Você está na página 1de 272

Proteção de redes elétricas

Sepam série 80
Medições e proteções

Manual de utilização
2009
Instruções de segurança

Mensagens e símbolos de segurança


Leia atentamente estas instruções e examine o equipamento para familiarizar-se
com o dispositivo antes de instalar, operar ou realizar serviços de manutenção.
As mensagens especiais abaixo podem aparecer na documentação ou no produto.
Elas advertem de perigos potenciais ou chamam sua atenção sobre informações
que possam esclarecer ou simplificar um procedimento.

Risco de choques elétricos


A presença de um destes símbolos em uma etiqueta de segurança “Danger”
(Perigo) ou “Warning” (Aviso) colada em um equipamento, indica que a existência
de risco de choques elétricos, podendo ocasionar morte ou lesões corporais, se as
Símbolo ANSI Símbolo IEC instruções não forem respeitadas.

Alerta de segurança
Este símbolo é o alerta de segurança.
E serve para alertar o usuário sobre riscos de ferimentos às pessoas e convidá-lo a
consultar a documentação. Todas as instruções de segurança da documentação
que possui este símbolo devem ser respeitadas, para evitar situações que possam
levar a ferimentos ou a morte.

Mensagens de segurança
PERIGO
PERIGO indica uma situação perigosa que provoca morte, ferimentos graves
ou danos materiais.

AVISO
AVISO indica uma situação que apresenta riscos, que podem provocar a
morte, ferimentos graves ou danos materiais.

ATENÇÃO
ATENÇÃO indica uma situação potencialmente perigosa e que pode causar
lesões corporais ou danos materiais.

Notas importantes
Reserva de responsabilidade
A manutenção do equipamento elétrico somente deve ser efetuado por pessoal
qualificado. A Schneider Electric não assume qualquer responsabilidade por
eventuais conseqüências decorrentes da utilização desta documentação. Este
documento não tem o objetivo de servir de guia para as pessoas sem formação.

Funcionamento do equipamento
O usuário tem a responsabilidade de verificar se as características nominais do
equipamento convêm à sua aplicação. O usuário tem a responsabilidade de
conhecer as instruções de operação e as instruções de instalação antes de colocar
em operação ou realizar manutenção. O não respeito a estas exigências pode afetar
o bom funcionamento do equipamento e constituir em perigo às pessoas e aos bens.

Aterramento de proteção
O usuário é responsável pela conformidade de todas as normas e de todos os
códigos elétricos internacionais e nacionais em vigor relativos ao aterramento de
proteção de qualquer dispositivo.
Conteúdo geral

Introdução
1
Funções de medição
2

Funções de proteção
3
Funções de controle e monitoramento
4

1
2
Introdução Conteúdo

Panorama das aplicações 4


Apresentação
Arquitetura modular
6
7
1
Tabela de escolha 8
Características técnicas 10
Características ambientais 11

3
Gama Sepam Panorama das aplicações

A gama de relés de proteção Sepam é


adaptada a todas as aplicações de proteção
1 das redes de média tensão de distribuição
de energia pública ou industrial.
Sepam série 20
Para as aplicações simples
Características
A gama é composta de 3 séries de relés, b 10 entradas lógicas
com ajustes crescentes de performance: b 8 saídas a relé
b 1 porta de comunicação
b Sepam série 20, para as aplicações
b 8 entradas para sensores
simples de temperatura.
b Sepam série 40, para as aplicações
exigentes
b Sepam série 80, para as aplicações
personalizadas.

Todas as informações relativas à gama


Sepam são apresentadas nos seguintes Sepam série 40
documentos: Para as aplicações exigentes
b catálogo Sepam, Características
b 10 entradas lógicas
referência SEPED303005BR b 8 saídas a relé
b manual de utilização Sepam série 20, b editor de equações
referência PCRED301005BR lógicas
b manual de utilização Sepam série 40, b 1 porta de comunicação
b 16 entradas para
referência PCRED301006BR sensores de temperatura.
b manual de utilização das funções
Sepam série 80,
referência SEPED303001BR Sepam série 80
b manual de utilização de comunicação Para as aplicações personalizadas
Características
Modbus Sepam série 80, b 42 entradas lógicas
referência SEPED303002BR b 23 saídas a relé
b manual de operação Sepam série 80, b editor de equações
referência SEPED303003BR lógicas
b 2 portas de comunicação
b manual de utilização de comunicação para arquitetura
DNP3 Sepam, multimestre ou redundante
referência SEPED305001BR b 16 entradas para
b manual de utilização de comunicação sensores de temperatura
b cartucho de memória
IEC 60870-5-103 Sepam, removível com parâmetros
referência SEPED305002BR e regulagens para retorno
b manual do usuário de comunicação rápido de serviço após a
M
IEC 61850 Sepam, substituição
b bateria para
referência SEPED306024BR. armazenamento dos
históricos e da oscilografia
b Interface Homem-máquina
mnemônica para o comando
local do equipamento com
total segurança
b software de programação
Logipam opcional, para
programar funções
específicas.

4
Gama Sepam Panorama das aplicações

Proteções Aplicações
Básicas Específicas Subestação Barramentos Transformador Motor Gerador Capacitor

1
Proteções de corrente S20 T20 M20

Falha do disjuntor S23 T23

Proteções de tensão e B21


freqüência

Desacoplamento B22
por variação
de freqüência

Proteções de corrente, S40 T40 G40


tensão e freqüência
Direcional de S41 M41
fuga à terra

Direcional de S42 T42


fuga à terra
e sobrecorrente de fase

Proteções de corrente, S80 B80


tensão e freqüência
Direcional de S81 T81 M81
fuga à terra
Direcional de fuga à terra S82 T82 G82
e sobrecorrente de fase
Desacoplamento por S84
variação de freqüência
Proteções de corrente, Diferencial de T87 M88 G88
tensão e freqüência transformador
ou unidade do
transformador-máquina

Diferencial M87 G87


máquina

Proteções de corrente, Proteções de tensão B83


tensão e freqüência e freqüência de
2 barramentos

Proteções de corrente, Desbalanço C86


tensão e freqüência do banco de
capacitores

5
Introdução Apresentação

A gama de relés de proteção Sepam foi Sepam série 80, soluções inteligentes para
projetada para operação de máquinas e
1 redes de distribuição elétrica nas
instalações industriais e subestações dos
aplicações personalizadas
Especialmente projetado para atender aos clientes mais exigentes dos grandes
setores industriais, o Sepam série 80 é composto de soluções testadas para a
distribuidores de energia, para todos os distribuição elétrica e a proteção das máquinas.
ajustes de tensão.
A gama é composta de três famílias
b Sepam série 20 Características principais
b Sepam série 40 b proteção das redes em malha fechada ou com entradas em paralelo por proteção
b Sepam série 80 direcional e seletividade lógica
para atender a todas as necessidades, b proteção contra fuga à terra por proteção direcional adaptada a todos os sistemas
da mais simples à mais completa. de aterramento do neutro impedante, isolado ou compensado
b proteção completa dos transformadores e unidades máquina-transformador
v proteção diferencial sensível e estável devido a um sistema de restrição à rede de
neutros
v associada a todas as funções de proteção de segurança necessárias
b proteção completa dos motores e geradores
v contra falhas internas:
- proteção diferencial da máquina, sensível e estável, com restrição na partida e na
perda dos sensores
- perda de excitação, fuga à terra no estator etc.
v contra as falhas ligadas à rede ou ao processo: perda de sincronismo, controle da
velocidade, energização acidental etc.
b check de sincronismo entre 2 redes a acoplar
b medição da taxa de distorção de harmônicos, em corrente e em tensão, para
avaliar a qualidade da energia da rede
b 42 entradas / 23 saídas para garantir o controle integral do equipamento
b Interface Homem-máquina mnemônica para o controle local dos equipamentos
b software SFT2841 de configuração e operação, ferramenta simples e completa,
indispensável para o usuário do Sepam:
v modo guiado para os ajustes das proteções e dos parâmetros
v informações completas na colocação em operação
v administração e diagnóstico a distância do equipamento em operação
Sepam série 80 com IHM avancada integrada. b editor de equações lógicas integrado ao software SFT2841, para adaptar as
funções de controle predefinidas
b software SFT2885 de programação (Logipam) opcional, para programar funções
de controle e monitoramento específicas
b 2 portas de comunicação, para integração do Sepam em 2 redes diferentes ou em
arquiteturas redundantes
b cartão de memória removível para instalação rápida após substituição de uma
uniadde básica defeituosa
b bateria de backup para conservação dos históricos de dados e oscilografia.

Guia de escolha
A família Sepam série 80 é composta de 16 tipos para propor a solução adaptada
exatamente para cada aplicação.

Proteções específicas disponíveis Aplicações


Subestação Transfor- Motor Gerador Barramento Capacitor
mador
S80 B80
Direcional de fuga à terra S81 T81 M81
Direcional de sobrecorrente de fase e fuga à terra S82 T82 G82
Controle das 3 tensões de fase nos 2 barramentos B83
Taxa de variação de freqüência df/dt Rocof S84
Desbalanço do capacitor C86
Diferencial do transformador ou máquina T87 M87 G87
Diferencial para grupo máquina + transformador M88 G88

6
Introdução Arquitetura modular

Flexibilidade e possibilidade de atualização


Para adaptar-se às mais diversas situações, e permitir a atualização futura da insta-
lação, é possível aprimorar as funções do Sepam, a qualquer momento, adicionando
módulos opcionais.
1
1 Unidade básica com diferentes tipos de
Interface Homem-máquina (IHM):
b IHM mnemônica integrada
b IHM avançada integrada ou remota

2 Parâmetros e ajustes memorizados no cartão


de memória removível.

3 42 entradas lógicas e 23 saídas a relé com


3 módulos opcionais de 14 entradas e 6 saídas.

4 2 portas de comunicação independentes


b conexão direta à rede RS 485 a 2 fios, RS 485
a 4 fios ou fibra ótica
b conexão à rede Ethernet TCP/IP via servidor
Ethernet PowerLogic (Transparent ReadyTM).

5 Tratamento de 16 sensores de temperaturas,


Pt100, Ni100 ou Ni120.

6 1 saída analógica de baixo ajuste,


0-10 mA, 4-20 mA ou 0-20 mA.

7 Módulo de check de sincronismo

8 Softwares:
b configuração do Sepam, ajuste das proteções e
adaptação das funções predefinidas
b operação local ou a distância da instalação
b programação de funções específicas (Logipam)
b recuperação e visualização dos registros de
distúrbios.
Facilidade de instalação
b unidade básica compacta e leve
b integração do Sepam facilitada por suas capacidades de adaptação:
v tensão de alimentação universal do Sepam e de suas entradas lógicas:
24 a 250 V CC
v correntes de fase medidas indiferentemente por transformadores de corrente
1 A ou 5 A ou por sensores do tipo LPCT
v corrente residual calculada ou medida por diferentes montagens, escolha em
função da necessidade
b módulos remotos comuns a todos os Sepam e simples de instalar:
v montagem em trilho DIN
v conexão à unidade básica Sepam através de cabos pré-fabricados.

Ajuda na colocação em operação


b implementação das funções predefinidas por simples configuração
b software de configuração em PC SFT2841 comum a todos os Sepam,
amigável e poderoso, para dispor de todas as possibilidades oferecidas pelo Sepam.

Utilização intuitiva
b Interface Homem-máquina avançada integrada ou remota, para ser instalada no
local mais confortável para o operador
b Interface Homem-máquina mnemônica integrada para o controle local dos
dispositivos
b Interface Homem-máquina versátil, com acesso direto às informações
b apresentação clara em display LCD gráfico de todas as informações necessárias
para operação local e diagnóstico da instalação
b idioma de operação personalizável para ser compreendido por todos.

7
Introdução Tabela de escolha

Subestação Transformador Motor Gerador Barramento Cap.


Proteções Código S80 S81 S82 S84 T81 T82 T87 M81 M87 M88 G82 G87 G88 B80 B83 C86
1 Sobrecorrente de fase (1)
ANSI
50/51 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8
Fuga à terra / 50N/51N 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8
Fuga à terra sensível (1) 50G/51G
Falha do disjuntor 50BF 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1
Desbalanço/corrente seq. negativa 46 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2
Sobrecarga térmica cabo 49RMS 2 2 2
Sobrecarga térmica máquina (1) 49RMS 2 2 2 2 2 2 2 2 2
Sobrecarga térmica capacitor 49RMS 2
Desbalanço do capacitor 51C 8
Diferencial de fuga à terra restrita 64REF 2 2 2 2 2
Diferencial do transformador 87T 1 1 1
(2 enrolamentos)
Diferencial da máquina 87M 1 1
Direcional de sobrecorrente de fase (1) 67 2 2 2 2 2 2 2
Direcional de fuga à terra (1) 67N/67NC 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2
Direcional de sobrepotência ativa 32P 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2
Direcional de sobrepotência reativa 32Q 1 1 1 1 1 1
Direcional de subpotência ativa 37P 2 2
Subcorrente de fase 37 1 1 1
Partida longa, rotor bloqueado 48/51LR 1 1 1
Partidas por hora 66 1 1 1
Perda de excitação do campo 40 1 1 1 1 1 1
(subimpedância)
Perda de sincronismo 78PS 1 1 1 1 1 1
Sobrevelocidade (2 ajustes) (2) 12 v v v v v v
Subvelocidade (2 ajustes) (2) 14 v v v v v v
Sobrecorrente com restrição de tensão 50V/51V 2 2 2
Subimpedância 21B 1 1 1
Energização acidental 50/27 1 1 1
Subtensão residual de 3ª harmônica/ 27TN/64G2 2 2 2
100% fuga à terra do estator 64G
Sobrefluxo (V / Hz) 24 2 2 2 2
Subtensão (fase-fase ou fase-neutro) 27 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4
Subtensão de seqüência positiva 27D 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2
Subtensão remanente 27R 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2
Sobretensão 59 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4
(fase-fase ou fase-neutro)
Deslocamento de tensão do neutro 59N 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2
Sobretensão de seqüência negativa 47 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2
Sobrefreqüência 81H 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2
Subfreqüência 81L 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4
Taxa de variação de freqüência 81R 2
Religamento (4 ciclos) (2) 79 v v v v
Termostato / Buchholz (2) 26/63 v v v v v v v
Monitoramento de temperatura 38/49T v v v v v v v v v v
(16 sensores) (3)
Check de sincronismo (4) 25 v v v v v v v v v v v v
Controle e monitoramento
Controle do disjuntor / contator 94/69 v v v v v v v v v v v v v v v v
Transferência automática de v v v v v v v v v v v v
fontes (ATS) (2)
Rejeição de carga / religamento b b b
automático
Desexcitação b b b
Parada grupo gerador b b b
Controle do banco de capacitores (2) v
Seletividade lógica (2) 68 v v v v v v v v v v v v v v v v
Bloqueio / reconhecimento 86 b b b b b b b b b b b b b b b b
Sinalização 30 b b b b b b b b b b b b b b b b
Mudança do grupo de ajustes b b b b b b b b b b b b b b b b
Adaptação por equações lógicas b b b b b b b b b b b b b b b b
Programação por Logipam (linguagem Ladder) v v v v v v v v v v v v v v v v
Os números indicam a quantidade de funções de proteção disponíveis.
b básico, v opcional.
(1) Função de proteção dispõe de 2 conjuntos de ajustes.
(2) Segundo a configuração e os opcionais dos módulos de entradas/saídas MES120.
(3) Com módulos opcionais de entradas temperatura MET148-2.
(4) Com módulo opcional para check de sincronismo MCS025.

8
Introdução Tabela de escolha

Subestação Transformador Motor Gerador Barramento Cap.


Medições S80 S81 S82 S84 T81 T82 T87 M81 M87 M88 G82 G87 G88 B80 B83 C86
Corrente de fase RMS I1,I2,I3
Corrente residual medida I0, calculada I0Σ
Demanda de corrente I1, I2, I3
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
b
1
Demanda máxima de corrente IM1,IM2,IM3 b b b b b b b b b b b b b b b b
Corrente residual medida I'0 b b b b b b b b b b b b b b
Tensão U21, U32, U13, V1, V2, V3 b b b b b b b b b b b b b b b b
Tensão residual V0 b b b b b b b b b b b b b b b b
Tensão seq. positiva Vd/direção de rotação b b b b b b b b b b b b b b b b
Tensão seqüência negativa Vi b b b b b b b b b b b b b b b b
Freqüência b b b b b b b b b b b b b b b b
Potência ativa P, P1, P2, P3 b b b b b b b b b b b b b b b b
Potência reativa Q, Q1, Q2, Q3 b b b b b b b b b b b b b b b b
Potência aparente S, S1, S2, S3 b b b b b b b b b b b b b b b b
Demanda máxima de potência PM, QM b b b b b b b b b b b b b b b b
Fator de potência b b b b b b b b b b b b b b b b
Energia ativa e reativa calculada (± W.h, ± var.h) b b b b b b b b b b b b b b b b
Energia ativa e reativa por contagem v v v v v v v v v v v v v v v v
de pulsos (2) (± W.h, ± var.h)
Corrente de fase RMS I'1,I'2,I'3 b b b b b
Corrente residual calculada I'0Σ b b b b b
Tensão U’21, V’1 e freqüência b
Tensões U’21, U’32, U’13, V’1, V’2, V’3, V’d, V’i b
e freqüência
Tensão residual V’0 b
Temperatura (16 sensores) (3) v v v v v v v v v v
Velocidade de rotação (2) v v v v v v
Tensão no ponto neutro Vnt b b b b b b
Diagnóstico da rede e da máquina
Contexto de trip b b b b b b b b b b b b b b b b
Corrente de trip TripI1, TripI2, TripI3 b b b b b b b b b b b b b b b b
Contadores de trips por falta de fase e fuga à terra b b b b b b b b b b b b b b b b
Taxa de desbalanço / corrente seq. negativa Ii b b b b b b b b b b b b b b b b
Taxa de distorção de harmônico da corrente b b b b b b b b b b b b b b b b
e da tensão Ithd, Uthd
Defasagem angular ϕ0, ϕ'0, ϕ0Σ b b b b b b b b b b b b b b b b
Defasagem angular ϕ1, ϕ2, ϕ3 b b b b b b b b b b b b b b b b
Oscilografia b b b b b b b b b b b b b b b b
Capacidade térmica utilizada b b b b b b b b b b b b b
Tempo de espera restante antes do trip por b b b b b b b b b b b b b
sobrecarga
Tempo de espera após o trip por sobrecarga b b b b b b b b b b b b b
Contador de horas de funcionamento / b b b b b b b b b b
tempo de operação
Corrente e tempo de partida b b b
Tempo de inibição da partida b b b
Número de partidas antes da inibição b b b
Taxa de desbalanço / corrente seq. negativa I'i b b b b b
Corrente diferencial Idiff1, Idiff2, Idiff3 b b b b b
Corrente de restrição It1, It2, It3 b b b b b
Defasagem angular θ entre correntes I e I’ b b b b b
Impedâncias aparentes de seqüência positiva Zd b b b b b b b b b b b b b b b b
e entre fases Z21, Z32, Z13 b b b b b b b b b b b b b b b b
Tensão de 3ª harmônica, ponto neutro ou residual b b b
Desvio em amplitude, freqüência e fase das tensões v v v v v v v v v v v v
comparadas para check de sincronismo (4)
Capacitância e correntes de desbalanço do capacitor b
Diagnóstico do disjuntor Código
ANSI
Supervisão TC / TP 60/60FL b b b b b b b b b b b b b b b b
Supervisão circuito de trip (2) 74 v v v v v v v v v v v v v v v v
Supervisão da alimentação auxiliar b b b b b b b b b b b b b b b b
Corrente acumulada de curto b b b b b b b b b b b b b b b b
Número de operações, tempo de operação, tempo de v v v v v v v v v v v v v v v v
carregamento da mola, número de extrações disjuntor(2)
Comunicação Modbus, IEC 60870-5-103 ou DNP3 ou IEC 61850
Leitura das medições (5) v v v v v v v v v v v v v v v v
Sinalização remota e atualização dos eventos v v v v v v v v v v v v v v v v
horodatados (5) v v v v v v v v v v v v v v v v
Comandos remotos (5) v v v v v v v v v v v v v v v v
Ajustes remotos das proteções (5) v v v v v v v v v v v v v v v v
Transferência da oscilografia (5)

b básico, v opcional.
(2) Segundo a configuração e os opcionais dos módulos de entradas/saídas MES120.
(3) Com módulos opcionais de entradas de temperatura MET148-2.
(4) Com módulo opcional para check de sincronismo MCS025.
(5) Com interface de comunicação ACE949-2, ACE959, ACE937, ACE969TP-2 ou ACE969FO-2.

9
Introdução Características técnicas

Peso
Unidade básica com IHM avançada Unidade básica com IHM mnemônica
1 Peso mínimo (unidade básica sem MES120)
Peso máximo (unidade básica com 3 MES120)
2,4 kg
4,0 kg
3,0 kg
4,6 kg
Entradas sensores
Entradas de corrente de fase TC 1 A ou 5 A
Impedância de entrada < 0,02 Ω
Consumo < 0,002 VA (TC 1 A)
< 0,5 VA (TC 5 A)
Suportabilidade térmica permanente 4 In
Sobrecarga 1 segundo 100 In
Entradas de tensão Fase Residual
Impedância de entrada > 100 kΩ > 100 kΩ
Consumo < 0,015 VA (TP 100 V) < 0,015 VA (TP 100 V)
Suportabilidade térmica permanente 240 V 240 V
Sobrecarga 1 segundo 480 V 480 V
Isolação das entradas para Reforçada Reforçada
outros grupos isolados
Saídas a relé
Saídas a relé de controle, contatos O1 a O4 e 0x01 (1)
Tensão CC 24/48 V CC 127 V CC 220 V CC
CA (47,5 a 63 Hz) 100 a 240 V CA
Corrente suportada continuamente 8A 8A 8A 8A
Capacidade de interrupção Carga resistiva 8A/4A 0,7 A 0,3 A
Carga L/R < 20 ms 6A/2A 0,5 A 0,2 A
Carga L/R < 40 ms 4A/1A 0,2 A 0,1 A
Carga resistiva 8A
Carga cos ϕ > 0,3 5A
Capacidade de fechamento < 15 A durante 200 ms
Isolação das entradas para Reforçada
outros grupos isolados
Saída a relé de sinalização O5 e Ox02 a Ox06
Tensão CC 24/48 V CC 127 V CC 220 V CC
CA (47,5 a 63 Hz) 100 a 240 V CA
Corrente suportada continuamente 2A 2A 2A 2A
Capacidade de interrupção Carga L/R < 20 ms 2A/1A 0,5 A 0,15 A
Carga cos ϕ > 0,3 1A
Isolação das entradas para Reforçada
outros grupos isolados
Alimentação
Tensão 24 a 250 V CC -20% / +10%
Consumo máximo < 16 W
Corrente de chamada < 10 A 10 ms
Taxa de ondulação aceitável 12%
Perda de tensão aceitável 100 ms
Bateria
Formato 1/2 AA de lítio 3,6 V
Garantia 10 anos Sepam energizado
8 anos Sepam desenergizado
(1) Saídas a relé conforme a norma C37.90 cláusula 6.7, nível 30 A, 200 ms, 2000 operações.

10
Introdução Características ambientais

Compatibilidade eletromagnética Norma Ajuste / Classe Valor


Testes de emissão
Emissão de distúrbios de campos IEC 60255-25
EN 55022 A
1
Emissão de distúrbios conduzidos IEC 60255-25
EN 55022 A
Testes de imunidade – Distúrbios irradiados
Imunidade aos campos irradiados IEC 60255-22-3 10 V/m; 80 MHz - 1 GHz
IEC 61000-4-3 III 10 V/m; 80 MHz - 2 GHz
ANSI C37.90.2 35 V/m; 25 MHz - 1 GHz
Descarga eletrostática IEC 60255-22-2 8 kV ar; 6 kV contato
ANSI C37.90.3 8 kV ar; 4 kV contato
Imunidade aos campos magnéticos na freqüência da rede IEC 61000-4-8 4 30 A/m (permanente) - 300 A/m (1-3 s)
Testes de imunidade – Distúrbios conduzidos
Imunidade aos distúrbios de radiofreqüência conduzidos IEC 60255-22-6 III 10 V
Transientes elétricos rápidos IEC 60255-22-4 AeB 4 kV; 2,5 kHz / 2 kV; 5 kHz
IEC 61000-4-4 IV 4 kV; 2,5 kHz
ANSI C37.90.1 4 kV; 2,5 kHz
Onda oscilatória amortecida a 1 MHz IEC 60255-22-1 2,5 kV MC; 1 kV MD
ANSI C37.90.1 2,5 kV; 2,5 kV
Ondas de impulso IEC 61000-4-5 III 2 kV MC; 1 kV MD
Interrupções de tensão IEC 60255-11 100% durante 100 ms
Robustez mecânica Norma Ajuste / Classe Valor
Energizado
Vibrações IEC 60255-21-1 2 1 Gn; 10 Hz - 150 Hz
IEC 60068-2-6 Fc 2 Hz - 13,2 Hz; a = ±1 mm
Choques IEC 60255-21-2 2 10 Gn / 11 ms
Abalos sísmicos IEC 60255-21-3 2 2 Gn horizontal
1 Gn vertical
Desenergizado
Vibrações IEC 60255-21-1 2 2 Gn; 10 Hz - 150 Hz
Choques IEC 60255-21-2 2 27 Gn / 11 ms
Trepidações IEC 60255-21-2 2 20 Gn / 16 ms
Suportabilidade climática Norma Ajuste / Classe Valor
Na operação
Exposição ao frio IEC 60068-2-1 Ad -25°C
Exposição ao calor seco IEC 60068-2-2 Bd +70°C
Exposição contínua ao calor úmido IEC 60068-2-78 Cab 10 dias; 93% UR; 40°C
Névoa salina IEC 60068-2-52 Kb/2 6 dias
Influência da corrosão/teste 2 gás IEC 60068-2-60 21 dias; 75% UR; 25°C;
0,5 ppm H2S; 1 ppm SO2
Influência da corrosão/teste 4 gás IEC 60068-2-60 21 dias; 75% UR; 25°C;
0,01 ppm H2S; 0,2 ppm SO2;
0,2 ppm NO2; 0,01 ppm Cl2
Na estocagem (3)
Variação de temperatura com taxa de variação especificada IEC 60068-2-14 Nb -25°C a +70°C; 5°C/min
Exposição ao frio IEC 60068-2-1 Ab -25°C
Exposição ao calor seco IEC 60068-2-2 Bb +70°C
Exposição contínua ao calor úmido IEC 60068-2-78 Cab 56 dias; 93% UR; 40°C
IEC 60068-2-30 Db 6 dias; 95% UR; 55°C
Segurança Norma Ajuste / Classe Valor
Testes de segurança do invólucro
Estanqueidade no painel frontal IEC 60529 IP52 Outras faces IP20
NEMA Tipo 12
Suportabilidade ao fogo IEC 60695-2-11 650°C com fio incandescente
Testes de segurança elétrica
Onda de impulso 1,2/50 µs IEC 60255-5 5 kV (1)
Rigidez dielétrica na freqüência industrial IEC 60255-5 2 kV 1mn (2)
ANSI C37.90 1 kV 1 min (saída de sinalização)
1,5 kV 1 min (saída de controle)
Certificação
e Norma harmonizada Diretrizes européias:
EN 50263 b 89/336/CEE Diretriz Compabilidade Eletromagnética (CEM)
v 92/31/CEE Emenda
v 93/68/CEE Emenda
b 73/23/CEE Diretriz Baixa Tensão
v 93/68/CEE Emenda
UL UL508 - CSA C22.2 nº 14-95 File E212533
CSA CSA C22.2 nº 14-95 / nº 94-M91 / nº 0.17-00 File 210625
(1) Exceto comunicação: 3 kV em modo comum e 1 kV em modo diferencial.
(2) Exceto comunicação: 1 kVrms.
(3) Sepam deve ser armazenado em sua embalagem original.

11
2

12
Funções de medição Conteúdo

Entradas dos sensores 15


Parâmetros iniciais 16
Características 17
Processamento dos sinais medidos 19
Corrente de fase
Corrente residual 21
Demanda de corrente e demanda máxima de corrente 22
2
Tensão fase-fase 23
Tensão fase-neutro 24
Tensão residual
Tensão no ponto neutro 25
Tensão de seqüência positiva 26
Tensão de seqüência negativa 27
Freqüência 28
Potências ativa, reativa e aparente 29
Demanda máxima de potência ativa e reativa
Fator de potência 31
Energia ativa e reativa 32
Temperatura 33
Velocidade de rotação 34
Diagrama fasorial 35
Contexto de trip
Corrente de trip 36
Número de trips por sobrecorrente de fase
Número de trips por fuga à terra 37
Taxa de desbalanço / corrente de seqüência negativa 38
Distorção harmônica total de corrente
Distorção harmônica total de tensão 39
Defasagem angular 40
Oscilografia 41
Check de sincronismo: comparação das tensões
e contexto de não sincronismo 42
Capacidade térmica utilizada
Constante de tempo de resfriamento 43
Tempo de operação antes do trip
Tempo de espera após o trip 44
Contador de horas de funcionamento e tempo de operação
Corrente e tempo de partida 45
Número de partidas antes da inibição
Tempo de inibição da partida 46
Corrente diferencial
Corrente de restrição 47

13
Funções de medição Conteúdo

Defasagem da corrente de fase 48


Impedância de seqüência positiva aparente
Impedância entre fases aparente 49
Tensão de 3ª harmônica no ponto neutro
Tensão de 3ª harmônica residual 50
Capacitância 51
2 Corrente de desbalanço do capacitor 52
Supervisão TP 53
Código ANSI 60FL
Supervisão TC 55
Código ANSI 60
Supervisão dos circuitos de trip e de fechamento 56
Código ANSI 74
Supervisão dos circuitos de fechamento
e dos comandos de abertura e fechamento 57
Código ANSI 74
Supervisão da alimentação auxiliar 58
Corrente acumulada de curto
Número de operações 59
Tempo de operação
Tempo de carregamento da mola 60
Número de extrações 61

14
Funções de medição Entradas dos sensores

O Sepam série 80 possui entradas analógicas, que são conectadas aos sensores
de medição requeridos para a aplicação:
b as entradas analógicas principais, disponíveis em todos os tipos de Sepam
série 80:
v 3 entradas de corrente de fase l1, l2, l3
v 1 entrada de corrente residual l0
v 3 entradas de tensão de fase V1, V2, V3
v 1 entrada de tensão residual V0
b as entradas analógicas adicionais, que dependem do tipo de Sepam:
v 3 entradas de corrente de fase adicionais l’1, l’2, l’3
v 1 entrada de corrente residual adicional l’0
v 3 entradas de tensão de fase adicionais V’1, V’2, V’3
2
v 1 entrada de tensão residual adicional V’0.

A tabela abaixo indica as entradas analógicas disponíveis em função do tipo de


Sepam série 80.

Entradas dos sensores do Sepam G88.

S80, S81, T81, T82, T87, M87, B80 B83 C86


S82, S84 M81, G82 M88, G87,
G88
Entradas de corrente de fase Canais principais l1, l2, l3 l1, l2, l3 l1, l2, l3 l1, l2, l3 l1, l2, l3 l1, l2, l3
Canais adicionais l’1, l’2, l’3
Entradas de corrente residual Canal principal l0 l0 l0 l0 l0 l0
Canal adicional l’0 l’0 l’0 l’0
Entradas de corrente de l’1, l’2, l’3, l’0
desbalanço para estágio de
banco de capacitores
Entradas de tensão de fase Canais principais V1, V2, V3 V1, V2, V3 V1, V2, V3 V1, V2, V3 V1, V2, V3 V1, V2, V3
ou U21, U32 ou U21, U32 ou U21, U32 ou U21, U32 ou U21, U32 ou U21, U32

Canais adicionais V’1 ou U’21 V’1, V’2, V’3


ou U’21, U’32
Entradas de tensão residual Canal principal V0 V0 V0 V0 (1) V0 V0
Canal adicional V’0
Entradas de temperatura T1 a T16 T1 a T16 T1 a T16
(no módulo MET148-2)
Nota: por extensão, uma medição (corrente ou tensão) adicional é um valor medido por canal analógico adicional.
(1) Disponível com tensão de fase U21, U32.

15
Funções de medição Parâmetros iniciais

Os parâmetros iniciais definem as características dos sensores de medição


conectados ao Sepam e determinam a performance das funções de medição e
proteção utilizadas. São acessíveis através das abas “Características iniciais”,
“Supervisão TC-TP” e “Características especiais” do software de configuração
e de operação SFT2841.

Parâmetros iniciais Seleção Valor


In, I'n Corrente de fase nominal 2 ou 3 TC 1 A / 5 A 1 A a 6250 A
(corrente primária do sensor) 3 sensores LPCT 25 A a 3150 A (1)
2 I’n Ajuste do sensor, corrente de desbalanço
(aplicação capacitor)
TC 1 A / 2 A / 5 A 1 A a 30 A

Ib Corrente de base, corresponde à potência nominal 0,2 a 1,3 In


do equipamento
I'b Corrente de base nos canais adicionais Aplicações com transformador I'b= Ib x Un1/Un2
(não ajustável) Outras aplicações I'b = Ib
In0, I'n0 Corrente residual nominal Soma das 3 correntes de fase Ver In(I'n) corrente de fase nominal
Toróide CSH120 ou CSH200 Ajuste 2 A ou 20 A
TC 1 A/5 A + toróide CSH30 1 A a 6250 A
Toróide + ACE990 Segundo corrente a ser monitorada
(a relação do toróide 1/n deve ser semelhante a e a utilização de ACE990
50 y n y 1500)
Unp, Tensão fase-fase nominal primária (Vnp: tensão 220 V a 250 kV
U’np fase-neutro nominal primária Vnp = Unp/3)
Uns, Tensão fase-fase nominal secundária 3 TP: V1, V2, V3 90 a 230 V
U’ns 2 TP: U21, U32 90 a 120 V
1 TP: U21 90 a 120 V
1 TP: V1 90 a 230 V
Uns0, Tensão secundária para uma tensão primária Uns/3 ou Uns/3
U’ns0 Unp/3
Vntp Tensão primária do transformador de tensão no 220 V a 250 kV
ponto neutro (aplicação gerador)
Vnts Tensão secundária do transformador de tensão no 57,7 V a 133 V
ponto neutro (aplicação gerador)
fn Freqüência nominal 50 Hz ou 60 Hz
Seqüência das fases 1-2-3 ou 1-3-2
Período de integração (para demanda de corrente e 5, 10, 15, 30, 60 min
demanda máxima de corrente e de potência)
Medição da energia por pulso Incrementa a energia ativa 0,1 kWh a 5 MWh
Incrementa a energia reativa 0,1 kvarh a 5 Mvarh
P Potência nominal do transformador 100 kVA a 999 MVA
Un1 Tensão nominal enrolamento 1 220 V a 220 kV
(lado canal principal: I)
Un2 Tensão nominal enrolamento 2 220 V a 440 kV
(lado canal adicional: I')
In1 Corrente nominal enrolamento 1 (não ajustável) In1 = P/(3.Un1)
In2 Corrente nominal enrolamento 2 (não ajustável) In2 = P/(3.Un2)
Defasagem fasorial 0 a 11
Ωn Velocidade nominal (motor, gerador) 100 a 3600 rpm
R Número de pulsos / volta (para ganho de velocidade) 1 a 1800 (Ωn x R/60 y 1500)
Ajuste de velocidade zero 5 a 20% de Ωn
Número de estágios de banco de capacitores 1a4
Conexão dos estágios de banco de capacitores Estrela / Triângulo
Seqüência de estágios Estágio 1 1
Estágio 2 1, 2
Estágio 3 1, 2, 3, 4
Estágio 4 1, 2, 3, 4, 6, 8
(1) Valores de In para LPCT, em A: 25, 50, 100, 125, 133, 200, 250, 320, 400, 500, 630, 666, 1000, 1600, 2000, 3150.

16
Funções de medição Características

Funções Faixa de medição Precisão (1) MSA141 Memorização


Medições
Corrente de fase 0,02 a 40 In ±0,5% b
Corrente residual Calculada 0,005 a 40 In ±1% b
Medida 0,005 a 20 In0 ±1% b
Demanda de corrente 0,02 a 40 In ±0,5%
Demanda máxima de corrente 0,02 a 40 In ±0,5% v
Tensão fase-fase Canais principais (U) 0,05 a 1,2 Unp ±0,5% b
Canais adicionais (U’) 0,05 a 1,2 Unp ±1%
Tensão fase-neutro Canais principais (V)
Canais adicionais (V’)
0,05 a 1,2 Vnp
0,05 a 1,2 Vnp
±0,5%
±1%
b
2
Tensão residual 0,015 a 3 Vnp ±1%
Tensão no ponto neutro 0,015 a 3 Vntp ±1%
Tensão seq. positiva 0,05 a 1,2 Vnp ±2%
Tensão seq. negativa 0,05 a 1,2 Vnp ±2%
Freqüência Canais principais (f) 25 a 65 Hz ±0,01 Hz b
Canais adicionais (f’) 45 a 55 Hz (fn = 50 Hz) ±0,05 Hz
55 a 65 Hz (fn = 60 Hz)
Potência ativa (total ou por fase) 0,008 Sn a 999 MW ±1% b
Potência reativa (total ou por fase) 0,008 Sn a 999 Mvar ±1% b
Potência aparente (total ou por fase) 0,008 Sn a 999 MVA ±1% b
Demanda máxima de potência ativa 0,008 Sn a 999 MW ±1% v
Demanda máxima de potência reativa 0,008 Sn a 999 Mvar ±1% v
Fator de potência -1 a +1 (CAP/IND) ±0,01 b
Energia ativa calculada 0 a 2,1.108 MW.h ±1% ±1 dígito v v
Energia reativa calculada 0 a 2,1.108 Mvar.h ±1% ±1 dígito v v
Temperatura -30 a +200°C ou -22 a +392°F ±1°C de +20 a +140°C b
Velocidade de rotação 0 a 7200 rpm ±1 rpm
Assistente de diagnóstico da rede
Contexto de trip v
Corrente de trip 0,02 a 40 In ±5% v
Número de trips 0 a 65535 - v v
Taxa de desbalanço / corrente seq. negativa 1 a 500% de Ib ±2%
Taxa de distorção harmônico em corrente 0 a 100% ±1%
Taxa de distorção harmônico em tensão 0 a 100% ±1%
Defasagem angular ϕ0 (entre V0 e I0) 0 a 359° ±2°
Defasagem angular ϕ1, ϕ2, ϕ3 (entre V e I) 0 a 359° ±2°
Oscilografia v
Diferença de amplitude 0 a 1,2 Usync1 ±1%
Taxa de variação de freqüência 0 a 10 Hz ±0,5 Hz
Diferença de fase 0 a 359° ±2°
Contexto de não sincronismo v
b disponível em módulo de saída analógica MSA141, segundo a configuração
v v memorizado na interrupção da alimentação auxiliar, mesmo sem a bateria
v memorizado na interrupção da alimentação auxiliar devido à bateria.
(1) Precisões típicas, ver detalhes nas páginas seguintes.

17
Funções de medição Características

Funções Faixa de medição Precisão (1) MSA141 Memorização


Assistente de diagnóstico da máquina
Capacidade térmica utilizada 0 a 800% ±1% b v v
(100% para I fase = Ib)
Tempo de operação restante antes do trip por sobrecarga 0 a 999 min ±1 min
Tempo de espera após trip por sobrecarga 0 a 999 min ±1 min
Contador de horas de funcionamento / tempo de operação 0 a 65535 horas ±1% ou ±0,5 h v v
Corrente de partida 1,2 Ib a 40 In ±5% v
Tempo de partida 0 a 300 s ±300 ms v

2 Número de partidas antes da inibição


Tempo de inibição da partida
0 a 60
0 a 360 min
-
±1 min
Corrente diferencial 0,015 a 40 In ±1%
Corrente de restrição 0,015 a 40 In ±1%
Defasagem angular θ1, θ2, θ3 (entre I e I') 0 a 359° ±2°
Impedância aparente Zd, Z21, Z32, Z13 0 a 200 kΩ ±5%
Tensão de 3ª harmônica, ponto neutro 0,2 a 30% de Vnp ±1%
Tensão de 3ª harmônica, residual 0,2 a 90% de Vnp ±1%
Capacitância 0 a 30 F ±5%
Corrente de desbalanço do capacitor 0,02 a 40 I’n ±5%
Assistente de diagnóstico do disjuntor
Corrente acumulada de curto 0 a 65535 kA2 ±10% v v
Número de operações 0 a 4.109 - v v
Tempo de operação 20 a 100ms ±1 ms v v
Tempo de carregamento da mola 1 a 20 s ±0,5 s v v
Número de extrações 0 a 65535 - v v
b disponível em módulo de saída analógica MSA141, segundo a configuração
v memorizado na interrupção da alimentação auxiliar, mesmo sem a bateria
v memorizado na interrupção da alimentação auxiliar devido à bateria.
(1) Precisões típicas, ver detalhes nas páginas seguintes.

18
Funções de medição Processamento dos sinais medidos

Grandezas físicas medidas


O Sepam mede as seguintes grandezas físicas:
b correntes de fase (3I)
b corrente residual (I0)
b tensões de fase (3V)
b tensão residual (V0).
Cada sinal físico medido é tratado pelo Sepam para dispor de todas as grandezas
necessárias às funções de medição, de diagnóstico e de proteção.

As tabelas abaixo indicam, para cada função, o tipo de grandeza utilizada,


elaborado a partir dos sinais físicos medidos, com:
2
b RMS = valor RMS até o harmônico 13
b H1 = componente 50 Hz ou 60 Hz da fundamental
b ΣH1 = soma fasorial dos componentes da fundamental das três fases
b H3 = componente de 3ª harmônica
b ΣH3 = soma fasorial dos componentes de 3ª harmônica das três fases.

Grandezas elaboradas pelo Sepam a partir dos sinais físicos


medidos.

Grandezas utilizadas pelas funções


de medição e de diagnóstico
3I I0 3V V0
Medições RMS H1 ΣH1 H1 RMS H1 ΣH1 ΣH3 H1 H3
Corrente de fase RMS I1,I2,I3 b
Corrente residual calculada I0Σ b
Demanda de corrente I1, I2, I3 b
Demanda máxima de corrente IM1,IM2,IM3 b
Correntes residuais medidas I0, I'0 b
Tensão U21, U32, U13, V1, V2, V3, U’21, U’32, U’13, V’1, V2’, V’3 b
Tensão residual V0 v v
Tensão seq. positiva Vd / direção de rotação b
Tensão seq. negativa Vi b
Freqüência f b
Potência ativa P, P1, P2, P3 b b
Potência reativa Q, Q1, Q2, Q3 b b
Potência aparente S, S1, S2, S3 b b
Demanda máxima de potência PM, QM b b
Fator de potência b b
Energia ativa e reativa calculada (± W.h, ± var.h) b b
Corrente de fase RMS I'1,I'2,I'3 b
Corrente residual calculada I'0Σ b
Tensão no ponto neutro Vnt b
Diagnóstico da rede e da máquina
Corrente de trip TripI1, TripI2, TripI3 b
Taxa de desbalanço / corrente seq. negativa Ii b
Taxa de distorção harmônica da corrente Ithd b b
Taxa de distorção harmônica da tensão Uthd b b
Defasagem angular ϕ0, ϕ'0, ϕ0Σ b b v v
Defasagem angular ϕ1, ϕ2, ϕ3 b b
Capacidade térmica utilizada b
Taxa de desbalanço / corrente seq. negativa I'i b
Corrente diferencial Idiff1, Idiff2, Idiff3 b
Corrente de restrição It1, It2, It3 b
Ângulo entre corrente I e I' b
Corrente de partida b
Tensão de 3º harmônico, ponto neutro ou residual b b
Diagnóstico do equipamento Código ANSI
Supervisão TC / TP 60/60FL b b
Corrente acumulada de curto b
b básico
v segundo os sensores s de medição conectados.

19
Funções de medição Processamento dos sinais medidos

Grandezas utilizadas pelas funções de


proteção
3I I0 3V V0
Proteções Cód. ANSI RMS H1 ΣH1 H1 RMS H1 ΣH1 ΣH3 H1 H3
Sobrecorrente de fase 50/51 b
Fuga à terra 50N/51N v v
Terra sensível 50G/51G

2 Falha do disjuntor
Desbalanço / corrente de seqüência negativa
Sobrecarga térmica
50BF
46
49RMS b
b
b

Sobrecarga térmica na máquina 49RMS b


Sobrecarga térmica nos capacitores 49RMS b
Desbalanço no banco de capacitores 51C b
Diferencial de fuga à terra restrita 64REF b b
Diferencial do transformador (2 enrolamentos) 87T b
Diferencial da máquina 87M b
Direcional de sobrecorrente de fase 67 b b
Direcional de fuga à terra 67N/67NC v v v v
Direcional de sobrepotência ativa 32P b b
Direcional de sobrepotência reativa 32Q b b
Direcional de subpotência ativa 37P b b
Subcorrente de fase 37 b
Partida longa, rotor bloqueado 48/51LR b
Partidas por hora 66 b
Perda de excitação (subimpedância) 40 b b
Perda de sincronismo 78 PS b b
Sobrecorrente com restrição de tensão 50V/51V b b
Subimpedância 21B b b
Energização acidental 50/27 b b
Subtensão de 3ª harmônica / 100% fuga à terra 27TN/64G2 v b
do estator 64G
Sobrefluxo (V/Hz) 24 b
Subtensão seq. positiva 27D b
Subtensão remanente 27R b
Subtensão (fase-fase ou fase-neutro) 27 b
Sobretensão (fase-fase ou fase-neutro 59 b
Deslocamento de tensão de neutro 59N v v
Sobretensão de seqüência negativa 47 b
Sobrefreqüência 81H b
Subfreqüência 81L b
Variação de freqüência por tempo 81R b
b básico
v segundo os sensores de medição conectados.

Seqüência das fases


A direção de rotação das 3 fases da rede é 1-2-3 ou 1-3-2, o comando de sucessão
das fases em rotação na direção trigonométrica.
A direção de rotação das fases deve ser configurada para obter um cálculo correto
dos componentes simétricos (Vd, Vi, V0Σ, Id, Ii, I0Σ).

Direção de rotação das fases 1-2-3.

Direção de rotação das fases 1-3-2.

20
Funções de medição Corrente de fase
Corrente residual

Corrente de fase
Funcionamento
Esta função fornece o valor eficaz das correntes de fases:
b I1: corrente de fase 1
b I2: corrente de fase 2
b I3: corrente de fase 3
b I’1: corrente de fase 1
}
canais principais

b I’2: corrente de fase 2


b I’3: corrente de fase 3
}
canais adicionais

Baseia-se na medição da corrente RMS e considera os harmônicos até 13ª ordem. 2


Diferentes tipos de sensores podem ser utilizados para medir a corrente de fase:
b transformadores de corrente 1 A ou 5 A
b sensores de corrente tipo LPCT (Low Power Current Transducer).

Leitura
Estas medições são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação
b por conversor analógico com a opção MSA141.

Características
Faixa de medição 0,02 a 40 In (1)
Unidade A ou kA
Resolução 0,1 A
Precisão ±0,5% típico (2)
±1% de 0,3 a 1,5 In
±2% de 0,1 a 0,3 In
Formato do display 3 dígitos significativos
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) In corrente nominal definida no ajuste dos parâmetros iniciais.
(2) A In, nas condições de referência (IEC 60255-6).

Corrente residual
Funcionamento
Esta função fornece o valor eficaz da corrente residual.
Baseia-se na medição da fundamental.
Em função do tipo de Sepam e dos sensores conectados, 4 valores de corrente
residual são disponíveis:
b 2 correntes residuais I0Σ e I’0Σ, calculadas pela soma fasorial das 3 correntes
de fase
b 2 correntes residuais I0 e I’0 medidas.
Diferentes tipos de sensores podem ser utilizados para medir a corrente residual:
b toróide específico CSH120 ou CSH200
b transformador de corrente clássico 1 A ou 5 A com adaptador toroidal CSH30
b toróide qualquer com adaptador ACE990.

Leitura
Estas medições são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação
b por conversor analógico com a opção MSA141.

Características
Faixa de medição I0Σ ou I’0Σ 0,005 a 40 In (1)
I0 ou I’0 medida por toróide CSH Ajuste In0 = 2 A 0,005 a 20 In0 (1)
In0 = 20 A 0,005 a 20 In0 (1)
I0 ou I’0 medida por toróide com ACE990 0,005 a 20 In0 (1)
I0 ou I’0 medida por TC com adaptador CSH30 0,005 a 20 In0 (1)
Unidade A ou kA
Resolução 0,1 A ou 1 dígito
Precisão (2) ±1% típico a In0
±2% de 0,3 a 1,5 In0
±5% de 0,1 a 0,3 In0
Formato do display 3 dígitos significativos
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) In, In0: correntes nominais definidas no ajuste dos parâmetros iniciais.
(2) Nas condições de referência (IEC 60255-6), fora a precisão des sensores.

21
Funções de medição Demanda de corrente e
demanda máxima de corrente

Funcionamento
As demandas de corrente e as demandas máximas de corrente são calculadas a
partir das 3 correntes de fases I1, I2 e I3:
b a demanda de corrente é calculada em um período de 5 a 60 minutos configurável
b a demanda máxima de corrente é o maior valor da demanda de corrente e permite
conhecer a corrente absorvida durante os picos de carga.
As demandas máximas de corrente podem retornar a zero. Elas são memorizadas
na interrupção da alimentação.

2 Leitura
Estas medições são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Reset
b pressione a tecla clear do display de Sepam quando uma demanda máxima de
corrente for visualizada
b pelo comando “clear” do software SFT2841
b pela comunicação (TC4).

Características
Faixa de medição 0,02 a 40 In (1)
Unidade A ou kA
Resolução 0,1 A
Precisão ±0,5% típico (2)
±1% de 0,3 a 1,5 In
±2% de 0,1 a 0,3 In
Formato do display 3 dígitos significativos
Período de integração 5, 10, 15, 30, 60 min
(1) In, corrente nominal definida no ajuste dos parâmetros iniciais.
(2) A In, nas condições de referência (IEC 60255-6).

Equivalências TS/TC para cada protocolo


Modbus DNP3 IEC 60870-5-103 IEC 61850
TC Binary Output ASDU, FUN, INF LN.DO.DA
TC4 BO12 - MSTA1.RsMaxA.ctlVal

22
Funções de medição Tensão fase-fase

Funcionamento
Esta função fornece o valor eficaz da fundamental 50 Hz ou 60 Hz:
b das tensões fase-fase principais:

v ( U21 = V1 – V2 ) , tensão entre as fases 2 e 1

v ( U32 = V2 – V3 ) , tensão entre as fases 3 e 2

v ( U13 = V3 – V1 ) , tensão entre as fases 1 e 3.

b das tensões fase-fase adicionais:


2
Rede 1-2-3: tensões fase-neutro e fase-fase. v ( U ′ 21 = V ′ 1 – V ′ 2 ) , tensão entre as fases 2 e 1

v ( U ′ 32 = V ′ 2 – V ′ 3 ) , tensão entre as fases 3 e 2

v ( U ′ 13 = V ′ 3 – V ′ 1 ) , tensão entre as fases 1 e 3.

Leitura
Estas medições são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação
b por conversor analógico com a opção MSA141.
Rede 1-3-2: tensões fase-neutro e fase-fase.
Características
Faixa de medição 0,05 a 1,2 Unp (1)
Unidade V ou kV
Resolução 1V
Precisão ±0,5% típico (2) canais principais
±1% típico (2) canais adicionais
±1% de 0,5 a 1,2 Unp
±2% de 0,06 a 0,5 Unp
Formato do display 3 dígitos significativos
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) Unp, tensão nominal primária definida no ajuste dos parâmetros iniciais.
(2) A Unp, nas condições de referência (IEC 60255-6).

23
Funções de medição Tensão fase-neutro

Funcionamento
Esta função fornece o valor eficaz da fundamental 50 Hz ou 60 Hz:
b das tensões fase-neutro principais V1, V2, V3 medidas nas fases 1, 2 e 3
b das tensões fase-neutro adicionais V’1, V’2, e V’3 medidas nas fases 1, 2, e 3.

Leitura
Estas medições são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
2 b pela comunicação
b por conversor analógico com a opção MSA141.

Características
Faixa de medição 0,05 a 1,2 Vnp (1)
Unidade V ou kV
Resolução 1V
Precisão ±0,5% típico (2) canais principais
±1% típico (2) canais adicionais
±1% de 0,5 a 1,2 Vnp
±2% de 0,06 a 0,5 Vnp
Formato do display 3 dígitos significativos
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) Vnp: tensão fase-neutro nominal primária (Vnp = Unp/3).
(2) A Vnp, nas condições de referência (IEC 60255-6).

24
Funções de medição Tensão residual
Tensão no ponto neutro

Tensão residual
Funcionamento
Esta função fornece o valor:

b da tensão residual principal V0 = V1 + V2 + V3

b da tensão residual adicional V ′ 0 = V ′ 1 + V ′ 2 + V ′ 3

O valor da tensão residual é:


b medido através de um TP em estrela/triângulo aberto
2
b calculada por soma interna das 3 tensões de fase.
Baseia-se na medição da fundamental 50 Hz ou 60 Hz das tensões.
Leitura
Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0,015 a 3 Vnp (1)
Unidade V ou kV
Resolução 1V
Precisão ±1% de 0,5 a 3 Vnp
±2% de 0,05 a 0,5 Vnp
±5% de 0,02 a 0,05 Vnp
Formato do display 3 dígitos significativos
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) Vnp: tensão fase-neutro nominal primária (Vnp = Unp/3).

