Você está na página 1de 8

16 2 º Semestre - 2010

Redes de compartilhamento: universidades e


sociedade
A
s instituições de ensino superior são responsá- um ambiente virtual, pois atra-
veis por desenvolver o conhecimento de seus vés dele é acelerado o proces-
alunos e expô-los para a sociedade, como forma
so da chegada da informação.
de retribuição pelos impostos pagos. Todavia, maior
Para que a teoria catedrática
parte desse conhecimento fica retida dentro dos am-
saia de seus muros, deve haver
bientes de ensino, não havendo um compartilhamento Jornalismo compartilhado,
um fomento à cultura na socie-
total com a sociedade. uma rede de colaboradores
dade e principalmente no seu A utilização das Redes como
Durante sua formação, alunos universitários produzem
alicerce de produção, ou seja,
e demais atores que estimu-
muitos materiais que não são vistos nem aproveitados forma de conectar as pessoas lam a construção coletiva de
nas universidades. Os universos
pela comunidade fora do cenário acadêmico, devido não depende de seu grau de experiências e de novos sa-
acadêmicos devem aprender a
à inexistência da formação de uma rede compartilha- beres.
compartilhar seus conhecimen- instrução ou da classe econô-
mento entre as universidades e a sociedade. O conhe- Pág. 14
tos e os seres que se propõem mica a qual pertence.
cimento fica retido
no ambiente acadê- Pág.6
mico, gerando des-
Os grandes meios de comunicação são
contentamento de Página inicial da plataforma Edmodo.
ambos os lados: os responsáveis por alicerçarem uma ima-
a ver no social preci-
alunos que não são dança cultural sugerida pelo professor Marcelo Stein é gem distorcida dos movimentos da so-
reconhecidos pelos sam preparar-se para da criação de um projeto político apartidário que ga-
recebê-los com res- ciedade civil organizada, colocando a
seus feitos e o uni- ranta que as pessoas tenham acesso ao conhecimen-
verso à parte que se ponsabilidade, elimi- to adquirido dentro das universidades: “As questões culpa nos militantes e ignorando as in-
nando barreiras e o políticas não estão dissociadas da maneira como vive-
mantém às cegas so- justiças sociais históricas que geraram
bre os impostos des- próprio ceticismo. mos”, comenta. Stein também enfatiza que, antes de
“As pessoas cos- as desigualdades.
tinados à educação. um compartilhamento virtual ocorrer, deve existir uma
As universidades tumam atribuir ao abertura dentro das instituições de ensino superior, Pág. 4
são instituições plu- ambiente universitá- para que as pessoas não vejam esses ambientes como
ridisciplinares res- rio uma imunidade “fortalezas” que só compartilham o conhecimento com
ponsáveis por for- sobre as questões quem faz parte de seu cotidiano.
mar profissionais de sociais do país, mas A interação virtual, porém, já ocorre no interior dos
nível superior e por esquecem que todas meios acadêmicos. Como exemplo de compartilha-
promover ações no são brasileiras, inde- mento virtual bem sucedido, pode-se citar sites como
âmbito de pesquisa pendendo o meio o Edmodo, que proporciona uma nova perspectiva de
Os universos acadêmicos devem
e extensão, possuin- no qual estão inse- interação entre alunos e professores. Por meio des-
do, assim, um com- ridas”, diz o profes- ses sites, é possível o compartilhamento de trabalhos aprender a compartilhar seus co-
promisso social com sor da Universidade acadêmicos, notícias interessantes e importantes para nhecimentos e a sociedade precisa
o avanço científico e Tecnológica Federal melhorar o desenvolvimento pessoal e intelectual dos se preparar para recebê-los com
tecnológico das na- do Paraná, Marcelo alunos. É valido ressaltar que o uso desse tipo de pla- Comunidades indígenas
responsabilidade, eliminando bar-
ções. Deste modo, é Stein. “Precisamos taforma virtual contribui para a preservação do meio se organizam em Rede
reiras e o próprio ceticismo.
mais que visível a im- primeiro comparti- ambiente, tendo em vista que os trabalhos acadêmicos digital pela preservação
portância de manter Marcelo Stein é Mestre em Ciências da Computação pela USP/São lhar o conhecimento, são compartilhados por sistemas virtuais e não impres- de sua cultura e meio Pág. 16
a sociedade atualiza- Carlos e professor do Departamento de Comunicação e Expressão para depois propor sos em folhas de papel. O importante agora é dissemi- ambiente. A maneira como nos comu-
da sobre os conheci- (DACEX) da UTFPR. um ambiente virtual”, nar esse meio para toda a sociedade. Pág. 11 nicamos é reflexo da nossa
mentos adquiridos. completa. configuração cerebral.
Uma forma das instituições de ensino superior com- Toda divisão é uma subtração, logo é preciso gerar, Giselle Quaesner Pág. 3
partilhar o conhecimento com a sociedade é utilizando somar, multiplicar conhecimento. A proposta de mu- Vivian Shimizu
2 2 º Semestre - 2010 2 º Semestre - 2010 15

EDITORIAL EXPEDIENTE
Quem tem internet, que se comunique
Enredados por teias de comunicações As redes sociais são o novo meio de comunicação que domina o dia-a-dia de jovens e adultos.

A
Órgão de Informação do Curso Superior
poiado na filosofia das teias sociais, na democratiza- ou de objetivos em comum. Por serem flexíveis, podem surgir

