Você está na página 1de 177

Sem fronteiras para o conhecimento

Upgrade para Black Belts em Lean


Seis Sigma
Módulo 5
DMAIC: Fase de Melhoria e Controle

 Lição 1: Relembrando a fase de Melhoria;

 Lição 2: Experimento Fatorial Fracionado;

 Lição 3: Experimento Fatorial em Blocos;

 Lição 4: Experimento Fatorial com ponto central;

 Lição 5: Experimento Fatorial com mais de dois níveis;

 Lição 6: Operação Evolutiva (EVOP).

 Lição 7: Relembrando a fase de Controle;


Fase de Melhoria

Possíveis Soluções

 Levantar as possíveis soluções para eliminação das causas fundamentais;


 Priorizar as soluções potenciais;
 Avaliar e minimizar os riscos das soluções priorizadas.

Plano de Ação
 Elaborar um plano de ação com as soluções encontradas;
 Disponibilizar recursos para a execução do plano de ação.
Conclusão da Etapa de Melhoria

Alguns itens devem ser verificados para a conclusão da etapa de melhoria:

1. Foram identificadas e priorizadas as soluções potenciais para a


eliminação das causas raiz?

2. Foram identificados, priorizados e controlados os riscos das soluções


propostas?

3. Foram levantados os custos envolvidos na implementação das


soluções propostas?
Conclusão da Etapa de Melhoria

4. Foram levantados os recursos envolvidos na implantação das


soluções?

5. As partes interessadas à implantação do projeto foram comunicadas?

6. Foram executados experimentos para testar as soluções identificadas?

7. A partir destes experimentos, foram executadas melhorias nas ações


propostas?

8. As ações propostas foram implementadas e foram eficazes para a


resolução do problema?
Módulo 5
DMAIC: Fase de Melhoria e Controle

 Lição 1: Relembrando a fase de Melhoria;

 Lição 2: Experimento Fatorial Fracionado;

 Lição 3: Experimento Fatorial em Blocos;

 Lição 4: Experimento Fatorial com ponto central;

 Lição 5: Experimento Fatorial com mais de dois níveis;

 Lição 6: Operação Evolutiva (EVOP).

 Lição 7: Relembrando a fase de Controle;


Relembrando os conceitos do Planejamento de Experimentos

 O DOE – Design of Experiments ou Planejamento de Experimentos, é utilizado


para determinar quais variáveis independentes (variáveis x) têm maior influência
sobre uma determinada variável de resposta (variável Y).

 Além disso, também é útil para combinar variáveis independentes com o objetivo
de se atingir um determinado valor para a variável resposta, e para ajustar as
variáveis independentes para minimizar os efeitos de variáveis não controladas
em uma variável de resposta.

Variáveis
Controladas (x) Variável
PROCESSO Resposta (y)
Ruídos (x)
Planejamento de Experimentos
No método DMAIC, utilizaremos o Planejamento de Experimentos para conduzir
testes de forma estruturada (estatisticamente planejados), em que fatores (x) serão
propositalmente modificados de modo a avaliar sua influência em uma certa
variável resposta (y).

 VARIÁVEL RESPOSTA: é o resultado de interesse no experimento, que será


observado para avaliar a existência ou não da influência dos fatores.
 FATORES: são as variáveis de processo (x), classificadas como controláveis, que
serão utilizadas no experimento.
 NÍVEIS: valor que cada fator irá assumir durante o experimento.
 RUÍDOS: são as variáveis de processo (x), classificadas como não controláveis,
que não podem ser testadas no experimento mas afetam o resultado.
Planejamento de Experimentos

 RÉPLICA: combinação dos níveis dos fatores, chamado de tratamento, em


unidades experimentais diferentes.
 Significa realizar mais de uma vez a construção da mesma condição
experimental.
 Utilizada para avaliação de aspectos de construção ou configuração dos
níveis, bem como aspectos da realização do experimento.

 REPETIÇÃO: é a execução de um certo tratamento mais de uma vez, sobre a


mesma unidade experimental.
 Utilizada para avaliação essencialmente de aspectos da realização do
experimento.
Experimento Fatorial Fracionado

São experimentos baseados em frações de Experimentos Fatoriais


Completos.

Aplicado na seleção de variáveis, o Experimento Fatorial Fracionado


identifica variáveis ou fatores que influenciam no processo, permitindo que
o experimento seja realizado de forma detalhada apenas com esses fatores.

Na prática são muito utilizados pois permite um equilíbrio entre o volume


de informações necessárias e o custo envolvido na realização do
experimento.
Experimento Fatorial Fracionado

Os Experimentos Fatoriais Fracionados são normalmente utilizado nos


estágios iniciais de um experimento, devido a sua característica
exploratória.

Os principais objetivos dos experimentos fatoriais fracionados são


priorização de fatores e direcionamento.

Por isso é preciso estar atento ao utilizar de tipo de experimento:


 Pode haver perda de informações sobre algumas interações;
 Normalmente há necessidade de experimentos adicionais.
Experimento Fatorial Fracionado

Para a construir um experimento fatorial fracionado devem ser levadas em


consideração as seguintes informações:

 Ordem da Interação: quanto maior a ordem, menor a chance de que


ela seja significativa;

 Efeito Principal ou Interação:

Efeito = (Média sinal +) – (Média sinal - )


Experimento Fatorial Fracionado

De acordo com as considerações anteriores podemos determinar algumas


regras:

 Devemos executar apenas os ensaios que estão associados a um mesmo


sinal (+ ou -) na coluna da interação de ordem mais alta.

 Normalmente é utilizado a fração principal do experimento 2k.


