Você está na página 1de 45

O Sistema Métrico Decimal

Eduarda Filipe
Presidente da Sociedade Portuguesa de Metrologia

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07


…” Medir e contar são as operações cuja
realização a vida de todos os dias exige com maior
frequência. …. Mas o que é medir? Todos sabem
em que consiste o comparar duas grandezas da
mesma espécie – dois comprimentos, dois pesos,
dois volumes ….”
in Bento de Jesus Caraça, “Conceitos Fundamentais da
Matemática”, 1951, pág. 29

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 2


O sistema métrico decimal

“Jamais algo de maior e mais


simples, de maior coerência em
todas as suas partes saiu da mão
dos homens”
Antoine Laurent de Lavoisier,
1794

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 3


A caminhada….
A origem das unidades de medida…
Apropriação
1ª fase
Fenómenos naturais 2ª fase
Dia solar, Luas… Medidas antropométricas
Passo, Pé, Braça…

Séc. XXI
Regresso às
invariantes
3ª fase
da natureza
Materialização Autonomização
Constantes
Clepsidra, Côvado graduado
físicas
Grãos, Balança…

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 4


1ª fase: Fenómenos naturais

O tempo/duração
A suposta “rotação do sol em torno da terra” deu origem ao
dia solar
O ciclo lunar deu origem ao calendário, semanas, meses
As estações sucediam-se dando origem ao ciclo anual

A distância era calculada inicialmente contando dias de


marcha - mais tarde em dias de cavalgada…
Nesta fase (ainda no nomadismo), provavelmente só o
tempo e a distância (e esta indiretamente pelo tempo)
seriam medidos…

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07


5
2ª fase: Medidas antropométricas

Unidades de comprimento:
Braça, jarda, passo, côvado, pé,
dedo, …
O estádio (stadium) ↔ 600 pés
de Hércules (Grécia antiga), cem
passos, mil passos, …

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07


6
3ª fase: Materialização

Fixando valores autónomos do homem


- correspondendo à origem das unidades
anteriormente definidas…

Clepsidra, relógio solar, quadrante portável

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 7


3ª fase: Materialização

Fixando valores autónomos do homem…

Côvado graduado

Rei Eduardo I de Inglaterra, 1272-1307


Grãos de cevada 1 jarda (Iron Ulna) ↔ 3 pés
1 pé deve conter 12 polegadas
3 grãos de cevada, secos e redondos
↔ 1 polegada

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 8


3ª fase: Materialização

Côvado,
Sabugal
Séc. XIII-XIV

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 9


3ª fase: Materialização
Fixando valores autónomos do homem…
Grãos e sementes como origem das unidades do peso
• as primeiras mercadorias da sedentarização pós-nomadismo?
a unidade siliqua correspondia ao peso de uma semente de alfarroba
carob em inglês que deu origem ao carat
a semente de trigo era ¼ da siliqua…

Balança, como comparador de peso - à imagem do homem,


sopesando com os dois braços

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 10


3ª fase: Materialização

Livro dos mortos; pesagem das almas


Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 11
A criação de sistemas de unidades…
Os pesos e medidas têm raízes que se confundem com a
própria constituição dos estados

Peso persa e balança romana

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 12


A criação de sistemas de unidades…

“o homem é a medida de todas as


coisas”
Protágoras (Séc. V AC)

Marcus Vitruvius Pollio


tratado “Architectura Libri Decem”
(Séc. I AC)
• 4 dedos valiam uma mão-travessa
• 4 mãos-travessas valiam 1 pé
• 6 mãos-travessas valiam 1 cúbito Homem Vitruviano
Leonardo da Vinci Séc. XV
• 4 cúbitos valiam a altura de 1 homem
ou um duplo-passo

