS

Acórdão nº 1.448/2006 - Plenário


1. A assinatura do instrumento contratual
posteriormente ao início da execução da obra
pública constitui afronta aos princípios da
legalidade, razoabilidade e da segurança jurídica.
2 . A eficiente fiscalização pelo órgão público
responsável pelo acompanhamento de obras
públicas é pressuposto para proteção de vultosos
valores do erário público.

193

8
9/23/2020

Acórdão nº 1.448/2006 - Plenário


1. A assinatura do instrumento contratual
posteriormente ao início da execução da obra
pública constitui afronta aos princípios da
legalidade, razoabilidade e da segurança jurídica.
2 . A eficiente fiscalização pelo órgão público
responsável pelo acompanhamento de obras
públicas é pressuposto para proteção de vultosos
valores do erário público.

CONTRATOS
INÍCIO DOS SERVIÇOS

a) Anotação de Responsabilidade Técnica – ART dos responsáveis técnicos pelo


empreendimento recolhida junto ao Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura
e Agronomia – CREA do Estado em que a obra será realizada, nos termos dos art. 1º
e art. 2º da Lei nº 6.496/77;
b) licença ambiental de instalação junto ao órgão ambiental competente, nos casos
previstos em lei;
c) ordem da Administração autorizando o início dos serviços;
d) alvará de construção junto à Prefeitura Municipal, quando cabível, e, se
necessário, o alvará de demolição;

194

9
9/23/2020

CONTRATOS
INÍCIO DOS SERVIÇOS

e) quando for o caso, aprovação do projeto de


prevenção e combate a incêndio pelo corpo de
bombeiros e dos projetos de instalação elétrica,
hidráulica e de telefonia das concessionárias
competentes;
f) Certificado de Matrícula junto ao INSS referente à
obra,
g) autorizações exigidas em obras com características
especiais, como aqueles pertencentes a patrimônio
histórico-cultural.

CONTRATO DE EXECUÇÃO
DE OBRAS e SERVIÇOS DE
ENGENHARIA
CONTROLE DO ESCOPO

195

10
9/23/2020

196

11
9/23/2020

QUESTÃO INTERESSANTE
Como devem ocorrer o controle e o
acompanhamento da execução da obra em
relação aos materiais e equipamentos
utilizados? Quais os mecanismos a serem
adotados para viabilizar medições seguras de
obras e serviços de engenharia?

CONTROLE DE ESCOPO
PREOCUPAÇÕES – CONCLUSÃO DO OBJETO

Falhas de
Medições Aditivos
projeto

Conhecimento dos Gerenciamento dos


Medidas a serem
serviços projetados acréscimos e
adotadas
(por partes) supressões

Aferição dos Ajustes para a Repercussões no


serviços executados conclusão do objeto regime de execução

Mudança de fiscais
Limite
25% Integração
Custos e prazos

197

12
9/23/2020

MEDIÇÕES
Aferição dos serviços executados
Equipe de medição:
 Da administração ou de terceira contratada
 Capacitação (Recursos Humanos*)
Forma de medição
 Equipamentos necessários
 Compatibilidade dos quantitativos com os recursos
disponíveis
 Regime de execução
 Qualidade dos serviços executados*

MEDIÇÕES
Aferição dos serviços executados

Registro das medições


 Memorial de cálculo (divisão por setor;
identificação precisa)
 Sistemas computacionais ou papel
(rastreabilidade)
 Encaminhamento dos registros para pagamento)

198

13
9/23/2020

EXECUÇÃO E ADITIVO
CONTRATAÇÃO SEMI-INTEGRADA

Lei 13.303

Art. 43. Os contratos destinados à execução de


obras e serviços de engenharia admitirão os
seguintes regimes:
§ 2º É vedada a execução, sem projeto executivo,
de obras e serviços de engenharia.

199

14
9/23/2020

Lei 13.303
Art. 42. Os contratos destinados à execução de
obras e serviços de engenharia admitirão os
seguintes regimes:
IV - na contratação semi-integrada, o projeto básico
poderá ser alterado, desde que demonstrada a
superioridade das inovações em termos de redução
de custos, de aumento da qualidade, de redução do
prazo de execução e de facilidade de manutenção
ou operação.

LEI 13.303
Quais as etapas de entregas na contratação
integrada? E os riscos de cada uma?
1. Recebimento do projeto básico (em caso de
alteração de metodologia)
2. Recebimento do projeto executivo
3. Execução

200

15
9/23/2020

EXECUÇÃO E ADITIVO
CONTRATAÇÃO INTEGRADA

LEI 13.303
Quais as etapas de entregas na contratação
integrada? E os riscos de cada uma?
1. Recebimento do projeto básico (NOVIDADE)
2. Recebimento do projeto executivo
3. Execução

201

16
9/23/2020

CONTRATOS
SUBCONTRATAÇÃO

CONTRATOS LEI 13.303


Art. 78. O contratado, na execução do contrato, sem prejuízo das responsabilidades
contratuais e legais, poderá subcontratar partes da obra, serviço ou fornecimento, até
o limite admitido, em cada caso, pela empresa pública ou pela sociedade de economia
mista, conforme previsto no edital do certame.
§ 1º A empresa subcontratada deverá atender, em relação ao objeto da
subcontratação, as exigências de qualificação técnica impostas ao licitante vencedor.
§ 2º É vedada a subcontratação de empresa ou consórcio que tenha participado:
I - do procedimento licitatório do qual se originou a contratação;
II - direta ou indiretamente, da elaboração de projeto básico ou executivo.

