Você está na página 1de 24

Dedicatória

A Directora Adjunta Pedagógica Narguice que me deu a inspiração força


de ingressa no curso.
Às minhas irmãs da Congregação que directas ou indirectamente me
apoiaram e se solidarizaram comigo, para me proporcionar tempo
espaço e material.
Aos meus familiares biológicos que foram solidariedade
Aos meus sobrinhos: Wilson e Beto, pelo apoio e encorajamento que me
deram.
Ao tutor das Práticas Pré- Profissionais, Professor Augusto Chirrute,
que sempre me deu força e ânimo.
A minha tutora da defesa final do Curso, Professora Flávia Nhampossa
que foi incansável em me escutar e dar força e encorajamento.
Aos amigos, amigas, colegas, Padres e Irmãs de outras congregações.
A Direcção do Centro de Formação em Saúde de Massinga, que me
acolheram e acompanharam durante o processo de Ensino e
Aprendizagem.

1
Agradecimentos
Durante a minha vida estudantil tive a graça de receber apoio de muitas
pessoas dentre as quais: docentes, colegas, as minhas Irmãs e amigos.
Agradeço em primeiro lugar a Deus pelos dons da vida, da Vocação
Religiosa e da formação académica.
A Congregação das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora das Vitórias
que no meu dia a dia comungou a minha vida estudantil desde o
Governo Geral, ao Provincial, a cada Irmã da mais idosa a mais nova
pelo apoio moral e material, solidariedade e paciência.
Agradeço aos meus pais biológicos que me trouxeram ao mundo e que
agora o meu pai se encontra na eternidade intercedendo por mim junto
de Deus.
Agradeço aos trabalhadores desta Instituição de Formação em Saúde de
Massinga, toda comunidade estudantil e pessoal de Saúde do Hospital
Distrital de Massinga, Hospital Distrital de Quissico, Hospital Provincial
de Inhambane e Centro de Formação de Saúde de Inhambane.
A Direcção Provincial de Saúde de Inhambane, que me acolheram para
frequentar o curso.
Ás Irmãs Missionárias da consolata pelas suas orações que me deram
forca e coragem.
Aos meus sobrinhos Wilson e Beto pela ajuda concedida em
contribuição para o meu trabalho.
A Professor Augusto Chirrute que foi incansável em me escutar e
ajudar.
A Drª Telma, a minha querida tutora pela paciência dedicação
incansável e amabilidade.
A professora Flávia Nhampossa, que me ajudou na compilação dos
resultados do relatório final do Curso.
À Drª Matilde que corrigiu a ultima versão do meu protocolo o meu
muito obrigada.
A todos os que directas ou indirectamente me apoiaram, mesmo que os
seus nomes não venham mencionados o meu sincero muito obrigado.

2
Resumo

O presente trabalho é para desenvolver um método de educação


continua visando orientar e consciencializar as estudantes do curso de
enfermagem sobre a importância do desenvolvimento correto da técnica
de punção venosa periférica, ressaltando cada item do procedimento e
os principais factores de riscos que podem desencadear complicações.
Punção venosa é uma técnica na qual uma veia é puncionada através
da pele por um estilete rígido e agudo (ex. agulha de metal), um estilete
parcialmente coberto por uma cânula plástica (cânula sobre agulha, ou
uma agulha fixada a uma seringa).
O Laboratório Humanístico é um espaço para o desenvolvimento de
competências e habilidade na prática pré-profissional, representa uma
melhor alternativa de apoio pedagógico, actuando como uma actividade
antecipatória das práticas de treinamento de habilidades com paciente,
preparando a estudante para a sua futura profissão.
Nos serviços de saúde é preciso ser competente, visando
prioritariamente à qualidade da assistência prestada, que deve ser
isenta de todos os riscos envolvidos directa ou indirectamente.
É necessário intensificar as actividades de educação continuada, com o
intuito de sucesso na realização dos procedimentos e considerável
diminuição das complicações desnecessárias aos nossos pacientes, e o
indivíduo que aprende fazendo não esquece mais.
Palavras-Chaves: Habilidades, Cateterização e venosa.