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 13


A criação de sistemas de unidades…

Os pesos e medidas que foram estabelecidos como


padrões, à medida que os estados se definiam e
consolidavam, não constituíam rutura com os
padrões das civilizações então existentes no
território (árabe/romano/......)
• arrátel, alqueire, almude ....cúbito , módio
Os padrões tinham um carácter eminentemente
local, não existindo ao tempo, a preocupação da
sua uniformização

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 14


Breve resenha histórica nacional

A história metrológica de Portugal é riquíssima:


• Existem padrões e regulamentos metrológicos desde
a fundação, com os forais locais
• Primeira lei integradora de um sistema metrológico
em todo o território
• Lei da Almotaçaria de D. Afonso III em 1253
• Posteriormente, foram efetuadas várias reformas
uniformizadoras, em que se destacam
• Reforma de D. Manuel I em 1499
• Reforma de D. Sebastião em 1575 ...

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 15


A criação de sistemas de unidades…

1253 - Lei da Almotaçaria


Define:
• Unidades legais
• Controlo metrológico
• A autoridade - almotacé
• Padrões de Coimbra – referências
nacionais

Peso de pedra

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 16


A criação de sistemas de unidades…

1499
Pesos
Reforma de D. Manuel I
Padrão Nacional
marco-padrão, múltiplos
e submúltiplos
1 marco = 229 g
valor próximo do marco
de Colónia Museu de Metrologia, IPQ

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 17


A criação de sistemas de unidades…
1575 Reforma D. Sebastião

Museu de Metrologia, IPQ

Alqueire e marca de aferição de Lisboa

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 18


O sistema métrico – caminhada…

Séc. XVII - Ocidente europeu


• profusão de medidas em todos os setores
económicos
• moedas de vários pesos
• medidas de distância incertas - valores da
Légua variavam de cidade para cidade

sentida a necessidade de
• conversão das medidas
• estabelecimento das suas equivalências

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 19


O sistema métrico – caminhada…

Em França
• 1614 - Os Estados Gerais pedem a unificação dos
pesos e medidas
• 1668 - Jean-Baptiste Colbert patrocina a fundição
de novos padrões para a cidade de Paris
• 1670 - Abade Gabriel Mouton – dissertação sobre a
ideia de novas medidas geométricas - publicada em
Lyon com observações sobre o diâmetro do sol e da
lua - criou um sistema cuja unidade de base seria
constituída por uma fração da circunferência da
Terra

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 20


O sistema métrico – caminhada…

Em França
A partir desta unidade de base, Mouton deduz um
conjunto de medidas lineares, sujeitas a relações
decimais.
Unidade de base - milliare
equivalente
ao comprimento de um arco de 1 minuto da
circunferência máxima da Terra
• Submúltiplos - centuria, decuria, virga, virgula,
decima, centesima e milesima
• A virga e a virgula - 1/1000 e 1/10 000 do milliare
• equivalentes à toesa e ao pé
Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 21
O sistema métrico – caminhada…

Em França
Grande resistência dos senhores, comerciantes e da
população em alterar regras e costumes seculares
1766 - a burocracia real desiste de uma unificação
completa, passando à elaboração de tabelas de
conversão e equivalência
• Simultaneamente criaram as condições para o
envolvimento da comunidade científica para a
uniformização dos pesos e medidas

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 22


O sistema métrico – caminhada…

Em França
toesa de Paris valia

6 pés de rei
12 polegadas
12 linhas
12 pontos

livre Poids-de-Marc valia


2 marcos
8 onças
8 gros
3 deniers
24 grãos

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 23


O sistema métrico – caminhada…

1671 - matemático Jean Picard – proposta de utilização


do pêndulo unidade fundamental e associar o valor da
a toesa à medida da extensão do pêndulo que bate 1
segundo em Paris
1673 - físico Christian Huygens endossa esta definição
1720 - matemático Cassini, chefe do Observatório de
Paris, voltaria a propor, em um padrão de medidas
constituído pela fração do meridiano terrestre
• Unidade de base - o pé geométrico, seria equivalente a
1/100 do arco de 1 segundo do meridiano terrestre
• E a toesa de 6 pés seria contida 1000 vezes no arco de 1
minuto e o grau teria 60 000 toesas

