Você está na página 1de 14

BRUNO HENRIQUE MANSAN MARTINS

INTRODUÇÃO DO PROGRAMA 5S EM ALMOXARIFADO DE UMA COLÔNIA DE


FÉRIAS MILITAR NO MUNICÍPIO DE SÃO FRANCISCO DO SUL/SC

Trabalhos de pesquisa apresentado ao


Curso de Graduação de Tecnologia em
Logística do Instituto Federal de
Educação Ciência e Tecnologia
Catarinense – Campus São Francisco
do Sul para obtenção do título de
Tecnólogo em Logística.
Orientador: Sergio Ruggiero, Dr.
Coorientadora: Andreia Luciana da Rosa
Scharmach, Me.

São Francisco do Sul


2019
LISTA DE TABELAS

Tabela 1.Cronograma para execução do trabalho de pesquisa. Autor 2019. ........... 12


SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO... ...................................................................................................... 4

1.1 PROBLEMA .......................................................................................................... 5

1.2 JUSTIFICATIVA .................................................................................................... 6

1.3 OBJETIVOS .......................................................................................................... 7

1.3.1 Objetivo Geral ................................................................................................... 7

1.3.2 Objetivo específicos......................................................................................... 7

2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA ............................................................................... 8

2.1 ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E RECURSOS .............................................. 8

3 METODOLOGIA .................................................................................................... 10

3.1 DELIMITAÇÃO DA PESQUISA ........................................................................... 10

4 CRONOGRAMA .................................................................................................... 12

REFERÊNCIAS......................................................................................................... 13
1 INTRODUÇÃO

No mundo das organizações, a produtividade e os custos são de extrema


importância, a busca por melhorá-los continuamente é constante aperfeiçoando-os
em todos setores possíveis. O almoxarifado1 é um dos setores das organizações que,
quando gerenciado de forma correta, pode auxiliar a melhorar a produtividade e a
redução de custos e por consequência a obtenção da qualidade em sua gestão.
O almoxarifado é um local onde se guarda matéria prima, material auxiliar
em geral para produção e ferramentas de uma organização para armazenagem e
proteção; dependendo da empresa, é onde está grande parte de seu patrimônio,
podendo chegar a mais de cinquenta porcento de seus ativos.
Por vezes os almoxarifados são ignorados na gestão das organizações,
administrado por pessoas sem a qualificação necessária. Quando as organizações
notaram a sua relevância, chegaram à conclusão de que deveriam melhorar seus
processos e volta-los a gestão com qualidade pois houve a percepção de que uma
boa gestão, neste setor, poderia gerar melhor eficiência das organizações melhorando
assim seus custos, obtendo maior competitividade.
Para uma melhor administração do almoxarifado, há inúmeros critérios a
serem considerados, entre eles estar em lugar apropriado e com fácil acesso para
melhor manuseio, além de ter a melhor organização possível; para tanto, existem
técnicas de administração e suas ferramentas de qualidade que auxiliam nessas
gestões. Este estudo buscará características para a organização eficaz de um
almoxarifado em um espaço militar, onde se armazenam ferramentas para
manutenções e material carga2 das unidades.
Organizações militares são instituições e instalações, que têm a
autorização para usar a força em proteção de seu país, são regidas por suas próprias
legislações, economias e educação. Essas organizações se dividem em duas
categorias: as três forças armadas (marinha, exército e aeronáutica), estas três só
respondem diretamente ao governo; e as forças auxiliares (polícia federal , militar e ,

1
indica sala ou prédio cuja função é armazenar diversos objetos. Tem origem no árabe almuxarif,
que indicava um tesoureiro ou inspetor.
2
termo utilizado para todos os itens que a dentro da unidade de hospedagem.
além de bombeiros militares e guarda municipal), respondendo ao seus estados e
municípios, com exceção à polícia federal que também responde ao Governo Federal.
A qualidade é uma obrigação em todos os tipos de organização, por isso é
que se busca desenvolver nesse trabalho um estudo sobre ferramenta de qualidade
em almoxarifado de uma organização pública.
Assim fica definido como tema desta pesquisa: O estudo e a introdução de
um programa 5S em um almoxarifado