3
1. Introdução

O presente trabalho realizado no Hospital Distrital de Massinga, pela


estudante do Curso de Especialização em Ensino, do Centro de
Formação em Saúde de Massinga, para conhecer os factores que
influenciam na fraca Habilidade na técnica de cateterização venosa das
estudantes de Enfermagem Saúde Materno Infantil turma-5, no
Hospital Distrital de Massinga. Esta pesquisa surge com objectivo de
encontrar soluções para melhorar o Processo de Ensino Aprendizagem.

Punção venosa é uma técnica na qual uma veia é puncionada através


da pele por um estilete rígido e agudo ( ex. agulha de metal), um estilete
parcialmente coberto por uma cânula plástica( cânula sobre agulha, ou
uma agulha fixada a uma seringa.

Cateter é um tubo fino, oco, flexível, de vários comprimentos, calibres e


formas, que é introduzido em uma veia, usado para injectar, retirar
líquido de uma cavidade corporal. Os cateteres são feitos de pratas ou
metais. Cateter intracateter é um cateter introduzido através de uma
agulha, usados para infusões intravenosa e pega-se a veia com uma
agulha.

Laboratório Humanístico, funciona como ponto de inteiração dos


diferentes saberes para a construção de um técnico de saúde mais
completo e menos segmentado, já que o treinamento e simulado podem
ser reiniciados sem dar danos ao objecto.

O trabalho está estruturado da seguinte maneira: Introdução, onde


ilustra-se a estruturação, tema, problema, justificativa, objectivos,
hipóteses, revisão bibliográfica, breve historial, conceitos, metodologia
que nortearam esta pesquisa, resultados da pesquisa e discussões,
conclusões, sugestões e bibliografia.

4
1.1. Tema:
Fraca Habilidade na técnica de cateterização venosa das estudantes de
Enfermagem Saúde Materno Infantil turma-5, no Hospital Distrital de
Massinga.

1.2. Problema:
Que factores influenciam na fraca Habilidade na técnica de
cateterização venosa das estudantes de Enfermagem Saúde Materno
Infantil turma-5, no Hospital Distrital de Massinga.

1.3. Justificativa:
No Processo de Ensino de Aprendizagem, a cateterização Venosa é
indispensável, porque faz com que os estudantes entrem em contacto
directo com elementos essenciais como: A definição do procedimento a
ser realizado, suas indicações, contra-indicações, manequins,
equipamentos e materiais necessários, técnicas para a sua realização,
simulação de complicações, prevenção e tratamento de reacções
adversas.

Punção venosa segundo PERRY (2009:1005) é uma técnica na qual


uma veia é puncionada através da pele por um estilete rígido e agudo
( ex. agulha de metal), um estilete parcialmente coberto por uma
cânula plástica( cânula sobre agulha, ou uma agulha fixada a uma
seringa.

A escolha deste tema, justifica-se pela fraca habilidade na cateterização


venosa que se observou nas estudantes do curso de Enfermagem de
Saúde Materno Infantil Turma-5, durante o segundo semestre do curso,
no estágio realizado no Hospital Distrital de Massinga, ao executar a
técnica acima referida, tendo sido observado durante estágio prático na
disciplina de Supervisão e Estágio Pedagógico, no Banco de Socorros
(Sala de Observação), do Hospital Distrital de Massinga.

5
A fraca habilidade constitui um factor importante para reflexão dos
Professores e não só, mas também para a própria Instituição de
Formação, porque a sua resolução trará melhoria e benefício na
formação de técnicos de Saúde esperados na sociedade. Através de uma
educação continuada aos estudantes de cursos de saúde, terão sempre
em mente que um acesso venoso periférico é a “porta de entrada” do
meio externo para o interno do organismo do paciente e que se as
devidas precauções não forem tomadas o paciente pode desencadear
um quadro desfavorável para sua recuperação, o que acarreta em
complicações não só para o paciente mas também para instituição.