Tensão no ponto neutro


Funcionamento
Esta função fornece o valor da tensão Vnt, medida no ponto neutro de um gerador
ou de um motor pelo TP dedicado:

Vnt = ( V1 + V2 + V3 ) ⁄ 3

Leitura
Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0,015 Vnp a 3 Vntp (1)
Unidade V ou kV
Resolução 1V
Precisão ±1% de 0,5 a 3 Vntp
±2% de 0,05 a 0,5 Vntp
±5% de 0,02 a 0,05 Vntp
Formato do display 3 dígitos significativos
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) Vntp: tensão primária do transformador de ponto neutro.

25
Funções de medição Tensão de seqüência positiva

Funcionamento
Esta função calcula o valor da tensão de seqüência positiva principal Vd:
b pelas 3 tensões fase-neutro principais:
1 2
v direção de rotação das fases 1-2-3: Vd = --- × ( V1 + aV2 + a V3 )
3
1 2
v direção de rotação das fases 1-3-2: Vd = --- × ( V1 + a V2 + aV3 )
3
b ou pelas 2 tensões fase-fase principais:
2 1 2
v direção de rotação das fases 1-2-3: Vd = --- × ( U21 – a U32 )
3
1
v direção de rotação das fases 1-3-2: Vd = --- × ( U21 – aU32 )
3

j -------
3
com a = e
A tensão de seqüência positiva adicional V’d é calculada da mesma maneira:
b pelas 3 tensões fase-neutro adicionais V’1, V’2 e V’3
b ou pelas 2 tensões fase-fase adicionais U’21 e U’32.

Leitura
Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0,05 a 1,2 Vnp (1)
Unidade V ou kV
Resolução 1V
Precisão ±2% a Vnp
Formato do display 3 dígitos significativos
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) Vnp: tensão fase-neutro nominal primária (Vnp = Unp/3).

26
Funções de medição Tensão de seqüência negativa

Funcionamento
Esta função calcula o valor da tensão de seqüência negativa principal Vi:
b pelas 3 tensões fase-neutro principais:
1 2
v direção de rotação das fases 1-2-3: Vi = --- × ( V1 + a V2 + aV3 )
3
1 2
v direção de rotação das fases 1-3-2: Vi = --- × ( V1 + aV2 + a V3 )
3
b ou pelas 2 tensões fase-fase principais:
1
v direção de rotação das fases 1-2-3: Vi = --- × ( U21 – aU32 )
2
3
1 2
v direção de rotação das fases 1-3-2: Vi = --- × ( U21 – a U32 )
3

j -------
3
com a = e
A tensão de seqüência negativa adicional V’i é calculada da mesma maneira:
b pelas 3 tensões fase-neutro adicionais V’1, V’2 e V’3
b ou pelas 2 tensões fase-fase adicionais U’21 e U’32.

Leitura
Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0,05 a 1,2 Vnp (1)
Unidade V ou kV
Resolução 1V
Precisão ±2% a Vnp
Formato do display 3 dígitos significativos
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) Vnp: tensão fase-neutro nominal primária (Vnp = Unp/3).

27
Funções de medição Freqüência

Funcionamento
Esta função fornece o valor da freqüência f.
A freqüência f é medida:
b a partir de U21 ou V1, se uma única tensão fase-fase estiver conectada no Sepam
b a partir da tensão de seqüência positiva nos outros casos.
A freqüência f não será medida se:
b a tensão U21 (ou V1) ou a tensão de seqüência positiva Vd for menor que 40%
de Un
b a freqüência f estiver fora da faixa de medição.
2 A medição da freqüência f’ é calculada seguindo o mesmo princípio a partir de V’d
ou U’21 ou V’1

Leitura
Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação
b por conversor analógico com a opção MSA141.

Características
Canais principais
Freqüência nominal fn 50 Hz, 60 Hz
Faixa 25 a 65 Hz
Resolução (1) 0,01 Hz
Precisão (2) ±0,01 Hz
Formato do display 3 dígitos significativos
Período de atualização 1 segundo (típico)
Canais adicionais
Freqüência nominal fn 50 Hz, 60 Hz
Faixa 45 a 55 Hz (fn = 50 Hz)
55 a 65 Hz (fn = 60 Hz)
Resolução (1) 0,01 Hz
Precisão (2) ±0,05 Hz
Formato do display 3 dígitos significativos
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) No SFT2841.
(2) A Unp, nas condições de referência (IEC 60255-6).

28
Funções de medição Potências ativa, reativa e aparente

Funcionamento
As potências são calculadas a partir das correntes de fases I1, I2 e I3:
b potência ativa = 3.U.I cos ϕ
b potência reativa = 3.U.I.sin ϕ
b potência aparente = 3.U.I.
Em função dos sensores conectados, o cálculo das potências baseia-se no método
dos 2 ou 3 wattímetros (ver tabela abaixo).
O método dos 2 wattímetros é preciso na ausência de corrente residual, e não é
aplicável se o neutro for distribuído.
O método dos 3 wattímetros permite o cálculo exato das potências trifásicas e fase
a fase em todos os casos, com neutro distribuído ou não. 2
Conexão dos canais Conexão dos canais de Método de cálculo de P, Q, S Potência por fase
de tensão corrente principais P1, P2, P3
Q1, Q2, Q3
S1, S2, S3
3V I1, I2, I3 3 wattímetros Disponível
I1, I3 2 wattímetros Indisponível
U32, U21 + V0 I1, I2, I3 3 wattímetros Disponível
I1, I3 2 wattímetros Indisponível
U32, U21 sem V0 I1, I2, I3 ou I1, I3 2 wattímetros Indisponível
U21 I1, I2, I3 ou I1, I3 2 wattímetros Indisponível
A rede é considerada equilibrada em tensão
V1 I1, I2, I3 ou I1, I3 Sem cálculo P1, Q1, S1 somente

Cálculo das potências


b pelo método dos 3 wattímetros:

P = V1 I1 cos (V1,I1) + V2 I2 cos (V2,I2) + V3 I3 cos (V3,I3)

Q = V1 I1 sin (V1,I1) + V2 I2 sin (V2,I2) + V3 I3 sin (V3,I3)

b pelo método dos 2 wattímetros:

P = U21 I1 cos (U21,I1) – U32 I3 cos (U32,I3)

Q = U21 I1 sin (U21,I1) – U32 I3 sin (U32,I3)

2 2
b S = P +Q .

Por convenção, considera-se que:


b pelo circuito alimentador (1):
v uma potência exportada pelo barramento é positiva
v uma potência fornecida ao barramento é negativa.

+ direção
do fluxo

b pelo circuito de entrada (1):


v uma potência fornecida ao barramento é positiva
v uma potência exportada pelo barramento é negativa.
+ direção
do fluxo

(1) Escolha a ser ajustada nos parâmetros iniciais.

29
Funções de medição Potências ativa, reativa e aparente

Leitura
Estas medições são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação
b por conversor analógico com a opção MSA141.

Características
Potência ativa P, P1, P2, P3 Potência reativa Q, Q1, Q2, Q3 Potência aparente S, S1, S2, S3
2 Faixa de medição
Unidade
±(0,8% Sn aa 999 MW) (1)
kW, MW
±(0,8% Sn a 999 Mvar) (1)
kvar, Mvar
0,8% Sn a 999 MVA (1)
kVA, MVA
Resolução 0,1 kW 0,1 kvar 0,1 kVA
Precisão ±1% de 0,3 a 1,5 Sn (2) ±1% de 0,3 a 1,5 Sn (3) ±1% de 0,3 a 1,5 Sn
±3% de 0,1 a 0,3 Sn (2) ±3% de 0,1 a 0,3 Sn (3) ±3% de 0,1 a 0,3 Sn
Formato do display 3 dígitos significativos 3 dígitos significativos 3 dígitos significativos
Período de atualização 1 segundo (típico) 1 segundo (típico) 1 segundo (típico)
(1) Sn = 3Unp.In.
(2) A In, Unp, cos ϕ > 0,8 nas condições de referência (IEC 60255-6).
(3) A In, Unp, cos ϕ < 0,6 nas condições de referência (IEC 60255-6).

30
Funções de medição Demanda máxima de potência
ativa e reativa
Fator de potência (cos ϕ)

Demanda máxima de potência ativa e reativa


Funcionamento
Esta função fornece o maior valor médio da demanda ativa ou reativa depois do
último reset.
Estes valores são atualizados após cada “período de integração”, período ajustável
de 5 a 60 min (período comum com os picos de demanda de corrente de fase).
Estes valores são memorizados em caso de interrupção da alimentação.

Leitura
Estas medições são acessíveis:
2
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Reset
b pela tecla
clear
do display do Sepam, se uma demanda for visualizada
b pelo comando “clear” do software SFT2841
b pela comunicação (TC5).

Características
Potência ativa Potência reativa
Faixa de medição ±(1,5% Sn a 999 MW) (1) ±(1,5% Sn a 999 Mvar) (1)
Unidade kW, MW kvar, Mvar
Resolução 0,1 kW 0,1 kvar
Precisão ±1%, típico (2) ±1% típico (3)
Formato do display 3 dígitos significativos 3 dígitos significativos
Período de integração 5, 10, 15, 30, 60 min 5, 10, 15, 30, 60 min
(1) Sn = 3Unp.In.
(2) A In, Unp, cos ϕ > 0,8 nas condições de referência (IEC 60255-6).
(3) A In, Unp, cos ϕ < 0,6 nas condições de referência (IEC 60255-6).

Equivalências TS/TC para cada protocolo


Modbus DNP3 IEC 60870-5-103 IEC 61850
TC Binary Output ASDU, FUN, INF LN.DO.DA
TC5 BO14 - MSTA1.RsMaxPwr.ctlVal

Fator de potência (cos ϕ)


Funcionamento
O fator de potência é definido por: cos ϕ = P ⁄ P 2 + Q 2 .
Ele expressa a defasagem angular entre as correntes de fases e as tensões
fase-neutro.
Os sinais + e -, assim como as indicações IND (indutiva) e CAP (capacitiva) indicam
a direção do fluxo da energia, como também a natureza das cargas.

Leitura
Estas medições são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição -1 a 1 IND/CAP
Resolução 0,01
Precisão (1) 0,01 típico
Formato do display 3 dígitos significativos
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) A In, Unp, cos ϕ > 0,8 nas condições de referência (IEC 60255-6).

31
Funções de medição Energia ativa e reativa

Energia ativa e reativa calculada


Funcionamento
Esta função fornece os valores de energia ativa e reativa, calculados a partir das
tensões e da correntes I1, I2, I3:
b uma medição para a energia que transita em uma direção
b uma medição para a energia que transita na direção oposta.
Baseia-se na medição da fundamental.
Estas medições são memorizadas em caso de interrupção da alimentação.
2 Leitura
Estas medições são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Energia ativa Energia reativa
Capacidade de medição 0 a 2,1 108 MW.h 0 a 2,1 108 Mvar.h
Unidade MW.h Mvar.h
Resolução 0,1 MW.h 0,1 Mvar.h
Precisão ±1% típico (1) ±1% típico (1)
Formato do display 10 dígitos significativos 10 dígitos significativos
(1) A In, Unp, cos ϕ > 0,8 nas condições de referência (IEC 60255-6).

Energia ativa e reativa por medição de pulso


Funcionamento
Esta função permite a medição da energia através das entradas lógicas. Um
incremento de energia é associado a cada entrada (a ajustar nos parâmetros
iniciais). A cada pulso de entrada, o incremento é adicionado à medição.
4 entradas e 4 medições são disponíveis:
b energia ativa positiva e negativa
b energia reativa positiva e negativa.
Estas medições são memorizadas em caso de interrupção da alimentação.

Leitura
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Energia ativa Energia reativa
Capacidade de medição 0 a 2,1 108 MW.h 0 a 2,1 108 Mvar.h
Unidade MW.h Mvar.h
Resolução 0,1 MW.h 0,1 Mvar.h
Formato do display 10 dígitos significativos 10 dígitos significativos
Incremento 0,1 kW.h a 5 MW 0,1 kvar.h a 5 Mvar.h
Pulso 15 ms mín. 15 ms mín.

32
Funções de medição Temperatura

Funcionamento
Esta função fornece o valor da temperatura medida pelos sensores tipo sonda
térmica com resistência:
b de platina Pt100 (100 Ω a 0°C) conforme as normas IEC 60751
e DIN 43760
b níquel 100 Ω ou 120 Ω (a 0°C).
Cada sensor mede sua respectiva temperatura:
tx = temperatura do sensor x.
Esta função detecta as falhas dos sensores:
b sensor desconectado (t°C > 205°C)
b sensor em curto-circuito (t°C < -35°C). 2
Em caso de falha, a visualização do valor é inibida.
A função de monitoramento associada gera um alarme de manutenção.

Leitura
Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla , em °C ou em °F
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação
b por conversor analógico com a opção MSA141.

Características
Faixa -30°C a +200°C
Resolução 1°C ou 1°F
Precisão ±1°C de +20 a +140°C
±2°C de -30 a +20°C
±2°C de +140 a +200°C
Período de atualização 5 segundos (típico)

Redução da precisão em função da fiação


b ligação em modo a 3 fios: o erro ∆t é proporcional ao comprimento do cabo e
inversamente proporcional à sua secção:
I ( km )
∆t ( °C ) = 2 × ----------------------
-
S ( mm 2 )
v ±2,1°C/km para secção de 0,93 mm2
v ±1°C/km para secção de 1,92 mm2.

33
Funções de medição Velocidade de rotação

Funcionamento
Esta função fornece a velocidade de rotação do rotor de um motor ou de um gerador.
Ela é calculada por medição do intervalo de tempo entre dois pulsos transmitidos por
um sensor de proximidade em cada passagem de um came acionado pela rotação
do eixo de um motor ou gerador. O número de pulsos por rotacão é ajustado na tela
“características especiais” do SFT2841. O sensor de proximidade deve estar
conectado na entrada lógica I104.

1 Rotor com 2 cames.


2 Sensor de proximidade.

Leitura
Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa 0 a 7200 rpm
Resolução 1 rpm
Precisão ±1 rpm
Período de atualização 1 segundo (típico)
Número de pulsos por 1 a 1800 com Ωn.R/60 y 1500
rotação (R) (Ωn: velocidade nominal em rpm)
Sensor de proximidade Banda de falta (em Hz) > 2.Ωn.R/60
Saída 24 a 250 V CC, 3 mA mínimo
Corrente de fuga < 0,5 mA
em estado aberto
Baixa de tensão < 4 V (se alimentação 24 V CC)
no estado fechado
Duração do pulso estado 0 > 120 µs
estado 1 > 200 µs

34
Funções de medição Diagrama fasorial

Funcionamento
Esta função mostra uma representação fasorial do componente da fundamental das
medições de corrente e tensão, tal como é obtida pelo Sepam, sem nenhuma
correção. Isto permite uma ajuda eficaz na verificação das fiações e na operação
das funções de proteção direcional e diferencial.
Esta função é completamente configurável. As seguintes escolhas são propostas
para adaptar a representação fasorial à necessidade:
b escolha das medições a serem representadas no diagrama fasorial
b escolha do fasor de referência
b escolha do modo de representação
Medições a serem representadas
2
b correntes de fases dos canais principais e adicionais
b correntes residuais medidas ou por soma do canal principal e adicional
b componentes simétricos de corrente Id, Ii, I0Σ/3
b tensões fase-neutro dos canais principais e adicionais
b tensões fase-fase dos canais principais e adicionais
b tensões residuais dos canais principais e adicionais
b componentes simétricos de tensão Vd, Vi, V0/3
Fasor de referência
O fasor de referência a partir do qual serão calculadas as defasagens dos outros
fasores representados, pode ser escolhido entre os fasores de corrente ou tensão
de fase ou residual. Quando o fasor de referência for muito pequeno (< 2% In para
correntes ou 5% Un para tensões), a visualização será impossível.
Modo de representação
b Visualização em valor real: as medições são representadas sem modificação, em
escala escolhida em relação à respectiva grandeza nominal:
v 0 a 2 Máx. (In, I'n) para as correntes
v 0 a 2 Máx. (Unp, U'np) para as tensões.
b Visualização em valor normalizado em relação ao máximo: as medições são
normalizadas em relação à maior das medições de mesmo tipo. Esta última é
visualizada em escala plena com um módulo de valor 1, as outras são visualizadas
em valor relativo em relação a ela. Esta visualização permite uma resolução angular
máxima, independentemente dos valores medidos, conservando os valores
relativos entre as medições.
b Visualização em valor normalizado em 1: todas as medições são normalizadas
em relação a elas próprias, logo, visualizadas com um módulo de valor 1 igual à
escala plena. Esta visualização permite representação ótima dos ângulos entre
fasores, mas não permite uma comparação dos módulos.
b Visualização dos valores de tensão fase-fase em triângulo: para uma
representação mais comum dos fasores de tensões fase-fase.
Diagrama fasorial no SFT2841
b Visualização / eliminação da escala: para permitir a leitura clara dos fasores
visualizados.

Leitura
O conjunto das possibilidades descritas acima são acessíveis através do software
SFT2841de configuração e de operação.
Na IHM mnemônica, duas representações predefinidas são disponíveis:
b visualização das 3 correntes de fases e 3 tensões fase-neutro dos canais principais
b visualização das 3 correntes de fases dos canais principais e das 3 correntes de
fases dos canais adicionais.

Características
Opções de visualização do diagrama fasorial no SFT2841
Medições a ser representada
Escolha múltipla possível entre I1, I2, I3, I0, I0Σ, Id, Ii, I0Σ/3, I'1, I'2, I'3, I'0, I'0Σ
V1, V2, V3, V0, U21, U32, U13, Vd, Vi, V0/3
V'1, V'2, V'3, V'0, U'21, U'32, U'13
Fasor de referência
Uma única escolha entre I1, I2, I3, I0, I0Σ, I'0, I'0Σ
V1, V2, V3, V0, U21, U32, U13,
V'1, V'2, V'3, V'0, U'21, U'32, U'13
Modo de representação
Representação das correntes verdadeiro (valor verdadeiro)
/ máx (valor normalizado em relação ao máximo)
= 1 (valor normalizado em 1)
Representação das tensões verdadeiro (valor verdadeiro)
/ máx (valor normalizado em relação ao máximo)
= 1 (valor normalizado em 1)
Tensão fase-fase estrela/triângulo
Visualização da escala sim/não

35
Funções de Contexto de trip
diagnóstico da rede Corrente de trip

Contexto de trip
Funcionamento
Esta função fornece os valores das grandezas físicas no momento do trip (ativação
do contato de trip na saída 01) para permitir uma análise da causa da falha.
Valores disponíveis pelo display do Sepam:
b correntes de trip
b correntes residuais I0, I’0, I0Σ e I’0Σ
b correntes diferenciais e de restrição
2 b tensões fase-fase
b tensão residual
b tensão no ponto neutro
b tensão de 3ª harmônica, ponto neutro e residual
b freqüência f
b potência ativa
b potência reativa
b potência aparente.
Além dos valores disponíveis pelo display do Sepam, o software SFT2841 permite
obter os seguintes valores:
b tensões fase-neutro
b tensão de seqüência negativa
b tensão de seqüência positiva.
Os valores correspondentes aos cinco últimos trips são memorizados com data e
hora da atuação. Eles são memorizados em caso de interrupção da alimentação.
Após a memorização de 5 contextos de trip, o valor correspondente a um novo trip
sobrescreve o contexto do trip mais antigo.

Leitura
Estas medições são acessíveis nos contextos de trip:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

I TRIP 1 Corrente de trip


Funcionamento
Esta função fornece o valor eficaz das correntes no momento presumido do último
trip:
b TRIPI1: corrente de fase 1

comando
b TRIPI2: corrente de fase 2
b TRIPI3: corrente de fase 3
b TRIPI’1: corrente de fase 1
}
canais principais

de trip
30 ms b TRIPI’2: corrente de fase 2
b TRIPI’3: corrente de fase 3
Baseia-se na medição da fundamental.
}
canais adicionais

T0 t
Esta medição é definida como o valor eficaz máximo medido durante um intervalo
Aquisição da corrente de trip TRIPI1. de 30 ms após a ativação do contato de trip na saída O1.

Leitura
Estas medições são acessíveis nos contextos de trip:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0,1 a 40 In (1)
Unidade A ou kA
Resolução 0,1 A
Precisão ±5% ±1 dígito
Formato do display 3 dígitos significativos
(1) In, corrente nominal definida no ajuste dos parâmetros iniciais.

36
Funções de Número de trips por sobrecorrente
diagnóstico da rede de fase
Número de trips por fuga à terra

Número de trips por sobrecorrente de fase


Funcionamento
Esta função registra as sobrecorrentes de fase ocorridas na rede que provocaram o
trip do disjuntor.
A contagem considera os trips gerados pelas funções de proteção 50/51,
50V/51V, 67.
Se houver seletividade entre diversos disjuntores, somente o Sepam que dá a
ordem de trip registra a falha.
As falhas fugitivas eliminadas pelo religamento são registradas. 2
O número de trips por sobrecorrente de fase é memorizado em caso de interrupção
da alimentação auxillar. Ele pode ser reinicializado utilizando o software SFT2841.

Leitura
Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0 a 65535
Unidade nenhuma
Resolução 1
Período de atualização 1 segundo (típico)

Número de trips por fuga à terra


Funcionamento
Esta função registra as fugas à terra ocorridas na rede que provocaram o trip do
disjuntor.
A contagem considera os trips gerados pelas funções de proteção 50N/51N, e 67N.
Se houver seletividade entre diversos disjuntores, somente o Sepam que dá a
ordem de trip registra a falha.
As falhas fugitivas eliminadas pelo religamento são registradas.

O número de trips por fuga à terra é memorizado em caso de interrupção da


alimentação auxillar. Ele pode ser reinicializado utilizando o software SFT2841.

Leitura
Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0 a 65535
Unidade nenhuma
Resolução 1
Período de atualização 1 segundo (típico)

37
Funções de Taxa de desbalanço / corrente de
diagnóstico da rede seqüência negativa

Funcionamento
Esta função fornece a taxa de componente de seqüência negativa:
T = Ii/Ib ou T’ = I’i/I’b.
A corrente de seqüência negativa é determinada pelas correntes de fase:
b 3 fases:
1 ⎛ 2 ⎞
v direção de rotação das fases 1-2-3: I i = --- × ⎝ I1 + a xI2 + aI3⎠
3
1 ⎛ 2 ⎞
v direção de rotação das fases 1-3-2: I i = --- × ⎝ I1 + aI2
x + a I3⎠
3

2 b 2 fases:
1 2
v direção de rotação das fases 1-2-3: I i = ------- × I1 – a I3
3
1
v direção de rotação das fases 1-3-2: I i = ------- × I1 – aI3
3

j -------
3
com a = e

Na ausência de fuga à terra, as fórmulas para 2 correntes de fase são equivalentes


às para 3 correntes de fase.

Leitura
Estas medições são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 10 a 500%
Unidade % Ib ou% I’b
Resolução 1%
Precisão ±2%
Formato do display 3 dígitos significativos
Período de atualização 1 segundo (típico)

38
Funções de Distorção harmônica total de
diagnóstico da rede corrente
Distorção harmônica total de
tensão

Distorção harmônica total de corrente


Funcionamento
A taxa de distorção harmônica total da corrente Ithd permite avaliar a qualidade da
corrente. É calculada na fase I1 considerando os harmônicos até a 13ª ordem.

O cálculo é realizado em 50 períodos com a seguinte fórmula:


2
Ithd = 100% ⎛⎝ --------------⎞⎠ – 1
RMS

com:
H1
2
RMS = valor RMS da corrente I1 até o harmônico de 13ª ordem
H1 = valor da fundamental da corrente I1

Leitura
Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0 a 100%
Unidade %
Resolução 0,1%
Precisão (1) ±1% a In para Ithd > 2%
Formato do display 3 dígitos significativos
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

Distorção harmônica total de tensão


Funcionamento
A taxa de distorção harmônica total da tensão Uthd permite avaliar a qualidade da
tensão. É calculada na medição de U21 ou V1 segundo a configuração, levando em
conta os harmônicos até a 13ª ordem.

O cálculo é realizado em 50 períodos com a seguinte fórmula:


RMS 2
Uthd = 100% ⎛⎝ --------------⎞⎠ – 1
H1
com:
RMS = valor RMS da tensão U21(ou V1) até o harmônico de 13ª ordem
H1 = valor da fundamental da tensão U21 (ou V1)

Leitura
Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0 a 100%
Unidade %
Resolução 0,1%
Precisão (1) ±1% a Un ou Vn para Uthd > 2%
Formato do display 3 dígitos significativos
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

39
Funções de Defasagem angular ϕ0, ϕ'0, ϕ0Σ
diagnóstico da rede Defasagem angular ϕ1, ϕ2, ϕ3

Defasagem angular ϕ0, ϕ'0, ϕ0Σ


Funcionamento
Esta função fornece a defasagem angular medida entre a tensão residual e a
corrente residual no sentido trigonométrico (ver esquema). Esta medição é útil,
durante o comissionamento, para verificar se a proteção de direcional de fuga à terra
está corretamente conectada.
Defasagem angular ϕo.
Três valores são disponíveis:
b ϕ0, ângulo entre V0 e I0 medido
2 b ϕ'0, ângulo entre V0 e I’0 medido
b ϕ0Σ, ângulo entre V0 e I0Σ calculado com base na soma das correntes de fase.

Leitura
Estas medições são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0 a 359°
Resolução 1°
Precisão ±2°
Período de atualização 2 segundos (típico)

Defasagem angular ϕ1, ϕ2, ϕ3


I1 Funcionamento
Esta função fornece a defasagem angular entre as tensões V1, V2, V3 e as
correntes I1, I2, I3 respectivamente no sentido trigonométrico (ver esquema).
1 Estas medições são úteis no comissionamento do Sepam para verificar a fiação
V1
correta das entradas de tensão e de corrente. Quando as tensões fase-fase U21,
Defasagem angular ϕ1. U32 estão conectadas ao Sepam e na ausência de medição da tensão residual V0,
a tensão residual é supostamente zero. Não funciona quando somente a tensão U21
ou V1 está conectada ao Sepam.
Esta função considera a convenção de fluxo da energia nos circuitos de partida e de
entrada (ver “Medições de potência”). Com isto, os ângulos ϕ1, ϕ2, ϕ3 são
corrigidos em 180° com relação aos valores obtidos pelo Sepam para os circuitos
de entrada.

Leitura
Estas medições são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0 a 359°
Resolução 1°
Precisão ±2°
Período de atualização 2 segundos (típico)

40
Funções de Oscilografia
diagnóstico da rede

Funcionamento
Esta função permite o registro dos sinais analógicos e dos estados lógicos.
A memorização do registro é provocada por um ou mais eventos configurados com
o software SFT2841.
O registro memoriza antes do evento e continua posteriormente.
O registro é composto das seguintes informações:
b os valores das amostragens nos diferentes sinais
b a data
b as características dos canais registrados.
A duração e o número de registro são configuráveis com o software SFT2841.
Os arquivos são registrados em modo FIFO (First In First Out) na memória: quando 2
o número máximo de registros é atingido, o registro mais antigo é apagado quando
o novo registro é disparado.
Transferência
A transferência dos arquivos pode ser realizada no local ou remotamente:
b local: utilizando um PC conectado ao painel frontal, utilizando o software SFT2841
b remotamente: utilizando um software específico para o sistema de controle e
monitoramento.
Recuperação
Os sinais são recuperados de um registro e são lidos com um PC, utilizando o
software SFT2826.

Esquema
registro armazenado

tempo

evento disparado

Características
Conteúdo de um registro Arquivo de configuração:
data, características dos canais, relação de
transformação da cadeia de medição
Arquivo das amostragens:
sinais registrados
Freqüência de amostragens (1) 12 ou 36 pontos por período da rede
Sinais analógicos registrados (2) Canais de corrente I1, I2, I3, I0, I’1, I’2, I’3, I’0
Canais de tensão de fase V1, V2, V3,U21, U32, V’1, V’2,
V’3, U’21, U’32
Canais de tensão residual V0, Vnt ou V’0
Estados lógicos registrados (1) (3) Todas ou parte das seguintes informações:
b todas as entradas / saídas lógicas
b o sinal pick-up
b uma informação configurável pelo editor de equações
lógicas (V_FLAGREC)
ou 15 informações configuráveis pelo Logipam
(V_FLAGREC, V_FLAGREC2 a V_FLAGREC15)
Número de registros (1) 1 a 19
Duração total de um registro (1) 1 s a 20 s
Capacidade máxima de 22 s a 50 Hz, 12 pontos por período
memorização 18 s a 60 Hz, 12 pontos por período
(ocupação da memória 7 s a 50 Hz, 36 pontos por período
OPG = 100%) 6 s a 60 Hz, 36 pontos por período
Período registrados antes do 0 a 99 períodos
evento do disparo (1)
Formato dos arquivos COMTRADE 97
(1) Configurar com o software SFT2841.
(2) Depende do tipo e conexão dos sensores.
(3) Segundo a configuração de hardware do Sepam.

41
Funções de Check de sincronismo:
diagnóstico da rede comparação das tensões e
contexto de não sincronismo

Funcionamento
Comparação das tensões
Para assegurar a função de check de sincronismo (ANSI 25), o módulo MCS025
mede permanentemente a diferença de amplitude, o taxa de variação de freqüência
e a diferença de fase entre as 2 tensões a controlar, Usynch1 e Usynch2.
A medição dos desvios entre estas 2 tensões ajuda na operação da função e
identifica a grandeza na origem de uma impossibilidade de sincronização.
Os diferentes desvios são calculados na seguinte ordem: diferença de amplitude,
taxa de variação de freqüência e depois diferença de fase. Se um desvio for superior
2 ao ajuste regulado na função de check de sincronismo, os desvios seguintes não
serão calculados.

Contexto de não sincronismo


O contexto de não sincronismo permite conhecer precisamente a causa da falha de
uma ordem de sincronização.
Somente será fornecido quando a função de controle dos dispositivos com a opção
“fechamento com check de sincronismo” estiver em operação.

Quando uma ordem de sincronismo não é executada, os desvios de amplitude, de


freqüência e de fase das tensões Usynch1 e Usynch2 medidos pelo módulo
MCS025 são registrados, com data e hora, no final da temporização “tempo de
ordem de fechamento” da função controle do equipamento.

Leitura
Os desvios de amplitude, de freqüência e de fase e o contexto de não sincronismo
são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Diferença de amplitude
Faixa de medição 0 a 120% de Usynch1 (ou Vsynch1)
Unidade % de Usynch1 (ou Vsynch1)
Resolução 0,1%
Precisão ±2%
Período de atualização 1 segundo (típico)
Taxa de variação de freqüência
Faixa de medição 0 a 10 Hz
Unidade Hz
Resolução 0,01 Hz
Precisão 0,05 Hz
Período de atualização 1 segundo (típico)
Diferença de fase
Faixa de medição 0 a 359°
Unidade °
Resolução 1°
Precisão ±2°
Período de atualização 1 segundo (típico)

42
Funções de ajuda na Capacidade térmica utilizada
operação das máquinas Constante de tempo de
resfriamento

Capacidade térmica utilizada


Funcionamento
A capacidade térmica utilizada é calculada através da função de proteção de
sobrecarga térmica para cabos, capacitores ou máquinas.
A capacidade térmica utilizada é relativa à carga. A medição da capacidade térmica
utilizada é expressa em porcentagem da capacidade térmica nominal.

Memorização da capacidade térmica utilizada


A capacidade térmica utilizada é memorizada quando a alimentação do Sepam
falhar. Este valor memorizado é utilizado no retorno após o restabelecimento da 2
alimentação.

Leitura
Estas medições são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação
b por conversor analógico com a opção MSA141.

Reset
O reset da capacidade térmica utilizada é possível, após a inserção da senha de
acesso:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
clear

b na tela de um PC com o software SFT2841.

Características
Faixa de medição 0 a 800%
Unidade %
Formato do display 3 dígitos significativos
Resolução 1%
Período de atualização 1 segundo (típico)

Constante de tempo de resfriamento


Funcionamento
A função de proteção de sobrecarga térmica de máquina (49 RMS máquina) utiliza
a constante de tempo de resfriamento (T2), que deve ser inserida pelo usuário, de
acordo com os dados fornecidos pelo fabricante da máquina ou automaticamente
ajustados pelo Sepam.
A estimativa de T2 é feita:
b após uma seqüência de aquecimento/resfriamento:
v período de aquecimento detectado por ES > 70%
v seguido de uma parada detectada por I < 10% de Ib
b quando a temperatura da máquina for medida por sensores conectados ao
módulo MET148-2 nº 1:
v sensores 1, 2 ou 3 atribuídos para medição da temperatura do estator dos
motores/geradores
v sensores 1, 3 ou 5 atribuídos para medição da temperatura dos transformadores.
Após cada nova seqüência aquecimento/resfriamento detectada, um novo valor de
T2 é estimado e visualizado na tela correspondente no SFT2841. A utilização do
sensor nº 8 para medir a temperatura ambiente permite melhorar a precisão das
estimativas destas medições.
A função sobrecarga térmica da máquina dispõe de 2 grupos de ajustes térmicos
para atender, por exemplo, o caso de ventilação natural ou forçada ou motores com
2 velocidades. Uma constante de tempo é estimada para cada grupo de ajustes
térmicos.

Leitura
Estas medições são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 5 a 600 min
Unidade min
Resolução 1 min
Precisão ±5%
Formato do display 3 dígitos significativos

43
Funções de ajuda na Tempo de operação antes do trip
operação das máquinas Tempo de espera após o trip

Tempo de operação restante antes do trip


por sobrecarga
Funcionamento
O tempo é calculado pela função de proteção de sobrecarga térmica do cabo, do
capacitor ou da máquina. Este tempo depende da capacidade térmica utilizada.

Leitura
2 Estas medições são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0 a 999 min
Unidade mn
Formato do display 3 dígitos significativos
Resolução 1 min
Período de atualização 1 segundo (típico)

Tempo de espera após o trip por sobrecarga


Funcionamento
O tempo é calculado pela função de proteção de sobrecarga térmica do cabo, do
capacitor ou da máquina. Este tempo depende da capacidade térmica utilizada.

Leitura
Estas medições são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0 a 999 min
Unidade min
Formato do display 3 dígitos significativos
Resolução 1 min
Período de atualização 1 segundo (típico)

44
Funções de ajuda na Contador de horas de funcionamento
operação das máquinas e tempo de operação
Corrente e tempo de partida

Contador de horas de funcionamento e


tempo de operação
Este contador fornece o tempo total de operação durante o qual o dispositivo
protegido (motor, gerador ou transformador) operou, isto é, quando uma corrente de
fase foi superior a 10% de Ib.
Para as aplicações com capacitor, 4 contadores são disponíveis para os tempos de
operação dos estágios 1 a 4. Estes contadores totalizam o tempo em que um
estágio de banco de capacitores esteve conectado à rede (interruptor na posição
fechado).
O valor inicial dos contadores é modificável pelo software SFT2841.
2
Estes contadores são memorizados na interrupção da alimentação auxiliar.

Leitura
Estas medições são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa 0 a 65535
Unidade horas

Corrente e tempo de partida


Funcionamento
Corrente de O tempo de partida é definido como segue:
partida medida b se a proteção Partida longa, rotor bloqueado (código ANSI 48/51LR) estiver ativa,
I máx.
o tempo de partida é o tempo que separa o momento em que uma das 3 correntes
de fase ultrapassa Is e o momento em que as 3 correntes ficam abaixo de Is, Is
sendo o valor do nível de corrente da proteção 48/51LR.
b se a proteção Partida longa, rotor bloqueado (código ANSI 48/51LR) não estiver
ativa, o tempo de partida é o tempo que separa o momento em que uma das 3
correntes de fase ultrapassa1,2 Ib e o momento em que as 3 correntes ficam abaixo
de 1,2 Ib.
A corrente de fase máxima obtida durante este tempo corresponde à corrente de
partida.
1,2 lb
Os 2 valores são memorizados na interrupção da alimentação auxiliar.

Leitura
lb Estas medições são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
Tempo da partida b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Tempo de partida
Faixa de medição 0 a 300 s
Unidade s ou ms
Formato do display 3 dígitos significativos
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Período de atualização 1 segundo (típico)
Corrente de partida
Faixa de medição 48/51LR ativa Is a 24 In (1)
48/51LR inativa 1,2 Ib a 24 In (1)
Unidade A ou kA
Formato do display 3 dígitos significativos
Resolução 0,1 A ou 1 dígito
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) Ou 65,5 kA.

45
Funções de ajuda na Número de partidas antes da
operação das máquinas inibição
Tempo de inibição da partida

Número de partidas antes da inibição


Funcionamento
O número de partidas permitidas antes da inibição é calculado pela função de
proteção partidas por hora.
Este número de partidas depende do estado térmico do motor.

Leitura
Estas medições são acessíveis:
2 b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Reset
O número dos contadores de partidas pode retornar a zero (reset), após inserir a
senha de acesso:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
clear

b na tela de um PC com o software SFT2841.

Características
Faixa de medição 0 a 60
Unidade nenhuma
Formato do display 3 dígitos significativos
Resolução 1
Período de atualização 1 segundo (típico)

Tempo de inibição da partida


Funcionamento
O tempo de inibição da partida é calculado pela função de proteção partidas por
hora.
A função de proteção partidas por hora indicará “Partida não autorizada”, quando o
número de partidas autorizadas for atingido e que o disjuntor está aberto. Este
tempo representa o tempo de espera antes que uma partida seja novamente
autorizada.

Leitura
O número de partidas e o tempo de espera são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0 a 360 min
Unidade min
Formato do display 3 dígitos significativos
Resolução 1 min
Período de atualização 1 segundo (típico)

46
Funções de ajuda na Corrente diferencial
operação das máquinas Corrente de restrição

Corrente diferencial
Funcionamento
A corrente diferencial Id é calculada para facilitar a operação das funções de
proteção diferenciais ANSI 87T e ANSI 87M:
b para máquinas rotativas (ANSI 87M), ela é calculada para cada fase por:
Id = I + I′
b quando um transformador é utilizado (ANSI 87T), o cálculo de Id considera o
defasagem angular e a relação de transformação:
Id = Irec + I′rec
2
O valor de Id é expresso em relação a In1 (a corrente nominal dos canais principais).

Leitura
Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0,015 a 40 In
Unidade A ou kA
Resolução 0,1 A
Precisão (1) ±5%
Formato do display 3 dígitos significativos
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) A In, nas condições de referência (IEC 60255-6).

Corrente de restrição
Funcionamento
A corrente de restrição It é calculada para facilitar a operação das funções de
proteção diferenciais ANSI 87T e ANSI 87M:
b para máquinas rotativas (ANSI 87M), ela é calculada para cada fase por:

I – I′
It = -------------
-
2
b quando um transformador é utilizado (ANSI 87T), o cálculo de It considera o
defasagem angular e a relação de transformação:

It = max ( Irec , I′rec )


O valor de It é expresso em relação a In1 (a corrente nominal dos canais principais).

Leitura
Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0,015 a 40 In
Unidade A ou kA
Resolução 0,1 A
Precisão (1) ± 5%
Formato do display 3 dígitos significativos
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) A In, nas condições de referência (IEC 60255-6).

47
Funções de ajuda na Defasagem da corrente de fase
operação das máquinas

Funcionamento
A defasagem da corrente de fase (θ1, θ2, θ3) é calculada para cada fase entre as
correntes de fases principais (I) e as correntes de fases adicionais (I').
As medições são corrigidas ao considerar a conexão e a direção de rotação das
fases para criar uma imagem no diagrama fasorial que deve ser ajustado para
utilizar a proteção diferencial ANSI 87T: θi/30 = diagrama fasorial.

Leitura
Esta medição é acessível:

2 b pelo display do Sepam utilizando a tecla


b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0 a 359°
Unidade °
Resolução 1°
Precisão (1) ±2°
Formato do display 3 dígitos significativos
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) A In, nas condições de referência (IEC 60255-6).

48
Funções de ajuda na Impedância de seqüência positiva
operação das máquinas aparente
Impedância entre fases aparente

Impedância aparente de seqüência positiva


Funcionamento
A impedância de seqüência positiva aparente é utilizada para facilitar a
implementação da função de proteção contra perdas de excitação de campo com
subimpedância (ANSI 40).
Vd
Zd = -----------
Id

Leitura 2
Esta medição é acessível:
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0 a 200 kΩ
Unidade Ω
Resolução 0,001 Ω
Precisão (1) ±5%
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) A In, Un, nas condições de referência (IEC 60255-6).

Impedância aparente entre fases


Funcionamento
A impedância entre fases aparente é utilizada para facilitar a implementação da
função de proteção com subimpedância (ANSI 21B). Elas são expressas como a
relação da tensão fase-fase para corrente fase-fase.

U21 com I21 = I1 – I2


Z21 = --------------
I 21

U32 com I32 = I2 – I3


Z32 = --------------
I 32

U13 com I13 = I3 – I1


Z13 = --------------
I 13

Leitura
Esta medição é acessível:
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0 a 200 kΩ
Unidade Ω
Resolução 0,001 Ω
Precisão (1) ±5%
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) A In, Un, nas condições de referência (IEC 60255-6).

49
Funções de ajuda na Tensão de 3ª harmônica no ponto
operação das máquinas neutro
Tensão de 3ª harmônica residual

Tensão de 3ª harmônica no ponto neutro


Funcionamento
Medição do componente de 3ª harmônica da tensão de seqüência zero medida no
ponto neutro de um gerador ou motor (V3nt).
Este valor é utilizado para a implementação da função de proteção contra subtensão
de 3ª harmônica (ANSI 27TN/64G2).

Leitura
2 Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0,2 a 30% de Vntp
Unidade % de Vntp
Resolução 0,1%
Precisão (1) ±1%
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

Tensão de 3ª harmônica residual


Funcionamento
Medição do componente de 3ª harmônica da tensão residual, a tensão residual
sendo calculada pela soma fasorial das tensões fase-neutro.
Este valor é utilizado para a implementação da função de proteção contra subtensão
de 3ª harmônica residual (ANSI 27TN/64G2).

Leitura
Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0,2 a 90% de Vnp
Unidade % de Vnp
Resolução 0,1%
Precisão (1) ±1%
Período de atualização 1 segundo (típico)
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

50
Funções de ajuda na Capacitância
operação das máquinas

Funcionamento
Esta função fornece a capacitância total para cada fase dos estágios de banco de
capacitores conectado para permitir a monitoramento da condição dos capacitores.
Ela abrange as conexões em estrela ou triângulo (ajuste de parâmetro na tela
“Características especiais” do software SFT2841 de configuração e de operação).
Para esta medição, a instalação é considerada como uma capacitância perfeita,
sem qualquer consideração das resistências adicionadas pela conexão dos
estágios de banco de capacitores.
b Capacitâncias medidas pelos estágios de banco de capacitores conectado em
estrela:
v C1: capacitância total fase 1 2
v C2: capacitância total fase 2
v C3: capacitância total fase 3
b Capacitâncias medidas pelos estágios de banco de capacitores conectado em
triângulo:
v C21: capacitância total entre as fases 1 e 2
v C32: capacitância total entre as fases 2 e 3
v C13: capacitância total entre as fases 3 e 1

Leitura
Estas medições de capacitância são acessíveis:
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação

Características
Faixa de medição 0 a 30 F
Unidade µF, mF ou F
Resolução 0,1 µF
Precisão ±5%
Período de atualização 1 segundo (típico)

Precisão
A precisão das medições será válida se a resistência e a indutância por fase do cabo
de conexão do banco de capacitores (cabo entre os TC do Sepam e o banco de
capacitores) respeitarem as seguintes condições:
b em estrela 1 onde R: resistência em Ω por fase
Lω < 0, 05 × --------
Cω L: indutância em H por fase
1 ω: freqüência angular em rad/s
R < 0, 027 × --------
Cω C: capacitância total por fase em F

b em triângulo 1 onde R: resistência em Ω por fase


Lω < 0, 017 × --------
Cω L: indutância em H por fase
1 ω: freqüência angular em rad/s
R < 0, 009 × --------
Cω C: capacitância total entre fases em F

51
Funções de ajuda na Corrente de desbalanço do
operação das máquinas capacitor

Funcionamento
Esta função mede a corrente de desbalanço dos estágios de banco de capacitores
conectados em dupla estrela. Este tipo de corrente é característica de danos nos
I'0 módulos do capacitor.

I'3 A medição é realizada através de canais de seqüência zero e corrente de fase


adicionais:
I'2 b I'1: medição da corrente de desbalanço do estágio 1 do capacitor
b I'2: medição da corrente de desbalanço do estágio 2 do capacitor
2 I'1 b I'3: medição da corrente de desbalanço do estágio 3 do capacitor
b I'0: medição da corrente de desbalanço do estágio 4 do capacitor

Leitura
Estágio 1 Estas medições são acessíveis:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Estágio 2 Características
Faixa de medição 0,02 a 20 I’n
Unidade A
Resolução 0,1 A
Precisão ±5%
Estágio 3 Período de atualização 1 segundo (típico)

Estágio 4

52
Funções de diagnóstico Supervisão TP
do equipamento Código ANSI 60FL

Funcionamento Esquema: detecção de falta na tensão de fase.


A função supervisão TP (Transformador de Potencial)
Perda parcial das tensões de fase (somente canais principais)
é utilizada para supervisionar a cadeia completa de
medição das tensões de fase e residual:
b os transformadores de potencial
b a conexão dos TPs ao Sepam
b as entradas analógicas de tensão do Sepam.
Há duas unidades para a função: a primeira monitora
os TPs dos canais de tensões principais; a segunda
supevisiona os TPs dos canais de tensões adicionais.
Esta função processa as seguintes falhas: disjuntor fechado 2
b perda parcial das tensões de fase, detectada pela:
v presença de tensão de seqüência negativa
Perda de todas as tensões de fase
v e ausência de corrente de seqüência negativa
b perda de todas as tensões de fase, detectada pela: máx. (tensões medidas)
v presença de corrente em uma das três fases < 10% Unp
v e ausência de todas as tensões medidas
b trip do relé de proteção do TP de fase (e/ou TP máx. (I1, I2, I3)
residual), detectado pela aquisição em uma entrada > 10% In
lógica do contato de queima de fusível ou contato
auxiliar do disjuntor que protege os TPs disjuntor fechado
b outros tipos de falha podem ser processados presença de tensão
utilizando o editor de equações lógicas.
As informações “Falha na tensão fase” e “Falha na
tensão residual” desaparecem automaticamente
quando a situação volta ao normal, isto é, assim que: queima de fusível TP fase falta de tensão
de fase
b a causa da falha tenha desaparecido falha TP fase
PVTS_x_3
b e todas as tensões medidas estejam presentes. PVTS_x_103
e mensagem
Utilização da informação disjuntor fechado “Falha TP”
mín. (tensões medidas) > 40% Unp
A informação “disjuntor fechado” é utilizada para
detectar a perda de uma, duas ou três tensões, se for
conectada em uma entrada lógica.
Em certas aplicações, a posição do disjuntor não é
suficiente para determinar a presença de tensões. Esquema: detecção de falta na tensão residual.
Nestes casos, o editor de equações lógicas pode ser falta na tensão de fase
utilizado para definir precisamente as condições de PVTS_x_3
presença da tensão. falta na tensão residual
(sem TP residual)
queima fusível TP V0

mensagem “Falha TP V0”

Conseqüências de uma falha de TP nas funções de proteção


Uma “Falta de tensão de fase” afeta as seguintes funções de proteção:
b 21B, 27, 27D, 27TN, 32P, 32Q, 37P, 40, 47, 50/27, 51V, 78PS
b 59, somente nos casos onde a função de proteção é configurada para
sobretensão fase-neutro, quando as tensões são medidas por dois TPs fase + TPV0
b 67.

Uma “Falta na tensão residual” afeta as seguintes funções de proteção:


b 59N
b 67N/67NC.

Deve ser configurado o comportamento das funções de proteção no evento de uma


“Falta na tensão de fase” ou “Falta na tensão residual” e as escolhas propostas são
as seguintes:
b para funções de proteção 21B, 27, 27D, 27TN, 32P, 32Q, 37P, 40, 47, 50/27, 51V,
59N, 59, 78PS: inibição ou não
b para função de proteção 67: inibição ou operação não direcional (50/51)
b para função de proteção 67N/67NC: inibição ou operação não direcional (50N/51N).

53
Funções de diagnóstico Supervisão TP
do equipamento Código ANSI 60FL

Recomendações de ajuste
A perda parcial das tensões baseia-se na detecção de presença de tensão de
seqüência negativa e ausência de corrente de seqüência negativa.
De fábrica:
b a presença de tensão de seqüência negativa é detectada quando:
Vi > 10% Vnp (Vsi)
b a ausência de corrente de seqüência negativa é detectada quando:
Ii < 5% In (Isi)
b a temporização T1 é de 1 s.

2 Estes ajustes de fábrica garantem a estabilidade da função de supervisão TP em


caso de curto-circuito ou de fenômenos transitórios na rede.
No caso de redes fortemente desbalanceadas, o ajuste Isi pode ser aumentado.
A temporização T1 deve ser ajustada em um valor inferior ao tempo de trip da função
de proteção de tensão e potência.
A temporização T2 para a detecção da perda de todas as tensões deve ser maior
que o tempo de eliminação de um curto-circuito por uma função de proteção 50/51
ou 67, para evitar a detecção de uma perda de tensão do TP provocada por um
curto-circuito trifásico.
A temporização da proteção 51V deve ser maior que as temporizações T1 e T2
utilizadas para a detecção de perda de tensão.

Características
Validação da detecção de perda parcial das tensões de fase
Ajuste Sim / Não
Ajuste Vsi
Ajuste 10% a 100% de Vnp
Precisão ±5%
Resolução 1%
Relação drop-out/pick-up 95% ±2,5%
Ajuste Isi
Ajuste 5% a 100% de In
Precisão ±5%
Resolução 1%
Relação drop-out/pick-up 105% ±2,5% ou > (1 + 0,01 In/Isi) x 100%
Temporização T1 (perda parcial das tensões de fase)
Ajuste 0,1 s a 300 s
Precisão ±2% ou ± 25 ms
Resolução 10 ms
Validação da detecção de perda de todas as tensões de fase
Ajuste Sim / Não
Detecção da perda de todas as tensões com verificação da presença de corrente
Ajuste Sim / Não
Presença de tensão detectada por
Ajuste Disjuntor fechado / Equação lógica ou Logipam
Temporização T2 (perda de todas as tensões)
Ajuste 0,1 s a 300 s
Precisão ±2% ou ± 25 ms
Resolução 10 ms
Comportamento nas proteções de tensão e potência
Ajuste Sem ação / inibição
Comportamento na proteção 67
Ajuste Não-direcional / Inibição
Comportamento na proteção 67N/67NC
Ajuste Não-direcional / Inibição
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Falha TP fase PVTS_x_103 b b
Inibição da função PVTS_x_113 b b
Presença de tensão PVTS_x_117 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída função PVTS_x_3 b b b
Função inibida PVTS_x_16 b b
Nota: x = número de unidade: x = 1: canais principais (V).
x = 2: canais adicionais (V’).

54
Funções de diagnóstico Supervisão TC
do equipamento Código ANSI 60

Funcionamento
A função supervisão TC (Transformador de Corrente) é utilizada para supervisionar
a cadeia completa de medição das correntes de fase:
b os sensores de corrente de fase (TC 1 A/5 A ou LPCT)
b a conexão dos sensores de corrente de fase ao Sepam
b as entradas analógicas da corrente de fase do Sepam.
Há duas unidades para a função: a primeira para monitoramento dos TCs do canal
de corrente principal (I) e a segunda para monitoramento dos TCs do canal de
corrente adicional (I’).
Esta função é inativa se somente dois sensores de corrente de fase estiverem
conectados.
2
As informações “Falha TC principal” ou “Falha TC adicional” desaparecerá automati-
camente quando a situação voltar ao normal, isto é, quando as três correntes de
fase forem medidas e tiverem valores maiores que 10% de In.
No evento de perda de uma corrente de fase, as seguintes funções de proteção
podem ser inibidas para evitar qualquer trip intempestivo:
b 21B, 46, 40, 32P, 37P, 32Q, 78PS, 64REF
b 51N e 67N, se I0 for calculada pela soma das correntes de fase.

Esquema

perda de fase 1

falha TC
PCTS_x_3

110° < ângulo (I3, I2) < 130°

perda de fase 2

perda de fase 3

Características
Temporização
Ajuste 0,15 s a 300 s
Precisão ±2% ou ± 25 ms
Resolução 10 ms
Inibição das proteções 21B, 32P, 32Q, 37P, 40, 46, 51N, 64REF, 67N, 78PS
Ajuste Sem ação / inibição
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Inibição da função PCTS_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída temporizada PCTS_x_3 b b b
Falta de fase 1 PCTS_x_7 b b
Falta de fase 2 PCTS_x_8 b b
Falta de fase 3 PCTS_x_9 b b
Função inibida PCTS_x_16 b b
Nota: x = número da unidade: x = 1: canais principais (I).
x = 2: canais adicionais (I’).

55
Funções de diagnóstico Supervisão dos circuitos de trip e
do equipamento de fechamento
Código ANSI 74

Supervisão do circuito de trip e


situação contato aberto / fechado
Funcionamento
Esta supervisão destina-se aos circuitos de trip:
b por bobina de abertura
A função detecta:
v a continuidade do circuito
v a perda de alimentação
2 v a discrepância de posição dos contatos.
A função inibe o fechamento do dispositivo de interrupção.
b por bobina de mínima
A função detecta:
v somente discrepância de posição dos contatos, não é necessário o
monitoramento da bobina.
Conexão para supervisão Conexão para supervisão A informação é acessível na matriz (mensagem “circuito de trip”) através da
da bobina de abertura. da bobina de mínima. sinalização remota TS1.
Esquema

falha do circuito
de trip

Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Falha do circuito de trip V_TCS b b

Equivalências TS/TC para cada protocolo


Modbus DNP3 IEC 60870-5-103 IEC 61850
TS Binary Input ASDU, FUN, INF LN.DO.DA
TS1 BI17 1, 160, 36 XCBR1.EEHealth.stVal

56
Funções de diagnóstico Supervisão dos circuitos de
do equipamento fechamento e dos comandos de
abertura e fechamento
Código ANSI 74

Supervisão do circuito de fechamento


Funcionamento
Esta função supervisiona a continuidade da bobina de fechamento. Para ser
utilizada, o esquema de fiação ao lado deve ser realizado e utilizado em uma entrada
lógica configurada com a função “Supervisão da bobina de fechamento”.
A informação é acessível na matriz (mensagem “circuito de fechamento”) e através
da sinalização remota TS234.