Experimento Fatorial Fracionado

Exemplo: Experimento 23 (ordem aleatória)

Ensaio A B C AB AC BC ABC
1 + - - - - + +
2 - + - - + - +
3 - - + + - - +
4 + + + + + + +
5 - - - + + + -
6 + + - + - - -
7 + - + - + - -
8 - + + - - + -
Experimento Fatorial Fracionado
De acordo com as regras abordadas anteriormente, para a construção de
um experimento fatorial fracionado a partir de um experimento 23, temos:

Mesmo padrão de sinais Mesmo padrão de sinais Mesmo padrão de sinais

Ensaio A B C AB AC BC ABC
1 + - - - - + +
2 - + - - + - +
3 - - + + - - +
4 + + + + + + +

Podemos dizer então que os efeitos estão confundidos, ou seja, não é


possível conhecer o valor de cada efeito individualmente.
Experimento Fatorial Fracionado

Notação do experimento fatorial fracionado:

2Rk-p
onde:

R = resolução;

k = número de fatores;

p = fração.
Experimento Fatorial Fracionado
Tipos de resolução:

 Resolução III

Nenhum efeito principal está relacionado com qualquer outro efeito principal, mas podem
ser confundidos com interações de segunda ordem.

 Resolução IV

Nenhum efeito principal está relacionado com outro efeito principal mas estão confundidos
com interações de terceira ordem e as interações de segunda ordem estão confundidas
entre si.

 Resolução V

Nenhum efeito principal está relacionado com outro efeito principal ou com interações de
segundo grau, mas estão confundidos com interações de quarta ordem e as interações de
segunda ordem estão confundidas com interações de terceira ou maior ordem.
Experimento Fatorial Fracionado

Exemplo: Experimento 23

Número de fatores: 3 Posso realizar


8 ensaios apenas 4
Número de níveis: 2 ensaios

1
4 ensaios = de 8 ensaios = (2-1)(23) = 23-1 -> 2III3-1
2
Atividade Voitto Aditivos
A Voitto Aditivos vem desenvolvendo diversos projetos de melhoria seguindo
a metodologia Lean Seis Sigma em todas suas unidades espalhadas pelo Brasil.
Um Black Belt dessa empresa está empenhado em um projeto de melhoria no
rendimento da produção de um de seus principais produtos.

Alguns fatores são considerados críticos na produção desse produto:


 Tempo de produção;
 Temperatura inicial da matéria-prima;
 Temperatura de processamento;
 Pressão de produção.

A fim de analisar mais a fundo o processo, o Black Belt responsável, realizou


um estudo para avaliar o efeito dos fatores considerados críticos sobre o
rendimento do produto.
Atividade Voitto Aditivos
Fatores:
 Tempo de Produção (h):  Temperatura inicial da matéria-prima (ºC)
(-) 4,5 (+) 5,0 (-) 10 (+) 15

 Pressão de Produção (MPa)  Temperatura de Processamento (ºC):


(-) 0,42 (+) 0,55 (-) 200 (+) 220

Variável resposta:
 Rendimento do produto (%)

Abrir o Minitab com uma planilha em branco.


Atividade Voitto Aditivos
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos)> Fatorial > Criação de
um Experimento Fatorial...
Atividade Voitto Aditivos
Selecione 4 como Número de fatores: > Selecione Experimentos...
Atividade Voitto Aditivos

Selecione Fração 1/2 e clique em OK.


Atividade Voitto Aditivos

Selecione Fatores... > Preencha a planilha com as informações de cada fator


conforme a figura abaixo > clique em OK.
Atividade Voitto Aditivos

Selecione Opções... > Desative a opção Aleatorizar ensaios > clique em OK duas
vezes.
Atividade Voitto Aditivos

Insira o título Rendimento na coluna C9 > Digite os valores conforme a figura


abaixo.
Atividade Voitto Aditivos
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos) > Fatorial > Análise de
Experimento Fatorial...
Atividade Voitto Aditivos

Selecione Rendimento como Respostas: > Clique em OK.


Atividade Voitto Aditivos

O fator C e a interação AB são significativos. Todas as


barras que cortam a linha de Lenth representam
fatores ou interações significativas.
Atividade Voitto Aditivos
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos) > Fatorial > Gráficos
Fatoriais...
Atividade Voitto Aditivos
Deixe o fator significativo à direita, conforme figura abaixo > Clique em Gráficos... >
Selecione Gráfico de Efeitos Principais > Clique em OK duas vezes.
Atividade Voitto Aditivos

O melhor nível do fator será aquele


que atinge um valor médio mais alto
de Rendimento.
Atividade Voitto Aditivos
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos) > Fatorial > Gráficos
Fatoriais...
Atividade Voitto Aditivos
Deixe apenas os fatores da interação AB à direita, conforme figura abaixo > Clique
em Gráficos... > Desmarcar Gráfico de Efeitos Principais e marcar Gráfico de
interação > Clique em OK duas vezes.
Atividade Voitto Aditivos

O melhor nível para a interação


será aquele que atinge um valor
médio mais alto de Rendimento.
Atividade Voitto Aditivos

 Quais são os fatores e as interações significativas? Explique.


 Qual é o nível ideal de cada fator e da interação significativa para otimizar o
resultado do Rendimento?

- No Pareto observamos que o fator significativo é o C e a interação


significativa é a interação AB.
- O nível alto (15ºC) é o ideal para o fator temperatura da matéria-
prima, e o nível ideal para a interação é a combinação do nível
baixo de tempo (4,5h) e nível alto da temperatura de
processamento (220ºC).
Módulo 5
DMAIC: Fase de Melhoria e Controle

 Lição 1: Relembrando a fase de Melhoria;

 Lição 2: Experimento Fatorial Fracionado;

 Lição 3: Experimento Fatorial em Blocos;

 Lição 4: Experimento Fatorial com ponto central;

 Lição 5: Experimento Fatorial com mais de dois níveis;

 Lição 6: Operação Evolutiva (EVOP).