202

17
9/23/2020

CONTRATOS
ALTERAÇÕES

Definições – Lei 13.303

X - matriz de riscos: cláusula contratual definidora de riscos e


responsabilidades entre as partes e caracterizadora do equilíbrio
econômico-financeiro inicial do contrato, em termos de ônus financeiro
decorrente de eventos supervenientes à contratação, contendo, no
mínimo, as seguintes informações:
a) listagem de possíveis eventos supervenientes à assinatura do
contrato, impactantes no equilíbrio econômico-financeiro da avença, e
previsão de eventual necessidade de prolação de termo aditivo quando
de sua ocorrência;

203

18
9/23/2020

Definições – Lei 13.303


b) estabelecimento preciso das frações do objeto em que haverá liberdade
das contratadas para inovar em soluções metodológicas ou tecnológicas, em
obrigações de resultado, em termos de modificação das soluções
previamente delineadas no anteprojeto ou no projeto básico da licitação;
c) estabelecimento preciso das frações do objeto em que não haverá
liberdade das contratadas para inovar em soluções metodológicas ou
tecnológicas, em obrigações de meio, devendo haver obrigação de
identidade entre a execução e a solução pré-definida no anteprojeto ou no
projeto básico da licitação.

Alteração CONTRATOS LEI 13.303


Art. 81. Os contratos Celebrados nos regimes previstos nos incisos I a V do
art. 43 contarão com cláusula que estabeleça a possibilidade de alteração,
por acordo entre as partes, nos seguintes casos:
I - quando houver modificação do projeto ou das especificações, para melhor
adequação técnica aos seus objetivos;
II - quando necessária a modificação do valor contratual em decorrência de
acréscimo ou diminuição quantitativa de seu objeto, nos limites permitidos
por esta Lei;
III - quando conveniente a substituição da garantia de execução;
IV - quando necessária a modificação do regime de execução da obra ou
serviço, bem como do modo de fornecimento, em face de verificação técnica
da inaplicabilidade dos termos contratuais originários;

204

19
9/23/2020

CONTRATOS

V - quando necessária a modificação da forma de pagamento, por imposição


de circunstâncias supervenientes, mantido o valor inicial atualizado, vedada
a antecipação do pagamento, com relação ao cronograma financeiro fixado,
sem a correspondente contraprestação de fornecimento de bens ou
execução de obra ou serviço;
VI - para restabelecer a relação que as partes pactuaram inicialmente entre
os encargos do contratado e a retribuição da administração para a justa
remuneração da obra, serviço ou fornecimento, objetivando a manutenção
do equilíbrio econômico-financeiro inicial do contrato, na hipótese de
sobrevirem fatos imprevisíveis, ou previsíveis porém de consequências
incalculáveis, retardadores ou impeditivos da execução do ajustado, ou,
ainda, em caso de força maior, caso fortuito ou fato do príncipe,
configurando álea econômica extraordinária e extracontratual.

CONTRATOS – 13.303

§ 1o O contratado poderá aceitar, nas mesmas condições


contratuais, os acréscimos ou supressões que se fizerem
nas obras, serviços ou compras, até 25% (vinte e cinco por
cento) do valor inicial atualizado do contrato, e, no caso
particular de reforma de edifício ou de equipamento, até o
limite de 50% (cinquenta por cento) para os seus
acréscimos.
§ 2o Nenhum acréscimo ou supressão poderá exceder os
limites estabelecidos no § 1o, salvo as supressões
resultantes de acordo celebrado entre os contratantes.

205

20
9/23/2020

CONTRATOS
LIMITES PARA ALTERAÇÃO

Art. 65,§ 1o O contratado fica obrigado a aceitar,


nas mesmas condições contratuais, os acréscimos
ou supressões que se fizerem nas obras, serviços
ou compras, até 25% (vinte e cinco por cento) do
valor inicial atualizado do contrato, e, no caso
particular de reforma de edifício ou de
equipamento, até o limite de 50% (cinqüenta por
cento) para os seus acréscimos.

CONTRATOS
LIMITES PARA ALTERAÇÃO

Como funciona na Lei 8.666/93?

206

21
9/23/2020

CONTRATOS
LIMITES PARA ALTERAÇÃO

§ 2o Nenhum acréscimo ou supressão poderá


exceder os limites estabelecidos no parágrafo
anterior, salvo:
II - as supressões resultantes de acordo celebrado
entre os contratantes.
§ 6o Em havendo alteração unilateral do contrato
que aumente os encargos do contratado, a
Administração deverá restabelecer, por aditamento,
o equilíbrio econômico-financeiro inicial.

CONTRATOS

§ 8o É vedada a celebração de aditivos


decorrentes de eventos supervenientes
alocados, na matriz de riscos, como de
responsabilidade da contratada.