A
de Tecnologia em Comunicação s redes sociais viraram assun- aí, não é nossa a divulgação, mas aca-
ção da informação, surge o UTFPRa Todos, em sua de acordo com as necessidades e desaparecer no momento to recorrente entre jovens e ba nos ajudando. Agora, a mais eficaz
oitava edição. Assim, alunos do quarto período do em que seus objetivos são atingidos, e os seus nós podem Institucional da Universidade
(recentemente) adultos em mesmo e a única que fazemos é pela
Curso Superior de Tecnologia em Comunicação Institucional integrar-se imediatamente a outra rede. Além disso, seu tra- Tecnológica Federal do Paraná – todos os lugares. Mas, afinal, o que internet”. J.P Branco é integrante da
conectam-se em proposta de criar uma rede de produção e balho pressupõe ser participativo e colaborativo, já que uma Campus Curitiba são redes sociais? Sua história data banda Cinema Mudo, vencedora do
difusão de ideias e informações, entre as diversas instâncias e rede só acontece pela vontade de seus integrantes. bem antes da criação do Orkut, 4º Garagem de Talentos Fnac/Gaze-
grupos, para ser um canal democrático-criativo e fortalecedor No que se refere à comunicação, as conexões ficam evidentes Reitor Twitter e Facebook. Logo com o ad- tinha.
na dialética do conhecimento compartilhado. quando se percebe a estrutura piramidal que a rede possui, o Carlos Eduardo Cantarelli vento da internet, os emails foram Apesar de seu lado bom, as redes
O conceito de teias de comunicação, desenvolvido neste jor- que faz com que exista um filtro natural impedindo a livre cir- os primeiros modos de troca de in- sociais ainda são muito mal explora-
nal, sobressalta o pré-conceito na possibilidade de uma rede culação de ideias. Esse filtro deixa de existir ou perde muito de das e a blogueira curitibana Vanessa
Diretor do Campus Curitiba formações entre as pessoas, porém
criativa, eficiente e democrática de não só fortalecer desde as seus efeitos quando se criam canais, como as teias, para que Gonçalves, dona do blog www.mal-
Marcos Flavio de Oliveira Schiefler Filho eles não permitiam uma interação
comunidades internas universitárias a comunicação popular, vadas.org, diz que “grande parte das
cada pessoa possa se tornar protagonista também no proces- tão ampla, apenas um diálogo rápi-
mas permitir também que se possa, a partir da interação, a re- pessoas que utilizam essas ferramen-
so de comunicação popular. do. Por este motivo a comunicação
afirmar necessidade da cidadania plena, que inclui o acesso Gerente de Ensino e Pesquisa tas não sabem o poder que têm nas
A história mostra que deter os meios de comunicação é deter virtual foi se aperfeiçoando; depois
aos conhecimentos e tecnologias socialmente acumuladas, Denise Rautar Buiar mãos, principalmente o Twitter. Pre-
o poder e vice-versa. Nesse sentido, não é possível pensar na do email, ICQ e Messenger trataram
traduzidas aqui na livre expressão da pessoa humana. ferem postar sobre o que fazem no
Nossa teia de comunicação surge da necessidade da interco- libertação integral da pessoa humana se não for permitido ao de tornar a comunicação um pouco
ser a possibilidade de expressar-se livremente. Pensar e agir Chefe do Departamento Acadêmico de mais completa e interativa. dia-a-dia do que expor suas ideias.
nexão de grupos, pessoas, projetos, informações e dados acer- Grandes empresas buscam perfis
em rede é desafiante e provoca, entre outras coisas, o questio- Comunicação e Expressão Com o tempo, a necessidade de
ca de relações que sejam inerentes às atividades humanas. Se famosos para vincular anúncios e
pensarmos no nosso cotidiano, com o foco nas relações que namento de nossas matrizes de aprendizagem, convidando- Joscely Maria Bassetto Galera agrupar pessoas com interesses em
poucos aproveitam a oportunidade”.
sustentam nossas rotinas, veremos emergir conjuntos de re- -nos a aprender algo novo, ou seja, a mudar. Assim, nessa pers- comum foi aumentando e algumas
Vanessa falou também sobre a divul-
des. Pense na teia de relações que você tece na sua vida englo- pectiva, uma rede de comunicação democrática, integrada e Coordenador do Curso Superior de redes de relacionamento simples
gação do blog, “eu utilizo o Orkut e
bando parentes, professores, colegas, prestadores de serviços, acessível é elemento importante, se não fundamental para o Tecnologia em Comunicação foram sendo criadas, como o Orkut
Facebook para divulgar o blog, por-
e na dinâmica de mutação que os fios emaranhados se inter- surgimento do “novo homem” e da “nova mulher”, que devem e o Facebook. Os dois, contemporâ-
Institucional que desta maneira os próprios lei-
conectam constantemente. ser início e fim do caminho em direção para uma sociedade neos, foram os grandes inovadores
Arnaldo Sbalqueiro tores podem divulgá-lo, através de
As constantes conexões entre redes produzem o aparecimen- livre, justa e hermanamente enredada. da área. O Facebook foi criado por
ser acessados por qualquer pessoa que gação de seus trabalhos –, e do Twitter, seus perfis e comentários, o que faci-
to de sistemas organizacionais, capazes de reunir instituições universitários de Harvard e no início
Professora Orientadora compartilhe da mesma rede (ou não, no mais recente e crescente rede social e lita muito minha vida de blogueira”.
ou pessoas de maneira democrática em torno de um temático Ricardo Magno só comportava membros da própria As redes sociais, apesar de seu papel
Jornalista universidade; já o Orkut foi inicialmente caso do Twitter, que inicialmente pode ferramenta de microbloging (são permi-
ser visualizado até mesmo por quem tidos apenas 140 caracteres para a divul- de inclusão, acabam muitas vezes ex-
Maurini de Souza formulado para manter relacionamen- cluindo socialmente aqueles que não
não possui uma conta), o que acarreta gação das mensagens), muito importan-
R: 3164/12/02 - PR tos entre pessoas somente dos Estados possuem meios para acessá-las ou não
em um qua- te por divulgar
Unidos. Ambos hoje, com destaque para sabem como fazer isso. Os idosos sofrem
dro preocu- a informação
Chefia de Edição o Orkut (rede com maior participação por não ter contato com a internet e aca-
pante. Além de maneira
Ricardo Magno brasileira), são as duas maiores redes so- bam ficando à margem desta sociedade
das relações mais rápida.
ciais da internet. virtual, pois as redes sociais, se bem usa-
estarem muito O músico J. P.
Essas ferramentas nos permitem entrar das e se compreendido o poder que nos
Edição Gráfica mais abertas, Branco, usu-
em um assunto bastante delicado e inte- disponibilizam, podem ser ferramentas
Louise Pereira as informações ário de redes
ressante: a privacidade. Quem se utiliza impor tantes sociais para muito potentes de informação.
dos serviços oferecidos pelas redes dis- jogadas na in- divulgar o tra-
Capa ponibiliza informações pessoais impor- Diogo de Paula
ternet podem balho da sua
Louise Pereira tantes pela internet, dados que podem virar produto banda, fala um Hugo Medina
para o governo pouco sobre
Pauta e para outras este processo:
Juliane Krainski instituições. “cada rede so-
Além dessas, existem também outras re- cial é importante de algum jeito, o Orkut
Comercial des sociais muito conhecidas e o Twitter nos ajudam mais na divul-
Luis Fernando Franzen
entre os internautas, como é o gação dos shows e o MySpace
caso do MySpace, rede social na veiculação das músicas na
mais utilizada nos Estados Uni- internet”. Quando perguntado
Trabalho da disciplina de Laboratório dos, que possui a vantagem sobre os outros meios de divul-
de Produção de Textos Jornalísticos, de poder abrigar arquivos em gação da banda, o músico res-
produzido pelos alunos do 4º período do mp3 – sendo a preferida entre pondeu: “alguns lugares onde
CTCOM - 2010/2 bandas e músicos para divul- tocamos espalham cartazes por
14 2 º Semestre - 2010 2 º Semestre - 2010 3

Redes Sociais e Redes Neuronais


que atribuímos ao que vivemos. Este
A produção do jornalismo colaborativo componente é a cultura, são os modos
com os quais nos comportamos em
sociedade, nossas crenças, valores e

F A
oi-se o tempo em mundial, devido princi- s redes sociais sempre estiveram que nossas redes sociais funcionam de hierárquicos de conectividade (são três símbolos. É neste nível que ocorre a
que as fontes de palmente ao anonima- presentes nas relações huma- forma análoga ao nosso cérebro”, con- cérebros dentro de um), explica Mário aprendizagem: quando refletimos sobre
informações res- to virtual, não justifica nas, adaptadas ao ambiente em clui Amoroso. Márcio Negrão, neurologista e psicote- os alertas, o mundo ao redor e atribuí-
tringiam-se ao rádio, aos certas atitudes como o diferentes épocas. Dentro de uma pers- Não há mais sentido em nos referirmos rapeuta. O nível mais básico refere-se mos significado às coisas, pessoas e
