Você está na página 1de 31

000000 – PG1

Colégio Sala Ordem

SIMULADO PREPARATÓRIO PARA CONCURSO PÚBLICO


Defensor Público

Nome do Candidato No de Inscrição No do Caderno

CC va
ASSINATURA DO CANDIDATO
No do Documento

nc pro
SIMULADO
ba de
aF
ela ato
Quando autorizado pelo fiscal
de sala, transcreva a frase
Economia Verde implica uso racional dos recursos naturais
op m

ao lado, com sua caligrafia


usual, no espaço apropriado e inclusão social.
na Folha de Respostas.
ad o for

- Verifique se este caderno:


- corresponde a sua opção de cargo.
- contém 60 questões,numeradas de 1 a 60.
- Para cada questão existe apenas UMA resposta certa.
ap do n

- Leia cuidadosamente cada uma das questões e escolha a resposta certa.


- Essa resposta deve ser marcada na FOLHA DE RESPOSTAS que você recebeu.

VOCÊ DEVE
a
lic

- Procurar, na FOLHA DE RESPOSTAS, o número da questão que você está respondendo.


se

- Verificar no caderno de prova qual a letra (A,B,C,D,E) da resposta que você escolheu.
- Marcar essa letra na FOLHA DE RESPOSTAS, conforme o exemplo:
Ba

- Ler o que se pede na Prova Discursiva-Estudo de Caso e utilizar, se necessário,os espaços para rascunho.

ATENÇÃO
- Marque as respostas com caneta esferográfica de material transparente de tinta preta ou azul. Não será permitida a utilização
de lápis, lapiseira, marca texto, régua ou borracha durante a realização da prova.
- Marque apenas uma letra para cada questão. Será anulada a questão em que mais de uma letra estiver assinalada.
- Responda a todas as questões.
- Não será permitida nenhuma espécie de consulta ou comunicação entre os candidatos, nem a utilização de livros, códigos,
manuais, impressos ou qualquer anotações.
- Em hipótese algum os rascunhos da Prova Discursiva-Estudo de Caso serão corrigidos.
- Você deverá transcrever sua Prova Discursiva-Estudo de Caso, a tinta, na folha apropriada.
- A duração da prova é de 4 horas para responder a todas as questões objetivas, preencher a Folha de Respostas e fazer a Prova
Discursiva-Estudo de Caso (rascunho e transcrição) na folha correspondente.
- Ao término da prova, chame o fiscal da sala e devolva todo o material recebido.
- É proibida a divulgação ou impressão parcial ou total da presente prova. Direitos Reservados.
FOLHA DE ROSTO ORIENTATIVA PARA PROVA OBJETIVA
LEIA AS ORIENTAÇÕES COM CALMA E ATENÇÃO!

INSTRUÇÕES GERAIS

● Atenção ao tempo de duração da prova, que já inclui o preenchimento da folha de respostas.


● Cada uma das questões da prova objetiva está vinculada ao comando que imediatamente a
antecede e contém orientação necessária para resposta. Para cada questão, existe apenas
UMA resposta válida e de acordo com o gabarito.
● Faltando uma hora para o término do simulado, você receberá um e-mail para preencher o
cartão-resposta, a fim de avaliar sua posição no ranking. Basta clicar no botão vermelho de
PREENCHER GABARITO, que estará no e-mail, ou acessar a página de download da prova.
Você deve fazer o cadastro em nossa plataforma para participar do ranking. Não se preocupe:
o cadastro é grátis e muito simples de ser realizado.
– Se a sua prova for estilo Certo ou Errado (CESPE/CEBRASPE):
marque o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo
designado com o código E, caso julgue o item ERRADO. Se optar por não responder a
uma determinada questão, marque o campo “EM BRANCO”. Lembrando que, neste estilo
de banca, uma resposta errada anula uma resposta certa.
Obs.: Se não houver sinalização quanto à prova ser estilo Cespe/Cebraspe, apesar de ser
no estilo CERTO e ERRADO, você não terá questões anuladas no cartão-resposta em
caso de respostas erradas.
– Se a sua prova for estilo Múltipla Escolha:
marque o campo designado com a letra da alternativa escolhida (A, B, C, D ou E). É pre-
ciso responder a todas as questões, pois o sistema não permite o envio do cartão com
respostas em branco.
● Uma hora após o encerramento do prazo para preencher o cartão-resposta, você receberá um
e-mail com o gabarito para conferir seus acertos e erros. Caso você seja aluno da Assinatura
Ilimitada, você receberá, com o gabarito, a prova completa comentada – uma vantagem exclusiva
para assinantes, com acesso apenas pelo e-mail e pelo ambiente do aluno.

Em caso de solicitação de recurso para alguma questão, envie para o e-mail:


treinodificil_jogofacil@grancursosonline.com.br.
Nossa ouvidoria terá até dois dias úteis para responder à solicitação.

Desejamos uma excelente prova!


000000 – PG3

DIREITO CONSTITUCIONAL
Renato Borelli

1. Considere as seguintes disposições constitucionais.


I. “Art. 5.º (...) XIII – é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a
lei estabelecer;”
II. “Art. 5.º (...) LXIX – conceder-se-á mandado de segurança para proteger direito líquido e certo, não amparado por habeas
corpus ou habeas data, quando o responsável pela ilegalidade ou abuso de poder for autoridade pública ou agente de pessoa
jurídica no exercício de atribuições do Poder Público;”
III. “Art. 14 (...) § 9.º Lei complementar estabelecerá outros casos de inelegibilidade e os prazos de sua cessação, a fim de
proteger a probidade administrativa, a moralidade para exercício de mandato considerada vida pregressa do candidato, e a
normalidade e legitimidade das eleições contra a influência do poder econômico ou o abuso do exercício de função, cargo ou
emprego na administração direta ou indireta.”
Em relação à eficácia dessas normas constitucionais, marque a alternativa correta.
(a) I é norma de eficácia contida, II é de eficácia plena e III é de eficácia limitada.
(b) I e III são normas de eficácia limitada, e II é de eficácia plena.
(c) I e II são normas de eficácia contida, e III é de eficácia limitada.
(d) I e III são normas de eficácia contida, e II é de eficácia plena.
(e) I é norma de eficácia contida, e II e III são normas de eficácia limitada.

2. São direitos constitucionais dos trabalhadores urbanos e rurais:.


(a) remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, em cem por cento à do serviço normal.
(b) participação nos lucros, ou resultados, vinculada à remuneração, e, excepcionalmente, participação na gestão da empresa,
conforme definido em lei.
(c) repouso semanal remunerado, preferencialmente aos sábados.
(d) gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, cinquenta por cento a mais do que o salário normal.
(e) irredutibilidade do salário, salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo.

3. Com relação aos direitos políticos, considere as afirmativas abaixo e, após, marque a assertiva que traz APENAS os itens corretos.
I. São condições de elegibilidade, dentre outras, a idade mínima de trinta e cinco anos para Presidente e Vice-Presidente da
República e Senador, trinta anos para Governador e Vice-Governador de Estado e do Distrito Federal e vinte um anos para
Prefeito, Vice-Prefeito e Juiz de Paz.
II. O alistamento eleitoral e o voto são obrigatórios, inclusive para os conscritos, durante o período de serviço militar obrigatório.
III. Para concorrerem a outros cargos, o Presidente da República, os Governadores de Estado e do Distrito Federal e os Prefei-
tos devem renunciar aos respectivos mandatos até seis meses antes do pleito.
IV. São inelegíveis, no território de jurisdição do titular, o cônjuge e os parentes consanguíneos ou afins, até o segundo grau ou
por adoção, do Presidente da República, do Governador de Estado ou Território, do Distrito Federal, do Prefeito ou de quem
os haja substituído dentro dos seis meses anteriores ao pleito, salvo se já titular de mandato eletivo e candidato à reeleição.
(a) II e IV.
(b) I e IV.
(c) I, III e IV.
(d) II e III.
(e) I e III.

4. A Constituição Federal prevê a possibilidade de edição de súmula vinculante em matéria constitucional, que tenha por objeto a
validade, a interpretação e a eficácia de normas,
(a) mediante decisão da maioria absoluta dos membros do Supremo Tribunal Federal, que, todavia, não é atingido pelos efeitos
vinculantes de seu ato.
(b) pelo Superior Tribunal de Justiça, com efeito vinculante em relação aos demais órgãos do Poder Judiciário e à Administração
Pública direta e indireta, nas esferas federal, estadual e municipal.
(c) pelo Supremo Tribunal Federal e pelos Tribunais de Justiça, ambos competentes para julgar as ações diretas de inconstitu-
cionalidade de lei ou atos normativos nos termos da Constituição Federal.
(d) cuja aprovação, revisão ou cancelamento pode ser provocada, sem prejuízo do que vier a ser estabelecido em lei, por aque-
les que podem propor a ação direta de inconstitucionalidade.
(e) que, quando contrariada por lei federal, estadual ou municipal, poderá ensejar o ajuizamento de reclamação constitucional
perante o Supremo Tribunal Federal.

3
000000 – PG4

5. O ingresso no serviço público está sujeito ao cumprimento de termos e condições previstos na legislação, dentre os quais,
(a) o concurso público de provas e títulos, necessário para provimento de cargos públicos, vedada a exigência de outros requi-
sitos de habilitação, como exames psicotécnicos ou físicos.
(b) a submissão a prévio concurso público de títulos e documentos, para cargos, empregos e funções públicas, independentemente
do prazo de duração do vínculo funcional pretendido, como forma de privilegiar os princípios da igualdade e da publicidade.
(c) a possibilidade de nomeação para cargos de livre provimento, seja para vínculos funcionais temporários, seja para vínculos
funcionais permanentes, passíveis de extinção apenas por meio de processo administrativo disciplinar.
(d) a obrigatoriedade de submissão a concurso público de provas e títulos para provimento de cargos e empregos públicos,
admitindo-se a inclusão de outros requisitos de habilitação se houver previsão legal e pertinência com as atribuições a serem
executadas pelo servidor.
(e) a realização de provas físicas, psicológicas e psicotécnicas após a aprovação em concurso público de provas e títulos, para
aferição da expectativa de longevidade dos candidatos.