207

22
9/23/2020

CONTRATOS
LIMITES PARA ALTERAÇÃO - TCU - ALTERAÇÃO QUALITATIVA

TCU - Acórdão nº 591/2011-Plenário


9.2. determinar ao (...) que, para efeito de observância dos
limites de alterações contratuais previstos no art. 65 da Lei
nº 8.666/93, passe a considerar as reduções ou supressões
de quantitativos de forma isolada, ou seja, o conjunto de
reduções e o conjunto de acréscimos devem ser sempre
calculados sobre o valor original do contrato, aplicando-se a
cada um desses conjuntos, individualmente e sem nenhum
tipo de compensação entre eles, os limites de alteração
estabelecidos no dispositivo legal;

CONTRATOS
LIMITES PARA ALTERAÇÃO - TCU - ALTERAÇÃO QUALITATIVA

TCU - Decisão nº 215/1999-Plenário


a) tanto as alterações contratuais quantitativas - que
modificam a dimensão do objeto – quanto as unilaterais
qualitativas - que mantêm intangível o objeto, em natureza
e em dimensão, estão sujeitas aos limites preestabelecidos
nos §§ 1º e 2º do art. 65 da Lei nº 8.666/93, em face do
respeito aos direitos do contratado, prescrito no art. 58, I,
da mesma Lei, do princípio da proporcionalidade e da
necessidade de esses limites serem obrigatoriamente
fixados em lei;

208

23
9/23/2020

CONTRATOS
LIMITES PARA ALTERAÇÃO - TCU - ALTERAÇÃO QUALITATIVA

TCU - Decisão nº 215/1999-Plenário


b) nas hipóteses de alterações contratuais consensuais,
qualitativas e excepcionalíssimas de contratos de obras
e serviços, é facultado à Administração ultrapassar os
limites aludidos no item anterior, observados os
princípios da finalidade, da razoabilidade e da
proporcionalidade, além dos direitos patrimoniais do
contratante privado, desde que satisfeitos
cumulativamente os seguintes pressupostos:

CONTRATOS
LIMITES PARA ALTERAÇÃO - TCU - ALTERAÇÃO QUALITATIVA

TCU - Decisão nº 215/1999-Plenário


I - não acarretar para a Administração encargos
contratuais superiores aos oriundos de uma eventual
rescisão contratual por razões de interesse público,
acrescidos aos custos da elaboração de um novo
procedimento licitatório;
II - não possibilitar a inexecução contratual, à vista do
nível de capacidade técnica e econômico-financeira
do contratado;

209

24
9/23/2020

CONTRATOS
LIMITES PARA ALTERAÇÃO - TCU - ALTERAÇÃO QUALITATIVA

TCU - Decisão nº 215/1999-Plenário


III - decorrer de fatos supervenientes que impliquem em
dificuldades não previstas ou imprevisíveis por ocasião da
contratação inicial;
IV - não ocasionar a transfiguração do objeto originalmente
contratado em outro de natureza e propósito diversos;
V - ser necessárias à completa execução do objeto original
do contrato, à otimização do cronograma de execução e à
antecipação dos benefícios sociais e econômicos
decorrentes;

CONTRATOS
LIMITES PARA ALTERAÇÃO - TCU - ALTERAÇÃO QUALITATIVA

TCU - Decisão nº 215/1999-Plenário


VI – demonstrar-se – na motivação do ato que autorizar
o aditamento contratual que extrapole os limites legais
mencionados na alínea "a", supra – que as
conseqüências da outra alternativa (a rescisão
contratual, seguida de nova licitação e contratação)
importam sacrifício insuportável ao interesse público
primário (interesse coletivo) a ser atendido pela obra ou
serviço, ou seja gravíssimas a esse interesse; inclusive
quanto à sua urgência e emergência

210

25
9/23/2020

Acórdão 1302/2013-Plenário
Ao pactuar termos aditivos de prazo, a instituição
pública deve se certificar de que o atraso ocorreu
por ausência de culpa da contratada, por razões
alheias ao seu conhecimento no ato da firmatura do
acordo. Caso identificado que não houve fato
superveniente, estranho às condições contratuais
inicialmente avençadas, retardadores da execução
do objeto, deve estipular novo prazo para o
adimplemento do acordo, sem prejuízo das sanções
cabíveis no instrumento de contrato.

Acórdão 2714/2015-Plenário
O atraso na execução de obras públicas é ocorrência
de extrema gravidade, sendo cabível, quando a
Administração dá causa ao descumprimento dos
prazos, a apuração de responsabilidades dos
gestores. Nos atrasos advindos de incapacidade ou
mora da contratada, o órgão contratante tem o
dever de adotar as medidas cabíveis para aplicar as
multas contratuais e demais penalidades previstas
em lei.

211

26
9/23/2020

ADITIVOS
PREÇOS & CUSTOS

SERVIÇOS JÁ PREVISTOS SERVIÇOS NOVOS

OK Já existem Insumos novos


insumos no
original
Usar a técnica
CUIDADO COM JOGO DE Aproveitar nas orçamentária
PLANILHA composições

E o desconto
original fornecido
pela empresa na
licitação?

REAJUSTE, REPACTUAÇÃO
E RECOMPOSIÇÃO

212

27
9/23/2020

Acórdão 1.827/2008-Plenário
Reequilíbrio econômico é o reestabelecimento da relação
contratual inicialmente ajustada pelas partes, por conta da
ocorrência de álea extraordinária, superveniente ao originalmente
contratado. O reajuste de preços é a reposição da perda do poder
aquisitivo da moeda por meio do emprego de índices de preços
prefixados no contrato administrativo. A repactuação, referente
a contratos de serviços contínuos, ocorre a partir da variação dos
componentes dos custos do contrato, devendo ser demonstrada
analiticamente, de acordo com a Planilha de Custos e Formação de
Preços.