jornais impressos e aos Acordo Comercial Anti- pectiva evolutiva, podemos situar a lin- ao neurônio como a unidade funda- à subsistência do organismo, regula situações. O equivalente para este nível
jornais televisivos, em que -Falsificação – ACTA, que guagem como refinamento das nossas mental cerebral. Segundo Anete Curte funções como batimentos cardíacos e são os livros, que nos apresentam uma
a sociedade dependia de permite, entre outras coi- capacidades intelectuais. Lucy Amoroso, Ferraz, doutora em ciências biológicas e temperatura do corpo, sendo a comu- maneira já pensada por alguém de inter-
um pequeno grupo de sas, passar por cima das psicóloga, pós-graduada em Neurociên- professora da UFPR, atualmente deve-se nicação pouco diferenciada. Usando pretar determinado assunto e que nos
pessoas ou empresas para exigências de proteção cias, resgata da arqueologia: “a primeira falar em redes de neurônios. “A unidade um exemplo de Negrão, quando vemos permite além de assimilar, reinterpretar.
noticiar seu próprio pre- de dados quanto o direi- forma de comunicação foi através do es- anátomo-funcional do sistema nervoso uma cobra, reagimos instintivamente A maneira como nos comunicamos é re-
sente, o qual podia ser fa- to dos internautas. paço visual”. Pois, os primeiros homo sa- não é mais considerada o neurônio, por- antes mesmo de identificá-la, pois o flexo da nossa configuração cerebral, em
cilmente controlado. Para O site Outras Palavras – piens se utilizavam da comunicação ges- que um único neurônio não é capaz de alerta produzido pelo nível básico já foi redes, com o desenvolvimento de nossas
Antonio Martins, editor Comunicação comparti- tual e visual – pintura rupestre – como desencadear uma função.” Ou seja, um transmitido para todas as áreas. Assim se capacidades estas redes se expandem e
do site Outras Palavras, lhada e Pós-capitalismo forma de expressão, para o posterior neurônio nada representa se não for re- dá a interpretação da iconografia, muito fazem conexões mais complexas. “Essa
havia “um número cada - contém um texto co- desenvolvimento da fala. “A linguagem lacionado com a área cerebral específica importante para a sinalização de trânsito é a dimensão cultural total: histórica, so-
vez menor de produtores laborativo no qual qual- é muito recente na nossa história evolu- da qual faz parte e determina sua ativi- e bastante explorada na publicidade. No cial e pessoal. O cérebro opera com to-
de conteúdos que falava quer um pode adicionar tiva”, complementa. A partir disso, com dade funcional. Ressalta ainda que “toda cérebro médio, já se encontra o nível da das essas conectividades.” afirma Mário
para platéias gigantescas argumentos sobre esse o aprimoramento da linguagem foi pos- função do sistema nervoso advém do linguagem, as áreas cerebrais divididas Márcio Negrão.
e passivas”. acordo. Conforme o que sível elaborar raciocínios mais abstratos, trabalho conjunto de vários neurônios funcionalmente – fala, visão, audição,
Surge, então, com o ad- consta no documento, dando início a um processo de individu- conectados entre si”. A rede de neurô- interpretação – comunicam-se entre si,
o ACTA atinge a circula- Chaiane Silva
vento da internet, o jor- alização e diferenciação, que delinearam nios é interligada eletroquimicamen- para identificar os detalhes do mundo
ção de bens simbólicos, Kalyane Kowalski
nalismo compartilhado. as relações de hierarquia social. te por meio de neurotransmissores, os externo e inter-
Uma rede de colaborado- pretende restringir, no A diferenciação hierárquica dentro da quais desencadeiam respostas funcio- no. Este nível
res e demais atores que sentido de controlar, e espécie pro- nais nos neu- suscita o reco-
estimulam a construção mercantilizar o intercâm- move uma rônios conec- nhecimento,
coletiva de experiências bio de cultura, cerceando aproximação “Quando precisamos estudar tados, que, pois já opera
e de novos saberes. Esse as trocas livres, além de por afinidades,
tipo de jornalismo traz criminalizar as trocas não originando a
para uma prova de uma por podem
sua vez,
ter
um processo de
diferenciação, a
novas possibilidades para comerciais de arquivos divisão por matéria que não gostamos, inúmeras co- comunicação
captar informação em Diálogo entre jornalistas. via internet. grupos, que os
múltiplas fontes, verificar distingue por
teremos uma dificuldade nexões com os
neurônios ad-
se dá entre
áreas, não é
a distância, retrabalhá-la Juliana Fugii variados crité- maior em lembrar estes jacentes. Con- disparada para
e, sobretudo, torná-la acessível ao universo com o qual de Luís Nassif, eles poderão postar textos, vídeos, fotos, Juliana Liconti rios culturais,
cada comunicador se relaciona. Um exemplo de rede áudios, manter blogs e participar de fóruns sobre te- como o gosto
conteúdos, necessitando forme nossas
experiências,
todo o cérebro.
O jornal e as
de jornalismo compartilhado é o Outras Palavras, com mas específicos”, explica Martins. musical, que atenção e concentração essas conexões mídias massi-
70 colaboradores que atuavam, em princípio, numa Além disso, a comunicação compatilhada é uma for- não apenas
rede informal, atuando com ferramentas tecnológicas, ma de difundir o mais amplo possível as informações e informa qual
redobradas para que o são iniciadas,
fortalecidas ou
vas podem ser
relacionados a
as quais permitem produzir e difundir conteúdos uti- possibilitar a mobilização social de grupos, instituições, tipo de músi- aprendizado efetivamente enfraquecidas este nível, ain-
lizando recursos e meios movimentos e pessoas, com base na ca certo gru- ao longo de da tratam do
financeiros infinitamente troca, no aprendizado coletivo e na po ouve, mas
ocorra.” nossa vida, for- concreto (fa-
menores. Tal rede prevê
três níveis de colabora-
“Num modelo semelhante criação conjunta.
Por outro lado, a internet, por ser uma
também uma mando memó-
identidade visual, crenças e atitudes que rias e proporcionando o aprendizado.
tos), mas já com
certo nível de
ção, que estão sendo im- ao da Rede Social de Luís grande rede, conecta as pessoas. Sen- reforçam as características do grupo. Entretanto, estas conexões podem sofrer abstração, as
plantados. O primeiro é do assim, da mesma forma como há Do mesmo modo que o cérebro, indivi- alterações: sabemos que a emoção dian- mensagens são
exercido por um grupo
Nassif, [os colaboradores] pessoas com trabalhos sérios de com- dualmente temos nossas “afinidades e te de um acontecimento desencadeia dirigidas a cer-
de jovens jornalistas, ou poderão postar textos, partilhamento de informações, tam- especificidades” e, para que possamos um processo de sinapses bastante in- tos públicos de
estudantes de jornalis-
mo, que participam do
vídeos, fotos, áudios, bém existem aquelas que espalham
boatos e comentários que não acres-
nos comunicar, desenvolvemos redes tenso, fazendo com que nos lembremos
de contatos sociais que necessitam de de um fato por toda a vida na presença
interesse sendo
motivacionais
Ponto de Cultura Escola manter blogs e participar centam em nada, fato que leva a um interligação com outros membros da de um cheiro ou um som. Um exemplo de ações
Livre de Comunicação
Compartilhada; o segun-
de fóruns sobre temas motivo para não acreditar em todos os
acontecimentos publicados na web.
comunidade, no trabalho, na família e é ”quando precisamos estudar para uma
com os amigos. “Pense em seu cérebro prova de uma matéria que não gosta-
específicas. No
terceiro nível
do grupo é formado por específicos.” As eleições presidenciais são um com suas redes de neurônios e suas mos, teremos uma dificuldade maior em está o cérebro
articulistas que enviam exemplo recente. Muita gente comen- áreas funcionais, como a fala, a visão, o lembrar estes conteúdos, necessitan- superior, que
textos para publicação tava que não aguentava mais ver a sua tato, cada uma com sua especificidade, do atenção e concentração redobradas é a ativação,
em nossa revista virtual e, finalmente, o terceiro, em caixa de entrada lotada de notícias caluniadoras sobre que necessitam de outras áreas do cére- para que o aprendizado efetivamente refere-se ao Mário Márcio Negrão, médico neurologista e psicoterapeuta, mem-
desenvolvimento, será uma comunidade aberta aos os dois candidatos que disputaram o segundo turno. Antonio Martins, editor de Outras Palavras e colaborador bro para expressar-se, ‘numa linguagem ocorra.”, constata. processo de bro do Biosynthesis Institute International e professor de Medicina
leitores. “Num modelo semelhante ao da Rede Social Esse lado mais obscuro da maior rede de comunicação do jornal Le Monde Diplomatique Brasil, versão internet. própria e lógica’. Podemos então pensar O cérebro opera em diferentes níveis s i g n i f i c a ç ã o da UFPR.
4 2 º Semestre - 2010 2 º Semestre - 2010 13