6. Quanto ao posicionamento dos Tribunais Superiores, é correto afirmar:


(a) Entende o Supremo Tribunal Federal que a cobrança de taxa de matrícula em universidades públicas é constitucional em
face da necessidade de compartilhamento do custeio da educação no âmbito do Estado e da sociedade civil.
(b) O entendimento sumulado do Supremo Tribunal Federal é no sentido de que, no processo administrativo disciplinar, é indis-
pensável a defesa técnica por meio de advogado, a fim de garantir o direito de defesa administrativamente.
(c) Segundo o Supremo Tribunal Federal, a Constituição Federal de 1988 fez previsão expressa a respeito da prisão civil do
devedor de pensão alimentícia e do depositário infiel, sendo esta última ainda lícita, em decorrência do princípio da legali-
dade e da supremacia da norma constitucional.
(d) De acordo com o entendimento do Supremo Tribunal Federal, só é lícito o uso de algemas em casos de resistência e de fun-
dado receio de fuga ou de perigo à integridade física própria e alheia, por parte do preso ou de terceiros, justificada a excep-
cionalidade por escrito, sob pena de responsabilidade disciplinar, civil e penal do agente ou da autoridade e de nulidade da
prisão ou do ato processual a que se refere, sem prejuízo da responsabilidade civil do Estado.
(e) No âmbito do acesso à justiça, o Superior Tribunal de Justiça entende que não faz jus ao benefício da justiça gratuita a
pessoa jurídica com ou sem fins lucrativos, mesmo que demonstre sua incapacidade de arcar com os encargos processuais,
por não ser esta titular deste direito fundamental.

7. Sobre o controle de constitucionalidade no Brasil, assinale a alternativa correta:


(a) As emendas constitucionais, os decretos, assim como as normas constitucionais originárias, podem ser objeto do controle de
constitucionalidade, em face da necessidade de se manter a unidade normativa do ordenamento jurídico nacional.
(b) A ação declaratória de constitucionalidade tem como objetivo a declaração de constitucionalidade de lei ou ato normativo
federal em face da Constituição Federal, tendo seus legitimados ativos ampliados por meio da EC45/04. No âmbito desta
ação, é possível a concessão de medida cautelar por decisão da maioria absoluta dos membros do Supremo Tribunal Federal.
(c) No âmbito dos controles de constitucionalidade abstrato e concreto, o Supremo Tribunal Federal não tem admitido a inconsti-
tucionalidade por consequência ou por arrastamento, uma vez que não é possível que a declaração de inconstitucionalidade
de um dispositivo legal possa atingir outro não expressamente impugnado no pedido inicial.
(d) A arguição de descumprimento de preceito fundamental – ADPF é ação cabível diante de normas municipais em face da
Constituição de 1988, devido a seu caráter subsidiário. Contudo, não é possível a concessão de medida liminar nesta moda-
lidade de ação do controle concentrado.
(e) A respeito da ação direta de inconstitucionalidade por omissão, a lei dispõe que, uma vez proposta, não se admitirá desis-
tência. A petição inicial, nesta modalidade, deve conter a omissão constitucional questionada, assim como o pedido, sendo
vedada a concessão de medida cautelar, por ausência de previsão legal e entendimento do Supremo Tribunal Federal.

8. Conforme lições doutrinárias, a Teoria da Constituição é segmento importante dentro do conhecimento jurídico, vez que determina
a compreensão do modelo constitucional, com uma série de consequências normativas conforme o padrão que se adote em deter-
minado país. A partir do exposto, assinale a alternativa correta.
(a) Constituição costumeira é aquela que, mesmo existindo um texto constitucional expresso, é derrogada pelos costumes pra-
ticados pelas instituições políticas.
(b) Por supremacia da Constituição entende-se a concepção de que as normas constitucionais encontram-se acima de todo o
restante do ordenamento jurídico, influenciando sua interpretação e concretização.
(c) Bloco de constitucionalidade, formado pelos Tratados de Direito Internacional de Direitos Humanos, possui o condão de
revogar normas constitucionais.
(d) Constituições rígidas são aquelas em que há impossibilidade ou maior dificuldade de alteração do conteúdo normativo; cons-
tituições flexíveis, por sua vez, são aquelas em que, apesar da existência do texto constitucional expresso, os dispositivos
podem ser flexibilizados mediante interpretação da Corte Superior.
(e) O conteúdo das constituições, considerado o parâmetro teórico mais recente, deve-se pautar por normas mais objetivas,
descartadas normas programáticas de direitos sociais.

4
000000 – PG5

9. Levando-se em consideração a jurisprudência do STF e a temática dos remédios constitucionais, marque a alternativa correta.
(a) Pela ausência de formalidades exigidas, admite-se a impetração de habeas corpus por meio de petição apócrifa.
(b) É inconstitucional a proibição de concessão de medida liminar em mandado de segurança para a compensação de créditos
tributários.
(c) O prazo decadencial de 120 dias para a impetração de mandado de segurança foi declarado inconstitucional pelo STF, por
se constituir restrição indevida a direito fundamental.
(d) A ação popular pode ser ajuizada por qualquer brasileiro, servindo para combater, entre outros, ato lesivo à moralidade admi-
nistrativa.
(e) O mandado de injunção é usado para suprir omissões constitucionais, estando ligado às normas constitucionais de eficácia
contida e limitada.

10. Nos termos da Constituição Federal de 1988, é permitida, observados os pressupostos, a edição de medidas provisórias
sobre matéria
(a) relativa à organização do Judiciário.
(b) relativas à nacionalidade e à cidadania.
(c) que vise ao sequestro de bens.
(d) objeto de projeto de lei pendente de aprovação pelo Congresso Nacional.
(e) relativa a partidos políticos e direito eleitoral.
DIREITO ADMINISTRATIVO
Gustavo Scatolino

11. Acerca da avocação e delegação de competências no processo administrativo, assinale a alternativa correta:
(A) A delegação transfere a competência e o exercício de parte das atribuições do delegante.
(B) Havendo delegação, o subordinado está obrigado a aceitar o ato transferido, independentemente de sua concordância.
(C) A avocação ocorre quando o superior hierárquico subtrai parte da competência atribuída originariamente a seu subordinado,
ocasionando situação excepcional e definitiva.
(D) A delegação será da totalidade das competências, não podendo ser fracionada.
(E) A avocação não exige hierarquia, diferentemente da revogação.

12. Segundo as disposições da Lei n. 9.784/1999, marque a alternativa correta acerca dos processos administrativos:
(A) No âmbito do processo administrativo, aos administrados é vedado formular alegações e apresentar documentos antes
da decisão.
(B) As pessoas ou as associações legalmente constituídas são legitimados como interessados quanto a direitos ou interesses
homogêneos.
(C) Poderá ser considerada suspeita a autoridade ou servidor que tenha amizade íntima ou inimizade notória com algum dos
interessados ou com os respectivos cônjuges, companheiros, parentes e afins até segundo grau.
(D) As atividades de instrução destinadas a averiguar e comprovar os dados necessários à tomada de decisão realizam-se de
ofício ou mediante impulsão do órgão responsável pelo processo, sem prejuízo do direito dos interessados de propor atua-
ções probatórias.
(E) Apenas as provas ilícitas poderão ser recusadas, por decisão fundamentada, em sede de processo administrativo.

13. Com relação aos atributos dos atos administrativos, marque a alternativa INCORRETA:
(A) De acordo com a tipicidade, todo ato deve ter uma finalidade prévia e, precisamente, definida em lei.
(B) Apesar da característica da autoexecutoriedade, em determinadas situações a Administração depende de decisão judicial
prévia para a implementação do ato.
(C) A presunção de legitimidade do ato é relativa e transfere o ônus da prova para quem invoca a ilegalidade.
(D) A realização de processo administrativo prévio retira a autoexecutoriedade do ato administrativo.
(E) Mesmo um ato ilegal produzirá todos os seus efeitos, por força da presunção de veracidade.

14. Trata-se de ato que a Administração pratica sem usar de sua supremacia sobre os administrados, de forma que se praticados
regularmente geram direitos subjetivos e permanecem imodificáveis, salvo se precários por sua própria natureza. Cita-se como
exemplo a autorização e a licença.
A questão conceituou os chamados atos
(A) de gestão.
(B) de império.
(C) de expediente.
(D) discricionários.
(E) internos.

5
000000 – PG6

15. Quanto aos bens públicos e suas características, marque a resposta correta:
(A) A afetação e desafetação de bens públicos não podem se dar de maneira tácita, só expressamente.
(B) Segundo a jurisprudência, no caso de ocupação dominical do bem, admite-se pedido de proteção possessória contra o
órgão público.
(C) A depender do tempo decorrido, os bens públicos admitem desafetação pelo não uso.
(D) Em qualquer hipótese os bens públicos de uso comum do povo e os bens de uso especial serão inalienáveis.
(E) De acordo com o entendimento do STJ, o ente público detém legitimidade e interesse para intervir incidentalmente na ação
possessória entre particulares, podendo deduzir qualquer matéria defensiva inclusive, se for o caso, o domínio.

16. Acerca da Administração direta e indireta e sua organização, assinale a resposta correta:
(A) A Administração direta é o conjunto de pessoas jurídicas que executam atividades administrativas.
(B) Na descentralização por outorga há controle finalístico, pois as entidades permanecem vinculadas ao ente político.
(C) As pessoas jurídicas da Administração indireta terão personalidade jurídica apenas de direito privado.
(D) Lei complementar deverá autorizar a criação de autarquias e fundações.
(E) Na centralização, a pessoa jurídica desempenha suas tarefas diretamente por meio de suas entidades, como por exemplo,
por autarquias públicas.

17. Tendo como base a Lei n. 8.429/1992 e a jurisprudência dos Tribunais Superiores sobre o assunto, assinale a alternativa INCOR-
RETA sobre a ação de improbidade administrativa:
(A) A aplicação das sanções previstas na lei de improbidade independe da aprovação ou rejeição das contas pelo órgão de con-
trole interno ou pelo Tribunal ou Conselho de Contas ou da efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público, salvo quanto à
pena de ressarcimento.
(B) Conforme o STF, salvo o Presidente da República, os agentes políticos estão sujeitos à dupla responsabilidade e se subme-
tem tanto à responsabilização civil pelos atos de improbidade administrativa, quanto à responsabilização político – adminis-
trativa por crimes de responsabilidade.
(C) Havendo fundados indícios de responsabilidade, a comissão representará ao Ministério Público ou à procuradoria do órgão
para que requeira ao juízo competente a decretação do sequestro dos bens do agente ou terceiro que tenha enriquecido
ilicitamente ou causado dano ao patrimônio público.
(D) Para o STJ, o periculum in mora para decretar a indisponibilidade de bens decorrente do ato de improbidade administrativa
é presumido, não sendo necessário demonstrar o risco de dano irreparável.
(E) Conforme entendimento do STJ, a decretação da indisponibilidade de bens somente poderá alcançar os bens adquiridos
após o ato ímprobo, uma vez que tal medida recairá sobre o acréscimo patrimonial resultante do enriquecimento ilícito.

