Você está na página 1de 5

ETAPAS DE UM TRABALHO EXÉTICO

Observação: Este arquivo é apenas um guia de etapas para produção do trabalho

exegético, não limitando-se a elementos complementares que o exegeta queira usar.

Para a produção do seu trabalho, você poderá consultar qualquer obra literária que te

auxilie dentro de cada etapa do processo, inclusive os recursos usados em sala de aula.

Faça um bom uso dos recursos, porém, ao usar as palavras de alguém, cite a fonte de

referência.

I. A ANÁLISE CONTEXTUAL GERAL ( entre 2 e três páginas)

Para esta etapa, você deve produzir um texto que contemple os elementos

contextuais e que, responda, pelo menos, as perguntas e critérios a seguir.

Como modelo para esta etapa, você pode utilizar-se de livros como Foco e

Desenvolvimento ou Introdução, Comentário da editora Vida Nova ou

qualquer boa introdução ao Novo Testamento e metodologicamente, usar o

livro de Hermenêutica da disciplina. De forma geral, aqui se desenvolve a

introdução do seu trabalho.

a. O contexto histórico situacional:

i. Quem era o autor e, em quais circunstancias pessoais ele escreveu?

ii. Em que período da igreja primitiva foi escrita? O que estava

ocorrendo naquele contexto na igreja primitiva?

iii. Quem eram os leitores, e quais eram suas características pessoais

e gerais? Como viviam? Como são descritos?

iv. É possível identificar a maturidade dos destinatários?

v. Qual o objetivo principal e secundários geraram a escrita?

vi. Havia necessidade (s) explícita? Implícita?


vii. A necessidade era autoral ou destinatária? De ambos?

viii. A necessidade era: pessoal? Comunitária? Individual?

Doutrinária?

ix. Qual é o relacionamento entre autor e destinatário?

x. Onde viviam?

xi. Havia um problema? Qual era? Sua natureza?

xii. Por que este material foi escrito, e o que pretendia trazer aos seus

leitores e destinatários? Que resposta ou mudança buscava o autor

dos leitores ou destinatários?

b. O contexto histórico-cultural:

i. Geografia;

ii. Estrutura social;

iii. Economia geral e local;

iv. Política regente;

v. Governador regente (qual imperador e quem foi);

vi. Pensamento ( filosofia, valores, pressuposições, conhecimento)

vii. Características de governo vigente;

viii. Religião/sistema religioso (precedentes e vigentes);

ix. Costumes (PESQUISAR SOBRE A ESCRAVIDÃO NO

PERÍODO);

x. Construção histórica da cultura;

xi. Outros.

c. O contexto neotestamentário

i. Relacionar, no que for possível, as demais informações do Novo

Testamento, principalmente ao livro de Atos


II. ANÁLISE LITERÁRIA E ESTRUTURAL GERAL (use espaço que for

necessário para a estrutura);

a. Que tipo carta é? Pessoal ou comunitária?

b. Qual importância do tipo de carta?

c. Quais as divisões literárias da epístola (introdução, desenvolvimento e

conclusão?

d. Com base nestas, apresente a estrutura do texto das Macro às Micro

divisões com o argumento autoral de cada parte e os títulos. Com esta

etapa queremos discernir o fluxo de argumento autoral e literário. Aqui, se

preferir, é aconselhável usar um material que proporcione a visualização

do fluxo, como por exemplo, Foco e Desenvolvimento (as esferas de

contexto ou unidades de pensamento da epístola – o esboço). Cada esfera

tem m assunto central que compõe o argumento textual geral. Quando

você identifica o fluxo argumentativo, poderá trabalhar a passagem

especifica com maior precisão e fidelidade.

e. Agora que você tem a estrutura argumentativa, poderá discernir qual o

propósito e a mensagem central da epístola:

i. Qual o propósito?

ii. Qual a ideia central ou mensagem da epístola (faça isso com base

na estrutura argumentativa da epístola, confirme os passos

anteriores desta etapa. Você deve consultar outras obras para dá

suporte a sua definição);


III. ANÁLISE ESTRUTRAL E ARGUMENTATIVA DE UMA PASSAGEM

ESPECÍFICA DO LIVRO (perícope) - (use espaço que for necessário para a

estrutura);

a. Escolha o texto a ser trabalhado;

b. Certifique-se onde este se encontra na estrutura maior;

c. Se necessário, faça alterações na tradução do texto;

d. Estabeleça a estrutura interna da passagem, das maiores e menores:

i. Faça um esboço mecânico da passagem usando a língua grega

(conforme visto em sala e exemplificado no arquivo “estrutura das

orações” que está na pasta de exegese);

ii. Para este processo, consulte o “introdução ao esboço mecânico”,

que também se encontra pasta exegese;

iii. Para este passo, é de fundamental importância que você se utilize

do conhecimento das conjunções, conforme visto em sala e

exemplificado pelo quadro das conjunções, que também se

encontra na pasta exegese. Este conhecimento pode ser ampliado

com o uso do livro “Fundamentos exegéticos para o Novo

Testamento”, este se encontra na pasta exegese;

iv. Interprete cada unidade de pensamento da passagem e expresse sua

ideia (cada ponto). Apresente o esboço exegético da passagem;

1. Para este ponto, faça do seu conhecimento da gramática

grega (verbo, substantivos, advérbios, adjetivos e etc);

Aqui, é feita a análise gramatical do estudo da passagem;

2. Se necessário, faça uma pesquisa simples de vocábulo;


v. Uma vez estruturada e interpretada as orações, rastreei o fluxo

argumentativo da passagem e faça sua interpretação e expresse sua

ideia central;

vi. Não esqueça de que, a interpretação da passagem depende do

contexto intertextual, ou seja, do fluxo de ideias anterior e

posterior;

vii. Descreva como o contexto anterior e posterior influencia na

interpretação e ideia do texto que sendo interpretado;

viii. Descreva como a mensagem central do texto trabalhado e

interpretado contribui para a mensagem do livro como um todo;

IV. ANÁLISE TEOLÓGICA E APLICAÇÃO

a. Que conteúdo teológico pode ser extraído do texto?

i. Sistemático;

ii. Bíblico;

iii. Prático.

b. Quais aplicações posso fazer que produzirá transformações nos ouvintes?

i. Faça de três a cinco aplicações

Observação: O trabalho de exegese proposto aqui é de nível inicial, portanto, você pode

aprofundar ainda mais seus conhecimentos sobre a disciplina. Infelizmente, não temos

tampo suficiente na disciplina para um trabalho mais pormenorizado, o que desejaria.

Outra coisa, o trabalho aqui se propõe e se restringe a tarefa interpretativa, o ofício da

exposição se dará pela homilética.