Rede de Comunicadores em Defesa


coisa se dá o nome de "direito". E o mes-
mo ocorre com a comunicação, inerente
à vida em sociedade, inalienável ao ser
Vícios e virtudes
humano”, esclarece Torinelli.

da Reforma Agrária Atualmente, os integrantes da Rede


mobilizam-se por meio do blog www.
reformaagraria.blog.br e do twitter, @
S
erá que seria tão injusto acusar a web 2.0 pelo e Tarik Tuncay, os afirma-se que 60,2% dos 721 estu- de informação e critérios de avaliação profissional. Mui-
que está acontecendo com as pessoas nascidas dantes entrevistados se consideram solitários. E, o mais tos pensavam que era somente um simples website de
dentro do mundo tecido por conexões a cabos? impressionante, a média de idade dos estudantes era relacionamentos, mas não o Google, que o tornou uma
Inicialmente o conceito sobre o colorido digital se deli- de 21,58 anos. necessidade incontrolável e silenciosa.

O
quadro da concentração de ter- de civil organizada, fazendo com que a destinada à exportação e à industria, en- reformaagraria. Um dos últimos aconte-
mitava em seus benefícios e magia, pois favorecia a in- Se você acha que esse número surpreendeu e O atual monopólio escancarado da era virtu-
ras do Brasil é o segundo maior população acredite que os responsáveis quanto 70% dos alimentos que são ser- cimentos para o qual o grupo se mobili-
teração e contato entre pólos distantes de forma dinâ- fez com que os provedores delimitassem o acesso des- al rende à empresa não somente lucros com as redes
do mundo, perdendo apenas pela violência no campo sejam os mili- vidos na mesa dos brasileiros advém das zou foi o Plebiscito Popular Pelo Limite
mica, além de ser fonte de de relacionamentos, mas
para o Paraguai, com cerca de 2,8% das pequenas pro-
tantes, e não as injustiças sociais histó- da Propriedade da Terra, ocorrido na
conhecimento e estudo, também com outros recursos
propriedades rurais ricas que geraram as priedades, que
intercâmbio de informa- como mecanismo de pesqui-
ocupando mais da desigualdades. juntas somam
ções, meio de divulgação sa, e-mail, coletânea de ima-
metade das áre- A partir do pressu- apenas 24% das
as agricultáveis do expresso, livre exposição gens, artigos, notícias, etc.
posto de que cons- áreas férteis.
país, de acordo com da identidade pessoal vir- “Eles ganham US$ 190 bilhões
No Paraná a Rede
trangimentos físicos e tual e união de interesses após apenas dez anos de um
dados do IBGE. Pen- foi lançada no dia
morais no campo e na entre grupos sociais. En- modo engenhoso”, comenta
sando nesse cenário 23 de junho de
histórico, que se cidade são originados tretanto o mundo mágico Gavin O’Reilly, presidente da
2010, em Curitiba,
desenvolve desde a pelo latifúndio, a Rede da tecnologia passou de WAN (Associação Mundial de
contando com a
concessão da terra entende que a Refor- mocinho para vilão na vi- Jornais e Editores de Notícias),
participação de
aos capitães here- ma Agrária é a solução
cerca de 50 pes- são de especialistas, como “e ainda usam notícias de em-
ditários, e na impor- para muitos proble- soas; entre elas a do sociólogo Zygmunt presas e jornalismo sem pagar
tância de se debater mas, especialmente estudantes da Bauman, do Reino Unido, por elas”. Uma tentaculosa
o tema, criou-se a a exclusão social de UTFPR e de ou- que afirma que o uso de- máfia com os tradicionais de-
Rede de Comunica- milhares de trabalha-tras instituições senfreado de web sites, feitos da hierarquia de pode-
dores Pela Reforma de ensino, repre-
dores rurais que vivem redes sociais e demais re- res.
Agrária. sentantes do Sin- cursos da internet são as Na esfera social, o uso de-
em regime de trabalho
A Rede, composta dicato dos Jorna- novas drogas potentes das senfreado da comunicação
escravo, em condições
por comunicado- listas do Paraná quais os adolescentes são virtual e de apetrechos tecno-
precárias na beira das
res e pessoas de e integrantes de dependentes. lógicos fizeram com que cada
estradas, ou mesmo os
diversas áreas e movimentos como a Comissão Parana- Na esfera sociológica, o vez mais o usuário se desligue
que foram expulsos do Semana da Pátria e evento organizado
formações, foi iniciada em 11 de março ense Pró-Conferência de Comunicação usuário cede suas horas, minutos e segundos com me- ses jovens, engano seu. Os recursos virtuais são como o do mundo real, afetando sua percepção de espaço e
campo, sendo levados a residir em fave- nacionalmente pelas 54 entidades que
de 2010, no Sindicato dos Jornalistas do - CPC, além de diversos profissionais da nos receio à conexão do que ao convívio social, optan- tradicional arroz e feijão no Brasil. Dados apresentados convívio social. Além do mais, faz com que o internauta
las na cidade. compõem o Fórum Nacional pela Refor-
Estado de São Paulo. Congrega todos área e militantes do MST. do por uma comunicação e um relacionamento à base pela COMSCORE, líder mun- se sinta único e exclusivo, e esqueça que com ele di-
Também defende a ideia de que uma ma Agrária, com o intuito de fomentar as
aqueles que desejam defender a refor- Na ocasião do lançamento na capital de clicks onde a tudo aproxima e interage. Neste mes- dial em estatísticas da esfera videm o mesmo
distribuição mais justa da terra possi- discussões a respeito da questão agrária
ma agrária e lutar pela descriminaliza- paranaense, além de mo panorama os psicólogos alfinetam dizendo que planeta apenas
no Brasil. A pesquisa demonstrou que a digital, indicam que as ferra-
ção dos movimentos que a defendem, apresentar dados refe- esta prática excessiva não é saudável, porque o ser hu- mais alguns bi-
grande maioria das 519.623 pessoas con- mentas de relaciona-
baseando-se nos valores democráticos mano preci- lhões de pesso-
e atuando no combate à desigualdade
“A Rede contempla o raciocínio rentes à importância da
mobilização, discutiu-se
sultadas em 23 estados concorda com o
sa de um
mento Orkut e Mes-
as. É nítido como
estabelecimento de um limite máximo senger somaram 40%
e à concentração de terra e renda por de que os grandes meios de a comunicação como um para as propriedades rurais, acreditan-
determina-
do tempo gasto na
este é o agravante
meio da comunicação. “A rede alia dois do período da alta tecnolo-
movimentos: pela reforma agrária e pela
comunicação são responsáveis direito humano que deve do que isso poderia contribuir para a
de reclusão
internet no mês de ju-
gia. Os benefícios
ser preservado, apontan- produção de alimentos saudáveis e para nho deste ano (2010),
democratização da comunicação”, avalia por alicerçarem uma imagem do que são comunicado- melhores condições de vida no campo e
e afasta-
garantindo 8,1 bilhões
da sua finalidade
jornalista Michele Torinelli, uma das inte- mento com são inquestioná-
distorcida dos movimentos da res não só os jornalistas na cidade.
o intuito de minutos somente veis, entretanto
grantes do movimento. detentores de diplomas, A Rede também apoia a participação da
O grupo reúne pessoas de vários esta- sociedade civil organizada, fazendo mas todos que se mani- população brasileira no abaixo-assinado
de estimu- para a rede social do erra aquele que a
lar a refle- Google, o Orkut, e co- utiliza sem cons-
dos numa reflexão conjunta acerca do com que a população acredite que festam publicamente de que continua circulando em todo país
xão e frear roando o Brasil como cientização e li-
modo negativo como são tratados os alguma forma, seja atra- até o final deste ano, com o objetivo
movimentos sociais rurais na mídia he- os responsáveis pela violência no vés da internet, de rádios pressão do o quinto país que mais Seria a internet o mal do século XXI? mites. Críticas à
de estabelecer um Projeto de Emenda acessa redes sociais,
gemônica, principalmente o Movimento campo sejam os militantes, e não comunitárias, ou mesmo cotidiano, parte, sabemos
Constitucional (PEC) no Congresso Na- em um total mundial de 945 milhões de visitan- que não há como se desamarrar, em pleno século 21,
dos Trabalhadores Sem-Terra. Também além de
sobre como reagir a isso, independen-
as injustiças sociais históricas que restritamente em seu
círculo social.“Acontece
cional para que seja inserido um novo
provocar o tes. A expansão virtual está a todo vapor. do capitalismo tecnológico. Todavia, fica claro que não
inciso no artigo 186 da Constituição Fe- Estas novas redes sociais não se contentam so- são somente os adolescentes os viciados nessa “droga
temente de concordarem ou não com geraram as desigualdades.” que a terra é inerente à deral que se refere ao cumprimento da
indesejável
determinadas ações dos ativistas. A vida humana - vem an- isolamento. Na geração do Romantismo, o mal-do-século mente em proporcionar uma comunicação de virtual”, somos todos usuários insaciáveis, e o Google o
função social da propriedade rural.
Rede contempla o raciocínio de que os tes da invenção da téc- S e g u n d o era morrer de amor. forma instantânea, mas se maquiam com traços maior “traficante” de informação. Um futuro virtual e
grandes meios de comunicação são res- bilitaria um caminho para a solução do nica, do comércio e do lucro. Felizmente pesquisa publicitários para comercializar produtos merca- um problema mais do que real.
ponsáveis por alicerçarem uma imagem problema da fome, à medida que a pro- avançamos um pouco no século passa- Juliana Krainski turca, apresentada em 2008 no artigo Child and Ado- dológicos, curiosidades turísticas, assuntos culturais,
distorcida dos movimentos da socieda- dução dos latifúndios monocultores é do e reconhecemos que a esse tipo de Renata Weber lescent Psychiatry and Mental Health de Ugur Ozdemir relacionamentos virtuais e, o mais curioso, são fontes Marissol Alves
12 2 º Semestre - 2010 2 º Semestre - 2010 5

criada a Revista REDES, de caráter per-


Redes de assistência pelo Brasil manente do Programa da Universidade
de Santa Cruz do Sul. Sua linha editorial
Quem gostaria de ser um Hobbit?
tem como objetivo a produção e difusão