18. Analise as afirmativas a seguir, acerca das disposições e regras aplicadas aos agentes públicos:
I. Função pública é o conjunto de atribuições e responsabilidades, criado por lei, em número determinado, com nome certo e
remuneração especificada.
II. A exoneração do cargo público pode ser a pedido do próprio servidor ou por iniciativa da Administração, quando por exemplo,
o servidor não é aprovado no estágio probatório em caso de cargo efetivo.
III. É constitucional a vinculação do reajuste de vencimento de servidores estaduais ou municipais a índices federais de correção
monetária.
IV. Só por lei se pode sujeitar a exame psicotécnico a habilitação de candidato a cargo público.
Encontram-se corretas:
(A) apenas a afirmativa IV.
(B) as afirmativas I, III e IV.
(C) as afirmativas III e IV.
(D) apenas as afirmativas II e IV.
(E) todas as afirmativas.

6
000000 – PG7

DIREITO PENAL
Tulio Mendes

19. Assinale a opção CORRETA.


(A) A capacidade civil se confunde com a imputabilidade.
(B) A maioridade penal considera o critério biopsicológico.
(C) A embriaguez acidental completa figura como exculpante, sendo que a sua constatação observa o critério psicológico.
(D) Em se tratando de pessoa com doença mental, as suas condições fisiológicas importam a conclusão de que seria inimputável.
(E) Não se admite tomar como imputável a pessoa com doença mental que não compreende o caráter ilícito do seu agir em rela-
ção à conduta praticada em intervalos de lucidez, nos quais entende a natureza ilícita do seu comportamento.

20. Assinale a opção INCORRETA.


(A) A paixão refere-se ao estado súbito e passageiro, não excluindo, pois, a imputabilidade penal.
(B) Pode a emoção constituir circunstância atenuante, nos moldes do artigo 65, III, "c", ou causa de diminuição de pena (artigos
121, § 1º, e 129, § 4º, ambos do Código Penal).
(C) Embora geralmente caracterizar circunstância atenuante, dependendo do grau e da capacidade de entendimento do agente,
a paixão pode ser encarada como doença mental, caracterizando, nessa hipótese, inimputabilidade ou semi-imputabilidade.
(D) O semi-imputável, ao cometer uma infração penal, será tratado como culpável, salvo se o exame pericial constatar sua res-
ponsabilidade diminuída bem como a sua periculosidade (periculosidade real), recomendando a substituição da pena por
medida de segurança.
(E) Em relação aos inimputáveis, fala-se em periculosidade presumida. Não é necessária conclusão pericial (da periculosidade),
de modo que, se um inimputável praticou uma infração penal, será necessariamente tratado como perigoso.

21. Assinale a opção INCORRETA.


(A) Não são admitidas juntas a pena privativa de liberdade e a medida de segurança, ainda que em sequência.
(B) É compatível com a pena, enquanto espécie de sanção penal, o juízo diagnose.
(C) É compatível com a medida de segurança a implementação de juízo de prognose.
(D) A absolvição criminal não prejudica a medida de segurança, quando couber, ainda que importe privação da liberdade.
(E) Tratando-se de crime punível com reclusão, descabe a substituição da medida de segurança imposta de internação em hos-
pital de custódia por tratamento ambulatorial.

22. João é casado com Maria. Certo dia, sem dinheiro, resolve subtrair, sem avisar ou pedir, R$ 100,00 da bolsa da esposa para
tomar uma cerveja com os amigos. Maria descobre e fica profundamente chateada, porque aquela quantia estava guardada para
a compra do seu presente de aniversário de 60 anos, que seria na semana seguinte.

Assinale a opção INCORRETA.


(A) A situação ilustra escusa absolutória. O direito de punir sequer nasce, levando em conta, em regra, determinadas condições
pessoais do agente.
(B) Se João e Maria fossem irmãos em vez de casados, a ação penal seria condicionada à representação.
(C) Se João estava em ajuste de vontade com Caio, João estará isento de pena. Contudo, Caio responderá pelo delito de furto.
(D) Se João, para subtrair os valores, destrói a bolsa de Maria, praticando violência à coisa, responderá pelo delito de furto.
(E) Se, após um ano do fato, João pratica novo furto em face de Maria, então João responderá pela ação penal, ainda que Maria
não represente.

23. Assinale a opção INCORRETA.


(A) O estelionato em regra submete-se à ação penal pública condicionada à representação, enquanto o furto simples sujeita-se
à ação penal pública incondicionada.
(B) Se a vítima do estelionato possui 70 anos, será o caso de ação penal pública incondicionada.
(C) A exigência de representação da vítima no crime de estelionato não retroage aos processos cuja denúncia já foi oferecida.
(D) Na fraude para recebimento de indenização ou valor de seguro, é necessária a demonstração de finalidade especial de agir
(elemento subjetivo especial do tipo), a saber, o intuito de haver indenização ou valor de seguro.
(E) João emite cheque acreditando que possuirá recursos na conta na data em que o cheque será descontado. Contudo,
apresentado o cheque, não houve compensação por falta de recursos. Prevalece o entendimento de que o fato se revela
fato atípico.

7
000000 – PG8

24. Em relação aos crimes contra a dignidade sexual. Assinale a opção INCORRETA.
(A) No delito de estupro de vulnerável, tem pertinência o critério biológico, mas também o critério biopsicológico.
(B) João e Maria são amigos. Maria acaba bebendo muito, ficando inconsciente e em sono profundo. João acaba acariciando
Maria na genitália, quando é surpreendido por outros amigos. João incorre em estupro de vulnerável, ainda que não tenha
sido o causador da situação que impossibilitou a resistência de Maria.
(C) A violência ou grave ameaça não são exigidos para a consumação do delito de estupro de vulnerável.
(D) O crime de estupro de vulnerável se configura com a conjunção carnal ou prática de ato libidinoso com menor de 14 anos,
sendo irrelevante eventual consentimento da vítima para a prática do ato, sua experiência sexual anterior ou existência de
relacionamento amoroso com o agente.
(E) Paulo, 18 anos, namora com Paula, de 13 anos, há 6 meses, sabendo sobre a sua idade. Os dois mantiveram relações sexu-
ais consentidas. Paulo acredita que o fato de namorarem afasta a natureza ilícita do comportamento. Essa situação ampara
a tese defensiva no caso de Paulo ser denunciado por estupro de vulnerável erro de tipo permissivo.

25. Em relação ao crime de homicídio, assinale a opção INCORRETA.


(A) A pena é aumentada de 1/3 (um terço) até a metade se o crime for praticado por milícia privada, sob o pretexto de prestação
de serviço de segurança, ou por grupo de extermínio.
(B) Considerando as lesões corporais praticadas, o homicídio cuida de crime progressivo.
(C) Se a vítima é provedora da unidade familiar, deixando dependentes desamparados, é possível a exasperação da pena.
(D) O fato de a vítima de homicídio possuir idade igual ou maior que 14 e menor que 18 anos figura como elemento concreto e
transborda aqueles inerentes ao crime de homicídio, sendo apto, pois, a justificar o agravamento da pena-base, mediante
valoração negativa das consequências do crime.
(E) O homicídio praticado por um membro de grupo de extermínio, acaso praticado sem motivo, não será crime hediondo.

26. Assinale a opção INCORRETA.


(A) Na relação tipicidade e ilicitude, doutrina majoritária apregoa que o Brasil segue a teoria da indiciariedade ou da ratio
cognoscendi.
(B) João mata Caio por uma desavença pessoal. Momentos depois, João descobre que Caio tinha sequestrado sua filha, que
estava no carro de Caio. Fica evidenciada justificante a afastar a ilicitude do comportamento.
(C) Figura como requisito da justificante do estado de necessidade a inexistência de dever legal de enfrentar o perigo.
(D) No estado de necessidade, fala-se da necessidade de ser demonstrado o commodus discessus.
(E) No estado de necessidade defensivo, o agente não tem a obrigação de reparar o dano. Já no agressivo, o dano deverá ser
reparado, admitindo-se, todavia, ação regressiva contra o causador do risco.

27. Assinale a opção INCORRETA.


(A) Na medida de segurança da internação, o exame criminológico é obrigatório, enquanto no tratamento ambulatorial, revela-se
facultativo.
(B) Cabe ao juiz decidir quanto à cessação da periculosidade, de modo que o juiz manterá a medida de segurança, devendo
a autoridade administrativa renovar o exame psiquiátrico de ano em ano, ou a qualquer tempo, se o determinar o juiz
da execução.
(C) Cessada a periculosidade, o juiz suspenderá a execução da medida de segurança, determinando a desinternação para a
espécie de medida de segurança restritiva.
(D) Para a desinternação, figura como condição obrigatória a obtenção de ocupação lícita, se apto para o trabalho.
(E) Admite-se a internação provisória como medida de cautelar, desde que a conduta praticada tenha sido com emprego de vio-
lência à pessoa ou grave ameaça, que exista perícia conclusiva e risco de reiteração.

28. Assinale a opção INCORRETA.


(A) Constitui crime de tortura constranger alguém com emprego de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento físico
ou mental para provocar ação ou omissão de natureza criminosa.
(B) A proibição de estabelecimento de fiança para os delitos de “porte ilegal de arma de fogo de uso permitido” e de “disparo
de arma de fogo”, mostra-se desarrazoada, porquanto são crimes de mera conduta, que não se equiparam aos crimes que
acarretam lesão ou ameaça de lesão à vida ou à propriedade.
(C) O porte de arma de fogo de uso restrito e o porte de arma de fog de uso proibido amoldam-se ao mesmo tipo penal, podendo
a pena ser distinta com base nas circunstâncias judiciais.
(D) O porte de arma branca é conduta que permanece típica na Lei das Contravenções Penais.
(E) No crime de disparo de arma de fogo (art. 15 da Lei n. 10.826/2003) prescinde-se, para a sua caracterização, da comprova-
ção da lesividade ao bem jurídico tutelado.

8
000000 – PG9

DIREITO PROCESSUAL PENAL


Mayara Tachy

29. O sistema acusatório possui características mais democráticas, prezando pela preservação dos direitos do indivíduo sujeito à per-
secução penal. O sistema inquisitório, por sua vez, parte da premissa que os fins justificam os meios, razão pela qual o acusado
se torna objeto de verificação das acusações imputadas. Assinale o dispositivo trazido pela Lei n. 13.964/2019 que privilegia o
sistema acusatório:
(A) O tempo de cumprimento das penas privativas de liberdade não pode ser superior a 40 (quarenta) anos.
(B) Não sendo caso de arquivamento e tendo o investigado confessado formal e circunstancialmente a prática de infração penal
sem violência ou grave ameaça e com pena mínima inferior a 4 (quatro) anos, o Ministério Público poderá propor acordo de
não persecução penal, desde que necessário e suficiente para reprovação e prevenção do crime, mediante as seguintes
condições ajustadas cumulativa e alternativamente.
(C) Na hipótese de decretação de perdimento de obras de arte ou de outros bens de relevante valor cultural ou artístico, se o
crime não tiver vítima determinada, poderá haver destinação dos bens a museus públicos.
(D) O recurso extraordinário e o recurso especial serão processados e julgados no Supremo Tribunal Federal e no Superior Tri-
bunal de Justiça, na forma estabelecida por leis especiais, pela lei processual civil e pelos respectivos regimentos internos.
(E) Em qualquer fase da investigação policial ou do processo penal, caberá a prisão preventiva decretada pelo juiz, a requeri-
mento do Ministério Público, do querelante ou do assistente, ou por representação da autoridade policial.