Acórdão 1.105/2008-Plenário
A diferença entre repactuação e reajuste é que este é automático e
realizado periodicamente, mediante aplicação de índice de preço
que, dentro do possível, deve refletir os custos setoriais. Enquanto
que naquela, de periodicidade anual, não há automatismo, pois é
necessário demonstrar a variação dos custos do serviço. Para que
ocorra a repactuação, com base na variação dos custos do serviço
contratado, deve ser observado o prazo mínimo de um ano,
mediante a demonstração analítica da variação dos componentes dos
custos, devidamente justificada, não sendo admissível repactuação
com base na variação do IGPM.

213

28
9/23/2020

Acórdão 1.431/2017-Plenário
Ainda que a Administração tenha aplicado o reajuste previsto no
contrato, justifica-se a aplicação da recomposição sempre que se
verificar a presença de seus pressupostos, uma vez que
o reajuste e a recomposição possuem fundamentos distintos.
O reajuste, previsto nos arts. 40, inciso XI, e 55, inciso III, da Lei
8.666/1993, visa remediar os efeitos da inflação. A
recomposição, prevista no art. 65, inciso II, alínea d, da Lei
8.666/1993, tem como fim manter equilibrada a relação jurídica
entre o particular e a Administração Pública quando houver
desequilíbrio advindo de fato imprevisível ou previsível com
consequências incalculáveis.

Acórdão 474/2005-Plenário
Enunciado
A interpretação sistemática do inciso XXI do art. 37 da
Constituição Federal, do art. 3º, § 1º, da Lei
10.192/2001 e do art. 40, inciso XI, da Lei 8.666/1993
indica que o marco inicial, a partir do qual se computa
o período de um ano para a aplicação de índices
de reajustamento previstos em edital, é a data da
apresentação da proposta ou a do orçamento a que a
proposta se referir, de acordo com o previsto no edital.

214

29
9/23/2020

Acórdão 19/2017-Plenário
Embora o gestor público possa adotar, discricionariamente,
dois marcos iniciais distintos para efeito
de reajustamento dos contratos, (i) a data limite para
apresentação das propostas ou (ii) a data do orçamento
estimativo da licitação, o segundo critério é o mais
adequado, pois reduz os problemas advindos de
orçamentos desatualizados em virtude do transcurso de
vários meses entre a data-base da estimativa de custos e a
data de abertura das propostas.

GARANTIA

215

30
9/23/2020

LEI 13.303
Art. 68. Os contratos de que trata esta Lei regulam-se pelas
suas cláusulas, pelo disposto nesta Lei e pelos preceitos de
direito privado.
Art. 69. São cláusulas necessárias nos contratos disciplinados
por esta Lei:
V - as garantias oferecidas para assegurar a plena execução do
objeto contratual, quando exigidas, observado o disposto no
art. 68;

LEI 13.303

Art. 70. Poderá ser exigida prestação de garantia nas


contratações de obras, serviços e compras.
§ 1º Caberá ao contratado optar por uma das seguintes
modalidades de garantia:
I - caução em dinheiro;
II - seguro-garantia;
III - fiança bancária.

216

31
9/23/2020

LEI 13.303
§ 2º A garantia a que se refere o caput não excederá a 5% (cinco por cento)
do valor do contrato e terá seu valor atualizado nas mesmas condições nele
estabelecidas, ressalvado o previsto no § 3º deste artigo.
§ 3º Para obras, serviços e fornecimentos de grande vulto envolvendo
complexidade técnica e riscos financeiros elevados, o limite de garantia
previsto no § 2º poderá ser elevado para até 10% (dez por cento) do valor
do contrato.
§ 4º A garantia prestada pelo contratado será liberada ou restituída após a
execução do contrato, devendo ser atualizada monetariamente na hipótese
do inciso I do § 1º deste artigo.

Acórdão 401/2008 - Plenário

Enunciado
É exigida a comprovação da prestação
da garantia contratual antes da celebração do respectivo
termo, em cumprimento ao art. 56 da Lei 8.666/1993.

217

32
9/23/2020

Acórdão 3.404/2010 - Plenário

O valor da garantia do contrato deve ser


atualizado, tanto na execução, quanto no
aditamento da avença.

Acórdão 374/2011 - Plenário

Pagamentos antecipados só devem ser admitidos


em contratos administrativos quando forem
imprescindíveis. Nesses casos, a instituição pública
contratante deve se cercar das cautelas
e garantias indispensáveis para evitar a ocorrência
de prejuízos.

218

33
9/23/2020

Acórdão 374/2011 - Plenário

Pagamentos antecipados só devem ser admitidos


em contratos administrativos quando forem
imprescindíveis. Nesses casos, a instituição pública
contratante deve se cercar das cautelas
e garantias indispensáveis para evitar a ocorrência
de prejuízos.

SANÇÕES

219

34
9/23/2020

LEI 13.303
Art. 83. Pela inexecução total ou parcial do contrato a empresa
pública ou a sociedade de economia mista poderá, garantida a
prévia defesa, aplicar ao contratado as seguintes sanções:
I - advertência;
II - multa, na forma prevista no instrumento convocatório ou
no contrato;
III - suspensão temporária de participação em licitação e
impedimento de contratar com a entidade sancionadora, por
prazo não superior a 2 (dois) anos.