 Lição 7: Relembrando a fase de Controle;


Experimento Fatorial em Blocos

 Ao realizar experimentos é importante obedecer uma regra clássica:


manter constante qualquer fator que não será manipulado no
experimento.

 Sabe-se que nem sempre isto é possível, normalmente existem fatores


externos que exercem influência sobre os resultados. Quando
verificamos este caso, é necessário utilizar “blocos”.
Experimento Fatorial em Blocos

O que seria um “bloco”?


Um bloco é uma variável categórica que explica a variação no resultado
que não é causada pelos fatores. Eles são utilizados em experimentos para
minimizar variações e tendências causadas por fatores não controlados, ou
seja, ruídos do processo.

Normalmente um bloco está associado a variáveis como: dia, turno,


fornecedor, lote, matéria prima, máquina, método, etc.
Experimento Fatorial em Blocos

O bloco é uma parte do experimento em que os fatores externos podem


ser considerados constantes por apresentarem características
homogêneas.
Experimento Fatorial em Blocos

Por que utilizar blocos?

 Melhor visualização dos efeitos que os fatores do processo (x’s)


exercem sobre a variável resposta, retirando a variação na
resposta experimental gerada pelos blocos (ruídos);

 Avaliação da média total do experimento e dos efeitos dos


fatores. Se os efeitos dos fatores não forem repetíveis é
necessário mudar a direção da análise e analisar, por exemplo, a
interação bloco fator.
Atividade MontaCar

A MontaCar é uma empresa especializada no tratamento de superfícies de


peças para a indústria automotiva que vem enfrentando sérios problemas
com o índice de retrabalho no processo de zincagem, tratamento
executado objetivo de proteger a superfície das peças contra a corrosão.

Para resolver tal situação a empresa iniciou um projeto Lean Seis Sigma
para avaliar o processo. Após o levantamento e análise da causas, foi
observado um problema no processo de limpeza das peças, etapa anterior
a zincagem, o que resultava em peças manchadas.
Atividade MontaCar

O Black Belt responsável pelo projeto verificou os fatores críticos do processo de


limpeza e fez um DOE para avaliar a relação desses fatores com o índice de
retrabalho.

 Concentração do reagente químico (-) 10% e (+) 13%


 Temperatura da solução (-) 70ºC e (+) 80ºC
 Tempo de contato (-) 10s e (+) 15s

Foi realizando um experimento fatorial completo, repetido em dois turnos


diferentes. Neste caso, os turnos constituem os blocos no experimento.
(-) = Turno 1 e (+) = Turno 2

Abrir o Minitab com uma planilha em branco.


Atividade MontaCar – Utilizando o bloco como fator
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos)> Fatorial > Criação de
um Experimento Fatorial...
Atividade MontaCar
Selecione 4 como Número de fatores: > Selecione Experimentos...
Atividade MontaCar

Selecione Fatorial completo e clique em OK.


Atividade MontaCar

Selecione Fatores... > Preencha a planilha com as informações de cada fator


conforme a figura abaixo > clique em OK.
Atividade MontaCar

Selecione Opções... > Desative a opção Aleatorizar ensaios > clique em OK duas
vezes.
Atividade MontaCar

Insira o título Retrabalho na coluna C9 > Digite os valores conforme a figura abaixo.
Atividade MontaCar
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos) > Fatorial > Análise de
Experimento Fatorial...
Atividade MontaCar

Selecione Retrabalho como Respostas: > Clique em OK.


Atividade MontaCar

Os fatores A e D e as interações BC e ACD são


significativos.
Atividade MontaCar
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos) > Fatorial > Gráficos
Fatoriais...
Atividade MontaCar
Deixe os fatores significativos à direita, conforme figura abaixo > Clique em
Gráficos... > Selecione Gráfico de Efeitos Principais > Clique em OK duas vezes.
Atividade MontaCar

O melhor nível do fator


será aquele que atinge
um valor médio mais
baixo de Retrabalho.
Atividade MontaCar
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos) > Fatorial > Gráficos
Fatoriais...
Atividade MontaCar
Deixe apenas os fatores da interação BC à direita, conforme figura abaixo > Clique
em Gráficos... > Desmarcar Gráfico de Efeitos Principais e marcar Gráfico de
interação > Clique em OK duas vezes.
Atividade MontaCar

O melhor nível para a interação


será aquele que atinge um valor
médio mais baixo de Retrabalho.
Atividade MontaCar
Selecione Dados > Desempilhar Colunas... > Selecione na opção Desempilhar dados
em: as colunas Concentração, Tempo e Retrabalho > Selecione na opção Usando
identificações em: a coluna Turno > Selecione a opção de armazenamento Em uma
nova worksheet > Clique em OK.
Atividade MontaCar
Atividade MontaCar
Selecione Stat > ANOVA > Gráfico de Interação...
Atividade MontaCar
Selecione Retrabalho_-1 como Respostas: > Selecione Tempo_-1 e Concentração_-1
como Fatores: > Clique em Ok.
Atividade MontaCar

Gráfico – Turno 1

O melhor nível para a interação


será aquele que atinge um valor
médio mais baixo de Retrabalho.
Atividade MontaCar

Selecione Stat > ANOVA > Gráfico de Interação...