30. Pedro, primário, foi condenado pela prática de um crime de roubo majorado com restrição de liberdade, em 14/06/2020, a uma pena
de 5 anos e 4 meses no regime inicial semiaberto. A fração de progressão necessária para que o acusado passe ao regime aberto é:
(A) 16%
(B) 20%
(C) 25%
(D) 30%
(E) 40%

31. O acordo de não persecução penal é nova modalidade de justiça negociada, juntando-se à transação penal e à suspensão condi-
cional do processo. O princípio da ação penal pública é mitigado pelo oferecimento do acordo:
(A) Intranscendência.
(B) Indisponibilidade.
(C) Obrigatoriedade.
(D) Indivisibilidade.
(E) Oportunidade.

32. Nos crimes envolvendo violência doméstica e familiar contra a mulher, o legislador tem ampliado as normas de proteção. É possí-
vel a retratação da representação no crime de lesão corporal culposa, quando não há a intenção de lesionar?
(A) Sim, desde que ocorra até o oferecimento da denúncia, quando a ação passa à titularidade do Ministério Público.
(B) Sim, em audiência especificamente designada para esse fim, desde que a mulher tenha manifestado interesse em se retratar.
(C) Sim, em audiência especificamente designada para esse fim, independentemente de a mulher ter manifestado interesse em
se retratar.
(D) Não é possível a retratação, por se tratar de crime de ação penal pública incondicionada.
(E) Não é possível a retratação por expressa previsão legal vedando a retratação pela mulher.

33. Paulo foi preso em flagrante delito pelo crime de tráfico de entorpecentes, após os policiais militares localizarem 10 g de cocaína e
uma balança de precisão no interior de sua residência. O acusado, ao avistar os policiais, empreendeu fuga do local e foi abordado
alguns metros depois, sem qualquer objeto ilícito. Os policiais esclareceram que receberam denúncias anônimas de que haveria
situação de traficância no interior da residência e realizaram o flagrante após a busca e apreensão domiciliar.

Acerca do posicionamento do Superior Tribunal de Justiça e do texto legal, assinale a alternativa incorreta:
(A) O crime de tráfico de entorpecentes é considerado crime permanente, tornando o flagrante também permanente.
(B) O ingresso no domicílio somente será admitido quando houver fundadas suspeitas de prática de ilícito no interior do domicílio.
(C) O consentimento do morador deve ser devidamente comprovado, por meio de preenchimento de formulário pelo morador, e,
quando possível, registro de testemunhas do ato.
(D) A fuga do acusado aliada à existência de denúncias anônimas indicando situação de traficância no local são fundamentos
suficientes para o ingresso no domicílio do acusado.
(E) O cumprimento de mandado judicial para busca domiciliar somente pode ocorrer durante o dia, enquanto o flagrante pode
ocorrer em qualquer hora do dia.

9
000000 – PG10

34. Sobre o desaforamento no Tribunal do Júri, assinale a alternativa correta:


(A) O juiz decidirá sobre o pedido de desaforamento formulado pela acusação ou pela defesa, porém, se o próprio juiz identificar
hipótese de desaforamento, o pedido será decidido pelo Tribunal.
(B) O desaforamento será realizado para a comarca mais distante onde os motivos não estiverem presentes.
(C) Não cabe desaforamento quando houver risco à segurança pessoal do acusado, pois esse instituto visa tão somente preser-
var a imparcialidade do julgamento.
(D) É nulo o desaforamento realizado sem a oitiva da defesa.
(E) A presunção de parcialidade dos jurados em razão da divulgação dos fatos e da opinião da mídia é suficiente para o deferi-
mento da medida excepcional do desaforamento da competência.

35. Sobre a quesitação no Tribunal do Júri, assinale a alternativa incorreta:


(A) Não há ordem legal para a formulação dos quesitos, ficando a critério do magistrado definir quais quesitos serão votados a
depender das teses sustentadas em Plenário.
(B) É absoluta a nulidade do julgamento, pelo júri, por falta de quesito obrigatório.
(C) É absoluta a nulidade do julgamento pelo júri, quando os quesitos da defesa não precedem aos das circunstâncias agravantes.
(D) O quesito absolutório genérico será submetido aos jurados, ainda que não haja tese de defesa pela absolvição.
(E) O quesito desclassificatório será votado após o quesito absolutório genérico quando houver tese defensiva pleiteando a
absolvição, em observância à plenitude de defesa.

36. O recurso em sentido estrito tem suas hipóteses previstas em rol taxativo do artigo 581 do CPP, o qual admite interpretação exten-
siva. É hipótese de recurso em sentido estrito:
(A) a decisão de impronúncia no Tribunal do Júri.
(B) a decisão de desclassificação realizada no sumário da culpa.
(C) a decisão que resolve o incidente de restituição de coisas apreendidas.
(D) a decisão que homologa o laudo de incidente de insanidade mental.
(E) a decisão de absolvição sumária.

37. Não caberá habeas corpus:


(A) de decisão que fixou pena restritiva de direitos substitutiva da privativa de liberdade.
(B) da condenação em regime inicial aberto.
(C) da pena de multa.
(D) de decisão de quebra de sigilo.
(E) para trancamento do inquérito policial, quando houver sido celebrada transação penal.

38. O Código de Processo Penal define regras de competência que asseguram o cumprimento do princípio do juiz natural, por serem
definidas previamente à prática da infração penal, impedindo a criação de juízos ad hoc para julgamento dos fatos. Sobre o tema,
é correto afirmar:
(A) Não sendo conhecido o lugar da infração, a competência regular-se-á pelo domicílio ou residência da vítima.
(B) A competência em razão do lugar é absoluta, não admitindo modificações.
(C) Não haverá a cisão dos processos relacionados a crimes militares e crimes comuns, sendo todos julgados perante a Justiça
Militar, por se tratar de justiça especializada.
(D) Será facultativa a separação dos processos quando as infrações tiverem sido praticadas em circunstâncias de tempo ou de
lugar diferentes, ou, quando pelo excessivo número de acusados e para não lhes prolongar a prisão provisória, ou por outro
motivo relevante, o juiz reputar conveniente a separação.
(E) A competência constitucional do tribunal do júri sempre prevalece sobre o foro por prerrogativa de função.

10
000000 – PG11

DIREITO CIVIL
Carlos Elias

39. À luz da LINDB, assinale a alternativa correta.


(A) Viola a ordem pública e, por isso, não é admitida a cobrança judicial no Brasil de contrato de jogos celebrado em cassinos
no exterior.
(B) Na aplicação de sanções, serão consideradas a natureza e a gravidade da infração cometida, bem como tidas como inapli-
cáveis as circunstâncias agravantes ou atenuantes e os antecedentes do agente.
(C) A revisão, nas esferas administrativa, controladora ou judicial, quanto à validade de ato cuja produção já se houver comple-
tado, poderá ser realizada de acordo com as novas orientações gerais do momento da revisão, caso em que necessaria-
mente serão declaradas inválidas situações constituídas anteriormente de forma irregular.
(D) Para a eliminação de irregularidade, poderá ser firmado compromisso com os interessados, sendo possível como resultado
do acordo a desoneração permanente de dever, desde que reconhecido por orientação geral, bem como realizada previa-
mente audiência pública como condição de validade do ajuste.
(E) É proibida a imposição de compensação por benefícios indevidos ou prejuízos anormais ou injustos resultantes do processo
ou da conduta dos envolvidos.

40. A repristinação pode ocorrer nos casos:


I. de entrada em vigor de lei que revogue a lei revogadora, desde que haja previsão expressa acerca do restabelecimento da
lei revogada.
II. de entrada em vigor de lei que revogue a lei revogadora, salvo previsão legal diversa.
III. de concessão da medida cautelar em autos de ação direta de inconstitucionalidade perante o Supremo Tribunal Federal,
voltada contra a lei revogadora, salvo expressa manifestação em sentido contrário.
IV. de concessão da medida cautelar em autos de ação direta de inconstitucionalidade perante o Supremo Tribunal Federal
voltada contra a lei revogadora, exceto nos casos em que a União for interessada.
V. em que o Tribunal declarar a inconstitucionalidade de lei sem pronúncia de nulidade.

Está CORRETO apenas o afirmado nos itens


(A) I e IV.
(B) II e IV.
(C) I e V.
(D) I e III.
(E) IV e V.

41. Assinale a opção incorreta:


(A) A conversão substancial do negócio jurídico depende da verificação da vontade presumível das partes, se estas tivessem
previsto a nulidade do negócio.
(B) A conversão formal do negócio jurídico é vedada no Direito Civil brasileiro em qualquer hipótese.
(C) A anulabilidade não tem efeito antes de julgada por sentença, nem se pronuncia de ofício; só os interessados a podem alegar,
e aproveita exclusivamente aos que a alegarem, salvo o caso de solidariedade ou indivisibilidade.
(D) Quando a lei dispuser que determinado ato é anulável, sem estabelecer prazo para pleitear-se a anulação, será este de
quatro anos, a contar da data da conclusão do ato.
(E) Respeitada a intenção das partes, a invalidade parcial de um negócio jurídico não o prejudicará na parte válida, se esta for
separável; a invalidade da obrigação principal implica a das obrigações acessórias, mas a destas não induz a da obrigação
principal.

42. O prazo prescricional para restituição do lucro da intervenção é de:


(A) 3 anos.
(B) 5 anos.
(C) 10 anos.
(D) 4 anos.
(E) 2 anos.

11
000000 – PG12

43. Suponha que um plano de saúde venha cobrando um valor com base em uma cláusula contratual nula. Diante disso, assinale a
alternativa correta:
(A) O consumidor poderá pedir a restituição dos valores pagos a qualquer tempo, pois negócio jurídico nulo nunca convalesce.
(B) Se for declarada nula a cláusula, a devolução dos valores pagos caracterizará uma indenização, e não uma repetição de
indébito decorrente de pagamento indevido.
(C) Prescreverá em 5 anos a pretensão de reaver os valores pagos indevidamente.
(D) A nulidade de cláusula contratual por abusividade à luz do Código de Defesa do Consumidor pode ser declarada de ofício
pelo juiz, ainda que se tratasse de cláusula de contrato bancário.
(E) Se o plano de saúde tivesse negado o pedido do consumidor para afastar a cláusula contratual nula, a prescrição para a
restituição dos valores pagos posteriormente começará a correr da data dessa negativa.