C
om eficácia comprovada, as Orga- nem os estudos. articula-se através da Revista da Rede do conhecimento sobre os processos de
nizações da Sociedade Civil de In- Assim como as Redes do Rio de Janeiro, Acreana, com o intuito de mobilizar e va- desenvolvimento político-institucional, Viver para sempre tem sido um sonho que a huma- o que o lendário alquimista francês Nicolas Flamel lhudas, encurvadas, de coxas e quadris mais largos.
teresse Público (OSCIP's) se espa- em janeiro de 2005 foi criada a Rede So- lorizar o sexo dito anteriormente como social, cultural, econômico e tecnológico nidade persegue desde longa data. Há séculos que tanto almejava. Tudo isso para evitar o desgaste natural causado
lham pelo território nacional, prestando cial Bela Vista, na cidade de São Paulo, fraco. feiticeiros druidas e alquimistas procuravam o “eli- pelo uso prolongado do corpo.
que configuram o espaço do regional. Todavia devemos partir da
assistência em várias áreas do desenvol- para promover um modelo de desenvol- O panorama central não poderia dei- xir da eterna juventude”, e há décadas comprar um
Em uma abrangência premissa que transpor com Deixemos, então, esta ideia de vi-
vimento humano. Percorrendo as linhas vimento sustentável da região por meio xar de atuar creme antirrugas tornou-se tão necessário quanto a
maior, a Associação real saúde física e mental a ver além dos nossos limites para
da Rosa dos Ventos encontram-se diver- da articulação e fortalecimento entre as no palco das pasta dental.
dos Notários e Re- barreira biológica natural é imaginação de J. R. R. Tolkien, "pai
sas organizações dos setores públicos e organizações sem fins lucrativos, unida- ações sociais. Alguns partilham da esperança em ver a próxima
gistradores do Brasil um tanto pernicioso, pois, da moderna literatura fantástica”,
sem fins lucrativos prestando trabalho des públicas e de iniciativa privada para As AGENDE – passagem do cometa Halley (já que eram muito
(ANOREG) fundou, em se a evolução tivesse dese- pois ser um hobbit, na atual con-
em diversas áreas, com o intuito de tecer a mobilização de recursos financeiros, Ações em Gê- novos aos embalos do “Trem da Alegria”, na última
2005, a Rede Anoreg nhado o corpo humano para juntura capitalista-narcisista-ego-
redes para desenvolver uma alternativa humanos e materiais em prol da comu- nero Cidadania aparição!), outros almejam ser avós e presenciar
de Responsabilidade durar um século ou mais, te- cêntrica em voga, daria uma ótima
sustentável para a comunidade. nidade do meio peri-urbano. e Desenvolvi- também a velhice de seus netos.
Social, com a finalida- ríamos uma aparência muito piada de humor negro.
Na região sudeste a Rede de Desenvolvi- Subindo até a região nordeste, A Vida mento – atuam
de de contribuir para a Hoje passo três anos a mais de um quarto de século diferente da atual.
mento da Maré, com o lema “Nada deve Brasil atua nas cidades de Fortaleza e no campo dos Humor este politicamente incorre-
qualidade de vida dos vividos, e quando surge na roda de amigos aquele
parecer impossível de mudar”, dedica-se Salvador, valoriza e fortalece indivíduos poderes par- Biólogos darwinistas e cien- to, que me fez externar um breve
a transformação estrutural do conjunto brasileiros. Um fato re- pensamento de “Who wants to live forever?” me es-
e grupos socialmente vulneráveis e ex- tindo de princí- tistas mais céticos fizeram o aviso aos que ainda não esconde-
de favelas da Maré, no Rio de Janeiro. Os levante para a RARES é quivo com o de “não-quero-ser-Mr.-Roboto”.
cluídos. Os programas da organização pios feministas exercício de imaginar, como ram bem suas réplicas de Dorian
projetos das Redes, como é conhecida, atualmente situam-se em quatro áreas e, como a Rede que as pessoas físicas
Deixando esta analogia à la Fred de lado, passamos teria de ser o corpo de uma Gray e, esquizofrenicamente, vi-
se articulam em torno de temas pensa- temáticas: acessibilidade, educação in- Acreana, bus- e jurídicas doadoras
a encarar o fato de que possivelmente o homem do pessoa centenária e total- vem carentes de si, à espera de um
dos de acordo com a realidade da favela clusiva, geração de renda e economia cam fortalecer podem deduzir a do-
século XXI ultrapassará seu centenário, de acordo mente saudável, construído milagre para a eternidade.
da Maré e tradicionais em muitas peri- solidária e fortalecimento comunitário. a articulação e ação realizada de seu
com o pensamento do atual meio cientifico. Seja para a longevidade. Seria-
ferias. Eliana Sousa, diretora geral das O respeito à diversidade em questões de a capacidade imposto de renda.
através de reestruturação genética, injeção de DNAs mos criaturas mais baixas,
Redes, diz que “viabilizar o II Seminário raça, gênero e deficiência está inserido de ação das Seja em qual extre-
novos e outros artifícios, o corpo humano atingirá mais cabeçudas, mais ore- Ricardo Magno
de Educação da Maré (a primeira edição de forma transversal em todos os proje- organiz ações mo regional, todos os
ocorreu em 2009) significa que começa- tos e ações da Vida Brasil, o que a torna de mulheres pontos que compõe
mos a olhar de outra forma para a vio- uma organização de referência nestas brasileiras, as mobilizações se
lência cotidiana, que tem determinado e capitais. criando espa- dedicam a promover
regulado a vida social dos moradores da
Maré. É, sem dúvida, a chance que temos
de nos envolver com uma questão pela
Percorrendo a região Norte, a RAMH -
Rede Acreana de Mulheres e Homens,
desde 1988 busca a construção de novas
ços de reflexão,
socialização e
Eliana
Serviço
Sousa
Social e
Silva é
diretora
Desenvolvimento da Maré.
doutora
das Redes
em
de
a construção de uma
rede sustentável e que
garantam a qualidade
Domingo no parque
troca de expe-
qual somos diretamente afetados e que relações sociais e de gênero na Amazô- riências, para capacitar organizações de em assuntos básicos como saúde, educa-
tem restringido em muito os direitos dos nia através da educação popular femi- mulheres e sensibilizar agentes governa- ção, políticas públicas, cultura e direitos
Quando era pequena, acreditava que a semana co- nha sido há muito tempo atrás e que hoje Ele tenha um bom tempo na fila. Se quisesse sentar em algum
moradores locais”. Sousa ainda afirma nista, e fundamenta-se nos objetivos: mentais e formadores de opinião sobre humanos, melhorando os traços falhos
na imagem do desenvolvimento social. meçava na segunda-feira. Afinal, diziam-me que achado outro programa melhor para fazer. Espero lugar na grama, teria como vista adolescentes baten-
que não basta abrir vagas na rede de acompanhar, formar, assessorar, articu- o tema de gênero.
ensino, é preciso atendimento integral à lar e defender os direitos principalmente No extremo Sul, com o objetivo de tor- Deus descansara no último dia – no domingo –, após também que, se o Todo Poderoso continua indo ao do fotos para o Orkut. Pelo menos se Deus levasse
família dando apoio e incentivo necessá- da mulher, tanto na área urbana quanto nar público os textos sobre os temas tra- Karla Peterlini ter trabalhado nos seis dias anteriores, e como todos parque, que ao menos não seja de carro. Além dos seu notebook poderia, quem sabe, conseguir algu-
rios para que estas crianças não abando- na área rural. Como meio de divulgação, tados nas redes de desenvolvimento, foi Marissol Alves sabem o final de semana é composto por sábado e congestionamentos nas proximidades dos parques, ma conexão por meio de uma rede sem fio. Assim,
domingo. Porém, o que me deixava confusa era não acho que nem mesmo ser onisciente bastaria para não se sentiria sozinho. Poderia até entrar no MSN,
entender por que o primeiro dia da semana tinha conseguir uma vaga a menos de duas quadras do enquanto estivesse no parque.
nome de segunda. Assim, lembro-me que ficava lugar. Se Deus fosse curitibano, ou apenas morasse em
“Pior do que tá não fica?” imaginando se não seria melhor que o primeiro e o
último dia da semana é que fossem os destinados à
Chegando ao parque (caso consiga e não desista
após a primeira meia hora procurando vaga), Deus
alguma outra grande cidade, faria em seu dia de
folga o que todas as pessoas ali presentes fazem: a
folga, no lugar dos dois últimos. Podem imaginar mi- não conseguiria ouvir o canto dos pássaros que mesma coisa que já é feita todo santo dia. No seu
nha felicidade quando descobri, no auge dos meus criou. Não que eles não estejam lá; estão, sim. Só que dia de folga, os moradores das grandes metrópoles
Sempre achei o Brasil uma referência em diversos as cidades como fontes de violência e destruição, a está marcado em nosso conformismo. E a culpa não
seis anos de idade, que meus devaneios de criança são eles e mais cem carros disputando quem con- enfrentam os mesmos problemas com os quais já
aspectos. Quando eu era criança, via o país como natureza raramente revelada. Uma referência para o é de nenhum deles, é de todos nós que elegemos
sobre a organização do tempo estavam corretos. Re- segue ser ouvido melhor. Além da disputa paralela convivem durante todo o resto da semana. Trânsito,
modelo de belezas naturais. O Globo Repórter mos- crime global. nossos governantes como se estivessem em um ca-
almente, a semana começava no domingo. Parece- que ocorre, a qual os pássaros não participam, de barulho, poluição. Descanso, que é bom, não há. Se
trava toda a riqueza das terras, a fauna, a flora, a exu- tálogo publicitário, maquiados e prontinhos para
Enfim, agora tenho outro ponto de vista. Vejo o Bra- -me que Deus, como também alguns de nós, des- então Deus descansou antes mesmo de começar a
berância dos rios, parecia o melhor lugar do mundo serem escolhidos. quem consegue atingir os ouvidos do maior número
sil como referência em falta de discernimento políti- trabalhar, que sorte foi a dele. Mal sabiam os reles
para se morar. cansou antes mesmo de começar a trabalhar. de pessoas com seu mau-gosto musical.. Não basta
co, o qual elege seus governantes de forma satírica A partir dessa lembrança, reflito: qual será o próximo mortais que descanso e relaxamento seriam um dia
Mas pouco importa o dia, o importante é que des- o volume, a música tocada também é importante.
Quando adolescente, passei a entender os noticiá- ou comprada. Não existe prova maior que um can- elemento que nos tornará referência para o mundo? uma utopia divina.
rios e a perceber que os filmes nos padronizavam didato cujo slogan o tornou o mais votado do Brasil, cansou. Não sei o que Deus fez em sua folga, mas Se andasse nas calçadas, Deus seria atropelado por
como um país miserável, dotado de obscenidades. afinal, “pior do que tá não fica”. Mas isso não surgiu tenho certeza que, se fosse curitibano, teria ido ao pessoas de patins, bicicletas e patinetes. Se precisas-
As mulheres se mostravam de forma vergonhosa, agora, percebi que o título “rouba, mas faz” também Giselle Quaesner parque. Espero que, caso isso tenha acontecido, te- se ir ao banheiro ou comprar alguma coisa, passaria Amanda Bachal
6 2 º Semestre - 2010 2 º Semestre - 2010 11

alizar os seus sonhos.


Iniciativa em prol do No Paraná, a proposta das Redes está presente em 16
cidades, abarcando 90 bairros e vilas. Em Curitiba e
Rede Povos da Floresta
RMC, as Redes trabalham e integram localmente co-

desenvolvimento local munidades que no primeiro olhar teriam realidades


díspares. Por exemplo: Lamenha Grande, em Almiran-
te Tamandaré, e Jardim Social, em Curitiba.
Comunidades indígenas se organizam em Rede digital pela preserva-
ção de sua cultura e meio ambiente.