1.1 PROBLEMA

Nesta pesquisa será utilizada como fonte e obtenção de dados uma


unidade do exército localizada no litoral norte catarinense no município de São
Francisco do Sul. Trata-se de uma colônia de férias militar, possuindo entre suas
instalações um almoxarifado que fica responsável por três tipos de itens que são
cautelados3, o fardamento, ferramentas de manutenção e o material carga das
unidades de hospedagem, além de possuir a lavanderia das roupas de camas das
unidades. Para cautelas desses itens não há um controle causando extravios que
poderiam ser evitados.
A falta de organização dentro desse almoxarifado se resume em vários
fatores, não há nenhum tipo de controle nem em planilha ou outros sistemas para
cautela dos itens. Muitas vezes o lugar fica sozinho pela falta de pessoal, assim
qualquer pessoa pode entrar e pegar os materiais/ferramentas, além de que as
pessoas responsáveis pelo setor, não tem nem um treinamento e nem qualificação
para função.
As funções executadas neste almoxarifado são: os atendimentos para
cautelas dos itens, a organização dos materiais e manutenção dos material carga de
almoxarifado; é neste local que também todas as roupas de camas são lavadas,
passadas, empacotadas e guardadas.
Os materiais/ferramentas ficam em prateleiras e armários, mas não há
nenhuma forma de identificação sobre quais itens há em cada armário ou prateleira,
ocasionando a demora para encontrar o material ou para fazer a entrega, prejudicando
a reposição de materiais por não se saber a quantidade de cada item no local.

3
São materiais que após uso devem ser devolvidos
No sentido de buscar melhorias para a gestão o almoxarifado dessa
unidade militar, entre várias ferramentas, na presente pesquisa será utilizado o
programa 5S.
O programa 5S surgiu no Japão nos anos 50 onde as empresas utilizavam
os seus cinco princípios que são: Seiri, Seiton, Seiso, Seiketsu e
Shitsuke, que em português significam: utilização, organização, limpeza,
conservação e disciplina; No sentido de conseguir adquirir padrão, segurança,
eficiência, otimização dos espaços, controle dos itens, consciência nos desperdícios
e muitos outros benefícios.
Segundo Lapa et al (2012, p. 1), “o Programa 5 S, como é conhecido, “é
um conjunto de cinco conceitos simples que, ao serem praticados, são capazes de
modificar o humor, o ambiente de trabalho, a maneira de conduzir as atividades
rotineiras e as atitudes.”
Então, no sentido de buscar formas de melhorar a qualidade da gestão do
almoxarifado, para sua organização e controle de materiais com qualidade, é que se
apresenta a questão problemática:
Quais implicações da introdução de um programa 5S em um almoxarifado
de uma colônia de férias militar?

1.2 JUSTIFICATIVA

A principal justificativa do estudo apoia-se na melhoria das atividades do almoxarifado


para que não haja desperdício de material evitando um custo maior a União, sendo
essa e uma das justificativas deste estudo. Com isso, é possível disponibilizar
investimentos maiores em outros setores para melhor bem-estar da nação.
Também se justifica pelo fato de que a instituição esteja de acordo com as
normas direcionadas as instituições públicas, ou seja:

Art. 17. A alta administração das organizações da administração


pública federal direta, autárquica e fundacional deverá estabelecer,
manter, monitorar e aprimorar sistema de gestão de riscos e controles
internos com vistas à identificação, à avaliação, ao tratamento, ao
monitoramento e à análise crítica de riscos que possam impactar a
implementação da estratégia e a consecução dos objetivos da
organização no cumprimento da sua missão institucional, observados
os seguintes princípios:
[...]
III - estabelecimento de controles internos proporcionais aos riscos, de
maneira a considerar suas causas, fontes, consequências e impactos,
observada a relação custo-benefício. (Brasil, 2017)

No âmbito organizacional, este trabalho de pesquisa, caso ofereça


resultados positivos, poderá ser implementado em outras unidades militares, onde não
há tal gestão.
Há vários estudos publicados com o presente tema, porém devido a
peculiaridade do local desta pesquisa, não foram encontrados trabalhos especificos,
portanto, sua realização poderá ser utilizada para auxiliar futuros estudos e consultas
para organizações similares com problemas iguais ou parecidos.
Melhorando o controle, pode-se evitar extravios que ocorreu com os
materiais de responsabilidade do almoxarifado, pois o extravio causa um grande
custo, não só em questões financeiras, mas por ser tratar de uma instituição do
governo, todo pedido de compra segue um longo processo de licitação, onde se gasta
tempo e dinheiro, além da operação logística para o deslocamento dos materiais.
É de interesse pessoal a aplicação da pesquisa, pois, o pesquisador
trabalha na organização estudada. Auxiliará no ganho de conhecimento sobre o
assunto, e agrega valor na vida profissional e pessoal, além de avançar na graduação
de tecnólogo em logística.