44. Assinale a opção correta.


(A) Fatos supervenientes a um contrato são irrelevantes se não tiverem sido expressamente contemplados no contrato como
causa de resolução contratual.
(B) Para a resolução do contrato por onerosidade excessiva à luz do Código Civil, basta que um fato superveniente torne a pres-
tação manifestamente desproporcional para qualquer das partes.
(C) A lesão é hipótese que gera nulidade do negócio jurídico.
(D) O contrato preliminar tem de possuir a mesma forma do contrato definitivo.
(E) Os contratos civis e empresariais presumem-se paritários e simétricos até a presença de elementos concretos que justifi-
quem o afastamento dessa presunção, ressalvados os regimes jurídicos previstos em leis especiais.

45. Assinale a opção correta em matéria de responsabilidade civil.


(A) No caso de responsabilidade objetiva, o caso fortuito interno pode excluir o dever de indenizar.
(B) O Estado responde subsidiariamente por danos causados pelos notários e registradores.
(C) Para a comprovação do nexo causal, a teoria adotada foi a da equivalência das condições, também chamada de teoria da
conditio sine qua non.
(D) A perda de uma chance é indenizável mesmo em caso de chance remota, mas, nesse caso, o valor da indenização, será
pequeno diante da baixa probabilidade.
(E) A regra geral no ordenamento jurídico é a responsabilidade civil subjetiva.

46. Os aquestos se comunicam, salvo:


(A) no regime da comunhão universal de bens.
(B) no regime da comunhão parcial de bens.
(C) no regime da separação legal de bens em qualquer hipótese.
(D) na falta da prova do esforço comum no regime da separação obrigatória.
(E) se se tratar de valor recebido a título de seguro de vida no caso do regime da comunhão universal de bens.

47. Assinale a alternativa correta:


I. O reconhecimento da paternidade socioafetiva só pode ocorrer na via judicial.
II. Feito o reconhecimento da paternidade por testamento, é vedada a revogação desse reconhecimento.
III. A adoção de maiores de dezoito anos obedece à disciplina própria do Código Civil e não usa regras do Estatuto da Criança
e do Adolescente.
IV. O marido traído jamais pode impugnar a paternidade do filho tido por sua esposa como fruto de relação extraconjugal, tudo
em respeito à proteção ao vínculo socioafetivo.
V. Ocorre a presunção da paternidade, em favor do marido, dos filhos havidos por inseminação artificial homóloga, quando vivo
o marido. Se falecido, a presunção depende da existência de prévia autorização do marido, segundo o texto do Código Civil.
A partir do julgamento das afirmações anteriores, escolha a alternativa CORRETA:
(A) Estão corretas somente as assertivas I e V.
(B) Estão corretas somente as assertivas I e II.
(C) Estão corretas somente as assertivas III e IV.
(D) Estão corretas somente as assertivas IV e V.
(E) Estão corretas todas as assertivas.

12
000000 – PG13

48. Assinale a alternativa correta:


(A) A superveniência de herdeiro necessário que o testador desconhecia é irrelevante para o testamento, se este tiver avançado
sobre a legítima.
(B) A deserdação pode ocorrer contra o herdeiro que injuriou gravemente o de cujus.
(C) As formalidades exigidas para o testamento não podem ser flexibilizadas, porque se trata de uma garantia ao respeito à
última vontade do testador.
(D) A substituição fideicomissária pode ir além do segundo grau.
(E) É admissível que duas pessoas formalizam o respectivo testamento em um único instrumento.

DIREITO PROCESSUAL CIVIL


Lídia Marangon

49. Sobre a ação rescisória, assinale a alternativa correta:


(A) A técnica de ampliação do colegiado não se aplica ao julgamento não unânime proferido ação rescisória.
(B) A ação rescisória pode ter por objeto apenas a decisão como um todo.
(C) Cabe sustentação oral no julgamento da ação rescisória.
(D) Na ação rescisória fundada em literal violação de lei, cabe o reexame de toda a decisão rescindenda, para verificar se nela
haveria outras violações à lei não alegadas pelo demandante.
(E) A ação rescisória de sentença proferida em ação de investigação de paternidade cujo genitor é pré-morto deve ser ajuizada
em face do espólio.

50. Sobre o incidente de resolução de demandas repetitivas, marque a alternativa incorreta.


(A) A desistência ou o abandono do processo não impede o exame de mérito do incidente de resolução de demandas repetitivas.
(B) O incidente de resolução de demandas repetitivas será julgado no prazo de 2 (dois) anos e terá preferência sobre os demais
feitos, ressalvados os que envolvam réu preso e os pedidos de habeas corpus.
(C) Do julgamento do mérito do incidente caberá recurso extraordinário ou especial, conforme o caso.
(D) Interposto Recurso Especial ou Recurso Extraordinário contra o acórdão que julgou Incidente de Resolução de Demandas
Repetitivas – IRDR, a suspensão dos processos realizada pelo relator ao admitir o incidente só cessará com o julgamento
dos referidos recursos, não sendo necessário, entretanto, aguardar o trânsito em julgado.
(E) O procedimento de distinção (distinguishing) previsto no Código de Processo Civil aplica-se também ao incidente de resolu-
ção de demandas repetitivas – IRDR.

51. Assinale a alternativa correta.


(A) Ainda que já encerrado o julgamento de mérito do recurso ou da ação originária, caberá a instauração de IRDR.
(B) A insuficiência no valor do preparo, inclusive porte de remessa e de retorno, implicará preclusão se o recorrente, intimado na
pessoa de seu advogado, não vier a supri-lo no prazo de 15 (quinze) dias.
(C) O recorrente poderá, a qualquer tempo, desde que com a anuência dos litisconsortes, desistir do recurso.
(D) É irrecorrível o acórdão que admite ou inadmite o Incidente de Resolução de Demandas Repetitivas – IRDR.
(E) No reexame necessário, é permitido, ao Tribunal, agravar a condenação imposta à Fazenda Pública.

52. Sobre recursos cíveis, assinale a alternativa incorreta:


(A) Cabe agravo de instrumento de todas as decisões interlocutórias proferidas no processo de recuperação judicial e no pro-
cesso de falência.
(B) Em regra, os recursos não impedem a eficácia da decisão.
(C) Não cabe agravo de instrumento contra a decisão que aplica multa por ato atentatório à dignidade da justiça pelo não com-
parecimento à audiência de conciliação.
(E) Admitido o recurso extraordinário ou o recurso especial, o Supremo Tribunal Federal ou o Superior Tribunal de Justiça julgará
o processo, aplicando o direito.
(E) É recorrível o ato judicial que determina a intimação do devedor para o pagamento de quantia certa.

53. Sobre as ações possessórias, assinale a alternativa incorreta.


(A) Não é possível o reconhecimento de ofício do direito ao recebimento de indenização por benfeitorias úteis ou necessárias em
ação possessória.
(B) É cabível a produção de laudo antropológico em ação possessória ajuizada por proprietário de fazenda ocupada por grupo
indígena.
(C) É inadequada a discussão acerca da tradicionalidade da ocupação indígena em ação possessória ajuizada por proprietário
de fazenda antes de completado o procedimento demarcatório.
(D) É lícito ao autor cumular ao pedido possessório o de condenação em perdas e danos e a indenização dos frutos.
(E) Em ação possessória entre particulares, é cabível o oferecimento de oposição pelo ente público, alegando-se incidental-
mente o domínio de bem imóvel como meio de demonstração da posse.

13
000000 – PG14

54. Quanto à reclamação, assinale a alternativa correta.


(A) Na reclamação que não houver formulado, o Ministério Público terá vista do processo por 15 (quinze) dias, após o decurso
do prazo para informações e para o oferecimento da contestação pelo beneficiário do ato impugnado.
(B) A inadmissibilidade ou o julgamento do recurso interposto contra a decisão proferida pelo órgão reclamado prejudica a
reclamação.
(C) Não cabe reclamação para o controle da aplicação de entendimento firmado pelo STJ em recurso especial repetitivo.
(D) Ao despachar a reclamação, o relator requisitará informações da autoridade a quem for imputada a prática do ato impugnado,
que as prestará no prazo de 30 (trinta) dias. e) Qualquer interessado, com exceção do Ministério Público, poderá impugnar
o pedido do reclamante.

55. Quanto aos juizados especiais, assinale a alternativa correta.


(A) Os procedimentos de tutela de urgência requeridos em caráter antecedente são compatíveis com o Sistema dos Juizados
Especiais.
(B) Os Juizados Especiais da Fazenda Pública têm competência para o julgamento de ações decorrentes de acidente de traba-
lho em que o Instituto Nacional do Seguro Social figure como parte.
(C) Nos Juizados Especiais Cíveis, o juízo prévio de admissibilidade do recurso será feito em primeiro grau.
(D) Não é lícito renunciar ao montante que exceda os 60 (sessenta) salários-mínimos, a fim de litigar no âmbito de Juizado Espe-
cial Federal Cível.
(E) O Juizado Especial Cível não é competente para o processamento e o julgamento de ação proposta por associação de mora-
dores visando à cobrança de taxas de manutenção de loteamento em face de morador não associado.

56. Sobre as normas fundamentais do processo civil, assinale a alternativa correta:


(A) O processo começa por iniciativa da parte e se desenvolve por impulso oficial, sem exceções.
(B) É assegurada às partes paridade de tratamento em relação ao exercício de direitos e faculdades processuais, aos meios de
defesa, aos ônus, aos deveres e à aplicação de sanções processuais, competindo ao juiz zelar pelo efetivo contraditório.
(C) Entre as mais relevantes inovações introduzidas pelo Código de Processo Civil está a determinação de que juízes e tribunais
profiram sentenças ou acórdãos atendendo obrigatoriamente à ordem cronológica de conclusão.
(D) Estão excluídos da regra do atendimento à ordem cronológica de conclusão as sentenças proferidas em gabinete.
(E) As partes têm o direito de obter em prazo razoável a solução integral do mérito, excluída a atividade satisfativa.

57. Sobre as tutelas de urgência e evidência, assinale a alternativa incorreta.


(A) Havendo risco de perecimento do direito, o poder do juiz de exigir do autor a comprovação dos pressupostos legais para a
concessão da gratuidade não o desincumbe do dever de apreciar, desde logo, o pedido liminar de tutela de urgência.
(B) Para a concessão da tutela de urgência, o juiz pode exigir caução.
(C) É cabível réplica no procedimento de tutela cautelar requerida em caráter antecedente.
(D) Para que a tutela de evidência seja concedida há necessidade da demonstração de perigo de dano ou de risco ao resultado
útil do processo.
(E) Não é absoluta a regra que proíbe tutela provisória com efeitos irreversíveis.