Atividade MontaCar

Selecione Retrabalho_1 como Respostas: > Selecione Tempo_1 e Concentração_1


como Fatores: > Clique em Ok.
Atividade MontaCar
Gráfico – Turno 2

O melhor nível para a interação


será aquele que atinge um valor
médio mais baixo de Retrabalho.
Atividade MontaCar – Utilizando 3 fatores e 1 bloco
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos)> Fatorial > Criação de
um Experimento Fatorial...
Atividade MontaCar
Selecione 3 como Número de fatores: > Selecione Experimentos...
Atividade MontaCar

Selecione Fatorial completo > Selecione 2 para Número de réplicas por pontos
de extremidade > Selecione 2 para Número de Blocos > Clique em OK.
Atividade MontaCar

Selecione Fatores... > Preencha a planilha com as informações de cada fator


conforme a figura abaixo > clique em OK.
Atividade MontaCar

Selecione Opções... > Desative a opção Aleatorizar ensaios > clique em OK duas
vezes.
Atividade MontaCar

Insira o título Retrabalho na coluna C8 > Digite os valores conforme a figura abaixo.
Atividade MontaCar
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos) > Fatorial > Análise de
Experimento Fatorial...
Atividade MontaCar

Selecione Retrabalho como Respostas: > Clique em OK.


Atividade MontaCar

Apenas o fator A é significativo.


Atividade MontaCar
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos) > Fatorial > Gráficos
Fatoriais...
Atividade MontaCar
Deixe o fator significativo à direita, conforme figura abaixo > Clique em OK.
Atividade MontaCar

O melhor nível do fator


será aquele que atinge
um valor médio mais
baixo de Retrabalho.
Módulo 5
DMAIC: Fase de Melhoria e Controle

 Lição 1: Relembrando a fase de Melhoria;

 Lição 2: Experimento Fatorial Fracionado;

 Lição 3: Experimento Fatorial em Blocos;

 Lição 4: Experimento Fatorial com ponto central;

 Lição 5: Experimento Fatorial com mais de dois níveis;

 Lição 6: Operação Evolutiva (EVOP).

 Lição 7: Relembrando a fase de Controle;


Experimento Fatorial com Ponto Central

Uma grande preocupação no uso de planejamento fatorial com dois níveis


é a suposição da linearidade nos efeitos dos fatores.

E se a relação entre os fatores de entrada (x’s) for na verdade uma relação


curvilínea?

Modelo Real

Modelo Utilizado

-1 +1
Experimento Fatorial com Ponto Central

Adição de “centerpoints” ao experimento

O “centerpoint” ou ponto central, é um ponto médio adicionado entre os


níveis de todos os fatores e que não impacta nos efeitos normalmente
estimados nos experimentos 2k.

Eles são adicionados a um experimento para testar se existe ou não


evidência de curvatura sem a necessidade de acrescentar um grande
número de rodadas experimentais e permitindo a avaliação de efeitos não
lineares sobre a variável resposta.
Experimento Fatorial com Ponto Central

Experimentos Fatoriais 22 Experimentos Fatoriais 23

Pontos Centrais
Pontos Fatoriais
Experimento Fatorial com Ponto Central

É possível quantificar o efeito da curvatura, desde que o número de


observações no ponto central seja, no mínimo, igual a metade do número
de observações nos pontos fatoriais do experimento.

Caso seja menor, o efeito da curvatura poderá ser avaliando apenas de


forma subjetiva, comparando a resposta média obtida no ponto central
com outros valores da variável resposta, permitindo a identificação apenas
de desvios mais grosseiros de linearidade.
Experimento Fatorial com Ponto Central

Possíveis Conclusões:

 Curvatura não significativa ou inexistente


Retirar os “centerpoints” do modelo para facilitar a análise.

 Curvatura significativa
- Se ela estiver na direção desejada, maximize ou minimize de acordo
com a necessidade;

- Se ela não estiver na direção desejada, é necessário realizar novos


experimentos para entender o comportamento não linear do processo.
Atividade Sabores

A Sabores é uma empresa fabricante de sorvetes e picolés que atua


principalmente na região Sudeste. A empresa está realizando um projeto
Lean Seis Sigma para a melhoria de um de seus principais produtos, o
picolé de amora.

Entre outras análises que estão sendo realizadas no projeto, o Black Belt
resolveu verificar a relação de três fatores do processo, a concentração de
polpa, quantidade de açúcar e a quantidade corante sobre a aceitação do
produto (satisfação do cliente).
Atividade Sabores

Fatores de Estudo:

 Quantidade de açúcar (g/ml)


(Nível -) 12 (Nível +) 16 (Nível Médio) 14

 Quantidade de corante (g/ml)


(Nível -) 2 (Nível +) 4 (Nível Médio) 3

 Concentração de Polpa (%)


(Nível -) 30 (Nível +) 40 (Nível Médio) 35
Atividade Sabores

Variável resposta
 Aceitação do produto (nota de 0 a 10) – quanto maior, melhor.

Experimento
 Foram adicionados 4 “centerpoints” ao experimento considerando os
níveis médios de cada fator.

 Total de observações: 12

Abrir o Minitab com uma planilha em branco.


Atividade Sabores
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos)> Fatorial > Criação de
um Experimento Fatorial...
Atividade Sabores
Selecione 3 como Número de fatores: > Selecione Experimentos...
Atividade Sabores

Selecione Fatorial completo > Selecione 4 para Número de pontos centrais por
bloco: > Clique em OK.
Atividade Sabores

Selecione Fatores... > Preencha a planilha com as informações de cada fator


conforme a figura abaixo > Clique em OK.
Atividade Sabores

Selecione Opções... > Desative a opção Aleatorizar ensaios > clique em OK duas
vezes.
Atividade Sabores

Insira o título Aceitação na coluna C8 > Digite os valores conforme a figura abaixo.
Atividade Sabores
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos) > Fatorial > Análise de
Experimento Fatorial...
Atividade Sabores

Selecione Aceitação como Respostas: > Clique em OK.


Atividade Sabores

Os fatores A, B e C são significativos.