O não domínio na cateterização venosa das estudantes do curso de


Enfermagem de Saúde Materno Infantil na turma-5, constitui o motivo
que levou a pesquisar este tema. Pois, na colonização cutânea a
contaminação ocorre a partir de microorganismos localizados na pele ao
redor do cateter por onde penetram acompanhando seu trajecto até
alcançar a ponta e a corrente sanguínea e na colonização da conexão do
cateter a manipulação é o principal factor e, uma vez instalada, os
microorganismos migram ao longo de sua superfície interna.

O problema é relevante, porque a cateterização venosa efectuada com


habilidade e domínio o resultado positivo da aprendizagem. Por ser um
procedimento invasivo, sua inserção, manutenção e manipulação devem
ser realizadas rigorosamente através da técnica asséptica.

1.4. Objectivos

1.4.1 Objectivo geral

Conhecer os factores que influenciam na fraca Habilidade na técnica de


cateterização venosa das estudantes de Enfermagem Saúde Materno
Infantil turma-5, no Hospital Distrital de Massinga.

6
1.4.2. Objectivos específicos
1. Identificar os factores que influenciam na fraca habilidade na
cateterização venosa das estudantes de Enfermagem Saúde Materno
Infantil turma-5, no Hospital Distrital de Massinga;

2. Descrever os factores que influenciam na fraca habilidade na


cateterização venosa das estudantes de Enfermagem Saúde Materno
Infantil turma-5, no Hospital Distrital de Massinga;

3. Propor para o domínio das habilidades da cateterização venosa das


estudantes de Enfermagem Saúde Materno Infantil turma-5, no
Hospital Distrital de Massinga.

1.5. Hipóteses:

a) A falta de interesse da parte das estudantes poderá contribuir na


fraca habilidade na cateterização venosa;

b) Insuficiência dos materiais médico-cirúrgicos poderá contribuir, na


fraca habilidade na realização da técnica, de cateterização venosa no
Laboratório humanístico;

c) A Falta de informação sobre a importância do uso do Laboratório


Humanístico para as estudantes, poderá contribuir na fraca habilidade
na realização da técnica, de cateterização venosa no Laboratório
humanístico;

d) Falta de acompanhamento das estudantes durante a realização da


técnica de cateterização poderá contribuir na fraca habilidade de
cateterização venosa.

2. Revisão Bibliográfica

2.1. Breve historial

Punção venosa segundo PERRY (2009:1005) é uma técnica na qual


uma veia é puncionada através da pele por um estilete rígido e agudo
( ex. agulha de metal), um estilete parcialmente coberto por uma

7
cânula plástica( cânula sobre agulha, ou uma agulha fixada a uma
seringa.

Laboratório Humanístico é um espaço para o desenvolvimento de


competências e habilidades na prática pré-profissional. Representa uma
alternativa de apoio pedagógico, actuando como uma actividade
antecipatória das práticas de treinamento de habilidades com paciente,
preparando o estudante para a sua futura profissão.
(http://www.medicina.ufg.br).
O primeiro Laboratório Humanístico foi instalado em 1975, na
Faculdade de Medicina da Universidade de Leimburg, em Maastricht,
na Holanda. O ensino do Laboratório Humanístico era feito de maneira
sistemática e controlada, e havendo integração entre elas e com outras
actividades curriculares. A sociedade actual, em permanente mudança,
requer que os profissionais de saúde sejam tecnicamente competentes,
humanos capazes resolver problemas em diferentes contextos.
(http://www.medicina.ufg.br/up acessado no dia, 5/6/2o149).

Laboratório Humanístico, funciona como ponto de inteiração dos


diferentes saberes para a construção de um técnico de saúde mais
completo e menos segmentado, já que o treinamento e simulado podem
ser reiniciados sem dar danos ao objecto.

O motivo que me levou a pesquisar este tema sobre a fraca habilidade


na técnica de cateterização venosa das estudantes de Enfermagem
Saúde Materno Infantil turma-5, no Hospital Distrital de Massinga, foi a
falta do domínio na técnica de cateterização venosa, querendo perceber
melhor os factores que contribuem, durante o Processo de Ensino
Aprendizagem. Considera-se que o problema é relevante, porque as
estudantes necessitam de um conhecimento especializado e para
inserir. Entretanto, algumas cânulas de linha central requerem inserção
pelo Médico ou por Enfermeiras Habilitadas.