58. Sobre resposta do réu é correto afirmar:


(A) Para que se considere proposta a reconvenção, há necessidade de uso desse nomen iuris e dedução de um capítulo próprio.
(B) Incumbe ao réu manifestar-se precisamente sobre as alegações de fato constantes da petição inicial, presumindo-se verda-
deiras as não impugnadas, mesmo que a seu respeito não seja admitida a confissão.
(C) Em nenhuma hipótese a reconvenção sucessiva é admissível.
(D) A reconvenção pode ser proposta apenas contra o autor da demanda.
(E) É admissível o negócio processual estabelecendo que a alegação de existência de convenção de arbitragem será feita por
simples petição, com a interrupção ou suspensão do prazo para contestação.

14
000000 – PG15

DIREITO DO CONSUMIDOR
Simone Magalhães

59. Assinale a opção certa sobre oferta e publicidade de produtos e serviços no Código de Defesa do Consumidor.
(A) Nem toda informação ou publicidade suficientemente precisa, veiculada por qualquer forma ou meio de comunicação com
relação a produtos e serviços oferecidos ou apresentados, obriga o fornecedor que a fizer veicular ou dela se utilizar.
(B) Se o fornecedor se recusar a cumprir a oferta, apresentação ou publicidade, o consumidor não poderá optar por outro produto
ou prestação de serviço equivalente.
(C) Não são exigíveis na oferta as informações sobre riscos que os produtos ou serviços apresentem à saúde e à segurança dos
consumidores.
(D) Constitui crime contra as relações de consumo fazer afirmação falsa ou enganosa, ou omitir informação relevante sobre a
natureza, característica, qualidade, quantidade, segurança, desempenho, durabilidade, preço ou garantia de produtos ou
serviços, incorrendo nas mesmas penas quem patrocinar a oferta.
(E) Fazer ou promover publicidade que sabe ou deveria saber ser capaz de induzir o consumidor a se comportar de forma pre-
judicial ou perigosa a sua saúde ou segurança não são condutas tipificadas pelo Código de Defesa do Consumidor.

60. Referente à conciliação no superendividamento, prevista no Código de Defesa do Consumidor, indique a alternativa errada.
(A) Não havendo êxito na conciliação em relação a quaisquer credores, será instaurado processo por superendividamento obje-
tivando promover revisão e integração dos contratos, bem como a repactuação das dívidas remanescentes mediante plano
judicial compulsório.
(B) O plano judicial compulsório deve garantir aos credores, no mínimo, o valor do principal devido, corrigido monetariamente por
índices oficiais de preço.
(C) Compete aos órgãos privados integrantes do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor, de maneira concorrente e facul-
tativa, a fase conciliatória e preventiva do processo de repactuação de dívidas.
(D) Os órgãos públicos poderão promover, nas reclamações individuais, audiência global com todos os credores para facilitar a
elaboração de plano de pagamento, em caso de conciliação administrativa para prevenir o superendividamento do consumi-
dor pessoa natural.
(E) Em caso de superendividamento do consumidor pessoa natural, o acordo firmado perante os órgãos públicos de defesa do
consumidor incluirá a data a partir da qual será providenciada a exclusão do consumidor de bancos de dados e de cadastros
de inadimplentes

61. Em razão da defesa do consumidor em juízo a Lei n. 8.078/1990 determina que:


(A) A defesa dos consumidores poderá ser coletivamente exercida em juízo quando se tratar de interesses ou direitos difusos,
sendo eles caracterizados pela sua transindividualidade, pela natureza indivisível e pela indeterminação dos titulares ligados
por circunstâncias de fato.
(B) A União, os Estados, os Municípios e o Distrito Federal não são legitimados para a defesa coletiva dos interesses e direitos
dos consumidores.
(C) A defesa coletiva promovida por associações legalmente constituídas há pelo menos um ano e que incluam entre seus fins
institucionais a defesa dos interesses e direitos dos consumidores, exige autorização assemblear.
(D) Para a defesa dos direitos e interesses protegidos pelo Código de Defesa do Consumidor nem todas as espécies de ações
capazes de propiciar sua adequada e efetiva tutela são admissíveis.
(E) A defesa coletiva dos consumidores não poderá ser exercida em juízo quando se tratar de interesses ou direitos individuais
homogêneos, assim entendidos os decorrentes de origem comum.

62. Sobre a responsabilidade civil tratada pelo Código de Defesa do Consumidor, identifique a alternativa certa.
(A) O produto é viciado quando não oferece a segurança que dele legitimamente se espera, levando-se em consideração, entre
outras coisas, a época em que foi colocado em circulação.
(B) O fornecedor responde subjetivamente pela reparação dos danos causados aos consumidores, decorrentes de informações
insuficientes ou inadequadas sobre fruição e riscos dos seus serviços.
(C) O produto é considerado defeituoso pelo fato de outro de melhor qualidade ter sido colocado no mercado.
(D) O comerciante é igualmente responsável pelo acidente de consumo quando o produto for fornecido sem identificação clara
do seu fabricante, produtor, construtor ou importador.
(E) O importador não responde pela reparação dos danos causados aos consumidores por defeitos decorrentes dos produtos,
já que ele não tem controle sobre a fabricação desses bens.

15
000000 – PG16

63. Em conformidade com o Código de Defesa do Consumidor sobre prevenção e tratamento do superendividamento, identifique a
alternativa errada.
(A) O superendividamento é marcado pela impossibilidade manifesta de o consumidor pessoa natural, de boa-fé, pagar a totali-
dade de suas dívidas de consumo, sem comprometer seu mínimo existencial.
(B) O tratamento do superendividamento também se aplica ao consumidor cujas dívidas tenham sido contraídas com o propósito
de não realizar o pagamento.
(C) É assegurada ao consumidor a liquidação antecipada do débito, total ou parcialmente, mediante redução proporcional dos
juros e demais acréscimos, tanto no fornecimento de crédito quanto na venda a prazo.
(D) No fornecimento de crédito e na venda a prazo, o fornecedor ou o intermediário deverá informar o consumidor, prévia e ade-
quadamente, sobre o montante das prestações e o prazo de validade da oferta, que deve ser, no mínimo, de 2 (dois) dias.
(E) A prevenção ao superendividamento impõe ao fornecedor de crédito ou ao intermediário o dever de avaliar, previamente e
de forma responsável, as condições de crédito do consumidor, mediante análise das informações disponíveis em bancos de
dados de proteção ao crédito, observado o disposto neste Código e na legislação sobre proteção de dados.

DIREITOS DIFUSOS E COLETIVOS


Karoline Leal

64. Acerca da legitimidade das associações para ajuizamento de Ações Civis Públicas, assinale a alternativa incorreta.
(A) As associações possuem legitimidade para defesa dos direitos e dos interesses coletivos ou individuais homogêneos, inde-
pendentemente de autorização expressa dos associados.
(B) Em diversas situações, as associações de classe atuam como representantes processuais, sendo obrigatória a autorização
individual ou assemblear dos associados. Esse entendimento, todavia, não se aplica na hipótese de a associação buscar em
juízo a tutela de interesses ou direitos difusos.
(C) As associações quando atuam nas ações coletivas de rito ordinário, as quais tratam de interesses meramente individuais,
sem índole coletiva, limitam-se a representar os titulares do direito controvertido, atuando na defesa de interesses alheios e
em nome alheio. Daí é necessária a autorização dos associados.
(D) O disposto no artigo 5º, inciso XXI, da Carta da República, encerra representação específica, não alcançando previsão
genérica do estatuto da associação a revelar a defesa dos interesses dos associados. Assim, as balizas subjetivas do título
judicial, formalizado em ação coletiva ordinária proposta por associação, são definidas pela representação no processo de
conhecimento, presente a autorização expressa dos associados e a lista destes juntada à inicial.
(E) Não é possível o manejo de ação civil pública que tenha como destinatários consumidores que não estejam arrolados na
petição inicial, na hipótese de acidente de consumo.

65. Não figura como expressão do Princípio da máxima efetividade do processo coletivo:
(A) A possibilidade de o juízo determinar de ofício a produção de prova necessária ao alcance da verdade processual, bem como
a possibilidade de o juízo conceder liminar com ou sem justificação prévia.
(B) A possibilidade de o juízo conceder antecipação de tutela com ou sem requerimento.
(C) A possibilidade de o juízo fixar multa diária com ou sem requerimento (art. 84, §4, do CDC);
(D) A possibilidade de o juízo conceder medidas com o fito de garantir o resultado, tais como busca e apreensão, remoção de
coisas e pessoas, desfazimento de obra, impedimento de atividade nociva, além de requisição de força policial.
(E) A possibilidade de o juízo realizar esforço processual para a superação de vícios com o fito de atingir a resolução de mérito.

66. Consoante orientação dos Tribunais Superiores, assinale o item incorreto.


(A) É inconstitucional a delimitação dos efeitos da sentença proferida em sede de ação civil pública aos limites da competência
territorial de seu órgão prolator.
(B) A despeito da enorme reprovabilidade, a alienação de terrenos a consumidores de baixa renda em loteamento irregular,
tendo sido veiculada publicidade enganosa sobre a existência de autorização do órgão público e de registro no cartório de
imóveis, não dá ensejo à indenização por dano moral coletivo.
(C) Em ação civil pública proposta por associação, na condição de substituta processual, possuem legitimidade para a liquidação
e execução da sentença todos os beneficiados pela procedência do pedido, independentemente de serem filiados à associa-
ção promovente.
(D) Segundo posição mais recente do STJ, o dano moral coletivo é essencialmente transindividual, de natureza coletiva típica,
tendo como destinação os interesses difusos e coletivos, não se compatibilizando com a tutela de direitos individuais
homogêneos.
(E) Segundo orientação do STJ, não é cabível a requisição da averbação de inquérito civil no registro imobiliário pelo Ministério
Público, com fixação de prazo para o seu cumprimento.

16
000000 – PG17

67. A respeito dos direitos das pessoas com deficiência, julgue os itens.
I. As pessoas com deficiência, no que se incluem os portadores de transtorno mental, deixaram de ser considerados incapa-
zes, por força de modificação nos artigos 3º e 4º do Código Civil.
II. A deficiência não afeta a plena capacidade civil da pessoa, inclusive para casar-se e constituir união estável, para exercer
direitos sexuais e reprodutivos, para decidir sobre o número de filhos e de ter acesso a informações adequadas sobre repro-
dução e planejamento familiar; para conservar sua fertilidade, sendo vedada a esterilização compulsória, embora exista um
procedimento administrativo facilitado para a esterilização para mulheres com mais de 5 filhos.
III. A curatela afetará tão somente os atos relacionados aos direitos de natureza patrimonial e negocial. A definição da curatela não
alcança o direito ao próprio corpo, à sexualidade, ao matrimônio, à privacidade, à educação, à saúde, ao trabalho e ao voto.
IV. A pessoa com deficiência somente será atendida sem seu consentimento prévio, livre e esclarecido em casos de risco de
morte e de emergência em saúde. A participação da pessoa com deficiência curatelada em pesquisa científica ocorrerá ape-
nas quando houver indícios de benefício direto para sua saúde ou para a saúde de outras pessoas com deficiência.
Estão corretos apenas os itens:
(A) I e II.
(B) I e III.
(C) II, III e IV.
(D) I, II e III.
(E) I, III e IV.