Atividade Sabores

Se p ≤ 0,10, então o efeito


de curvatura é significativo.
Atividade Sabores
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos) > Fatorial > Gráficos
Fatoriais...
Atividade Sabores

Deixe apenas os fatores da interação BC à direita, conforme figura abaixo > Clique
em Gráficos... > Desmarcar Gráfico de Interação > Clique em OK duas vezes.
Atividade Sabores

O melhor nível do fator


será aquele que atinge
um valor médio maior
para ACEITAÇÃO.
O ponto central.
Módulo 5
DMAIC: Fase de Melhoria e Controle

 Lição 1: Relembrando a fase de Melhoria;

 Lição 2: Experimento Fatorial Fracionado;

 Lição 3: Experimento Fatorial em Blocos;

 Lição 4: Experimento Fatorial com ponto central;

 Lição 5: Experimento Fatorial com mais de dois


níveis;

 Lição 6: Operação Evolutiva (EVOP).

 Lição 7: Relembrando a fase de Controle;


Experimento Fatorial Para Mais de Dois Níveis

Deve ser utilizado:

 Para avaliar o efeito de vários níveis para um ou mais fatores;

 Quando se deseja verificar se um fator com mais de dois níveis exerce


efeito de curvatura sobre a variável resposta.
Atividade Quimic

A empresa Quimic é uma empresa líder de mercado que produz diversos tipos
de produtos químicos. Visando aumentar o rendimento do processo de um de
seus principais produtos, a empresa iniciou um projeto Lean Seis Sigma.

Por experiência, o Black Belt líder do projeto, sabe que os fatores temperatura
e catalisador são fundamentais nesse rendimento e decidiu avaliar ainda o
efeito do fator equipamento, visto que o produto pode ser fabricado em 2
equipamentos diferentes, de acordo com a disponibilidade dos mesmos.
Atividade Quimic

Fatores de Estudo

 Temperatura  Catalizador  Equipamento


40ºC / 50ºC / 60ºC Tipo A / Tipo B E1 / E2

Variável Resposta

 Rendimento do Produto (%)

Experimento

 Fatorial 3x2x2 => 12 ensaios

Abrir o Minitab com uma planilha em branco.


Atividade Quimic
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos)> Fatorial > Criação de
um Experimento Fatorial...
Atividade Quimic
Selecione Experimento fatorial completo geral > Selecione 3 como Número de
fatores: > Selecione Experimentos...
Atividade Quimic

Preencha a planilha com as informações de cada fator conforme a figura abaixo >
Clique em OK.
Atividade Quimic

Selecione Fatores... > Em Tipo modifique para Texto os fatores Catalizador e


Equipamento > Preencha a planilha com as informações de cada fator conforme a
figura abaixo > Clique em OK.
Atividade Quimic

Selecione Opções... > Desative a opção Aleatorizar ensaios > clique em OK duas
vezes.
Atividade Quimic
Insira o título Rendimento na coluna C8 > Digite os valores conforme a figura
abaixo.
Atividade Quimic

Selecione Dados > Subdivisão da Worksheet... > Selecione Equipamento na opção


Variáveis de agrupamento > Clique em OK.
Atividade Quimic
Atividade Quimic

Selecione a Worksheet Equipamento = E1 > Selecione Stat > ANOVA > Gráfico de
Interação...
Atividade Quimic

Selecione Rendimento como Respostas: > Selecione Temperatura e Catalizador


como Fatores: > Selecione a opção Exibir matriz de gráfico de interação completa >
Clique em Ok.
Atividade Quimic

Selecione a Worksheet Equipamento = E2 > Selecione Stat > ANOVA > Gráfico de
Interação...
Atividade Quimic

Selecione Rendimento como Respostas: > Selecione Temperatura e Catalizador


como Fatores: > Selecione a opção Exibir matriz de gráfico de interação completa >
Clique em Ok.
Atividade Quimic

Equipamento E1 Equipamento E2
Módulo 5
DMAIC: Fase de Melhoria e Controle

 Lição 1: Relembrando a fase de Melhoria;

 Lição 2: Experimento Fatorial Fracionado;

 Lição 3: Experimento Fatorial em Blocos;

 Lição 4: Experimento Fatorial com ponto central;

 Lição 5: Experimento Fatorial com mais de dois níveis;

 Lição 6: Operação Evolutiva (EVOP);

 Lição 7: Relembrando a fase de Controle;


Operação Evolutiva - EVOP

 O EVOP ou Método de Operação Evolutiva é uma ferramenta de melhoria do


processo e otimização da performance de um processo. Trata-se de um método
rotineiro para operação que foi proposto para que seja utilizado a um nível
operacional sem demandar pessoas específicas para testes, garantindo
assim o processo de melhoria contínua.

 Uma grande vantagem da utilização desse método é que ele não requer
grandes mudanças na operação do processo, ele consiste na introdução de
pequenas alterações nos níveis dos fatores do processo que está sendo
avaliado.
Operação Evolutiva - EVOP

 O método utiliza fatoriais 22 ou 23 com “centerpoints”. Caso existam mais de


três fatores que influenciam no processo, pode ser realizado mais de uma EVOP.

 Os fatores de controle devem ser levemente alterados de modo que não


apresente perda significativa no rendimento do processo, porém ajustados a
uma distância que possa ser notado alguma mudança no processo decorrente
das alterações realizadas.
Operação Evolutiva - EVOP

Na execução da EVOP os dados da variável de resposta devem ser coletados em


cada umas das condições determinadas pelo experimento 2𝑘 . Normalmente, o
experimento é centrado na condição usual de operação do processo.