LEI 13.303
Art. 84. As sanções previstas no inciso III do art. 83 poderão
também ser aplicadas às empresas ou aos profissionais que,
em razão dos contratos regidos por esta Lei:
I - tenham sofrido condenação definitiva por praticarem, por
meios dolosos, fraude fiscal no recolhimento de quaisquer
tributos;
II - tenham praticado atos ilícitos visando a frustrar os
objetivos da licitação;
III - demonstrem não possuir idoneidade para contratar com a
empresa pública ou a sociedade de economia mista em
virtude de atos ilícitos praticados.

220

35
9/23/2020

Acórdão 536/2011-Plenário

Devem ser previstas claramente no edital da licitação,


e no contrato decorrente, as situações que ensejarão
a aplicação de sanções e a respectiva gradação, de
acordo com o potencial de lesão que poderá advir de
cada conduta a ser apenada.

Acórdão 2916/2013-Plenário

O não cumprimento do contrato enseja


aplicação das sanções previstas à empresa
contratada, não se tratando de decisão
discricionária dos gestores.

221

36
9/23/2020

Acórdão 2079/2014-Plenário
Nos contratos de execução continuada ou parcelada,
o inadimplemento das obrigações fiscais da
contratada, incluindo a seguridade social, enseja,
além das penalidades legais, a rescisão do contrato e
a execução das garantias para ressarcimento de
valores e indenizações devidos à Administração,
sendo vedada a retenção de pagamento por serviço já
executado, ou fornecimento já entregue, sob pena de
enriquecimento sem causa da Administração.

Acórdão 2183/2019-Plenário

A penalidade de suspensão temporária de


participação em licitação e impedimento de
contratar com a Administração produz efeitos
ex nunc, não alcançando automaticamente os
contratos celebrados antes da aplicação da
sanção.

222

37
9/23/2020

Acórdão 269/2019-Plenário

O impedimento de participar de licitações em razão


do art. 38, inciso II, da Lei 13.303/2016 (Lei das
Estatais) se refere tão somente a sanções aplicadas
pela própria entidade, e não a sanções aplicadas por
outra empresa pública ou sociedade de economia
mista.

Acórdão 2345/2017-Plenário

O atraso injustificado na execução de obras


públicas é ocorrência de extrema gravidade, de
maneira que o órgão contratante tem o dever
de adotar as medidas cabíveis para aplicar as
multas contratuais e demais penalidades
previstas em lei nos atrasos advindos de
incapacidade ou mora da contratada.

223

38
9/23/2020

RECEBIMENTO

LEI 13.303
Art. 40. As empresas públicas e as sociedades de
economia mista deverão publicar e manter atualizado
regulamento interno de licitações e contratos,
compatível com o disposto nesta Lei, especialmente
quanto a:

IX - recebimento do objeto do contrato.

224

39
9/23/2020

LEI 8.666
Art. 73. Executado o contrato, o seu objeto será
recebido:
I - em se tratando de obras e serviços:
a) provisoriamente, pelo responsável por seu
acompanhamento e fiscalização, mediante termo
circunstanciado, assinado pelas partes em até 15
(quinze) dias da comunicação escrita do contratado;

LEI 8.666
b) definitivamente, por servidor ou comissão designada pela
autoridade competente, mediante termo circunstanciado, assinado
pelas partes, após o decurso do prazo de observação, ou vistoria que
comprove a adequação do objeto aos termos contratuais, observado
o disposto no art. 69 desta Lei; [...]
§ 2º O recebimento provisório ou definitivo não exclui a
responsabilidade civil pela solidez e segurança da obra ou do serviço,
nem ético-profissional pela perfeita execução do contrato, dentro
dos limites estabelecidos pela lei ou pelo contrato.
§ 3º O prazo a que se refere a alínea “b” do inciso I deste artigo não
poderá ser superior a 90 (noventa) dias, salvo em casos excepcionais,
devidamente justificados e previstos no edital.

225

40
9/23/2020

LEI 8.666
TCU – Acórdão nº 2.743/2015 – Plenário
9.1.22.3.1. o recebimento provisório, a cargo do fiscal que
acompanha a execução do contrato, baseie-se no que foi
observado ao longo do acompanhamento e fiscalização (art.
73, inciso I, alínea “a”, da Lei 8.666/1993);
9.1.22.3.2. o recebimento definitivo, a cargo de outro servidor
ou comissão responsável pelo recebimento definitivo, deve
basear-se na verificação do trabalho feito pelo fiscal e na
verificação de todos os outros aspectos do contrato que não a
execução do objeto propriamente dita (art. 73, inciso I, alínea
“b”, da Lei 8.666/1993);

LEI 8.666

TCU – Acórdão nº 8.106/2014 - Primeira Câmara


Constitui irregularidade grave
o recebimento da obra por quem não reúna condições
técnicas para fazê-lo, ensejando a aplicação da
penalidade prevista no art. 58, inciso II, da Lei
8.443/1992.

226

41
9/23/2020

LEI 8.666

TCU – Acórdão nº 1.238/2013 - Plenário

O instituto do recebimento provisório não faculta ao


gestor o recebimento da obra com pendências a
serem regularizadas pela construtora, procedimento
que infringe o art. 73, inciso I, da Lei 8.666/1993.

TCU – Acórdão nº 716/2012 –


Segunda Câmara

A assinatura de Termo de Aceitação de Obra e


de declaração de sua conclusão sem que ela
esteja efetivamente terminada configura má-fé
dos responsáveis.