8
2.2. Conceitos

Punção venosa segundo PERRY (2009:1005) é uma técnica na qual


uma veia é puncionada através da pele por um estilete rígido e agudo
( ex. agulha de metal), um estilete parcialmente coberto por uma
cânula plástica( cânula sobre agulha, ou uma agulha fixada a uma
seringa.

Cateter segundo ANDREI,(1995: 190-195), é um tubo fino, oco, flexível,


de vários comprimentos, calibres e formas, que é introduzido em uma
veia, usado para injectar, retirar líquido de uma cavidade corporal. Os
cateteres são feitos de pratas ou metais. Cateter intracateter é um
cateter introduzido através de uma agulha, usados para infusões
intravenosa e pega-se a veia com uma agulha Segundo ANDREI, (1995:
190-195).

Laboratório Humanístico é uma sala de aula que a sua aprendizagem


está baseada em demonstrações práticas das teorias aprendidas
anteriormente na sala de aula e de exercício da inter e
transdisciplinaridade. De acordo com Tochon (1995: 77), “a criação de
Laboratório Humanístico obriga os professores a saírem “ do esquema
preconcebido de uma organização linear das aprendizagens para encarar
uma nova didáctica, dinâmica e complexa, deixando aberta a
possibilidade de a planificação vir a ser ultrapassada pelos actos
criativos.”

Problema é uma questão que mostra uma situação necessitada de


discussão, investigação, decisão ou solução.

Objectivo: É o que se pretende alcançar com a realização da pesquisa.

Justificativa: Segundo CARLOS, António Gil (2005) “ consiste na


apresentação de forma clara e suscita, das formas de ordem teórica ou
práticas que justificam a realização da pesquisa.”

9
Hipótese, Segundo Fundo das Nações para a População (1999: 24), é
sempre uma previsão de uma relação entre um ou mais factores/
causas e o problema em estudo, que pode ser testada.

Tema é um aspecto ou uma área de interesse de um assunto que se


deseja provar ou desenvolver.
Amostragem é o estudo de um pequeno grupo de elementos retirados
de uma população que se pretende conhecer.

Amostra: Segundo, VIEIRA e HOSSNE (2001:29) é todo subconjunto de


elementos retirados da população da população para obter a informação
desejada.

Método: NÉRICE (1980: 15) citado por LAKATOS e MARCONI (2001)


“método é o conjunto de procedimentos racionais ou prático-racionais
que orienta o pensamento para serem alcançados conhecimentos
válidos”.

Variável: São características de um individuo, objecto ou fenómeno que


pode tomar diferentes valores (MISAU. 1999:24).

Questionário: É um instrumento de colecta de dados constituído por


uma série ordenada de perguntas, que devem ser respondidas por
escrito e sem a presença do entrevistador;

3. Metodologia

3.1. Característica da área de estudo

Hospital Distrital de Massinga e Laboratório Humanístico.

3.2. Tipos de estudo

Foi feito um estudo quantitativo, porque, são produzidos por variáveis


numéricas e os seus valores são expressos em números e entre dois
consecutivos valores, não há possibilidade de haver outros valores.

10
3.3. Campo e objecto de estudo

Hospital Distrital de Massinga e turma-5 de Enfermeiras de Saúde


Materno Infantil do Centro de Formação em Saúde de Massinga.

3.4. Amostragem e Amostra

A amostragem usada para esta pesquisa é probabilística por


conveniência.

A amostra da pesquisa baseou-se em 30 pessoas: Sendo 20 estudantes


do Centro de Formação em Saúde de Massinga, 5 Professores efectivo e
5 Tutores do Hospital Distrital de Massinga.

3.5. Variáveis do estudo

1. Total dos estudantes existentes no Centro de Formação em Saúde de


Massinga;

2. Os professores que leccionam o módulo de enfermagem;

3. Os tutores existentes na área de enfermagem.

3.6. Técnicas de recolha e tratamento de dados


A recolha de dados foi feita por meio de questionário submetido as
estudantes do Curso de Enfermagem de Saúde Materno Infantil, turma-
5, Tutores do Hospital Distrital de Massinga e Professores do Centro de
Formação em Saúde de Massinga.