Um ciclo da EVOP é concluído quando uma observação da variável resposta de


cada condição determinada for coletada (sem aleatorização);

Quando ao menos três ciclo forem concluídos, podemos então calcular os efeitos
dos fatores e suas interações;

Após essa análise, alguma ação pode ser tomada para alterar as condições de
operação.
Operação Evolutiva - EVOP

Crie um planejamento Ao concluir o terceiro ciclo,


Selecione os fatores e
Defina a variável de experimental e faça analise a significância dos
níveis que impactam na
análise pequenas variações nos efeitos dos fatores do efeito
variável escolhida
fatores. de curvatura

Se não detectada
Se detectada significância
significância de fatores
de fatores, implemente os
após 8 ciclos, modifique a
ajustes ótimos para as
faixa de variação ou os
variáveis analisadas.
fatores.

Rode a EVOP a cada 6


meses para manter ou
melhorar a operação
ótima.
Operação Evolutiva - EVOP

Dicas para a utilização da EVOP:

 Inclua sempre “centerpoints” no seu experimento;


 Inicie com fatoriais fracionados para ter uma visão geral da importância
dos fatores selecionados;
 Após o estudo inicial faça a analise do fatorial completo;
 Não force resultados em um único estudo, realize estudos sequenciais.
Atividade Voitto Belleze

A Voitto Belleze é uma empresa do setor de cosméticos que vem


enfrentando problemas com o envasamento de um de seus produtos.
Visando resolver este problema, a empresa iniciou um projeto Lean Seis
Sigma para avaliar as causas dessa variação.

Como uma das análises do projeto, o Black Belt responsável resolveu


utilizar o Método de Operação Evolutiva (EVOP) como uma das
ferramentas de melhoria do processo.

Abrir o Minitab com uma planilha em branco.


Atividade Voitto Belleze

Fatores selecionados

 Temperatura do Produto
Condição atual: 90ºC

 Consistência do Produto
Condição atual: 20 (viscosidade codificada)

Variável resposta

 Variação média do volume entre duas amostras envasadas para cada


condição experimental.
Atividade Voitto Belleze

Resultados dos três primeiros ciclos da fase 1 do EVOP

*Consistência (codificado)
*Temperatura (ºC)
Atividade Voitto Belleze
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos)> Fatorial > Criação de
um Experimento Fatorial...
Atividade Voitto Belleze
Selecione 2 como Número de fatores: > Selecione Experimentos...
Atividade Voitto Belleze

Selecione Fatorial completo > Selecione 3 para Número de pontos centrais por
bloco > Selecione 3 para Número de réplicas por pontos de extremidades
Blocos > Clique em OK.
Atividade Voitto Belleze

Selecione Fatores... > Preencha a planilha com as informações de cada fator


conforme a figura abaixo > clique em OK.
Atividade Voitto Belleze

Selecione Opções... > Desative a opção Aleatorizar ensaios > clique em OK duas
vezes.
Atividade Voitto Belleze

Insira o título VariaçãoMédia na coluna C7 > Digite os valores conforme a figura


abaixo.
Atividade Voitto Belleze
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos) > Fatorial > Análise de
Experimento Fatorial...
Atividade Voitto Belleze

Selecione VariaçãoMédia como Respostas: > Clique em OK.


Atividade Voitto Belleze

Tanto os fatores A e B,
quanto a interação AB são
significativos.
Atividade Voitto Belleze

Efeito de curvatura = 6,133 – 6,975 = -0,842

Efeito de Curvatura. p ≤ 0,10, então o efeito de curvatura é


significativo.
Atividade Voitto Belleze
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos) > Fatorial > Gráficos
Fatoriais...
Atividade Voitto Belleze
Deixe os fatores significativo à direita, conforme figura abaixo > Clique em OK.
Atividade Voitto Belleze

O melhor nível do fator


será aquele que atinge
um valor mais baixo de
VariaçãoMédia.

O ponto central.
Atividade Voitto Belleze
Atividade Voitto Belleze

Apesar do efeito de curvatura ser significativo e negativo, o que é interessante para


a empresa visto que ela deseja um ponto mínimo de variação média, a interação
AB, com temperatura de 95ºC e consistência igual a 22, corresponde a uma
condição mais favorável, com menores valores para a VariaçãoMédia no envase
dos produtos.

A alteração dos níveis dos fatores deve ser realizada de forma a utilizar maiores
valores de temperatura e consistência. Deverá ser iniciada uma segunda fase da
EVOP.
Atividade Voitto Belleze

Resultados dos três primeiros ciclos da fase 2 do EVOP

*Consistência (codificado)
*Temperatura (ºC)
Atividade Voitto Belleze
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos)> Fatorial > Criação de
um Experimento Fatorial...
Atividade Voitto Belleze
Selecione 2 como Número de fatores: > Selecione Experimentos...
Atividade Voitto Belleze

Selecione Fatorial completo > Selecione 3 para Número de pontos centrais por
bloco > Selecione 3 para Número de réplicas por pontos de extremidades
Blocos > Clique em OK.
Atividade Voitto Belleze

Selecione Fatores... > Preencha a planilha com as informações de cada fator


conforme a figura abaixo > clique em OK.
Atividade Voitto Belleze

Selecione Opções... > Desative a opção Aleatorizar ensaios > clique em OK duas
vezes.
Atividade Voitto Belleze

Insira o título VariaçãoMédia na coluna C7 > Digite os valores conforme a figura


abaixo.
Atividade Voitto Belleze

Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos) > Fatorial > Análise de
Experimento Fatorial...
Atividade Voitto Belleze

Selecione VariaçãoMédia como Respostas: > Clique em OK.


Atividade Voitto Belleze

Apenas o fator B é
significativo.
Atividade Voitto Belleze

Efeito de curvatura = 5,267 – 5,983 = -0,716

Efeito de Curvatura. p ≤ 0,10, então o efeito de curvatura é


significativo.
Atividade Voitto Belleze
Selecione Stat > DOE (Planejamento de Experimentos) > Fatorial > Gráficos
Fatoriais...
Atividade Voitto Belleze
Deixe o fator significativo à direita, conforme figura abaixo > Clique em OK.
Atividade Voitto Belleze

O melhor nível do fator


será aquele que atinge
um valor mais baixo de
VariaçãoMédia.