227

42
9/23/2020

CONTRATAÇÕES DE SERVIÇOS
DE ENGENHARIA
FISCALIZAÇÃO, CONSULTORIA E
SUPERVISÃO DE OBRAS

Cláudio Sarian Altounian

Cuidados iniciais

228

1
9/23/2020

SUBSTITUIÇÃO DE RESPONSÁVEL TÉCNICO

Art. 30, § 10, 8.666. Os profissionais indicados pelo


licitante para fins de comprovação da capacitação
técnico-profissional de que trata o inciso I do § 1o
deste artigo deverão participar da obra ou serviço
objeto da licitação, admitindo-se a substituição por
profissionais de experiência equivalente ou superior,
desde que aprovada pela administração

TCU - Acórdão nº 3.395/2015 - Plenário


Enunciado
São considerados serviços comuns, tornando
viável a utilização do pregão para sua
contratação, os serviços de gerenciamento de
obras, desde que possuam padrões de
desempenho e qualidade que possam ser
objetivamente definidos no edital de licitação,
por meio de especificações usuais no mercado.

229

2
9/23/2020

Acórdão nº 508/2018 – Plenário


Enunciado
Em contratações de serviços de supervisão, fiscalização ou
gerenciamento de obras, a Administração deve evitar a previsão
de pagamentos por homem-hora (ou homem-mês) ou
relacionados à mera permanência de mão de obra ou
disponibilização de equipamentos. Os pagamentos nesses casos
devem estar estritamente atrelados a produtos entregues ou
resultados alcançados, os quais devem ser previamente
definidos em bases compreensíveis, tangíveis, objetivamente
observáveis e comprováveis, com níveis esperados de qualidade
da prestação do serviço e respectivas adequações de pagamento

Detalhamento do objeto a ser contratado

230

3
9/23/2020

TCU - Acórdão nº 2.885/2008 - Plenário


9.1.2. quando da contratação de serviços de consultoria de
obras, mediante licitação tipo técnica e preço, por se tratar de
serviços técnicos especializados, faça constar dos editais de
licitação a exigência de apresentação de propostas pelas
participantes contendo a descrição detalhada de todas as
atividades oferecidas, correlacionando os produtos e/ou
resultados esperados às atividades de cada profissional colocado
à disposição do (...), com o objetivo de distinguir as atividades
das participantes daquelas típicas do departamento e de outras
similares e/ou complementares que, por ventura, venham a ser
licitadas no âmbito das mesmas obras, de modo a propiciar o
adequado controle da execução dos contratos por parte do (...);

SALÁRIOS PAGOS A MAIOR


EDITAL E CONTRATO

231

4
9/23/2020

Pergunta?

Os salários dos empregados da empresa


projetista ou supervisora registrados em sua
proposta podem ser pagos em valores menores
a seus empregados durante a execução
contratual?

TCU - Acórdão nº 2.784/2012 - Plenário


Em rápido resumo da decisão recorrida, o Tribunal decidiu
determinar à Secretaria dos Portos da Presidência da República
que, no âmbito do contrato de supervisão e apoio à fiscalização
da obra (AQ-96/2003-00), fossem realizadas retenções e
alterações contratuais. O motivo de tais determinações foram
pagamentos irregulares concernentes:
a) a salários pagos à mão de obra em patamares inferiores ao
declarado na proposta de preços da contratada, sem a necessária
revisão contratual;

232

5
9/23/2020

TCU - Acórdão nº 2.784/2012 - Plenário


Como disse, não avalio que, no presente caso, exista fundamento
jurídico para reter a diferença entre os valores declarados pela
contratada e os efetivamente despendidos aos funcionários.
O particular carece de certa previsibilidade no ordenamento
jurídico vigente; precisa conhecer as “regras do jogo”, antes de
seu início, para que, em um ambiente de estabilidade, possa
estimar as consequências de seus atos; e daí firmar os termos de
seus contratos, com exata ciência dos riscos associados à oferta
do preço. São condições primeiras para a decisão de contratar.
Eis que se evidencia o princípio da segurança jurídica.

TCU - Acórdão nº 2.784/2012 - Plenário


Acredito que tal possibilidade – de exigir a identidade de salários
pagos, de acordo com a proposta – deveria estar explícita, sem
qualquer nuvem de dúvida, já no instrumento convocatório. Tal
possibilidade, de cuja legalidade defenderei adiante, seria
condição para manutenção do item 9.1.2 recorrido.
Nesse sentido, a linha defendida pelo digno Ministério Púbico,
como também do insigne revisor, é que, pactuados preços nos
patamares de mercado, não há que se falar em retenção.
Na ausência de cláusula dispositiva no instrumento convocatório,
concordo com o entendimento.

233

6
9/23/2020

TCU - Acórdão nº 2.784/2012 - Plenário

Voltando às particularidades das contratações realizadas por


postos de trabalho, caso não previsto no contrato, realmente
entendo não se fazer possível a devolução da diferença de
salários reais e declarados. Externo minha convicção, contudo,
de que a inclusão de cláusula nos editais que estipulem tal
exigência - para contratações medidas por homem/hora, repito -,
tanto se faz possível juridicamente, quanto, nesse tipo de ajuste,
é a opção que melhor atende ao interesse público.

DIMENSIONAMENTO DA EQUIPE TÉCNICA


EDITAL E CONTRATO

234

7
9/23/2020

Pergunta
O dimensionamento da equipe de
fiscalização definido pela Administração
em seu orçamento-base deve ser
cumprido pela empresa contratada ou
pode ser reduzido desde que garantida a
qualidade dos serviços?