Esquema
falha do circuito
2
de fechamento

Conexão para Saídas


monitoramento do circuito de Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
fechamento.
Falha do circuito de fechamento V_CCS b b

Equivalências TS/TC para cada protocolo


Modbus DNP3 IEC 60870-5-103 IEC 61850
TS Binary Input ASDU, FUN, INF LN.DO.DA
TS234 BI121 2, 21, 23 XCBR1.EEHealth.stVal

Supervisão dos comandos de abertura


e fechamento
Funcionamento
Após um comando de abertura ou de fechamento do disjuntor, o sistema verifica se,
após o fim de uma temporização de 200 ms, o disjuntor mudou de estado.
Se o estado do disjuntor não estiver correto no último comando enviado, uma
mensagem “Falha do controle” e a indicação remota TS2 serão geradas.

Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Falha do controle V_CTRLFAUT b b
(monitoramento disjuntor)

Equivalências TS/TC para cada protocolo


Modbus DNP3 IEC 60870-5-103 IEC 61850
TS Binary Input ASDU, FUN, INF LN.DO.DA
TS2 BI16 1, 20, 5 Command Termination -

57
Funções de diagnóstico Supervisão da alimentação
do equipamento auxiliar

Funcionamento
A alimentação auxiliar é um importante fator na operação do cubículo. Esta função
monitora por medição da tensão de alimentação do Sepam e comparação do valor
medido a um ajuste mínimo e máximo. Se o valor estiver fora destes ajustes, um
alarme será gerado. As informações correspondentes são disponíveis na matriz e
no Logipam.

Esquema
alarme de nível alto
2 Alimentação
Sepam (Vaux)
Vaux > nível alto

alarme de nível baixo


Vaux < nível baixo

Leitura
A tensão auxiliar é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Tensão auxiliar medida Vaux, Alarme de ajuste mínimo, Alarme de ajuste máximo
Faixa de medição 20 a 275 V CC
Unidade V
Resolução 0,1 V (1 V no display)
Precisão ±7%
Período de atualização 1 segundo (típico)
Tensão auxiliar nominal
Ajuste 24 a 250 V CC
Resolução 1V
Ajuste baixo
Ajuste 60 a 95% de Vnom (nínimo 20 V)
Resolução 1V
Precisão ±7%
Ajuste alto
Ajuste 105 a 150% de Vnom (máximo 275 V)
Resolução 1V
Precisão ±7%
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Supervisão da alimentação V_VAUX_ON b
auxiliar em operação
Alarme de ajuste alto V_VAUX_HIGH b b
Alarme de ajuste baixo V_VAUX_LOW b b

Equivalências TS/TC para cada protocolo


Modbus DNP3 IEC 60870-5-103 IEC 61850
TS Binary Input ASDU, FUN, INF LN.DO.DA
TS217 BI13 2, 20, 10 LPHD1.PwrSupAlm.stVal
TS218 BI14 2, 20, 11 LPHD1.PwrSupAlm.stVal

58
Funções de diagnóstico Corrente acumulada de curto
do equipamento Número de operações

Corrente acumulada de curto


Funcionamento
Esta função fornece, para cinco faixas de corrente, as correntes acumuladas de
curto, expressas em (kA)2.
Ela baseia-se na medição da fundamental nos canais principais (I).
As faixas de corrente visualizadas são:
b 0 < I < 2 In
b 2 In < I < 5 In
b 5 In < I < 10 In
b 10 In < I < 40 In
b I > 40 In.
2
Esta função fornece também o total de correntes acumuladas de curto, expressas
em (kA)2. Este valor é supervisionado pelo valor escolhido ajustável. Se o valor
escolhido ultrapassar este ajuste, um alarme será emitido e será disponível na
matriz e através da sinalização remota TS235.
Cada valor é memorizado na interrupção da alimentação auxiliar.
Valores iniciais podem ser introduzidos utilizando o software SFT2841 para
considerar o estado real de um dispositivo de interrupção utilizado.
Consultar a documentação do dispositivo de interrupção para utilização destas
informações.

Leitura
Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Correntes acumuladas de curto medidas
Faixa 0 a 65535 (kA)2
Unidade (kA)2 primário
Resolução 1(kA)2
Precisão (1) ±10% ±1 dígito
Ajuste de alarme
Ajuste 0 a 65535 (kA)2
Resolução 1(kA)2
Precisão (1) ±10% ±1 dígito
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Ajuste ultrapassado da V_MAXBRKCUR b b
corrente acumulada de curto
(1) A In, nas condições de referência (IEC 60255-6).

Equivalências TS/TC para cada protocolo


Modbus DNP3 IEC 60870-5-103 IEC 61850
TS Binary Input ASDU, FUN, INF LN.DO.DA
TS235 BI135 2, 21, 40 XCBR1.SumSwAAlm.stVal

Número de operações
Funcionamento
Esta função fornece o número total de operações do dispositivo de interrupção.
A função é ativada por ordem de trip (relé O1).
O número de operações é memorizado na interrupção da alimentação auxiliar.
Pode ser reinicializado utilizando o software SFT2841.

Leitura
Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa 0 a 4.109
Unidade nenhuma
Resolução 1
Período de atualização 1 segundo (típico)

59
Funções de diagnóstico Tempo de operação
do equipamento Tempo de carregamento da mola

Tempo de operação
Funcionamento
Esta função fornece o valor do tempo de operação na abertura de um dispositivo de
interrupção (1), determinado pelo controle de abertura (relé O1) e a mudança de
estado do contato de posição do dispositivo aberto conectado na entrada I102 (2).
Este valor é memorizado na interrupção da alimentação auxiliar.

Leitura
2 Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.
(1) Consultar a documentação do dispositivo de interrupção para utilização destas informações.
(2) Módulo opcional MES120.

Características
Faixa de medição 20 a 100
Unidade ms
Resolução 1 ms
Precisão ±1 ms típico
Formato do display 3 dígitos significativos

Tempo de carregamento da mola


Funcionamento
Esta função fornece o valor do tempo de carregamento da mola de um dispositivo de
interrupção (1), determinado pelo contato de mudança de estado da posição fechada
do dispositivo e do contato de fim de curso conectados nas entradas lógicas (2) do
Sepam.
Este valor é memorizado na interrupção da alimentação auxiliar.

Leitura
Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.
(1) Consultar a documentação do dispositivo de interrupção para utilização destas informações.
(2) Módulo opcional MES120.

Características
Faixa de medição 1 a 20
Unidade s
Resolução 1s
Precisão ±0,5 s
Formato do display 3 dígitos significativos

60
Funções de diagnóstico Número de extrações
do equipamento

Funcionamento
Esta função registra as extrações do disjuntor ou contator.
Esta informação pode ser utilizada para a manutenção do dispositivo de interrupção.
As posições “extraído” ou “desconectado” do dispositivo de interrupção devem ser
cabeadas em uma entrada lógica e parametrizadas no software SFT2841 para
permitir a contagem de cada extração.
O número de extrações é memorizado no caso de interrupção da alimentação
auxiliar. Pode ser reinicializado utilizando o software SFT2841.

Leitura
Esta medição é acessível:
b pelo display do Sepam utilizando a tecla
2
b na tela de um PC com o software SFT2841
b pela comunicação.

Características
Faixa de medição 0 a 65535
Unidade nenhuma
Resolução 1
Período de atualização 1 segundo (típico)

61
3

62
Funções de proteção Conteúdo

Faixa de ajustes 65
Sobrevelocidade 70
Código ANSI 12
Subvelocidade 71
Código ANSI 14
Subimpedância 72
Código ANSI 21B
Sobrefluxo (V/Hz) 73
Código ANSI 24
Check de sincronismo 75
Código ANSI 25
Subtensão (fase-fase ou fase-neutro) 77
Código ANSI 27
Subtensão de seqüência positiva e
3
verificação do sentido de rotação de fase 78
Código ANSI 27D
Subtensão remanente 79
Código ANSI 27R
Subtensão de 3ª harmônica 80
Código ANSI 27TN/64G2
Direcional de sobrepotência ativa 84
Código ANSI 32P
Direcional de sobrepotência reativa 85
Código ANSI 32Q
Subcorrente de fase 86
Código ANSI 37
Direcional de subpotência ativa 88
Código ANSI 37P
Monitoramento de temperatura 89
Código ANSI 38/49T
Perda de excitação de campo 90
Código ANSI 40
Desbalanço / corrente de seqüência negativa 93
Código ANSI 46
Sobretensão de seqüência negativa 96
Código ANSI 47
Partida longa, rotor bloqueado 97
Código ANSI 48/51LR
Sobrecarga térmica para cabos 99
Código ANSI 49RMS
Sobrecarga térmica nos capacitores 104
Código ANSI 49RMS
Sobrecarga térmica na máquina 112
Código ANSI 49 RMS
Falha do disjuntor 123
Código ANSI 50BF
Energização acidental 125
Código ANSI 50/27
Sobrecorrente de fase 127
Código ANSI 50/51

63
Funções de proteção Conteúdo

Fuga à terra 129


Código ANSI 50N/51N ou 50G/51G
Sobrecorrente de fase com restrição de tensão 132
Código ANSI 50V/51V
Desbalanço do banco de capacitor 134
Código ANSI 51C
Sobretensão (fase-fase ou fase-neutro) 135
Código ANSI 59
Deslocamento de tensão de neutro 136
Código ANSI 59N
100% fuga à terra do estator 137
Código ANSI 64G

3 Diferencial de fuga à terra restrita


Código ANSI 64REF
138

Partidas por hora 140


Código ANSI 66
Direcional de sobrecorrente de fase 141
Código ANSI 67
Direcional de fuga à terra 144
Código ANSI 67N/67NC
Perda de sincronismo 151
Código ANSI 78PS
Religamento 155
Código ANSI 79
Sobrefreqüência 159
Código ANSI 81H
Subfreqüência 160
Código ANSI 81L
Taxa de variação de freqüência 161
Código ANSI 81R
Diferencial da máquina 164
Código ANSI 87M
Diferencial do transformador 167
Código ANSI 87T
Generalidades 177
Curvas de trip

64
Funções de proteção Faixa de ajustes

Funções Ajustes Temporizações


ANSI 12 - Sobrevelocidade
100 a 160% de Ωn 1 a 300 s
ANSI 14 - Subvelocidade
10 a 100% de Ωn 1 a 300 s
ANSI 21B - Subimpedância
Impedância Zs 0,05 a 2,00 Vn/Ib
ANSI 24 - Sobrefluxo (V/Hz)
Curva de trip Tempo definido
Tempo inverso tipo A, B ou C
Ajuste Gs 1,03 a 2 pu Tempo definido 0,1 a 20000 s
Tempo inverso 0,1 a 1250 s
ANSI 25 - Check de sincronismo
Tensões medidas Fase-fase Fase-neutro
Tensão fase-fase nominal primária
Unp sync1 (Vnp sync1 = Unp sync1/3)
Unp sync2 (Vnp sync2 = Unp sync2/3)
Tensão fase-fase nominal secundária
220 V a 250 kV
220 V a 250 kV
220 V a 250 kV
220 V a 250 kV 3
Uns sync1 90 V a 120 V 90 V a 230 V
Uns sync2 90 V a 120 V 90 V a 230 V
Ajuste do check de sincronismo
Ajuste dUs 3% a 30% de Unp sync1 3% a 30% de Vnp sync1
Ajuste dfs 0,05 a 0,5 Hz 0,05 a 0,5 Hz
Ajuste dPhi 5 a 80° 5 a 80°
Ajuste Us alto 70% a 110% Unp sync1 70% a 110% Vnp sync1
Ajuste Us baixo 10% a 70% Unp sync1 10% a 70% Vnp sync1
Outros ajustes
Tempo de avanço 0 a 0,5 s 0 a 0,5 s
Modos de operação: Morta1 AND Viva2 Morta1 AND Viva2
autorização de acoplamento Viva1 AND Morta2 Viva1 AND Morta2
no caso de ausência de tensão
Morta1 XOR Morta2 Morta1 XOR Morta2
Morta1 OR Morta2 Morta1 OR Morta2
Morta1 AND Morta2 Morta1 AND Morta2
ANSI 27 - Subtensão (fase-fase) ou (fase-neutro)
Curva de trip Tempo definido
Tempo inverso
Ajuste 5 a 100% de Unp ou Vnp 0,05 a 300 s
Origem da medição Canais principais (U) ou canais adicionais (U’)
ANSI 27D - Subtensão de seqüência positiva
Ajuste e temporização 15 a 60% de Unp 0,05 a 300 s
Origem da medição Canais principais (U) ou canais adicionais (U’)
ANSI 27R - Subtensão remanente
Ajuste e temporização 5 a 100% de Unp 0,05 a 300 s
Origem da medição Canais principais (U) ou canais adicionais (U’)
ANSI 27TN/64G2 - Subtensão de 3ª harmônica
Ajuste Vs (ajuste fixo) 0,2 a 20% de Vntp 0,5 a 300 s
Ajuste K (ajuste adaptável) 0,1 a 0,2 0,5 a 300 s
Tensão de seqüência positiva mínima 50 a 100% de Unp
Potência aparente mínima 1 a 90% de Sb (Sb = √3.Un.Ib)
ANSI 32P - Direcional de sobrepotência ativa
1 a 120% de Sn (1) 0,1 s a 300 s
ANSI 32Q - Direcional de sobrepotência reativa
5 a 120% de Sn (1) 0,1 s a 300 s
ANSI 37 - Subcorrente de fase
0,05 a 1 Ib 0,05 s a 300 s
ANSI 37P - Direcional de subpotência ativa
5 a 100% de Sn (1) 0,1 s a 300 s
ANSI 38/49T - Monitoramento de temperatura
Ajuste de alarme TS1 0°C a 180°C ou 32°F a 356°F
Ajuste de trip TS2 0°C a 180°C ou 32°F a 356°F
ANSI 40 - Perda de excitação de campo (subimpedância)
Ponto comum: Xa 0,02 Vn/Ib a 0,2 Vn/Ib + 187,5 kΩ
Círculo 1: Xb 0,2 Vn/Ib a 1,4 Vn/Ib + 187,5 kΩ 0,05 a 300 s
Círculo 2: Xc 0,6 Vn/Ib a 3 Vn/Ib + 187,5 kΩ 0,1 a 300 s
(1) Sn = √3.In.Unp.

65
Funções de proteção Faixa de ajustes

Funções Ajustes Temporizações


ANSI 46 - Desbalanço / corrente de seqüência negativa
Curva de trip Tempo definido
Schneider Electric
IEC: SIT/A, LTI/B, VIT/B, EIT/C
IEEE: MI (D), VI (E), EI (F)
RI2 (constante de ajuste de 1 a 100)
Ajuste Is 0,1 a 5 Ib Tempo definido 0,1 a 300 s
0,1 a 0,5 Ib (Schneider Electric) Tempo inverso 0,1 a 1s
0,1 a 1 Ib (IEC, IEEE)
0,03 a 0,2 Ib (RI∑)
Origem da medição Canais principais (I) ou canais adicionais (I’)
ANSI 47 - Sobretensão de seqüência negativa
Ajuste e temporização 1 a 50% de Unp 0,05 a 300 s
Origem da medição Canais principais (U) ou canais adicionais (U’)
ANSI 48/51LR - Partida longa / rotor bloqueado
3 Ajuste Is 0,5 Ib a 5 Ib Tempo de partida ST
Temporizações LT e LTS
0,5 s a 300 s
0,05 s a 300 s
ANSI 49RMS - Sobrecarga térmica nos cabos
Corrente admissível 1 a 1,73 Ib
Constante de tempo T1 1 a 600 min
ANSI 49RMS - Sobrecarga térmica nos capacitores
Corrente de alarme 1,05 Ib a 1,70 Ib
Corrente de trip 1,05 Ib a 1,70 Ib
Posicionamento da curva Corrente de ajuste 1,02 x corrente de trip a 2 Ib
de trip a quente Tempo de ajuste 1 min a 2000 min (faixa variável em função das correntes de trip
e de ajuste)
ANSI 49RMS - Sobrecarga térmica de máquina Regime 1 Regime 2
Coeficiente de seqüência negativa 0 - 2,25 - 4,5 - 9
Constante de tempo Aquecimento T1: 1 a 600 min T1: 1 a 600 min
Resfriamento T2: 5 a 600 min T2: 5 a 600 min
Ajustes alarme e trip (ES1 e ES2) 0 a 300% do aquecimento nominal
Aquecimento inicial (ES0) 0 a 100%
Condição de mudança de regime por entrada lógica
por nível Is ajustável de 0,25 a 8 Ib
Temperatura máx. do equipamento 60 a 200°C
Origem da medição Canais principais (I) ou canais adicionais (I’)
ANSI 50BF - Falha do disjuntor
Presença de corrente 0,2 a 2 In
Tempo de operação 0,05 s a 3 s
ANSI 50/27 - Energização acidental
Ajuste Is 0,05 a 4 In
Ajuste Vs 10 a 100% Unp T1: 0 a 10 s
T2: 0 a 10 s
ANSI 50/51 - Sobrecorrente de fase
Temporização de trip Curva de espera
Curva de trip Tempo definido DT
SIT, LTI, VIT, EIT, UIT (1) DT
RI DT
IEC: SIT/A, LTI/B, VIT/B, EIT/C DT ou IDMT
IEEE: MI (D), VI (E), EI (F) DT ou IDMT
IAC: I, VI, EI DT ou IDMT
Personalizada DT
Ajuste Is 0,05 a 24 In Tempo definido Inst; 0,05 s a 300 s
0,05 a 2,4 In Tempo inverso 0,1 s a 12,5 s a 10 Is
Tempo de reset Tempo definido (DT; timer hold) Inst; 0,05 s a 300 s
Tempo inverso (IDMT; reset time) 0,5 s a 20 s
Origem da medição Canais principais (I) ou canais adicionais (I’)
Confirmação Sem
Por sobretensão de seqüência negativa
Por subtensão fase-fase
(1) Trip a partir de 1,2 Is.

66
Funções de proteção Faixa de ajustes

Funções Ajustes Temporizações


ANSI 50N/51N ou 50G/51G - Fuga à terra
Temporização de trip Curva de espera
Curva de trip Tempo definido DT
SIT, LTI, VIT, EIT, UIT (1) DT
RI DT
IEC: SIT/A,LTI/B, VIT/B, EIT/C DT ou IDMT
IEEE: MI (D), VI (E), EI (F) DT ou IDMT
IAC: I, VI, EI DT ou IDMT
Personalizada DT
Ajuste Is0 0,01 a 15 In0 (mín. 0,1 A) Tempo definido Inst; 0,05 s a 300 s
0,01 a 1 In0 (mín. 0,1 A) Tempo inverso 0,1 s a 12,5 s a 10 Is0
Tempo de reset Tempo definido (DT; timer hold) Inst; 0,05 s a 300 s
Tempo inverso (IDMT; reset time) 0,5 s a 20 s
Origem da medição Entrada I0, entrada I’0, soma das correntes de fase I0Σ ou soma das correntes de fase I’0Σ
ANSI 50V/51V - Sobrecorrente de fase com restrição de tensão

Curva de trip
Temporização de trip
Tempo definido
Curva de espera
DT
3
SIT, LTI, VIT, EIT, UIT (1) DT
RI DT
IEC: SIT/A, LTI/B, VIT/B, EIT/C DT ou IDMT
IEEE: MI (D), VI (E), EI (F) DT ou IDMT
IAC: I, VI, EI DT ou IDMT
Personalizada DT
Ajuste Is 0,5 a 24 In Tempo definido Inst; 0,05 s a 300 s
0,5 a 2,4 In Tempo inverso 0,1 s a 12,5 s a 10 Is
Tempo de reset Tempo definido (DT; timer hold) Inst; 0,05 s a 300 s
Tempo inverso (IDMT; reset time) 0,5 s a 20 s
Origem da medição Canais principais (I) ou canais adicionais (I’)
ANSI 51C - Desbalanço do banco de capacitor
Ajuste Is 0,05 A a 2 I’n Tempo definido 0,1 a 300 s
ANSI 59 - Sobretensão (fase-fase) ou (fase-neutro)
Ajuste e temporização 50 a 150% de Unp ou Vnp 0,05 a 300 s
Origem da medição Canais principais (U) ou canais adicionais (U’)
ANSI 59N - Deslocamento de tensão de neutro
Curva de trip Tempo definido
Tempo inverso
Ajuste 2 a 80% de Unp Tempo definido 0,05 a 300 s
2 a 10% de Unp Tempo inverso 0,1 a 100 s
Origem da medição Canal principal (V0), canal adicional (V’0) ou tensão no ponto neutro Vnt
ANSI 64REF - Diferencial de fuga à terra restrita
Ajuste Is0 0,05 a 0,8 In (In u 20 A)
0,1 a 0,8 In (In < 20 A)
Origem da medição Canais principais (I, I0) ou canais adicionais (I’, I’0)
ANSI 66 - Partidas por hora
Número total de partidas por período 1 a 60 Período 1a6h
Número de partidas sucessivas 1 a 60 T partida-parada 0 a 90 min
(1) Trip a partir de 1,2 Is.

67
Funções de proteção Faixa de ajustes

Funções Ajustes Temporizações


ANSI 67 - Direcional de sobrecorrente de fase
Ângulo característico 30°, 45°, 60°
Temporização de trip Curva de espera
Curva de trip Tempo definido DT
SIT, LTI, VIT, EIT, UIT (1) DT
RI DT
IEC: SIT/A, LTI/B, VIT/B, EIT/C DT ou IDMT
IEEE: MI (D), VI (E), EI (F) DT ou IDMT
IAC: I, VI, EI DT ou IDMT
Personalizada DT
Ajuste Is 0,1 a 24 In Tempo definido Inst; 0,05 s a 300 s
0,1 a 2,4 In Tempo inverso 0,1 s a 12,5 s a 10 Is
Tempo de reset Tempo definido (DT; timer hold) Inst; 0,05 s a 300 s
Tempo inverso (IDMT; reset time) 0,5 s a 20 s
ANSI 67N/67NC tipo 1 - Direcional de fuga à terra, de acordo com a projeção de Io
3 Ângulo característico
Ajuste Is0
-45°, 0°, 15°, 30°, 45°, 60°, 90°
0,01 a 15 In0 (mín. 0,1 A) Tempo definido Inst; 0,05 s a 300 s
Ajuste Vs0 2 a 80% de Unp
Tempo de memória Tempo T0mem 0; 0,05 s a 300 s
Ajuste de validade V0mem 0; 2 a 80% de Unp
Origem da medição Entrada I0 ou entrada I’0
ANSI 67N/67NC tipo 2 - Direcional de fuga à terra, segundo o módulo de Io direcionado em um semi plano
Ângulo característico -45°, 0°, 15°, 30°, 45°, 60°, 90°
Temporização de trip Curva de espera
Curva de trip Tempo definido DT
SIT, LTI, VIT, EIT, UIT (1) DT
RI DT
IEC: SIT/A,LTI/B, VIT/B, EIT/C DT ou IDMT
IEEE: MI (D), VI (E), EI (F) DT ou IDMT
IAC: I, VI, EI DT ou IDMT
Personalizada DT
Ajuste Is0 0,01 a 15 In0 (mín. 0,1 A) Tempo definido Inst; 0,05 s a 300 s
0,01 a 1 In0 (mín. 0,1 A) Tempo inverso 0,1 s a 12,5 s a 10 Is0
Ajuste Vs0 2 a 80% de Unp
Tempo de reset Tempo definido (DT; timer hold) Inst; 0,05 s a 300 s
Tempo inverso (IDMT; reset time) 0,5 s a 20 s
Origem da medição Entrada I0 ou entrada I’0 ou soma das correntes de fase I0Σ
ANSI 67N/67NC tipo 3 - Direcional de fuga à terra, segundo o módulo de Io direcionado em uma área de trip
Ângulo de partida do setor de trip 0° a 359°
Ângulo de final do setor de trip 0° a 359°
Ajuste Is0 Toróide CSH (ajuste 2 A) 0,1 A a 30 A Tempo definido Inst; 0,05 a 300 s
TC de 1 A 0,005 a 15 In0 (mín. 0,1 A)
TC toroidal + ACE990 (ajuste 1) 0,01 a 15 In0 (mín. 0,1 A)
Ajuste Vs0 V0 calculado (somatória das 3 tensões) 2 a 80% de Unp
V0 medido (TP externo) 0,6 a 80% de Unp
Origem da medição Entrada I0 ou entrada I’0
(1) Trip a partir de 1,2 Is.

68
Funções de proteção Faixa de ajustes

Funções Ajustes Temporizações


ANSI 78PS - Perda de sincronismo
Temporização 0,1 a 300 s
(utilizando critério de áreas equivalentes)
Número máximo de inversões de potências 1 a 30
Tempo entre duas inversões de potências 1 a 300 s
ANSI 81H - Sobrefreqüência
Ajuste e temporização 50 a 55 Hz ou 60 a 65 Hz 0,1 a 300 s
Origem da medição Canais principais (U) ou canais adicionais (U’)
ANSI 81L - Subfreqüência
Ajuste e temporização 40 a 50 Hz ou 50 a 60 Hz 0,1 a 300 s
Origem da medição Canais principais (U) ou canais adicionais (U’)
ANSI 81R - Taxa de variação de freqüência
0,1 a 10 Hz/s 0,15 a 300 s
ANSI 87M - Diferencial de máquina
Ajuste Ids 0,05 a 0,5 In (In u 20 A)

ANSI 87T - Diferencial de transformador


0,1 a 0,5 In (In < 20 A) 3
Ajuste Alto 3 a 18 In1
Curva baseada na porcentagem
Ajuste Ids 30 a 100% In1
Inclinação Id/It 15 a 50%
Inclinação Id/It2 Sem, 50 a 100%
Ponto de mudança de inclinação 1 a 18 In1
Restrição na energização
Ajuste de corrente 1 a 10%
Temporização 0 a 300 s
Restrição na perda TC
Atividade Em serviço / fora de serviço
Restrição harmônica Convencional Auto-adaptável
Escolha da restrição Convencional Auto-adaptável
Ajuste alto Em serviço Em serviço / fora de serviço
Ajuste da porcentagem da 2ª harmônica Off , 5 a 40%
Restrição da 2ª harmônica Por fase / global
Ajuste da porcentagem da 5ª harmônica Off , 5 a 40%
Restrição da 5ª harmônica Por fase / global

69
Funções de proteção Sobrevelocidade
Código ANSI 12

Detecção de sobrevelocidades de máquina Funcionamento


para proteger geradores e processos. Detecção de sobrevelocidades de máquina para detectar o descontrole de
geradores síncronos provocado pela perda de sincronismo, ou para controle de
processo, por exemplo.
O cálculo da velocidade de rotação baseia-se na medição do tempo entre os pulsos
gerados por um sensor de proximidade na passagem de um ou diversos cames
acionados pela rotação do eixo do motor ou do gerador (ver descrição mais precisa
no capítulo Funções de medição).
Os parâmetros de aquisição de velocidade devem ser ajustados na tela
“Característica especiais” do software SFT2841.
A entrada lógica I104 deve ser configurada com a função “Medição de velocidade
do rotor” para permitir a utilização desta função.
A proteção é excitada se a velocidade medida ultrapassar o ajuste de velocidade.
A proteção inclui uma temporização T com tempo definido.

Esquema
3 sinal
“pick-up”

saída
temporizada

Características
Ajustes
Ajuste Ωs
Faixa de ajuste 100 a 160% de Ωn
Precisão (1) ±2%
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 95%
Temporização T
Faixa de ajuste 1 s a 300 s
Precisão (1) ±25 ms ou ± (60000/(Ωs (2) x R (3))) ms
Resolução 1s
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P12_x_101 b b
Inibição da proteção P12_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P12_x_1 b b
Saída temporizada P12_x_3 b b b
Proteção inibida P12_x_16 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).
(2) Ωs em rpm.
(3) R: número de pulsos (came) por volta.

70
Funções de proteção Subvelocidade
Código ANSI 14

Monitoramento de subvelocidades e Funcionamento


detecção de rotor bloqueado. Monitoramento da velocidade de uma máquina:
b detecção de subvelocidades da máquina após a partida, para o controle do
processo, por exemplo
b velocidade zero para detecção do rotor bloqueado.
O cálculo da velocidade de rotação baseia-se na medição do tempo entre os pulsos
gerados por um sensor de proximidade na passagem de um ou diversos cames
acionados pela rotação do eixo do motor ou do gerador (descrição mais precisa no
capítulo Funções de medição).
Os parâmetros aquisição de velocidade e detecção de velocidade zero devem ser
ajustados na tela “Característica especiais” do software SFT2841.
sinal
“pick-up” A entrada lógica I104 deve ser configurada com a função “Medição de velocidade
do rotor” para permitir a utilização desta função.
saída A proteção será excitada se a velocidade medida cair abaixo do ponto ajustado de
temporizada velocidade após ter previamente excedido em 5% este ponto. A velocidade zero é
detectada pela unidade 1 e é utilizada pela proteção 48/51LR para detectar um rotor
bloqueado.
A proteção inclui uma temporização T com tempo definido. 3
Esquema
sinal
“pick-up”

saída
temporizada

velocidade zero
para proteção
48/51LR

Características
Ajustes
Ajuste Ωs
Faixa de ajuste 10 a 100% de Ωn
Precisão (1) ±2%
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 105%
Temporização T
Faixa de ajuste 1 s a 300 s
Precisão (1) ±25 ms ou ± (60000/(Ωs (2) x R (3))) ms
Resolução 1 s com T > (60/(Ωs (2) x R (3)))
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P14_x_101 b b
Inibição da proteção P14_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P14_x_1 b b
Saída temporizada P14_x_3 b b b
Proteção inibida P14_x_16 b b
Velocidade zero P14_x_38 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).
(2) Ωs em rpm.
(3) R: número de pulsos (came) por volta.

71
Funções de proteção Subimpedância
Código ANSI 21B

Proteção de geradores contra Funcionamento


curtos-circuitos entre fases. A função de proteção é composta de uma característica de trip circular no plano de
impedância (R, X), com tempo definido.
Ela é ativada quando uma das impedâncias entre fases aparentes entrar na
característica de trip.
Impedâncias aparentes:
U 21 U 32 U 13
Z 21 = ---------------- , Z 32 = ---------------- , Z 13 = ---------------- .
I1 – I2 I2 – I3 I3 – I1

Esquema

3
saída
temporizada

sinal
“pick-up”

Características
Ajustes
Ajuste de impedância Zs
Faixa de ajuste 0,05Vn/Ib y Zs y 2 Vn/Ib ou 0,001 Ω
Precisão (1) ±2%
Resolução 0,001 Ω ou 1 dígito
Relação de drop-out/pick-up 105%
Temporização
Faixa de ajuste 200 ms y T y 300 s
Precisão (1) ±2% ou de -10 ms a +25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos (1)
Tempo de operação Pick-up < 35 ms do infinito em Zs/2 (típico 25 ms)
Tempo ultrapassado < 40 ms
Tempo de reset < 50 ms
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P21B_1_101 b b
Inibição da proteção P21B_1_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P21B_1_1 b b
Saída temporizada P21B_1_3 b b b
Proteção inibida P21B_1_16 b b
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

Exemplo: gerador síncrono Ajuste da proteção


Dados do gerador síncrono: Para regular a proteção, é necessário calcular a impedância de referência do gerador:
b S = 3,15 MVA b Ib = S/(3Un1) = 289 A
b Un1 = 6,3 kV b Zn = Un1/ (3Ib) = 12,59 Ω.
b Xd = 233% Tipicamente a característica de trip é ajustada em 30% da impedância de referência
b X'd = 21%. do gerador:
Zs = 0,30 x Zn = 3,77 Ω.
Esta proteção é utilizada para copiar outras funções de proteção. Ela é então
ajustada seletivamente em relação às outras funções de proteção.
T = 0,9 s, por exemplo, para uma rede onde a eliminação das falhas é feita em 0,6 s.

72
Funções de proteção Sobrefluxo (V/Hz)
Código ANSI 24

Proteção de circuitos magnéticos em Funcionamento


transformadores e geradores. Proteção que detecta o sobrefluxo dos circuitos magnéticos de transformador ou
gerador, por cálculo da relação entre a maior tensão fase-neutro ou fase-fase
dividida pela freqüência.
O sobrefluxo dos circuitos magnéticos é causado pela operação da máquina com
tensão excessiva e/ou freqüência insuficiente. Ele provoca uma saturação dos
materiais magnéticos e resulta em aumento da temperatura. Em casos severos, um
fluxo de fuga elevado pode ocorrer e danificar seriamente os materiais próximos ao
circuito magnético.
A função de proteção é ativada quando a relação U/f ou V/f, dependendo do
acoplamento da máquina, for maior que o ajuste. A função é temporizada com
tempo definido (constante ou DT) ou com tempo inverso segundo 3 curvas (ver a
equação da curva de trip na página 178).
O ajuste de trip típico é de 1,05 pu.

Esquema

Máx.
3
saída
Máx.
temporizada

sinal
“pick-up”
onde G = U/f ou V/f depende do acoplamento da máquina
Gn = Un/fn ou Vn/fn depende da tensão utilizada
Gs: o ajuste.
1 tensão fase-neutro utilizada, ver tabela abaixo.
2 tensão fase-fase utilizada, ver tabela abaixo.

Acoplamento da máquina
Este ajuste permite adaptar a medição da tensão utilizada pela proteção no
acoplamento do circuito magnético, em função das medições permitidas pela fiação
do Sepam.
Tensão utilizada pela proteção
Fiação dos TP 3V 2U + V0 2U 1U + V0 1U 1V + V0 1V
Acoplamento em triângulo 2 2 2 2 2 1 1
Acoplamento em estrela 1 1 2 2 2 1 1

73
Funções de proteção Sobrefluxo (V/Hz)
Código ANSI 24

Características
Ajustes
Acoplamento da máquina
Faixa de ajuste Triângulo / estrela
Curva de trip
Faixa de ajuste Definido
Inverso: tipo A, tipo B, tipo C
Ajuste Gs
Faixa de ajuste 1,03 a 2,0 pu (2)
Precisão (1) ±2%
Resolução 0,01 pu (2)
Relação de drop-out/pick-up 98% ±1%
Temporização T (tempo de operação a 2 pu)
Com tempo definido Faixa de ajuste 0,1 a 20000 s
Curva com tempo inverso da relação tensão/freqüência. Precisão (1) ±2% ou de -10 ms a +25 ms
Com tempo inverso Faixa de ajuste 0,1 a 1250 s

3 Resolução
Precisão (1) ±2% ou de -10 ms a +25 ms
10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos (1)
Tempo de operação Pick-up < 40 ms de 0,9 Gs a 1,1 Gs a fn
Tempo ultrapassado < 40 ms de 0,9 Gs a 1,1 Gs a fn
Tempo de reset < 50 ms de 1,1 Gs a 0,9 Gs a fn
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P24_x_101 b b
Inibição da proteção P24_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P24_x_1 b b
Saída temporizada P24_x_3 b b b
Proteção inibida P24_x_16 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).
(2) 1 pu representa uma vez Gn.

Exemplo 1: gerador síncrono


Um gerador é tipicamente protegido com dois ajustes de trip:
b um ajuste com tempo inverso, ajustado em 1,05 Gn com tempo longo.
Por exemplo: curva tipo B, Gs1 = 1,05 e T1 = 8 s
b um ajuste com tempo constante ajustado em torno de 1,2 Gn com um tempo de trip
de dez segundos.
Por exemplo: tempo constante, Gs2 = 1,2 e T2 = 5 s.

Exemplo 2: transformador
Um transformador é geralmente protegido por um ajuste de trip com tempo inverso,
ajustado em 1,05 Gn com tempo longo.
Por exemplo: curva tipo C, Gs = 1,05 e T = 4 s.

74
Funções de proteção Check de sincronismo
Código ANSI 25

Função de proteção que verifica o Funcionamento


sincronismo das redes elétricas a montante A função de check de sincronismo é utilizada para permitir o fechamento de um
e a jusante do disjuntor e autoriza seu disjuntor sem risco de acoplamento perigoso entre as 2 tensões Usync1 e Usync2.
As tensões comparadas podem ser 2 tensões fase-fase ou 2 tensões fase-neutro.
fechamento quando as diferenças de
tensão, freqüência e de fase estão nos A função é ativada quando as tensões comparadas possuem uma diferença de fase,
limites permitidos. freqüência ou amplitude nos limites fixados.

Esta função é disponível no módulo opcional MCS025. O dado lógico “autorização


de fechamento” do módulo deve ser cabeada em uma entrada lógica do Sepam.
Todos os outros dados lógicos e as medições são transmitidas para a unidade
básica Sepam através do cabo de conexão CCA785.

Esquema
desvio de fase
3
desvio de freqüência

desvio de tensão

alto

check de
sincronismo
alto

baixo autorização de
Morta1 AND Morta2
fechamento
Morta1 OR
baixo
Morta2

ausência de tensão
Viva1 AND Morta2

Morta1 XOR Morta2

Morta1 AND Viva2

ausência de Usync1

ausência de Usync2

Antecipação
É possível antecipar a função em um tempo Ta, considerando o taxa de variação de
freqüência e o tempo de fechamento do disjuntor para que o sincronismo seja
atingido no momento do acoplamento.

Controle das tensões


Na ausência de uma ou 2 tensões, o acoplamento pode ser autorizado segundo um
dos 5 modos de controle das tensões.
b Usync1 ausente e Usync2 presente (Morta1 AND Viva2)
b Usync1 presente e Usync2 ausente (Viva1 AND Morta2)
b Uma tensão está presente e a outra ausente (Morta1 XOR Morta2)
b Uma das 2 ou as 2 tensões estão ausentes (Morta1 OR Morta2)
b As 2 tensões estão ausentes (Morta1 AND Morta2)
A presença de cada uma das tensões é detectada por comparação da tensão com
o ajuste alto (Us alto). A ausência de cada uma das tensões é detectada por
comparação da tensão com o ajuste baixo (Us baixo).

75
Funções de proteção Check de sincronismo
Código ANSI 25

Informações para o usuário


São disponíveis as seguintes medições:
b desvio de tensão
b taxa de variação de freqüência
b diferença de fase.

Características
Ajustes
Ajuste dUs
Faixa de ajuste 3% Unsync1 a 30% Unsync1
Precisão (1) ±2,5% ou 0,003 Unsync1
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 106%
Ajuste dfs
Faixa de ajuste 0,05 Hz a 0,5 Hz
Precisão (1) ±10 mHz
3 Resolução
Reconhecimento
0,01 Hz
< 15 mHz
Ajuste dPhis
Faixa de ajuste 5° a 50°
Precisão (1) ±2°
Resolução 1°
Relação de drop-out/pick-up 120%
Ajuste Us alto
Faixa de ajuste 70% Unsync1 a 110% Unsync1
Precisão (1) ±1%
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 93%
Ajuste Us baixo
Faixa de ajuste 10% Unsync1 a 70% Unsync1
Precisão (1) ±1%
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 106%
Antecipação do tempo de fechamento do disjuntor
Faixa de ajuste 0,1 a 500 s
Precisão (1) ±2% ou ±25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Controle das tensões
Faixa de ajuste Em serviço / Fora de serviço
Modo de funcionamento com tensão ausente
Faixa de ajuste Morta1 AND Viva2
Viva1 AND Morta2
Morta1 XOR Morta2
Morta1 OR Morta2
Morta1 AND Morta2
Tempos característicos (1)
Tempo de operação < 190 ms
Tempo de operação dU < 120 ms
Tempo de operação df < 190 ms
Tempo de operação dPhi < 190 ms
Tempo de reset < 50 ms
Saídas (1)
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Autorização de fechamento
Check de sincronismo P25 _1_46 b b
Ausência de tensão P25 _1_47 b b
Diferença de fase P25 _1_49 b b
Taxa de variação de freqüência P25 _1_50 b b
Desvio de tensão P25 _1_51 b b
Ausência de Usync1 P25 _1_52 b b
Ausência de Usync2 P25 _1_53 b b
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

76
Funções de proteção Subtensão (fase-fase ou fase-neutro)
Código ANSI 27

Proteção contra subtensões fase-fase Esquema


ou fase-neutro. saída temporizada U21 (ou V1)
saída temporizada U32 (ou V2)
Funcionamento saída temporizada U13 (ou V3)
Proteção de motores contra queda de tensão ou
detecção de tensão da rede anormalmente baixa para
disparar a mudança automático da carga ou a
transferência da fonte:
b a função de proteção é monofásica e opera com saída temporizada
tensão fase-fase ou fase-neutro
b inclui uma temporização T com tempo definido (DT)
ou inverso IDMT (ver equação da curva de trip na
página 178)
b indicação da falta de fase no alarme associado à
respectiva falha. sinal “pick-up”
A operação com tensão fase-fase ou fase-neutro
depende da conexão escolhida para as entradas de
tensão.
subtensão da fase 1
subtensão da fase 2
subtensão da fase 3
3
saída instantânea U21 (ou V1)
Condições de conexão saída instantânea U32 (ou V2)
Tipo de conexão V1, V2, V3 (1) U21, U32 U21, U32 saída instantânea U13 (ou V3)
+ V0
Operação com SIM SIM NÃO Características
tensão fase-neutro
Operação com SIM SIM SIM Ajustes
tensão fase-fase Origem da medição
Faixa de ajuste Canais principais (U) / Canais adicionais (U’)
Tipo de conexão U21 (1) V1 (1) Modo da tensão
Operação com NÃO Em V1 somente Faixa de ajuste Tensão fase-fase / Tensão fase-neutro
tensão fase-neutro Curva de trip
Operação com Em U21 NÃO Faixa de ajuste Definido / Inverso
tensão fase-fase somente Ajuste Us (ou Vs)
(1) Com ou sem V0. Faixa de ajuste 5% de Unp (ou Vnp) a 100% de Unp (ou Vnp)
Precisão (1) ±2% ou 0,005 Unp
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 103% ±2%
Temporização T (tempo de trip para uma tensão zero)
Faixa de ajuste 50 ms a 300 s
Precisão (1) ±2% ou ±25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos
Tempo de operação Pick-up < 40 ms de 1,1 Us (Vs) a 0,9 Us (Vs)
(25 ms típico)
Tempo ultrapassado < 40 ms de 1,1 Us (Vs) a 0,9 Us (Vs)
Tempo de reset < 50 ms de 0,9 Us (Vs) a 1,1 Us (Vs)
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P27_x_101 b b
Inibição da proteção P27_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P27_x_1 b b
Saída temporizada P27_x_3 b b b
Subtensão da fase 1 (2) P27_x_7 b b
Subtensão da fase 2 (2) P27_x_8 b b
Subtensão da fase 3 (2) P27_x_9 b b
Proteção inibida P27_x_16 b b
Saída instantânea V1 ou U21 P27_x_23 b b
Saída instantânea V2 ou U32 P27_x_24 b b
Saída instantânea V3 ou U13 P27_x_25 b b
Saída temporizada V1 ou U21 P27_x_26 b b
Saída temporizada V2 ou U32 P27_x_27 b b
Saída temporizada V3 ou U13 P27_x_28 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).
(2) Quando a proteção é utilizada para tensão fase-neutro.

77
Funções de proteção Subtensão de seqüência positiva e
verificação do sentido de rotação de
fase
Código ANSI 27D
Proteção de motores contra tensão incorreta. Funcionamento
Proteção de motores contra mau funcionamento devido a uma tensão insuficiente
ou desbalanceada. Baseia-se na medição da tensão de seqüência positiva Vd.
Inclui uma temporização T com tempo definido.
Não opera quando uma única tensão fase-fase ou fase-neutro estiver conectada.
Esta proteção permite também detectar a direção de rotação das fases.
A proteção considera que o sentido de rotação de fase é reverso se a tensão de
seqüência positiva for inferior a 10% de Unp e se a tensão fase-fase for superior a
80% de Unp. Neste caso, é gerada a mensagem de alarme “ROTAÇÃO –”.

Esquema
saída
temporizada

sinal “pick-up”

3
mensagem
"rotação-”

Características
Ajustes
Origem da medição
Faixa de ajuste Canais principais (U) / Canais adicionais (U’)
Ajuste Vsd
Faixa de ajuste 15% de Unp a 60% de Unp
Precisão (1) ±2% ou 0,005 Unp
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 103% ±2%
Temporização T
Faixa de ajuste 50 ms a 300 s
Precisão (1) ±2% ou ±25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos
Tempo de operação Pick-up < 40 ms de 1,1 Vsd a 0,9 Vsd
Tempo ultrapassado < 40 ms de 1,1 Vsd a 0,9 Vsd
Tempo de reset < 50 ms de 0,9 Vsd a 1,1 Vsd
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P27D_x_101 b b
Inibição da proteção P27D_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P27D_x_1 b b
Saída temporizada P27D_x_3 b b b
Proteção inibida P27D_x_16 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

78
Funções de proteção Subtensão remanente
Código ANSI 27R

Detecção da tensão remanente mantida Funcionamento


pelas máquinas rotativas. Proteção utilizada para verificar se a tensão remanente mantida por máquinas
rotativas foi eliminada antes de autorizar a reenergização da barra que alimenta as
máquinas, para evitar transientes elétricos e mecânicos.
Esta proteção é monofásica. Ela será ativada se a tensão U21 ou V1 for inferior ao
ajuste Us. Inclui uma temporização com tempo definido.

Esquema
T 0
U21 U < Us saída temporizada
(ou V1)

sinal “pick-up”

Características
Ajustes
Origem da medição
Faixa de ajuste Canais principais (U) / Canais adicionais (U’)
3
Ajuste Us
Faixa de ajuste 5% de Unp a 100% de Unp
Precisão (1) ±5% ou 0,005 Unp
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 103% ±2%
Temporização T
Faixa de ajuste 50 ms a 300 s
Precisão (1) ±2% ou ±25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos
Tempo de operação Pick-up < 45 ms de 1,1 Us a 0,9 Us
Tempo ultrapassado < 35 ms de 1,1 Us a 0,9 Us
Tempo de reset < 35 ms de 0,9 Us a 1,1 Us
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P27R_x_101 b b
Inibição da proteção P27R_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P27R_x_1 b b
Saída temporizada P27R_x_3 b b b
Proteção inibida P27R_x_16 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

79
Funções de proteção Subtensão de 3ª harmônica
Código ANSI 27TN/64G2

Proteção dos geradores contra falhas Devido às suas características geométricas, os geradores produzem uma tensão
de isolação. Esta função pode ser harmônica de 3ª ordem (H3) que se sobrepõe à força eletromotriz fundamental.
A amplitude desta tensão H3 pode variar entre 0 e 10% de Vn em função:
combinada com as funções 59N ou 51N b das características da rede e do gerador
para assegurar 100% de proteção de b da carga do gerador. É geralmente maior com carga plena do que sem carga.
fuga à terra no estator (64G). A tensão H3, sem falha, deve ser no mínimo de 0,2% de Vn para poder utilizar a
proteção 27TN.
Tensão H3 sem falta
Funcionamento Em operação normal, a tensão H3 é medida de cada lado dos enrolamentos.
Proteção dos geradores contra falhas de isolação entre
fase e terra, por detecção da redução da tensão residual
harmônica de 3ª ordem. Esta função protege de 10% a
20% do enrolamento do estator no lado ponto neutro.
A proteção completa do enrolamento do estador é
assegurada ao combinar esta função às funções 59N
ou 51N, que protegem de 85% a 95% do enrolamento

3 do lado terminal.
Ponto
neutro
Terminais

Tensão H3 com falha lado ponto neutro


Quando uma falha monofásica ocorre em um enrolamento do estator próximo do
ponto neutro da máquina, a impedância de ponto neutro entra em curto-circuito, o
que provoca uma queda da tensão H3 no lado ponto neutro.

Ponto Terminais
neutro

Tensão H3 com falha lado terminais


Uma falha monofásica em um enrolamento do estator próximo dos terminais da
máquina provoca um aumento da tensão H3 no lado ponto neutro.

Ponto Terminais
neutro

A função de proteção subtensão de 3ª harmônica detecta a queda da tensão H3


provocada por uma falha monofásica no lado ponto neutro.
Dois tipos de ajustes de trip são disponíveis em função dos sensores conectados:
b ajuste fixo: trip por subtensão H3 no ponto neutro com um ajuste fixo. O ajuste
necessita das medições preliminares
b ajuste adaptável: trip por subtensão H3 no ponto neutro em função de um ajuste
cujo valor depende da tensão residual H3. O ajuste não necessita de medições
preliminares.
Disponibilidade dos ajustes em função dos sensores conectados
Medições de tensão Tipos disponíveis
TP ponto neutro TP terminais 27TN ajuste fixo 27TN ajuste adaptável
- Todas as fiações - -
b V1 ou U21 - -
b U21, U32 b -
b V1, V2, V3 b b

80
Funções de proteção Subtensão de 3ª harmônica
Código ANSI 27TN/64G2
Ajuste fixo

Funcionamento (do ajuste fixo)


O trip temporizado com tempo definido é dado se o ajuste de tensão H3 do ponto
neutro V3nt for inferior ao ajuste de ajuste Vs.
A função de proteção será operacional somente se a tensão H3 do ponto neutro,
antes da falha, for maior que 0,2% da tensão fase-neutro da rede.
A função de proteção será inibida se a potência produzida pelo gerador for baixa ou
se a tensão de seqüência positiva for insuficiente.
Ajuste
Esta função é ajustada segundo uma série de medições da tensão H3 no ponto
neutro do gerador. Estas medições são utilizadas para determinar o menor valor de
tensão H3 em condições de operação normais.
As medições devem ser feitas:
b sem carga, não conectado à rede
b em diversos ajustes de carga, pois o ajuste de tensão H3 depende da carga.
O parâmetro é ajustado abaixo do menor valor de tensão H3 medido. O Sepam
fornece a medição de tensão H3 no ponto neutro para facilitar o ajuste da função de
proteção.

Esquema
3
saída
instantânea

saída
trip

Características
Ajustes
Tipo de ajuste
Faixa de ajuste Fixa
Ajuste de tensão de 3º harmônico Vs
Faixa de ajuste 0,2 a 20% de Vntp
Precisão (1) ±5% ou ±0,05 V de Vnts ponto neutro
Resolução 0,1%
Relação de drop-out/pick-up 105%
Temporização
Faixa de ajuste 0,5 a 300 s
Precisão (1) ±2% ou de -10 ms a +25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Ajustes avançados
Ajuste Ssmin
Faixa de ajuste 1% a 90% de 3.Unp.Ib
Precisão (1) ±5%
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 105%
Ajuste de tensão de seqüência positiva mínimo Vdsmin
Faixa de ajuste 50% a 100% de Unp
Precisão (1) ±5%
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 105%
Tempos característicos (1)
Tempo de operação Típico 140 ms de 2Vs a 0
Tempo ultrapassado < 65 ms
Tempo de reset < 65 ms
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P27TN/64G2_x_101 b b
Inibição da proteção P27TN/64G2_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída de trip P27TN/64G2_x_3 b b b
Proteção inibida P27TN/64G2_x_16 b b
Saída instantânea P27TN/64G2_x_23 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

81
Funções de proteção Subtensão de 3ª harmônica
Código ANSI 27TN/64G2
Ajuste adaptável

Vnt
Funcionamento (do ajuste adaptável)
A tensão H3 lado terminal V3rΣ é comparada à tensão H3, V3nt, medida lado ponto
neutro. A função calcula a tensão residual H3 a partir das três tensões fase-neutro.
A utilização da tensão residual H3 permite adaptar o ajuste de trip, em função de um
ajuste de tensão H3 normal.
G O trip temporizado com tempo definido é dado quando:
K
V3nt y ---------------------- × V3rΣ .
3(1 – K)
A função de proteção será operacional somente se a tensão H3 do ponto neutro,
3V
antes da falha, for maior que 0,2% da tensão fase-neutro da rede e se a tensão de
seqüência positiva for maior que 30% da tensão fase-neutro.
Ajuste
Esta função não requer medições especiais, mas, em certos casos, estas poderão
ser necessárias para adaptar o ajuste K.
O Sepam mede a tensão H3 ponto neutro V3nt e a tensão residual H3 V3rΣ para
facilitar o ajuste da função de proteção.

3 b V3nt é expressa em % da tensão primária do sensor ponto neutro Vntp


b V3rΣ é expressa em % da tensão primária dos sensores lado terminais Vnp.
Se as tensões primárias dos sensores forem diferentes, será necessário adaptar
V3nt à tensão primária lado terminais Vnp pela fórmula:
Vntp
V3nt (%Vnp) = V3nt (%Vntp) x --------------
Vnp

Esquema

saída
instantânea

saída
trip

Características
Ajustes
Tipo de ajuste
Faixa de ajuste Adaptável
Temporização
Faixa de ajuste 0,5 a 300 s
Precisão (1) ±2% ou de -10 ms a +25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Ajustes avançados
Ajuste K
Faixa de ajuste 0,1 a 0,2
Precisão (1) ±1%
Resolução 0,01
Relação de drop-out/pick-up 105%
Tempos característicos (1)
Tempo de operação Típico 140 ms (2)
Tempo ultrapassado < 65 ms
Tempo de reset < 65 ms
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P27TN/64G2_x_101 b b
Inibição da proteção P27TN/64G2_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída de trip P27TN/64G2_x_3 b b b
Proteção inibida P27TN/64G2_x_16 b b
Saída instantânea P27TN/64G2_x_23 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).
(2) Medida para uma variação de 2V3nt a 0 com V3rΣ = 30%.