O ponto central.
Atividade Voitto Belleze

 Quais são as conclusões sobre o experimento?

- O efeito de curvatura é estatisticamente significativo e o ponto central


possui o melhor resultado, mínimo valor para VariaçãoMédia, por isso
paramos o EVOP e o processo deverá operar nas condições ótimas
encontradas: Temperatura de 95ºC e Consistência igual a 22.
Módulo 5
DMAIC: Fase de Melhoria e Controle

 Lição 1: Relembrando a fase de Melhoria;

 Lição 2: Experimento Fatorial Fracionado;

 Lição 3: Experimento Fatorial em Blocos;

 Lição 4: Experimento Fatorial com ponto central;

 Lição 5: Experimento Fatorial com mais de dois níveis;

 Lição 6: Operação Evolutiva (EVOP).

 Lição 7: Relembrando a fase de Controle;


Fase de Controle

Alcance da Meta

 Avaliar o alcance da meta em larga escala;


 Verificar se o ganho financeiro foi alcançado.

Manutenção dos Resultados


 Definir um plano de monitoramento dos benefícios alcançados no projeto;
 Padronizar as alterações que foram realizadas no processo;
 Difundir os novos padrões a todos os envolvidos no processo;
 Treinar os envolvidos nos processos.
Conclusão da Etapa de Controle

Alguns itens devem ser verificados para a conclusão da etapa de controle:

1. Foi criado e implementado o plano de monitoramento e


sustentabilidade dos resultados do projeto?

2. As melhorias do processo foram padronizadas e incorporadas a rotina?

3. As pessoas envolvidas no processo foram treinadas nos novos


padrões?
Conclusão da Etapa de Controle

4. Foi avaliado e validado o retorno do impacto financeiro do projeto


pela Controladoria?

5. O resultado do projeto foi validado pelo dono do processo?

6. Foi desenvolvido e documentado o sumário executivo do projeto?


Módulo 5

Dinâmica Voitto Helicópteros


Dinâmica – Voitto Helicópteros

 A empresa Voitto Helicop aluga helicópteros comercias para empresários, sendo


o tempo de autonomia dos helicópteros um dos fatores mais importantes de
competitividade.

 Atualmente, os concorrentes da Voitto Helicop possuem modelos de


helicópteros com cerca de 3 horas de autonomia (corresponde a 3 segundos na
atividade).

 Equipes de melhoria contínua estão trabalhando para fazer ajustes no


helicóptero atual da Voitto Helicop com o objetivo de superar o tempo de
autonomia dos concorrentes.
Dinâmica – Voitto Helicópteros
ATIVIDADE 1: CONSTRUÇÃO DO MODELO ATUAL DO HELICÓPTERO

 Para avaliar qual é o tempo médio de autonomia do helicóptero da Voitto


Helicop será necessário construir o modelo atual usando uma folha de papel A4 e
as instruções abaixo.
Dinâmica – Voitto Helicópteros

ATIVIDADE 2: MEDIÇÃO DO TEMPO DE VOO DO HELICOPTERO ATUAL

 Coletar os dados históricos para o tempo de voo, realizando 20 lançamentos


sempre de uma altura de 2,5 metros, conforme orientação abaixo:

 Escolha dois pilotos para fazer 10 lançamentos cada um. Padronize os


lançamentos determinando a altura e a forma de lançamento do
helicóptero. Faça a medição de cada lançamento individualmente com um
cronômetro e anote na planilha do Minitab.

 Analisar os dados cronometrados no software Minitab utilizando a estatística


básica, considerando os dados globais e os dados estratificados por piloto.
Resultados da ATIVIDADE 2
Relatório Resumo para Helicóptero original
 O helicóptero original da empresa Teste de normalidade de Anderson-Darling
A-Quadrado 0,18
possui tempo de voo médio de 2,00 Valor-p 0,906
Média 2,0045

segundos e desvio-padrão 0,27. Os


DesvPad 0,2703
Variância 0,0731
Assimetria -0,159941

dados são Normais e o melhor valor


Curtose 0,053351
N 20
Mínimo 1,4291
do histórico é 2,55 segundos. 1o. Quartil
Mediana
1,7962
2,0387
3o Quartil 2,2112
Máximo 2,5553
Intervalo de 95% de Confiança para Média
1,4 1,6 1,8 2,0 2,2 2,4 2,6 1,8780 2,1310
Intervalo de 95% de Confiança para Mediana
1,8294 2,1841
Intervalo de 95% de Confiança para DesvPad
0,2056 0,3948

Intervalos de 95% de Confiança

Média

Mediana

1,8 1,9 2,0 2,1 2,2


Dinâmica – Voitto Helicópteros
ATIVIDADE 3: DEFINA OS FATORES QUE PODEM SER MELHORADOS NO
MODELO DE HELICÓPTERO ATUAL

 O primeiro experimento que será realizado é um experimento exploratório, para


avaliar quais dos fatores controláveis são significativos para o aumento do tempo de
autonomia dos helicópteros. Faremos um Experimento Fatorial Fracionado com os 6
fatores listados abaixo:
1. Largura da Hélice – 6,0 cm e 9,0 cm
2. Comprimento da Hélice – 14 cm e 18 cm
3. Largura da Fuselagem – 3 cm e 6 cm
4. Comprimento da Fuselagem – 6 cm e 9 cm
5. Quantidade de clips – 0 e 1
6. Altura do Corpo – 1,5 cm e 2,5 cm
Dinâmica – Voitto Helicópteros

ATIVIDADE 4: EXECUTAR O EXPERIMENTO FATORIAL FRACIONADO

 Executar cada um dos 32 lançamentos de forma padronizada e medir o tempo de


voo com um cronômetro. IMPORTANTE: cada lançamento terá uma
configuração de helicóptero diferente, sendo necessário construir os
diversos modelos a serem testados. Os lançamentos são realizados de uma
altura de 2,5 metros.