TCU - Acórdão nº 2.784/2012 - Plenário


Outro ponto que desejo clarificar é sobre o argumento de se tratar,
na realidade, de um contrato por resultado, não de meio. As
empresas supervisoras deveriam entregar relatórios e avaliações
periódicas, não propriamente a presença dos profissionais na
canteiro de obras, como uma "locação de mão de obra".
Ocorre que, nesses tipos de contrato, muito do objeto da
contratação depende da efetiva presença da fiscalização na frente
de serviço. A obra a ser executada carece dos "olhos" da
Administração para afiançar a sua execução com qualidade e de
acordo com a boa técnica. Um engenheiro e um técnico não têm a
mesma capacidade fiscalizatória que três engenheiros e três
técnicos.

235

8
9/23/2020

TCU - Acórdão nº 2.784/2012 - Plenário


Logo, se o orçamento estimativo prevê três engenheiros e três
técnicos, pode-se contestar a admissão de que a contratada
exerça suas funções com número menor de profissionais, mesmo
apresentando todos os relatórios e pareceres – teoricamente,
objeto do contrato.
É nesse ponto que – pelo menos em parte – esses contratos de
supervisão se aproximam muito da locação de mão de obra. Se o
órgão tivesse à disposição funcionários para essa presença
fiscalizatória, eventualmente não careceria de contratar esse
apoio com base no art. 67 da Lei de Licitações.

CONTRATOS
PRAZOS

236

9
9/23/2020

Pergunta
A fiscalização de obras é contrato de serviço contínuo
ou por escopo? Como definir o prazo de duração
desses contratos? Estão vinculados à duração da obra?
Se existirem atrasos e até suspensão da execução da
obra, quais os impactos no contrato de fiscalização da
obra quanto a valores e prazos?

TCU - Acórdão nº 1840/2009 - Plenário

Enunciado
A Administração deve incluir nos contratos
de supervisão cláusula que preveja a diminuição ou a
supressão da remuneração da contratada, nos casos,
ainda que imprevistos, de enfraquecimento do ritmo das
obras ou de paralisação total, respectivamente.

237

10
9/23/2020

TCU - Acórdão nº 508/2018 - Plenário


Faço ainda outras ponderações para demonstrar a inadequação do
entendimento adotado pela Decisão 90/2001-1ª Câmara ao conceder
tratamento análogo às prorrogações de prazo dos contratos de
supervisão com os contratos de caráter continuado.
Ambos os tipos de ajuste têm notáveis diferenças. Nos chamados
contratos por escopo, nos quais o objeto consiste na obtenção de um
bem ou na construção de uma obra, o prazo de execução só seria extinto
quando o objeto fosse definitivamente entregue à administração e as
demais obrigações fixadas no ajuste fossem plenamente satisfeitas, de
modo que, inexistindo motivos para rescisão ou anulação, a extinção
desse tipo de ajuste somente se operaria com a conclusão do objeto e
com o seu recebimento definitivo pela administração, ...

TCU - Acórdão nº 508/2018 - Plenário


diferentemente do que ocorreria nas avenças por tempo
determinado, em que o objeto consistiria na prestação de
serviços contínuos, nos quais o prazo constituiria elemento
essencial e imprescindível para a consecução ou a eficácia do
objeto avençado.
Assim, nos contratos de escopo, tal como o que se examina, o
prazo é apenas limitativo do cronograma físico, e, nas hipóteses
da lei, poderia ser prorrogado (com ou sem mora das partes)
para a conclusão do seu objeto. Porém, tais prorrogações não
podem ocasionar a extrapolação do limite legal de aditamento
no valor do contrato.

238

11
9/23/2020

TCU - Acórdão nº 508/2018 - Plenário


Enunciado
Em contratação de serviços de supervisão, fiscalização
ou gerenciamento de obras, deverá constar cláusula
contratual ou elemento na matriz de riscos prevista no
art. 42, inciso X, da Lei 13.303/2016 que preveja a
diminuição ou supressão da remuneração da contratada,
nos casos, ainda que imprevistos, de enfraquecimento
do ritmo das obras ou de paralisação total, de forma a se
manter o equilíbrio econômico-financeiro dos referidos
contratos durante todo o período de execução do
empreendimento.

CONSULTORIA

239

12
9/23/2020

TCU – Acórdão 2215/2012-Plenário

A natureza dos serviços de engenharia consultiva


pode afastar a vinculação entre os valores dos
salários indicados nas propostas das licitantes, os
quais passaram a constar do contrato, e os
efetivamente pagos aos seus trabalhadores.

TCU – Acórdão 2369/2006-Plenário

Na execução de contrato de serviços de consultoria


devem ser estabelecidos mecanismos de medição
que permitam acompanhar e aferir o trabalho
efetivamente realizado, de forma a garantir
compatibilidade e proporcionalidade entre
execução dos serviços e os respectivos
pagamentos.

240

13
9/23/2020

TCU – Acórdão 2885/2008-Plenário

A Administração deve fiscalizar efetivamente o


cumprimento de todas as obrigações previstas nos
contratos de consultoria, e, em especial, exigir dos
contratados que façam constar de seus relatórios
periódicos as relações das atividades exercidas no
período de referência por cada profissional
colocado à disposição da contratante.