68. No tocante à tutela coletiva da pessoa presa, assinale o item incorreto.


(A) A Defensoria Pública velará pela regular execução da pena e da medida de segurança, oficiando, no processo executivo e
nos incidentes da execução, para a defesa dos necessitados em todos os graus e instâncias, de forma individual e coletiva.
Incumbe, ainda, à Defensoria Pública visitar os estabelecimentos penais, tomando providências para o adequado funciona-
mento, e requerer, quando for o caso, a apuração de responsabilidade e requerer à autoridade competente a interdição, no
todo ou em parte, de estabelecimento penal.
(B) Considerando que é dever do Estado, imposto pelo sistema normativo, manter em seus presídios os padrões mínimos de
humanidade previstos no ordenamento jurídico, é de sua responsabilidade, nos termos do art. 37, § 6º, da Constituição, a
obrigação de ressarcir os danos, inclusive morais, comprovadamente causados aos detentos em decorrência da falta ou
insuficiência das condições legais de encarceramento.
(C) Conforme o artigo 5º, inciso XLIX, da Constituição de 1988, o Estado tem o dever de assegurar a integridade física e moral
dos presos sob a sua custódia. A violação de tal dever faz surgir, por sua vez, o dever jurídico sucessivo de indenizar os
danos daí decorrentes. Trata-se de hipótese de responsabilidade civil fundada na teoria do risco administrativo: ao restringir
a liberdade do indivíduo e colocá-lo sob a sua custódia, o Estado se obriga a evitar os danos decorrentes dos riscos criados
por tal conduta.
(D) Na ADPF 347/DF houve o reconhecimento do estado de coisas inconstitucional no sistema penitenciário nacional. Verificou-
-se um “quadro de violação massiva e persistente de direitos fundamentais, decorrente de falhas estruturais e falência
de políticas públicas e cuja modificação depende de medidas abrangentes de natureza normativa, administrativa e orça-
mentária”. Assim, havendo déficit de vagas, deve ser determinada: 1) a saída antecipada de sentenciado no regime com
falta de vagas; 2) a liberdade eletronicamente monitorada ao sentenciado que sai antecipadamente ou é posto em prisão
domiciliar por falta de vagas; 3) o cumprimento de penas restritivas de direito e/ou estudo ao sentenciado que progrida ao
regime aberto.
(E) No HC coletivo n. 143641, o STF decidiu acerca da fixação imediata de prisão domiciliar em favor das mulheres gestantes,
puérperas, com filhos menores de 12 anos e com deficiência. O STF reconheceu a existência de inúmeras mulheres grávidas
e mães de crianças que estavam cumprindo prisão preventiva em situação degradante, privadas de cuidados médicos pré-
-natais e pós-parto. Além disso, não havia berçários e creches para seus filhos.

17
000000 – PG18

DIREITOS HUMANOS
Karoline Leal

69. Acerca da Corte Interamericana de Direitos Humanos assinale a assertiva falsa:


(A) A Corte Interamericana de Direitos Humanos (Corte IDH) é uma instituição judicial autônoma do sistema interamericano que
tem como objetivo aplicar e interpretar a Convenção Americana sobre Direitos Humanos (CADH), podendo também, no exer-
cício da sua competência consultiva, expandir a atividade interpretativa para outros tratados concernentes à proteção dos
direitos humanos nos Estados americanos.
(B) A natureza jurídica de instituição judicial autônoma da Corte IDH, reconhecida em seu Estatuto (art. 1º) e em sua jurisprudên-
cia (Opinião Consultiva n. 1/1982, § 19), a coloca como órgão da própria Convenção Americana, não integrando – diferente-
mente da Comissão Interamericana – a estrutura da Organização dos Estados Americanos (OEA).
(C) Diferentemente da CIDH, que foi criada por meio de resolução de Reunião de Consulta de Ministros de Relações Exteriores,
vindo a integrar formalmente a estrutura de um tratado – a Carta da OEA – somente anos mais tarde, com o Protocolo de
Buenos Aires (1967), a Corte IDH já nasceu com base convencional, pois foi criada pela Convenção Americana (1969).
(D) Ainda que devidamente instalada e com o seu regime jurídico em vigor, por meio da Convenção Americana de Direitos Huma-
nos (CADH), o Estatuto e o Regulamento, a Corte levou alguns anos para exercer a sua função contenciosa, vindo a proferir
a primeira sentença de mérito somente em julho de 1988, no Caso Palamara Iribarne vs. Honduras.
(E) A Corte compor-se-á de sete juízes, nacionais dos Estados Membros da Organização, eleitos a títulos pessoal dentre juris-
tas da mais alta autoridade moral, de reconhecida competência em matéria de direitos humanos, que reúnam as condições
requeridas para o exercício das mais elevadas funções judiciais, de acordo com a lei do Estado do qual sejam nacionais, ou
do Estado que os propuser como candidatos.

70. O caso Poblete Vilches trata acerca:


(A) dos direitos de pessoas LGBTI+.
(B) dos direitos das pessoas idosas e dos DESCs.
(C) dos direitos dos migrantes indocumentados.
(D) dos direitos das pessoas com deficiência mental.
(E) dos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres.

71. Não figura como determinação expedida na medida provisória do Assunto do Instituto Penal Plácido de Sá Carvalho (IPPSC), pro-
latada pela Corte Interamericana de Direitos Humanos:
(A) Tomar as medidas necessárias para proteger de forma eficaz a vida e a integridade pessoal de todas as pessoas privadas de
liberdade no IPPSC e erradicar concretamente os riscos de morte e de atentados contra a vida e a integridade pessoal das
pessoas privadas de liberdade no IPPSC.
(B) Elaborar um diagnóstico técnico e, com base nos resultados deste diagnóstico, um plano de contingência para a reforma
estrutural e de redução da superpopulação no IPPSC.
(C) Apresentar um relatório periódico, a cada três meses, com as medidas adotadas em conformidade com esta decisão.
(D) A Corte IDH decidiu que como o IPPSC está com o dobro de pessoas reclusas, a aflição da pena também é dobrada, de
modo que o tempo de pena ou de medida preventiva deve ser contado à razão de 2 dias de pena lícita por cada dia de efetiva
privação de liberdade em condições degradantes, salvo crimes contra a vida ou de natureza sexual, mas somente em cada
caso concreto, a partir de exame criminológico.
(E) A Corte IDH decidiu que como o IPPSC está com o dobro de pessoas reclusas, a aflição da pena também é dobrada, de
modo que o tempo de pena ou de medida preventiva deve ser contado à razão de 2 dias de pena lícita por cada dia de efetiva
privação de liberdade em condições degradantes, salvo crimes contra a vida, integridade física ou de natureza sexual, mas
somente em cada caso concreto, a partir de exame criminológico

18
000000 – PG19

72. A respeito dos direitos das comunidades originárias, julgue os itens.


I. A Convenção n. 169 da Organização Internacional do Trabalho – OIT sobre Povos Indígenas e Tribais foi adotada pela OIT,
em 27 de junho de 1989, entrando em vigor internacional em 1991. O Brasil ratificou-a em 2002 e incorporou-a internamente
pelo Decreto n. 5.051, de 2004. A Convenção apresenta importantes avanços no reconhecimento dos direitos indígenas
coletivos, com significativos aspectos de direitos econômicos, sociais e culturais.
II. De acordo com a Convenção, as terras indígenas devem ser concebidas como a integralidade do meio ambiente das áreas
ocupadas ou usadas pelos povos indígenas abarcando, portanto, aspectos de natureza coletiva e de direitos econômicos,
sociais e culturais além dos direitos civis.
III. Os artigos 15 e 14 da Convenção enfatizam o direito de consulta e participação dos povos indígenas no uso, gestão (inclusive
controle de acesso) e conservação de seus territórios. Além disso, prevê o direito a indenização por danos e proteção contra
despejos e remoções de suas terras tradicionais.

Estão corretas as alternativas:


(A) I, II e III.
(B) I e II.
(C) II e III.
(D) I e III.
(E) Nenhuma das alternativas.

73. Acerca da Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência Contra a Mulher, assinale o item incorreto.
(A) A Convenção de Belém do Pará, como ficou conhecida a Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Vio-
lência contra Mulher, adotada na referida cidade, em 9 de junho de 1994, conceitua a violência contra as mulheres, reconhe-
cendo-a como uma violação aos direitos humanos, e estabelece deveres aos Estados signatários, com o propósito de criar
condições reais de rompimento com o ciclo de violência identificado contra mulheres em escala mundial.
(B) O Brasil a assinou na mesma data e o Congresso Nacional a aprovou por meio do Decreto Legislativo n. 107, de 31 de agosto
de 1995. O governo brasileiro depositou a carta de ratificação em 27 de novembro de 1995, data em que a Convenção come-
çou a vigorar para o Brasil. A promulgação deu-se com o Decreto n. 1.973, de 1º de agosto de 1996.
(C) Definição de violência contra a mulher: qualquer ação ou conduta, baseada no gênero, que cause morte, dano ou sofrimento
físico, sexual ou psicológico à mulher, tanto no âmbito público como no privado. A violência contra a mulher abrange a violên-
cia física, sexual ou psicológica, quer tenha ocorrido no âmbito da família ou unidade doméstica ou em qualquer outra rela-
ção interpessoal, em que o agressor conviva ou haja convivido no mesmo domicílio que a mulher e que compreende, entre
outros, estupro, violação, maus-tratos e abuso sexual; quer no âmbito da comunidade e seja perpetrada por qualquer pessoa.
(D) A Convenção de Belém do Pará exige dos Estados um compromisso efetivo na erradicação da violência de gênero a partir
da criação de leis de proteção aos direitos das mulheres, modificação dos padrões socioculturais, fomento à capacitação de
pessoal, além da criação de serviços específicos para atendimento àquelas que tiveram seus direitos violados.
(E) A Convenção de Belém do Pará, no tocante aos mecanismos de proteção, dispõe sobre informes realizados pelos Estados à
Comissão Interamericana de mulheres sobre as medidas adotadas para prevenir e erradicar a violência contra as mulheres,
além da possibilidade de os Estados e a Comissão Interamericana de Mulheres podem requerem opinião consultiva sobre a
interpretação da Convenção à Corte IDH.