 Analisar os resultados do Experimento Fatorial Fracionado com ajuda do Minitab.


Resultados da ATIVIDADE 4
 Os fatores significativos são CompH (B),
LarguraH*CompF (AD), CompF (D),
LarguraH*AlturaCorpo*Clips (AEF).

 Os níveis são: LarguraH (9cm), CompH


(14cm), LarguraF (3cm), CompF (9cm),
Altura Corpo (2,5cm) e Clips (1 qtd.)
Dinâmica – Voitto Helicópteros

ATIVIDADE 5: EXPERIMENTO FATORIAL COMPLETO COM PONTOS


CENTRAIS

 Para todos os fatores significativos do experimento anterior, realizar o


Experimento Fatorial Completo considerando o uso de ponto central.

 Executar cada lançamento de forma padronizada e medir o tempo de voo com


um cronômetro. Os lançamentos são realizados de uma altura de 2,5 metros.

 Analisar os resultados do Experimento Fatorial Completo com ajuda do Minitab.


Dinâmica – Voitto Helicópteros

ATIVIDADE 5: EXPERIMENTO FATORIAL COMPLETO COM PONTOS


CENTRAIS
1. Largura da Hélice – 7,0 cm e 10,0 cm
2. Comprimento da Hélice – 13 cm e 16 cm
3. Comprimento da Fuselagem – 8,0 cm e 11,0 cm
4. Largura da fuselagem, Quantidade de clips e Altura do Corpo serão
valores fixos.
Resultados da ATIVIDADE 5
 Os três fatores são significativos, sendo
os melhores valores: LarguraH (7cm),
CompH (16cm) e CompF (8cm).
Dinâmica – Voitto Helicópteros
ATIVIDADE 6: ESCOLHA O NOVO MODELO DE HELICÓPTERO

 Após o Experimento Fatorial Completo, defina o novo modelo de helicóptero da


Voitto Helicop. Construa uma versão do novo modelo utilizando uma folha A4 e as
medidas definidas pelo experimento.

 Realizar 15 lançamentos padronizados de uma altura de 2.5 metros e medir o tempo


de voo com um cronômetro.

 Compare o valor da média e do desvio padrão entre o modelo antigo e o


modelo atual. Verifique se a diferença entre os valores da média é
estatisticamente significativa utilizando o Teste de Hipóteses 2-sample t. Avalie
se o novo modelo superou o tempo de autonomia dos concorrentes que era de
3 horas (equivalente a 3 segundos) utilizando o Teste de Hipóteses 1-sample t.
Resultado Final
Relatório Resumo para Helicóptero novo
Relatório Resumo para Helicóptero original Teste de normalidade de Anderson-Darling
Teste de normalidade de Anderson-Darling A-Quadrado 0,44
A-Quadrado 0,18 Valor-p 0,256
Valor-p 0,906 Média 3,0621
Média 2,0045 DesvPad 0,1038
DesvPad 0,2703 Variância 0,0108
Variância 0,0731 Assimetria -1,16090
Assimetria -0,159941 Curtose 2,81084
Curtose 0,053351 N 15
N 20

VS
Mínimo 2,7845
Mínimo 1,4291
1o. Quartil 1,7962 1o. Quartil 3,0023
Mediana 2,0387 Mediana 3,0734
3o Quartil 2,2112 3o Quartil 3,1248
Máximo 2,5553 Máximo 3,2104
Intervalo de 95% de Confiança para Média Intervalo de 95% de Confiança para Média
1,4 1,6 1,8 2,0 2,2 2,4 2,6 1,8780 2,1310 3,0047 3,1196
2,8 2,9 3,0 3,1 3,2
Intervalo de 95% de Confiança para Mediana Intervalo de 95% de Confiança para Mediana
1,8294 2,1841
3,0131 3,1142
Intervalo de 95% de Confiança para DesvPad
Intervalo de 95% de Confiança para DesvPad
0,2056 0,3948
0,0760 0,1637

Intervalos de 95% de Confiança


Intervalos de 95% de Confiança
Média

Média

Mediana

Mediana
1,8 1,9 2,0 2,1 2,2

3,000 3,025 3,050 3,075 3,100 3,125


Sem fronteiras para o conhecimento

Consolidando o Conhecimento
Exercícios de Fixação – Módulo 5
1. Com relação à Fase Melhoria, pode-se dizer que:
a) Buscamos soluções com baixo esforço de implementação, mas alto impacto no
resultado.
b) Deve-se sempre buscar uma única solução, por razões de facilidade e custo.
c) Deve-se sempre buscar a solução mais econômica, independente de sua
viabilidade técnica.

2. Em um experimento fatorial fracionado com dois níveis e três fatores, são


realizados:
a) 8 ensaios.
b) 6 ensaios.
c) 4 ensaios
Exercícios de Fixação – Módulo 5
3. No Experimento Fatorial com Ponto Central:
a) O melhor nível do fator será aquele que atinge um valor médio mais próximo ao
Ponto Central.
b) O melhor nível do fator será aquele que atinge um valor médio maior para
aceitação.
c) O melhor nível do fator será aquele que atinge um valor médio menor para
aceitação.

4. Sobre EVOP, é incorreto afirmar que:


a) É uma ferramenta utilizada a nível operacional.
b) Requer grandes mudanças na operação do processo.
c) É uma ferramenta de melhoria contínua e otimização de processos.
Sem fronteiras para o conhecimento

voittoonline.com.br