Você está na página 1de 2

ESCALA CROMÁTICA

Certamente aqui moram as maiores dúvidas. Quando se fala nessa escala, as pessoas
facilmente entendem o conceito e a formação. Pois é muito simples montar a escala
cromática, (pois a escala cromática, não dispensa nenhuma nota). Tocamos as notas brancas e
notas pretas. 12 NOTAS, C, C#, D, D#, E, F, F#, G, G#, A, A#, B até aí tudo bem. O problema é
que os músicos não conseguem aplicar essa escala no mundo real. Tudo fica muito no campo
teórico. Aliás, não é assim com quase tudo o que aprendemos? Geralmente, sabemos mais das
teorias do que conseguimos aplicar. O mesmo ocorre com a Escala Cromática, só que com mais
intensidade.

Bem, se esse é o seu caso vou tentar trazer algumas informações para facilitar a sua prática.

APLICAÇÃO

A primeira coisa que você deve saber é que na música do dia a dia você não vai encontrar a
Escala Cromática sendo usada como escala principal, com todas as suas notas. Eu não vou
dizer que “nunca”, mas dificilmente você verá isso acontecendo.

A forma como os músicos experientes usam a Escala Cromática é executando partes dela. É
como ir ao mercado e comprar somente o que você desejar. Você não precisa comprar o
mercado inteiro. Você só compra o que está precisando ou o que deseja.

Funciona da mesma forma com a Escala Cromática. Você só vai “pegar” as notas que você
deseja ou está precisando para determinado arranjo (algo muito comum no Jazz). É por isso
que dificilmente você verá essa escala sendo tocada com todas as suas notas na mesma
música.

O que ocorre de fato é o uso do cromatismo, e não da escala inteira. Aqui é que a coisa fica
interessante.

CROMATISMO

Podemos concluir que a Escala Cromática, na prática, é utilizada mais comumente através dos
seus cromatismos

Calma, que eu explico. Cromatismo nada mais é do que executar notas separadas por meio
tom em sequência. Vamos analisar a melodia abaixo:

Dó mi fá fá# sol dó

É provável que você tenha visto as notas em negrito, que são notas da Escala Cromática. O que
ocorreu ali é um efeito cromático. De fá a fá# temos 1 semitom e de fá# a sol temos mais 1
semitom.

Que Deus seja Adorado através de cada nota!!!


ESCALA CROMÁTICA NA PRÁTICA

Sabendo de tudo isso chegamos à conclusão de que o uso do cromatismo é a forma mais
comum de vermos a escala cromática em ação.

Na prática, as notas dessa escala são usadas mais como notas de passagem do que qualquer
outra coisa. Supondo que você tem uma melodia que contenha as notas dó ré mi, você poderia
usar o ré# e ligar as notas ré e mi através do efeito cromático.

“Mas, Matheus… a nota ré# não faz parte do Campo Harmônico!”

Não tem problema algum. Teoricamente você estaria usando a escala cromática e com alguma
experiência você não tocaria o ré# num momento de repouso, mas sim de passagem. Isso não
só não atrapalha a sonoridade como pode deixa-la mais sofisticada.

Caso você queira aprofundar seus conhecimentos sobre a prática de escalas, recomendo que
você estude esse material.

Que Deus seja Adorado através de cada nota!!!