3.7. Instrumentos de recolha de dados


Foram necessários três questionários: sendo primeiro para as
estudantes, segundo para Tutores e o terceiro para os Professores.
Assim como, revisão bibliográfica e o grupo focal.

4. Resultados
Importa agora dar seguimento à análise de tabelas dos resultados
obtidos a partir do tratamento efectuado às respostas do primeiro
11
questionário, conforme se indica nos gráficos e tabelas abaixo acima
referida é preciso desenvolver um método de educação continuada
visando orientar e conscientizar as estudantes do Curso de Enfermagem
de Saúde Materno Infantil, sobre a importância do desenvolvimento
correto da técnica de punção venosa periférica, ressaltando cada item
do procedimento e os principais factores de riscos que podem
desencadear complicações.

Grupo A

Tabela 1: Mostra o número de vezes que a estudante vai ao Laboratório


Humanístico execução de técnica de cateterização venosa por semana.

Perguntas Respostas Fi Fr
1 veze 9 45%
2 vezes 1 5%
3 vezes 4 20%
Quantas vezes vai ao laboratório 4-5 vezes 2 10%
humanístico? Depende 2 10%
Quando tem
dificuldade 1 5%
5 vezes 1 55%
Total   20 100%

Inicialmente procurou-se identificar que as 20 estudantes inqueridas,


45% que corresponde a 9 estudantes referem que usam Laboratório
Humanístico uma vez por Semana. Observa-se pouca afluência no
Laboratório Humanístico.

Tabela 2: Ilustra o acompanhamento das estudantes na técnica da


cateterização na Unidade Sanitária, durante o estágio.

Perguntas Respostas Fi Fr
Tem acompanhamento Quando vai
executar a Sim 18 75%
técnica de cateterização venosa na Unidade
Sani-
tária? Não 2 25%
Total   20 100%
12
Conforme ilustra a tabela nº2, das 20 estudantes inqueridas, 75% que
corresponde a 18 estudantes referem que não têm acompanhamento.

Tabela 3: Dificuldade na cateterização venosa da parte da estudante.

Perguntas Respostas Fi Fr
Tens dificuldade na execução Sim 18 65%
da técnica de cateterização venosa?
Não
  2 35%
Total   20 100%

Conforme ilustra a tabela nº3, das 20 estudantes inqueridas, 65% que


corresponde a 13 estudantes referem que tem dificuldade na
cateterização venosa. Isso indica que existe fraca habilidade, e precisam
de empenha-se mais para ganhar habilidade.

Tabela 4: Existência do material Médico-Cirúrgico no Laboratório


Humanístico.

Pergunta Respostas Fi Fr
Laboratório Humanístico tem material
médico sufi- Sim 15 75%
ciente para prática da técnica de
cateterização ve- Não
nosa para cada estudante? 5 25%
Total   20 100%

Conforme ilustra a tabela nº4, das 20 estudantes inqueridas, 75% que


corresponde a 15 estudantes afirmam que Laboratório Humanístico tem
material Médico-Cirúrgico é suficiente.

Tabela nº5. Existência de Guião de procedimento no Laboratório Humanístico.

Perguntas Respostas Fi Fr
Será que Laboratório Humanístico possui
guião de Sim 15 75%
Procedimento da técnica de cateterização Não 5 25%
venosa?

13
 
Total   20 100%

Conforme ilustra a tabela nº5, das 20 estudantes inqueridas, 75% que


corresponde a 15 estudantes afirmam que Laboratório Humanístico
possui guião de procedimento.

Tabela 6 o tutor acompanha a estudante durante o estágio na Unidade


Sanitária.

Perguntas Respostas Fi Fr
Quando estais a estagiar na Unidade
Sanitária, os Sim 7 35%
tutores te acompanham em todos momento
que Não
executas a técnica de cateterização venosa? 13 65%
Total   20 100%

Em relação a tabela nº6, das 20 estudantes inqueridas, 65% que


corresponde a 13 estudantes afirmam que os tutores não os
acompanham em todos os momentos, porque alguns afirmam que não
são pagos pela Instituição de Formação.