P ara promover o bem-estar de toda a socieda-


de, políticas de grande amplitude nem sempre
conseguem chegar às localidades, uma vez que
o processo vertical de promoção do desenvolvimento
em sua grande maioria não considera as demandas
ou seja, ela define as metas, as linhas de ação e a pró-
pria realização dessas tarefas. Portanto, as Redes de
Desenvolvimento Local incentivam “a interação en-
tre a própria comunidade, resgatando o princípio do
Em Lamenha Grande, a condição sócio-econômica
da maioria dos moradores aliada à ausência de infra-
-estrutura urbana adequada, revela anseios urgentes.
A agente de desenvolvimento local das Redes para o A
s comunidades indígenas da Amazônia vêm,
ao longo dos anos, organizando-se de diversas
formas pela preservação de suas culturas, terri-
tórios e meio ambiente.
a Rede pretende cons-
truir, além de promover
a interação de saberes
entre os grupos, uma ma-
relacionamento hu- bairro, Gizelle Bogarin, comenta que existe uma par-
dos lugares. Assim, as Redes de Desenvolvimento Lo- mano, buscando au- ticipação expressiva de moradores: “atingimos o nú- Certamente inovadora, está entre elas a Rede Povos lha de monitoramento do
cal, induzidas pelo mero de 2% da po- da Floresta, iniciativa que consiste na criação de um desmatamento na região,
Sistema Federação pulação integrada portal na internet através do qual são trocadas infor- prevenindo tais ações por
das Indústrias do Es- as Redes, reunimos mações relevantes ao cotidiano dos que da rede parti- acelerar a possibilidade
tado do Paraná (Fiep) mais de 140 pesso- cipam, proporcionando o intercâmbio de informações
e Serviço Social da as no encontro que A rede existe desde 2003.
Indústria (Sesi), têm definiu os sonhos
como objetivo pro- para o futuro daqui. bém para a parcela peruana de seu povo, além de rea-
porcionar a melhoria Mas percebemos de denúncias por parte dos
lizar o monitoramento constante do desmatamento e
contínua do espaço que uma caracte- próprios índios, diretamente
caça ilegal em seu território.
da comunidade lo- rística está presente das aldeias.
"Este espaço é para promover encontros, juntar conhe-
cal, através da sua em todos os luga- Exemplo pioneiro entre os
cimentos, fazer troca de saberes, troca de experiências,
interação. “Nós, do res onde as Redes chamados “pontos de difusão”
reunir pessoas com suas culturas e, com esta diversi-
Sistema Fiep, acredi- estão: o desejo pelo da Rede Povos da Floresta, o
tamos que o desen- Centro de Formação dos Sa- dade, realizar um projeto para esta região. Trazer para
convívio social”.
volvimento do país beres da Floresta Yorenka Ãta- dentro deste espaço as formas tradicionais de ensino
Já no bairro do Jar-
só é possível através dim Social, local vis- me localiza-se no estado do com conversas, conselhos, decisões que temos que to-
da soma do desen- to como de classe Acre e é conduzido pelo povo mar juntos. Trazer os mais velhos para cá para apoiar
volvimento de suas média-alta e sem Ashaninka. Com a menor par- e ensinar jovens e adultos.", explicou Moisés Piyanko
localidades, por isso grandes problemas te de sua população localizada Ashaninka em depoimento ao site da Rede Povos da
investimos em ações de urbanização, as no Brasil e a maior no Peru, os Floresta.
voltadas para esta Redes também integram a po- ashaninkas desenvolveram Mais informações sobre a Rede Povos da Floresta po-
temática”, afirma o presidente da Fiep, Rodrigo Costa pulação, melhorando seu convívio e buscando con- técnicas de reflorestamento de dem ser obtidas através do site www.redepovosda-
da Rocha Loures. solidar a vocação do local. Segundo a agente de de- A rede promove interação de saberes entre grupos. plantas nativas, repovoamento floresta.org.br e também por vídeos realizados pelos
Essa rede, composta por pessoas conectadas, visa ao senvolvimento local para o bairro, Giselle Quaesner, próprios índios através do projeto “Vídeo nas Aldeias”,
desenvolvimento aliado à sustentabilidade, já que o
“Nós, do Sistema Fiep, “o desenvolvimento do projeto no Jardim Social tem
de espécies em risco de extin-
ção, artesanato, apicultura, entre no site www.videonasaldeias.org.br.
objetivo é a “melhora da qualidade de vida das comu- acreditamos que o proporcionado resultados surpreendentes. Quando entre diferentes povos da região. outros conhecimentos, e os transmitem não só aos de-
nidades respeitando todas suas desenvolvimento do país iniciei o trabalho no bairro, pensei que seria difícil me A Rede Povos da Floresta existe desde o ano de 2003 mais povos situados na Amazônia brasileira, mas tam- Raquel Barbosa
características próprias, inclusi- aproximar das pessoas e conseguir atingir o interesse e advém dos trabalhos de
ve as culturais”, segundo Rocha só é possível através da coletivo. Entretanto, no decorrer do desenvolvimen- Chico Mendes e outras li-
Loures. Nesse processo, a comu- soma do desenvolvimento to das etapas, conheci muitas pessoas que realmente deranças locais, fundadores
nidade passa a ser o cerne das desejam fazer a diferença e trabalham com respon- da chamada Aliança dos
atividades, de suas localidades, por sabilidade para melhorar principalmente a interação Povos da Floresta, em me-
isso investimos em ações social, a educação e a consciência ambiental dos en- ados dos anos 80. A aliança
volvidos de alguma forma no bairro“.
voltadas para esta temática.” A utilização das Redes como forma de conectar as
visava reunir seringueiros e
Rodrigo da Rocha Loures, presidente do índios pela preservação de
pessoas não depende de seu grau de instrução ou da
suas culturas, além de per-
Sistema Fiep. classe econômica a qual pertence. Depende de inves-
mitir maior atuação dessas
timentos em capital social, que se desenvolve a par-
tir da implantação de redes sociais e do exercício da populações nas questões
mentar o convívio social”, afirma o presidente da Fiep. democracia. Foi este o caminho escolhido para que o agrárias, superando as ad-
Tal desenvolvimento é alcançado por meio de uma projeto se tornasse possível. versidades existentes entre
metodologia específica, proposta pelo físico e ana- esses dois grupos.
lista político Augusto de Franco, composta por oito Amanda Bachal Investindo em uma infra-
etapas, em que os próprios moradores definem o que Arthur Ferreira -estrutura em comunicação
desejam e podem esquematizar um caminho para re- Juliana Fugii e tecnologia da informação, Centro de formação localizado no Acre. Rede Povos da Floresta.
10 2 º Semestre - 2010 2 º Semestre - 2010 7

