Você está na página 1de 1

REVOLTA PRAIEIRA

História a) Local – Pernambuco.


b)Causas – Terras concentradas nas mãos de fa-
Professor DILTON Lima mílias oligárquicas poderosas; comércio domi-
nado pelos portugueses.

Aula 87
c) Família oligárquica mais poderosa –
Cavalcanti, dona de cerca de um terço das
Segundo reinado propriedades de Pernambuco; dominava a po-
(1840–1889) lítica na região e fazia disso um instrumento
para servir a seus interesses.
GOLPE DA MAIORODADE (1840)
d)Partido da Praia – Participação do Partido da
Foi uma trama política idealizada pelas elites domi-
Praia, formado por políticos que não perten-
nantes, visando antecipar a maioridade de D.
ciam ao domínio dos Cavalcanti. Suas idéias 01. ( PUCMG ) São mudanças significativas que
Pedro de Alcântara, futuro D. Pedro II. Esses gru-
eram transmitidas por meio do jornal Diário
pos dominantes (as elites agrárias) acreditavam ocorreram no Império Brasileiro a partir da
Novo, que ficava na Rua da Praia. Por isso, os
que o poder centralizado nas mãos do imperador segunda metade do século XIX, EXCETO:
rebeldes ficaram conhecidos por “praieiros”.
seria fundamental para acabar com as rebeliões
que estavam ocorrendo, como, por exemplo, a e) Influência – O movimento foi influenciado pe-
a) incentivo à imigração européia, com a su-
Farroupilha, no Rio Grande do Sul. No dia 23 de las idéias do socialismo utópico.
julho de 1840, Pedro de Alcântara, com apenas 15 f) Proposta – Manifesto ao mundo propondo: pressão do trabalho escravo, através do siste-
anos, foi aclamado imperador, usando como título – Desapropriação das terras. ma de parceria introduzido na lavoura cafeeira
D. Pedro II. Estava iniciado, no Brasil, o Segundo – Nacionalização do comércio.
Reinado, que duraria quase 50 anos (1840 – 1889). – Voto livre e universal. do Vale do Paraíba pelo Senador Vergueiro.

GRUPOS POLÍTICOS – Extinção do Poder Moderador. b) surto de desenvolvimento industrial sob o