82
Funções de proteção Subtensão de 3ª harmônica
Código ANSI 27TN/64G2
Ajuste adaptável

K
Curvas de --------------------
- × V3rΣ
3(1 – K)
Tabela de valores máximos de V3nt (%Vnp)
K 0,10 0,11 0,12 0,13 0,14 0,15 0,16 0,17 0,18 0,19 0,20
V3rΣ
(%Vnp)
1 0,04 0,04 0,05 0,05 0,05 0,06 0,06 0,07 0,07 0,08 0,08
2 0,07 0,08 0,09 0,10 0,11 0,12 0,13 0,14 0,15 0,16 0,17
3 0,11 0,12 0,14 0,15 0,16 0,18 0,19 0,20 0,22 0,23 0,25
4 0,15 0,16 0,18 0,20 0,22 0,24 0,25 0,27 0,29 0,31 0,33
5 0,19 0,21 0,23 0,25 0,27 0,29 0,32 0,34 0,37 0,39 0,42
6 0,22 0,25 0,27 0,30 0,33 0,35 0,38 0,41 0,44 0,47 0,50
7 0,26 0,29 0,32 0,35 0,38 0,41 0,44 0,48 0,51 0,55 0,58
8 0,30 0,33 0,36 0,40 0,43 0,47 0,51 0,55 0,59 0,53 0,67
9 0,33 0,37 0,41 0,45 0,49 0,53 0,57 0,61 0,66 0,70 0,75
10
15
20
0,37
0,56
0,74
0,41
0,62
0,82
0,45
0,68
0,91
0,50
0,75
1,00
0,54
0,81
1,09
0,59
0,88
1,18
0,63
0,95
1,27
0,68
1,02
1,37
0,73
1,10
1,46
0,78
1,17
1,56
0,83
1,25
1,67
3
25 0,93 1,03 1,14 1,25 1,36 1,47 1,59 1,71 1,83 1,95 2,08
30 1,11 1,24 1,36 1,49 1,63 1,76 1,90 2,05 2,20 2,35 2,50
40 1,48 1,65 1,82 1,99 2,17 2,35 2,54 2,73 2,93 3,13 3,33
50 1,85 2,06 2,27 2,49 2,71 2,94 3,17 3,41 3,66 3,91 4,17
60 2,22 2,47 2,73 2,99 3,26 3,53 3,81 4,10 4,39 4,69 4,10
70 2,59 2,88 3,18 3,49 3,80 4,12 4,44 4,78 5,12 5,47 5,83
80 2,96 3,30 3,64 3,98 4,34 4,71 5,08 5,46 5,85 6,26 6,67
90 3,33 3,71 4,09 4,48 4,88 5,29 5,71 6,14 6,59 7,04 7,50

Ajuste K

Zona de trip

83
Funções de proteção Direcional de sobrepotência ativa
Código ANSI 32P

Proteção contra potência ativa reversa ou É excitada se a potência ativa que transita em uma ou outra direção (fornecida ou
sobrecarga ativa. absorvida) for superior ao ajuste Ps.
Inclui uma temporização T com tempo definido.
Baseia-se no método dos três ou dois wattímetros segundo as condições de
conexão:
Funcionamento b V1, V2, V3 e I1, I2, I3: 3 wattímetros
Proteção bidirecional baseia-se no valor da potência b V1, V2, V3 e I1, I3: 2 wattímetros
ativa calculada, adaptada às seguintes aplicações: b U21, U32 + V0 e I1, I2, I3: 3 wattímetros
b proteção contra sobrepotência ativa para detectar b U21, U32 + V0 e I1, I3: 2 wattímetros
situações de sobrecarga e permitir ações de rejeição b U21, U32 sem V0: 2 wattímetros
de carga b outros casos: proteção indisponível.
b proteção contra potência ativa reversa para A função somente será operante se a seguinte condição for respeitada:
proteger: P u 3,1% Q o que permite obter uma grande sensibilidade e uma grande estabilidade
v um gerador que trabalha como um motor, quando o em caso de curto-circuito.
gerador consome potência ativa O sinal da potência é determinado segundo o parâmetro geral de alimentador ou
v um motor que trabalha como um gerador, quando o entrada respeitando a convenção:
motor fornece a potência ativa. b para o circuito alimentador:
3 v potência exportada pela barra é positiva
v potência fornecida à barra é negativa
+ direção
do fluxo

b para o circuito de entrada: + direção


potência sobrepotência
v potência fornecida à barra é positiva do fluxo
reversa v potência exportada pela barra é negativa.

Esquema
sobrepotência ativa/potência ativa reversa

escolha
saída
da
temporizada
direção
sinal
“pick-up”
Área de operação.

Características
Ajustes
Direção do trip
Faixa de ajuste Sobrepotência / potência reversa
Ajuste Ps
Faixa de ajuste 1% de Sn (2) a 120% de Sn (2)
Precisão (1) ±0,3% Sn para Ps entre 1% Sn e 5% Sn
±5% para Ps entre 5% Sn e 40% Sn
±3% para Ps entre 40% Sn e 120% Sn
Resolução 0,1 kW
Relação de drop-out/pick-up 93,5% ±5% ou > (1 - 0,004 Sn/Ps) x 100%
Temporização T
Faixa de ajuste 100 ms a 300 s
Precisão (1) ±2% ou -10 ms a +25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos
Tempo de operação < 90 ms a 2 Ps
Tempo ultrapassado < 40 ms a 2 Ps
Tempo de reset < 105 ms a 2 Ps
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P32P_x_101 b b
Inibição da proteção P32P_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P32P_x_1 b b
Saída temporizada P32P_x_3 b b b
Proteção inibida P32P_x_16 b b
Potência ativa positiva P32P_x_19 b b
Potência ativa negativa P32P_x_20 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).
(2) Sn = 3.Un.In.

84
Funções de proteção Direcional de sobrepotência reativa
Código ANSI 32Q

Proteção contra perdas de excitação das É excitada se a potência reativa que transita em uma ou outra direção (fornecida ou
máquinas síncronas. absorvida) for superior ao ajuste Qs.
Inclui uma temporização T com tempo definido.
Baseia-se no método dos três ou dois wattímetros segundo as condições de
conexão:
Funcionamento b V1, V2, V3 e I1, I2, I3: 3 wattímetros
A proteção bidirecional baseia-se no valor da potência b V1, V2, V3 e I1, I3: 2 wattímetros
reativa calculada, para a detecção da perda de b U21, U32 + V0 e I1, I2, I3: 3 wattímetros
excitação das máquinas síncronas: b U21, U32 + V0 e I1, I3: 2 wattímetros
b proteção contra sobrepotência reativa para motores b U21, U32 sem V0: 2 wattímetros
cujo consumo de potência reativa aumenta em caso de b outros casos: proteção indisponível.
perda de excitação Esta função somente será operante se a seguinte condição for respeitada:
b proteção contra potência reativa reversa para Q u 3,1% P o que permite obter uma grande sensibilidade e uma grande estabilidade
proteger geradores que tornam-se consumidores de no caso de curto-circuito.
potência reativa em caso de perda de excitação. O sinal da potência é determinado segundo o parâmetro geral de alimentador ou
entrada respeitando a convenção:
b para o circuito alimentador:
v potência exportada pela barra é positiva
v potência fornecida à barra é negativa
3
+ direção
do fluxo

b para o circuito de entrada: + direção


v potência fornecida à barra é positiva do fluxo
v potência exportada pela barra é negativa.
sobrepotência

Esquema
sobrepotência reativa/potência reativa reversa

escolha
da saída
direção temporizada

sinal
“pick-up”

potência
reversa
Características
Ajustes
Direção do trip
Faixa de ajuste sobrepotência/potência reversa
Ajuste Ps
Faixa de ajuste 5% de Sn (2) a 120% de Sn (2)
Precisão (1) ±5% para Qs entre 5% Sn e 40% Sn
Área de funcionamento. ±3% para Qs entre 40% Sn e 120% Sn
Resolução 0,1 kW
Relação de drop-out/pick-up 93,5%
Temporização T
Faixa de ajuste 100 ms a 300 s
Precisão (1) ±2% ou -10 ms a +25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos
Tempo de operação < 90 ms
Tempo ultrapassado < 95 ms
Tempo de reset < 90 ms
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P32Q_1_101 b b
Inibição da proteção P32Q_1_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P32Q_1_1 b b
Saída temporizada P32Q_1_3 b b b
Proteção inibida P32Q_1_16 b b
Potência reativa positiva P32Q_1_54 b b
Potência reativa negativa P32Q_1_55 b b
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).
(2) Sn = 3.Un.In.

85
Funções de proteção Subcorrente de fase
Código ANSI 37

Proteção das bombas. Esta proteção é monofásica:


b é excitada se a corrente de fase 1 (I1) ficar abaixo do ajuste Is

Funcionamento
Proteção das bombas contra as conseqüências de
um desarme por detecção de operação sem carga
do motor.
sinal
“pick-up”

saída
temporizada
Caso de queda de corrente.

b é inativa quando a corrente for inferior a 1,5% de In


b é insensível à queda de corrente por abertura do disjuntor

sinal
“pick-up” = 0

saída
temporizada = 0
Caso de abertura do disjuntor.

b inclui uma temporização com tempo definido.

Esta proteção pode ser inibida por uma entrada lógica.


Pode ser rearmada (reset) a distância por um comando
remoto (TC32).

Esquema

saída
temporizada

sinal
“pick-up”

86
Funções de proteção Subcorrente de fase
Código ANSI 37

Características
Ajustes
Ajuste Is
Faixa de ajuste 5% de Ib a 100% Ib
Precisão (1) ±5%
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 106%
Temporização T
Faixa de ajuste 50 ms a 300 s
Precisão (1) ±2% ou ±25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos
Tempo de operação Pick-up < 50 ms
Tempo ultrapassado < 40 ms
Tempo de reset < 40 ms
Entradas
Designação
Reset da proteção
Sintaxe
P37_1_101
Equações Logipam
b b
3
Inibição da proteção P37_1_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P37_1_1 b b
Saída temporizada P37_1_3 b b b
Proteção inibida P37_1_16 b b
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

Equivalências TS/TC para cada protocolo


Modbus DNP3 IEC 60870-5-103 IEC 61850
TS Binary Input ASDU, FUN, INF LN.DO.DA
TC32 BO13 20, 105, 101 A37_PTUC.ProRs.ctlVal

87
Funções de proteção Direcional de subpotência ativa
Código ANSI 37P

Verificação do fluxo de potência ativa. Funcionamento


A proteção bidirecional baseia-se no valor da potência ativa. A função verifica o fluxo
de potência ativa calculada:
b para adaptar o número de fontes em paralelo à demanda de potência pelas
cargas da rede
b para criar um sistema isolado em uma instalação com sua própria unidade de
geração.
A função de proteção é excitada se a potência ativa transitante em uma ou outra
direção (fornecida ou absorvida) for inferior ao ajuste Ps.
Inclui uma temporização T com tempo definido.
Baseia-se no método dos 3 ou 2 wattímetros segundo as condições de conexão:
b V1, V2, V3 e I1, I2, I3: 3 wattímetros
b V1, V2, V3 e I1, I3: 2 wattímetros
Área de trip (direção normal). b U21, U32 + V0 e I1, I2, I3: 3 wattímetros
b U21, U32 + V0 e I1, I3: 2 wattímetros
b U21, U32 sem V0: 2 wattímetros
b outros casos: proteção indisponível.

3 O sinal da potência é determinado segundo o parâmetro geral de alimentador ou


entrada respeitando a convenção:
b para o circuito alimentador:
v potência exportada pela barra é positiva
(direção normal)
v potência fornecida à barra é negativa
+ direção
do fluxo

b para o circuito de entrada: + direção


v potência fornecida à barra é positiva (direção normal) do fluxo
v potência exportada pela barra é negativa.
Área de trip (direção inversa).

Esquema
normal/reversa

escolha
saída
da
temporizada
direção
sinal
“pick-up”

Características
Ajustes
Direção de trip
Faixa de ajuste Normal/reversa
Ajuste Ps
Faixa de ajuste 5% de Sn (2) a 100% de Sn (2)
Precisão (1) ±5% para Ps entre 5% Sn e 40% Sn
±3% para Ps entre 40% Sn e 120% Sn
Resolução 0,1 kW
Relação de drop-out/pick-up 106%
Temporização T
Faixa de ajuste 100 ms a 300 s
Precisão (1) ±2% ou -10 ms a +25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos
Tempo de operação < 120 ms
Tempo ultrapassado < 65 ms
Tempo de reset < 60 ms
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P37P_x_101 b b
Inibição da proteção P37P_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P37P_x_1 b b
Saída temporizada P37P_x_3 b b b
Proteção inibida P37P_x_16 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).
(2) Sn = 3.Un.In.

88
Funções de proteção Monitoramento de temperatura
Código ANSI 38/49T

Proteção contra o aquecimento dos Funcionamento


equipamentos por medição da temperatura Proteção que detecta os aquecimentos anormais por medição da temperatura
com um sensor. dentro de um equipamento com sensores:
b transformador: proteção dos enrolamentos primários e secundários
b motor e gerador: proteção dos enrolamentos do estator e dos rolamentos.
Esta função de proteção é associada a um sensor de temperatura tipo sonda
térmica com resistência de platina Pt 100 (100 Ω a 0°C) ou de níquel Ni100 ou Ni120
conforme a normas IEC 60751 e DIN 43760.
b é excitada se a temperatura monitorada for superior ao ajuste Ts
b tem dois ajustes independentes:
v ajuste de alarme
v ajuste de trip
b a proteção, quando ativada, detecta se o sensor está em curto-circuito ou
desconectado:
v o sensor está em curto-circuito se a temperatura medida for inferior a
-35°C, (medição visualizada "****")
v o sensor está desconectado se a temperatura medida for superior a +205°C
(medição visualizada "-****").
Se uma falha do sensor for detectada, a função de proteção será inibida e as saídas
3
retornarão a zero.
O dado “falha do sensor” é colocado à disposição na matriz de controle e uma
mensagem de alarme é gerada para indicar o número do módulo MET148-2 do
sensor em falha.

Esquema

1º ajuste

sensor 2º ajuste

sensor em falha

Características
Ajustes
Ajustes de alarme e de trip TS1,TS2
Faixa de ajuste 0°C a 180°C 32°F a 356°F
Precisão (1) ±1,5°C ±2,7°F
Resolução 1°C 1°F
Diferença entre pick-up/drop-out 3°C 5,4°F
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P38/49T_x_101 b b
Inibição da proteção P38/49T_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída proteção P38/49T_x_3 b b b
Alarme P38/49T_x_10 b b b
Falha do sensor P38/49T_x_12 b b
Proteção inibida P38/49T_x_16 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

89
Funções de proteção Perda de excitação de campo
Código ANSI 40

Proteção contra perdas de excitação Funcionamento


dos geradores ou motores síncronos. A função de proteção é composta de duas características circulares de trip no plano
de impedância (R, X). A proteção 40 será ativada quando a impedância em
seqüência positiva Zd entrar em uma das características de trip.
Vd
Zd = --------
Id

Características circulares de trip


b Caso de um gerador na entrada ou motor sendo alimentado
Círculo 1 Círculo 2
Centro C1 = -(Xa + Xb)/2 C2 = -(Xa + Xc)/2
Raio R1 = (Xb - Xa)/2 R2 = (Xc - Xa)/2

b Caso de um gerador sendo alimentado ou motor na entrada: as características de


trip são obtidas simetricamente em relação ao eixo R
Círculo 1 Círculo 2
Centro C1 = (Xa + Xb)/2 C2 = (Xa + Xc)/2
Raio R1 = (Xb - Xa)/2 R2 = (Xc - Xa)/2

Esquema
saída
instantânea
círculo 1
Zd no círculo 1 com
diâmetro (Xa, Xb)

saída
temporizada

Zd no círculo 2 com
diâmetro (Xa, Xc)
sinal
“pick-up”

90
Funções de proteção Perda de excitação de campo
Código ANSI 40

Ajuda nos ajustes do SFT2841


O software SFT2841 inclui uma função de ajuda nos ajustes que permite, segundo
os dados elétricos da máquina e do transformador, calcular valores típicos de ajuste
de Xa, Xb e Xc.
Dados utilizados:
b máquina síncrona:
v reatância síncrona Xd em %
v reatância síncrona transitória X'd em %
b transformador:
v tensão no enrolamento 1 Un1 em V/kV
v tensão de curto-circuito Ucc em %
v potência nominal em kVA/MVA
v perdas de cobre em kΩ/MΩ.
Os ajustes propostos são um círculo 1 com diâmetro Zn se Xd u 200% ou com
diâmetro Xd/2 em todos os outros casos, um círculo 2 com diâmetro Xd.
Os dois círculos são defasados de zero em -X'd/2.
Zn = impedância nominal da máquina:
Un1
Zn = ------------- .
3Ib
3
Características
Ajustes
Ponto comum: Xa
Faixa de ajuste 0,02Vn/Ib y Xa y 0,20Vn/Ib + 187,5 kΩ ou 0,001 Ω
Precisão (1) ±5%
Resolução 1%
Círculo 1: Xb
Faixa de ajuste 0,20Vn/Ib y Xa y 1,40Vn/Ib + 187,5 kΩ
Precisão (1) ±5%
Resolução 0,001 Ω ou 1 dígito
Relação de drop-out/pick-up 105% do diâmetro do círculo 1
Círculo 2: Xc
Faixa de ajuste 0,60Vn/Ib y Xa y 3Vn/Ib + 187,5 kΩ
Precisão (1) ±5%
Resolução 0,001 Ω ou 1 dígito
Relação de drop-out/pick-up 105% do diâmetro do círculo 2
Temporização T1: temporização de trip do círculo 1
Faixa de ajuste 50 ms y T y 300 s
Precisão (1) ±2% ou de -10 ms a +25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Temporização T2: temporização de trip do círculo 2
Faixa de ajuste 100 ms y T y 300 s
Precisão (1) ±2% ou de -10 ms a +25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos (1)
Tempo de operação Pick-up < 35 ms de 0 a C1 (típico 25 ms)
Pick-up < 35 ms de 0 a C2 (típico 25 ms)
Tempo ultrapassado < 40 ms
Tempo de reset < 50 ms (para T1 = 0)
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P40_1_101 b b
Inibição da proteção P40_1_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P40_1_1 b b
Saída temporizada P40_1_3 b b b
Proteção inibida P40_1_16 b b
Proteção instantânea 1 (círculo 1) P40_1_23 b b
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

91
Funções de proteção Perda de excitação de campo
Código ANSI 40

Exemplo 1: gerador síncrono


Dados do gerador síncrono
b S = 3,15 MVA
b Un1 = 6,3 kV
b Xd = 233%
b X'd = 21%
Ajuste da proteção
Para ajustar a proteção, é necessário calcular a impedância Zn de referência
do gerador:
b Ib = S/(3.Un1) = 289 A
b Zn = Un1/ (3.Ib) = 12,586 Ω.
Tipicamente o círculo 1 é ajustado com um diâmetro de Zn defasado de -X'd/2
e o círculo 2 é ajustado com um diâmetro de Xd, defasado de -X'd/2:
b Xa = (X'd(%)/200)Zn = 1,321 Ω
b Xb = (X'd(%)/200 + 1)Zn = 13,907 Ω
b Xc = (X'd(%)/200 + Xd/100)Zn = 30,646 Ω.

3 As falhas detectadas no círculo 1 são falhas de excitação consideradas graves,


devendo ser eliminadas rapidamente. O círculo 2 pode ser relativo a outras falhas
que as da excitação, seu tempo de trip é mais longo:
b T1 = 70 ms
b T2 = 500 ms.

Exemplo 2: aplicações da unidade gerador-transformador


Dados do gerador síncrono
b Sg = 19 MVA
b Un2 = 5,5 kV
b Xd = 257%
b X'd = 30%
Dados do transformador
b St = 30 MVA
b Un1 = 20 kV / Un2 = 5,5 kV
b Ucc = 7%
b Pcu = 191 kW
Ajuste da proteção
Para ajustar a proteção, é necessário calcular a impedância de referência do
gerador na tensão Un1:
b Ib = Sg/(3.Un1) = 548 A
b Zn = Un1/ (3.Ib) = 21,071 Ω.
A impedância do transformador na tensão Un1 é:
Zt = Ucc/100.(Un1)∑/St = 0,933 Ω.
A resistência do transformador na tensão Un1 é de:
Rt = Pcu.(Un1/St)∑ = 0,085 Ω.
A reatância do transformador na tensão Un1 é:
2 2
Xt = Zt – Rt = 0,929 Ω.
O círculo 1 é ajustado com um diâmetro de Zn, defasado de -X'd/2 e a reatância do
transformador. O círculo 2 é ajustado com um diâmetro de Xd, defasado de -X'd/2 e
a reatância do transformador.
b Xa = (X'd(%)/200)Zn + Xt = 4,09 Ω
b Xb = (X'd(%)/200 + 1)Zn + Xt = 25,161 Ω
b Xc = (X'd(%)/200 + Xd(%)/100)Zn + Xt = 58,243 Ω.
As falhas detectadas no círculo 1 são falhas de excitação consideradas graves,
devendo ser eliminadas rapidamente. O círculo 2 pode ser relativo a outras falhas
que as da excitação, seu tempo de trip é mais longo:
b T1 = 70 ms
b T2 = 500 ms.

92
Funções de proteção Desbalanço / corrente de
seqüência negativa
Código ANSI 46

Proteção contra desbalanço de fase para Funcionamento


linhas e equipamentos. Proteção contra desbalanço de fase, detectado pela medição da corrente de
seqüência negativa:
b proteção sensível para detectar falhas bifásicas nas extremidades de linhas longas
b proteção do equipamento contra o aquecimento provocado por uma alimentação
desbalanceada, a inversão ou a perda de uma fase e contra desbalanço de corrente
de fase.
Esta proteção é excitada se o componente de seqüência negativa das correntes de
fase for superior ao ajuste de funcionamento.
Ela é temporizada, a temporização é com tempo definido ou com tempo inverso,
segundo uma curva normalizada ou uma curva Schneider Electric ou uma curva RI2
para a proteção dos geradores.
Curva de trip
IDMT Schneider Electric
IEC tempo inverso SIT / A
IEC tempo muito inverso VIT ou LTI / B
IEC tempo extremamente inverso EIT / C
IEEE moderadamente inverso (IEC / D)
3
IEEE muito inverso (IEC / E)
IEEE extremamente inverso (IEC / F)
Curva RI2

Esquema
I1
t 0
I2 Ii > Is saída
temporizada
I3
sinal
“pick-up”

Características
Ajustes
Origem da medição
Faixa de ajuste Canais principais (I)
Canais adicionais (I')
Curva de trip
Faixa de ajuste Segundo a lista acima
Ajuste Is
Faixa de ajuste com tempo definido 10% a 500% de Ib ou I'b
com tempo inverso Schneider 10% a 50% de Ib ou I'b
Electric
com tempo inverso IEC e IEEE 10% a 100% de Ib ou I'b
Curva RI2 3% a 20% de Ib ou I'b
Precisão (1) ±5% ou ±0,004 In
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 93,5% ±5% ou > (1 - 0,005 In/Is) x 100%
Temporização T
Faixa de ajuste com tempo definido 100 ms y T y 300 s
com tempo inverso 100 ms y T y 1 s ou TMS (2)
Precisão (1) com tempo definido ±2% ou +25 ms
com tempo inverso ±5% ou +35 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
K (curva RI2 somente)
Faixa de ajuste 1 a 100
Resolução 1
Tempos característicos
Tempo de operação Pick-up < 55 ms a 2 Is
Tempo ultrapassado < 50 ms a 2 Is
Tempo de reset < 55 ms a 2 Is
Entradas
x: número de unidade. Designação Sintaxe Equações Logipam
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).
(2) Faixas de ajuste em modo TMS (Time Multiplier Setting): Reset da proteção P46_x_101 b b
Inverso (SIT) e IEC SIT/A: 0,034 a 0,336 Inibição da proteção P46_x_113 b b
Muito inverso (VIT) e IEC VIT/B: 0,067 a 0,666 Saídas
Muito inverso (LTI) e IEC LTI/B: 0,008 a 0,075
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Extremamente inverso (EIT) e IEC EIT/C: 0,124 a 1,237
IEEE moderadamente inverso: 0,415 a 4,142 Saída instantânea (Pick-up) P46_x_1 b b
IEEE muito inverso: 0,726 a 7,255 Saída temporizada P46_x_3 b b b
IEEE extremamente inverso: 1,231 a 12,30. Proteção inibida P46_x_16 b b

93
Funções de proteção Desbalanço / corrente de
seqüência negativa
Código ANSI 46

Exemplo de ajuste para as curvas RI2


Um gerador pode suportar permanentemente um certo ajuste de corrente de
seqüência negativa. Este ajuste Is permanente, fornecido pelo fabricante do
gerador, geralmente está entre 5 e 10% da corrente de base (Ib).
Os valores típicos são:
Tipo de gerador Ii admissível (% Ib)
Pólos salientes enrolamento com 10
amortecedores
enrolamento sem 5
amortecedores
Pólos lisos Resfriamento forçado 10
Sn y 960 MVA 8
960 MVA < Sn y 1200 MVA 6
Curva RI2 1200 MVA < Sn 5
Referência IEEE C37.102-1987.

3 Quando este ajuste de corrente é excedido, o gerador pode suportar uma corrente
de seqüência negativa Ii durante um tempo td, que corresponde à seguinte equação:
K
td = -----------------2
⎛ ---------
Ii ⎞
⎝ Ib ⎠

O valor K é uma constante ajustável que depende do tipo de gerador, compreendido


geralmente entre 1 e 40. Os valores típicos de K são:
Tipo de gerador K
Pólos salientes 40
Condensadores síncronos 30
Pólos lisos Resfriamento forçado 20
Sn y 800 MVA 10
800 MVA < Sn y 1600 MVA 10 - 0,00625.(MVA - 800)
Referência IEEE C37.102-1987.

Curva com tempo inverso Schneider Electric


Para Ii > Is, a temporização depende do valor de Ii/Ib (Ib: corrente de base do
equipamento a proteger definida no ajuste dos parâmetros iniciais).
T corresponde à temporização para Ii/Ib = 5.
A curva de trip é definida através das seguintes equações:
b para Is/Ib y Ii/Ib y 0,5
3,19
t = ------------------------
1, 5
×T
( Ii ⁄ Ib )

b para 0,5 y Ii/Ib y 5


4, 64
t = --------------------------
0, 96
×T
( Ii ⁄ Ib )

b para Ii/Ib > 0,5


t = T.

Curva Schneider Electric

94
Funções de proteção Desbalanço / corrente de
seqüência negativa
Código ANSI 46

Determinação do tempo de trip para Curva de trip com tempo inverso Schneider Electric
diferentes valores de corrente de t(s)
seqüência negativa para uma
10000
determinada curva Schneider Electric
Utilize a tabela para encontrar o valor de X 5000
correspondente à corrente de seqüência negativa
desejada. O tempo de trip é igual a XT. 2000

Exemplo 1000
Considerando uma curva de trip cujo ajuste é T = 0,5 s.
500
Qual seria o tempo de trip em 0,6 Ib?
Utilize a tabela para encontrar o valor X correspondente
a 60% de Ib. 200
Na tabela X = 7,55. 100
Logo, o tempo de trip é igua a : 0,5 x 7,55 = 3,755 s.
50

20

10
curva máx. (T = 1s) 3
5

0,5

0,2

0,1

0,05 curva mín. (T = 0,1s)

0,02

0,01

0,005

0,002

0,001 I/Ib

0,05 0,1 0,2 0,3 0,5 0,7 1 2 3 5 7 10 20

li (% lb) 10 15 20 25 30 33.33 35 40 45 50 55 57.7 60 65 70 75


X 99,95 54,50 35,44 25,38 19,32 16,51 15,34 12,56 10,53 9,00 8,21 7,84 7,55 7,00 6,52 6,11

li (% lb) cont. 80 85 90 95 100 110 120 130 140 150 160 170 180 190 200 210
X cont. 5,74 5,42 5,13 4,87 4,64 4,24 3,90 3,61 3,37 3,15 2,96 2,80 2,65 2,52 2,40 2,29

li (% lb) cont. 22, 230 240 250 260 270 280 290 300 310 320 330 340 350 360 370
X cont. 2,14 2,10 2,01 1,94 1,86 1,80 1,74 1,68 1,627 1,577 1,53 1,485 1,444 1,404 1,367 1,332

li (% lb) cont. 380 390 400 410 420 430 440 450 460 470 480 490 u 500
X cont. 1,298 1,267 1,236 1,18 1,167 1,154 1,13 1,105 1,082 1,06 1,04 1,02 1

95
Funções de proteção Sobretensão de seqüência
negativa
Código ANSI 47

Proteção contra desbalanço Funcionamento


entre fases. Proteção contra desbalanço entre fases proveniente de uma inversão de fase,
alimentação desbalanceada ou de uma falha distante, detectadas pela medição da
tensão de seqüência negativa Vi.
Inclui uma temporização T com tempo definido.
Ela não funciona quando uma única tensão está conectada ao Sepam.

Esquema
U21 T 0
Vi >Vsi saída temporizada
U32

sinal “pick-up”

Características
Ajustes
3 Origem da medição
Faixa de ajuste Canais principais (U) / Canais adicionais (U’)
Ajuste Vsi
Faixa de ajuste 1% de Unp a 50% de Unp
Precisão (1) ±2% ou 0,005 Unp
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 97% ±1% ou > (1 - 0,006 Unp/Vsi) x 100%
Temporização T
Faixa de ajuste 50 ms a 300 s
Precisão (1) ±2% ou ±25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos
Tempo de operação Pick-up < 40 ms a 2 Vsi
Tempo ultrapassado < 50 ms a 2 Vsi
Tempo de reset < 50 ms a 2 Vsi
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P47_x_101 b b
Inibição da proteção P47_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P47_x_1 b b
Saída temporizada P47_x_3 b b b
Proteção inibida P47_x_16 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

96
Funções de proteção Partida longa, rotor bloqueado
Código ANSI 48/51LR

Detecção de partidas longas e rotor Funcionamento


bloqueado para proteção de motores. Proteção contra o aquecimento excessivo de um motor provocado por:
b tempo de partida do motor excessivo devido a sobrecargas (por exemplo,
transportador) ou por tensão de alimentação insuficiente
b bloqueio do rotor devido à carga do motor (por exemplo, triturador):
v em operação normal, após uma partida normal
v diretamente na partida do motor, antes da detecção de uma partida longa.
Esta função é trifásica.
A partida será detectada quando a corrente absorvida for superior a 5% da corrente Ib.
Esta função possui 2 partes:
b partida longa: em uma partida, esta proteção é excitada se a corrente de uma das
3 fases for superior ao ajuste Is durante um tempo superior à temporização ST
(correspondente ao tempo normal da partida)
Partida longa
b rotor bloqueado:
Rotor bloqueado v em regime normal (após a partida), esta proteção é excitada se a corrente de uma
das 3 fases for superior ao ajuste Is durante um tempo superior à temporização LT
de um tempo definido
Rotação do rotor
Caso de partida normal.
v bloqueado na partida: certos motores grandes têm um tempo de partida muito
longo devido à sua inércia elevada ou à tensão reduzida. Este tempo de partida
pode ser maior que o tempo admitido para um rotor bloqueado. Para proteger
3
corretamente este tipo de motor contra rotor bloqueado na partida, é possível ajustar
um tempo LTS, que inicia um disparo, se for detectada uma partida (I > Is) e se a
velocidade do motor for zero. A rotação do motor é neste caso detectada pela função
subvelocidade (ANSI 14) ou pela entrada lógica “detecção da rotação do rotor”
proveniente de um sensor de velocidade zero (zero-speed-switch).
Reaceleração do motor
Na reaceleração, o motor absorve uma corrente próxima da corrente de partida
(> Is) sem que a corrente passe previamente a um valor inferior a 5% de Ib.
A temporização ST, que corresponde ao tempo normal da partida, pode ser
reinicializada por uma entrada lógica ou uma informação proveniente de uma
Partida longa equação lógica ou do programa Logipam (entrada “reaceleração do motor”):
b reinicializar a proteção partida longa
Rotor bloqueado b ajustar a um valor baixo a temporização LT da proteção rotor bloqueado.
Rotação do rotor
Esquema
Caso de partida longa.
partida em saída
andamento de trip
Partida
finalizada rotor
bloqueado em
entrada regime normal
“reaceleração
do motor”
partida
longa

Partida longa
rotor
entrada “detecção bloqueado
Rotor bloqueado
de rotação do rotor” na partida
em regime normal
Rotação do rotor velocidade zero
(ANSI 14)
Caso de um rotor bloqueado.

Partida longa

Rotor bloqueado
em regime normal
Rotação do rotor
Caso de rotor bloqueado na partida.

97
Funções de proteção Partida longa, rotor bloqueado
Código ANSI 48/51LR

Características
Ajustes
Ajuste Is
Faixa de ajuste 50% a 500% de Ib
Precisão (1) ±5%
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 93%
Temporização T
Faixa de ajuste ST 500 ms a 300 s
LT 50 ms a 300 s
LTS 50 ms a 300 s
Precisão(1) 2% ou ±25 ms
Resolução 10 ms
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P48/51LR_1_101 b b
Reaceleração do motor P48/51LR_1_102 b b

3 Inibição da proteção
Saídas
P48/51LR_1_113 b b

Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz


Saída proteção P48/51LR_1_3 b b b
Rotor bloqueado P48/51LR_1_13 b b b
Partida longa P48/51LR_1_14 b b b
Rotor bloqueado na partida P48/51LR_1_15 b b b
Proteção inibida P48/51LR_1_16 b b
Partida em curso P48/51LR_1_22 b b
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

98
Funções de proteção Sobrecarga térmica para cabos
Código ANSI 49RMS

Proteção dos cabos contra os danos Funcionamento


térmicos causados por sobrecargas. Esta função de proteção é utilizada para proteger cabos contras sobrecargas
através da medição da corrente absorvida.
A corrente medida pela proteção térmica é uma corrente RMS trifásica que leva em
consideração os harmônicos até a 13ª ordem.
A maior corrente das três fases I1, I2, I3, subseqüentemente chamada de corrente
de fase Iph, é utilizada para calcular a sobrecarga térmica:
Iph = max ( I1, I2, I3 ) .
A sobrecarga térmica calculada, proporcional ao quadrado da corrente absorvida,
depende da corrente absorvida e do estado de temperatura anterior. Em regime
Curva a frio permanente, é igual a:
Iph 2
Curva a quente E = ⎛ ---------⎞ × 100 em %
⎝ Ib ⎠
A proteção dá uma ordem de trip quando a corrente de fase for superior à corrente
admissível pelo cabo. O valor da corrente de base Ib deve ser estritamente inferior à
Curvas de trip. corrente admissível Ia. De fábrica, é utilizado Ib ≈ Ia/1,4.
O tempo de trip é ajustado pela constante de tempo T:
⎛ I ⎞2
⎛ ----- ⎞
3
t ⎜ ⎝ Ib ⎠ ⎟
2⎟
A frio --- = In ⎜ ------------------------------------
- onde ln: logaritmo natural.
T 2
I ⎞ ⎛ Ia ⎞ ⎟
⎜ ⎛ ----- – -----
⎝ ⎝ Ib ⎠ ⎝ Ib ⎠ ⎠
⎛ ⎛ ----- ⎞
2
I ⎞
t ⎜ ⎝ Ib ⎠ – 1 ⎟
- ⎟ onde ln: logaritmo natural.
A quente --- = In ⎜ ------------------------------------
T I ⎞2 ⎛ Ia ⎞2 ⎟
⎜ ⎛ ----- – -----

⎝ Ib ⎠ ⎝ Ib ⎠ ⎠
A sobrecarga térmica em curso é memorizada se ocorrer falha da alimentação auxiliar.

Esquema

saída alarme
e sinalização
sobrecarga térmica:

saída
trip e
entrada lógica: sinalização
“inibição
sobrecarga térmica”

Informações ao usuário
As seguintes informações são disponíveis para o usuário:
b a sobrecarga térmica
b o tempo antes do trip (com corrente constante).

Características
Ajustes
Corrente admissível Ia
Faixa de ajuste < 1 a 1,73 Ib
Precisão (1) ±2%
Resolução 1A
Constante de tempo T
Faixa de ajuste 1 min a 600 min
Resolução 1 min
Tempos característicos (1)
Precisão do tempo de operação ±2% ou ±1 s
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P49RMS_1_101 b b
Inibição da proteção P49RMS_1_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída temporizada P49RMS_1_3 b b b
Alarme P49RMS_1_10 b b b
Inibição do fechamento P49RMS_1_11 b b b
Proteção inibida P49RMS_1_16 b b
Estado a quente P49RMS_1_18 b b
Inibição sobrecarga P49RMS_1_32 b b
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

99
Funções de proteção Sobrecarga térmica para cabos
Código ANSI 49RMS

Exemplo
Considerando um cabo de cobre, 185 mm2, com uma corrente admissível Ia = 485 A
e suportabilidade térmica de 1 s, Ith_1 s = 22,4 kA.
A constante de tempo térmica de um cabo depende de seu método de instalação.
Os valores típicos da constante de tempo são de 10 e 60 minutos. No caso de cabos
Suportabilidade enterrados, os valores da constante de tempo são de 20 a 60 minutos, e, para cabos
térmica real não enterrados, de 10 a 40 minutos.
Para o cabo em questão, os valores escolhidos são T = 30 min e Ib = 350 A.
Curva de trip Verificação da margem entre a curva da 49RMS e a suportabilidade térmica na
49RMS cabo magnetização.
A verificação é efetuada com 10 Ib.
Suportabilidade
máx. térmica na
Na faixa das correntes próximas da corrente admissível, a suportabilidade térmica
desmagnetização em 1 segundo permite estimar um tempo máximo de suportabilidade térmica do
cabo, supondo que não haja trocas de calor. O tempo máximo de trip é calculado
pela relação:
I2 x tmáx = constante = (Ith_1 s)2 x 1.

3 Para o cabo em questão e com 10 Ib:


tmax = (Ith_1 s/ I0Ib)2 = (22400 / 3500)2 = 41 s.
Para I = 10 Ib = 3500 A e Ia/Ib = 1,38, o valor de k na tabela da curva a frio de trip é
de k ≈ 0,0184.
Logo, o tempo de trip a 10 Ib será:
t = k x T x 60 = 0,0184 x 30 x 60 = 35,6 s < tmáx.
Para uma falha de 10 Ib ocorrida após uma fase de operação nominal, com
sobrecarga térmica de 100%, o valor de k é: k ≈ 0,0097.
O tempo de trip é:
t = k x T x 60 = 0,0097 x 30 x 60 = 17,5 s
Verificação da seletividade
A seletividade entre a 49RMS para o cabo e as curvas de proteção a jusante,
inclusas as proteções 49RMS, deve ser verificada para evitar qualquer risco de trip
intempestivo.

100
Funções de proteção Sobrecarga térmica para cabos
Código ANSI 49RMS
Curvas de trip

Curvas para um aquecimento inicial = 0%


Iph/Ib 0,55 0,60 0,65 0,70 0,75 0,80 0,85 0,90 0,95 1,00 1,05 1,10 1,15 1,20 1,25 1,30
Ia/Ib
0,50 1,7513 1,1856 0,8958 0,7138 0,5878 0,4953 0,4247 0,3691 0,3244 0,2877 0,2572 0,2314 0,2095 0,1907 0,1744 0,1601
0,55 1,8343 1,2587 0,9606 0,7717 0,6399 0,5425 0,4675 0,4082 0,3603 0,3207 0,2877 0,2597 0,2358 0,2152 0,1972
0,60 1,9110 1,3269 1,0217 0,8267 0,6897 0,5878 0,5090 0,4463 0,3953 0,3531 0,3178 0,2877 0,2619 0,2396
0,65 1,9823 1,3907 1,0793 0,8789 0,7373 0,6314 0,5491 0,4832 0,4295 0,3849 0,3473 0,3153 0,2877
0,70 2,0488 1,4508 1,1338 0,9287 0,7829 0,6733 0,5878 0,5191 0,4629 0,4159 0,3763 0,3424
0,75 2,1112 1,5075 1,1856 0,9762 0,8267 0,7138 0,6253 0,5540 0,4953 0,4463 0,4047
0,80 2,1699 1,5612 1,2349 1,0217 0,8687 0,7527 0,6615 0,5878 0,5270 0,4759
0,85 2,2254 1,6122 1,2819 1,0652 0,9091 0,7904 0,6966 0,6206 0,5578
0,90 2,2780 1,6607 1,3269 1,1069 0,9480 0,8267 0,7306 0,6526
0,95 2,3279 1,7070 1,3699 1,1470 0,9855 0,8618 0,7636
1,00 2,3755 1,7513 1,4112 1,1856 1,0217 0,8958
1,05 2,4209 1,7937 1,4508 1,2228 1,0566
1,10
1,15
1,20
2,4643 1,8343
2,5060
1,4890
1,8734
2,5459
1,2587
1,5258
1,9110
3
1,25 2,5844

Iph/Ib 1,35 1,40 1,45 1,50 1,55 1,60 1,65 1,70 1,75 1,80 1,85 1,90 1,95 2,00 2,20 2,40
Ia/Ib
0,50 0,1475 0,1365 0,1266 0,1178 0,1099 0,1028 0,0963 0,0905 0,0852 0,0803 0,0759 0,0718 0,0680 0,0645 0,0530 0,0444
0,55 0,1815 0,1676 0,1553 0,1444 0,1346 0,1258 0,1178 0,1106 0,1040 0,0980 0,0925 0,0875 0,0829 0,0786 0,0645 0,0539
0,60 0,2201 0,2029 0,1878 0,1744 0,1623 0,1516 0,1418 0,1330 0,1251 0,1178 0,1111 0,1051 0,0995 0,0943 0,0773 0,0645
0,65 0,2637 0,2428 0,2243 0,2080 0,1934 0,1804 0,1686 0,1581 0,1485 0,1397 0,1318 0,1245 0,1178 0,1116 0,0913 0,0762
0,70 0,3132 0,2877 0,2653 0,2456 0,2281 0,2125 0,1984 0,1858 0,1744 0,1640 0,1545 0,1459 0,1380 0,1307 0,1067 0,0889
0,75 0,3691 0,3383 0,3113 0,2877 0,2667 0,2481 0,2314 0,2165 0,2029 0,1907 0,1796 0,1694 0,1601 0,1516 0,1236 0,1028
0,80 0,4326 0,3953 0,3630 0,3347 0,3098 0,2877 0,2680 0,2503 0,2344 0,2201 0,2070 0,1952 0,1843 0,1744 0,1418 0,1178
0,85 0,5049 0,4599 0,4210 0,3873 0,3577 0,3316 0,3084 0,2877 0,2691 0,2523 0,2371 0,2233 0,2107 0,1992 0,1617 0,1340
0,90 0,5878 0,5332 0,4866 0,4463 0,4112 0,3804 0,3531 0,3289 0,3072 0,2877 0,2701 0,2541 0,2396 0,2263 0,1832 0,1516
0,95 0,6836 0,6170 0,5608 0,5127 0,4710 0,4347 0,4027 0,3744 0,3491 0,3265 0,3061 0,2877 0,2710 0,2557 0,2064 0,1704
1,00 0,7956 0,7138 0,6456 0,5878 0,5383 0,4953 0,4578 0,4247 0,3953 0,3691 0,3456 0,3244 0,3052 0,2877 0,2314 0,1907
1,05 0,9287 0,8267 0,7431 0,6733 0,6142 0,5633 0,5191 0,4804 0,4463 0,4159 0,3888 0,3644 0,3424 0,3225 0,2585 0,2125
1,10 1,0904 0,9606 0,8569 0,7717 0,7005 0,6399 0,5878 0,5425 0,5027 0,4675 0,4363 0,4082 0,3830 0,3603 0,2877 0,2358
1,15 1,2934 1,1231 0,9916 0,8862 0,7996 0,7269 0,6651 0,6118 0,5654 0,5246 0,4884 0,4563 0,4274 0,4014 0,3192 0,2609
1,20 1,5612 1,3269 1,1549 1,0217 0,9147 0,8267 0,7527 0,6897 0,6353 0,5878 0,5460 0,5090 0,4759 0,4463 0,3531 0,2877
1,25 1,9473 1,5955 1,3593 1,1856 1,0509 0,9425 0,8531 0,7780 0,7138 0,6583 0,6098 0,5671 0,5292 0,4953 0,3898 0,3165
1,30 2,6214 1,9823 1,6286 1,3907 1,2155 1,0793 0,9696 0,8789 0,8026 0,7373 0,6808 0,6314 0,5878 0,5491 0,4295 0,3473
1,35 2,6571 2,0161 1,6607 1,4212 1,2445 1,1069 0,9959 0,9041 0,8267 0,7604 0,7029 0,6526 0,6081 0,4725 0,3804
1,40 2,6915 2,0488 1,6918 1,4508 1,2727 1,1338 1,0217 0,9287 0,8502 0,7829 0,7245 0,6733 0,5191 0,4159
1,45 2,7249 2,0805 1,7220 1,4796 1,3001 1,1601 1,0467 0,9527 0,8733 0,8050 0,7458 0,5699 0,4542
1,50 2,7571 2,1112 1,7513 1,5075 1,3269 1,1856 1,0712 0,9762 0,8958 0,8267 0,6253 0,4953
1,55 2,7883 2,1410 1,7797 1,5347 1,3529 1,2106 1,0952 0,9992 0,9179 0,6859 0,5397
1,60 2,8186 2,1699 1,8074 1,5612 1,3783 1,2349 1,1185 1,0217 0,7527 0,5878
1,65 2,8480 2,1980 1,8343 1,5870 1,4031 1,2587 1,1414 0,8267 0,6399
1,70 2,8766 2,2254 1,8605 1,6122 1,4272 1,2819 0,9091 0,6966

101
Funções de proteção Sobrecarga térmica para cabos
Código ANSI 49RMS
Curvas de trip

Curvas para um aquecimento inicial = 0%


Iph/Ib 2,60 2,80 3,00 3,20 3,40 3,60 3,80 4,00 4,20 4,40 4,60 4,80 5,00 5,50 6,00 6,50
Ia/Ib
0,50 0,0377 0,0324 0,0282 0,0247 0,0219 0,0195 0,0175 0,0157 0,0143 0,0130 0,0119 0,0109 0,0101 0,0083 0,0070 0,0059
0,55 0,0458 0,0393 0,0342 0,0300 0,0265 0,0236 0,0212 0,0191 0,0173 0,0157 0,0144 0,0132 0,0122 0,0101 0,0084 0,0072
0,60 0,0547 0,0470 0,0408 0,0358 0,0316 0,0282 0,0252 0,0228 0,0206 0,0188 0,0172 0,0157 0,0145 0,0120 0,0101 0,0086
0,65 0,0645 0,0554 0,0481 0,0421 0,0372 0,0331 0,0297 0,0268 0,0242 0,0221 0,0202 0,0185 0,0170 0,0141 0,0118 0,0101
0,70 0,0752 0,0645 0,0560 0,0490 0,0433 0,0385 0,0345 0,0311 0,0282 0,0256 0,0234 0,0215 0,0198 0,0163 0,0137 0,0117
0,75 0,0869 0,0745 0,0645 0,0565 0,0499 0,0444 0,0397 0,0358 0,0324 0,0295 0,0269 0,0247 0,0228 0,0188 0,0157 0,0134
0,80 0,0995 0,0852 0,0738 0,0645 0,0570 0,0506 0,0453 0,0408 0,0370 0,0336 0,0307 0,0282 0,0259 0,0214 0,0179 0,0153
0,85 0,1130 0,0967 0,0837 0,0732 0,0645 0,0574 0,0513 0,0462 0,0418 0,0380 0,0347 0,0319 0,0293 0,0242 0,0203 0,0172
0,90 0,1276 0,1091 0,0943 0,0824 0,0726 0,0645 0,0577 0,0520 0,0470 0,0427 0,0390 0,0358 0,0329 0,0271 0,0228 0,0194
0,95 0,1433 0,1223 0,1057 0,0923 0,0813 0,0722 0,0645 0,0581 0,0525 0,0477 0,0436 0,0400 0,0368 0,0303 0,0254 0,0216
1,00 0,1601 0,1365 0,1178 0,1028 0,0905 0,0803 0,0718 0,0645 0,0584 0,0530 0,0484 0,0444 0,0408 0,0336 0,0282 0,0240
1,05 0,1780 0,1516 0,1307 0,1139 0,1002 0,0889 0,0794 0,0714 0,0645 0,0586 0,0535 0,0490 0,0451 0,0371 0,0311 0,0264

3 1,10
1,15
1,20
0,1972
0,2177
0,2396
0,1676
0,1848
0,2029
0,1444
0,1589
0,1744
0,1258
0,1383
0,1516
0,1106
0,1215
0,1330
0,0980
0,1076
0,1178
0,0875
0,0961
0,1051
0,0786
0,0863
0,0943
0,0711
0,0779
0,0852
0,0645
0,0708
0,0773
0,0589
0,0645
0,0705
0,0539
0,0591
0,0645
0,0496
0,0544
0,0593
0,0408
0,0447
0,0488
0,0342
0,0374
0,0408
0,0291
0,0318
0,0347
1,25 0,2629 0,2223 0,1907 0,1656 0,1452 0,1285 0,1145 0,1028 0,0927 0,0842 0,0767 0,0702 0,0645 0,0530 0,0444 0,0377
1,30 0,2877 0,2428 0,2080 0,1804 0,1581 0,1397 0,1245 0,1116 0,1007 0,0913 0,0832 0,0762 0,0700 0,0575 0,0481 0,0408
1,35 0,3142 0,2646 0,2263 0,1960 0,1716 0,1516 0,1349 0,1209 0,1091 0,0989 0,0901 0,0824 0,0757 0,0621 0,0520 0,0441
1,40 0,3424 0,2877 0,2456 0,2125 0,1858 0,1640 0,1459 0,1307 0,1178 0,1067 0,0972 0,0889 0,0816 0,0670 0,0560 0,0475
1,45 0,3725 0,3122 0,2661 0,2298 0,2007 0,1770 0,1574 0,1409 0,1269 0,1150 0,1047 0,0957 0,0878 0,0720 0,0602 0,0510
1,50 0,4047 0,3383 0,2877 0,2481 0,2165 0,1907 0,1694 0,1516 0,1365 0,1236 0,1124 0,1028 0,0943 0,0773 0,0645 0,0547
1,55 0,4391 0,3659 0,3105 0,2674 0,2330 0,2050 0,1820 0,1627 0,1464 0,1325 0,1205 0,1101 0,1010 0,0828 0,0691 0,0585
1,60 0,4759 0,3953 0,3347 0,2877 0,2503 0,2201 0,1952 0,1744 0,1568 0,1418 0,1290 0,1178 0,1080 0,0884 0,0738 0,0625
1,65 0,5154 0,4266 0,3603 0,3091 0,2686 0,2358 0,2089 0,1865 0,1676 0,1516 0,1377 0,1258 0,1153 0,0943 0,0786 0,0666
1,70 0,5578 0,4599 0,3873 0,3316 0,2877 0,2523 0,2233 0,1992 0,1789 0,1617 0,1469 0,1340 0,1229 0,1004 0,0837 0,0709

Iph/Ib 7,00 7,50 8,00 8,50 9,00 9,50 10,00 12,50 15,00 17,50 20,00
Ia/Ib
0,50 0,0051 0,0045 0,0039 0,0035 0,0031 0,0028 0,0025 0,0016 0,0011 0,0008 0,0006
0,55 0,0062 0,0054 0,0047 0,0042 0,0037 0,0034 0,0030 0,0019 0,0013 0,0010 0,0008
0,60 0,0074 0,0064 0,0056 0,0050 0,0045 0,0040 0,0036 0,0023 0,0016 0,0012 0,0009
0,65 0,0087 0,0075 0,0066 0,0059 0,0052 0,0047 0,0042 0,0027 0,0019 0,0014 0,0011
0,70 0,0101 0,0087 0,0077 0,0068 0,0061 0,0054 0,0049 0,0031 0,0022 0,0016 0,0012
0,75 0,0115 0,0101 0,0088 0,0078 0,0070 0,0063 0,0056 0,0036 0,0025 0,0018 0,0014
0,80 0,0131 0,0114 0,0101 0,0089 0,0079 0,0071 0,0064 0,0041 0,0028 0,0021 0,0016
0,85 0,0149 0,0129 0,0114 0,0101 0,0090 0,0080 0,0073 0,0046 0,0032 0,0024 0,0018
0,90 0,0167 0,0145 0,0127 0,0113 0,0101 0,0090 0,0081 0,0052 0,0036 0,0026 0,0020
0,95 0,0186 0,0162 0,0142 0,0126 0,0112 0,0101 0,0091 0,0058 0,0040 0,0030 0,0023
1,00 0,0206 0,0179 0,0157 0,0139 0,0124 0,0111 0,0101 0,0064 0,0045 0,0033 0,0025
1,05 0,0228 0,0198 0,0174 0,0154 0,0137 0,0123 0,0111 0,0071 0,0049 0,0036 0,0028
1,10 0,0250 0,0217 0,0191 0,0169 0,0151 0,0135 0,0122 0,0078 0,0054 0,0040 0,0030
1,15 0,0274 0,0238 0,0209 0,0185 0,0165 0,0148 0,0133 0,0085 0,0059 0,0043 0,0033
1,20 0,0298 0,0259 0,0228 0,0201 0,0179 0,0161 0,0145 0,0093 0,0064 0,0047 0,0036
1,25 0,0324 0,0282 0,0247 0,0219 0,0195 0,0175 0,0157 0,0101 0,0070 0,0051 0,0039
1,30 0,0351 0,0305 0,0268 0,0237 0,0211 0,0189 0,0170 0,0109 0,0075 0,0055 0,0042
1,35 0,0379 0,0329 0,0289 0,0255 0,0228 0,0204 0,0184 0,0117 0,0081 0,0060 0,0046
1,40 0,0408 0,0355 0,0311 0,0275 0,0245 0,0220 0,0198 0,0126 0,0087 0,0064 0,0049
1,45 0,0439 0,0381 0,0334 0,0295 0,0263 0,0236 0,0212 0,0135 0,0094 0,0069 0,0053
1,50 0,0470 0,0408 0,0358 0,0316 0,0282 0,0252 0,0228 0,0145 0,0101 0,0074 0,0056
1,55 0,0503 0,0437 0,0383 0,0338 0,0301 0,0270 0,0243 0,0155 0,0107 0,0079 0,0060
1,60 0,0537 0,0466 0,0408 0,0361 0,0321 0,0288 0,0259 0,0165 0,0114 0,0084 0,0064
1,65 0,0572 0,0496 0,0435 0,0384 0,0342 0,0306 0,0276 0,0176 0,0122 0,0089 0,0068
1,70 0,0608 0,0527 0,0462 0,0408 0,0363 0,0325 0,0293 0,0187 0,0129 0,0095 0,0073