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 24


O sistema métrico – caminhada…

Obstáculos
• O problema prático da medição dos meridianos
terrestres
• A variação na oscilação do pêndulo provocada pelas
variações na gravidade terrestre
• Falta de meios para a medição
• O governo francês patrocina o trabalho de definição da
equivalência das medidas tradicionais com “constantes
físicas” para a toesa de Paris
• a Academia de Ciências de Paris organiza duas
expedições para a medição de dois arcos do meridiano,
• próximo à linha do equador Peru, 1735-1744
• na região polar Lapónia, 1736
Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 25
O sistema métrico – caminhada…

A medida de 1 grau
• Peru ↔ 57 074,5 toesas
• Lapónia ↔ 57 438 toesas

• As medições realizadas no Peru dão origem ao


padrão de ferro da toesa de Paris, chamada na altura
toesa do Peru
• Para ser utilizada, a partir de maio de 1766, por
determinação de Luís XV, como padrão a ser
reproduzido e enviado às províncias francesas

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 26


O sistema métrico – caminhada…

Antes da Revolução Francesa


Iniciativa: França e Inglaterra
Objetivo: definir unidades de medida que:
• não são nacionais podendo ser aceites por todos
• não variam no espaço ou no tempo
• podem dar origem a padrões de medição, de fabrico e
reprodução fáceis
• com um valor próximo das unidades de medida em vigor
• com um novo nome, diferente de todos os nomes
existentes

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 27


O sistema métrico e a Revolução Francesa

1789 - os privilégios e rendas feudais, assim como os


sistemas de pesos e medidas a eles associados, são
suprimidos

1790 - o bispo de Autun e Talleyrand-Périgord nova


legislação metrológica à Assembleia Nacional tendo como
base do sistema universal de medidas o comprimento do
pêndulo que bate o segundo à latitude de 45°

• A nova lei determinava o envio de mensagem ao Parlamento


Britânico para que a Sociedade Real de Londres colaborasse
com a Academia de Ciências de Paris na elaboração deste novo
sistema de medidas

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 28


O sistema métrico e a Revolução Francesa

A Assembleia Nacional Francesa aprova a proposta


• Cabe à Academia de Ciências de Paris estabelecer o quadro
de relações das antigas medidas, ficando a abolição destas
últimas prevista para o prazo de seis meses
• A Academia Francesa nomeia uma comissão composta,
pelos matemáticos BORDA e Louis Joseph LAGRANGE,
o químico Antoine Laurent de LAVOISIER e o marquês de
CONDORCET

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 29


O sistema métrico – e a Revolução Francesa

1ª Comissão da Academia Francesa


recomenda a relação decimal para todas as unidades mas
reconhecia também as vantagens de cálculo no sistema
duodecimal e sugeria a oscilação do pêndulo como medida
fundamental mais dúvidas que medidas concretas
Convocada uma 2ª comissão
O novo relatório foi apresentado pelo marquês de
Condorcet em 26 de março de 1791
• A fração do meridiano terrestre volta a ocupar sua
posição de medida fundamental
• Base a medição do meridiano de Dunquerque até
Barcelona já anteriormente realizada e necessitando
apenas de verificação

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 30


O sistema métrico – e a Revolução Francesa

2ª comissão da Academia Francesa


proposta de um sistema de medidas
• determinação da diferença de latitude entre Dunquerque
e Barcelona
• fixação da extensão do pêndulo que bate o segundo
• observação do peso de um volume conhecido de água
destilada a 0°
• estabelecimento das relações entre antigas e novas
medidas