– Extinção do Senado vitalício.
Dentro do Segundo Reinado, formaram-se dois patrocínio do Barão de Mauá, garantindo a li-
– Liberdade para a província.
grupos políticos: liberais e conservadores.
g)Destaques: Pedro Ivo e Borges da Fonseca. beração de capitais ingleses, após a extinção
Tinham em comum:
a) Defender os interesses da classe dominante Observação – Poucos se envolveram realmente do tráfico negreiro.
(grandes proprietários de terras e de escravos em defesa das massas. Na verdade, eles não de-
c) impulso às atividades urbanas em curso no
– aristocracia rural). sejavam o confronto com as elites agrárias. Não
b) Possuir pouca diferença ideológica. contestavam a escravidão. país, propiciado pela decretação da tarifa pro-
c) Discordar apenas quanto aos meios de atingir PARLAMENTARISMO ÀS AVESSAS (1847–1889) tecionista Alves Branco, possibilitando o au-
os objetivos da classe dominante.
a) O sistema parlamentarista (caso inglês)
d) Revezar-se no poder, mas houve um período mento das rendas governamentais.
caracteriza-se pela supremacia do poder
em que governaram juntos (Era da Conciliação
Legislativo sobre o Executivo. d) disponibilidade de capitais, antes empregados
– 1853-1868), sob o comando de Honório
Hermeto Carneiro Leão, o Marquês de Paraná. b) No caso brasileiro, a supremacia legislativa no tráfico de escravos africanos que, após o
ELEIÇÕES DO CACETE não aconteceu, sendo chamado de “Parlamen-
tarismo às Avessas”. A força política cabia ao decreto da lei Eusébio de Queirós, foram cana-
Definição e características: imperador D. Pedro II. Era ele quem escolhia o lizados para a modernização do país.
a) Fraudes e violência física utilizadas pelos libe- cargo de Primeiro–Ministro. Posteriormente,
rais para vencer as eleições de outubro de realizar-se-iam eleições para formar o parla- 02. (FATEC) Em 4 de setembro de 1850, foi
1840. Os capangas contratados pelos liberais mento (deputados). Na prática, essas eleições
invadiram os locais de votação, distribuindo vieram marcadas pelas fraudes a fim garantir a sancionada, no Brasil, a Lei Eusébio de
cacetada. vitória para liberais ou conservadores. Queirós (ministro da Justiça), que abolia o
b) O Partido Conservador pediu ao Imperador D. c) Caso não houvesse harmonia entre o Execu-
Pedro II que anulasse as eleições. O pedido foi tráfico negreiro em nosso país. Em decorrên-
tivo (primeiro-ministro) e o Legislativo (depu-
atendido: a Câmara foi dissolvida e novas elei- tados), o Imperador D. Pedro II teria poder para cia dessa lei, o governo imperial brasileiro
ções foram convocadas. demitir o primeiro-ministro ou dissolver o parla-
aprovou outra, “a Lei de Terras”.
Observação – Os liberais revoltaram-se contra a mento, convocando novas eleições. No Brasil,
decisão do imperador. Essas rebeliões ocorreram o imperador reinava e governava, concentran- Dentre as alternativas a seguir, assinale a
em São Paulo e Minas Gerais, em 1842. do nas mãos a chave da vida política.
correta.
ECONOMIA PROCESSO ABOLICIONISTA
Café – Principal responsável pelas transforma- a) A Lei de Terras facilitava a ocupação de pro-
a) A Inglaterra foi a grande responsável pela abo-
ções econômicas, sociais e políticas no Brasil, na lição da mão-de-obra escrava no Brasil. A Re- priedades pelos imigrantes que passaram a
segunda metade do século XIX. O café reintegrou volução Industrial necessitava de mercados
a economia brasileira aos mercados internacio- chegar ao Brasil.
consumidores. Os negros, sendo livres, iriam
nais, contribuindo, decisivamente, para o incre- tornar-se assalariados e, conseqüentemente, b) A Lei de Terras dificultou a posse das terras pe-
mento de produção. consumidores.
los imigrantes, mas facilitou aos negros libertos
Regiões cafeeiras b) Após a Guerra do Paraguai, em 1870, a socie-
a) Vale do Paraíba e Zona fluminense (RJ) – dade mobilizou-se e assumiu uma posição o acesso a elas.
1.a metade do século XIX abolicionista clara e direta. Vários segmentos c) O governo imperial, temendo o controle das
Utilização exclusiva de mão-de-obra escrava. sociais começaram a se posicionar em defesa
Mentalidade atrasada, conservadora e escra- da libertação dos escravos. terras pelos coronéis, inspirou-se no “Act
vocrata. c) A oligarquia agrária produtora de café do Oeste Homesteade” americano, para realizar uma
Utilizam, como transportes, os carros-de-bois e paulista, principal responsável pela lavoura,
as barcaças. distribuição de terras aos camponeses mais
tornou-se defensora do fim da escravidão. Essa
b)Oeste paulista – 2.a metade do século XIX. classe social tomou consciência de que o traba- pobres.
Utilizavam, como mão-de-obra, escravos, negros, lho escravo era inoperante; portanto deveria ser
d) A Lei de Terras visava a aumentar o valor das
homens livres, assalariados e imigrantes. substituído pelo trabalho livre.
Passaram a adotar uma mentalidade moderna d) As pressões contra a escravidão eram defendi- terras e obrigar os imigrantes a vender sua for-
e capitalista. das por várias instituições antiescravistas ça de trabalho para os cafeicultores.
Utilizavam como transportes as ferrovias. (internacionais e nacionais) que se avoluma-
Observação – A economia, nesse período, ram entre os anos de 1870 e 1880. O Brasil era e) O objetivo do governo imperial, com esta lei,
continuou estruturada no velho modelo agroex- o único país americano livre que ainda utilizava era proteger e regularizar a situação das deze-
portador e dependente dos mercados externos. escravos.
Semelhante ao Período Colonial, a economia nas de quilombos que existiam no Brasil.
e) As principais leis abolicionistas foram:
sustentava-se na exportação de produtos, dos Lei Bill Aberdeen (1845)
quais o café tornou-se produto-rei. Proíbe o tráfico negreiro e aprisiona navios que
transportavam escravos.