102
Funções de proteção Sobrecarga térmica para cabos
Código ANSI 49RMS
Curvas de trip

Curvas para um aquecimento inicial = 100%


Iph/Ib 1,15 1,20 1,25 1,30 1,35 1,40 1,45 1,50 1,55 1,60 1,65 1,70 1,75 1,80 1,85 1,90
Ia/Ib
1,10 1,0531 0,6487 0,4673 0,3629 0,2948 0,2469 0,2113 0,1839 0,1622 0,1446 0,1300 0,1178 0,1074 0,0984 0,0907 0,0839
1,15 1,3203 0,8518 0,6300 0,4977 0,4094 0,3460 0,2984 0,2613 0,2316 0,2073 0,1871 0,1700 0,1555 0,1429 0,1319
1,20 1,5243 1,0152 0,7656 0,6131 0,5093 0,4339 0,3765 0,3314 0,2950 0,2650 0,2400 0,2187 0,2004 0,1846
1,25 1,6886 1,1517 0,8817 0,7138 0,5978 0,5126 0,4472 0,3954 0,3533 0,3185 0,2892 0,2642 0,2427
1,30 1,8258 1,2685 0,9831 0,8030 0,6772 0,5840 0,5118 0,4543 0,4073 0,3682 0,3352 0,3070
1,35 1,9433 1,3705 1,0729 0,8830 0,7492 0,6491 0,5713 0,5088 0,4576 0,4148 0,3785
1,40 2,0460 1,4610 1,1536 0,9555 0,8149 0,7092 0,6263 0,5596 0,5047 0,4586
1,45 2,1371 1,5422 1,2267 1,0218 0,8755 0,7647 0,6776 0,6072 0,5489
1,50 2,2188 1,6159 1,2935 1,0829 0,9316 0,8165 0,7257 0,6519
1,55 2,2930 1,6832 1,3550 1,1394 0,9838 0,8650 0,7708
1,60 2,3609 1,7452 1,4121 1,1921 1,0327 0,9106
1,65 2,4233 1,8027 1,4652 1,2415 1,0787
1,70 2,4813 1,8563 1,5150 1,2879
3
Iph/Ib 1,95 2,00 2,20 2,40 2,60 2,80 3,00 3,20 3,40 3,60 3,80 4,00 4,20 4,40 4,60 4,80
Ia/Ib
1,10 0,0779 0,0726 0,0562 0,0451 0,0371 0,0312 0,0266 0,0230 0,0201 0,0177 0,0157 0,0141 0,0127 0,0115 0,0105 0,0096
1,15 0,1223 0,1137 0,0877 0,0702 0,0576 0,0483 0,0411 0,0355 0,0310 0,0273 0,0243 0,0217 0,0196 0,0177 0,0161 0,0147
1,20 0,1708 0,1586 0,1217 0,0970 0,0795 0,0665 0,0566 0,0488 0,0426 0,0375 0,0333 0,0298 0,0268 0,0243 0,0221 0,0202
1,25 0,2240 0,2076 0,1584 0,1258 0,1028 0,0858 0,0729 0,0628 0,0547 0,0482 0,0428 0,0382 0,0344 0,0311 0,0283 0,0259
1,30 0,2826 0,2614 0,1981 0,1566 0,1276 0,1063 0,0902 0,0776 0,0676 0,0594 0,0527 0,0471 0,0424 0,0383 0,0348 0,0318
1,35 0,3474 0,3204 0,2410 0,1897 0,1541 0,1281 0,1085 0,0932 0,0811 0,0713 0,0632 0,0564 0,0507 0,0458 0,0417 0,0380
1,40 0,4194 0,3857 0,2877 0,2253 0,1823 0,1512 0,1278 0,1097 0,0953 0,0837 0,0741 0,0661 0,0594 0,0537 0,0488 0,0445
1,45 0,4999 0,4581 0,3384 0,2635 0,2125 0,1758 0,1483 0,1271 0,1103 0,0967 0,0856 0,0763 0,0686 0,0619 0,0562 0,0513
1,50 0,5907 0,5390 0,3938 0,3046 0,2446 0,2018 0,1699 0,1454 0,1260 0,1104 0,0976 0,0870 0,0781 0,0705 0,0640 0,0584
1,55 0,6940 0,6302 0,4545 0,3491 0,2790 0,2295 0,1928 0,1646 0,1425 0,1247 0,1102 0,0982 0,0881 0,0795 0,0721 0,0657
1,60 0,8134 0,7340 0,5213 0,3971 0,3159 0,2589 0,2169 0,1849 0,1599 0,1398 0,1234 0,1098 0,0984 0,0888 0,0805 0,0734
1,65 0,9536 0,8537 0,5952 0,4492 0,3553 0,2901 0,2425 0,2063 0,1781 0,1555 0,1372 0,1220 0,1093 0,0985 0,0893 0,0814
1,70 1,1221 0,9943 0,6776 0,5059 0,3977 0,3234 0,2695 0,2288 0,1972 0,1720 0,1516 0,1347 0,1206 0,1086 0,0984 0,0897

Iph/Ib 5,00 5,50 6,00 6,50 7,00 7,50 8,00 8,50 9,00 9,50 10,00 12,50 15,00 17,50 20,00
Ia/Ib
1,10 0,0088 0,0072 0,0060 0,0051 0,0044 0,0038 0,0033 0,0030 0,0026 0,0024 0,0021 0,0014 0,0009 0,0007 0,0005
1,15 0,0135 0,0111 0,0093 0,0078 0,0067 0,0059 0,0051 0,0045 0,0040 0,0036 0,0033 0,0021 0,0014 0,0011 0,0008
1,20 0,0185 0,0152 0,0127 0,0107 0,0092 0,0080 0,0070 0,0062 0,0055 0,0049 0,0045 0,0028 0,0020 0,0014 0,0011
1,25 0,0237 0,0194 0,0162 0,0137 0,0118 0,0102 0,0090 0,0079 0,0071 0,0063 0,0057 0,0036 0,0025 0,0018 0,0014
1,30 0,0292 0,0239 0,0199 0,0169 0,0145 0,0126 0,0110 0,0097 0,0087 0,0078 0,0070 0,0045 0,0031 0,0023 0,0017
1,35 0,0349 0,0285 0,0238 0,0201 0,0173 0,0150 0,0131 0,0116 0,0103 0,0093 0,0083 0,0053 0,0037 0,0027 0,0021
1,40 0,0408 0,0334 0,0278 0,0235 0,0202 0,0175 0,0154 0,0136 0,0121 0,0108 0,0097 0,0062 0,0043 0,0031 0,0024
1,45 0,0470 0,0384 0,0320 0,0271 0,0232 0,0202 0,0177 0,0156 0,0139 0,0124 0,0112 0,0071 0,0049 0,0036 0,0028
1,50 0,0535 0,0437 0,0364 0,0308 0,0264 0,0229 0,0200 0,0177 0,0157 0,0141 0,0127 0,0081 0,0056 0,0041 0,0031
1,55 0,0602 0,0491 0,0409 0,0346 0,0297 0,0257 0,0225 0,0199 0,0177 0,0158 0,0143 0,0091 0,0063 0,0046 0,0035
1,60 0,0672 0,0548 0,0456 0,0386 0,0330 0,0286 0,0251 0,0221 0,0197 0,0176 0,0159 0,0101 0,0070 0,0051 0,0039
1,65 0,0745 0,0607 0,0505 0,0427 0,0365 0,0317 0,0277 0,0245 0,0218 0,0195 0,0176 0,0112 0,0077 0,0057 0,0043
1,70 0,0820 0,0668 0,0555 0,0469 0,0402 0,0348 0,0305 0,0269 0,0239 0,0214 0,0193 0,0122 0,0085 0,0062 0,0047

103
Funções de proteção Sobrecarga térmica nos capacitores
Código ANSI 49RMS

Proteção dos equipamentos contra danos Funcionamento


térmicos por sobrecargas. Esta função é utilizada para proteger os capacitores com ou sem indutâncias anti-
harmônicos contra sobrecargas, baseada na medição da corrente absorvida.
101
A corrente medida pela proteção térmica é uma corrente RMS trifásica que leva em
100
consideração os harmônicos até a 13ª ordem.
A maior corrente das três fases I1, I2, I3, subseqüentemente chamada de corrente
10-1 Curva a frio
de fase Iph, é utilizada para calcular a sobrecarga térmica:
Curva a quente Iph = max ( I1 ,I2 ,I3 )
10-2

Consideração da relação do estágio do capacitor


10-3 Quando o número de estágios (>1) e a relação de estágio do capacitor são
0 5 10
Curvas de trip. ajustados nas características especiais, a função de proteção sobrecarga térmica
leva em consideração a participação de cada estágio para o cálculo da sobrecarga
térmica.

3 A corrente nominal do estágio x (Ibgx) é igual à fração de corrente que representa o


estágio em relação à corrente nominal do capacitor (Ib).

Kgx
Ibgx = --------------------------- Ib
n
∑ Kgx
x=1

onde Ib é a corrente nominal do capacitor


x é o número do estágio
n é o número total de estágios entre 2 e 4
Kgx é o valor da relação do estágio do capacitor x

A corrente nominal da seqüência de estágios (Ibseq) é calculada. Ela corresponde


à soma das correntes nominais (Ibgx) dos estágios fechados durante a seqüência.

n
Ibseq = ∑ p ( x )Ibgx
x=1
onde x é o número do estágio
n é o número total de estágios entre 2 e 4
p(x) é a posição do estágio x:
b p(x) = 1 quando o interruptor estiver fechado
b p(x) = 0 quando o interruptor estiver aberto

A sobrecarga térmica é proporcional ao quadrado da corrente absorvida em relação


à corrente nominal da seqüência. Em regime permanente, é igual a:

E = ⎛ -----------------⎞ × 100
Iph 2 em %
⎝ Ibseq⎠

Se as posições “fechado” dos estágios não forem adquiridas ou se o número de


estágios ajustados for 1 nas características especiais, a corrente nominal das
seqüências será igual à corrente nominal do capacitor. Neste caso, a sobrecarga
térmica será proporcional à corrente absorvida em relação à corrente nominal do
capacitor. Em regime permanente, é igual a:

E = ⎛ ---------⎞ × 100
Iph 2
em %
⎝ Ib ⎠

104
Funções de proteção Sobrecarga térmica nos capacitores
Código ANSI 49RMS

Curva de funcionamento
A proteção dá uma ordem de trip quando a corrente absorvida for maior que a
corrente de sobrecarga, em relação à corrente nominal da seqüência.
O tempo de trip é ajustado por atribuição de um tempo de trip a quente a um valor
de corrente de ajuste. Esta configuração é utilizada para calcular um coeficiente de
tempo:
1
C = ------------------------------------------------
⎛ ⎛ ----- Is⎞2 ⎞ onde ln: logaritmo natural.
⎜ ⎝ Ib⎠ – 1 ⎟
In ⎜ ------------------------------------ ⎟
Is⎞2 ⎛ Itrip⎞2 ⎟
⎜ ⎛ ----- – -------------
⎝ ⎝ Ib⎠ ⎝ Ib ⎠ ⎠
O tempo de trip com sobrecarga térmica inicial de 0% é então dado por:

⎛ ⎛ ----------------
Iph ⎞2 ⎞
⎜ ⎝ Ibseq-⎠ ⎟
t = C × In ⎜ -------------------------------------------------------- ⎟ × Ts onde ln: logaritmo natural.
⎜ ⎛ Iph ⎞ – ⎛ Itrip ⎞ ⎟
⎝ ⎝ -----------------
Ibseq⎠ ⎝ Ibseq⎠ ⎠
2
-----------------
2
3
= k x Ts

O tempo de trip com sobrecarga térmica inicial de 100% é então dado por:

⎛ ⎛ ----------------
Iph ⎞2
–1 ⎞
⎜ ⎝ Ibseq-⎠ ⎟
t = C × In ⎜ -------------------------------------------------------- ⎟ × Ts onde ln: logaritmo natural.
⎜ ⎛ Iph ⎞2 – ⎛ Itrip ⎞2 ⎟
⎝ ⎝ -----------------
Ibseq⎠ ⎝ Ibseq⎠ ⎠
-----------------

= k x Ts

As tabelas de curvas de trip fornecem os valores de k para uma sobrecarga térmica


inicial de 0% e de 100%.
A sobrecarga térmica em curso é memorizada na interrupção da alimentação auxiliar.

Esquema

posições dos estágios:


estágio 1 fechado
estágio 2 fechado cálculo
estágio 3 fechado de Ibseq saída alarme e
estágio 4 fechado sinalização

sobrecarga térmica:

saída trip
e sinalização
entrada lógica:
“inibição
sobrecarga térmica”

105
Funções de proteção Sobrecarga térmica nos capacitores
Código ANSI 49RMS

Informações para o usuário


As seguintes informações são disponíveis para o usuário:
b a sobrecarga térmica
b o tempo antes do trip (com corrente constante).

Características
Ajustes
Corrente de alarme Ialarm
Faixa de ajuste 1,05 a 1,70 Ib
Precisão (1) ±2%
Resolução 1A
Corrente de trip Itrip
Faixa de ajuste 1,05 a 1,70 Ib
Precisão (1) ±2%
Resolução 1A
Corrente de ajuste Is

3 Faixa de ajuste
Precisão (1)
Resolução
1,02 Itrip a 2 Ib
±2%
1A
Tempo de ajuste Ts
Faixa de ajuste 1 min a 2000 min (faixa variável em função das correntes de
trip e de ajuste)
Resolução 1 min
Tempos característicos (1)
Precisão do tempo de operação ±2% ou ±2 s
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P49RMS_1_101 b b
Inibição da proteção P49RMS_1_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída temporizada P49RMS _1_3 b b b
Alarme P49RMS _1_10 b b b
Inibição do fechamento P49RMS _1_11 b b b
Proteção inibida P49RMS _1_16 b b
Estado a quente P49RMS _1_18 b b
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

106
Funções de proteção Sobrecarga térmica nos capacitores
Código ANSI 49RMS

Exemplo
Considerando um capacitor de 350 kvar com 3 estágios, sem indutância anti-
harmônico, para uma tensão de 2 kV. A relação de estágio do capacitor é 1.2.2.

A corrente nominal do capacitor é:


Ib = Q /(3 Un )= 350000/ (3 x 2000) = 101 A

Segundo os dados do fabricante, este capacitor pode funcionar continuamente com


uma corrente de sobrecarga de 120% Ib e durante 20 minutos com uma sobrecarga
de 140% Ib.

Os ajustes da proteção são:


Itrip = 120% Ib = 121 A
Is = 140% Ib = 141 A
Ts = 20 min
Configuração da relação de estágios do banco de capacitores.
Estágios 1 e 2 fechados
Os estágios 1 e 2 são fechados na seqüência em curso. A corrente da seqüência é:
1+2+0
3
Ibseq = ----------------------- × Ib = 61 A
1+2+2

Para uma corrente de 125% Ibseq = 76 A e uma sobrecarga térmica inicial de 100%,
o valor de k nas tabelas da curva de trip é: k = 2,486.

O tempo de trip é então de:


t = k x Ts = 2,486 x 20 ≈ 50 min

Todos os estágios fechados


Todos os estágios são fechados, a corrente da seqüência é então a corrente
nominal do capacitor:
1+2+2
Ibseq = ----------------------- × Ib = 101 A
1+2+2

Para uma corrente de 140% Ibseq = 141 A e uma sobrecarga térmica inicial de 0%,
o valor de k nas tabelas da curva de trip é: k = 2,164.

O tempo de trip é então de:


t = k x Ts = 2,164 x 20 ≈ 43 min

A tabela abaixo resume a corrente nominal da seqüência, a corrente de trip e


exemplos de tempo de trip para correntes de sobrecarga de 125% Ib e de 140% Ib,
para sobrecargas térmicas iniciais de 0%
e de 100%.

nº de estágios Ibseq (A) Itrip 125% Ibseq 140% Ibseq


fechados (A) Iph Tempo de Iph Tempo de
(A) trip (min) (A) trip (min)
1 2 3 0% 100% 0% 100%
b - - 1+0+0 24 25 83 50 28 43 20
----------------------- × Ib = 20
1+2+2
b b - 1+2+0 73 76 83 50 85 43 20
----------------------- × Ib = 61
1+2+2
- b b 0+2+2 97 101 83 50 113 43 20
----------------------- × Ib = 81
1+2+2
b b b 1+2+2 121 126 83 50 141 43 20
----------------------- × Ib = 101
1+2+2

107
Funções de proteção Sobrecarga térmica nos capacitores
Código ANSI 49RMS

Curvas para um aquecimento inicial = 0%


Is = 1,2 Ib
Iph/Ibseq 1,10 1,15 1,20 1,25 1,30 1,35 1,40 1,45 1,50 1,55 1,60 1,65 1,70 1,75 1,80
Itrip/Ibseq
1,05 9,1282 6,7632 5,4705 4,6108 3,9841 3,5018 3,1171 2,8020 2,5389 2,3157 2,1239 1,9574 1,8115 1,6828 1,5683
1,10 3,7989 2,8277 2,2954 1,9404 1,6809 1,4809 1,3209 1,1896 1,0798 0,9865 0,9061 0,8362 0,7749 0,7207
1,15 1,8980 1,4189 1,1556 0,9796 0,8507 0,7510 0,6712 0,6056 0,5506 0,5037 0,4634 0,4282 0,3973

Is = 1,2 Ib
Iph/Ibseq 1,85 1,90 1,95 2,00 2,20 2,40 2,60 2,80 3,00 3,20 3,40 3,60 3,80 4,00
Itrip/Ibseq
1,05 1,4660 1,3741 1,2911 1,2158 0,9747 0,8011 0,6713 0,5714 0,4927 0,4295 0,3779 0,3352 0,2995 0,2692
1,10 0,6725 0,6293 0,5905 0,5554 0,4435 0,3635 0,3040 0,2584 0,2226 0,1939 0,1704 0,1511 0,1349 0,1212
1,15 0,3699 0,3456 0,3237 0,3040 0,2417 0,1976 0,1649 0,1399 0,1204 0,1047 0,0920 0,0815 0,0728 0,0653

3
Is = 1,3 Ib
Iph/Ibseq 1,10 1,15 1,20 1,25 1,30 1,35 1,40 1,45 1,50 1,55 1,60 1,65 1,70 1,75 1,80
Itrip/Ibseq
1,05 15,0540 11,1530 9,0217 7,6039 6,5703 5,7750 5,1405 4,6210 4,1871 3,8189 3,5027 3,2281 2,9875 2,7752 2,5864
1,10 6,7905 5,0545 4,1030 3,4684 3,0047 2,6470 2,3611 2,1265 1,9301 1,7633 1,6197 1,4948 1,3852 1,2883
1,15 3,9779 2,9738 2,4220 2,0530 1,7829 1,5740 1,4067 1,2692 1,1539 1,0557 0,9711 0,8974 0,8327
1,20 2,5077 1,8824 1,5378 1,3070 1,1375 1,0063 0,9010 0,8143 0,7415 0,6794 0,6257 0,5790
1,25 1,5305 1,1532 0,9449 0,8050 0,7021 0,6223 0,5582 0,5052 0,4607 0,4227 0,3898

Is = 1,3 Ib
Iph/Ibseq 1,85 1,90 1,95 2,00 2,20 2,40 2,60 2,80 3,00 3,20 3,40 3,60 3,80 4,00
Itrip/Ibseq
1,05 2,4177 2,2661 2,1292 2,0051 1,6074 1,3211 1,1071 0,9424 0,8126 0,7084 0,6233 0,5529 0,4939 0,4440
1,10 1,2021 1,1249 1,0555 0,9927 0,7927 0,6498 0,5435 0,4619 0,3979 0,3465 0,3047 0,2701 0,2412 0,2167
1,15 0,7753 0,7242 0,6785 0,6372 0,5066 0,4141 0,3456 0,2933 0,2523 0,2195 0,1929 0,1709 0,1525 0,1370
1,20 0,5378 0,5013 0,4688 0,4396 0,3478 0,2834 0,2360 0,1999 0,1717 0,1493 0,1310 0,1160 0,1035 0,0929
1,25 0,3611 0,3358 0,3134 0,2933 0,2309 0,1874 0,1557 0,1316 0,1129 0,0981 0,0860 0,0761 0,0678 0,0609

Is = 1,4 Ib
Iph/Ibseq 1,10 1,15 1,20 1,25 1,30 1,35 1,40 1,45 1,50 1,55 1,60 1,65 1,70 1,75 1,80
Itrip/Ibseq
1,05 21,4400 15,8850 12,8490 10,8300 9,3578 8,2251 7,3214 6,5815 5,9634 5,4391 4,9887 4,5976 4,2550 3,9525 3,6837
1,10 9,9827 7,4306 6,0317 5,0988 4,4171 3,8914 3,4710 3,1261 2,8375 2,5922 2,3811 2,1975 2,0364 1,8939
1,15 6,1214 4,5762 3,7270 3,1593 2,7435 2,4222 2,1647 1,9531 1,7757 1,6246 1,4944 1,3810 1,2813
1,20 4,1525 3,1170 2,5464 2,1642 1,8836 1,6664 1,4920 1,3483 1,2278 1,1249 1,0361 0,9587
1,25 2,9310 2,2085 1,8095 1,5416 1,3446 1,1918 1,0689 0,9676 0,8823 0,8095 0,7466
1,30 2,0665 1,5627 1,2839 1,0964 0,9582 0,8508 0,7643 0,6929 0,6327 0,5813
1,35 1,3673 1,0375 0,8546 0,7314 0,6404 0,5696 0,5125 0,4653 0,4254

Is = 1,4 Ib
Iph/Ibseq 1,85 1,90 1,95 2,00 2,20 2,40 2,60 2,80 3,00 3,20 3,40 3,60 3,80 4,00
Itrip/Ibseq
1,05 3,4434 3,2275 3,0325 2,8557 2,2894 1,8816 1,5768 1,3422 1,1573 1,0089 0,8877 0,7874 0,7034 0,6323
1,10 1,7672 1,6537 1,5516 1,4593 1,1654 0,9552 0,7989 0,6791 0,5849 0,5094 0,4479 0,3970 0,3545 0,3186
1,15 1,1931 1,1145 1,0440 0,9805 0,7796 0,6372 0,5318 0,4513 0,3882 0,3378 0,2968 0,2629 0,2346 0,2107
1,20 0,8906 0,8302 0,7763 0,7279 0,5760 0,4692 0,3907 0,3310 0,2844 0,2472 0,2170 0,1921 0,1714 0,1538
1,25 0,6916 0,6432 0,6002 0,5618 0,4421 0,3589 0,2981 0,2521 0,2163 0,1878 0,1647 0,1457 0,1299 0,1165
1,30 0,5367 0,4977 0,4634 0,4328 0,3386 0,2738 0,2268 0,1914 0,1640 0,1422 0,1246 0,1102 0,0981 0,0880
1,35 0,3913 0,3617 0,3358 0,3129 0,2431 0,1957 0,1617 0,1361 0,1164 0,1009 0,0883 0,0780 0,0694 0,0622

108
Funções de proteção Sobrecarga térmica nos capacitores
Código ANSI 49RMS

Curvas para um aquecimento inicial = 0%


Is = 2 Ib
Iph/Ibseq 1,10 1,15 1,20 1,25 1,30 1,35 1,40 1,45 1,50 1,55 1,60 1,65 1,70 1,75 1,80
Itrip/Ibseq
1,05 69,6380 51,5950 41,7340 35,1750 30,3940 26,7150 23,7800 21,3760 19,3690 17,6660 16,2030 14,9330 13,8200 12,8380 11,9650
1,10 33,9580 25,2760 20,5180 17,3440 15,0260 13,2370 11,8070 10,6340 9,6521 8,8176 8,0995 7,4750 6,9270 6,4425
1,15 22,0350 16,4730 13,4160 11,3720 9,8756 8,7189 7,7922 7,0303 6,3916 5,8479 5,3792 4,9710 4,6123
1,20 16,0520 12,0490 9,8435 8,3659 7,2814 6,4415 5,7674 5,2122 4,7460 4,3485 4,0053 3,7060
1,25 12,4460 9,3782 7,6840 6,5465 5,7100 5,0610 4,5392 4,1087 3,7467 3,4375 3,1703
1,30 10,0300 7,5843 6,2313 5,3211 4,6505 4,1294 3,7096 3,3629 3,0708 2,8210
1,35 8,2921 6,2917 5,1827 4,4353 3,8838 3,4544 3,1081 2,8215 2,5799
1,40 6,9790 5,3124 4,3868 3,7619 3,3000 2,9399 2,6491 2,4081
1,50 5,1152 3,9169 3,2491 2,7969 2,4617 2,1997
1,60 3,8403 2,9564 2,4625 2,1271
1,70 2,8932 2,2383

Is = 2 Ib
3
Iph/Ibseq 1,85 1,90 1,95 2,00 2,20 2,40 2,60 2,80 3,00 3,20 3,40 3,60 3,80 4,00
Itrip/Ibseq
1,05 11,1840 10,4830 9,8495 9,2753 7,4358 6,1115 5,1214 4,3594 3,7590 3,2768 2,8832 2,5574 2,2846 2,0537
1,10 6,0114 5,6254 5,2781 4,9642 3,9642 3,2494 2,7177 2,3099 1,9896 1,7328 1,5235 1,3506 1,2059 1,0836
1,15 4,2947 4,0117 3,7581 3,5295 2,8064 2,2936 1,9142 1,6245 1,3975 1,2159 1,0683 0,9464 0,8446 0,7586
1,20 3,4426 3,2091 3,0008 2,8138 2,2265 1,8138 1,5104 1,2795 1,0993 0,9555 0,8388 0,7426 0,6624 0,5946
1,25 2,9368 2,7311 2,5486 2,3855 1,8775 1,5240 1,2659 1,0704 0,9184 0,7974 0,6994 0,6187 0,5515 0,4949
1,30 2,6048 2,4157 2,2489 2,1007 1,6433 1,3288 1,1007 0,9289 0,7958 0,6901 0,6047 0,5346 0,4762 0,4271
1,35 2,3729 2,1935 2,0365 1,8978 1,4745 1,1871 0,9804 0,8257 0,7061 0,6116 0,5354 0,4730 0,4210 0,3774
1,40 2,2046 2,0301 1,8787 1,7459 1,3461 1,0785 0,8878 0,7459 0,6369 0,5509 0,4817 0,4252 0,3782 0,3388
1,50 1,9875 1,8112 1,6620 1,5337 1,1600 0,9190 0,7509 0,6276 0,5337 0,4603 0,4016 0,3538 0,3143 0,2812
1,60 1,8779 1,6825 1,5240 1,3920 1,0256 0,8008 0,6484 0,5386 0,4560 0,3920 0,3411 0,2998 0,2659 0,2376
1,70 1,8713 1,6215 1,4355 1,2893 0,9143 0,7007 0,5610 0,4625 0,3895 0,3335 0,2894 0,2538 0,2246 0,2004

109
Funções de proteção Sobrecarga térmica nos capacitores
Código ANSI 49RMS

Curvas para um aquecimento inicial = 100%


Is = 1,2 Ib
Iph/Ibseq 1,10 1,15 1,20 1,25 1,30 1,35 1,40 1,45 1,50 1,55 1,60 1,65 1,70 1,75 1,80
Itrip/Ibseq
1,05 2,5249 1,4422 1,0000 0,7585 0,6064 0,5019 0,4258 0,3679 0,3226 0,2862 0,2563 0,2313 0,2102 0,1922 0,1766
1,10 1,624 1,000 0,720 0,559 0,454 0,381 0,3257 0,2835 0,2501 0,2229 0,2004 0,1816 0,1655 0,1518
1,15 1,000 0,645 0,477 0,377 0,310 0,2621 0,2260 0,1979 0,1754 0,1570 0,1417 0,1288 0,1177

Is = 1,2 Ib
Iph/Ibseq 1,85 1,90 1,95 2,00 2,20 2,40 2,60 2,80 3,00 3,20 3,40 3,60 3,80 4,00
Itrip/Ibseq
1,05 0,1630 0,1511 0,1405 0,1311 0,1020 0,0821 0,0677 0,0569 0,0486 0,0421 0,0368 0,0325 0,0289 0,0259
1,10 0,1398 0,1293 0,1201 0,1119 0,0867 0,0696 0,0573 0,0481 0,0410 0,0354 0,0310 0,0273 0,0243 0,0217
1,15 0,1082 0,0999 0,0926 0,0861 0,0664 0,0531 0,0436 0,0366 0,0312 0,0269 0,0235 0,0207 0,0184 0,0165

3
Is = 1,3 Ib
Iph/Ibseq 1,10 1,15 1,20 1,25 1,30 1,35 1,40 1,45 1,50 1,55 1,60 1,65 1,70 1,75 1,80
Itrip/Ibseq
1,05 4,1639 2,3784 1,6492 1,2509 1,0000 0,8276 0,7021 0,6068 0,5320 0,4719 0,4226 0,3815 0,3467 0,3170 0,2913
1,10 2,9020 1,7875 1,2878 1,0000 0,8123 0,6802 0,5823 0,5068 0,4470 0,3984 0,3583 0,3246 0,2959 0,2713
1,15 2,0959 1,3521 1,0000 0,7901 0,6498 0,5493 0,4737 0,4148 0,3676 0,3291 0,2970 0,2699 0,2468
1,20 1,5014 1,0000 0,7541 0,6039 0,5017 0,4274 0,3708 0,3264 0,2905 0,2610 0,2364 0,2154
1,25 1,0000 0,6820 0,5222 0,4227 0,3541 0,3036 0,2648 0,2341 0,2092 0,1886 0,1713

Is = 1,3 Ib
Iph/Ibseq 1,85 1,90 1,95 2,00 2,20 2,40 2,60 2,80 3,00 3,20 3,40 3,60 3,80 4,00
Itrip/Ibseq
1,05 0,2688 0,2491 0,2317 0,2162 0,1682 0,1354 0,1117 0,0939 0,0802 0,0694 0,0607 0,0535 0,0476 0,0426
1,10 0,2499 0,2311 0,2146 0,2000 0,1550 0,1243 0,1023 0,0859 0,0733 0,0633 0,0554 0,0488 0,0434 0,0389
1,15 0,2268 0,2094 0,1941 0,1805 0,1393 0,1114 0,0915 0,0767 0,0653 0,0564 0,0492 0,0434 0,0386 0,0345
1,20 0,1974 0,1819 0,1682 0,1562 0,1199 0,0955 0,0783 0,0655 0,0557 0,0481 0,0419 0,0369 0,0328 0,0293
1,25 0,1565 0,1438 0,1327 0,1230 0,0938 0,0745 0,0609 0,0508 0,0432 0,0372 0,0324 0,0285 0,0253 0,0226

Is = 1,4 Ib
Iph/Ibseq 1,10 1,15 1,20 1,25 1,30 1,35 1,40 1,45 1,50 1,55 1,60 1,65 1,70 1,75 1,80
Itrip/Ibseq
1,05 5,9304 3,3874 2,3488 1,7816 1,4243 1,1788 1,0000 0,8642 0,7577 0,6721 0,6019 0,5434 0,4938 0,4515 0,4148
1,10 4,2662 2,6278 1,8931 1,4701 1,1942 1,0000 0,8560 0,7451 0,6571 0,5857 0,5267 0,4771 0,4350 0,3988
1,15 3,2252 2,0806 1,5388 1,2158 1,0000 0,8453 0,7289 0,6383 0,5657 0,5064 0,4570 0,4154 0,3797
1,20 2,4862 1,6559 1,2488 1,0000 0,8307 0,7077 0,6141 0,5405 0,4811 0,4323 0,3914 0,3567
1,25 1,9151 1,3061 1,0000 0,8095 0,6780 0,5814 0,5072 0,4484 0,4007 0,3612 0,3280
1,30 1,4393 1,0000 0,7750 0,6330 0,5339 0,4603 0,4035 0,3581 0,3211 0,2903
1,35 1,0000 0,7053 0,5521 0,4544 0,3855 0,3340 0,2940 0,2618 0,2355

Is = 1,4 Ib
Iph/Ibseq 1,85 1,90 1,95 2,00 2,20 2,40 2,60 2,80 3,00 3,20 3,40 3,60 3,80 4,00
Itrip/Ibseq
1,05 0,3829 0,3548 0,3300 0,3079 0,2396 0,1928 0,1590 0,1337 0,1142 0,0988 0,0864 0,0762 0,0678 0,0607
1,10 0,3673 0,3398 0,3155 0,2940 0,2278 0,1828 0,1505 0,1263 0,1078 0,0931 0,0814 0,0718 0,0638 0,0571
1,15 0,3490 0,3222 0,2986 0,2778 0,2143 0,1714 0,1408 0,1180 0,1005 0,0868 0,0758 0,0668 0,0593 0,0531
1,20 0,3269 0,3011 0,2786 0,2587 0,1985 0,1582 0,1296 0,1085 0,0923 0,0796 0,0694 0,0611 0,0543 0,0486
1,25 0,2997 0,2753 0,2541 0,2355 0,1796 0,1426 0,1165 0,0973 0,0827 0,0712 0,0621 0,0546 0,0485 0,0433
1,30 0,2643 0,2420 0,2228 0,2060 0,1561 0,1235 0,1006 0,0838 0,0711 0,0612 0,0533 0,0468 0,0415 0,0371
1,35 0,2135 0,1948 0,1788 0,1649 0,1240 0,0976 0,0793 0,0659 0,0558 0,0480 0,0417 0,0367 0,0325 0,0290

110
Funções de proteção Sobrecarga térmica nos capacitores
Código ANSI 49RMS

Curvas para um aquecimento inicial = 100%


Is = 2 Ib
Iph/Ibseq 1,10 1,15 1,20 1,25 1,30 1,35 1,40 1,45 1,50 1,55 1,60 1,65 1,70 1,75 1,80
Itrip/Ibseq
1,05 19,2620 11,0020 7,6288 5,7866 4,6259 3,8286 3,2480 2,8069 2,4611 2,1831 1,9550 1,7648 1,6039 1,4663 1,3473
1,10 14,5120 8,9388 6,4398 5,0007 4,0622 3,4016 2,9118 2,5344 2,2351 1,9923 1,7915 1,6230 1,4797 1,3565
1,15 11,6100 7,4893 5,5392 4,3766 3,5996 3,0427 2,6238 2,2975 2,0364 1,8228 1,6451 1,4951 1,3669
1,20 9,6105 6,4010 4,8272 3,8656 3,2112 2,7355 2,3737 2,0892 1,8597 1,6709 1,5129 1,3788
1,25 8,1323 5,5465 4,2465 3,4375 2,8792 2,4688 2,1537 1,9041 1,7014 1,5337 1,3927
1,30 6,9855 4,8534 3,7614 3,0722 2,5911 2,2342 1,9582 1,7380 1,5583 1,4088
1,35 6,0646 4,2771 3,3484 2,7556 2,3380 2,0258 1,7828 1,5879 1,4280
1,40 5,3051 3,7883 2,9911 2,4776 2,1131 1,8388 1,6241 1,4511
1,50 4,1166 2,9979 2,3998 2,0090 1,7283 1,5149
1,60 3,2166 2,3778 1,9239 1,6242
1,70 2,4956 1,8670

Is = 2 Ib
3
Iph/Ibseq 1,85 1,90 1,95 2,00 2,20 2,40 2,60 2,80 3,00 3,20 3,40 3,60 3,80 4,00
Itrip/Ibseq
1,05 1,2436 1,1525 1,0718 1,0000 0,7783 0,6262 0,5165 0,4343 0,3709 0,3209 0,2806 0,2476 0,2202 0,1972
1,10 1,2495 1,1559 1,0733 1,0000 0,7750 0,6217 0,5118 0,4297 0,3666 0,3168 0,2768 0,2441 0,2170 0,1943
1,15 1,2562 1,1597 1,0750 1,0000 0,7713 0,6169 0,5066 0,4247 0,3618 0,3124 0,2727 0,2404 0,2136 0,1911
1,20 1,2638 1,1640 1,0768 1,0000 0,7673 0,6115 0,5010 0,4192 0,3567 0,3076 0,2683 0,2363 0,2099 0,1877
1,25 1,2725 1,1690 1,0790 1,0000 0,7628 0,6057 0,4949 0,4133 0,3511 0,3025 0,2636 0,2320 0,2059 0,1841
1,30 1,2826 1,1747 1,0814 1,0000 0,7578 0,5992 0,4882 0,4069 0,3451 0,2969 0,2585 0,2274 0,2017 0,1802
1,35 1,2945 1,1813 1,0842 1,0000 0,7522 0,5920 0,4808 0,3998 0,3386 0,2910 0,2531 0,2224 0,1971 0,1760
1,40 1,3085 1,1891 1,0874 1,0000 0,7459 0,5841 0,4728 0,3921 0,3315 0,2844 0,2471 0,2170 0,1922 0,1715
1,50 1,3463 1,2094 1,0958 1,0000 0,7306 0,5652 0,4539 0,3744 0,3152 0,2697 0,2337 0,2048 0,1811 0,1614
1,60 1,4070 1,2406 1,1082 1,0000 0,7102 0,5410 0,4303 0,3527 0,2955 0,2520 0,2178 0,1904 0,1681 0,1496
1,70 1,5237 1,2953 1,1286 1,0000 0,6816 0,5089 0,4000 0,3253 0,2711 0,2302 0,1983 0,1730 0,1524 0,1355

111
Funções de proteção Sobrecarga térmica na máquina
Código ANSI 49 RMS

Proteção dos equipamentos contra danos Funcionamento


térmicos por sobrecargas. Esta função é utilizada para proteger equipamentos (motor, transformador, gerador)
contra as sobrecargas, baseada na medição do corrente absorvida.

Curva de funcionamento
A proteção dá uma ordem de trip quando a sobrecarga térmica E, calculada através
da medição de uma corrente equivalente Ieq, for maior que o ajuste Es.
A maior corrente contínua admissível é
I = Ib Es
O tempo de trip da proteção é ajustado pela constante de tempo T.
b o aquecimento calculado depende da corrente absorvida e do estado de
aquecimento anterior
b a curva a frio define o tempo de trip da proteção a partir de um aquecimento zero
b a curva a quente define o tempo de trip da proteção a partir de um aquecimento
nominal de 100%.

3 101 Curva a frio


t
⎛ leq
⎝ --------
lb ⎠
2
-⎞ – 1
100 --- = ln ------------------------------
-
T ⎛ leq
2
⎞ – Es
--------
⎝ lb ⎠ -
10-1

10-2 Curva a quente 2


⎛ leq -⎞
t ⎝ --------
lb ⎠
10-3 --- = ln ------------------------------
-
0 5 10 T ⎛ leq
2
⎞ – Es
--------
⎝ lb ⎠ -
ln: logaritmo neperiano.

Ajuste de alarme, ajuste de trip


Dois ajustes de aquecimento podem ser regulados:
b Es1: alarme
b Es2: trip.

Ajuste “estado quente”


Quando a função é utilizada para proteger um motor, é designado um ajuste fixo
para detecção do estado quente, utilizado pela função partidas por hora. O ajuste
fixo é de 50%.

Constante de tempo de aquecimento e de resfriamento


E E
1 1

0,63
0,36
0 0
T1 t T2 t
Constante de tempo no aquecimento. Constante de tempo no resfriamento.

Para uma máquina rotativa auto-ventilada, o resfriamento é mais eficaz quando a


máquina está em operação. A partida e a parada do equipamento são deduzidos do
valor da corrente:
b partida se I > 0,1 Ib
b parada se I < 0,1 Ib.

Duas constantes de tempo podem ser ajustadas:


b T1: constante de tempo de aquecimento: relativo ao equipamento em operação
b T2: constante de tempo de resfriamento: relativo ao equipamento parado.

Consideração dos harmônicos


A corrente medida pela proteção térmica é uma corrente RMS trifásica que leva em
consideração os harmônicos até a 13ª ordem.

112
Funções de proteção Sobrecarga térmica na máquina
Código ANSI 49 RMS

Consideração da temperatura ambiente


A maioria das máquinas foram projetadas para funcionar a uma temperatura
ambiente máxima de 40°C. A função sobrecarga térmica considera a temperatura
ambiente (Sepam equipado com a opção módulo/sensor de temperatura (1)) para
aumentar o valor do aquecimento calculado quando a temperatura medida
ultrapassar 40°C.
Tmax – 40°° C
Fator de aumento: fa = -----------------------------------------------------
Tmax – Tambiant
onde “Tmáx” é a temperatura máxima do equipamento
(segundo a classe de isolação)
“Tambiant” é a temperatura medida.
Tabela das classes de isolação
Classe Y A E B F H 200 220 250
Tmáx 90°C 105°C 120°C 130°C 155°C 180°C 200°C 220°C 250°C
Referência IEC 60085 (1984).

Adaptação da proteção à suportabilidade térmica de um motor


O ajuste da proteção térmica de um motor é normalmente realizado através das 3
curvas a quente e a frio fornecidas pelo fabricante da máquina.
Para atender completamente a estas curvas experimentais, parâmetros adicionais
devem ser ajustados:
b uma sobrecarga térmica inicial, Es0, é utilizada para reduzir o tempo de trip a frio.
2
⎛ leq -⎞ – Es0
t ⎝ --------
lb ⎠
curva a frio modificada: --- = ln ----------------------------------
- onde ln: logaritmo natural.
T ⎛ leq
2

⎝ ---------⎞⎠ – Es
lb
b um segundo grupo de parâmetros (constantes de tempo e ajustes), permite
considerar a suportabilidade térmica do rotor bloqueado. Este segundo grupo de
parâmetros é considerado quando a corrente for superior a um ajuste Is.

Consideração do componente de seqüência negativa


No caso dos motores com rotor bobinado, a presença de um componente de
seqüência negativa aumenta o aquecimento do motor. O componente é considerado
na proteção pela equação:
lph + K × li
2 2
leq = onde Iph é a maior corrente de fase
Ii é o componente de seq. negativa da corrente
K é um coeficiente ajustável
K pode ter os seguintes valores: 0 - 2,25 - 4,5 - 9
Para motores assíncronos, o K é determinado da seguinte maneira:
Cd 1 onde Cn, Cd: conjugado nominal e conjugado de partida
K = 2 × -------- × -------------------------2- – 1
Cn ⎛ ld ⎞ Ib, Id: corrente de base e corrente de
g × -----
⎝ lb ⎠ g: escorregamento nominal

Cálculo da constante de tempo de resfriamento T2


A constante de tempo T2 pode ser calculada a partir das temperaturas medidas no
equipamento protegido por sensores conectados ao módulo MET148-2 nº 1.
A estimativa de T2 é feita:
b após uma seqüência aquecimento/resfriamento:
v período de aquecimento detectado por Es > 70%
v seguido de uma parada detectada por Ieq < 10% de Ib
b quando a temperatura do equipamento é medida por sensores conectados ao
módulo MET148-2 nº 1:
v sensor 1, 2 ou 3 atribuídos para medição da temperatura no estator dos motores/
geradores
v sensor 1, 3 ou 5 atribuídos para medição da temperatura dos transformadores.
Após cada nova seqüência aquecimento/resfriamento detectada, um novo valor de
T2 é estimado.
Após a estimatitva, T2 pode ser utilizado de 2 maneiras:
b automaticamente, cada novo valor calculado atualiza a constante T2 utilizada
b manualmente, inserindo o valor no parâmetro T2.
A utilização do sensor 8 para medir a temperatura ambiente aumenta a precisão das
medições.
A função dispõe de 2 regimes de operação, uma constante de tempo é estimada
para cada um destes regimes.
Para aplicações motor-transformador ou gerador-transformador, é recomendado
conectar os sensores da máquina rotativa no módulo MET148-2 nº 1, para tirar
vantagem do cálculo de T2 na máquina rotativa, tanto quanto no transformador.

113
Funções de proteção Sobrecarga térmica na máquina
Código ANSI 49 RMS

Inibição da partida
A função de proteção sobrecarga térmica pode inibir o fechamento do dispositivo de
controle do motor protegido até que o aquecimento fique abaixo de um valor que
permita a nova partida.
Este valor considera o aquecimento que o motor produz no momento de sua partida.
Esta função de inibição é agrupada com a função de proteção partidas por hora e
informa ao usuário com a sinalização PARTIDA INIBIDA.

Memorização do aquecimento
O aquecimento em curso é memorizado na interrupção da alimentação auxiliar.

Bloqueio do trip
A desativação da proteção sobrecarga térmica do motor pode ser bloqueado pela
entrada lógica “inibição sobrecarga térmica” quando o processo o exigir.

Consideração de dois regimes de operação


3 A proteção sobrecarga térmica pode ser utilizada para proteger equipamentos com
dois regimes de operação, como por exemplo:
b transformadores com dois modos de ventilação, com ou sem ventilação forçada
(ONAN / ONAF)
b motores com duas velocidades.
A proteção dispõe de dois grupos de ajustes, cada grupo de ajuste é adaptado para
a proteção do equipamento em um dos dois regimes de operação.
A mudança de um regime para outro é feita sem perda do valor de aquecimento.
É controlada:
b por uma entrada lógica, atribuída para a função “mudança de regime térmico”
b quando a corrente de fase atinge um nível ajustável Is (a ser utilizado para
processar a mudança de regime térmico de um motor com rotor bloqueado).
A corrente de base do equipamento, utilizada no cálculo do aquecimento, depende
do regime de operação:
b para mudança da entrada lógica em regime 2, o cálculo do aquecimento do
equipamento utiliza a corrente de base Ib 2, ajuste específico da proteção
sobrecarga térmica
b em todos os outros casos, o cálculo do aquecimento do equipamento utiliza a
corrente de base Ib, definida como parâmetro geral do Sepam.

Informações de operação
As seguintes informações são disponíveis para o usuário:
b o aquecimento
b a constante de tempo de resfriamento T2 calculada
b o tempo antes da autorização da nova partida (em caso de inibição da partida)
b o tempo antes do trip (em corrente constante).
Ver funções de medição e de ajuda na operação das máquinas.

Esquema
entrada lógica
“mudança de seleção do
regime térmico” grupo de
parâmetros

alarme e
Iph cálculo aquecimento:
indicação
da corrente
Ii equivalente

T máx.

trip e
correção pela entrada lógica indicação
temperatura temperatura
ambiente “inibição da
ambiente sobrecarga térmica”

inibição inibição de
da partida fechamento
e indicação

114
Funções de proteção Sobrecarga térmica na máquina
Código ANSI 49 RMS

Características
Ajustes Entradas
Origem da medição Designação Sintaxe Equações Logipam
Faixa de ajuste I1, I2, I3 / I'1, I'2, I'3 Reset da proteção P49RMS_1_101 b b
Consideração do componente de seqüência negativa K Inibição da proteção P49RMS_1_113 b b
Faixa de ajuste 0 - 2,25 - 4,5 - 9 Saídas
Consideração da temperatura do ambiente Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Faixa de ajuste Sim / não Saída temporizada P49RMS_1_3 b b b
Utilização da constante de resfriamento Alarme P49RMS_1_10 b b b
auto-corrigida T2 Inibição do fechamento P49RMS_1_11 b b b
Faixa de ajuste Sim / não Proteção inibida P49RMS_1_16 b b
Temperatura máxima do equipamento Tmáx. Estado a quente P49RMS_1_18 b b
(classe de isolação) Inibição da socrebarga térmica P49RMS_1_32 b b
Faixa de ajuste 60°C a 200°C ou 140°F a 392°F
Resolução 1°C ou 1°F
Regime térmico 1
Ajuste Es1 de alarme
Faixa de ajuste 0° a 300% 3
Precisão (1) ±2%
Resolução 1%
Ajuste Es2 de trip
Faixa de ajuste 0° a 300%
Precisão (1) ±2%
Resolução 1%
Ajuste Es0 de aquecimento inicial
Faixa de ajuste 0% a 100%
Precisão (1) ±2%
Resolução 1%
Constante de tempo de aquecimento T1
Faixa de ajuste 1 min a 600 min
Resolução 1 min
Constante de tempo de resfriamento T2
Faixa de ajuste 5 min a 600 min
Resolução 1 min
Regime térmico 2
Utilização do regime térmico 2
Faixa de ajuste Sim / não
Ajuste Es1 de alarme
Faixa de ajuste 0% a 300%
Precisão (1) ±2%
Resolução 1%
Ajuste Es2 de trip
Faixa de ajuste 0% a 300%
Precisão (1) ±2%
Resolução 1%
Ajuste Es0 de aquecimento inicial
Faixa de ajuste 0% a 100%
Precisão (1) ±2%
Resolução 1%
Constante de tempo de aquecimento T1
Faixa de ajuste 1 min a 600 min
Resolução 1 min
Constante de tempo de resfriamento T2
Faixa de ajuste 5 min a 600 min
Resolução 1 min
Ajuste de mudança do regime térmico 2
Faixa de ajuste 25% a 800% de Ib
Precisão (1) ±5%
Resolução 1%
Corrente de base Ib - regime 2
Faixa de ajuste 0,2 a 2,6 In ou I’n
Precisão (1) ±5%
Resolução 1A
Tempos característicos (1)
Precisão do tempo de ±2% ou ±1 s
operação
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-8).

115
Funções de proteção Sobrecarga térmica na máquina
Código ANSI 49 RMS
Exemplos de ajustes

Exemplo 1: motor Para uma sobrecarga de 2Ib, é obtido o valor t/T1 = 0,0339 (2).
São disponíveis os seguintes dados: Para que o Sepam dispare no ponto 1 (t = 70 s), T1 deve ser igual a 2065 s ≈ 34 min.
b constantes de tempo para o regime em operação Com um ajuste de T1 = 34 min, é obtido o tempo de trip a partir de um estado a frio
T1 e ao repouso T2 : (ponto 2). Neste caso, é igual a t/T1 = 0,3216 ⇒ t = 665 s, isto é, ≈ 11 min, o que é
v T1 = 25 min compatível com a suportabilidade térmica do motor a frio.
v T2 = 70 min O fator de seqüência negativa K é calculado com a equação definida na página 113.
b corrente máxima em regime permanente: Os parâmetros do 2º relé de sobrecarga térmica não precisam ser ajustados.
Imáx/Ib = 1,05. De fábrica, eles não são considerados.
Ajuste de trip Es2 Exemplo 3: motor
Es2 = (Imax/Ib)2 = 110% São disponíveis os seguintes dados:
Obs.: Se o motor absorver uma corrente de 1,05 Ib b suportabilidade térmica do motor sob a forma de curvas a quente e a frio (ver
continuamente, o aquecimento calculado pela curvas em linha contínua na figura 2)
sobrecarga térmica atingirá 110%. b constante de tempo no resfriamento T2
Ajuste de alarme Es1 b corrente máxima em regime permanente: Imáx/Ib = 1,1.
Es1 = 90% (I/Ib = 0,95). A determinação dos parâmetros da sobrecarga térmica é similar à descrita no
Kseq. negativa: 4,5 (valor usual) exemplo anterior.

3 Os outros parâmetros da sobrecarga térmica não


precisam ser ajustados. De fábrica, eles não são
Ajuste de trip Es2
Es2 = (Imax/Ib)2 = 120 %
considerados.
Ajuste de alarme Es1
Exemplo 2: motor Es1 = 90 % (I/Ib = 0,95).
São disponíveis os seguintes dados: A constante de tempo T1 é calculada para que a sobrecarga térmica dispare após
b suportabilidade térmica do motor sob a forma de 100 s (ponto 1).
curvas a quente e a frio (ver curvas em linha contínua Com t/T1 = 0,069 (I/Ib = 2 e Es2 = 120 %):
na figura 1) ⇒ T1 = 100 s / 0,069 = 1449 s ≈ 24 mín.
b constante de tempo no resfriamento T2 O tempo de trip partindo do estado a frio é igual a:
b corrente máxima em regime permanente: t/T1 = 0,3567 ⇒ t = 24 min x 0,3567 = 513 s (ponto 2’).
Imáx/Ib = 1,05. Este tempo de trip é muito longo, pois o limite para esta corrente de sobrecarga é de
400 s (ponto 2).
Ajuste de trip Es2
Se diminuir a constante de tempo T1, a sobrecarga térmica disparará mais cedo e
Es2 = (Imax/Ib)2 = 110%
abaixo do ponto 2.
Ajuste de alarme Es1:
O risco que uma partida do motor a quente não seja mais possível existe também
Es1 = 90% (I/Ib = 0,95).
neste caso (ver figura 2 onde uma curva a quente do Sepam mais baixa cruzará a
A utilização das curvas a quente/a frio do fabricante (1)
curva da partida com U = 0,9 Un).
permite determinar a constante de tempo para o
O parâmetro Es0 é um ajuste utilizado para resolver estas diferenças, abaixando a
aquecimento T1.
curva a frio do Sepam sem mover a curva a quente.
O método consiste em colocar as curvas quente/a frio
Neste exemplo, a proteção sobrecarga térmica deve disparar após 400 s partindo de
do Sepam abaixo daquelas do motor.
um estado a frio.
A obtenção do valor Es0 é definida pela seguinte equação:
Figura 1: curva de suportabilidade térmica do
tnecessary
motor e de trip da sobrecarga térmica 2 --------------------
T1 2
l processed
E s0 = -------------------- – e × l-------------------
processed
- – E s2
lb lb
curva a frio motor
com:
curva a frio Sepam
tempo antes do trip / s

t necessary tempo de trip necessária partindo de um estado a frio.