Questionário B: Aos tutores da Unidade Sanitária

Tabela nº1: Presença do tutor quando a estudante executa a


cateterização venosa.

Perguntas Respostas Fi Fr
Será que as estudantes executam a técnica
de cateterização venosa na presença Sim 2 40%
do Tutor?
Não
  3 60%
Total   5 100%

A tabela nº1, dos 5 tutores inqueridas, 60% que corresponde a 3 tutores


afirmam que não executam a técnica de cateterização na presença do
tutor.

14
Tabela2: Estudantes dedicam-se na técnica de cateterização venosa
quando estão a estagiar na enfermaria?

Perguntas Respostas Fi Fr
As estudantes dedicam-se na técnica de
cateterização venosa quando estão no Sim 2 40%
estágio na enfermaria?
Não
  3 60%
Total   5 100%

Em relação a tabela 2, dos 5 tutores inqueridos, 60% que corresponde a


3 tutores, afirmam que não se dedicam na técnica de cateterização
venosa, porque esperam ser chamada pelo tutor para cateterizar.

Tabela 3: Busca das oportunidades para ganhar Habilidade na técnica


de cateterização venosa.

Pergunta Respostas Fi Fr
será que as estudantes preocupam em
procurar Sim 2 40%
ganhar habilidade na técnica de
cateterização, Não
cateterizando aos pacientes? 3 60%
Total   5 100%

Em relação a tabela 3, dos 5 tutores inqueridos, 60% que corresponde a


3 tutores afirmam que a estudante não procura as oportunidades para
ganhar habilidade na técnica de cateterização.

Tabela 4: Habilidade suficiente na execução da técnica de cateterização


venosa.

Pergunta Respostas Fi Fr
O que achas que as estudantes deveriam fazer
pa- Sim 1 20%
ra ter conhecimento e habilidade na técnica de
Não
Cateterização venosa? 4 80%
Total   5 100%

15
Em relação a tabela 4, dos 5 tutores inqueridos, 60% que corresponde
a 3 tutores, afirmam que as estudantes não procuram as
oportunidades para a técnica de cateterização.

Tabela 5: refere a existência de material médico-cirúrgico na Unidade


Sanitária.

Pergunta Respostas Fi Fr
As Unidades Sanitárias Possuem material
médico Sim 1 20%
cirúrgica suficiente para as estudantes
cateteri-
Não
zar aos veias aos pacientes se for
necessário? 4 80%
Total   5 100%

Em relação a tabela5, dos 5 tutores inqueridos, 60% que corresponde


a 3 tutores afirmam que a Unidade Sanitária possui material Médico-
Cirúrgico.

Questionário C: Aos professores efectivo

Tabela nº1: Frequentam das estudantes no Laboratório Humanístico


na técnica da cateterização venosa.

Pergunta Respostas Fi Fr
Será que as estudantes vão ao laboratório
huma- Sim 0 0%
nístico praticar a técnica de cateterização
após a Não 4 80%
demonstração pelo professor?
Não sei
  1 20%
Total   5 100%

Em relação a tabela nº1, dos 5 Professores inqueridos, 80% que


corresponde a 4 Professores, afirmam que a estudante não tem tempo
suficiente para frequentar Laboratório Humanístico após a
demonstração da aula prática pelo professor, porque anda ocupada com
outras actividades que julgam importantes.

16
Tabela 2. Existência do guião de procedimento no Laboratório
Humanístico.

Pergunta Respostas Fi Fr
Será que durante a demonstração da aula
pratica da técnica de cateterização no
laboratório humanístico o professor
proporciona guião de procedimento para
cada estudante? Sim 4 80%
Não 0 0%
Não sei
  1 20%
Total   5 100%

Em relação a tabela 2, dos 5 Professores inqueridos, 80% que


corresponde a 4 Professores, afirmam que Laboratório Humanístico
possui guião de procedimento da técnica de cateterização venosa.

Tabela nº3: Interesse em aprender.

