Você está na página 1de 4

Gabarito da Prova de Reposição de Mecânica dos Fluidos –

PLSE 2020.5

Questão 1 (Valor: 2,5 pontos) – Água a 15oC (𝜌 = 991,3 Kg/m3 e 𝜇 = 1,138 *


10-3 Kg/m.s) escoa em regime permanente em um tubo horizontal de aço inox
com 5 cm de diâmetro e 150 m de comprimento a uma vazão de 10 L/s.
Determine:

a) Velocidade do fluido;
𝑄 4𝑄 4 ∗ 10 ∗ 10−3
𝑉= = = = 5,09 𝑚/𝑠
𝐴 𝜋𝐷2 𝜋 ∗ 0,052
b) O fator de atrito correspondente a esse escoamento;
𝜌𝑉𝐷 991,3 ∗ 5,09 ∗ 0,05
𝑅𝑒 = = = 2,2 ∗ 105
𝜇 1,138 ∗ 10−3
𝑒 0,046
= = 0,00092
𝐷 50
Escoamento turbulento, então no diagrama de Moody, temos f = 0,021
c) A perda de carga;
A perda de carga será igual a perda de carga por comprimento, pois, não
existem perdas localizadas, assim:
𝐿 𝑉2 150 5,092 𝑚2
ℎ𝐿𝑇 = 𝑓 = 0,021 = 816,1 2
𝐷 2 0,05 2 𝑠
d) O requisito mínimo de bombeamento necessário para superar essa queda
de pressão.
O requisito de bombeamento em watts pode ser calculado multiplicando
a perda de carga pela densidade e vazão mássica:
∆ℎ𝑏𝑜𝑚𝑏𝑎 = ℎ𝐿𝑇 𝜌𝑄 = 816,1 ∗ 991.3 ∗ 10 ∗ 10−3 = 8090 𝑊

Questão 2 (Valor: 3,0 pontos) – A densidade relativa de um fluido manométrico


utilizado no dispositivo mostrado na figura abaixo é igual a 1,07. Determine a
vazão volumétrica Q do ar que escoa na condição padrão através do dispositivo,
admitindo que o escoamento seja invíscido e incompressível. Considere a massa
específica do ar como sendo 1,2 Kg/m3.
𝑃1 𝑉12 𝑃2 𝑉22
+ + 𝑔𝑧1 = + + 𝑔𝑧2 , onde Z1=Z2 e V2 = 0, então, isolando
𝜌 2 𝜌 2
V1, temos:

𝑃2 − 𝑃1
𝑉1 = √2
𝜌

Usando a equação manométrica, temos:


𝑃2 + 𝜌𝑎𝑟 𝑔0,08 − 𝜌𝑚 𝑔0,02 − 𝜌𝑎𝑟 𝑔0,06 = 𝑃1
𝑃2 − 𝑃1 = 𝜌𝑚 𝑔0,02 − 𝜌𝑎𝑟 𝑔0,02 = (1070 − 1,2) ∗ 10 ∗ 0,02 = 213,8 𝑃𝑎

𝑃2 − 𝑃1 213,8
𝑉1 = √2 = √2 = 18,9 𝑚/𝑠
𝜌 1,2

𝜋𝐷2 18,9 ∗ 𝜋 ∗ 0,092


𝑄 = 𝑉𝐴 = 𝑉 = = 0,12 𝑚3 /𝑠
4 4

Questão 3 (Valor: 2,0 pontos) – A vazão, Q, de xarope de milho no tubo


horizontal mostrado na figura abaixo é monitorada pela diferença entre as
pressões nas seções (1) e (2). É proposto que 𝑄 = 𝐾∆𝑃, onde a constante de
calibração, é uma função da temperatura, T (lembre que a viscosidade e a massa
específica variam com a temperatura – veja os dados da tabela abaixo).
Determine a queda de pressão para uma vazão 𝑄 = 0,0142 𝑚3 /𝑠 e T = 35oC,
sabendo que a distância entre as tomadas de pressão é de 1,83 m e que a
tubulação tem diâmetro interno de 76 mm.
Tabela dos valores de densidade e viscosidade do xarope de milho

Primeiro verificamos se o escoamento é laminar


4𝜌𝑄 4 ∗ 1057 ∗ 0,0142
𝑅𝑒 = = = 1381,6 < 2100. 𝐸𝑠𝑐𝑜𝑎𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜 𝑙𝑎𝑚𝑖𝑛𝑎𝑟
𝜋𝐷𝜇 𝜋 ∗ 0,076 ∗ 1,82 ∗ 10−1
128𝜇𝑄𝐿 128 ∗ 1,82 ∗ 10−1 ∗ 0,0142 ∗ 1,83
∆𝑃 = = = 5775,86 𝑃𝑎
𝜋𝐷4 𝜋 ∗ 0,0764

Questão 4 (Valor: 2,5 pontos) – Água sai de um bocal à pressão atmosférica


de 101 kPa. Se a velocidade V2 = 8 m/s e o atrito é desprezado, determine a
pressão manométrica na seção 1 qual é a força axial no flange, necessária para
manter o bocal fixado ao tubo.
Primeiro, calculamos V1:
𝜋𝐷12 𝜋𝐷22
𝑉1 = 𝑉2
4 4
𝑉1 𝐷12 = 𝑉2 𝐷22
𝑉1 ∗ 72 = 8 ∗ 42
𝑉1 = 2,6 𝑚/𝑠
Usando Bernoulli, considerando, Z1 = Z2 e pressão atmosférica em 2, temos:

𝜌𝑉22 𝜌𝑉12 1000 ∗ 82 1000 ∗ 2,62


𝑃1 = − = − = 28620 𝑃𝑎
2 2 2 2
Usando a conservação do momento
𝜕
𝐹𝑆 + 𝐹𝐵 = ∫ 𝑉 → 𝜌𝑑𝑉 + ∫ 𝑉 → 𝜌𝑉 → . 𝑑𝐴→
𝜕𝑡

𝐹𝑆 = ∫ 𝑉 → 𝜌𝑉 → . 𝑑𝐴→ = 0

𝑅𝑋 + 𝑃1 𝐴1 = ∫ 𝑉1→ 𝜌𝑉1→ . 𝑑𝐴1→ + ∫ 𝑉2→ 𝜌𝑉2→ . 𝑑𝐴→


2

𝑅𝑋 = −𝑉1 𝜌1 𝑉1 𝐴1 + 𝑉2 𝜌2 𝑉2 𝐴2 − 𝑃1 𝐴1

2
𝜋 ∗ 0,072 2
𝜋 ∗ 0,042
𝑅𝑥 = −1000 ∗ 2,6 ∗ + 1000 ∗ 8 ∗ − 28620
4 4
𝜋 ∗ 0,072

4
𝑅𝑥 = −55,73 𝑁