:

I processed corrente do equipamento.


:
665 curva a quente motor
2
(1) Quando o fabricante da máquina fornece ao mesmo tempo uma constante de tempo T1 e as
curva a quente Sepam curvas a quente/a frio da máquina, a utilização das curvas é recomendada, pois são mais precisas.
70 1 (2) Podem ser utilizadas as tabelas dos valores digitais da curva a quente do Sepam ou a
equação desta curva, que é mostrada na página 112.

1,05 2 I/Ib

116
Funções de proteção Sobrecarga térmica na máquina
Código ANSI 49 RMS
Exemplos de ajustes

Logo, em valores numéricos obtém-se: Utilização do grupo de ajustes adicional


400 s
----------------------- Quando o rotor de um motor estiver bloqueado ou girando muito lentamente, seu
24 × 60 s
Es0 = 4 – e × 4 – ( 1, 2 ) = 0, 3035 ≈ ( 31% ) comportamento térmico será diferente daquele com carga nominal.
Ajustando Es0 = 31%, o ponto 2’ é deslocado para Nestas condições, o motor é danificado por um sobreaquecimento do rotor ou do
baixo para obter um tempo de trip menor e compatível estator. Para os motores de potência elevada, o aquecimento do rotor é
com a suportabilidade térmica do motor a frio (ver freqüentemente um fator limitante.
figura 3). Os parâmetros da sobrecarga térmica escolhidos para funcionamento com baixa
Obs.: Um ajuste Es0 = 100% significa que as curvas a carga não são mais válidos.
quente e a frio são idênticas. Neste caso, para proteger o motor pode ser utilizada a proteção “partida longa”.
No entanto, os fabricantes de motores fornecem as curvas de suportabilidade
Figura 2: curvas a quente/frio não compatíveis com térmica quando o rotor é bloqueado, para diferentes tensões na partida.
a suportabilidade térmica do motor
Figura 4: Suportabilidade térmica para rotor bloqueado

curva a frio Sepam motor em marcha rotor bloqueado


tempo antes do trip / s

513
400
2’

2
curva a frio motor
3
curva a quente motor
tempo / s

1
100 1 curva a quente Sepam

3
2
partida a Un
partida a 0,9Un
1,05 2 I/Ib 4 5 6
1,1 2 Is I/Ib

Figura 3: curvas a quente/frio compatíveis com a 1 : suportabilidade térmica, motor em operação


suportabilidade térmica do motor através da 2 : suportabilidade térmica, motor parado
configuração do aquecimento inicial Es0
3 : curva de trip Sepam
4 : partida a 65% Un
curva a frio Sepam
corrigida 5 : partida a 80% Un

curva a frio motor 6 : partida a 100% Un


400
tempo antes do trip / s

2
curva a quente motor Para considerar estas curvas, o 2º relé de sobrecarga térmica pode ser utilizado.
Neste caso, a constante de tempo é teoricamente menor, porém, deve ser
100 determinada da mesma maneira que a do 1º relé.
1 curva a quente Sepam A proteção sobrecarga térmica comuta entre o primeiro e o segundo relé se a
corrente equivalente Ieq ultrapassar o valor Is (corrente de ajuste).

partida a Un
Exemplo 4: transformador com 2 modos de ventilação
partida a 0,9Un
São disponíveis os seguintes dados:
1,1 2 I/Ib A corrente nominal de um transformador com 2 modos de ventilação é:
b Ib = 200 A sem ventilação forçada (modo ONAN), regime de funcionamento
principal do transformador
b Ib = 240 A com ventilação forçada (modo ONAF), regime de funcionamento
temporário, para dispor de 20% de potência adicional

Ajuste da corrente de base do regime térmico 1: Ib = 200 A


(a ser ajustado nos parâmetros iniciais do Sepam).
Ajuste da corrente de base do regime térmico 2: Ib2 = 240 A
(a ser regulado entre os ajustes próprios à proteção contra sobrecarga térmica).
Mudança de regime por entrada lógica, a ser atribuída à função “mudança de regime
térmico” e ser conectada no controle de ventilação do transformador.
Os ajustes relativos a cada regime térmico (ajustes Es, constantes de tempo etc)
devem ser determinados em função das características do transformador,
fornecidas pelo fabricante.

117
Funções de proteção Sobrecarga térmica na máquina
Código ANSI 49 RMS
Curvas de trip

Curvas a frio para Es0 = 0%


l/Ib 1,00 1,05 1,10 1,15 1,20 1,25 1,30 1,35 1,40 1,45 1,50 1,55 1,60 1,65 1,70 1,75 1,80
Es (%)
50 0,6931 0,6042 0,5331 0,4749 0,4265 0,3857 0,3508 0,3207 0,2945 0,2716 0,2513 0,2333 0,2173 0,2029 0,1900 0,1782 0,1676
55 0,7985 0,6909 0,6061 0,5376 0,4812 0,4339 0,3937 0,3592 0,3294 0,3033 0,2803 0,2600 0,2419 0,2257 0,2111 0,1980 0,1860
60 0,9163 0,7857 0,6849 0,6046 0,5390 0,4845 0,4386 0,3993 0,3655 0,3360 0,3102 0,2873 0,2671 0,2490 0,2327 0,2181 0,2048
65 1,0498 0,8905 0,7704 0,6763 0,6004 0,5379 0,4855 0,4411 0,4029 0,3698 0,3409 0,3155 0,2929 0,2728 0,2548 0,2386 0,2239
70 1,2040 1,0076 0,8640 0,7535 0,6657 0,5942 0,5348 0,4847 0,4418 0,4049 0,3727 0,3444 0,3194 0,2972 0,2774 0,2595 0,2434
75 1,3863 1,1403 0,9671 0,8373 0,7357 0,6539 0,5866 0,5302 0,4823 0,4412 0,4055 0,3742 0,3467 0,3222 0,3005 0,2809 0,2633
80 1,6094 1,2933 1,0822 0,9287 0,8109 0,7174 0,6413 0,5780 0,5245 0,4788 0,4394 0,4049 0,3747 0,3479 0,3241 0,3028 0,2836
85 1,8971 1,4739 1,2123 1,0292 0,8923 0,7853 0,6991 0,6281 0,5686 0,5180 0,4745 0,4366 0,4035 0,3743 0,3483 0,3251 0,3043
90 2,3026 1,6946 1,3618 1,1411 0,9808 0,8580 0,7605 0,6809 0,6147 0,5587 0,5108 0,4694 0,4332 0,4013 0,3731 0,3480 0,3254
95 1,9782 1,5377 1,2670 1,0780 0,9365 0,8258 0,7366 0,6630 0,6012 0,5486 0,5032 0,4638 0,4292 0,3986 0,3714 0,3470
100 2,3755 1,7513 1,4112 1,1856 1,0217 0,8958 0,7956 0,7138 0,6455 0,5878 0,5383 0,4953 0,4578 0,4247 0,3953 0,3691
105 3,0445 2,0232 1,5796 1,3063 1,1147 0,9710 0,8583 0,7673 0,6920 0,6286 0,5746 0,5279 0,4872 0,4515 0,4199 0,3917
110 2,3979 1,7824 1,4435 1,2174 1,0524 0,9252 0,8238 0,7406 0,6712 0,6122 0,5616 0,5176 0,4790 0,4450 0,4148

3 115
120
3,0040 2,0369
2,3792
1,6025
1,7918
1,3318
1,4610
1,1409
1,2381
0,9970
1,0742
0,8837
0,9474
0,7918
0,8457
0,7156
0,7621
0,6514
0,6921
0,5964
0,6325
0,5489
0,5812
0,5074
0,5365
0,4708
0,4973
0,4384
0,4626
125 2,9037 2,0254 1,6094 1,3457 1,1580 1,0154 0,9027 0,8109 0,7346 0,6700 0,6146 0,5666 0,5245 0,4874
130 2,3308 1,7838 1,4663 1,2493 1,0885 0,9632 0,8622 0,7789 0,7089 0,6491 0,5975 0,5525 0,5129
135 2,7726 1,9951 1,6035 1,3499 1,1672 1,0275 0,9163 0,8253 0,7494 0,6849 0,6295 0,5813 0,5390
140 2,2634 1,7626 1,4618 1,2528 1,0962 0,9734 0,8740 0,7916 0,7220 0,6625 0,6109 0,5658
145 2,6311 1,9518 1,5877 1,3463 1,1701 1,0341 0,9252 0,8356 0,7606 0,6966 0,6414 0,5934
150 3,2189 2,1855 1,7319 1,4495 1,2498 1,0986 0,9791 0,8817 0,8007 0,7320 0,6729 0,6217
155 2,4908 1,9003 1,5645 1,3364 1,1676 1,0361 0,9301 0,8424 0,7686 0,7055 0,6508
160 2,9327 2,1030 1,6946 1,4313 1,2417 1,0965 0,9808 0,8860 0,8066 0,7391 0,6809
165 2,3576 1,8441 1,5361 1,3218 1,1609 1,0343 0,9316 0,8461 0,7739 0,7118
170 2,6999 2,0200 1,6532 1,4088 1,2296 1,0908 0,9793 0,8873 0,8099 0,7438
175 3,2244 2,2336 1,7858 1,5041 1,3035 1,1507 1,0294 0,9302 0,8473 0,7768
180 2,5055 1,9388 1,6094 1,3832 1,2144 1,0822 0,9751 0,8861 0,8109
185 2,8802 2,1195 1,7272 1,4698 1,2825 1,1379 1,0220 0,9265 0,8463
190 3,4864 2,3401 1,8608 1,5647 1,3555 1,1970 1,0713 0,9687 0,8829
195 2,6237 2,0149 1,6695 1,4343 1,2597 1,1231 1,0126 0,9209
200 3,0210 2,1972 1,7866 1,5198 1,3266 1,1778 1,0586 0,9605

118
Funções de proteção Sobrecarga térmica na máquina
Código ANSI 49 RMS
Curvas de trip

Curvas a frio para Es0 = 0%


I/Ib 1,85 1,90 1,95 2,00 2,20 2,40 2,60 2,80 3,00 3,20 3,40 3,60 3,80 4,00 4,20 4,40 4,60
Es (%)
50 0,1579 0,1491 0,1410 0,1335 0,1090 0,0908 0,0768 0,0659 0,0572 0,0501 0,0442 0,0393 0,0352 0,0317 0,0288 0,0262 0,0239
55 0,1752 0,1653 0,1562 0,1479 0,1206 0,1004 0,0849 0,0727 0,0631 0,0552 0,0487 0,0434 0,0388 0,0350 0,0317 0,0288 0,0263
60 0,1927 0,1818 0,1717 0,1625 0,1324 0,1100 0,0929 0,0796 0,069 0,0604 0,0533 0,0474 0,0424 0,0382 0,0346 0,0315 0,0288
65 0,2106 0,1985 0,1875 0,1773 0,1442 0,1197 0,1011 0,0865 0,075 0,0656 0,0579 0,0515 0,0461 0,0415 0,0375 0,0342 0,0312
70 0,2288 0,2156 0,2035 0,1924 0,1562 0,1296 0,1093 0,0935 0,081 0,0708 0,0625 0,0555 0,0497 0,0447 0,0405 0,0368 0,0336
75 0,2474 0,2329 0,2197 0,2076 0,1684 0,1395 0,1176 0,1006 0,087 0,0761 0,0671 0,0596 0,0533 0,0480 0,0434 0,0395 0,0361
80 0,2662 0,2505 0,2362 0,2231 0,1807 0,1495 0,1260 0,1076 0,0931 0,0813 0,0717 0,0637 0,0570 0,0513 0,0464 0,0422 0,0385
85 0,2855 0,2685 0,2530 0,2389 0,1931 0,1597 0,1344 0,1148 0,0992 0,0867 0,0764 0,0678 0,0607 0,0546 0,0494 0,0449 0,0410
90 0,3051 0,2868 0,2701 0,2549 0,2057 0,1699 0,1429 0,1219 0,1054 0,092 0,0811 0,0720 0,0644 0,0579 0,0524 0,0476 0,0435
95 0,3251 0,3054 0,2875 0,2712 0,2185 0,1802 0,1514 0,1292 0,1116 0,0974 0,0858 0,0761 0,0681 0,0612 0,0554 0,0503 0,0459
100 0,3456 0,3244 0,3051 0,2877 0,2314 0,1907 0,1601 0,1365 0,1178 0,1028 0,0905 0,0803 0,0718 0,0645 0,0584 0,0530 0,0484
105 0,3664 0,3437 0,3231 0,3045 0,2445 0,2012 0,1688 0,1438 0,1241 0,1082 0,0952 0,0845 0,0755 0,0679 0,0614 0,0558 0,0509
110 0,3877 0,3634 0,3415 0,3216 0,2578 0,2119 0,1776 0,1512 0,1304 0,1136 0,1000 0,0887 0,0792 0,0712 0,0644 0,0585 0,0534
115
120
0,4095
0,4317
0,3835
0,4041
0,3602
0,3792
0,3390
0,3567
0,2713
0,2849
0,2227
0,2336
0,1865
0,1954
0,1586
0,1661
0,1367
0,1431
0,1191
0,1246
0,1048
0,1096
0,0929
0,0972
0,0830
0,0868
0,0746
0,0780
0,0674
0,0705
0,0612
0,0640
0,0559
0,0584
3
125 0,4545 0,4250 0,3986 0,3747 0,2988 0,2446 0,2045 0,1737 0,1495 0,1302 0,1144 0,1014 0,0905 0,0813 0,0735 0,0667 0,0609
130 0,4778 0,4465 0,4184 0,3930 0,3128 0,2558 0,2136 0,1813 0,156 0,1358 0,1193 0,1057 0,0943 0,0847 0,0766 0,0695 0,0634
135 0,5016 0,4683 0,4386 0,4117 0,3270 0,2671 0,2228 0,1890 0,1625 0,1414 0,1242 0,1100 0,0982 0,0881 0,0796 0,0723 0,0659
140 0,5260 0,4907 0,4591 0,4308 0,3414 0,2785 0,2321 0,1967 0,1691 0,147 0,1291 0,1143 0,1020 0,0916 0,0827 0,0751 0,0685
145 0,5511 0,5136 0,4802 0,4502 0,3561 0,2900 0,2414 0,2045 0,1757 0,1527 0,1340 0,1187 0,1058 0,0950 0,0858 0,0778 0,0710
150 0,5767 0,5370 0,5017 0,4700 0,3709 0,3017 0,2509 0,2124 0,1823 0,1584 0,1390 0,1230 0,1097 0,0984 0,0889 0,0806 0,0735
155 0,6031 0,5610 0,5236 0,4902 0,3860 0,3135 0,2604 0,2203 0,189 0,1641 0,1440 0,1274 0,1136 0,1019 0,0920 0,0834 0,0761
160 0,6302 0,5856 0,5461 0,5108 0,4013 0,3254 0,2701 0,2283 0,1957 0,1699 0,1490 0,1318 0,1174 0,1054 0,0951 0,0863 0,0786
165 0,6580 0,6108 0,5690 0,5319 0,4169 0,3375 0,2798 0,2363 0,2025 0,1757 0,1540 0,1362 0,1213 0,1088 0,0982 0,0891 0,0812
170 0,6866 0,6366 0,5925 0,5534 0,4327 0,3498 0,2897 0,2444 0,2094 0,1815 0,1591 0,1406 0,1253 0,1123 0,1013 0,0919 0,0838
175 0,7161 0,6631 0,6166 0,5754 0,4487 0,3621 0,2996 0,2526 0,2162 0,1874 0,1641 0,1451 0,1292 0,1158 0,1045 0,0947 0,0863
180 0,7464 0,6904 0,6413 0,5978 0,4651 0,3747 0,3096 0,2608 0,2231 0,1933 0,1693 0,1495 0,1331 0,1193 0,1076 0,0976 0,0889
185 0,7777 0,7184 0,6665 0,6208 0,4816 0,3874 0,3197 0,2691 0,2301 0,1993 0,1744 0,1540 0,1371 0,1229 0,1108 0,1004 0,0915
190 0,8100 0,7472 0,6925 0,6444 0,4985 0,4003 0,3300 0,2775 0,2371 0,2052 0,1796 0,1585 0,1411 0,1264 0,1140 0,1033 0,0941
195 0,8434 0,7769 0,7191 0,6685 0,5157 0,4133 0,3403 0,2860 0,2442 0,2113 0,1847 0,1631 0,1451 0,1300 0,1171 0,1062 0,0967
200 0,8780 0,8075 0,7465 0,6931 0,5331 0,4265 0,3508 0,2945 0,2513 0,2173 0,1900 0,1676 0,1491 0,1335 0,1203 0,1090 0,0993

119
Funções de proteção Sobrecarga térmica na máquina
Código ANSI 49 RMS
Curvas de trip

Curvas a frio para Es0 = 0%


I/Ib 4,80 5,00 5,50 6,00 6,50 7,00 7,50 8,00 8,50 9,00 9,50 10,00 12,50 15,00 17,50 20,00
Es (%)
50 0,0219 0,0202 0,0167 0,0140 0,0119 0,0103 0,0089 0,0078 0,0069 0,0062 0,0056 0,0050 0,0032 0,0022 0,0016 0,0013
55 0,0242 0,0222 0,0183 0,0154 0,0131 0,0113 0,0098 0,0086 0,0076 0,0068 0,0061 0,0055 0,0035 0,0024 0,0018 0,0014
60 0,0264 0,0243 0,0200 0,0168 0,0143 0,0123 0,0107 0,0094 0,0083 0,0074 0,0067 0,0060 0,0038 0,0027 0,0020 0,0015
65 0,0286 0,0263 0,0217 0,0182 0,0155 0,0134 0,0116 0,0102 0,0090 0,0081 0,0072 0,0065 0,0042 0,0029 0,0021 0,0016
70 0,0309 0,0284 0,0234 0,0196 0,0167 0,0144 0,0125 0,0110 0,0097 0,0087 0,0078 0,0070 0,0045 0,0031 0,0023 0,0018
75 0,0331 0,0305 0,0251 0,0211 0,0179 0,0154 0,0134 0,0118 0,0104 0,0093 0,0083 0,0075 0,0048 0,0033 0,0025 0,0019
80 0,0353 0,0325 0,0268 0,0225 0,0191 0,0165 0,0143 0,0126 0,0111 0,0099 0,0089 0,0080 0,0051 0,0036 0,0026 0,0020
85 0,0376 0,0346 0,0285 0,0239 0,0203 0,0175 0,0152 0,0134 0,0118 0,0105 0,0095 0,0085 0,0055 0,0038 0,0028 0,0021
90 0,0398 0,0367 0,0302 0,0253 0,0215 0,0185 0,0161 0,0142 0,0125 0,0112 0,0100 0,0090 0,0058 0,0040 0,0029 0,0023
95 0,0421 0,0387 0,0319 0,0267 0,0227 0,0196 0,0170 0,0150 0,0132 0,0118 0,0106 0,0095 0,0061 0,0042 0,0031 0,0024
100 0,0444 0,0408 0,0336 0,0282 0,0240 0,0206 0,0179 0,0157 0,0139 0,0124 0,0111 0,0101 0,0064 0,0045 0,0033 0,0025
105 0,0466 0,0429 0,0353 0,0296 0,0252 0,0217 0,0188 0,0165 0,0146 0,0130 0,0117 0,0106 0,0067 0,0047 0,0034 0,0026
110 0,0489 0,0450 0,0370 0,0310 0,0264 0,0227 0,0197 0,0173 0,0153 0,0137 0,0123 0,0111 0,0071 0,0049 0,0036 0,0028

3 115
120
0,0512
0,0535
0,0471
0,0492
0,0388
0,0405
0,0325
0,0339
0,0276
0,0288
0,0237
0,0248
0,0207
0,0216
0,0181
0,0189
0,0160
0,0167
0,0143
0,0149
0,0128
0,0134
0,0116
0,0121
0,0074
0,0077
0,0051
0,0053
0,0038
0,0039
0,0029
0,0030
125 0,0558 0,0513 0,0422 0,0353 0,0300 0,0258 0,0225 0,0197 0,0175 0,0156 0,0139 0,0126 0,0080 0,0056 0,0041 0,0031
130 0,0581 0,0534 0,0439 0,0368 0,0313 0,0269 0,0234 0,0205 0,0182 0,0162 0,0145 0,0131 0,0084 0,0058 0,0043 0,0033
135 0,0604 0,0555 0,0457 0,0382 0,0325 0,0279 0,0243 0,0213 0,0189 0,0168 0,0151 0,0136 0,0087 0,0060 0,0044 0,0034
140 0,0627 0,0576 0,0474 0,0397 0,0337 0,0290 0,0252 0,0221 0,0196 0,0174 0,0156 0,0141 0,0090 0,0062 0,0046 0,0035
145 0,0650 0,0598 0,0491 0,0411 0,0349 0,0300 0,0261 0,0229 0,0203 0,0181 0,0162 0,0146 0,0093 0,0065 0,0047 0,0036
150 0,0673 0,0619 0,0509 0,0426 0,0361 0,0311 0,0270 0,0237 0,0210 0,0187 0,0168 0,0151 0,0096 0,0067 0,0049 0,0038
155 0,0696 0,0640 0,0526 0,0440 0,0374 0,0321 0,0279 0,0245 0,0217 0,0193 0,0173 0,0156 0,0100 0,0069 0,0051 0,0039
160 0,0720 0,0661 0,0543 0,0455 0,0386 0,0332 0,0289 0,0253 0,0224 0,0200 0,0179 0,0161 0,0103 0,0071 0,0052 0,0040
165 0,0743 0,0683 0,0561 0,0469 0,0398 0,0343 0,0298 0,0261 0,0231 0,0206 0,0185 0,0166 0,0106 0,0074 0,0054 0,0041
170 0,0766 0,0704 0,0578 0,0484 0,0411 0,0353 0,0307 0,0269 0,0238 0,0212 0,0190 0,0171 0,0109 0,0076 0,0056 0,0043
175 0,0790 0,0726 0,0596 0,0498 0,0423 0,0364 0,0316 0,0277 0,0245 0,0218 0,0196 0,0177 0,0113 0,0078 0,0057 0,0044
180 0,0813 0,0747 0,0613 0,0513 0,0435 0,0374 0,0325 0,0285 0,0252 0,0225 0,0201 0,0182 0,0116 0,0080 0,0059 0,0045
185 0,0837 0,0769 0,0631 0,0528 0,0448 0,0385 0,0334 0,0293 0,0259 0,0231 0,0207 0,0187 0,0119 0,0083 0,0061 0,0046
190 0,0861 0,0790 0,0649 0,0542 0,0460 0,0395 0,0344 0,0301 0,0266 0,0237 0,0213 0,0192 0,0122 0,0085 0,0062 0,0048
195 0,0884 0,0812 0,0666 0,0557 0,0473 0,0406 0,0353 0,0309 0,0274 0,0244 0,0218 0,0197 0,0126 0,0087 0,0064 0,0049
200 0,0908 0,0834 0,0684 0,0572 0,0485 0,0417 0,0362 0,0317 0,0281 0,0250 0,0224 0,0202 0,0129 0,0089 0,0066 0,0050

120
Funções de proteção Sobrecarga térmica na máquina
Código ANSI 49 RMS
Curvas de trip

Curvas a quente
I/Ib 1,00 1,05 1,10 1,15 1,20 1,25 1,30 1,35 1,40 1,45 1,50 1,55 1,60 1,65 1,70 1,75 1,80
Es (%)
105 0,6690 0,2719 0,1685 0,1206 0,0931 0,0752 0,0627 0,0535 0,0464 0,0408 0,0363 0,0326 0,0295 0,0268 0,0245 0,0226
110 3,7136 0,6466 0,3712 0,2578 0,1957 0,1566 0,1296 0,1100 0,0951 0,0834 0,0740 0,0662 0,0598 0,0544 0,0497 0,0457
115 1,2528 0,6257 0,4169 0,3102 0,2451 0,2013 0,1699 0,1462 0,1278 0,1131 0,1011 0,0911 0,0827 0,0755 0,0693
120 3,0445 0,9680 0,6061 0,4394 0,3423 0,2786 0,2336 0,2002 0,1744 0,1539 0,1372 0,1234 0,1118 0,1020 0,0935
125 1,4925 0,8398 0,5878 0,4499 0,3623 0,3017 0,2572 0,2231 0,1963 0,1747 0,1568 0,1419 0,1292 0,1183
130 2,6626 1,1451 0,7621 0,5705 0,4537 0,3747 0,3176 0,2744 0,2407 0,2136 0,1914 0,1728 0,1572 0,1438
135 1,5870 0,9734 0,7077 0,5543 0,4535 0,3819 0,3285 0,2871 0,2541 0,2271 0,2048 0,1860 0,1699
140 2,3979 1,2417 0,8668 0,6662 0,5390 0,4507 0,3857 0,3358 0,2963 0,2643 0,2378 0,2156 0,1967
145 1,6094 1,0561 0,7921 0,6325 0,5245 0,4463 0,3869 0,3403 0,3028 0,2719 0,2461 0,2243
150 2,1972 1,2897 0,9362 0,7357 0,6042 0,5108 0,4408 0,3864 0,3429 0,3073 0,2776 0,2526
155 3,8067 1,5950 1,1047 0,8508 0,6909 0,5798 0,4978 0,4347 0,3846 0,3439 0,3102 0,2817
160 2,0369 1,3074 0,9808 0,7857 0,6539 0,5583 0,4855 0,4282 0,3819 0,3438 0,3118
165 2,8478 1,5620 1,1304 0,8905 0,7340 0,6226 0,5390 0,4738 0,4215 0,3786 0,3427
170
175
1,9042
2,4288
1,3063
1,5198
1,0076
1,1403
0,8210
0,9163
0,6914
0,7652
0,5955
0,6554
0,5215
0,5717
0,4626
0,5055
0,4146
0,4520
0,3747
0,4077
3
180 3,5988 1,7918 1,2933 1,0217 0,8449 0,7191 0,6244 0,5504 0,4908 0,4418
185 2,1665 1,4739 1,1394 0,9316 0,7872 0,6802 0,5974 0,5312 0,4772
190 2,7726 1,6946 1,2730 1,0264 0,8602 0,7392 0,6466 0,5733 0,5138
195 4,5643 1,9782 1,4271 1,1312 0,9390 0,8019 0,6985 0,6173 0,5518
200 2,3755 1,6094 1,2483 1,0245 0,8688 0,7531 0,6633 0,5914

I/Ib 1,85 1,90 1,95 2,00 2,20 2,40 2,60 2,80 3,00 3,20 3,40 3,60 3,80 4,00 4,20 4,40 4,60
Es (%)
105 0,0209 0,0193 0,0180 0,0168 0,0131 0,0106 0,0087 0,0073 0,0063 0,0054 0,0047 0,0042 0,0037 0,0033 0,0030 0,0027 0,0025
110 0,0422 0,0391 0,0363 0,0339 0,0264 0,0212 0,0175 0,0147 0,0126 0,0109 0,0095 0,0084 0,0075 0,0067 0,0060 0,0055 0,0050
115 0,0639 0,0592 0,0550 0,0513 0,0398 0,0320 0,0264 0,0222 0,0189 0,0164 0,0143 0,0126 0,0112 0,0101 0,0091 0,0082 0,0075
120 0,0862 0,0797 0,0740 0,0690 0,0535 0,0429 0,0353 0,0297 0,0253 0,0219 0,0191 0,0169 0,0150 0,0134 0,0121 0,0110 0,0100
125 0,1089 0,1007 0,0934 0,0870 0,0673 0,0540 0,0444 0,0372 0,0317 0,0274 0,0240 0,0211 0,0188 0,0168 0,0151 0,0137 0,0125
130 0,1322 0,1221 0,1132 0,1054 0,0813 0,0651 0,0535 0,0449 0,0382 0,0330 0,0288 0,0254 0,0226 0,0202 0,0182 0,0165 0,0150
135 0,1560 0,1440 0,1334 0,1241 0,0956 0,0764 0,0627 0,0525 0,0447 0,0386 0,0337 0,0297 0,0264 0,0236 0,0213 0,0192 0,0175
140 0,1805 0,1664 0,1540 0,1431 0,1100 0,0878 0,0720 0,0603 0,0513 0,0443 0,0386 0,0340 0,0302 0,0270 0,0243 0,0220 0,0200
145 0,2055 0,1892 0,1750 0,1625 0,1246 0,0993 0,0813 0,0681 0,0579 0,0499 0,0435 0,0384 0,0341 0,0305 0,0274 0,0248 0,0226
150 0,2312 0,2127 0,1965 0,1823 0,1395 0,1110 0,0908 0,0759 0,0645 0,0556 0,0485 0,0427 0,0379 0,0339 0,0305 0,0276 0,0251
155 0,2575 0,2366 0,2185 0,2025 0,1546 0,1228 0,1004 0,0838 0,0712 0,0614 0,0535 0,0471 0,0418 0,0374 0,0336 0,0304 0,0277
160 0,2846 0,2612 0,2409 0,2231 0,1699 0,1347 0,1100 0,0918 0,0780 0,0671 0,0585 0,0515 0,0457 0,0408 0,0367 0,0332 0,0302
165 0,3124 0,2864 0,2639 0,2442 0,1855 0,1468 0,1197 0,0999 0,0847 0,0729 0,0635 0,0559 0,0496 0,0443 0,0398 0,0360 0,0328
170 0,3410 0,3122 0,2874 0,2657 0,2012 0,1591 0,1296 0,1080 0,0916 0,0788 0,0686 0,0603 0,0535 0,0478 0,0430 0,0389 0,0353
175 0,3705 0,3388 0,3115 0,2877 0,2173 0,1715 0,1395 0,1161 0,0984 0,0847 0,0737 0,0648 0,0574 0,0513 0,0461 0,0417 0,0379
180 0,4008 0,3660 0,3361 0,3102 0,2336 0,1840 0,1495 0,1244 0,1054 0,0906 0,0788 0,0692 0,0614 0,0548 0,0493 0,0446 0,0405
185 0,4321 0,3940 0,3614 0,3331 0,2502 0,1967 0,1597 0,1327 0,1123 0,0965 0,0839 0,0737 0,0653 0,0583 0,0524 0,0474 0,0431
190 0,4644 0,4229 0,3873 0,3567 0,2671 0,2096 0,1699 0,1411 0,1193 0,1025 0,0891 0,0782 0,0693 0,0619 0,0556 0,0503 0,0457
195 0,4978 0,4525 0,4140 0,3808 0,2842 0,2226 0,1802 0,1495 0,1264 0,1085 0,0943 0,0828 0,0733 0,0654 0,0588 0,0531 0,0483
200 0,5324 0,4831 0,4413 0,4055 0,3017 0,2358 0,1907 0,1581 0,1335 0,1145 0,0995 0,0873 0,0773 0,0690 0,0620 0,0560 0,0509

121
Funções de proteção Sobrecarga térmica na máquina
Código ANSI 49 RMS
Curvas de trip

Curvas a quente
I/Ib 4,80 5,00 5,50 6,00 6,50 7,00 7,50 8,00 8,50 9,00 9,50 10,00 12,50 15,00 17,50 20,00
Es (%)
105 0,0023 0,0021 0,0017 0,0014 0,0012 0,0010 0,0009 0,0008 0,0007 0,0006 0,0006 0,0005 0,0003 0,0002 0,0002 0,0001
110 0,0045 0,0042 0,0034 0,0029 0,0024 0,0021 0,0018 0,0016 0,0014 0,0013 0,0011 0,0010 0,0006 0,0004 0,0003 0,0003
115 0,0068 0,0063 0,0051 0,0043 0,0036 0,0031 0,0027 0,0024 0,0021 0,0019 0,0017 0,0015 0,0010 0,0007 0,0005 0,0004
120 0,0091 0,0084 0,0069 0,0057 0,0049 0,0042 0,0036 0,0032 0,0028 0,0025 0,0022 0,0020 0,0013 0,0009 0,0007 0,0005
125 0,0114 0,0105 0,0086 0,0072 0,0061 0,0052 0,0045 0,0040 0,0035 0,0031 0,0028 0,0025 0,0016 0,0011 0,0008 0,0006
130 0,0137 0,0126 0,0103 0,0086 0,0073 0,0063 0,0054 0,0048 0,0042 0,0038 0,0034 0,0030 0,0019 0,0013 0,0010 0,0008
135 0,0160 0,0147 0,0120 0,0101 0,0085 0,0073 0,0064 0,0056 0,0049 0,0044 0,0039 0,0035 0,0023 0,0016 0,0011 0,0009
140 0,0183 0,0168 0,0138 0,0115 0,0097 0,0084 0,0073 0,0064 0,0056 0,0050 0,0045 0,0040 0,0026 0,0018 0,0013 0,0010
145 0,0206 0,0189 0,0155 0,0129 0,0110 0,0094 0,0082 0,0072 0,0063 0,0056 0,0051 0,0046 0,0029 0,0020 0,0015 0,0011
150 0,0229 0,0211 0,0172 0,0144 0,0122 0,0105 0,0091 0,0080 0,0070 0,0063 0,0056 0,0051 0,0032 0,0022 0,0016 0,0013
155 0,0253 0,0232 0,0190 0,0158 0,0134 0,0115 0,0100 0,0088 0,0077 0,0069 0,0062 0,0056 0,0035 0,0025 0,0018 0,0014
160 0,0276 0,0253 0,0207 0,0173 0,0147 0,0126 0,0109 0,0096 0,0085 0,0075 0,0067 0,0061 0,0039 0,0027 0,0020 0,0015
165 0,0299 0,0275 0,0225 0,0187 0,0159 0,0136 0,0118 0,0104 0,0092 0,0082 0,0073 0,0066 0,0042 0,0029 0,0021 0,0016

3 170
175
0,0323
0,0346
0,0296
0,0317
0,0242
0,0260
0,0202
0,0217
0,0171
0,0183
0,0147
0,0157
0,0128
0,0137
0,0112
0,0120
0,0099
0,0106
0,0088
0,0094
0,0079
0,0084
0,0071
0,0076
0,0045
0,0048
0,0031
0,0034
0,0023
0,0025
0,0018
0,0019
180 0,0370 0,0339 0,0277 0,0231 0,0196 0,0168 0,0146 0,0128 0,0113 0,0101 0,0090 0,0081 0,0052 0,0036 0,0026 0,0020
185 0,0393 0,0361 0,0295 0,0246 0,0208 0,0179 0,0155 0,0136 0,0120 0,0107 0,0096 0,0086 0,0055 0,0038 0,0028 0,0021
190 0,0417 0,0382 0,0313 0,0261 0,0221 0,0189 0,0164 0,0144 0,0127 0,0113 0,0101 0,0091 0,0058 0,0040 0,0030 0,0023
195 0,0441 0,0404 0,0330 0,0275 0,0233 0,0200 0,0173 0,0152 0,0134 0,0119 0,0107 0,0096 0,0061 0,0043 0,0031 0,0024
200 0,0464 0,0426 0,0348 0,0290 0,0245 0,0211 0,0183 0,0160 0,0141 0,0126 0,0113 0,0102 0,0065 0,0045 0,0033 0,0025

122
Funções de proteção Falha do disjuntor
Código ANSI 50BF

Proteção de segurança em caso de Funcionamento


não-abertura do disjuntor. A proteção de segurança envia uma ordem de trip para os disjuntores a montante
ou adjacentes, se um disjuntor falhar na abertura após ter recebido uma ordem de
trip, detectada pela não-extinção da corrente de falha.
A função de “proteção contra as falhas de disjuntor” é ativada por uma ordem de trip
da saída O1 recebida da função de proteção contra sobrecorrente, que dispara o
disjuntor (50/51, 50N/51N, 46, 67N, 67, 64REF, 87M, 87T).
Ela verifica o desaparecimento da corrente no intervalo de tempo especificado pela
temporização T. Ela pode também considerar a posição do disjuntor lida nas
entradas lógicas para determinar a abertura efetiva do disjuntor.
A fiação de um contato na posição fechado do disjuntor livre de qualquer potencial
na entrada do editor de equação ou Logipam “disjuntor fechado”, permite assegurar
o bom funcionamento da proteção nos seguintes casos:
b Durante a ativação de 50BF pela proteção 50N/51N (nível Is0 < 0,2 In), a detecção
do nível de corrente de 50BF pode não ser operacional.
b Durante a utilização da supervisão do circuito de trip (TCS), o contato disjuntor
fechado é by-passado. Assim a entrada lógica I101 não é funcional.
A ativação automática desta função de proteção requer a utilização da função de
controle do disjuntor na lógica de controle. Uma entrada específica pode também
3
ser utilizada para ativar a proteção por equação lógica ou pelo Logipam. Esta opção
é útil para adicionar casos especiais de ativação (trip por uma proteção externa, por
exemplo).
A saída temporizada da proteção deve ser atribuída para uma saída lógica através
da matriz de controle.
A partida e a parada da temporização T são condicionadas pela presença de uma
corrente acima do ajuste de ajuste (I > Is).

Esquema
ativação por 50/51
50N/51N, 46, 67N, 67,
64REF, 87M, 87T

entrada lógica
“disjuntor fechado” saída
temporizada
ativação por
equação lógica ou
pelo Logipam
sinal
pick-up

Ajuste: sem consideração da posição do disjuntor


com consideração da posição do disjuntor

123
Funções de proteção Falha do disjuntor
Código ANSI 50BF

Características
Ajustes
Ajuste Is
Faixa de ajuste 0,2 In a 2 In
Precisão (1) ±5%
Resolução 0,1 A
Relação de drop-out/pick-up 87,5% ±2%
Temporização T
Faixa de ajuste 50 ms a 3 s
Precisão (1) ±2% ou -10 ms a +15 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Consideração da posição do disjuntor
Faixa de ajuste Com / sem
Tempos característicos
Tempo ultrapassado < 35 ms a 2 Is
Entradas
3 Designação
Reset da proteção
Sintaxe
P50BF_1_101
Equações
b
Logipam
b
Start 50BF P50BF_1_107 b b
Inibição da proteção P50BF_1_113 b b
Disjuntor fechado P50BF_1_119 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P50BF_1_1 b b
Saída temporizada P50BF_1_3 b b b
Proteção inibida P50BF_1_16 b b
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

Exemplo de ajuste
Abaixo é apresentado um caso que pode ser utilizado para determinar o ajuste da
temporização da função falha do disjuntor:
b ajuste da proteção sobrecorrente: T = inst
b tempo de operação do disjuntor: 60 ms
b tempo de operação do relé auxiliar para abrir o(s) disjuntor(es) a montante: 10 ms.

Falha
Eliminação da falha
(sem falha do disjuntor)
Tempo de atuação
saída 50/51
Relé de saída Sepam
Tempo de abertura Margem
do disjuntor Tempo
ultrapassado

Relé de saída Sepam


Relé de trip
Tempo de abertura do
disjuntor a montante

Temporização T da proteção
50BF com margem de 20 ms:
T = 10 + 60 + 20 + 35 = 125 ms

Tempo de eliminação da falha: 40 + 125 + 10 + 10 + 60 = 245 ms

A temporização da função falha do disjuntor é a soma dos seguintes tempos:


b tempo de atuação do relé de saída O1 do Sepam = 10 ms
b tempo de abertura do disjuntor = 60 ms
b tempo de ultrapassagem da função falha do disjuntor = 35 ms.
Para evitar um trip intempestivo dos disjuntores a montante, é necessário escolher
uma margem de aproximadamente 20 ms.
A temporização deve ser ajustada em 125 ms.

124
Funções de proteção Energização acidental
Código ANSI 50/27

Proteção contra energização acidental Descrição


de um gerador desligado. A função de proteção verifica a seqüência de partida do gerador para detectar
energização acidental dos geradores que estejam desligados.
Um gerador comporta-se como um motor se for acidentalmente energizado quando
desligado. Uma corrente de partida ocorre e produz uma sobrecarga térmica
Máx. Partida + fase Fechamento significativa, que pode ser prejudicial aos enrolamentos da máquina.
do sincronismo do disjuntor de
Desligado acoplamento O controle da seqüência de partida do gerador é realizado por uma função de
proteção contra sobrecorrente de fase instantânea confirmada por uma proteção de
subtensão. A proteção de subtensão é atribuída:
b a um retardo na subida T1 para insensibilizar a proteção às quedas de tensão
b a um tempo de espera T2 durante o qual é detectado o aparecimento de uma
Máx. corrente de partida do gerador causada por uma energização acidental.
Comando
de excitação Ao levar em consideração a posição do disjuntor, é possível controlar a qualidade
do sincronismo. Se as diferenças de tensão e freqüência forem muito elevadas
durante o acoplamento da máquina, quando o disjuntor fechar, imediatamente
aparecerá uma corrente que irá detectar a função.

pronta
Quando a supervisão TP detectar um problema de medição dos canais de tensão,
a parte relacionada às tensões será inibida.
3
Esquema

Máx.
Trip
Supervisão TP
saída trip

Exemplo: gerador desligado e partida normal. Disjuntor fechado


Disjuntor aberto pronta
Ajuste: utilizar
Máx. posição disjuntor
Energização
Desligado acidental
Características
Ajustes
Ajuste de corrente
Faixa de ajuste 0,5 a 4 In
Máx.
Precisão (1) ±5% ou 0,02 In
Resolução 1A
Relação de drop-out/pick-up 95,5% ou 0,015 In
Ajuste de tensão
Faixa de ajuste 10% a 100% de Un
Precisão (1) ±2% ou 0,005 Unp
Resolução 1%
pronta
Relação de drop-out/pick-up 103%
Ajustes avançados
Utilização da posição do disjuntor
Faixa de ajuste Utilizada / não utilizada
Trip Temporização T1
Faixa de ajuste 0 a 10 s
Precisão (1) ±2% ou de -10 ms a +25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Temporização T2
Faixa de ajuste 0 a 10 s
Exemplo: gerador desligado e partida acidental. Precisão (1) ±2% ou de -10 ms a +25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos (1)
Tempo de operação < 40 ms a 2 Is (típico 30 ms)
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P50/27_1_101 b b
Inibição da proteção P50/27_1_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída trip P50/27_1_3 b b b
Proteção inibida P50/27_1_16 b b
Proteção pronta P50/27_1_35 b b
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

125
Funções de proteção Energização acidental
Código ANSI 50/27

Exemplo de ajuste
Dados do gerador síncrono
b S = 3,15 MVA
b Un1 = 6,3 kV
b Xd = 233%
b X'd = 21%
b X''d = 15%
b o gerador é conectado a uma rede de Pcc = 10 MVA
b a duração máxima de uma queda de tensão é de 2,5 s.
Para ajustar a proteção, é necessário calcular a impedância de referência do
gerador:
b Ib = S/(3.Un1) = 289 A
b Zn = Un1/ (3.Ib) = 12,59 Ω.
A impedância da rede é:
Zpcc = (Un1)2/Pcc = 3,97 Ω.

3 A corrente de partida Istart é da ordem de:


Un1
Istart = ------------------------------------------------------------ = 621 A .
3 Zpcc + ----------- × Zn⎞
⎛ X″d
⎝ 100 ⎠

A corrente é ajustada entre 20% e 50% do corrente de partida.


Is = 0, 5 × Istart ≈ 311 A .
O ajuste de tensão é tipicamente ajustado entre 80% e 85% de Un.
Neste exemplo, o ajuste escolhido é Us = 85%.
A temporização T1 é ajustada em um valor maior que a duração máxima de uma
queda de tensão, por exemplo T1 = 4 s.
T2 é ajustado para detectar o aparecimento de uma corrente durante a partida.
Por exemplo, T2 = 250 ms.

126
Funções de proteção Sobrecorrente de fase
Código ANSI 50/51

Proteção contra sobrecorrentes Descrição


e sobrecargas. A proteção contra sobrecorrentes ou sobrecargas:
b é trifásica e temporizada com tempo definido ou inverso.
b cada um dos 8 elementos dispõe de 2 grupos de ajustes. A comutação de um
grupo de ajuste A ou B pode ser realizada por uma entrada lógica ou um comando
remoto segundo a configuração.
b para uma melhor detecção de falhas distantes, a função de proteção pode ser
confirmada por:
v proteção de subtensão elemento 1 ou
v proteção de sobretensão de seqüência negativa elemento 1
b a curva personalizada, definida ponto a ponto, pode ser utilizada com esta função
de proteção
b um tempo de espera ajustável, tempo inverso ou definido, permite a coordenação
com relés eletromecânicos e a detecção de falhas de religamento.

Curva de trip Tempo de reset


Tempo definido (DT)
Tempo inverso (SIT)
Tempo muito inverso (VIT ou LTI)
Tempo definido
Tempo definido
Tempo definido
3
Tempo extremamente inverso (EIT) Tempo definido
Tempo ultra inverso (UIT) Tempo definido
Curva RI Tempo definido
IEC tempo inverso SIT / A Tempo inverso ou definido
IEC tempo muito inverso VIT ou LTI / B Tempo inverso ou definido
IEC tempo extremamente inverso EIT / C Tempo inverso ou definido
IEEE moderadamente inverso (IEC / D) Tempo inverso ou definido
IEEE muito inverso (IEC / E) Tempo inverso ou definido
IEEE extremamente inverso (IEC / F) Tempo inverso ou definido
IAC inverso Tempo inverso ou definido
IAC muito inverso Tempo inverso ou definido
IAC extremamente inverso Tempo inverso ou definido
Personalizada Tempo definido

Esquema
sinal “pick-up” e
seletividade lógica

saída
temporizada

Confirmação
(opcional)

127
Funções de proteção Sobrecorrente de fase
Código ANSI 50/51

Características
Ajustes
Origem da medição
Faixa de ajuste Canais principais (I) / Canais adicionais (I')
Curva de trip
Faixa de ajuste Ver página anterior
Ajuste Is
Faixa de ajuste Tempo definido 0,05 In y Is y 24 In expressa em ampères
Tempo inverso 0,05 In y Is y 2,4 In expressa em ampères
Precisão (1) ±5% ou ±0,01 In
Resolução 1 A ou 1 dígito
Relação de drop-out/pick-up 93,5% ±5% ou > (1 - 0,015 In/Is) x 100%
Temporização T (tempo de operação a 10 Is)
Faixa de ajuste Tempo definido Inst, 50 ms y T y 300 s
Tempo inverso 100 ms y T y 12,5 s ou TMS (2)
Precisão (1) Tempo definido ±2% ou de -10 ms a +25 ms

3 Resolução
Tempo inverso
10 ms ou 1 dígito
Classe 5 ou de -10 ms a +25 ms

Ajustes avançados
Confirmação
Faixa de ajuste Por subtensão (elemento 1)
Por sobretensão de seqüência negativa (elemento 1)
Nenhuma, sem confirmação
Tempo de reset T1
Faixa de ajuste Tempo definido 0; 0,05 a 300 s
Tempo inverso (3) 0,5 a 20 s
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos
Tempo de operação Pick-up < 35 ms a 2 Is (típico 25 ms)
Inst < 50 ms a 2 Is (instantâneo confirmado) (típico 35 ms)
Tempo ultrapassado < 50 ms a 2 Is
Tempo de reset < 50 ms a 2 Is (pour T1 = 0)
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P50/51_x_101 b b
Inibição da proteção P50/51_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P50/51_x_1 b b
Saída temporizada P50/51_x_3 b b b
Drop out P50/51_x_4 b b
Sobrecorrente de fase 1 P50/51_x_7 b b
Sobrecorrente de fase 2 P50/51_x_8 b b
Sobrecorrente de fase 3 P50/51_x_9 b b
Proteção inibida P50/51_x_16 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).
(2) Faixas de ajuste em modo TMS (Time Multiplier Setting)
b inverso (SIT) e IEC SIT/A: 0,04 a 4,20
b muito inverso (VIT) e IEC VIT/B: 0,07 a 8,33
b muito inverso (LTI) e IEC LTI/B: 0,01 a 0,93
b Extremamente inverso (EIT) e IEC EIT/C: 0,13 a 15,47
b IEEE moderadamente inverso: 0,42 a 51,86
b IEEE muito inverso: 0,73 a 90,57
b IEEE extremamente inverso: 1,24 a 154,32
b IAC inverso: 0,34 a 42,08
b IAC muito inverso: 0,61 a 75,75
b IAC extremamente inverso: 1,08 a 134,4.
(3) Somente para as curvas de trips normalizadas tipo IEC, IEEE e IAC.

128
Funções de proteção Fuga à terra
Código ANSI 50N/51N ou 50G/51G

Proteção contra fugas à terra. Descrição


Proteção contra fuga à terra pela medição da corrente de neutro, seqüência zero ou
fuga à terra (proteção fuga à terra na carcaça):
b é temporizada com tempo definido ou inverso
b cada um dos 8 elementos dispõe de 2 grupos de ajustes. A comutação de um
grupo de ajuste A ou B pode ser realizada por uma entrada lógica ou um comando
remoto segundo a configuração.
b integra uma restrição de 2ª harmônica configurável, que permite uma maior
estabilidade na energização dos transformadores
b curva personalizada, definida ponto a ponto, pode ser utilizada com esta proteção
b um tempo de espera ajustável, tempo inverso ou definido, permite a coordenação
com relés eletromecânicos e a detecção de falhas de religamento
b cada unidade pode ser ajustada independentemente em um dos dois canais de
medição I0 ou I'0 ou na soma das corrente de fases dos canais principais ou
adicionais. A mistura dessas possibilidades nos diferentes elementos permite obter:
v ajustes de dinâmicas diferentes
v aplicações diferentes, por exemplo, proteção de fuga à terra e seqüência negativa
na carcaça. 3
Curva de trip Tempo de reset
Tempo definido (DT) Tempo definido
Tempo inverso (SIT) Tempo definido
Tempo muito inverso (VIT ou LTI) Tempo definido
Tempo extremamente inverso (EIT) Tempo definido
Tempo ultra inverso (UIT) Tempo definido
Curva RI Tempo definido
IEC tempo inverso SIT / A Tempo inverso ou definido
IEC tempo muito inverso VIT ou LTI / B Tempo inverso ou definido
IEC tempo extremamente inverso EIT / C Tempo inverso ou definido
IEEE moderadamente inverso (IEC / D) Tempo inverso ou definido
IEEE muito inverso (IEC / E) Tempo inverso ou definido
IEEE extremamente inverso (IEC / F) Tempo inverso ou definido
IAC inverso Tempo inverso ou definido
IAC muito inverso Tempo inverso ou definido
IAC extremamente inverso Tempo inverso ou definido
Personalizada Tempo definido

Esquema
sinal “pick-up” e
Entrada seletividade lógica
Entrada
saída temporizada

ajuste na saída
15 A (somente
curva EPATR)

129
Funções de proteção Fuga à terra
Código ANSI 50N/51N ou 50G/51G

Curvas EPATR-B
As curvas de trip EPATR-B são definidas a partir das seguintes equações:
85, 386 T
b para Is0 y I0 y 6,4 A - × ---------
t = ----------------
I0 0, 708 0, 8

140, 213 T
b para 6,4 A y I0 y 200 A - × ---------
t = ----------------------
I0 0, 975 0, 8

b para I0 > 200 A t = T

Curva normalizada EPATR-B (escalas logaritmicas)

1 Curva Is0 = 5 A e T = 1 s
2 Curva Is0 = 0,6 A e T = 0,5 s
3 Curva Is0 e T

Curvas EPATR-C
As curvas de trip EPATR-C são definidas a partir das seguintes equações:

b para Is0 y I0 y 200 A 72 T


t = ----------- × -------------
I0 2 / 3 2, 10

b para I0 > 200 A t = T

Curva normalizada EPATR-C (escalas logaritmicas)

1 Curva Is0 = 5 A e T = 3 s
2 Curva Is0 = 0,6 A e T = 0,1 s
3 Curva Is0 e T

130
Funções de proteção Fuga à terra
Código ANSI 50N/51N ou 50G/51G

Características
Ajustes
Origem da medição
Faixa de ajuste I0
I'0
I0Σ (soma dos canais das fases principais)
I'0Σ (soma dos canais das fases adicionais)
Curva de trip
Faixa de ajuste Ver página anterior
Ajuste Is0
Faixa de ajuste 0,01 In0 y Is0 y 15 In0 (mín. 0,1 A) expressa em ampères
com tempo definido Soma dos TCs 0,01 In y Is0 y 15 In (mín. 0,1 A)
Sensor CSH
Ajuste 2 A 0,1 a 30 A
Ajuste 20 A 0,2 a 300 A
TC + CSH30 0,01 In0 y Is0 y 15 In0 (mín. 0,1 A)
Toróide 0,01 In0 y Is0 y 15 In0 (mín. 0,1 A)
com ACE990
Faixa de ajuste
com tempo inverso
0,01 In0 y Is0 y In0 (mín. 0,1 A) expressa em ampères
Soma dos TCs 0,01 In y Is0 y In (mín. 0,1 A)
3
Sensor CSH
Ajuste 2 A 0,1 a 2 A
Ajuste 20 A 0,2 a 20 A
TC + CSH30 0,01 In0 y Is0 y In0 (mín. 0,1 A)
Toróide 0,01 In0 y Is0 y In0 (mín. 0,1 A)
com ACE990
Faixa de ajuste Sensor CSH 0,6 a 5 A
EPATR Ajuste 20 A
Toróide 0,6 a 5 A
com ACE990
e 15 A y In0 y 50 A
Precisão (1) ±5% ou ±0,004 In0
Resolução 1 A ou 1 dígito
Relação de drop-out/pick-up 93,5% ±5% ou > (1 - 0,005 In0/Is0) x 100%
Temporização T (tempo de operação a 10 Is0)
Faixa de ajuste Tempo definido Inst, 50 ms y T y 300 s
Tempo inverso 100 ms y T y 12,5 s ou TMS (2)
EPATR-B 0,5 a 1 s
EPATR-C 0,1 a 3 s
Precisão (1) Tempo definido ±2% ou de -10 ms a +25 ms
Tempo inverso Classe 5 ou de -10 ms a +25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Ajustes avançados
Restrição de 2ª harmônica
Ajuste fixo 17% ±3%
Tempo de reset T1
Faixa de ajuste Tempo definido 0; 0,05 a 300 s
Tempo inverso (3) 0,5 a 20 s
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos
Tempo de operação Pick-up < 40 ms a 2 Is0 (típico 25 ms)
Instantâneo confirmado:
b inst < 55 ms a 2 Is0 para Is u 0,3 In0 (típico 35 ms)
b Inst < 70 ms a 2 Is0 para Is < 0,3 In0 (típico 50 ms)
Tempo ultrapassado < 40 ms a 2 Is0
Tempo de reset < 50 ms a 2 Is0 (para T1 = 0)
x: número de unidade. Entradas
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6). Designação Sintaxe Equações Logipam
(2) Faixas de ajuste em modo TMS (Time Multiplier Setting)
Reset da proteção P50N/51N_x_101 b b
b inverso (SIT) e IEC SIT/A: 0,04 a 4,20
b muito inverso (VIT) e IEC VIT/B: 0,07 a 8,33 Inibição da proteção P50N/51N_x_113 b b
b muito inverso (LTI) e IEC LTI/B: 0,01 a 0,93 Saídas
b Ext inverso (EIT) e IEC EIT/C: 0,13 a 15,47 Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
b IEEE moderadamente inverso: 0,42 a 51,86 Saída instantânea (Pick-up) P50N/51N_x_1 b b
b IEEE muito inverso: 0,73 a 90,57
Saída temporizada P50N/51N_x_3 b b b
b IEEE extremamente inverso: 1,24 a 154,32
b IAC inverso: 0,34 a 42,08 Drop out P50N/51N_x_4 b b
b IAC muito inverso: 0,61 a 75,75 Proteção inibida P50N/51N_x_16 b b
b IAC extremamente inverso: 1,08 a 134,4. Saída ajuste 15 A P50N/51N_x_56 b b
(3) Somente para as curvas de trips normalizadas de tipo IEC,
IEEE e IAC.