TCU – Acórdão 2326/2008-Plenário

A contratação de consultores para execução de


serviços de competência exclusiva da
Administração deve ser evitada. Em caso de
impossibilidade de as tarefas inerentes às
atividades finalísticas da instituição contratante
serem executadas por servidores de seus quadros,
o processo licitatório deve conter as devidas
justificativas.

241

14
9/23/2020

TCU – Acórdão 11150/2011-Segunda Câmara

Serviços de consultoria não são contínuos e, por


isso, não podem ser prorrogados sob o
fundamento do art. 57, II, da Lei 8.666/1993.

SUPERVISÃO

242

15
9/23/2020

TCU – Acórdão nº 1.930/2006 –


Plenário
1. Em obras públicas financiadas com recursos
federais, deve-se programar adequadamente as
atividades de licitação e contratação, assegurando
que os serviços de supervisão, quando
necessários, sejam iniciados em fase contratual
que determinou a necessidade dos serviços, de
modo a não colocar em risco a qualidade dos
serviços fiscalizados nem a correção das medições
efetuadas.

Acórdão 508/2018-Plenário

Em contratação de serviços de supervisão, fiscalização ou


gerenciamento de obras, deverá constar cláusula
contratual ou elemento na matriz de riscos prevista no art.
42, inciso X, da Lei 13.303/2016 que preveja a diminuição
ou supressão da remuneração da contratada, nos casos,
ainda que imprevistos, de enfraquecimento do ritmo das
obras ou de paralisação total, de forma a se manter o
equilíbrio econômico-financeiro dos referidos contratos
durante todo o período de execução do empreendimento.

243

16
9/23/2020

Acórdão 1989/2013-Plenário

O início de obra pública sem a contratação de empresa


supervisora para subsidiar o acompanhamento e a
fiscalização da execução contratual, nos casos em que
a complexidade e a importância do empreendimento o
exijam, afronta o art. 67 da Lei 8.666/1993 e enseja a
responsabilização do gestor omisso por eventuais
irregularidades verificadas no contrato.

Acórdão 3341/2012-Plenário

Os serviços de supervisão de obras devem, em regra,


ser licitados na modalidade pregão, uma vez que seus
padrões de desempenho e qualidade podem ser, na
maioria das vezes, objetivamente definidos por meio
de especificações usuais no mercado.

244

17
9/23/2020

Acórdão 1470/2007-Plenário

Quando da formalização de contratos de supervisão e


acompanhamento, a Administração deve estabelecer
prazos contratuais compatíveis com a duração das
obras a serem fiscalizadas, previstas nos respectivos
contratos de construção.

Acórdão 958/2018-Plenário
O limite legal de aditamento deve ser observado nos
contratos de supervisão de obras, inclusive em virtude
de prorrogações de prazo ocasionadas pelo atraso no
andamento dos contratos de execução. Acréscimo
superior a 25% do valor original infringe o art. 65, §
1º, da Lei 8.666/1993, limite igualmente previsto no
art. 81, § 1º, da Lei 13.303/2016, aplicável às
contratações realizadas pelas empresas públicas e
sociedades de economia mista.

245

18
9/23/2020

Acórdão 1081/2015-Segunda Câmara


No caso de contratação de empresa para supervisão
de obras, os apontamentos elaborados pela
supervisora possuem presunção relativa de
veracidade, só podendo ser desconsiderados pela
entidade contratante se houver justificativa plausível
para tanto, mesmo cabendo a esta última a
elaboração dos Boletins de Medição dos serviços
prestados e a autorização dos correspondentes
pagamentos.

PROJETO

246

19
9/23/2020

Acórdão 2746/2013-Plenário

Na contratação de obras e serviços, inexiste direito


subjetivo do autor de projeto básico em ser
contratado diretamente pela Administração para
supervisionar, elaborar projeto executivo, acompanhar
a execução ou prestar consultoria técnica.

Acórdão 3086/2008-Plenário

Não é admissível que empresa projetista contratada


para elaborar orçamento de obra pública deixe de
detalhar serviços perfeitamente quantificáveis, a
exemplo de peças pré-moldadas em concreto, optando
por orçá-los por unidade genérica denominada
"verba".

247

20
9/23/2020

Acórdão 301/2018-Plenário

O fato de o orçamento estimativo da licitação ter sido


elaborado por empresa projetista não elide, por si só,
a responsabilidade do agente público a quem coube a
sua aprovação, porquanto a aprovação do projeto não
pode ser considerada um ato meramente formal ou
chancelatório.

Acórdão 917/2017-Plenário

A aprovação de projeto básico que não atenda ao


disposto no art. 6º, inciso IX, e no art. 12 da Lei
8.666/1993 pode ensejar a responsabilização do
projetista e dos pareceristas que endossaram o
projeto.

248

21
SUPER

www.supercia.com.br
Fone: 0800 724 7720
SUPER

www.supercia.com.br
Fone: 0800 724 7720
SUPER

www.supercia.com.br
Fone: 0800 724 7720
SUPER

www.supercia.com.br
Fone: 0800 724 7720
SUPER

www.supercia.com.br
Fone: 0800 724 7720
SUPER

www.supercia.com.br
Fone: 0800 724 7720
SUPER

www.supercia.com.br
Fone: 0800 724 7720
SUPER

www.supercia.com.br
Fone: 0800 724 7720
SUPER

www.supercia.com.br
Fone: 0800 724 7720
SUPER

www.supercia.com.br
Fone: 0800 724 7720