Você está na página 1de 20

Na ponta da língua!

Professor Elias Santana


Episódio 6
3ª temporada
Todas as funções do QUE
Pronome

Conjunção

Preposição

QUE Advérbio

Substantivo

Interjeição

Partícula
expletiva
1. Quê! Quantos milhões foram roubados?

2. A comida caseira tem um quê de maternal.

3. Que triste foi o fim de vida daquele senhor.

4. Ele tinha que falar a verdade em frente ao juiz.


5. Que lojas estão mesmo em promoção?

6. A loja que está em promoção permanece lotada!

7. Ele disse o que durante a reunião?

8. Foi publicado o que ele disse?


8. Ele disse que a aprovação é garantida!

9. Tenha fé em Deus, que ele é justo!

10. Ele estudou tanto que aprendeu a matéria rapidamente.

11. Seu concorrente não pode ser mais esforçado que você.
12. Qual que é o seu nome?

13. O GG é que faz a abertura dos eventos.


QUE
Partícula
Pronome Conjunção Preposição Advérbio Substantivo Interjeição
Expletiva
(CFS) (SFS) (SFS) (CFS) (CFS) (SFS)
(SFS)

Sempre com
Acidental Sempre com
Subordinativa acento e
Relativo Interrogativo Integrante Coordenativa Intensidade determinante
adverbial (em LV) ponto de
e acento.
exclamação
É tão especial a entrevista clínica que ela tem nome diferente –
anamnese.

O elemento linguístico em destaque desempenha papel de

a) conjunção e se associa à relação semântica de explicação.


b) conjunção e se associa à relação semântica de consequência.
c) pronome relativo e articula oração adjetiva explicativa.
d) pronome relativo e articula oração adjetiva restritiva.
“Estudar é semelhante ao trabalho de um detetive que investiga um
determinado assunto. O bom detetive é aquele que considera o maior
número de hipóteses e escolhe aquelas que julgar mais convincentes.
Para fazer isso, ao contrário do que se pode pensar, é importante ter
dúvidas. Todos têm dúvidas. Do mais importante cientista ao mais
humilde trabalhador.
O que faz um trabalho de investigação ser bom é a capacidade de
organizar essas dúvidas e tentar solucionar o maior número delas”.
Nesse segmento do texto 3 há cinco ocorrências do vocábulo QUE, que
se encontram sublinhadas.

Sobre essas ocorrências, é correto afirmar que:

a) pertencem a duas classes gramaticais diferentes;


b) relacionam-se a vocábulos anteriores de valor substantivo;
c) exemplificam casos de anáfora e de catáfora;
d) substituem palavras ou orações anteriores;
e) introduzem segmentos de valor adjetivo ou adverbial.
A pesquisa ainda sugere que trabalhar muitas horas aumenta o risco de
beber excessivamente, fato que (1) gera também um custo econômico:
mais de 5 bilhões de libras por ano. Não é de se admirar que (2)
especialistas em saúde pública estejam entre as pessoas que (3)
sugerem que (4) uma semana de quatro dias de trabalho pode
melhorar a saúde de um país. Enquanto alguns trabalham demais, com
consequências prejudiciais à saúde e à vida familiar, há milhões, ou
talvez bilhões de desempregados e trabalhadores em “subempregos”
que (5) estão à procura de mais horas.
Assinale a alternativa correta a respeito das ocorrências da palavra QUE
no texto.

a) A palavra QUE(1) é uma conjunção explicativa.


b) A palavra QUE (nas duas ocorrências – 2 e 3) é um pronome
relativo.
c) A ocorrência da palavra QUE (3) não é um pronome relativo.
d) A palavra QUE (4) é uma conjunção integrante.
e) A palavra QUE (5) é uma conjunção integrante.
“Eles dançavam bem. Mas havia uma negra moça que dançava melhor que os outros.”

A respeito do trecho acima, quanto aos aspectos gramatical, sintático e semântico, analise
as afirmativas a seguir.

I. A forma verbal HAVIA, mesmo que a oração a que pertence fosse flexionada no plural,
permaneceria no singular.
II. A segunda ocorrência do QUE é uma conjunção integrante.
III. A conjunção MAS poderia ser substituída, sem alteração do sentido original, por
CONTUDO.

Está correto apenas o que se afirma em:

a) II. b) I e II. c) III. d) I e III. e) II e III.


“Eles dançavam bem. Mas havia uma negra moça que dançava melhor que os outros.”

A respeito do trecho acima, quanto aos aspectos gramatical, sintático e semântico, analise
as afirmativas a seguir.

I. A forma verbal HAVIA, mesmo que a oração a que pertence fosse flexionada no plural,
permaneceria no singular.
II. A segunda ocorrência do QUE é uma conjunção integrante.
III. A conjunção MAS poderia ser substituída, sem alteração do sentido original, por
CONTUDO.

Está correto apenas o que se afirma em:

a) II. b) I e II. c) III. d) I e III. e) II e III.


“Que rapaz estudioso era José!” Qual a função da partícula ‘que’ na
oração?

a) Preposição.
b) Partícula expletiva.
c) Advérbio de modo.
d) Advérbio de intensidade.
No trecho "Que Deus nos ajude!", a palavra "que" classifica-se como:

a) Advérbio.
b) Pronome interrogativo.
c) Conjunção integrante.
d) Pronome relativo.
e) Partícula expletiva.
O que irrita, no Brasil, é que governantes e lobbies são rápidos para estender
a conta ao cidadão, mas muito lentos, para não dizer abúlicos, em fazer a sua
parte. (L.39‐43)

No período acima, as ocorrências da palavra QUE classificam‐ se,


respectivamente, como

a) conjunção integrante e conjunção integrante.


b) conjunção integrante e pronome relativo.
c) pronome relativo e partícula expletiva.
d) pronome relativo e conjunção integrante.
e) pronome indefinido e partícula expletiva.
Assinale a alternativa que contenha, correta e respectivamente, a
classificação morfológica de "que", em "Que farão comigo?" e "Terá
que pagar cinco cruzados".

a) Conjunção e conjunção.
b) Pronome e conjunção.
c) Preposição e pronome.
d) Pronome e preposição.
e) Advérbio e pronome.