Resposta
Pergunta s Fi Fr
Achas que as estudantes têm
conhecimentos suficientes para executar
a técnica de cateterização venosa, após a
demonstração pelo professor? Sim 5 100%
Não
0 0%
Total   5 100%

Em relação a tabela 3, dos 5 Professores inqueridos, 80% que


corresponde a 4 Professores, afirmam que mostram interesse em
aprender após a demonstração da técnica pelo professor.

17
Tabela nº4: Orientação das estudantes para o uso do Laboratório
Humanístico.

Resposta
Pergunta s Fi Fr
Achas que orientas as estudantes para o
uso do Laboratório Humanístico para
treinamento da técnica da cateterização
venosa? Sim 5 100%
Não
0 0%
Total   5 100%

Em relação a tabela 4, dos 5 Professores inqueridos, 100% que


corresponde a 5 Professores, afirmam que orientam a estudante para o
uso do Laboratório Humanístico na técnica de cateterização venosa.

Tabela nº5: A demonstração da técnica de cateterização venosa.

Pergunta Respostas Fi Fr
Após a demonstração da técnica de
cateterização venosa pelo professor, as
estudantes têm a oportunidade de fazerem
réplica na sua presença? Sim 4 80%
Não 0 0%
Não sei
  1 20%
Total   5 100%

Em relação a tabela 5, dos 5 Professores inqueridos, 80% que


corresponde a 4 Professores, afirmam que as estudantes têm
oportunidade de executar individualmente na presença do docente.

18
Tabela nº6: A demonstração da cateterização venosa na presença do
professor.

Pergunta Respostas Fi Fr
O professor demonstra a técnica de
cateterização venosa com a presença de
todas as estudantes no laboratório
Humanístico? Sim 4 80%
Não
1 20%
Total   5 100%

Em relação a tabela 6, dos 5 Professores inqueridos, 80% que


corresponde a 4 Professores, afirmam que a estudante executa a técnica
de cateterização venosa com presença do professor.

19
5. Conclusões
Do estudo, do qual participaram 30 inqueridos dos quais 20
estudantes, 5 professores e 5 tutores da unidade sanitária.
Relativamente ao tempo aqui inquerido tanto para as estudantes
quanto para os professores e tutores, tem relevância. Pois para as
estudantes há mais possibilidade em detectar os factores de fraca
habilidade na cateterização venosa tais como: Insuficiência do tempo,
Observa-se pouca afluência no Laboratório Humanístico, referem que
não têm acompanhamento.

Para os Professores, supõe-se que as estudantes não se dão tempo


suficiente para treinamento da técnica de cateterização venosa, porque
andam ocupadas com outras actividades que elas julgam importantes,
outras criam espaço para o treinamento das técnicas acima referidas.

Em relação aos tutores afirmam que as estudantes, nem todas


executam a técnica de cateterização venosa na presença dos seus
tutores. Além disso, não procuram ganhar habilidade, mas esperam
serem indicados pelos tutores ou pessoal técnico, para executar a
técnica.

Factores da fraca habilidade na técnica de cateterização venosa, são


possíveis factores interesse da parte das estudantes, que não se dão
tempo para fazer réplica no Laboratório Humanístico. Não procuram
oportunidades quando estão no estágio, Insuficiência no
acompanhamento sistemática pelos tutores da Unidade Sanitária, medo
de cateterizar na presença do tutor.

Sugerir a quem é de direito procurar verificar e resolver os problemas


dos tutores que não são pagos e consequentemente não acompanham
as estudantes com ânimo durante o estágio.

20
6. Sugestões
Os resultados e as conclusões desta pesquisa, permitiram a elaboração
de estratégias que é proposto como parte da solução da problemática
dos factores da fraca habilidade na técnica de cateterização venosa das
estudantes do Curso de Enfermagem de Saúde Materno Infantil turma-
5, do Centro de Formação em Saúde de Massinga.

A estudante do curso acima citada, deve utilizar a via intravenosa nas


emergências, quondo um medicamento de acção rápida deve ser
fornecido imediatamente, quando é necessário estabelecer níveis
terapêutico sanguineos constantes. Porém, alguns medicamentos são
altamente alcalinos e irritantes para o músculo e tecido subcutâneo.
Estes medicamentos provacam menos desconforto, quando fornecido
por via Intramuscular.