1.3 OBJETIVOS

1.3.1 Objetivo Geral

Identificar as implicações da introdução de um programa 5S em um


almoxarifado de uma Colônia férias militar.

1.3.2 Objetivo específicos

a) Realizar diagnostico atual do almoxarifado


b) Comparar o processo atual, frente aos princípios do programa 5S
c) realizar introdução do 5 S
2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

2.1 ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E RECURSOS

A administração de recursos e materiais engloba a sequência de operações


que tem seu início na identificação do fornecedor, na compra do bem, em seu
recebimento, transporte interno e acondicionamento, em seu transporte durante.
Processo produtivo, em sua armazenagem como produto acabado e, finalmente, em
sua distribuição ao consumidor final (MARTINS E CAMPOS; 2009)
Segundo Ballou (2012) “o fundamento da administração de materiais é
sanar as necessidades dos sistemas te operações, e essas necessidades origina-se
das curvas de demanda”.
“O objetivo maior da administração de materiais é prover o material certo,
no local de operação certo, no momento certo em condição utilizável ao custo mínimo
para a plena satisfação do cliente e dos acionistas.” (POZO; 2015 pag. 25)
A importância da administração de materiais e recursos, vem crescendo
dentro da logística, por afetar diretamente na eficiência de uma organização.
• 16% do programa de produção não ode ser executado em virtude
de falta de ferramenta destinadas a produção.
• 30% a 60% dos estoques de ferramentas estão espalhando pelo
chão da fábrica, perdido, deteriorando-se ou não disponível (dentro
de caixas de ferramentas pessoais).
• 20%do tempo das operações e desperdiçado procurando por
ferramentas. Se somarmos meia hora por turno, chegaremos em
mais de três semanas de trabalho perdido por ano.
• 40% a 80% do tempo dos encarregados é perdido procurando e
expedindo materiais e ferramentas. (MARTINS; CAMPOS (2009)

Uma boa administração de materiais significa coordenar a movimentação


de suprimentos com as exigências de operação. Isto significa aplicar o conceito de
custo total as atividades de suprimento de operação. Isto significa aplicar o conceito
de custo total as atividades de suprimento de modo a tirar vantagem da oposição das
curvas de custo. (BALLOU 2013 pg.61)
2.2 ARMAZENAGEM

Armazenagem é uma atividade de manutenção temporária de materiais em


instalações adequadas de forma a preservar sua integridade.” (VIEIRAp. 231).
“Uma armazenagem racional tem por objetivo principal a minimização dos
custos a ela inerentes. De forma não exaustiva, podemos relacionar da seguinte forma
os objetivos da armazenagem:
• maximizar a utilização dos espaços, ou, conforme Viana (2000),
utilizar o espaço nas três dimensões, da maneira mais eficiente
possível;
• prover acesso facilitado a todos os itens de material;
• prover proteção aos itens estocados, de forma que sua
manipulação não incorra em danos;
• prover um ambiente cujas características não afetem a qualidade e
a integridade dos itens estocados;
• apresentar um arranjo físico que possibilite o uso eficiente de mão
de obra e de equipamentos.” ( FENILI p. 131)
3 METODOLOGIA

3.1 DELIMITAÇÃO DA PESQUISA

Essa pesquisa é um estudo de caso a ser realizado no almoxarifado de


uma Colônia de férias para militares localizado no Forte Marechal Luz no município
de São Francisco do Sul.
O Forte Marechal Luz é uma instalação do exército, inaugurada em 1915
para proteger a costa brasileira, após sua desativação em 1977, ficou vários anos sem
utilização até os anos 90, onde o comando do exército sul decidiu transformá-lo em
uma colônia de férias para os militares. Suas instalações foram modificadas para se
transformar em unidades habitacionais, onde os militares encontram um lugar para
lazer com sua família. Há um pelotão para sua manutenção e recepção para os
hóspedes que são divididos em várias seções e uma delas é o almoxarifado.
No almoxarifado da organização pesquisada o estudo terá como objetivo
geral identificar as implicações da introdução de um programa 5S em um almoxarifado
de uma Colônia de férias militar. Para cumprir tal objetivo será necessário realizar um
diagnostico do estado atual do almoxarifado.
Para realizar esse objetivo especifico citado acima o pesquisado terá que
buscar uma bibliografia adequada para aplicação do 5 S. Terá abordagem qualitativa
e classificação exploratória, na busca do embasamento teórico, para o pesquisador
ter uma visão ampla e conhecer técnicas sobre o tema.