Pela música livre e arte Os efeitos colaterais


A vertigem tecnológica independente
P I R ATA R I A produtos piratas e dos originais. Entre-
A internet modificou abruptamente a tanto, já existem iniciativas que reduzem
Quando em 1945 a humanidade percebeu que a conheceu um generoso benfeitor: o mercado. Gran- nem todos têm o cartão validado para este clube. organização do mundo contemporâneo posicionam a respeito da questão, de- os preços para tornar as mercadorias
Existe uma atividade ilegal que promove
vida podia ser extinta pela fissão nuclear atômica, des corporações sem rosto, cotadas nas bolsas das ao passo que influencia a vida de todo fende a ideia de que a pirataria não é mais acessíveis à população, como é o
O grande dilema dessa vertigem tecnológica atual a diminuição de postos de trabalho, não
o papel do desenvolvimento das tecnociências pas- ricas economias do norte, fizeram, incentivadas pe- cidadão que tenha acesso a essa tecno- crime, mas sim um meio de difundir a caso do mercado editorial que está pu-
está assentado na não equidade do bem-estar cole- garante a satisfação do comprador, está
sou a ser questionado. Porém, apesar do advento los enormes lucros, aquilo que nenhum governo fez: logia. Há apenas alguns anos era neces- cultura. Aponta também que legalizar a blicando livros de bolso para reduzir os
das bombas atômicas e da pressão da comunidade tivo. Certamente não há problemas em existir com- distribuição de cópias digitais fará com relacionada ao crime organizado, incenti-
elas democratizaram seus produtos. Computadores, sário um oneroso aparato eletrônico a
putadores que oferecem conteúdos instantâneos, custos.
internacional para a diminuição do fomento da tec- softwares, celulares, banda larga, banco de dados qualquer cantor ou grupo musical que que o Brasil amplie a disseminação cul- va a exploração de mão-de-obra infantil,
nologia para fins militares, o que se seguiu no perí- ou aviões maiores e mais confortáveis. O problema desejasse gravar um disco para divulgar tural, contribuindo na divulgação artís- A população precisa conscientizar-se
pipocaram em todas as grandes cidades a partir dos ocasiona riscos a saúde dos seus consu-
odo da guerra fria foi o contrário. Incentivados pelo anos 1990. A palavra de ordem da atualidade, a con- é o desequilibrio que o excesso desses instrumen- seu trabalho. Mais que isso, para fazer tica. de que ao recorrer a mercadorias falsas
midores, gera prejuízos econômicos ao
singelo desejo de dominar o mundo, os impérios vergência digital, reconfigurou as relações sociais. tos gera na sociedade e na natureza. Se apenas uma sucesso, era imprescindível ser desco- Fernando Anitelli, líder da trupe O Tea- está contribuindo para o fortalecimento
correram atrás de todos os meios capazes de acabar pequena parte dos investimentos destinados a criar, tro Mágico e Brasil e
Os instrumentos dessa tecnologia inspiraram mi- berto por uma grande gravadora que do crime organizado, o qual movimenta
com o planeta. lhões de pessoas a gerarem conteúdo, subvertendo comercializar e reciclar todos esses produtos tivesse, investisse no artista e arcasse com os um dos funda- desres-
mais de meio trilhão de dólares, e para a
Com a queda do regime comunista, a superpotência a grande mídia. Colocaram povos distantes em co- por alguma razão solidária e desconhecida, sido des- custos cobrados para uma canção tocar dores do MPB, peita
exploração infantil, onde há 250 milhões
americana manteve seu orçamento militar, porém o municação instantânea, possibilitando acesso à in- tinada para fomentar a qualidade de vida dos povos nas rádios, o popular “jabá”. debate o tema os di-
em seus sho- de crianças trabalhando em condições
vácuo deixado pela URSS incentivou novos atores formação como nunca foi possível antes. Essa nova subdesenvolvidos e em fontes de energia limpa, tal- Essa organização parece quase fora de reitos
cogitação quando nos deparamos com ws, dizendo precárias, segundo dados da Interpol.
a entrarem na cena. União Européia, Japão, China, modernidade, tida por muitos como a pós-moderni- vez vivêssemos em um planeta de diferenças menos auto-
Israel e Irã incentivados por este cenário elevaram dade ou modernidade-líquida, não tem forma defi- colossais. centenas de músicos a disponibilizar aos fãs “pira- Além disso, R$ 27,8 bilhões ao ano dei-
seus trabalhos registrados em estúdios teiem nosso rais – ela
seus dispêndios militares na tentativa de ampliar nida, é complexa e pujante, e é praticamente impos- xam de ser arrecadados em impostos
Como foi posto por Lenon, “o sonho acabou”. O mo- caseiros para serem “baixados” gratui- trabalho”. O CD se chama
suas áreas de influência. Não podemos esquecer as sível analisar suas manifestações em visão global. pelo Brasil, de acordo com o Sindicato
potências nucleares Índia e Paquistão, democracias delo desenvolvimentista é predatório e insustentá- tamente. No entanto, o ato de “baixar” custa uma deter- pirataria.
O que se pode notar é que neste momento históri- Nacional de Auditores Fiscais (Unafisco).
instáveis, que de tão civilizados quase foram às vias vel. Tentativas de modelos alternativos florescem conteúdo via web é constantemente minada quantia, mas Apesar de to-
co o ser humano perde o lugar central da socieda- Esse dinheiro poderia ser investido em
de fato por motivos religiosos. aqui e acolá, mas murcharam por falta de apoio e foco de discussões e avisos que alertam quem não pode ou quer dos esses aspec-
de. Evocam-se valores individuais, de mercado e/ boicote deliberado. E assim continuamos todos pre- “pirataria é crime”, sob o argumento de pagar deve baixar gratuita- favor da sociedade brasileira. A pirataria
Na ONU, diplomatas, pacifistas, ONG's, intelectuais e ou ideológicos, dispersos em redes informacionais tos negativos do também reduz o número de postos de
sos ao atual padrão de consumo, sem vislumbrar ca- que o idealizador da obra não estaria re- mente as músicas na internet.
representantes dos povos do mundo advogam des- que tomam a si mesmos como objeto de reflexão e crime contra o direito
minhos que nos desviem do apartheid social. cebendo nada por ela. Com esse discurso, o grupo trabalho, inclusive, em alguns segmen-
de sua criação um novo modelo, capaz de capitalizar informação. Nessa estrutura contemporânea, a im- autoral, 42% da po-
Entretanto, ao analisar a legislação que atingiu a marca de cerca de tos, a existência de um camelô causa a
alternativas para o bem-estar coletivo. Esforço quase portância dada à felicidade coletiva é nula em bene- Enquanto a vida de qualquer criança valer menos
regulamenta os direitos autorais no Bra- 200 mil CDs vendidos e pulação brasileira perda de 10 postos de trabalho diretos.
tão inoperante quanto a própria instituição. Todavia, fício da satisfação pessoal através tanto do consumo que um MacBook ou a sobrevivência dos homens e sil, é perceptível que as determinações sempre conta com um compra produ-
como nem tudo é tristeza neste insignificante plane- high-tech como pela busca da ideia de conforto. Por mulheres não valer mais que barris de petróleo, não Já a pirataria na internet é uma discus-
agem em dissonância ao contexto das público fiel a lotar a tos piratas,
ta perdido na periferia da galáxia, alguns benefícios sua vez, se o parâmetro for esse conforto advindo haverá desenvolvimento tecnológico que nos salve. são bastante recente. Há um projeto de
novas mídias; afinal, a lei foi criada para platéia em todos
de todo este processo chegaram à sociedade civil, dos novos eletrodomésticos e a longevidade pro- conforme lei (661984/2009) que prevê penalidades
E o pior: que nos salve de nós mesmos. abranger o universo das cópias físicas, os shows. Além
pelo menos aos que puderam pagar. porcionada pela medicina moderna, pode-se sim os re-
que são cada vez mais escassas na era da disso, a ban- para “o compartilhamento de arquivos
Nascida da guerra e amamentada pelos militares afirmar que somos mais felizes que outrora. Contu- informação e das redes sociais. Isso não da já recusou sulta- eletrônicos na internet que contenham
americanos, a moderna tecnologia da informação do, é sabido que esse bem-estar tem um preço e que Arthur Ferreira se aplica só ao meio musical, mas à lite- propostas de dos da obras artísticas ou técnicas protegidas
ratura, e às artes em geral, e sendo assim contrato com p e s - por direitos de propriedade intelectual,
milhares de cidadãos tornam-se crimi- diversas gran- q u i - sem autorização dos legítimos titulares
nosos todos os dias ao disponibilizar ou des gravado-
sa da das obras”, mas argumenta-se que para
baixar conteúdo para uso privado e sem ras e jamais se
Feco- possuir o controle necessário à aplicação
Cada país uma cultura, cadê a cultura do meu país? fins lucrativos.
No esquema da indústria, vemos que a
produção artística é tratada como um
apresenta em
programas de
rádio ou TV se tiver que pagar por isso
mércio
– Rio de Janeiro em parceria com o Ins-
das punições previstas, há a restrição da
privacidade dos internautas.
bem de consumo e não como um bem ou fazer propagandas empresariais. tituto Ipsos. Essa polêmica diferencia-se da pirataria
Todo dia eu acordo, saio correndo e vejo quase as próprio ser que aparece retratado. povo letrado, nem pelo seu status europeu; olho cultural, pois o acesso a esses bens está De acordo com o MPB, “tanto a atual lei O maior atrativo desse mercado é o tradicional, pois, nesse caso, não existe
mesmas coisas. Todo meio-dia eu ligo a TV e assisto Brasil, desordem e retrocesso, a nossa bandeira diz pra ti e invejo seu povo, os trabalhadores que con- diretamente ligado ao pagamento. Mes- autoral quanto a proposta de reforma
preço baixo, porém Luiz Paulo Barreto, um mercado ilegal que lucra com a dis-
o mesmo noticiário, parece que eles reprisam o mes- isso, não é? Na verdade, não exatamente, mas cada seguem se unir e parar um pais e, ao menos, tentar mo nos casos em que o conteúdo é ad- não levam em conta que os conteúdos
quirido pelo público em acordo com a culturais não são competitivos entre si, Ministro da Justiça e Presidente do Con- ponibilização de arquivos via internet,
mo programa. No fim de semana eu vou ao mesmo um interpreta de uma forma e esse é o meu pon- conseguir manter seus direitos. Aí, na França a greve
to de vista. Há meses vejo na tal notícia relatos so- continua, aqui no Brasil o segundo turno vem che- lei, o grande número de atravessadores podem ser compartilhados amplamen- selho Nacional de Combate à Pirataria e uma vez que esse compartilhamento
bar, ouço as mesmas músicas, sim, a banda é muito
bre candidatos, campanhas, corrupção e pessoas gando, os problemas continuam e o provo aqui não e a pouca transparência nos processos te, sem que haja a escassez”. Dessa for- Delitos Contra a Propriedade Intelectual, ocorre de maneira gratuita. É importan-
boa! Peço o mesmo drink, o que muda são as com-
insatisfeitas com alguma situação relacionada aos faz nada. França, cada pais uma cultura, dá pra você de arrecadação e repasse dos recursos ma, alicerçar os ideais de livre acesso à considera que com operações repressi- te enfatizar que a criação de uma cópia,
panhias, automaticamente os assuntos também.
órgãos públicos. Porém, nunca vi ninguém que or- emprestar um pouco da sua pro meu que não tem fazem com que o artista nada ou muito informação contribui com um projeto vas à rede de distribuição de produtos para uso próprio sem intuito de lucro, de
No bar não sinto falta do jornal do meio-dia, mas é ganizasse alguma ação concreta contra o governo. pouco embolse por seu trabalho. Assim, de país que privilegie a educação no
nenhuma? piratas o preço cobrado por esses artefa- material com direitos autorais não cons-
impossível não pensar em qual é a noticia da vez, quem realmente vive da arte precisa ti- processo de constituição de uma socie-
Nos últimos tempos o assunto do meio-dia é eleição tos falsificados aumenta. Mesmo assim, titui crime, lei 10.695.
que passa e repassa por semanas, fazendo com que rar seu sustento de outros canais dade justa e igualitária.
e no cenário internacional a greve geral na França.
O movimento Música Para Baixar – MPB, a alta carga tributária no país contribui
eu odeie mais o apresentador do telejornal do que o Oh, França querida, te invejo. A inveja não é por seu Kalyane Kowalsi
lançado por músicos brasileiros que se Juliane Krainski para a disparidade entre os preços dos Juliana Liconti
8 2 º Semestre - 2010 2 º Semestre - 2010 9