 Sugere-se para melhorar a forma de acompanhamento das


estudantes no estágio;

 Sugere-se para que haja flexibilidade no pagamento dos


honorários das próximas vezes aos tutores de estágios;

 Sugere-se o estabelecimento de calendário rotativo das


estudantes no Laboratório Humanístico para as réplicas
individual ou colectiva, subcontrolo periódico;

 Sugere se para apoiar as estudantes com mais dificuldades na


técnica da cateterização Venosa.

21
7. Bibliografia
1. ANDREI, Helen A. Duncan, R. N., M.: Dicionário para Enfermeiros e
Outros Profissionais da Saúde, 2ªedição, São Paulo:1995.
2. CARLOS, Gil António. Metodologia do ensino Superior, Atlas. São
Paulo, 2005.
3. LAKATOS, Eva Maria e MARCONI, Mariana e Andrade, 4ªedição, São
Paulo, 2001.
MINISTÉRIO DA SAÚDE, Manual de Metodologia de Investigação
Científica, Fundo das Nações unidas para População, Manual1, 1999.

4. http://www.ufg.br, 10/07/2014. 13:10'


5.http://www.medicina.ufg.br/uploads/148/original_o_Laboratório_de_
Labilidades_na.pdf 5/6/2014.

6. PERRY, Potter. Fundamento de Enfermagem, editora Ltda., 7ªed. Rio


de Janeiro:2009.
7.MINISTÉRIO DA SAÚDE, Manual de Metodologia de Investigação
Científica ,Fundo das Nações unidas para População, Manual1, 1999.

8. VIEIRA, Sonia e HOSSNE, William Saad. Metodologia Científica para


área de Saúde, editora Campus, São Paulo: 2003.

22
Indice P á ginas
Dedicatória...........................................................................................................................1

Agradecimentos...................................................................................................................2

Resumo..................................................................................................................................3

1. Introdução......................................................................................................................4

1.1. Tema:.............................................................................................................................5

1.2. Problema:.....................................................................................................................5

1.3. Justificativa:................................................................................................................5

1.4. Objectivos.....................................................................................................................6

1.4.1 Objectivo geral..........................................................................................................6

1.4.2. Objectivos específicos...........................................................................................6

1.5. Hipóteses:.....................................................................................................................7

2. Revisão Bibliográfica....................................................................................................7

2.1. Breve historial.............................................................................................................7

2.2. Conceitos......................................................................................................................8

3. Metodologia...................................................................................................................10

3.1. Característica da área de estudo........................................................................10

3.2. Tipos de estudo........................................................................................................10

3.3. Campo e objecto de estudo...................................................................................10

3.4. Amostragem e Amostra..........................................................................................11

3.5. Variáveis do estudo.................................................................................................11

3.6. Técnicas de recolha e tratamento de dados.....................................................11

3.7. Instrumentos de recolha de dados.....................................................................11

4. Resultados.....................................................................................................................11

5. Conclusões....................................................................................................................20

6. Sugestões.......................................................................................................................21

7. Bibliografia.............................................................................................................................22

.................................................................................................................................................3
23
Introdução............................................................................................................................4

Tema:......................................................................................................................................5

Problema:..............................................................................................................................5

Justificativa:.........................................................................................................................5

Objectivos.............................................................................................................................6

Objectivo geral.....................................................................................................................6

Objectivos específicos........................................................................................................6

Hipóteses:.............................................................................................................................7

Revisão Bibliográfica.........................................................................................................7

Breve historial.....................................................................................................................7

Conceitos...............................................................................................................................8

Metodologia........................................................................................................................10

Característica da área de estudo.................................................................................10

Tipos de estudo.................................................................................................................10

Campo e objecto de estudo............................................................................................10

Amostragem e Amostra...................................................................................................11

Variáveis do estudo..........................................................................................................11

Técnicas de recolha e tratamento de dados.............................................................11

Resultados..........................................................................................................................11

Conclusões.........................................................................................................................20

Sugestões............................................................................................................................21

Bibliografia.........................................................................................................................22

24