Você está na página 1de 24

Minicurso: uma discussão sobre História Política e

seus métodos

Igor Marconi
Apresentação

Conteúdo programático:
- A história política: do perfume Lainglois-Seignobos ao “Por
uma história política”;
- As temporalidades e as mentalidades na história política: a
influência dos estudos culturais;
- Possibilidades de investigação: a condição do campo político;
- Conceito e abordagens: a cultura política;
- A cultura política no Brasil: especificidades do conceito.

2
Apresentação

Especialista em História das Revoluções e Movimentos Sociais


pela UEM – 2017-2019.
Mestrando da linha História Política pela UEM – 2018-2020.
Pesquisa atual: Exército Zapatista de Libertação Nacional,
México, Chiapas. Recorte do ano de 1994.
Projeto: memória e resistência no arquivo histórico do
movimento social.
Fontes: arquivo histórico do EZLN.

3
A História Política: do perfume Lainglois-Seignobos
ao “Por uma história política”
A História Política

- A história política tradicional.


- A escola metódica, dita positivista.
- Na França, os Annales.
- Antecedentes.

5
A História Política

“A história política é psicológica e ignora os condicionamentos; é elitista,


talvez bibliográfica, e ignora a sociedade global e as massas que a
compõem; é qualitativa e ignora as séries; o seu objetivo é particular e,
portanto, ignora a comparação; é narrativa, e ignora as análises; é idealista
e ignora o material; é ideológica e não tem consciência de sê-lo; é parcial e
não o sabe; prende-se ao consciente e ignora o inconsciente; visa os pontos
precisos, e ignora o longo prazo; em uma palavra, uma vez que essa
palavra tudo resume na linguagem dos historiadores, é uma história
factual”.

JULLIARD, Jacques. A Política. In: LE GOFF, Jacques; NORA, Pierre (orgs.). História: novas abordagens. Rio de Janeiro: F.
Alves, 1976. p. 180-196.

6
A História Política

- O que é a renovação da História Política.


- Radicais e moderados – Francisco Falcon.
- Interações entre política e cultura.

7
A História Política

“Cada vez menos pesquisadores acham que infra-estruturas governam


superestruturas, e a maioria prefere discernir uma diversidade de setores –
o cultural, o econômico, o social, o político – que se influenciam mútua e
desigualmente segundo as conjunturas, guardando ao mesmo tempo cada
um sua vida autônoma e seus dinamismos próprios”
RÉMOND, René. Por uma história política. 2ª ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2003, p. 10.

8
As temporalidades e as mentalidades na história
política: a influência dos estudos culturais.
As temporalidades e as mentalidades na História
Política

- Os Estudos Culturais na Inglaterra.


- Perspectivas antecedentes.
- Temporalidades.
- Mentalidades.
- O distanciamento do factual.

10
Possibilidades de investigação: a condição do
campo político.
Possibilidades de investigação

“Para que um campo funcione, é preciso que haja objetos de disputas e


pessoas prontas para disputar o jogo, dotadas de habitus que impliquem no
conhecimento e no reconhecimento das leis imanentes do jogo, dos objetos
de disputas, etc.”
BOURDIEU, Pierre. O campo político. Revista Brasileira de Ciência Política. Brasília, n. 5, p. 193-216, 2011.

12
Possibilidades de investigação

- Conceito de campo político.


- Antigos objetos, novas abordagens.
- Novos objetos, quais abordagens?
- Cultura e opinião pública.
- O papel da difusão, da propaganda política e das comunicações
- Análises de matizes políticas.

13
Conceito e abordagens: a cultura política
Conceito e abordagens

- Cultura política na Ciência Política estadunidense.


- Cultura política de nações, geopolítica e Guerra Fria.
- Cultura política na História: tempo e mentalidade.

15
Conceito e abordagens

“um grupo de representações, portadoras de normas e valores, que


constituem a identidade das grandes famílias políticas e que vão muito
além da noção reducionista de partido político. Pode-se concebê-la como
uma visão global do mundo e de sua evolução, do lugar que aí ocupa o
homem e, também, da própria natureza dos problemas relativos ao poder,
visão que é partilhada por um grupo importante da sociedade num dado
país e num dado momento de sua história. Jean-François Sirinelli (1992)
propôs considerá-la ‘uma espécie de código e (...) um conjunto de
referências, formalizados no seio de um partido ou mais largamente
difundidos no seio de uma família ou de uma tradição política”.
BERSTEIN, Serge. Culturas políticas e historiografia. In: AZEVEDO, Cecília [et. al.] (orgs.). Cultura política, memória e
historiografia. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009. p. 29-101

16
Conceito e abordagens

- O conceito de cultura.
- Cultura política e política cultural: diferenciações.
- Cultura política no plural.
- Desenvolvimento e transformações da cultura política.
- Difusão por essência.

17
Conceito e abordagens

“Considerar que é de alguma forma natural que o operário deva lutar


contra o patrão se refere claramente ao princípio marxista da luta de
classes; sustentar que toda regulamentação proveniente do Estado é nociva
e liberticida é uma maneira de exprimir o liberalismo; julgar que o ensino
do catecismo é um vetor de propagação do obscurantismo e um obstáculo
à difusão do progresso nas sociedades traduz a visão do racionalismo
positivista, sem que aqueles que formulam tais julgamentos tenham
necessariamente consciência de que são portadores das concepções globais
da sociedade reclamadas por essas doutrinas”.
BERSTEIN, Serge. Culturas políticas e historiografia. In: AZEVEDO, Cecília [et. al.] (orgs.). Cultura política, memória e
historiografia. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009. p. 29-46.

18
A cultura política no Brasil: especificidades do
conceito
A cultura política no Brasil

- Aspectos da cultura política brasileira.


- Ditadura, conciliação e acomodação nas universidades.
- Lembrando: ingerência dos aspectos culturais na política.
- Mitos e tradições políticas no Brasil.
- Analisando o trabalhismo.

20
A cultura política no Brasil

“Cultura política não é panaceia, não explica tudo e não oferece saídas
analíticas fáceis para lidar com problemas complexos. Entretanto, é
relevante para entender comportamentos políticos e o peso de relações
estruturais, constituindo categoria útil para os pesquisadores da história
recente. As tradições preexistentes impactam as escolhas políticas e
impõem certos limites aos agentes. Ainda assim, estes sempre fazem
escolhas, portanto, a cultura política não é uma camisa de força. Metáfora
melhor seria comparar cultura política a uma moldura, ou a um trilho”.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. Cultura política e ditadura: um debate teórico e historiográfico. Tempo e Argumento,
Florianópolis, v. 10, n. 23, p. 109‐137, jan./mar. 2018.

21
Considerações finais
Considerações finais

- Relatos de uma experiência com a cultura política.


- Bibliografia.
- Drive:
https://drive.google.com/drive/folders/1yezDiQHqujrurYTFIbnQ
G4WafLpm__Uh?usp=sharing
- E-mail: igormarconi66@hotmail.com
- Atividade e certificação.

23
Atividade

A partir da leitura dos textos de Serge Berstein e Rodrigo Patto Sá Motta,


explique o conceito de cultura política e sua aplicabilidade à história
política.

- A atividade deve ser enviada para o endereço disponibilizado no site do


evento.
- No mínimo 8 e no máximo 35 linhas.

24