A
maioria das pessoas já ouviu falar ra do projeto, o perfil dos 12 associados famílias, mesmo sem acesso à telefonia uma empresa particular, a Compuline, menta, pois “a internet facilita, e muito, a e disponibiliza apenas contato por tele-
em redes sociais. Há pouco, neste
entremeio referente às eleições, o
termo veio à tona sob a forma de diver-
sas campanhas e manifestações políticas.
do Instituto Guaraguaçú é de faixa etária e internet, organizou-se para reivindicar
de a partir de 30 anos e renda média de novas formas de comunicação.
R$ 600, sendo todos moradores da área O telefone é “prioridade zero” nas rei-
rural. Tais características podem se refle- vindicações dos moradores. É o que diz
Redes sociais entre associação de moradores, comuni-
dade e empresa, a divulgação deu-se pe-
las reuniões de igrejas e de associações
dos bairros. Segundo o secretário muni-
comunicação
com pesso-
as, principal-
mente neste
fone e e-mail.
Já em grandes
eventos, se-
gundo Olavo
Basta começar a comentar o assunto e
logo vem à cabeça aquela tríade famosa:
Twitter, Facebook, Orkut, Msn. Contudo,
o conceito de rede social é bem mais
tir nos indicativos para não utilização de Antônio Ortiz, pastor evangélico e líder
recursos, como telefone e internet, pelos comunitário da região de São Luiz dos
membros do instituto.
Em entrevista
Machados: “O telefone é muito necessá-
rio aqui. Sentimos
sem fio cipal de administração, “não há nenhum
ônus para a prefeitura. Poderemos ajudar
na questão dos posteamentos, (...) com as
centrais telefônicas, que talvez possam
meio, porque
é muito inte-
ressante trocar
infor maçõ es
Nascimento,
porta-voz do
IAC, panfletos,
cartas e convi-
abrangente: seria uma espécie de grupa- ao UTFPRa To- sua falta para fazer há mais demanda e mais requisitos téc- des melhores na cidade. ser instaladas em uma escola municipal com pessoas tes são envia-
mento de pessoas ou instituições com in- dos, Alzira Fer- negócios, para falar nicos que viabilizam as implementações. O UTFPRa Todos procurou a prefeitura ou em um terreno da prefeitura, ou inter- que possuem dos aos sócios
teresses afins que interagem de alguma nandes, uma com nossos filhos Depois, faltam políticas públicas de de- do município vir com as igrejas e a mesma afi- para divulga-
forma. das participan- na cidade e para se mocratização dos meios de comunicação para es- postos de saú- nidade e mo- ção.
tes da rede, comunicar com os nessas regiões para facilitar o processo clare ce r de” . A solu- ram distantes, De acordo
INSTITUTO GUARAGUAÇÚ aponta: “Sem- vizinhos”. Para An- de inclusão digital. Por último, estariam mais so- “A internet facilita, e muito, a ção ideal nes- sem falar na com o presi-
pre que vou gelita Millas, agen- o baixo nível de escolaridade da popula- bre a si- comunicação com pessoas, se caso, para questão da
Sociedade Orquidófila do Vale do Ribeira - 6ª Exposi- dente Rober-
É por isso que o Instituto Guaraguaçú é ao Correio ver te comunitária do ção, fato que desencadeia pouco enten- tuação. O Ferrari, seria a v isu a l i z a ç ã o ção Nacional de Orquídeas. to Fonseca, “o
uma rede social diferente do estereóti- se tem corres- Programa Saúde da dimento dos benefícios proporcionados secretá - principalmente neste meio, Cidade Digi- de imagens clube recrea-
po que comumente se atribui ao termo, pondência fico Família, o problema
pelos novos meios de comunicação, e rio muni- porque é muito interessante tal, com ”tec- instantâneas”. Nakazawa comenta ainda tivo admite, como novos sócios, apenas
especialmente pelo fato de não utilizar sabendo da de comunicação é cipal de nologias que que, apesar de ter consciência da relevân- oficiais militares oriundos da unidade do
a internet e o telefone como meios de programação muito preocupante:
baixo grau de interesse, refletindo em rei-
adminis- trocar informações com pessoas possam atingir cia da internet para a comunicação entre Bacacheri, ou que tenham vínculo com
vindicações escassas.
comunicação. O órgão, em atividade des- do Instituto Comunidade de São Luiz dos Machados. “Perdemos muitas tração, que possuem a mesma afinidade esses locais de os sócios, é complicado tentar inserir essa o CINDACTA II”, fator que integra os as-
de 2006, promove uma série de eventos para as próxi- oportunidades devi- Marlo difícil acesso”, ferramenta, pois grande parte é da ge- sociados da rede. Para Olavo, “o clube é
envolvendo a comunidade residente no mas semanas”. O depoimento demonstra do à falta de telefone. A prefeitura, para SÃO JOSÉ DOS PINHAIS Ferrari, e moram distantes, sem falar conclui. ração que “viveu muito bem sem ela, e,
como o quartel, só que em época de fé-
perímetro em torno da Ponte do Rio Gua- que a comunicação da rede é, essencial- se comunicar com o Posto de Saúde ou explicou na questão da visualização de portanto, não sabem o quanto estão per-
rias. A organização do sistema e a união
raguaçú, espaço rural situado entre Para- mente, oral. Isso não faz do Instituto uma com a escola, precisa deslocar um carro A mesma situação é vista na região rural sobre o ORQUIVALE dendo”.
naguá e Praia de Leste. Na programação organização menor ou fadada ao desuso. da cidade até aqui, só pra dar um recado!” do município de São José dos Pinhais. Há projeto imagens instantâneas.” Todavia, a Orquivale possui uma das
dos amigos associados dão continuidade
ao grupo”.
constam o Café Caiçara – uma reunião Pelo contrário, atende aos anseios da co- Em boa parte das solicitações está pre- cerca de 60 comunidades nessa região ainda em Tendo comple- maiores e mais bonitas exposições do
com refeições da culinária local feitas munidade local, mesmo à moda antiga. sente o argumento de que a internet é que não possuem acesso à telefone nem andamen- tado 10 anos de Brasil. Recebe anualmente outras associa-
Felipe Guimarães
pelos próprios um investimento na educação dos filhos. internet, o que influencia na saída dos jo- to para a implementação da rede telefô- existência neste último mês de outubro, ções dos estados de SP, PR, SC, MG e MS,
Kassia Nakazawa
participantes da Emerson Santos, comerciante da região, vens da região, que buscam oportunida- nica nessas comunidades. Tudo começou a Sociedade Orquidófila do Vale do Ribei- além de participar das exposições para as
SÃO LUIZ DOS aponta: “O telefone e a inter- Priscila Barkmann
organização –, com a reivindicação da comunidade de ra – Orquivale – é um dos nós da extensa quais é convidada. É principal-
grupos de lei- “O telefone é muito MACHADOS net ajudariam a manter os nos- Avencal no mês de setembro de 2009, rede que foi sendo tecida por centenas mente através dessas exposi-
tura, salas de necessário aqui. Sentimos sos jovens morando aqui. Hoje, quando cerca de 100 pessoas reclama- de pessoas admiradoras de orquídeas. A ções realizadas em todo ter-
música, cursos de 2011. Essa muitos deixam seus pais e vão ram, através de um abaixo-assinado, devi- instituição possui sede na cidade de Re- ritório nacional que essa rede
de artesanato sua falta para fazer Final é a previsão de morar na cidade porque aqui do à falta de telefone e internet. Segundo gistro, em São Paulo, onde realiza reuni- se amplia cada vez mais.
e caminhadas negócios, para falar com chegada do tele- estão longe de tudo”. Do ponto Ferrari, a prefeitura não tem a obrigação ões mensais, unindo um público de inte-
ecológicas. fone e da internet de vista comercial, segundo Go- de instalar esses recursos, pois, segundo ressados diversificado. Entre os exemplos ÍCARO ATLÉTICO CLUBE
Tais ações ob- nossos filhos na cidade e na comunidade mes, da Irati Telecomunicações, a cartilha da Anatel, há um perímetro que estão estudantes, donas de casa, aposen-
jetivam pro- para se comunicar com os de São Luiz dos a necessidade de utilização da estabelece essa obrigatoriedade de ins- tados, médicos e agricultores. Apesar de O Ícaro Atlético Clube, locali-
porcionar aos Machados, locali- internet provém da obrigatorie- talação de telefones dentro das residên- essas reuniões serem importantes para a zado no bairro Cabral em Curi-
membros da vizinhos.” zada na cidade de dade de emissão de notas fiscais cias, e essas comunidades se encontram comunicação da associação, a sociedade tiba, é uma associação criada
rede maior pos- Castro. O cenário eletrônicas. fora da área estabelecida. possui certa deficiência: a dificuldade em para a prática de esporte e la-
sibilidade de ge- do local é simples: O acesso da comunidade às no- Nesse caso, a prefeitura aparece “facili- utilizar a internet como ferramenta de co- zer que disponibiliza recursos
ração de renda e qualidade de vida atra- agricultura familiar vas formas de informação ainda tando a comunicação e verificando as municação por parte dos associados. e atividades para seus inte-
vés da profissionalização de uma espécie como fonte de renda e ensino funda- não existe por vários motivos: o Marlo Ferrari – secretário municipal questões técnicas”, segundo o secretário. Segundo o presidente da Orquivale, grantes. Fundada em feverei-
de turismo rural local. Segundo Francisca mental como média de escolaridade. A primeiro seria a distância em re- de administração de São José dos O projeto de implantação tem como ob- Izidoro Nakazawa, a associação perde ro de 1939, a rede ainda não Felipe Guimarães (aluno da UTFPR) e Francisca Kaminski
Kaminski, secretária da cultura e mento- rede social, constituída por cerca de 90 lação aos centros urbanos, onde Pinhais. jetivo estabelecer parceria de 2 anos com muito com a não utilização dessa ferra- possui divulgação na Internet (Secretária da Cultura).