“Pesquisas exploratórias são desenvolvidas com o objetivo de proporcionar


visão geral, de tipo aproximativo, acerca de determinado fato. Este tipo de
pesquisa é realizado especialmente quando o tema escolhido é pouco
explorado e torna-se difícil sobre ele formular hipóteses precisas e
operacionalizáveis. Muitas vezes as pesquisas exploratórias constituem a
primeira etapa de uma investigação mais ampla. Quando o tema escolhido é
bastante genérico, tornam-se necessários seu esclarecimento e delimitação,
o que exige revisão da literatura, discussão com especialistas e outros
procedimentos. O produto final deste processo passa a ser um problema mais
esclarecido, passível de investigação mediante procedimentos mais
sistematizados.” GIL (1991 p. 27)

Na pesquisa qualitativa segundo Marconi e Lakatos (2011, p. 271), “Há um


mínimo de estruturação, de embasamento teórico geral e um planejamento cuidadoso
que o investigador necessita para não se perder no contexto geral, que serve de apoio”
A técnica utilizada será a pesquisa bibliográfica, pois o instrumento de
coleta de dados será o livro de LAPA (2012).
Após essa busca realizará o diagnóstico atual do almoxarifado, o
diagnostico terá de abordagem qualitativa com natureza descritiva. O diagnostico terá
como técnica a pesquisa campo e de observação participante, pois o pesquisador
participará do grupo estudado, onde vai registrar as situações observadas. Os dados
serão coletados na primeira quinzena de agosto de 2019, através de um formulário
observacional e a sua comprovação será atreves de fotografias.
Gil (1991 p. 57), afirma que “no estudo de campo estuda-se um único grupo
ou comunidade em termos de sua estrutura social, ou seja, ressaltando a interação
de seus componentes. Assim, o estudo de campo tende a utilizar muito mais técnicas
de observação do que de interrogação”
Conforme Gil (1991 p. 103),” a observação participante, ou observação
ativa, consiste na participação real do conhecimento na vida da comunidade, do grupo
ou de uma situação determinada.”
Após essas etapas o pesquisador fará a comparação do estado atual do
almoxarifado frente aos princípios do 5s, utilizando como base teórica o livro de Lapa
(2012), para poder ter um panorama mais concreto de como se encontra o local de
estudo quanto aos 5 sensos.
Tendo esse panorama o pesquisador formará um plano de ação, para
poder colocar almoxarifado dentro dos requisitos que os sensos pedem.
Lapa (2012 p.27), “cita que na fase de preparação, identificam-se e
relacionam-se os problemas ou não conformidades e planejam-se as ações de
eliminação dos sintomas e causas.”
Segundo (Lapa 2012 p.31), “um plano de ação deve ter três fases em cada
senso, essas fases são a preparação, implantação e manutenção.”
Com o plano de ação, o próprio pesquisador e 4 colaboradores colocarão
em pratica tudo o que foi colocado no plano de ação, para a implantação do 5 S. A
data inicial da execução será dia 01 de setembro de 2019 com o prazo de 60 dias
corridos para termino da implantação.
4 CRONOGRAMA

Para um trabalho de pesquisa é necessário definir as datas para execução


das etapas, então deve-se elaborar um cronograma para que tudo saia ordenado.

FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV
Atividades 1 2 1 2 1 2 1 2 1 2 1 2 1 2 1 2 1 2
1 2

Escolha do tema
Desenvolvimento do Problema
Desenvolvimento da Justificativa
Desenvolvimento dos Objetivos
Desenvolvimento da
Fundamentação
Desenvolvimento da metodologia
Realizar diagnostico atual do
almoxarifado
Comparar o processo atual,
frente aos princípios do
programa 5S
Propor a implementação do 5S
Analisar a introdução do programa
5S
Transcrição e tabulação de dados
Elaborar relatórios
Revisão banca
Entrega
Defesa da pesquisa
Tabela 1.Cronograma para execução do trabalho de pesquisa. Autor 2019.
REFERÊNCIAS

ALMOXARIFADO. Dicionário online significados. 2014. Disponível em:


<https://www.significados.com.br/almoxarifado/>. Acesso em: 10 mar. 2019

Araujo, Luis César G. de. Organizações, sistemas e métodos e as tecnologias de


gestão organizacional. 3 ed. São Paulo: Atlas, 2010. (Volume 2)

ARAUJO, Luis César G. de. Organização, sistemas e métodos e as tecnologias


de gestão organizacional: Arquitetura Organizacional, Benchmarking,
Epowerment, Gestão pela Qualidade Total, Reengenharia. 5 ed. São Paulo: Atlas
(2011).