131
Funções de proteção Sobrecorrente de fase com
restrição de tensão
Código ANSI 50V/51V

Proteção dos geradores contra Funcionamento


curtos-circuitos próximos. A função de proteção sobrecorrente de fase com restrição de tensão é utilizada para
a proteção dos geradores. O ajuste de funcionamento é corrigido pela tensão para
considerar casos de faltas próximas do gerador, que poderiam provocar uma queda
da tensão e da corrente de curto-circuito:
b é trifásica e temporizada com tempo definido ou inverso
b curva personalizada, definida ponto a ponto, pode ser utilizada com esta proteção
b um tempo de espera ajustável, tempo inverso ou definido, permite a coordenação
com relés eletromecânicos e a detecção de falhas de religamento
b a correção do ajuste é feita em função da menor das tensões fase-fase medidas.
O ajuste corrigido I*s é definido pela seguinte equação:
U
----- × ⎛⎝ 4 -------- – 0, 2⎞⎠
I*s = Is
3 Un

Curva de trip Tempo de reset

3 Tempo definido (DT)


Tempo inverso (SIT)
Tempo muito inverso (VIT ou LTI)
Tempo definido
Tempo definido
Tempo definido
Tempo extremamente inverso (EIT) Tempo definido
Tempo ultra inverso (UIT) Tempo definido
Curva RI Tempo definido
Nível ajustável. IEC tempo inverso SIT / A Tempo inverso ou definido
IEC tempo muito inverso VIT ou LTI / B Tempo inverso ou definido
IEC tempo extremamente inverso EIT / C Tempo inverso ou definido
IEEE moderadamente inverso (IEC / D) Tempo inverso ou definido
IEEE muito inverso (IEC / E) Tempo inverso ou definido
IEEE extremamente inverso (IEC / F) Tempo inverso ou definido
IAC inverso Tempo inverso ou definido
IAC muito inverso Tempo inverso ou definido
IAC extremamente inverso Tempo inverso ou definido
Personalizada Tempo definido

Esquema

saída
temporizada

sinal
“pick-up”

132
Funções de proteção Sobrecorrente de fase com
restrição de tensão
Código ANSI 50V/51V

Características
Ajustes
Origem da medição
Faixa de ajuste Canais principais (I) / Canais adicionais (I')
Curva de trip
Faixa de ajuste Ver página anterior
Ajuste Is
Faixa de ajuste Tempo definido 0,5 In y Is y 24 In expressa em ampères
Tempo inverso 0,5 In y Is y 2,4 In expressa em ampères
Precisão (1) ±5%
Resolução 1 A ou 1 dígito
Relação de drop-out/pick-up 93,5% (com variação de reset mín. 0,015 In)
Temporização T (tempo de operação a 10 Is)
Faixa de ajuste Tempo definido Inst, 50 ms y T y 300 s
Tempo inverso 100 ms y T y 12,5 s ou TMS (2)
Precisão (1) Tempo definido ±2% ou de -10 ms a +25 ms

Resolução
Tempo inverso
10 ms ou 1 dígito
Classe 5 ou de -10 ms a +25 ms
3
Ajustes avançados
Tempo de reset T1
Faixa de ajuste Tempo definido 0; 0,05 a 300 s
Tempo inverso (3) 0,5 a 20 s
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos
Tempo de operação Pick-up < 35 ms a 2 Is (típico 25 ms)
Inst < 50 ms a 2 Is (instantâneo confirmado) (típico 35 ms)
Tempo ultrapassado < 50 ms
Tempo de reset < 50 ms (para T1 = 0)
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P50V/51V_x_101 b b
Inibição da proteção P50V/51V_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P50V/51V_x_1 b b
Saída temporizada P50V/51V_x_3 b b b
Drop out P50V/51V_x_4 b b
Sobrecorrente de fase 1 P50V/51V_x_7 b b
Sobrecorrente de fase 2 P50V/51V_x_8 b b
Sobrecorrente de fase 3 P50V/51V_x_9 b b
Proteção inibida P50V/51V_x_16 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).
(2) Faixas de ajuste em modo TMS (Time Multiplier Setting)
b inverso (SIT) e IEC SIT/A: 0,04 a 4,20
b muito inverso (VIT) e IEC VIT/B: 0,07 a 8,33
b muito inverso (LTI) e IEC LTI/B: 0,01 a 0,93
b Ext inverso (EIT) e IEC EIT/C: 0,13 a 15,47
b IEEE moderadamente inverso: 0,42 a 51,86
b IEEE muito inverso: 0,73 a 90,57
b IEEE extremamente inverso: 1,24 a 154,32
b IAC inverso: 0,34 a 42,08
b IAC muito inverso: 0,61 a 75,75
b IAC extremamente inverso: 1,08 a 134,4.
(3) Somente para as curvas de trips normalizadas de tipo IEC, IEEE e IAC.

133
Funções de proteção Desbalanço do banco de capacitor
Código ANSI 51C

Detecção de falhas internas do banco de Funcionamento


capacitores por medição da corrente de A função desbalanço do banco de capacitor detecta uma corrente de desbalanço
desbalanço que circula entre os 2 pontos que circula entre os dois pontos neutros do banco de capacitores conectado em
dupla estrela.
neutros do banco de capacitores
conectados em dupla estrela. A proteção será ativada se a corrente de desbalanço for superior à corrente de
ajuste Is durante o tempo de trip T.

Esquema
Istep_x saída temporizada

sinal “pick-up”

3 Características
Ajustes
Ajuste Is
Faixa de ajuste 0,02 I’n a 2 I’n com um valor mínimo de 0,05 A
Precisão (1) ±5%
Resolução 0,01 A
Relação de drop-out/pick-up 93,5%
Temporização
Faixa de ajuste 0,1 a 300 s
Precisão (1) ±2% ou ±25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos (1)
Tempo de operação Pick-up < 35 ms
Tempo ultrapassado < 35 ms
Tempo de reset < 50 ms
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P51C_x_101 b b
Inibição da proteção P51C_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea P51C_x_1 b b
Saída trip P51C_x_3 b b b
Proteção inibida P51C_x_16 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

134
Funções de proteção Sobretensão
(fase-fase ou fase-neutro)
Código ANSI 59

Proteção contra sobretensões Condições de conexão


fase-fase ou fase-neutro. Tipo de conexão V1, V2, V3 (1) U21, U32 U21, U32 U21 (1) V1 (1)
+ V0
Operação em SIM SIM NÃO NÃO Somente
tensão fase-neutro no V1
Funcionamento Operação em SIM SIM SIM Somente NÃO
tensão fase-fase no U21
Proteção contra sobretensões ou verificação da
(1) Com ou sem V0.
presença de tensão suficiente para autorizar uma
transferência de fontes: Esquema
b é monofásica e opera em tensão fase-fase ou
fase-neutro saída temporizada U21 (ou V1)
saída temporizada U32 (ou V2)
b inclui uma temporização T com tempo definido
saída temporizada U13 (ou V3)
b com operação em tensão fase-neutro, ela indica a
fase em falha no alarme associado à falha.
O funcionamento em tensão fase-neutro ou fase-fase
depende do esquema de ligação das entradas de
tensão.
saída temporizada 3

sinal “pick-up”

saída instantânea U21 (ou V1)


saída instantânea U32 (ou V2)
saída instantânea U13 (ou V3)

Características
Ajustes
Origem da medição
Faixa de ajuste Canais principais (U) / Canais adicionais (U’)
Modo da tensão
Faixa de ajuste Tensão fase-fase / Tensão fase-neutro
Ajuste Us (ou Vs)
Faixa de ajuste 50% de Unp (ou Vnp) a 150% de Unp (ou Vnp)
Precisão (1) ±2%
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 97% ±1%
Temporização T
Faixa de ajuste 50 ms a 300 s
Precisão (1) ±2% ou ±25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos
Tempo de operação Pick-up < 40 ms de 0,9 Us (Vs) a 1,1 Us (Vs)
(25 ms típico)
Tempo ultrapassado < 40 ms de 0,9 Us (Vs) a 1,1 Us (Vs)
Tempo de reset < 50 ms de 1,1 Us (Vs) a 0,9 Us (Vs)
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P59_x_101 b b
Inibição da proteção P59_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P59_x_1 b b
Saída temporizada P59_x_3 b b b
Sobrecorrente na fase 1 (2) P59_x_7 b b
Sobrecorrente na fase 2 (2) P59_x_8 b b
Sobrecorrente na fase 3 (2) P59_x_9 b b
Proteção inibida P59_x_16 b b
Saída instantânea V1 ou U21 P59_x_23 b b
Saída instantânea V2 ou U32 P59_x_24 b b
Saída instantânea V3 ou U13 P59_x_25 b b
Saída temporizada V1 ou U21 P59_x_26 b b
Saída temporizada V2 ou U32 P59_x_27 b b
Saída temporizada V3 ou U13 P59_x_28 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).
(2) Quando a proteção é utilizada em tensão fase-neutro.

135
Funções de proteção Deslocamento de tensão de neutro
Código ANSI 59N

Proteção contra falhas de isolação. Funcionamento


Proteção contra falhas de isolação pela medição da tensão residual V0 ou a tensão
no ponto neutro Vnt no caso de geradores e motores.
A tensão residual é obtida pela soma fasorial das tensões de fase ou por medição
com ajuda de TPs ligados em triângulo.
A tensão no ponto neutro é medida por um TP inserido no ponto neutro do gerador
ou do motor.
Esta função de proteção inclui uma temporização T com tempo definido (DT)
ou inverso da tensão residual V0 (ver a equação da curva de trip na página 178).
Ela somente opera quando uma tensão residual ou ponto neutro estiver disponível,
por conexão de V1V2V3, V0 ou Vnt.

Esquema

3 saída temporizada

TP externo
(tensão residual ou sinal “pick-up”
tensão ponto neutro)

Características
Ajustes
Origem da medição
Faixa de ajuste Canais principais (V0)
Canais adicionais (V’0)
Tensão no ponto neutro (Vnt)
Curva de trip
Faixa de ajuste Tempo definido
Tempo inverso da tensão V0
Ajuste Vs0
Faixa de ajuste com tempo definido 2% Unp a 80% Unp (se tensão residual V0)
2% Vntp a 80% Vntp (se tensão no ponto neutro Vnt)
Faixa de ajuste com tempo inverso 2% Unp a 10% Unp (se tensão residual V0)
2% Vntp a 10% Vntp (se tensão no ponto neutro Vnt)
Precisão (1) ±2% ou 0,005 Unp
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 97% ±2% ou > (1 - 0,006 Unp/Vs0) x 100%
Temporização T (tempo de trip a 2 Vs0)
Faixa de ajuste com tempo definido 50 ms a 300 s
Faixa de ajuste com tempo inverso 100 ms a 10 s
Precisão (1) ±2% ou ±25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos
Tempo de operação Pick-up < 45 ms a 2 Vs0 (25 ms típico)
Tempo ultrapassado < 40 ms a 2 Vs0
Tempo de reset < 40 ms a 2 Vs0
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P59N_x_101 b b
Inibição da proteção P59N_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P59N_x_1 b b
Saída temporizada P59N_x_3 b b b
Proteção inibida P59N_x_16 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

136
Funções de proteção 100% fuga à terra do estator
Código ANSI 64G

Proteção contra falhas internas Funcionamento


dos geradores. A função de proteção 64G é constituída de 2 funções independentes:
b a proteção “64G1” que corresponde normalmente a uma proteção sobretensão
residual na freqüência fundamental (código ANSI 59N). Ela pode ser realizada por
uma proteção de fuga à terra (código ANSI 51N) quando a corrente de fuga à terra
for suficiente
b a proteção “64G2” que corresponde a uma proteção subtensão de 3ª harmônica
(código ANSI 27TN) cujo princípio de operação depende do tipo de conexão dos
TPs nos “terminais” do gerador.
Quando uma falha monofásica ocorre, a circulação da corrente provoca o aumento
do potencial do ponto neutro, detectado pela proteção 59N. Porém, considerando o
desbalanço natural das 3 fases da rede, o ajuste de sensibilidade da 59N não pode
ser fixado abaixo de 10% a 15% da tensão fase-neutro.
Se a falha monofásica ocorrer em um enrolamento do estator próximo do ponto
neutro, o aumento do potencial do ponto neutro poderá não ser suficiente para
provocar o trip da proteção 59N.
A combinação das funções 59N + 27TN permite proteger 100% do enrolamento do
estator. Em função dos ajustes:
3
b a proteção 59N protege 85 a 95% do enrolamento do estator lado terminais e
b a proteção 27TN protege 10 a 20% do enrolamento do estator lado ponto neutro.
Para criar uma função de proteção de fuga à terra no estator de 100%, é necessário
executar uma proteção 64G1 (59N ou 51N) e uma proteção 64G2 (27TN). Consultar
a descrição de cada uma destas funções para mais detalhes.

137
Funções de proteção Diferencial de fuga à terra restrita
Código ANSI 64REF

Proteção dos enrolamentos trifásicos contra


as falhas fase-terra.
Zona de trip

Funcionamento
A função de proteção de fuga à terra restrita permite
detectar falhas entre fase e terra em um enrolamento
trifásico com um ponto neutro aterrado.
Esta proteção é utilizada para a proteção de geradores
ou transformadores.
A área protegida, dependendo da origem da medição
e dos ajustes dos parâmetros, está entre:
b os TC fase I1, I2, I3 e a medição da corrente do
ponto neutro I0
b os TC fase I'1, I'2, I'3 e a medição da corrente do
ponto neutro I'0. Is0 máx.
3 Zona de
ajuste Is0

Is0 mín.

A função baseia-se na comparação da corrente residual calculada pela soma das


três correntes de fase e da corrente de ponto neutro. Estas duas correntes permitem
definir a corrente residual diferencial e a corrente restrita:
b corrente residual diferencial: Id0 = I0Σ – I0
b corrente restrita: o valor da corrente restrita depende da detecção de uma falha
externa ou não na área protegida:
v sem detecção de uma falha externa
Ir0 = I0Σ
v com detecção de uma falha externa: a proteção é insensível à saturação dos
transformadores de corrente, mas sua operação não é inibida.
I0
Ir0 = 2 × I0Σ + -----
3
A função é ativada se as 3 condições abaixo forem reunidas:
b Id0 > Is0
b Id0 > 1,05 x Is0
b I0 > máx(Is0 / 4, Is0mín)

Esquema
entrada I0
(ou I'0)
entrada I0∑
(ou I'0∑) detecção
de falha
externa Id0

&
Ir0 saída trip

I0>Is0/4

138
Funções de proteção Diferencial de fuga à terra restrita
Código ANSI 64REF

Dimensionamento dos sensores de corrente


As correntes do primário dos transformadores de corrente devem respeitar a
seguinte regra:
0,1 In y In0 y 2 In
com In = corrente primário dos TC fase
e In0 = corrente primário do TC ponto neutro.

b Os transformadores de corrente devem ser:


I3P I1P
v do tipo 5P, com um fator limite de precisão FLP u máx. ⎛ 20 ;1,6 -------- ;2,4 --------⎞
⎝ In In ⎠
e uma potência de precisão VACT u Rw.in 2

I I1P
v ou definidos por uma tensão de pico Vk u (RCT + Rw).máx.⎛ 20 ;1,6 -------- ;2,4 --------⎞.in.
3 P
⎝ In In ⎠
b Os transformadores de corrente de ponto neutro devem ser.
I1P
v do tipo 5P, com um fator limite de precisão FLP u máx. ⎛ 20 ;2--------⎞
⎝ In ⎠
e uma potência de precisão VACT u Rw.in 2

I1P
v ou definidos por uma tensão de pico Vk u (RCT + Rw).máx. ⎛ 20 ;2--------⎞ in.
⎝ In ⎠ 3
in é a corrente nominal do secundário do transformador de corrente (TC)
RCT é a resistência interna do TC.
Rw é a resistência da fiação e da carga do TC.
I3P é o valor máximo de corrente de curto-circuito trifásica.
I1P é o valor máximo de corrente de curto-circuito fase-terra.

Características
Ajustes
Origem da medição
Faixa de ajuste Canais principais (I e I0)
Canais adicionais (I' e I’0)
Is0
Faixa de ajuste 0,05 In a 0,8 In para In u 20 A
0,1 In a 0,8 In para In < 20 A
Precisão (1) 5%
Resolução 1 A ou 1 dígito
Relação de drop-out/pick-up 93% ±2%
Tempos característicos
Tempo de operação < 55 ms a Id0 = 2,1 Ir0
Tempo ultrapassado < 35 ms a Id0 = 2,1 Ir0
Tempo de reset < 45 ms a Id0 = 2,1 Ir0
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P64REF_x_101 b b
Inibição da proteção P64REF_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída proteção P64REF_x_3 b b b
Proteção inibida P64REF_x_16 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

139
Funções de proteção Partidas por hora
Código ANSI 66

Proteção de motores contra aquecimento O número de partidas sucessivas é o número de partidas registradas durante os
P/Nt últimos minutos.
provocado por partidas muito freqüentes.
O estado quente do motor corresponde à ultrapassagem do ajuste fixo (50% do
aquecimento) da função sobrecarga térmica.
Quando reacelerado, o motor submete-se a um esforço similar ao de uma partida
Funcionamento sem que a corrente seja previamente passada a um valor inferior a 10% de Ib, neste
Proteção contra o aquecimento excessivo de um motor caso, o número de partidas não é incrementado.
provocado por: No entanto, é possível incrementar o número de partidas para uma reaceleração
b partidas muito freqüentes: a energização de um utilizando uma entrada lógica ou uma informação de uma equação lógica ou do
motor é proibida quando o número máximo de partidas programa Logipam (entrada “reaceleração do motor”).
permitido é atingido A temporização T “parada/partida” pode ser utilizada para inibir uma nova partida
b partidas ocorridas em tempo muito próximos: após após uma parada enquanto esta não tiver decorrido e deste modo impor um tempo
uma parada, a reenergização de um motor somente é de parada mínimo antes de cada religamento.
autorizada após ter decorrido o tempo de repouso
ajustável. Consideração da informação com disjuntor fechado
Uma partida é detectada se a corrente absorvida tornar- No caso de utilização de motores síncronos, deve-se conectar o dado “disjuntor
se superior a 5% da corrente Ib. fechado” a uma entrada lógica para permitir uma detecção mais precisa de partidas.
O número de partida é limitado: Informações de operação

3 b pelo número de partidas (Nt) autorizadas por


período de tempo (P)
b pelo número de partidas sucessivas autorizadas
As seguintes informações são disponíveis para o usuário:
b o tempo de inibição da partida
b o número de partidas antes da inibição.
a quente (Nq) Ver funções de diagnóstico da máquina.
b pelo número de partidas sucessivas autorizadas
a frio (Nf). Esquema

k1 > Nt

Pmin

entrada lógica k2 > Nf


“disjuntor fechado”
Pmin/NT inibição do
fechamento

entrada
“reaceleração do motor”

k3 > Nq
alarme térmico
(estado quente)
Pmin/NT
“clear”

Características
Ajustes
Período de tempo (P)
Faixa de ajuste 1a6h
Resolução 1h
Número total de partidas (Nt) autorizadas por período de tempo P
Faixa de ajuste 1 a 60
Resolução 1
Número partidas consecutivas a quente autorizadas (Nq)
Faixa de ajuste 1 a Nf
Resolução 1
Número partidas consecutivas a frio autorizadas (Nf)
Faixa de ajuste 1 a Nt
Resolução 1
Temporização parada/partida
Faixa de ajuste 0 a 90 min (0 sem temporização)
Resolução 1 min
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P66_1_101 b b
Reaceleração do motor P66_1_102 b b
Inibição da proteção P66_1_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída proteção P66_1_3 b b b
Proteção inibida P66_1_16 b b
Inibição da parada/partida P66_1_29 b b
Total de partidas atingidas P66_1_30 b b
Partidas consecutivas atingidas P66_1_31 b b

140
Funções de proteção Direcional de sobrecorrente
de fase
Código ANSI 67

Proteção contra curtos-circuitos fase-fase,


com trip seletivo em função da direção da
corrente de falha.

Funcionamento
Esta proteção inclui uma função sobrecorrente de fase
com detecção de direção. É excitada se a função
sobrecorrente de fase na direção escolhida (linha ou
barra) estiver ativada para no mínimo uma das três
fases (ou duas fases em três, segundo a área
configuração). linha
b é trifásica e temporizada com tempo definido ou
inverso área
b cada uma das 2 unidades dispõe de 2 grupos de barra
ajustes. A mudança de um grupo de ajuste A ou B pode
ser realizada por uma entrada lógica ou um comando
remoto segundo a configuração. área
3
b a curva personalizada, definida ponto a ponto, pode linha
ser utilizada como esta proteção área
b um tempo de espera ajustável, com tempo inverso área
área barra
barra
ou definido, permite a coordenação com relés linha
eletromecânicos e a detecção de falhas de Trip por falha na área da linha com θ = 30°.
religamento.
b o alarme ligado ao funcionamento da proteção área
indica a(s) fase(s) em falha. linha área
Direção de trip área barra
A direção da corrente é determinada pela medição de barra
sua fase em relação a uma grandeza de polarização.
Ela é qualificada como direção da barra ou direção da
linha segundo a seguinte convenção:

área área
direção barra direção linha
barra linha
área
linha
Trip por falha na área da linha com θ = 45°.
A área de trip é determinada por configuração: trip em
área do barra ou na área da linha. área área
A área reversa é a área para a qual a proteção não linha área barra
dispara. A detecção da corrente em área reversa é barra
utilizada para sinalização.
Grandeza de polarização
A grandeza de polarização é a tensão fase-fase em
quadratura com a corrente para cosθ = 1 (ângulo de
conexão 90°). O plano dos fasores da corrente de uma
fase é dividido em 2 semiplanos correspondentes à
área área
área de linha e à área de barra. O ângulo característico linha
barra área
θ é o ângulo da perpendicular à reta entre estas 2
linha
áreas e a grandeza de polarização.
Trip por falha na área da linha com θ = 60°.
Memória de tensão
No caso de desaparecimento de todas as tensões em Em certos casos, é prudente escolher um trip lógico do tipo duas fases em três. Este
uma falta trifásica próxima do barramento, o ajuste de caso pode ocorrer se dois transformadores (Dy) em paralelo forem protegidos. Para
tensão pode ser insuficiente para uma detecção da uma falha bifásica no primário de um transformador, existe do lado do secundário
direção da falha (< 1,5% Unp). A proteção utiliza então uma distribuição das correntes na relação 2-1-1. A maior corrente encontra-se na
uma memória de tensão para determinar de maneira área esperada (área de operação para a entrada na falha, de não operação para a
confiável a direção. A direção da falha é memorizada entrada sem falha).
enquanto o ajuste de tensão estiver muito baixo e a Uma das menores correntes encontra-se no limite da área. Segundo os parâmetros
corrente estiver acima do ajuste Is. das linhas, pode até ser dentro da área incorreta.
Fechamento por falha pré-existente Portanto, o risco é de disparar as 2 entradas.
Se o disjuntor for fechado quando houver uma falha
pré-existente trifásica no barramento, a memória de
tensão será vazia. Conseqüentemente, a direção não
poderá ser determinada e a proteção não será
disparada. Neste caso, deve ser utilizada uma função
de proteção de backup 50/51.

141
Funções de proteção Direcional de sobrecorrente
de fase
Código ANSI 67

Esquema

instantânea fase 1

α1 escolha
α1 linha/barra
temporizada fase 1
α1

instantânea fase 1
área reversa

, instantânea fase 1
Processo fase 1 (corrente I1) 0,8 Is

instantânea fase 2

α2
3 α2
α2
escolha
linha/barra
temporizada fase 2

instantânea fase 2
área reversa

, instantânea fase 2
0,8 Is
Processo fase 2 (corrente I2)

instantânea fase 3

α3 escolha
α3 linha/barra temporizada fase 3
α3

instantânea fase 3
área reversa

instantânea fase 3
, 0,8 Is
Processo fase 3 (corrente I3)

temporizada fase 1 temporizada fase 1


temporizada fase 2 temporizada fase 2
temporizada fase 3 temporizada fase 3
saída
temporizada sinal “pick-up”
&
para trip

&

&

instantânea fase 1, instantânea fase 1,


área reversa 0,8 Is
instantânea fase 2, instantânea fase 2,
área reversa 0,8 Is saída
instantânea fase 3 instantânea fase 3, instantânea
saída 0,8 Is 0,8 Is
área reversa instantânea (para
área reversa seletividade
& (indicação
da direção) lógica em
malha
fechada)
&

&

Agrupamento dos dados de saída. Ajuste da lógica de trip:


1 um sobre três

2 dois sobre três.

142
Funções de proteção Direcional de sobrecorrente
de fase
Código ANSI 67

Curva de trip Tempo de reset


Tempo definido (DT) Tempo definido
Tempo inverso (SIT) Tempo definido
Tempo muito inverso (VIT ou LTI) Tempo definido
Tempo extremamente inverso (EIT) Tempo definido
Tempo ultra inverso (UIT) Tempo definido
Curva RI Tempo definido
IEC tempo inverso SIT / A Tempo inverso ou definido
IEC tempo muito inverso VIT ou LTI / B Tempo inverso ou definido
IEC tempo extremamente inverso EIT / C Tempo inverso ou definido
IEEE moderadamente inverso (IEC / D) Tempo inverso ou definido
IEEE muito inverso (IEC / E) Tempo inverso ou definido
IEEE extremamente inverso (IEC / F) Tempo inverso ou definido
IAC inverso Tempo inverso ou definido
IAC muito inverso Tempo inverso ou definido
IAC extremamente inverso Tempo inverso ou definido
Personalizada Tempo definido
3
Características
Ajustes
Ângulo característico θ
Faixa de ajuste 30°, 45°, 60°
Precisão (1) ±2%
Curva de trip
Faixa de ajuste Segundo a lista acima
Ajuste Is
Faixa de ajuste Tempo definido 0,1 In y Is y 24 In expressa em ampères
Tempo inverso 0,1 In y Is y 2,4 In expressa em ampères
Precisão (1) ±5% ou ±0,01 In
Resolução 1 A ou 1 dígito
Relação de drop-out/pick-up 93,5% ±5% ou > (1 - 0,015 In/Is) x 100%
Temporização T (tempo de operação a 10 Is)
Faixa de ajuste Tempo definido Inst, 50 ms y T y 300 s
Tempo inverso 100 ms y T y 12,5 s ou TMS (2)
Precisão (1) Tempo definido (4) ±2% ou de -10 ms a +25 ms
Tempo inverso Classe 5 ou de -10 ms a +25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Ajustes avançados
Direção de trip
Faixa de ajuste Linha / barra
Lógica de trip
Faixa de ajuste Um de três / duas de três
Tempo de reset T1
Faixa de ajuste Tempo definido 0; 0,05 a 300 s
Tempo inverso (3) 0,5 a 20 s
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos
Tempo de operação Pick-up < 75 ms a 2 Is (típico 65 ms)
Inst < 90 ms a 2 Is (instantâneo confirmado)
(típico 75 ms)
Tempo ultrapassado < 45 ms a 2 Is
Tempo de reset < 55 ms a 2 Is (para T1 = 0)
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P67_x_101 b b
Inibição da proteção P67_x_113 b b
x: número de unidade. Saídas
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6). Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
(2) Faixas de ajuste em modo TMS (Time Multiplier Setting)
Inverso (SIT) e IEC SIT/A: 0,04 a 4,20 Saída instantânea (Pick-up) P67_x_1 b b
Muito inverso (VIT) e IEC VIT/B: 0,07 a 8,33 Saída temporizada P67_x_3 b b b
Muito inverso (LTI) e IEC LTI/B: 0,01 a 0,93 Drop out P67_x_4 b b
Extremamente inverso (EIT) e IEC EIT/C: 0,13 a 15,47 Saída instantânea área reversa P67_x_6 b b
IEEE moderadamente inverso: 0,42 a 51,86
IEEE muito inverso: 0,73 a 90,57 Dir. de sobrecorr. na fase 1 P67_x_7 b b
IEEE extremamente inverso: 1,24 a 154,32 Dir. de sobrecorr. na fase 2 P67_x_8 b b
IAC inverso: 0,34 a 42,08 Dir. de sobrecorr. na fase 3 P67_x_9 b b
IAC muito inverso: 0,61 a 75,75 Proteção inibida P67_x_16 b b
IAC extremamente inverso: 1,08 a 134,4.
(3) Somente para as curvas de trips normalizadas tipo IEC, Saída instantânea a 0,8 Is P67_x_21 b b
IEEE e IAC. Saída temporizada 1 de 3 P67_x_36 b b
(4) Para T u 100 ms. Saída temporizada 2 de 3 P67_x_37 b b

143
Funções de proteção Direcional de fuga à terra
Código ANSI 67N/67NC

Proteção contra fuga à terra, com trip Descrição


seletivo em função da direção da Para adaptar-se a todos os tipos de aplicação e a todos os sistemas de aterramento
corrente de falha. do neutro, a proteção funciona segundo três tipos diferentes de características:
b tipo 1: a proteção utiliza a projeção do fasor I0.
Este método de projeção é adaptado para os alimentadores radiais com neutro
resistivo, neutro isolado ou neutro compensado
b tipo 2: a proteção utiliza o módulo do fasor I0 e opera como uma função de
proteção de fuga à terra adicionada de um critério de direção.
Este método de projeção é adaptado para as redes de distribuição em malha
fechada com neutro aterrado diretamente.
b tipo 3: a proteção utiliza o módulo do fasor I0 e está em conformidade com a
especificação italiana ENEL DK5600. Ela opera como uma proteção de fuga à terra
à qual é adicionado um critério de direção angular {Lim.1, Lim.2}.
Este método de proteção é adaptado às redes de distribuição cujo regime de neutro
varia segundo o esquema de operação.

3 Direção de trip
A direção da corrente residual é qualificada de direção da barra ou direção da linha
segundo a seguinte convenção:

direção barra direção linha

A área de trip é determinada por configuração: trip na área da barra ou na área da


linha.
A área reversa é a área para a qual a proteção não dispara.
A detecção da corrente em área reversa é utilizada para sinalização.

144
Funções de proteção Direcional de fuga à terra - tipo 1
Código ANSI 67N/67NC

Proteção contra fuga à terra para redes Funcionamento


com neutro impedante ou com neutro A função determina a projeção da corrente residual I0 na reta característica cuja
compensado. posição é fixada pelo ajuste do ângulo característico θ0 em relação à tensão
residual. Esta projeção é comparada ao ajuste Is0.
Este método de projeção é adaptado para os alimentadores radiais com neutro
resistivo, neutro isolado ou neutro compensado.
Com neutro compensado, ela caracteriza-se por sua capacidade de detectar as
falhas de curtíssima duração e repetitivas (falha recorrentes). No caso das bobinas
de Petersen sem resistência adicional, a detecção da falha em regime permanente
não é possível devido à ausência de corrente ativa de seqüência zero. A proteção
utiliza o transitório no início da falha para garantir o trip.
O ajuste θ0 = 0° é adaptado para as redes com neutro compensado e impedante.
Quando este ajuste for selecionado, a configuração do setor permite reduzir a área
de trip da proteção para garantir sua estabilidade em alimentadores.
A proteção funciona com a corrente residual medida em uma das entradas I0 do relé
(operação com a soma das três correntes de fase é impossível).
A proteção é inibida para as tensões residuais inferiores ao ajuste Vs0.
Área de trip Sua temporização é com tempo definido.
A direção de trip pode ser configurada lado barra ou lado linha.
3
Cada uma das 2 unidades dispõe de 2 grupos de ajustes. A mudança no grupo de
ajustes A ou B pode ser realizada por uma entrada lógica ou um comando remoto
segundo a configuração.
Memória
Característica de trip da proteção ANSI 67N/67NC tipo 1 A detecção das falhas recorrentes é controlada pela temporização T0mem que
(ângulo característico θ0 ≠ 0°). prolonga a informação transitória de ajuste, permitindo assim o funcionamento da
temporização com tempo definido, mesmo em casos de falha que se extinguem
rapidamente (≈2 ms) e se reiniciam periodicamente.
Ângulo característico: Mesmo utilizando uma bobina de Petersen sem resistência adicional, o trip é
garantido devido à detecção da falha durante o aparecimendo da falha transiente.
Esta detecção é prolongada durante todo o tempo da mesma, baseada no critério
Setor
V0 u V0mem e limitada por T0mem. Com este tipo de aplicação, T0mem deve ser
maior que T (temporização com tempo definido).

Nível Is0

Área
de trip

Característica de trip da proteção ANSI 67N/67NC tipo 1


(ângulo característico θ0 = 0°).

Esquema

reset da memória

TP externo

CSH toróide escolha saída temporizada


TC + CSH30 linha/
barramento
toróide + ACE990 memória sinal pick-up e
seletividade lógica
saída instantânea
área reversa
saída instantânea
a 0m8 IS0

145
Funções de proteção Direcional de fuga à terra - tipo 1
Código ANSI 67N/67NC

Características
Ajustes
Origem da medição
Faixa de ajuste I0 / I’0
Ângulo característico θ
Faixa de ajuste -45°, 0°, 15°, 30°, 45°, 60°, 90°
Precisão (1) ±2°
Ajuste Is0
Faixa de ajuste 0,01 In0 y Is0 y 15 In0 (mín. 0,1 A) expressa em ampères
Soma dos TCs 0,01 In y Is0 y 15 In (mín. 0,1 A)
Com sensor CSH Ajuste 2 A 0,1 a 30 A
Ajuste 20 A 0,2 a 300 A
TC + CSH30 0,01 In0 y Is0 y 15 In0 (mín. 0,1 A)
Toróide com ACE990 0,01 In0 y Is0 y 15 In0 (mín. 0,1 A)
Precisão (1) ±5% (a ϕ0 = 180°)
Resolução 1 A ou 1 dígito
Relação de drop-out/pick-up 93,5% ±5%

3 Temporização T (curva de trip com tempo definido)


Faixa de ajuste
Precisão (1)
Inst, 50 ms y T y 300 s
±2% ou de -10 ms a +25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Ajustes avançados
Direção de trip
Faixa de ajuste Linha / barra
Ajuste Vs0
Faixa de ajuste 2% de Unp a 80% de Unp
Precisão (1) ±5% ou ±0,005 Unp
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 93,5% ±5%
ou > (1 - 0,006 Unp/Vs0) x 100%
Setor
Faixa de ajuste 86°, 83°, 76°
Precisão (1) ±2°
Tempo de memória T0mem
Faixa de ajuste 0; 0,05 a 300 s
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tensão de memória V0mem
Faixa de ajuste 0; 2 a 80% Unp
Resolução 1%
Tempos característicos
Tempo de operação Pick-up < 55 ms a 2 Is0
Tempo ultrapassado < 45 ms a 2 Is0
Tempo de reset < 50 ms (a T0mem = 0)
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P67N_x_101 b b
Inibição da proteção P67N_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P67N_x_1 b b
Saída temporizada P67N_x_3 b b b
Drop-out P67N_x_4 b b
Saída instantânea área reversa P67N_x_6 b b
Proteção inibida P67N_x_16 b b
Saída instantânea a 0,8 Is0 P67N_x_21 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

Ajuste padrão
Os ajustes acima são para os casos usuais de aplicação em sistemas de
aterramento diferentes. Os itens em cinza representam os ajustes de fábrica.
Neutro isolado Neutro impedante Neutro compensado
Ajuste Is0 Ajustar segundo o Ajustar segundo o Ajustar segundo o
estudo da seletividade estudo da seletividade estudo da seletividade
Ângulo característico θ0 90° 0° 0°
Temporização T Ajustar segundo o Ajustar segundo o Ajustar segundo o
estudo da seletividade estudo da seletividade estudo da seletividade
Direção Linha Linha Linha
Ajuste Vs0 2% de Uns 2% de Uns 2% de Uns
Setor Não há 86° 86°
Tempo de memória 0 0 200 ms
T0mem
Tensão de memória 0 0 0
V0mem

146
Funções de proteção Direcional de fuga à terra - tipo 2
Código ANSI 67N/67NC

Proteção contra fuga à terra para redes Funcionamento


com neutro impedante ou com neutro Esta função de proteção funciona como uma proteção contra fuga à terra com a
solidamente aterrado. adição de um critério de direção.
É adaptada para a rede de distribuição em malha fechada com neutro diretamente
aterrado. Possui todas as características de uma função de proteção de fuga à terra
(50N/51N), portanto, pode ser facilmente coordenada com esta função.
A corrente residual é a corrente medida em uma das entradas I0 do Sepam ou
calculada utilizando a soma das correntes de fase principais (I), segundo a
configuração.
A direção do trip pode ser configurada no lado barra ou no lado linha.
Sua temporização é com tempo definido ou inverso.
Cada uma das 2 unidades dispõe de 2 grupos de ajustes. A mudança no grupo de
ajustes A ou B pode ser realizada por uma entrada lógica ou comando remoto
segundo a configuração.
A curva personalizada, definida ponto a ponto, pode ser utilizada com esta proteção.
Um tempo de espera ajustável, com tempo inverso ou definido, permite a
coordenação com relés eletromecânicos e a detecção de falhas de religamento.
Curva de trip Tempo de reset 3
Tempo definido (DT) Tempo definido
Tempo inverso (SIT) Tempo definido
Tempo muito inverso (VIT ou LTI) Tempo definido
Tempo extremamente inverso (EIT) Tempo definido
Característica de trip da proteção ANSI67N/67NC. Tempo ultra inverso (UIT) Tempo definido
Curva RI Tempo definido
IEC tempo inverso SIT / A Tempo inverso ou definido
IEC tempo muito inverso VIT ou LTI / B Tempo inverso ou definido
IEC tempo extremamente inverso EIT / C Tempo inverso ou definido
IEEE moderadamente inverso (IEC / D) Tempo inverso ou definido
IEEE muito inverso (IEC / E) Tempo inverso ou definido
IEEE extremamente inverso (IEC / F) Tempo inverso ou definido
IAC inverso Tempo inverso ou definido
IAC muito inverso Tempo inverso ou definido
IAC extremamente inverso Tempo inverso ou definido
Personalizada Tempo definido

Esquema

CSH toróide
saída instantânea
TC + CSH30 0,8 IS0
toróide + ACE990

dire-
ção
escolha normal
saída temporizada
linha/barra

TP externo sinal pick-up e


seletividade lógica
direção inversa
saída instantânea
área reversa

147
Funções de proteção Direcional de fuga à terra - tipo 2
Código ANSI 67N/67NC

Características
Ajustes
Origem da medição
Faixa de ajuste I0
I’0
I0Σ (soma dos canais fase principais)
Ângulo característico θ
Faixa de ajuste -45°, 0°, 15°, 30°, 45°, 60°, 90°
Precisão (1) ±2°
Curva de trip
Faixa de ajuste Ver página anterior
Ajuste Is0
Faixa de ajuste com 0,01 In0 y Is0 y 15 In0 (mín. 0,1 A)
tempo definido expressa em ampères
Soma dos TCs 0,01 In y Is0 y 15 In (mín. 0,1 A)
Com sensor CSH Ajuste 2 A 0,1 a 30 A

3 TC + CSH30
Ajuste 20 A

Toróide com ACE990


0,2 a 300 A
0,01 In0 y Is0 y 15 In0 (mín. 0,1 A)
0,01 In0 y Is0 y 15 In0 (mín. 0,1 A)
Faixa de ajuste com 0,01 In0 y Is0 y In0 (mín. 0,1 A)
tempo inverso expressa em ampères
Soma dos TCs 0,01 In y Is0 y In (mín. 0,1 A)
Com sensor CSH Ajuste 2 A 0,1 a 2 A
Ajuste 20 A 0,2 a 20 A
TC + CSH30 0,01 In0 y Is0 y In0 (mín. 0,1 A)
Toróide com ACE990 0,01 In0 y Is0 y In0 (mín. 0,1 A)
Precisão (1) ±5% ±0,004 In0
Resolução 0,1 A ou 1 dígito
Relação de drop-out/pick-up 93,5% ±5%
ou > (1 - 0,005 In0/Is0) x 100%
Temporização T (tempo de operação a 10 Is0)
Faixa de ajuste Tempo definido Inst, 50 ms y T y 300 s
Tempo inverso 100 ms y T y 12,5 s ou TMS (2)
Precisão (1) Tempo definido ±2% ou de -10 ms a +25 ms
Tempo inverso Classe 5 ou de -10 ms a +25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Ajustes avançados
Direção de trip
Faixa de ajuste Linha / barra
Ajuste Vs0
Faixa de ajuste 2% de Unp a 80% de Unp
Precisão (1) ±5% ou ±0,005 Unp
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 93% ±5%
ou > (1 - 0,006 Unp/Vs0) x 100%
Tempo de reset T1
Faixa de ajuste Tempo definido 0; 0,05 a 300 s
Tempo inverso (3) 0,5 a 20 s
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos
Tempo de operação Pick-up < 40 ms a 2 Is0 (típico 25 ms)
Inst < 55 ms a 2 Is0
(instantâneo confirmado) (típico 35 ms)
Tempo ultrapassado < 35 ms a 2 Is0
Tempo de reset < 50 ms a 2 Is0 (para T1 = 0)
x: número de unidade. Entradas
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6). Designação Sintaxe Equações Logipam
(2) Faixas de ajuste em modo TMS (Time Multiplier Setting)
Reset da proteção P67N_x_101 b b
Inverso (SIT) e IEC SIT/A: 0,04 a 4,20
Muito inverso (VIT) e IEC VIT/B: 0,07 a 8,33 Inibição da proteção P67N_x_113 b b
Muito inverso (LTI) e IEC LTI/B: 0,01 a 0,93 Saídas
Extremamente inverso (EIT) e IEC EIT/C: 0,13 a 15,47 Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
IEEE moderadamente inverso: 0,42 a 51,86 Saída instantânea (Pick-up) P67N_x_1 b b
IEEE muito inverso: 0,73 a 90,57
Saída temporizada P67N_x_3 b b b
IEEE extremamente inverso: 1,24 a 154,32
IAC inverso: 0,34 a 42,08 Drop out P67N_x_4 b b
IAC muito inverso: 0,61 a 75,75 Saída instantânea área reversa P67N_x_6 b b
IAC extremamente inverso: 1,08 a 134,4. Proteção inibida P67N_x_16 b b
(3) Somente para as curvas de trips normalizadas tipo IEC, Saída instantânea a 0,8 Is0 P67N_x_21 b b
IEEE e IAC.

148
Funções de proteção Direcional de fuga à terra - tipo 3
Código ANSI 67N/67NC

Funcionamento tipo 3
Esta proteção funciona como uma proteção de fuga à terra (ANSI 50N/51N) com a
adição de um critério de direção angular {Lim.1, Lim.2}.
É adaptada às redes de distribuição cujo regime de neutro varia segundo o esquema
de operação.
Ajuste Is0 A direção de trip pode ser configurada no lado barra ou no lado linha.
A corrente residual é a corrente medida na entrada I0 do Sepam.
Sua temporização é com tempo definido (constante DT).
Área de trip
A escolha de um ajuste Is0 igual a 0, a proteção comporta-se como uma proteção
de deslocamento de tensão de neutro (ANSI 59N).

Esquema
saída
instantânea
I0 > 0,8 Is0 0,8 Is
toróide CSH 2 A
3
toróide + ACE 990

dir. saída
escolha temporizada
normal
barra/
linha

sinal pick-up e
seletividade lógica

TP externo

Funcionamento com tempo definido


Is0 corresponde ao ajuste de funcionamento expresso em ampères, e T
corresponde ao retardo de funcionamento da proteção.
t

Is0 I0
Princípio da proteção com tempo definido.

149
Funções de proteção Direcional de fuga à terra - tipo 3
Código ANSI 67N/67NC

Características tipo 3
Origem da medição
Faixa de ajuste I0
I’0
I0Σ (soma dos canais fase principais)
Ângulo de partida de área de trip Lim.1
Faixa de ajuste 0° a 359°
Resolução 1°
Precisão ±3°
Ângulo final de área de trip Lim.2
Faixa de ajuste 0° a 359° (1)
Resolução 1°
Precisão ±3˚
Direção de trip
Faixa de ajuste Linha / barra
Ajuste Is0

3 Faixa de ajuste (2) Com toróide CSH


(ajuste 2 A)
0,1 A a 30 A

Com TC 1 A 0,005 In0 y Is0 y 15 In0 (mín. 0,1 A)


Com toróide + ACE990 0,01 In0 y Is0 y 15 In0 (mín. 0,1 A) (3)
(ajuste 1)
Resolução 0,1 A ou 1 dígito
Precisão ±5%
Relação de drop-out/pick-up u 95%
Ajuste Vs0
Faixa de ajuste Soma dos 3 V 2% Unp y Vs0 y 80% Unp
TP externo 0,6% Unp y Vs0 y 80% Unp
Resolução 0,1% para Vs0 < 10%
1% para Vs0 u 10%
Precisão ±5%
Relação de drop-out/pick-up u 95%
Temporização T
Faixa de ajuste instantânea, 50 ms y T y 300 s
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Precisão y 3% ou ±20 ms a 2 Is0
Tempos característicos
Tempo de operação pick-up < 40 ms a 2 Is0
instantâneo < 55 ms a 2 Is0
Tempo ultrapassado < 40 ms
Tempo de reset < 50 ms
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P67N_x_101 b b
Inibição da proteção P67N_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matrice
Saída instantânea (Pick-up) P67N_x_1 b b
Saída temporizada P67N_x_3 b b b
Drop out P67N_x_4 b b
Saída instantânea área reversa P67N_x_6 b b
Proteção inibida P67N_x_16 b b
Saída instantânea a 0,8 Is0 P67N_x_21 b b
(1) A área de trip Lim.2-Lim.1 deve ser maior ou igual a 10°.
(2) Para Is0 = 0, a proteção comporta-se como uma proteção de deslocamento de tensão de
neutro (59N).
(3) In0 = k . n onde n = relação do toróide e k = coeficiente a ser determinado em função da
fiaçnao do ACE990 (0,00578 y k y 0,04).

Ajuste padrão da área de trip (lado linha)


Os ajustes acima são para os casos usuais de aplicação em sistemas de
aterramento diferentes do neutro.
Os itens em cinza representam os ajustes de fábrica.
Neutro Neutro Neutro
isolado impedante diretamente
aterrado
Ângulo Lim.1 190° 100° 100°
Ângulo Lim.2 350° 280° 280°

150
Funções de proteção Perda de sincronismo
Código ANSI 78PS

Proteção dos motores e geradores Funcionamento


síncronos contra as perdas de sincronismo. Proteção contra a perda de sincronismo dos geradores ou motores síncronos,
baseada no valor da potência ativa calculada.
A proteção é composta de dois módulos de proteção independentes, baseada nos
seguintes princípios:
b critério das áreas
b troca de potência.
A ordem de trip pode ser enviada por um ou ambos os princípios, segundo a
configuração.

Critério das áreas


Esta função calcula a área de aceleração no aparecimento de uma falha e a área de
frenagem no desparecimento da falha. A ordem de trip é dada se a área de
frenagem for inferior à área de aceleração.
A função calcula constantemente uma potência média em 4 segundos, denominada
potência antes da falha Paf, que corresponde à potência elétrica fornecida por um
gerador ou consumida por um motor. A proteção é iniciada quando a potência
instantânea for diferente de Paf.
3
Uma temporização permite retardar o trip. Se durante esta temporização, um retorno
para estabilidade for detectado, a função será reinicializada sem conduzir ao trip.

Esquema do critério das áreas

início

cálculo de Paf
não

P < Paf?

sim

cálculo da área
de aceleração
não

P > Paf?

sim

cálculo da área
de frenagem
não

P < Paf?

sim

área de aceleração não


área de frenagem
não
sim

perda de sincronismo:
inicia a temporização

não sim
temporização decorrida retorno da estabilidade?

sim

trip

151
Funções de proteção Perda de sincronismo
Código ANSI 78PS

Troca de potência
A função detecta uma troca de sinal da potência ativa.
A cada volta de defasagem entre a força eletromotriz da máquina e a rede, são
contabilizadas duas trocas de potência.
As trocas de potência são detectadas ao comparar o sinal de potência instantânea
com o sinal da potência 14 ms antes, Pp. Se os sinais forem diferentes, uma troca
será contabilizada.
A ordem de trip será enviada se o número de voltas medido for igual ao número de
voltas ajustado.
Uma temporização permite fixar um tempo máximo entre duas trocas. Isto torna a
função insensível a oscilações de potência de baixa freqüência.

Esquema de troca de potência

3 saída trip

tempo entre
duas voltas

Sensores de corrente
Os transformadores de corrente devem ser:
b tipo 5P20, com uma potência de precisão VATC > RfIn∑
onde VATC: potência de precisão do TC
In: corrente nominal secundária do TC
Rf: resistência da fiação
b ou definidos por uma tensão de pico Vk u (RTC + Rf).20.In
onde RTC: resistência interna do TC.

Características
Ajustes
Escolha do tipo de trip
Faixa de ajuste Critério das áreas
Troca de potência
Critério das áreas e troca de potência
Temporização do critério das áreas
Faixa de ajuste 100 ms y T y 300 s
Precisão (1) ±2% ou de -10 ms a +25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Número de voltas
Faixa de ajuste 1 y número de voltas y 30
Precisão (1) -
Resolução 1 número de voltas
Tempo máximo entre duas voltas
Faixa de ajuste 1 s y T y 300 s
Precisão (1) ±2% ou de -10 ms a +25 ms
Resolução 1 s ou 1 dígito
Tempos característicos
Tempo de operação 38 ms a 2 Ps
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P78PS_1_101 b b
Inibição da proteção P78PS_1_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P78PS_1_1 b b
Saída temporizada P78PS_1_3 b b b
Proteção inibida P78PS_1_16 b b
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

152
Funções de proteção Perda de sincronismo
Código ANSI 78PS

Exemplo de ajuste A potência elétrica fornecida pela máquina à rede é: Pe = 3VI cos ϕ .
Considerando um gerador de 3,15 MVA em uma P
No diagrama fasorial: E sin δ = X d ( I cos ϕ ) = X d ⎛ -------e ⎞ .
instalação industrial, conectado a uma rede de ⎝ 3V ⎠
potência de curto-circuito elevada.
A proteção contra perda de sincronismo é configurada Em função da força eletromotriz, do ângulo interno e da reatância síncrona, a
para disparar por critério das áreas e pela troca de 3VE sin δ
potência ativa é: Pe = ------------------------- .
potência: Xd
b trip por critério das áreas: 300 ms Esta equação pode ser utilizada para determinar a potência elétrica fornecida pelo
b número de voltas permitidas: 2 gerador à rede, em função do ângulo interno e supondo que V, E e Xd sejam
b o tempo máximo entre 2 trocas é de 10 s. constantes.
Omitindo as perdas (o rendimento é próximo de 0,99), a relação entre a potência
Princípio da estabilidade transitória mecânica Pm e a potência elétrica fornecida Pe é:
Há três tipos de estabilidade de uma rede elétrica: dΩ
Pm = Pe + JΩ --------
b a estabilidade em regime permanente: é relativa a dt
pequenas variações na cargas e, conseqüentemente, onde J é o momento de inércia da máquina
na potência. É assegurada pelas funções de Ω é a velocidade angular das massas rotativas
regulagem de potência. Pm é a potência mecânica fornecida pela máquina tracionante
b a estabilidade dinâmica: é relativa a variações
maiores. É assegurada pela regulagem da rede. A velocidade do campo elétrico é relativa à velocidade mecânica pela relação:
3
b a estabilidade transitória: é relativa a variações ω
Ω = ----
elevadas de potências, por exemplo, durante as falhas. p
É assegurada por ações importantes na rede, como onde ω é a velocidade angular do campo elétrico
rejeição de carga, desconexão de fontes ou operação p é o número de pares de pólos da máquina.
independente de certas áreas da rede.
A proteção de perda de sincronismo permite detectar Na seqüência do exemplo, considera-se uma máquina com um par de pólos,
os casos de instabilidade transitória. onde p = 1.
Quando um gerador for conectado a uma rede com A relação entre a potência elétrica e mecânica torna-se:
potência infinita, a tensão em seus terminais será dω
imposta pela rede. No caso de um turbo-gerador em Pm = Pe + Jω -------- .
dt
regime permanente, a impedância interna do gerador
será igual à sua reatância síncrona longitudinal Xd As variações da velocidade são diretamente ligadas aos desbalanços entre a
(as resistências e as saturações eventuais do circuito potência mecânica e a potência elétrica fornecida à rede:
magnético são omitidas). dω Pm – Pe
-------- = ------------------- .
dt Jω
Em regime permanente, isto é, sem aumento da velocidade, a potência elétrica
fornecida à rede é igual à potência mecânica.