Proposta aprovada

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 31


O sistema métrico – e a Revolução Francesa

Comissão para o projeto


Triangulação e determinação de latitudes
• Cassini (Diretor do Observatório de Paris), os
astrónomos Pierre Méchain e Legendre
Medidas das bases
• Gaspar Monge e De Meusnier
Determinação do comprimento do pêndulo
• Borda e Coulomb
Determinação do peso de um volume de água
• Lavoisier e Haüy

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 32


Jean-Baptiste DELAMBRE e Pierre MÉCHAIN
(Séc. XVIII-XIX)

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 33


O sistema métrico
Triangulação
de Delambre
e Méchain
Medições do
meridiano
terrestre entre
Dunquerque e
Barcelona
1792-1798

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 34


Triangulação de Delambre e Méchain
Base du système métrique décimal - mesure de l’arc du méridien
Tome 1 a 3, Delambre

Para a medição dos ângulos


Circulo repetidor de Borda

in Vincent BARRA, ADASTA,


Clermont-Ferrand

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 35


O sistema métrico

20 de maio de 1799
Méchain apresenta o relatório de seu estudo da comparação das réguas
utilizadas como padrões afirmando que a medida da toesa do Peru
permanecia sem variações
25 de maio de 1799
Méchain apresenta o relatório final sobre as medições do meridiano
• O quarto do meridiano medido foi calculado em 5 130 740 toesas
• sendo o metro definido em 3 pés, 11 linhas 296/1000 (diferente da
definição inicial de 3 pés, 11 linhas, 442/1 000)
30 de maio de 1799
• Lefevre-Gineau define o kilograma com o valor de 18 827,15 grãos

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 36


O sistema métrico
Borda - a construção dos protótipos definitivos do metro e do
quilograma
Lenoir - constrói um comparador, com uma exatidão de um milésimo
de linha e fabrica 12 “metros” de ferro e dois de platina
O metro de ferro n.º 2 foi escolhido como comparador dos demais,
sendo depositado nos Arquivos de França a 22 de julho de 1799

10 de dezembro de 1799
Sancionado o sistema métrico e o reconhecimento
legal dos novos padrões

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 37


O sistema métrico

Definição
Metro (do latim metrum,
grego metron – significa
medida)

Décima milionésima
parte do quarto do
meridiano terrestre

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 38


Em Portugal ….

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 39


Francisco António Ciera (1763 -1814)

• Matemático e cartógrafo português,


• Professor de matemática no Colégio dos Nobres e
responsável pela cadeira de Astronomia na
Universidade de Coimbra
• Em 1788 foi encarregue de formar a "Triangulação
Geral do Reino“ até 1803 que visavam a medição
do grau de meridiano na sequência dos importantes
trabalhos que haviam começado em França para o
estudo da forma da Terra
• Introdução da telegrafia visual terrestre em
Portugal

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 40


Triangulação de Francisco Ciera (1763-1814)
Quando Ciera iniciou as medições de
campo, recorreu a todas as repartições
públicas para obter o padrão exato da
braça portuguesa de 10 palmos
Dada a incerteza e a variedade que
encontrou, resolveu compor uma
medida, a que chamou Braça Ciera
(1 braça = 2,1980 metros) que estivesse
em razão finita com alguma conhecida
na Europa, tendo utilizado a Toesa da
Academia Real das Ciências de Lisboa
e considerado 25 toesas equivalentes a
22 braças…

Ten-Cor. João de Sousa Cruz, in


Revista Militar N.º 2491/2192 -
Agosto/Setembro de 2009
Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 41
Notas Históricas

Museu de Metrologia, IPQ

Reforma “métrica” de D. João VI (1814)

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 42


Notas Históricas

1852
Adopção do
Sistema Métrico
Inspector-Geral
Joaquim Henriques
Fradesso da Silveira
Oficial de Artilharia e
Professor da Escola
Politécnica

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 43


A Convenção do Metro

Padrões internacionais do metro e do quilograma de 1892

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 44


Grata pela atenção

ecrfilipe@gmail.com

Eduarda Filipe| SPMet| 2017-03-07 45