BALLOU, Ronald H. Gerenciamento da cadeia de suprimentos/Logística


empresarial. Tradução Raul Rubenich. 5 ed. Porto Alegre, 2007.

BRASIL. Lei nº 9.203, de 22 de novembro de 2017. Dispõe sobre a política de


governança da administração pública federal direta, autárquica e fundacional.
Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-
2018/2017/Decreto/D9203.htm>. Acesso em: 6 abr. 2019.

FENILI, Renato Ribeiro. Gestão de materiais. Brasília, ENAP, 2015

JÚNIOR, João José da Silva. Estudo na gestão dos estoques do Almoxarifado


Central na Costa Sul Pescados Ltda. 2010. Disponível em:
<https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=http://siaibib01.univali.br/p
df/Joao%2520Jose%2520da%2520Silva%2520Junior.pdf&ved=2ahUKEwi086C8qPj
gAhUPLLkGHX8ODskQFjACegQIARAB&usg=AOvVaw3T8lNiAN8c5pV5qD_mKaal&
cshid=1552251256013>. Acesso em: 10 mar. 2019

LAPA, Reginaldo Pedreira; FILHO, Antônio Mendes Barros; ALVES, José Flávio. 5S
– Praticando os Cinco Sensos, Rio de Janeiro, Quakitymark [2012].
LONGO, Rose Mary Juliano. Gestão da Qualidade: Evolução Histórica, Conceitos
Básicos e Aplicação na Educação. 1996. Disponível em:
<https://pdfs.semanticscholar.org/c4f8/4456f41726793beed2f6dcbef18ca63ae5c3.pd
f>. Acesso em 23 jun. 2019.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia Científica. 6 ed.


São Paulo: Atlas, 2011

MARTINS, Petrônio Garcia; ALT, Paulo Renato Campos. Administração de


materiais e recursos patrimoniais. 3 ed. São Paulo: Saraiva, 2009.
MONTEIRO, Geiziane Braga; RIBEIRO, Juliana Cândida; FERREIRA, Joaquim
Osório Liberalquino. Custos na administração pública: uma abordagem de
inclusão social. 2006. Disponível em:
<https://www.google.com/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&cad=rja&u
act=8&ved=2ahUKEwje-p77iv7gAhX-
GrkGHfqHBCgQFjAAegQIChAC&url=https%3A%2F%2Fanaiscbc.emnuvens.com.br
%2Fanais%2Farticle%2FviewFile%2F1754%2F1754&usg=AOvVaw0ksRAZYMU_Ti
w7gQZLzdsY>. Acesso em: 10 mar. 2019

OLIVEIRA, Otávio José. Qualidade e produtividade na Logística. Curitiba: IESDE,


2009.

Origem do programa 5S. Disponível em:


<https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/administracao/origem-do-
programa-5s-s/55167>. Acesso em: 6 abr. 2019.

PAOLESCHI, Bruno. Almoxarifado e Gestão de estoque. 2 ed. Saraiva. 2018.


Disponível em: <https://books.google.com.br/books?hl=pt-
BR&lr=&id=3LZiDwAAQBAJ&oi=fnd&pg=PT4&dq=info:nz117Xb-
KwUJ:scholar.google.com/&ots=dPS6q8Gbpg&sig=6giTqXTMkDJYJv6R7GkAZspIne
s#v=onepage&q&f=false>. Acesso em: 10 mar. 2019

PORTO GENTE. Almoxarifado - Histórico, conceitos, funções. 2016.


Disponível em: <https://portogente.com.br/portopedia/73503-almoxarifado-historico-
conceitos-funcoes>. Acesso em: 10 mar. 2019

POZO, Hamilton. Administração de Recursos materiais e patrimoniais: uma


abordagem logística. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2010

VIEIRA, Helio Flavio. GESTÃO DE ESTOQUES E OPERAÇÕES INDUSTRIAIS.


Curitiba, IESDE, 2009.