V = E – jXdI
onde E é a força eletromotriz da máquina
Xd: a reatância síncrona
V: a tensão da rede
I: a corrente fornecida pelo gerador
Se supor que o gerador fornece uma corrente, a tensão
da rede e a força eletromotriz da máquina não estão
em fase devido à presença da reatância síncrona. Esta
defasagem é normalmente denominada ângulo interno
da máquina ou ângulo de carga. Se a força eletromotriz
estiver avançada em relação à tensão da rede, o
ângulo interno será positivo. Se a força eletromotriz A curva da potência elétrica cruza em dois pontos (A e B na curva) a reta da potência
estiver em retardo em relação à tensão da rede, o mecânica constante:
ângulo interno será negativo. b ponto A (operação estável):
A representação fasorial é: v se δ aumentar ligeiramente seu valor do ponto A (a força eletromotriz está
avançada em relação à tensão da rede), a potência elétrica fornecida à rede
aumentará ligeiramente. Com potência mecânica constante:
dω Pm – Pe
-------- = ------------------- < 0 .
dt Jω
A máquina desacelera desde que a potência elétrica fornecida não seja igual à
potência mecânica, pois a derivada da velocidade é negativa. Eletricamente, a força
eletromotriz reduz seu avanço e, conseqüentemente, seu ângulo δ.
v se δ diminuir ligeiramente do ponto A (a força eletromotriz diminui seu avanço em
relação à tensão da rede), a potência elétrica fornecida à rede diminuirá
ligeiramente. Com potência mecânica constante:
dω Pm – Pe
-------- = ------------------- > 0 .
dt Jω
A máquina acelera desde que a potência elétrica fornecida não seja igual à potência
mecânica, pois a derivada da velocidade é positiva. Eletricamente, a força
eletromotriz aumenta seu avanço e, conseqüentemente, seu ângulo δ.

153
Funções de proteção Perda de sincronismo
Código ANSI 78PS

b ponto B (operação instável) b eliminação da falha com retorno à estabilidade


v se δ aumentar ligeiramente seu valor do ponto B a máquina volta a seu funcionamento antes da falha, se as integrais forem iguais:
(a força eletromotriz terá um avanço em relação à t2 t1
tensão da rede), a potência elétrica fornecida à rede
diminuirá ligeiramente.

t1

(Pm – Pe ( t )) dt = Pm dt .
t0

Com potência mecânica constante: t2

dω Pm – Pe
-------- = ------------------- > 0 .
dt Jω
O integral ∫ (P
t1
m – Pe ( t )) dt é denominado área de frenagem.

A máquina acelera, pois a derivada da velocidade é


positiva. Eletricamente, a força eletromotriz aumenta Área de frenagem
seu avanço e, conseqüentemente, seu ângulo δ.
v se δ diminuir ligeiramente em relação ao ponto B
(a força eletromotriz diminuirá seu avanço em relação
à tensão da rede), a potência elétrica fornecida à rede
aumentará ligeiramente. Área de aceleração
Com potência mecânica constante:

3 dω Pm – Pe
-------- = ------------------- < 0 .
dt Jω
A máquina desacelera, pois a derivada da velocidade
é negativa. Eletricamente, a força eletromotriz diminui
seu avanço e, conseqüentemente, seu ângulo δ até
voltar ao ponto A.
Quando a máquina passa o ponto B, ocorre o b eliminação da falha e perda do sincronismo
descontrole desta. durante a frenagem, a máquina passa o ponto B e volta a acelerar, pois está acima
deste ponto, Pm - Pe(t) > 0.
No momento de uma falha, supondo que esta seja t2
franca, trifásica e nos terminais do gerador, então a
tensão nos terminais da máquina será zero.
A área de frenagem ∫ (P
t1
m – Pe ( t )) dt não é suficiente.

Conseqüentemente, a potência elétrica fornecida à A máquina dá partida e há perda da estabilidade. A máquina começa a alternar entre
rede será zero: as fases: de um lado fornece energia elétrica e do outro, a consome.
3VE sin δ 3 × 0 × E sin δ
Pe = ------------------------- = ------------------------------------ = 0 .
Xd Xd
Área de frenagem
Os sistemas de regulagem não tiveram tempo para
agir e a potência mecânica nos terminais da máquina
permanece constante.
A falha provoca um desbalanço entre a potência
elétrica fornecida à rede e a potência mecânica: Área de aceleração
dω Pm – Pe
-------- = ------------------- > 0 .
dt Jω
Com derivada da velocidade positiva, a máquina
acelera e a força eletromotriz avança em relação à
tensão da rede de potência infinita. Enquanto durar a
falha, a máquina acelera. Descontrole da
A variação de velocidade é: máquina
ω1 t1
1
ω0
∫ ω dω = --J- ∫ P dt
t0
m

onde o regime permanente antes da falha: t0, ω0, δ0


o regime na eliminação da falha: t1, ω1, δ1.
t1

A integral ∫ P dt é proporcional à aceleração da


t0
m

máquina.

Ela é normalmente denominada área de aceleração. A situação apresentada aqui é também verdadeira para outras máquinas, com
exceção dos turbo-geradores. Neste caso, a forma de Pe em função do ângulo
Ao eliminar a falha, a tensão nos terminas da máquina interno é diferente. O mesmo é verdadeiro se a tensão nos terminais da máquina
não é mais zero. Vamos supor que a tensão da rede não cair a zero, ou quando houver uma variação de carga seguida de um rejeição
não tenha variado, a carga antes e após a falha seja a de carga na eliminação da falha.
mesma e a força eletromotriz não tenha variado. A situação de motores síncronos é idêntica à do gerador síncrono, mas no lugar de
O ângulo interno tendo aumentado, a potência elétrica fornecer a energia, ele a consome. A tensão da rede está avançada em relação à
será Pe(t). força eletromotriz. Neste caso, as relações anteriores devem ser invertidas.
Em função do sinal de Pm - Pe(t), a máquina irá
desacelerar ou continuará a acelerar.
ω2 t2
1

ω1
Jt ∫
ω dω = --- ( Pm – P e ( t ) ) dt
1

Geralmente, Pm - Pe(t) < 0. Esta condição não é


suficiente para obter a estabilidade.

154
Funções de proteção Religamento
Código ANSI 79

Religamento com 1 a 4 ciclos para eliminar Descrição


as falhas transientes ou semipermanentes Dispositivo de automação utilizado para limitar a duração da interrupção de serviço
nas linhas aéreas. após um trip provocado por uma falha fugitiva ou semipermanente, que afeta uma
linha aérea. O religamento comanda o fechamento automático do dispositivo de
interrupção após uma temporização necessária para restaurar a isolação.
A operação do religamento é facilmente adaptável a diferentes modos de operação
Definição por configuração.
Temporização de reconhecimento Inicializaçao do religamento
A temporização de reconhecimento é iniciada por uma O religamento estará pronto para operar se o conjunto das seguintes condições for
ordem de fechamento do dispositivo de interrupção reunido:
enviada pelo religamento. b função “controle dos dispositivos” ativada e religamento em serviço
Se nenhuma falha for detectada antes do fim da (não inibida pela entrada lógica “inibição religamento”)
temporização de reconhecimento, a falha inicial será b disjuntor fechado
considerada como eliminada. b a temporização de bloqueio não está ativada
Caso contrário, um novo ciclo de religamento será b sem falha ligada ao equipamento, isto é, falha do circuito de trip, falha controle não
iniciado. executada, baixa pressão SF6.
Esta temporização deve ter duração maior que a
condição de ativação dos ciclos de religamento.
Temporização de bloqueio
Execução dos ciclos de religamento
b caso da falha não eliminada: 3
Após o trip por uma proteção, instantânea ou temporizada, o tempo morto associado
A temporização de bloqueio é iniciada por uma ordem ao primeiro ciclo ativo é ativado.
de fechamento manual do dispositivo de interrupção. No fim desta temporização, uma ordem de fechamento é dada, que ativará a
O religamento é inibido durante esta temporização. temporização de reconhecimento.
Se uma falha for detectada antes do fim da Se a proteção detectar a falha antes do fim desta temporização, uma ordem de trip
temporização de bloqueio, nenhum ciclo do será dada e o ciclo de religamento seguinte será ativado.
religamento será iniciado, com isso o dispositivo de Após a execução de todos os ciclos ativos e se a falha persistir, uma ordem de trip
interrupção ficará permanentemente aberto. definitivo é dada, uma mensagem é mostrada no display.
Tempo morto b caso da falha eliminada:
O tempo morto do ciclo “n” é iniciado pela ordem de trip Após uma ordem de religamento, se a falha não aparecer após a execução da
do dispositivo de interrupção enviada pelo religamento temporização de reconhecimento, o religamento será reinicializado e uma
no ciclo “n”. mensagem será mostrada no display (ver exemplo 1).
O dispositivo de interrupção permanece aberto durante b fechamento na falha.
esta temporização. Se o disjuntor estiver fechado na falha, ou se a falha aparecer antes do fim da
No fim do tempo morto do ciclo “n” inicia o ciclo n+1 e temporização de bloqueio, o religamento será inibido. Uma mensagem de trip
o religamento comanda o fechamento do dispositivo de definitivo será emitida.
interrupção. Condições de inibição do religamento
O religamento é inibido segundo as seguintes condições:
b comando voluntário de abertura ou de fechamento
b religamento desativado
b recepção de uma ordem de bloqueio na entrada lógica
b ocorrência de uma falha ligada ao equipamento, tal como falha do circuito de trip,
falha de comando, baixa pressão SF6
b abertura do disjuntor por uma proteção que não inicia ciclos do religamento
(por exemplo, proteção de freqüência) ou por um trip externo ou por uma proteção
configurada inativa no religamento.
Neste caso, uma mensagem de trip definitivo aparece.
Extensão do tempo morto
Se durante um ciclo do religamento, o novo fechamento do disjuntor for impossível,
pois o rearme do disjuntor não foi finalizado (seguido de uma queda de tensão
auxiliar, o tempo de carregamento da mola é maior), o tempo morto deste ciclo
poderá ser prolongado até o momento que o disjuntor estiver pronto para efetuar um
ciclo “Abertura-Fechamento-Abertura”. O tempo máximo adicionado ao tempo
morto é ajustável (Twait_max). Se ao fim do tempo máximo de espera, o disjuntor
ainda não estiver pronto, o religamento será inibido (ver exemplo 5).

155
Funções de proteção Religamento
Código ANSI 79

Características
Ajustes
Número de ciclos
Faixa de ajuste 1a4
Ativação do ciclo 1
Proteção 50/51 unidades 1 a 4 Instantânea/ temporizada/ inativa
Proteção 50N/51N unidades 1 a 4 Instantânea/ temporizada/ inativa
Proteção 67 unidades 1 a 2 Instantânea/ temporizada/ inativa
Proteção 67N/67NC unidades 1 a 2 Instantânea/ temporizada/ inativa
Saída equações lógicas ou Logipam V_TRIPCB Ativa/inativa
Ativação dos ciclos 2, 3 e 4
Proteção 50/51 unidades 1 a 4 Instantânea/ temporizada/ inativa
Proteção 50N/51N unidades 1 a 4 Instantânea/ temporizada/ inativa
Proteção 67 unidades 1 a 2 Instantânea/ temporizada/ inativa
Proteção 67N/67NC unidades 1 a 2 Instantânea/ temporizada/ inativa
Saída equações lógicas ou Logipam V_TRIPCB Ativa/inativa
Temporizações

3 Temporização de reconhecimento
Tempo morto Ciclo 1
Ciclo 2
0,1 a 300 s
0,1 a 300 s
0,1 a 300 s
Ciclo 3 0,1 a 300 s
Ciclo 4 0,1 a 300 s
Temporização de bloqueio 0 a 60 s
Extensão do tempo morto máx. 0,1 a 60 s
Precisão(2) 2% ou ±25 ms
Resolução 10 ms
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Inibição da proteção P79_1_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Religamento em serviço P79 _1_201 b b b
Religamento pronto P79 _1_202 b b b
Falta sanada P79 _1_203 b b b
Trip definitivo P79 _1_204 b b b
Fechamento por religamento P79 _1_205 b b
Religamento ciclo 1 P79 _1_211 b b b
Religamento ciclo 2 P79 _1_212 b b b
Religamento ciclo 3 P79 _1_213 b b b
Religamento ciclo 4 P79 _1_214 b b b
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

156
Funções de proteção Religamento
Código ANSI 79

Exemplo 1: falha eliminada após o segundo ciclo


Fuga à terra

50N-51N, ex.1
Mensagem “Ciclo 1, fuga à terra”
instantânea

Fuga à terra

50N-51N, ex.1 Mensagem “Ciclo 2, fuga à terra”


T = 500 ms

Tempo da
Tempo morto Tempo morto Tempo de
proteção
ciclo 1 ciclo 2 reconhecimento
Disjuntor
aberto

Religador
3
pronto

TS
religamento
em andamento
Mensagem
“Falta sanada”
TS
religamento
bem sucedido

Exemplo 2: falha não eliminada


Fuga à terra

50N-51N, ex.1
instantânea Mensagem “Ciclo 1, fuga à terra”

Mensagem “Ciclo 2,
Fuga à terra fuga à terra” Fuga à terra

50N-51N, ex.1
T = 500 ms

Tempo da Tempo da Mensagem


Tempo morto proteção Tempo morto proteção “Trip definitivo”
ciclo 1 ciclo 2
Disjuntor
aberto

Religador
pronto

TS
religamento
em andamento

TS
trip
definitivo

157
Funções de proteção Religamento
Código ANSI 79

Exemplo 3: fechamento na falha

50N-51N, ex.1
instantânea

Tempo da
50N-51N, ex.1 proteção
T = 500 ms

Fuga à terra

Mensagem
Disjuntor
“Trip definitivo"
aberto

Religador

3 pronto

TS
trip
definitivo

Exemplo 4: sem extensão do tempo morto


Fuga à terra

TRIP

tempo morto ciclo 1 tempo morto ciclo 2


Disjuntor
aberto

tempo de carga
Disjuntor
carregado

Exemplo 5: extensão do tempo morto


Fuga à terra

Trip
máx. extensão do tempo
tempo morto ciclo 1 tempo morto ciclo 2
Disjuntor
aberto
tempo de carga normal
Disjuntor
carregado

158
Funções de proteção Sobrefreqüência
Código ANSI 81H

Detecção de freqüência anormalmente Funcionamento


elevada. Detecção de freqüência anormalmente elevada em relação à freqüência nominal,
para controlar a qualidade da alimentação ou proteger um gerador contra as
sobrevelocidades.
A freqüência será calculada utilizando a tensão V1 ou U21 quando somente uma
tensão estiver conectada. Porém, a tensão de seqüência positiva será utilizada para
obter uma maior estabilidade. Ela é comparada ao ajuste Fs.
A função de proteção será inibida se a tensão utilizada para o cálculo da freqüência
for inferior ao ajuste Vs.
A proteção inclui uma temporização T com tempo definido.

Esquema
U32 (1)
Vd T 0
U21 saída temporizada

&
F F > Fs sinal “pick-up” 3
(1) Ou U21, ou 3.V1 > Vs se um único TP.

Características
Ajustes
Origem da medição
Faixa de ajuste Canais principais (U) / Canais adicionais (U’)
Ajuste Fs
Faixa de ajuste 50 a 55 Hz ou 60 a 65 Hz
Precisão (1) ±0,01 Hz
Resolução 0,1
Relação de drop-out/pick-up 0,25 Hz
Temporização T
Faixa de ajuste 100 ms a 300 s
Precisão (1) ±2% ou ±25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Ajustes avançados
Ajuste Vs
Faixa de ajuste 20% Un a 50% Un
Precisão (1) 2%
Resolução 1%
Tempos característicos
Tempo de operação Pick-up < 90 ms de Fs -0,5 Hz a Fs +0,5 Hz
Tempo ultrapassado < 50 ms de Fs -0,5 Hz a Fs +0,5 Hz
Tempo de reset < 55 ms de Fs +0,5 Hz a Fs -0,5 Hz
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P81H_x_101 b b
Inibição da proteção P81H_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P81H_x_1 b b
Saída temporizada P81H_x_3 b b b
Proteção inibida P81H_x_16 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6) e df/dt < 3 Hz/s.

159
Funções de proteção Subfreqüência
Código ANSI 81L

Detecção de freqüência anormalmente Funcionamento


baixa para a rejeição de carga utilizando Detecção de freqüência anormalmente baixa em relação à freqüência nominal para
critério de medição de freqüência. controlar a qualidade da alimentação. A proteção pode ser utilizada para um trip
geral ou rejeição de carga.
A freqüência é calculada utilizando a tensão V1 ou U21 quando somente uma
tensão estiver conectada. Porém, a tensão de seqüência positiva será utilizada para
obter uma maior estabilidade. Ela é comparada ao ajuste Fs.
A função de proteção será inibida se a tensão utilizada para o cálculo da freqüência
for inferior ao ajuste Vs.
A estabilidade da proteção é assegurada no caso de perda da alimentação principal
e presença de tensão remanente por uma restrição no evento de uma diminuição
contínua da freqüência.
A proteção inclui uma temporização T com tempo definido.

Esquema

3 saída
temporizada

sinal
“pick-up”

ajuste: sem restrição


com restrição

(1) Ou U21, ou 3.V1 > Vs se um único TP.

Características
Ajustes
Origem da medição
Faixa de ajuste Canais principais (U) / Canais adicionais (U’)
Ajuste Fs
Faixa de ajuste 40 a 50 Hz ou 50 a 60 Hz
Precisão (1) ±0,01 Hz
Resolução 0,1
Relação de drop-out/pick-up 0,25 Hz
Temporização T
Faixa de ajuste 100 ms a 300 s
Precisão (1) ±2% ou ±25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Ajustes avançados
Ajuste Vs
Faixa de ajuste 20% Un a 50% Un
Precisão (1) 2%
Resolução 1%
Restrição na variação de freqüência
Ajuste Com / sem
Ajuste dFs/dt 1 Hz/s a 15 Hz/s
Precisão (1) ±1 Hz/s
Resolução ±1 Hz/s
Tempos característicos
Tempo de operação Pick-up < 90 ms de Fs +0,5 Hz a Fs -0,5 Hz
Tempo ultrapassado < 50 ms de Fs +0,5 Hz a Fs -0,5 Hz
Tempo de reset < 55 ms de Fs -0,5 Hz a Fs +0,5 Hz
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P81L_x_101 b b
Inibição da proteção P81L_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P81L_x_1 b b
Saída temporizada P81L_x_3 b b b
Proteção inibida P81L_x_16 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6) e df/dt < 3 Hz/s.

160
Funções de proteção Taxa de variação de freqüência
Código ANSI 81R

Proteção baseada no cálculo da variação Funcionamento


da freqüência, utilizado para realizar A proteção taxa de variação de freqüência é complementar às funções de proteção
uma desconexão rápida de uma fonte subfreqüência e sobrefreqüência para detectar as configurações de rede que
necessitam de rejeição de carga ou desconexão.
ou controlar uma rejeição de carga.
A função será ativada se o desvio da freqüência df/dt da tensão de seqüência
positiva for superior a um ajuste. Inclui uma temporização com tempo definido.

Esta proteção funciona se:


b a tensão de seqüência positiva for supeior a 50% da tensão fase-neutro nominal
b a freqüência da rede estiver entre 42,2 Hz e 56,2 Hz para uma rede 50 Hz e entre
51,3 Hz e 65 Hz para uma rede 60 Hz.

Esquema
df/dt positivo
df/dt negativo

sinal “pick-up”

fmáx

saída temporizada

fmín

freqüência
inválida
tensão inválida

Características
Ajustes
Ajuste dfs/dt
Faixa de ajuste 0,1 a 10 Hz/s
Precisão (1) ±5% ou ±0,1 Hz
Resolução 0,01 Hz
Relação de drop-out/pick-up 93%
Temporização
Faixa de ajuste 0,15 a 300 s
Precisão (1) ±2% ou -10 a +25 ms
Resolução 10 ms ou 1 dígito
Tempos característicos (1)
Tempo de operação Pick-up < 150 ms (típico 130 ms)
Tempo ultrapassado < 100 ms
Tempo de reset < 100 ms
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P81R_x_101 b b
Inibição da proteção P81R_x_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída instantânea (Pick-up) P81R_x_1 b b
Saída trip P81R_x_3 b b b
Proteção inibida P81R_x_16 b b
Tensão inválida P81R_x_42 b b
Freqüência inválida P81R_x_43 b b
df/dt positivo P81R_x_44 b b
df/dt negativo P81R_x_45 b b
x: número de unidade.
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6) e df/dt < 3 Hz/s.

161
Funções de proteção Taxa de variação de freqüência
Código ANSI 81R

Aplicação desconexão
Esta função é utilizada na entrada de uma instalação que inclui geradores, que
podem operar em paralelo com a rede de distribuição.
O objetivo desta função é detectar falhas da rede de distribuição, isto é, da operacão
de um sistema isolado autônomo do gerador. Se o fluxo com a rede antes do sistema
isolado autônomo do gerador não for zero, a freqüência do gerador irá variar.
A proteção taxa de variação de freqüência detecta o sistema isolado mais rápido do
que uma proteção de freqüência clássica.

Outros distúrbios como curtos-circuitos, variações de cargas ou manobras podem


ocasionar uma variação de freqüência. O ajuste baixo pode ser atingido temporaria-
mente devido estes distúrbios e uma temporização será necessária. Para manter a
vantagem da rapidez da proteção de df / dt comparada com as proteções de
freqüência clássica, um segundo ajuste mais elevado com uma temporização curta
pode ser adicionada.

Na realidade, a variação de freqüência não é constante. Freqüentemente a variação


3 de freqüência é elevada no início do distúrbio e decresce em seguida, o que prolonga
o tempo de trip das proteções de freqüência, mas não influencia o tempo de trip da
proteção de df / dt.
Ajuste baixo
b Seguir as instruções da concessionária, se houver.
b Na ausência de instruções da concessionária:
v se, em condições normais, a variação de freqüência máxima na rede for
conhecida, dfs/dt deverá ser ajustada acima desta.
v se não for disponível nenhuma informação na rede, o ajuste baixo poderá ser
estabelecido a partir dos dados do gerador.
Uma boa aproximação da variação da freqüência após uma falha da ligação com a
rede principal, acompanhada de uma variação de carga ∆P é:
df ∆P × fn onde Sn: potência nominal
------ = ----------------------------
dt 2 × Sn × H fn: freqüência nominal
H: constante de inércia
Valores típicos de constante de inércia em MWs/MVA:
b 0,5 y H y 1,5 para diesel e gerador de baixa potência (y 2 MVA)
b 2 y H y 5 para turbina a gás e gerador de média potência (y 40 MVA)
J × Ω2 onde J: momento de inércia
H = ----------------- Ω: velocidade da máquina
2 × Sn

Exemplos
Potência nominal 2 MVA 20 MVA
Constante de inércia 0,5 MWs/MVA 2 MWs/MVA
Variação de potência 0,1 MVA 1 MVA
df/dt -2,5 Hz/s -0,6 Hz/s

Temporização do ajuste baixo


Para uma boa estabilidade da proteção durante curtos-circuitos ou distúrbios
transitórios, a temporização recomendada é de 300 ms ou mais.
Se um religamento automático estiver em serviço a montante da instalação, a
detecção do sistema isolado e a abertura do disjuntor de acoplamento devem intervir
durante o tempo morto do religamento.
Ajuste alto
O segundo ajuste pode ser escolhido de maneira que a curva de trip de variação de
freqüência permaneça abaixo da curva das proteções de subfreqüência e
sobrefreqüência.
Se as proteções de freqüência forem ajustadas em fn±0,5 Hz e se a temporização do
ajuste baixo da variação de freqüência for T, o ajuste alto poderia ser ajustado em
0,5/T.
Temporização do ajuste alto
Sem recomendação especial.
Recomendação de ajustes no caso de ausência de informação
Potência do gerador 2 a 10 MVA > 10 MVA
Ajustes
Ajuste baixo dfs/dt 0,5 Hz/s 0,2 Hz/s
T 500 ms 500 ms
Ajuste alto dfs/dt 2,5 Hz/s 1 Hz/s
T 150 ms 150 ms

162
Funções de proteção Taxa de variação de freqüência
Código ANSI 81R

Precaução de operação:
Quando o gerador conecta com a rede, oscilações de potência podem ocorrer até o
completo sincronismo do gerador. A proteção de variação de freqüência é sensível
a este fenômeno. Recomenda-se inibir a proteção durante alguns segundos após o
fechamento do disjuntor.

Aplicação rejeição de carga


A proteção de variação de freqüência também pode ser utilizada para a rejeição de
carga em combinação com as proteções de subfreqüência. Neste caso, é utilizada
nos barramentos da instalação. Somente as derivadas negativas de freqüência
devem ser utilizadas.

Dois princípios são disponíveis:


b aceleração da rejeição de carga:
A proteção de variação de freqüência controla a rejeição de carga. Ela age mais
rápido do que uma proteção de subfreqüência e a grandeza medida (df/dt) é
diretamente proporcional à potência a ser aliviada.
b inibição da rejeição de carga:
Este princípio está incluso nas funções de proteção de subfreqüência, ao ativar a 3
restrição de variação de freqüência e não necessita da execução da proteção de
variação de freqüência.

163
Funções de proteção Diferencial da máquina
Código ANSI 87M

Proteção de motores e geradores contra Diferencial baseado na porcentagem


curtos-circuitos entre fases. A característica de trip baseada na porcentagem é obtida ao comparar a corrente de
restrição com a corrente diferencial.
Segundo a convenção de medição das correntes, representada no esquema e
respeitando a fiação recomendada, as correntes diferenciais e de restrição são
Funcionamento calculadas através da:
Proteção contra curtos-circuitos entre fases, b corrente diferencial:
baseada na comparação fase a fase das correntes Idx = Ix + I′ x onde x = 1, 2, 3
nos enrolamentos de um gerador ou de um motor.
A proteção é ativada quando a diferença de corrente b corrente de restrição:
é superior ao ajuste definido por: Ix – I′ x
b uma curva baseada na porcentagem Itx = -----------------------
2
onde x = 1, 2, 3
b uma curva diferencial de ajuste alto.
Restrição de trip assegura a estabilidade devido à: A característica baseada na porcentagem é composta de duas meias curvas
b detecção de falha externa ou partida da máquina definidas pelas seguintes fórmulas:
b detecção de saturação dos TCs b 1ª meia curva dependente do ajuste Is
b detecção rápida de perda do TC Itx
2

3 b detecção de energização do transformador.


2
32
b 2ª meia curva
2
Idx – ----------- > Is onde 0 y Itx y 2In e x = 1, 2, 3

2 2
Idx Itx
------------- – ----------- > ( 0, 005 In ) onde 2In < Itx e x = 1, 2, 3
2
8 32

Área de trip
ajuste alto

Ajuste
alto

Área de trip
ajuste com porcentagem

2ª meia
curva

2ª meia
curva
Detecção de uma falha externa
ou de partida de máquina

Diferencial de ajuste alto


Para evitar qualquer retardo da proteção para falhas assimétricas importantes, um
diferencial de ajuste alto, sem restrição, é utilizado.
A característica deste ajuste é a seguinte:
Idx
Idx > 5, 5 In e --------- > 1 onde x = 1, 2, 3
Itx

164
Funções de proteção Diferencial da máquina
Código ANSI 87M

Restrição de trip
b Restrição por falhas externas ou partida de máquina.
Durante a partida ou por uma falha externa, a corrente de restrição é muito superior
a 1,5 In. Enquanto os TCs não saturam, a corrente diferencial mantém-se baixa.
Este estado transitório é detectado pela seguinte característica:
2 2
Idx Itx
------------- – ----------- < – ( 0, 25In )
2
onde x = 1, 2, 3
2 32
Uma falha externa que pode ser seguida por uma alta corrente diferencial de curta
duração. Neste tipo de fenômeno é utilizado um tempo restrito de 200 ms para
assegurar a estabilidade da proteção.

b Restrição por saturação dos TCs


Uma saturação de TC pode fazer aparecer uma falsa corrente diferencial e disparar
intempestivamente a proteção. Esta restrição analisa a assimetria dos sinais e retém
o trip em caso de uma saturação do TC.

b Restrição na perda do TC
A perda de um TC faz aparecer uma falsa corrente diferencial que pode disparar
3
intempestivamente a proteção. Esta restrição permite, por análise das
amostragens, detectar uma medição que anormalmente cai a zero.

b Restrição na energização do transformador


Esta restrição assegura que a taxa de 2ª harmônica da corrente diferencial seja
superior a 15%:
Idxh2
----------------- > 0,15 onde x = 1, 2, 3.
Idx

Esquema
Diferencial
de fase 1

Saída
Restrição ajuste alto

Diferencial
de fase 2

Saída
trip

Saída ajuste com


porcentagem

Deteccão de
Diferencial
perda de TC
de fase 3

Perda de TC

165
Funções de proteção Diferencial da máquina
Código ANSI 87M

Dimensionamento dos sensores de corrente


Os transformadores de corrente devem ser:
b do tipo 5P20, com uma potência de precisão VACT > Rw.in2
b ou definidos por uma tensão de pico Vk u (RCT + Rw).20.in.
As equações são aplicadas aos transformadores de corrente de fase colocados
em ambos os lados da máquina.
in é a corrente nominal do secundário do transformador de corrente (TC).
RCT é a resistência interna do TC.
Rw é a resistência da fiação e da carga do TC.
A faixa de ajuste do ajuste Is depende dos valores nominais dos sensores de
corrente dos canais principais I1, I2, I3 e adicionais I'1, I'2, I'3.
A faixa de ajuste é a intersecção de [0,05In 0,5In] com [0,05I’n 0,5I’n].
Quando os valores nominais forem idênticos, a faixa de ajuste será ótima. Se não
houver intersecção, a função não poderá ser utilizada.

Características
Ajustes
3 Ajuste Is
Faixa de ajuste máx(0,05 In1; 0,05 In2) y Is y mín(0,5 In1; 0,5 In2)
Precisão (1) 5% Is ou 0,4% In
Resolução 1 A ou 1 dígito
Relação de drop-out/pick-up 93,5%
Ajustes avançados
Ativacão da restrição de perda de TC
Faixa de ajuste Ativada / não ativada
Tempos característicos
Tempo de operação Tempo de operação da função de corrente diferencial
Tempo ultrapassado < 40 ms
Tempo de reset < 35 ms
Entradas
Designação Sintaxe Equações Logipam
Reset da proteção P87M_1_101 b b
Inibição da proteção P87M_1_113 b b
Saídas
Designação Sintaxe Equações Logipam Matriz
Saída da proteção P87M_1_3 b b b
Diferencial de fase 1 P87M_1_7 b b
Diferencial de fase 2 P87M _1_8 b b
Diferencial de fase 3 P87M _1_9 b b
Proteção inibida P87M_1_16 b b
Ajuste alto P87M_1_33 b b
Ajuste com porcentagem P87M_1_34 b b
Perda de TC P87M_1_39 b b
(1) Nas condições de referência (IEC 60255-6).

166
Funções de proteção Diferencial do transformador
Código ANSI 87T

Proteção contra curtos-circuitos entre fases Segundo a convenção de medição das correntes, representada no esquema e
dos transformadores e unidades da respeitando a fiação recomendada, as correntes diferenciais Id e de restrição It de
cada fase são calculadas utilizando as correntes compensadas Irec e I’rec.
transformador-máquina (2 enrolamentos).
b Corrente diferencial: Idx = I xrec + I′′ xrec onde x = 1, 2 ou 3
b Corrente de restrição: Itx = max ( I xrec , I′′ xrec ) onde x = 1, 2 ou 3
Funcionamento
Esta função de proteção protege a área compreendida A proteção será excitada se a corrente diferencial de pelo menos uma fase, for
entre os sensores das correntes principais I1, I2, I3 de superior ao ajuste de funcionamento definido por:
um lado e os sensores das correntes adicionais I'1, I'2, b um nível ajustável alto de corrente diferencial sem restrição
I'3 do outro. b uma característica ajustável de porcentagem com duas inclinações
Ela compensa a amplitude e a fase das correntes de b um ajuste baixo ajustável de corrente diferencial.
cada enrolamento segundo a defasagem angular e a A estabilidade é garantida:
potência do transformador, como também os valores b pela restrição de harmônico auto-adaptável ou clássica
de tensão e de corrente configurados. b pela restrição na energização do transformador
Em seguida, ela compara fase a fase as correntes b pela restrição na perda de TC.
compensadas. O ajuste alto de trip não é restrito.
3

Esquema
Modo teste Defasagem angular = 0
Modo teste
(SFT2841) P87T_1_41

Ajuste alto fase 1 Ajuste alto


ID1 > Idmáx P87T_1_33

Ajuste alto fase 2


ID2 > Idmáx

Ajuste alto fase 3


ID3 > Idmáx

Compensação
de Diferencial de
amplitude porcentagem
e de fase
Restrição clássica Saída
ou auto-adaptável trip
P87T_1_3
Fase 1

Fase 2
Ajuste com
porcentagem
P87T_1_34
Fase 3

Restrição no
fechamento

Restrição no fechamento
P87T_1_118

Detecção de
perda de TC
Perda TC
P87T_1_39

167
Funções de proteção Diferencial do transformador
Código ANSI 87T

Definições Compensação
Os termos enrolamento 1 e enrolamento 2 são Princípio
utilizados da seguinte maneira: As correntes nos enrolamentos 1 e 2 não podem ser comparadas diretamente
b enrolamento 1: corresponde ao circuito onde são devido à relação de transformação e à defasagem introduzidas pelo transformador
conectadas as correntes principais I1, I2, I3 e a de potência.
medição de tensão V1, V2, V3 ou U21, U32 O Sepam não utiliza a compensação de TCs. O Sepam utiliza os dados de potência
b enrolamento 2: corresponde ao circuito onde são nominal e das tensões dos enrolamentos para calcular a relação de transformação
conectadas as correntes adicionais I'1, I'2, I'3. e, deste modo, compensar a amplitude das correntes. A defasagem angular é
utilizada para compensar as correntes de fase.
As grandezas elétricas do transformador devem ser
definidas na aba “Características especiais” do Corrente compensada no enrolamento 1
software SFT2841: A corrente compensada no enrolamento 1 é sempre a mesma qualquer que seja a
b tensão no enrolamento 1: Un1 defasagem angular do transformador. Ela consiste em eliminar as correntes de
b tensão no enrolamento 2: Un2 seqüência zero para tornar a função de proteção insensível às fugas à terra
b defasagem angular externas.
b potência nominal S do transformador. I1 I1 + I 2 + I 3
I1rec = --------- – ---------------------------------
In1
3 Para ajudar no procedimento da instalação, esta aba
mostra: I2
3In1
I1 + I 2 + I 3
I 2rec = --------- – ---------------------------------
b o valor da corrente nominal do transformador para os In1 3In1
enrolamentos 1 e 2: In1, In2 I3 I1 + I 2 + I 3
b o valor da corrente de base Ib do enrolamento 1, que I 3rec = --------- – ---------------------------------
In1 3In1
é configurado na aba “Sensores TC/TP”
b o valor da corrente de base I'b do enrolamento 2, Corrente compensada no enrolamento 2 e defasagem angular
que é calculada utilizando a relação de transformação. A corrente compensada no enrolamento 2 é uma compensação de amplitude e de
fase que leva em consideração a defasagem angular do transformador.
A norma IEC 60076-1 supõe que a defasagem angular é dada para um
transformador conectado a uma fonte cuja ordem de rotação das fases é 123. O
Sepam utiliza este valor de defasagem angular para ambas as redes tipo 123 ou
132.
Não é necessário complementar este valor por 12 para uma rede tipo 132.
Quando as conexões dos sensores de corrente estão corretas, a correspondência da
defasagem angular a ser feita é o resultado da medição feita pelo Sepam da
defasagem entre as correntes no enrolamento 1 e no enrolamento 2, dividida por 30°.
A tabela na página seguinte fornece os diagramas fasoriais e as fórmulas de
compensação baseadas na defasagem angular do transformador para redes cuja
rotação das fases é do tipo 123.

Notações
S : potência nominal do transformador AT/BT
Un1 : tensão nominal lado enrolamento 1
Un2 : tensão nominal lado enrolamento 2
In1 : corrente nominal lado enrolamento 1
Enrolamento 1 In2 : corrente nominal lado enrolamento 2
Un1, In1 In : corrente nominal do primário dos TCs lado enrolamento 1
I'n : corrente nominal do primário dos TCs lado enrolamento 2
in : corrente nominal do secundário dos TCs lado enrolamento 1
i'n : corrente nominal do secundário dos TCs lado enrolamento 2
VACT : potência de precisão do transformador de corrente
Enrolamento 2
Un2, In2 Rw : resistência de carga do transformador de corrente (fiação inclusa)
RCT : resistência do secundário do transformador de corrente
FLP : fator limite de precisão do transformador de corrente
Vk : tensão de pico do transformador de corrente

168
Funções de proteção Diferencial do transformador
Código ANSI 87T

Cálculo das correntes compensadas no enrolamento 2


Defa- Enrolamento 1 Enrolamento 2 Compensação Defa- Enrolamento 1 Enrolamento 2 Compensação
sagem sagem
angular angular

I′′ 1 I′′ 1 + I′′ 2 + I′′ 3 I′′ 1 I′′ 1 + I′′ 2 + I′′ 3


I′′ 1rec = --------- – ----------------------------------- I′′ 1rec = – --------- + -----------------------------------
In2 3In2 In2 3In2

0 I′′ 2 I′′ 1 + I′′ 2 + I′′ 3 6 I′′ 2 I′′ 1 + I′′ 2 + I′′ 3


I′′ 2rec = --------- – ----------------------------------- I′′ 2rec = – --------- + -----------------------------------
In2 3In2 In2 3In2

I′′ 3 I′′ 1 + I′′ 2 + I′′ 3 I′′ 3 I′′ 1 + I′′ 2 + I′′ 3


I′′ 3rec = --------- – ----------------------------------- I′′ 3rec = – --------- + -----------------------------------
In2 3In2 In2 3In2

I′′ 1 – I′′ 2 I′′ 2 – I′′ 1


I′′ 1rec = -------------------- I′′ 1rec = --------------------
3In2 3In2

1 I′′ 2 – I′′ 3 7 I′′ 3 – I′′ 2


I′′ 2rec = -------------------- I′′ 2rec = --------------------
3In2 3In2

I′′ 3 – I′′ 1
I′′ 3rec = --------------------
3In2
I′′ 1 – I′′ 3
I′′ 3rec = --------------------
3In2
3
I′′ 2 I′′ 1 + I′′ 2 + I′′ 3 I′′ 2 I′′ 1 + I′′ 2 + I′′ 3
I′′ 1rec = – --------- + ----------------------------------- I′′ 1rec = --------- – -----------------------------------
In2 3In2 In2 3In2

2 I′′ 3 I′′ 1 + I′′ 2 + I′′ 3 8 I′′ 3 I′′ 1 + I′′ 2 + I′′ 3


I′′ 2rec = – --------- + ----------------------------------- I′′ 2rec = --------- – -----------------------------------
In2 3In2 In2 3In2

I′′ 1 I′′ 1 + I′′ 2 + I′′ 3 I′′ 1 I′′ 1 + I′′ 2 + I′′ 3


I′′ 3rec = – --------- + ----------------------------------- I′′ 3rec = --------- – -----------------------------------
In2 3In2 In2 3In2

I′′ 3 – I′′ 2 I′′ 2 – I′′ 3


I′′ 1rec = -------------------- I′′ 1rec = --------------------
3In2 3In2

3 I′′ 1 – I′′ 3 9 I′′ 3 – I′′ 1


I′′ 2rec = -------------------- I′′ 2rec = --------------------
3In2 3In2

I′′ 2 – I′′ 1 I′′ 1 – I′′ 2


I′′ 3rec = -------------------- I′′ 3rec = --------------------
3In2 3In2

I′′ 3 I′′ 1 + I′′ 2 + I′′ 3 I′′ 3 I′′ 1 + I′′ 2 + I′′ 3


I′′ 1rec = --------- – ----------------------------------- I′′ 1rec = – --------- + -----------------------------------
In2 3In2 In2 3In2

4 I′′ 1 I′′ 1 + I′′ 2 + I′′ 3 10 I′′ 1 I′′ 1 + I′′ 2 + I′′ 3


I′′ 2rec = --------- – ----------------------------------- I′′ 2rec = – --------- + -----------------------------------
In2 3In2 In2 3In2

I′′ 2 I′′ 1 + I′′ 2 + I′′ 3 I′′ 2 I′′ 1 + I′′ 2 + I′′ 3


I′′ 3rec = --------- – ----------------------------------- I′′ 3rec = – --------- + -----------------------------------
In2 3In2 In2 3In2

I′′ 3 – I′′ 1 I′′ 1 – I′′ 3


I′′ 1rec = -------------------- I′′ 1rec = --------------------
3In2 3In2

5 I′′ 1 – I′′ 2 11 I′′ 2 – I′′ 1


I′′ 2rec = -------------------- I′′ 2rec = --------------------
3In2 3In2

I′′ 2 – I′′ 3 I′′ 3 – I′′ 2


I′′ 3rec = -------------------- I′′ 3rec = --------------------
3In2 3In2

Modo teste
Dois modos operacionais são disponíveis para facilitar a realização
de manutenção e a colocação em operação:
b modo normal: a função de proteção controla as saídas de trip e de
sinalização baseado nestes ajustes.
Este é o modo operacional padrão.
b modo teste: a função de proteção controla as saídas de trip e de
sinalização baseado nos ajustes do modo teste.
Este modo somente pode ser acessado pelo software SFT2841, em
modo conectado e após a inserção da senha de acesso de Ajuste de
proteção.
O sistema volta ao modo normal quando o software é desconectado.
A passagem de modo normal para modo teste pode provocar um
trip intempestivo se o transformador estiver energizado.
Os ajustes associados ao modo teste são:
S
b Un1 = ---------------------
In x 3
S
b Un2 = ----------------------
I′n x 3
b defasagem angular = 0.

169
Funções de proteção Diferencial do transformador
Código ANSI 87T

Ajuste alto Curva com porcentagem


Um ajuste de corrente diferencial sem restrição A curva com porcentagem é composta de diversos segmentos definidos:
garante um trip rápido para as correntes de falha b por um ajuste baixo (Ids)
elevadas. Este ajuste deve ser configurado acima da b por 2 retas que cruzam o zero e de inclinações ajustáveis (Id/It e Id/It2)
corrente de inrush. b pelo ponto de mudança de inclinação.
A curva deve ser ajustada de modo que possa proteger de erros de medição dos
sensores de corrente, erros de transformação atribuídas ao comutador de tap e a
tornar insensível a proteção na derivação de potência no caso de um enrolamento
auxiliar.

Área de ajuste do ponto


de mudança de inclinação
Id/It2 máx.
(100%)

3 Área de trip
Id/It2 mín.
Id/It máx.
(50%)

1
(Ids máx.)
Id/It mín.
(15%)
0,3
(Ids mín.)

Ponto de mudança de inclinação

Restrição auto-adaptável
A restrição auto-adaptável é especialmente adaptada aos transformadores onde a
corrente de pico de inrush em A é inferior a 8In1 ou 8In2, dependendo do
enrolamento para o qual o transformador é energizado.
Esta restrição baseada na rede de neutros assegura a estabilidade na falha externa
ao analisar as taxas de harmônicos de 2ª e 5ª ordem, as correntes diferenciais e as
correntes de restrição.
A restrição garante a estabilidade:
b na ocorrência de fechamento do transformador
b na ocorrência de falha assimétrica externa à área e provoca a saturação dos
sensores de corrente
b na ocorrência de operação do transformador alimentado por uma tensão
excessiva (sobrefluxo).
Na presença de harmônicos e em função das correntes de restrição e diferenciais,
a restrição aumenta automaticamente o ajuste baixo e as inclinações com
porcentagem. Este fato a torna mais sensível que o ajuste alto. Portanto, não
é essencial utilizar o ajuste alto quando a restrição estiver ativa.
Por outro lado, ela integra a inclinação de estabilização por corrente de restrição
elevada, que pode saturar os sensores de corrente, não sendo então necessário
ativar a inclinação Id/It2.

Restrição clássica
A restrição clássica é composta de um ajuste de 2ª harmônica por fase e um ajuste
de 5ª harmônica por fase.
O ajuste de 2ª harmônica garante a estabilidade da proteção no fechamento do
transformador, como também a saturação dos sensores de corrente. A restrição
pode ser global, isto é, quando a taxa de uma fase ultrapassar o ajuste, as três fases
serão restritas, ou somente restringir a fase onde a taxa ultrapassou o ajuste. Em
utilização trifásica do transformador, é recomendada a restrição global.
O ajuste de 5ª harmônica garante a estabilidade da proteção quando o
transformador é alimentado por uma tensão excessiva. A restrição pode ser global
nas três fases ou somente restringir a fase onde a taxa ultrapassou o ajuste. Para
operação normal, é recomendada a restrição por fase.

170
Funções de proteção Diferencial do transformador
Código ANSI 87T

Restrição no fechamento
Em certos casos, as taxas de harmônicos da corrente de inrush do transformador
não são suficientes para ativar as restrições de harmônicos. Uma restrição adicional
pode ser ativada:
b quando a corrente de restrição ultrapassar o ajuste Isinr
b ou por uma variável interna P87T_1_118, controlada por equações lógicas ou
pelo Logipam.
Esta restrição é aplicada aos elementos diferenciais com porcentagem durante a
temporização T ajustável. Não é aplicável no ajuste alto.

Máx.
Restrição da
curva com
porcentagem
Restrição no fechamento no fechamento
P87T_1_118

3
Restrição na perda TC
A perda de um TC faz aparecer uma falsa corrente diferencial que pode disparar
intempestivamente a proteção. Esta restrição, através da análise das amostragens
das correntes diferenciais e de restrição, permite detectar uma medição que passa
anormalmente a zero.

Os TCs são dimensionados baseado na Dimensionamento dos sensores de corrente de fase


corrente de inrush do transformador, que Cálculo das corrente de inrush
difere segundo o enrolamento para o qual b Energização pelo enrolamento 1:
o transformador é energizado.
v Corrente de inrush em função da corrente nominal do transformador:
corrente de inrush de pico em A
Îinr =

v Corrente de inrush em função da corrente nominal do TC:


corrente de inrush de pico em A
Îinr / TC =
Enrolamento 1
Un1, In1
b Energização pelo enrolamento 2:
v Corrente de inrush em função da corrente nominal do transformador:

Enrolamento 2
corrente de inrush de pico em A
Îinr =
Un2, In2

v Corrente de inrush em função da corrente nominal do TC:


corrente de inrush de pico em A
Îinr / TC =

171
Funções de proteção Diferencial do transformador
Código ANSI 87T

Correntes primárias nominais dos TCs


A corrente primária nominal dos transformadores de corrente deve respeitar a
seguinte fórmula:
S S
b lado enrolamento 1: 0,1 × -------------------------- ≤ In ≤ 2, 5 × --------------------------
Un1 × 3 Un1 × 3

S
b lado enrolamento 2: 0,1 × ------------------------- S
- ≤ I ′ n ≤ 2, 5 × --------------------------
Un2 × 3 Un2 × 3

Outras características dos TCs lado do transformador energizado


b Caso 1: îinr ⁄ TC < 6, 7
Somente os tranformadores de corrente podem ser selecionados:
2
v seja do tipo 5P20 com uma potência de precisão VA CT ≥ Rw ⋅ in
v seja definidos por uma tensão de pico Vk ≥ ( R CT + Rw ) . ( 20.in )
îinr ⁄ TC ≥ 6, 7
3 b Caso 2:
Somente os tranformadores de corrente podem ser selecionados:
2
CT ≥ Rw ⋅ in
v seja do tipo 5P com uma potência de precisão VA
e um fator limite de precisão FLP ≥ 3 ⋅ îinr ⁄ TC
v seja definidos por uma tensão de pico Vk ≥ ( R
CT + Rw ) ⋅ 3 ⋅ îinr ⁄ TC ⋅ in

Outras características dos TCs lado do transformador desenergizado


Os transformadores de corrente podem ser selecionados:
2
CT ≥ Rw . in
b seja do tipo 5P20 com uma potência de precisão VA
b seja definidos por uma tensão de pico Vk ≥ ( R CT + Rw ) . 20 . in

Ajuste do nível mínimo Ids


b : variação máxima do ajuste no tap-changer [em % de Un]
α : erro composto na corrente limite de precisão dos sensores de corrente lado AT
[em % de In]
β : erro composto na corrente limite de precisão dos sensores de corrente lado BT
[em % de I'n]

Com relação à norma IEC 60044-1, o erro composto na corrente limite de precisão
é de 5% para os TCs tipo 5P. Para os TCs especificados segundo a classe Px,
considera-se que o erro máximo é igual a 5%.

O nível mínimo para Ids é obtido ao acrescentar os seguintes erros:


( 100 + β ) ( 100 – α )
b da medição: 100 × ----------------------
- – -----------------------
100 ( 100 + b )
b do relé: 2%

Exemplo: Transformador equipado com um ajuste no tap-changer de -10% / +15%.


Utilizando TCs tipo 5P, o erro na corrente será de:
100 × ( 105 ⁄ 100 – 95 ⁄ 115 ) + 2 = 24,4%

Logo, o nível mínimo Ids será ajustado em 30%.

172
Funções de proteção Diferencial do transformador
Código ANSI 87T

Ajuste da primeira inclinação Id/It


b : variação máxima do tap-changer [em % de Un]
α : erro composto na corrente limite de precisão dos sensores de corrente lado AT
[em % de In]
β : erro composto na corrente limite de precisão dos sensores de corrente lado BT
[em % de I'n]

Com relação à norma IEC 60044-1, o erro composto na corrente limite de precisão
é de 5% para os TCs tipo 5P. Para os TCs especificados segundo a classe Px,
considera-se que o erro máximo é igual a 5 %.

A inclinação mínima para Id/It é obtida ao acrescentar os seguintes erros:


( 100 – α ) . 100
b medição: 100 × 1 – -------------------------------------------------
( 100 + b ) . ( 100 + β )
b relé: 2%

b margem de segurança: 5%
3
Exemplo: Transformador equipado com um ajuste de tap-changer de -10% / +15%.
Utilizando TCs tipo 5P, o erro na inclinação será de:

100 × ( 1 – 100 × 95 ⁄ 115 ⁄ 105 ) + 2 + 5 = 28,3%

Logo, a primeira inclinação Id/It será regulada em 28%.

Ajuste do nível de restrição do 2º harmônico


Para garantir uma boa estabilidade da proteção diferencial no fechamento de um
transformador, é recomendado regular o nível de restrição do 2º harmônico em
20%, com a restrição global.

Ajuste do nível de restrição do 5º harmônico


Para garantir uma boa estabilidade da proteção em caso de elevação anormal da
tensão ou de redução da freqüência da rede, é recomendado regular o nível de
restrição do 5º harmônico em 35%, com a restrição por fase.

Ajuste do nível máximo Idmáx


O nível Idmáx aplica-se na corrente diferencial, sem restrição. Ele assegura um trip
rápido da proteção 87T,
O nível Idmáx é regulado da seguinte maneira: Idmax ≥ îinr

Ajuste da segunda inclinação Id/It2 e do ponto de mudança de


inclinação
A segunda inclinação da característica com porcentagem assegura a estabilidade
da proteção em caso de falha externa que ocasione uma saturação dos sensores
de corrente.

b O ponto de mudança de inclinação é regulado em função do valor da primeira


inclinação Id/It e da corrente de inrush do transformador.
3 4 ⁄ 3 ( Id ⁄ It )
Ponto de mudança de inclinaçãe ≤ 2 + -- ( îinr ) . -----------------
4 100

b O valor da segunda inclinação é:

Id/It2 ≥ 100 – 3,75 ⋅ îinr em %, com um mínimo de 75%.

Ajuste da restrição no fechamento


De fábrica, ela é inativa. Ela somente deve ser utilizada em casos excepcionais,
onde o 2º harmônico é baixo no fechamento.
A decisão de ativar esta restrição retarda o trip da função de proteção 87T pelo
valor da temporização escolhido, quando houver um fechamento por falha interna
pré-existente.

173
Funções de proteção Diferencial do transformador
Código ANSI 87T

Características
Ajustes
Ajuste baixo Ids
Faixa de ajuste 30% a 100% de In1
Precisão (1) ±2%
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 93,5% ±5%
Característica com porcentagem Id/It
Faixa de ajuste 15% a 50%
Precisão (1) ±2%
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 93,5% ±5%
Característica com porcentagem Id/It2
Faixa de ajuste Sem, 50% a 100%
Precisão (1) ±2%
Resolução 1%
Relação de drop-out/pick-up 93,5% ±5%

3 Ponto de mudança de inclinação


Faixa de ajuste
Precisão (1)
Sem, In1 a 18 In1
±5%
Resolução 0,1 In1
Relação de drop-out/pick-up 93,5% ±5%
Modo teste
Faixa de ajuste Ativa / Inativa
Ajustes avançados
Escolha da restrição Clássica / Auto-adaptável
Restrição na perda TC
Faixa de ajuste Ativa / Inativa
Restrição no fechamento