74. A respeito dos direitos dos migrantes, assinale o item correto.


(A) O Direito Internacional da Mobilidade Humana consiste no conjunto de normas internacionais que regulam os direitos dos
indivíduos em situação de deslocamento transfronteiriço ou em permanência, temporária ou definitiva, em Estado do qual
não possuem nacionalidade, mas não trata da questão do asilo.
(B) O Direito Internacional da Mobilidade Humana trata de regras gerais que incidem sobre todos os migrantes, tanto os imigran-
tes (nacionais de outros Estados ou apátridas que chegam a outro Estado) quanto os emigrantes (nacionais que deixam o
território de um Estado para outro), bem como regras especiais sobre apátrida e refúgio e outras formas de acolhimento de
pessoas, mas não trata da questão do asilo.
(C) O marco dessa atenção internacional a pessoas em situação de mobilidade é a Convenção Internacional sobre a Proteção
dos Direitos de Todos os Trabalhadores Migrantes e dos Membros das suas Famílias, que estipula que “Toda a pessoa tem o
direito de abandonar o país em que se encontra, incluindo o seu, e o direito de regressar ao seu país”, bem como prevê que
“Toda a pessoa sujeita a perseguição tem o direito de procurar e de beneficiar de asilo em outros países”.
(D) Na atualidade, o Direito Internacional da Mobilidade Humana não assegura, em geral, o direito de ingresso em qualquer país
do mundo, mas somente o direito de sair e o direito de buscar asilo. A exceção a essa regra encontra-se no Direito Interna-
cional dos Refugiados, que obriga os Estados a acolher o solicitante de refúgio até a definição de sua situação jurídica de
refugiado, zelando, mesmo que não seja considerado um refugiado, que não seja devolvido a um Estado no qual sua vida,
liberdade ou integridade pessoal esteja em risco por motivo odioso (em virtude da sua raça, da sua religião, da sua naciona-
lidade, do grupo social a que pertence ou das suas opiniões políticas).

19
000000 – PG20

(E) No tocante a diplomas jurídicos internacionais específicos, a mobilidade internacional foi tratada pela Convenção Internacio-
nal sobre a Proteção dos Direitos de Todos os Trabalhadores Migrantes e dos Membros das suas Famílias, ratificada pelo
Brasil, que enfrentou a discriminação e a ofensa a direitos básicos dos trabalhadores migrantes em Estados de acolhida,
em virtude da vulnerabilidade gerada pelo tipo de migração, normalmente indocumentada e pelas diferenças socioculturais
eventualmente existentes.

75. A respeito do Caso Empregados da Fábrica de Fogos de Santo Antônio de Jesus vs. Brasil, assinale o item incorreto.
(A) Tratou da última condenação brasileira perante a Corte IDH. O caso diz respeito à explosão, em 11 de dezembro de 1998, de
uma fábrica de fogos de artifício em Santo Antônio de Jesus – Bahia, que funcionava irregularmente e, após explosão, matou
60 pessoas, entre elas 20 crianças e adolescentes, ferindo ainda seis pessoas, dentre elas três crianças e adolescente, todos
em situação de vulnerabilidade econômica e social. Após de 20 anos, o Estado brasileiro não deu resposta adequada na
esfera cível, trabalhista ou no âmbito criminal.
(B) Na sentença, a Corte reconhece discriminações estruturais de raça, gênero e condições sociais como violações de direitos
humanos. Segundo a Corte, as vítimas “se encontravam em situação de pobreza estrutural e eram, em amplíssima maioria,
mulheres e meninas afrodescendentes, quatro delas estavam grávidas e não dispunham de nenhuma alternativa econômica
senão aceitar um trabalho perigoso em condições de exploração”.
(C) A Corte considerou que o Estado brasileiro tinha conhecimento de que eram realizadas atividades perigosas na fábrica e não
inspecionava nem fiscalizava o local adequadamente, que apresentava graves irregularidades e alto risco e perigo iminente
para a vida, integridade pessoal e saúde de todos os trabalhadores.
(D) Além das irregularidades citadas, a fábrica era exploradora de trabalho infantil, o que violava os direitos ao trabalho e ao
princípio da igualdade e não discriminação. Não foi o primeiro caso brasileiro que tratou sobre trabalho infantil, já que no caso
Fazenda Brasil Verde também houve condenação brasileira.
(E) Segundo a Corte Interamericana de Direitos Humanos, o Estado brasileiro violou os direitos à vida e à integridade pessoal
das supostas vítimas e de seus familiares, uma vez que não cumpriu suas obrigações de inspeção e fiscalização. Não houve
menção aos direitos da criança, tendo sido tratada somente a questão do trabalho infantil.

76. O caso Hilaire, Constantine, Benjamin e outros vs. Trinidad e Tobago versa sobre:
(A) a possibilidade de aplicação da pena de morte automática. A Corte considerou que se a pena aplicada for superior a 30 anos,
seria possível tal aplicação.
(B) a compreensão da Corte IDH de que o corredor da morte é um tratamento cruel, desumano e degradante. Reconheceu
também que todo réu deve ter direito de solicitar anistia, indulto, mas não comutação de pena.
(C) a possibilidade de repristinar a aplicação da pena de morte aos países que já tenham abolido, tendo sida aceita a tese.
(D) a discussão acerca da aceitação da competência contenciosa da Corte poder ser realizada ressalvando atos ou práticas em
conformidade com a Constituição nacional.
(E) a discussão sobre a idade mínima a ser aplicada a pena capital, restando decidido que será possível aos menores de 18
anos, se a lei interna previr idade inferior para a imputabilidade.

77. No tocante às Opiniões Consultivas da Corte Interamericana de Direitos Humanos, assinale a opção incorreta.
(A) A OC 24/2017 reforçou que respeito à identidade de gênero autopercebida está assegurada pela Convenção Americana de
DH e os Estados devem observar tal direito. Ademais, reforçou que a alteração deve observar a autodeterminação, sem a
exigência de certificações médicas e/ou psicológicas, afastando o caráter patologizante. Assinalou, ainda, o caráter sigiloso,
gratuito – na medida do possível – e célere do procedimento de retificação do nome. Segundo a Corte, o melhor modelo de
retificação de nome é o administrativo ou notarial, mas não houve imposição quanto a tal modelo. Tal orientação não abrange
os menores de 18 anos.
(B) A Corte já assinalou que o pedido de opinião consultiva não pode ter como objetivo determinar o alcance dos compromissos
internacionais assumidos por Estados que não sejam membros do sistema interamericano e que não pode buscar a interpre-
tação das normas que regulam a estrutura ou o funcionamento de órgãos ou organismos internacionais alheios ao sistema
interamericano.
(C) A Corte já assinalou que o pedido de opinião consultiva não deve disfarçar um caso contencioso ou pretender de forma pre-
matura um pronunciamento sobre um tema ou assunto que poderá eventualmente ser submetido à Corte através de um caso
contencioso;
(D) A Corte já assinalou que não deve ser utilizada como um mecanismo para obter um pronunciamento indireto sobre um
assunto em litígio ou em controvérsia a nível interno tampouco deve ser utilizada como um instrumento de um debate político
interno. Ademais, reforçou que não deve abranger, exclusivamente, temas sobre os quais a Corte já tenha se pronunciado
em sua jurisprudência.
(E) A Corte editou nova Opinião consultiva acerca do direito de greve e restou assinalado que deve ser garantido a empregados
públicos ou privados e o Estado deve proibir qualquer coação direta ou indireta aos sindicalizados.

20
000000 – PG21

78. A respeito das medidas de urgência no Sistema Interamericano, assinale a alternativa incorreta.
(A) Em situações de gravidade e urgência a Comissão poderá, por iniciativa própria ou a pedido da parte, solicitar que um Estado
adote medidas cautelares para prevenir danos irreparáveis às pessoas ou ao objeto do processo relativo a uma petição ou
caso pendente.
(B) Em situações de gravidade e urgência a Comissão poderá, por iniciativa própria ou a pedido da parte, solicitar que um Estado
adote medidas cautelares para prevenir danos irreparáveis a pessoas que se encontrem sob sua jurisdição, independente-
mente de qualquer petição ou caso pendente.
(C) As medidas cautelares de casos pendentes pera a Comissão Interamericana de Direitos Humanos poderão ser de natureza
coletiva a fim de prevenir um dano irreparável às pessoas em virtude do seu vínculo com uma organização, grupo ou comu-
nidade de pessoas determinadas ou determináveis.
(D) Em casos de extrema gravidade e urgência, e quando se fizer necessário evitar danos irreparáveis às pessoas, a Corte,
nos assuntos de que estiver conhecendo, poderá tomar as medidas provisórias que considerar pertinentes. Se se tratar de
assuntos que ainda não estiverem submetidos ao seu conhecimento, poderá atuar a pedido da Comissão.
(E) Em qualquer fase do processo, sempre que se tratar de casos de extrema gravidade e urgência e quando for necessário para
evitar danos irreparáveis às pessoas, a Corte, ex officio, poderá ordenar as medidas provisórias que considerar pertinentes,
nos termos do artigo 63.2 da Convenção. Tratando-se de assuntos ainda não submetidos à sua consideração, a Corte poderá
atuar por solicitação da Comissão.

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE


Adriane Sousa

79. Sobre as regras que tratam da guarda, da tutela e da adoção, previstas na Lei n. 8.069/1990, assinale a alternativa correta.
(A) A guarda destina-se a regularizar a posse de fato, podendo ser deferida liminarmente nos procedimentos de adoção por
estrangeiros.
(B) A adoção atribui a condição de filho ao adotado, com os mesmos direitos e deveres, inclusive sucessórios, desligando-o de
qualquer vínculo com pais e parentes, salvo os impedimentos matrimoniais.
(C) A morte dos adotantes restabelece o poder familiar dos pais naturais.
(D) O deferimento da tutela não implica o dever de guarda, e independe da perda ou suspensão do poder familiar.
(E) A guarda, uma vez deferida, não poderá ser revogada.

80. No tocante ao ECA, com base no entendimento dos tribunais superiores, assinale a opção correta.
(A) Participação de menores de idade em qualquer conduta criminosa é suficiente para autorizar a condenação, pela prática do
crime de corrupção de menores de idade, dos agentes capazes envolvidos no mesmo ato.
(B) Admite-se cumular a remissão concedida pelo parquet na fase pré-processual, como forma de exclusão do processo, com a
aplicação de medida socioeducativa de liberdade assistida.
(C) A medida de internação aplicada aos casos de ato infracional cometido mediante grave ameaça ou violência à pessoa
depende da prática de, pelo menos, três infrações graves.
(D) Na apuração de ato infracional cometido por adolescente, caso seja imposta medida socioeducativa, o juiz deverá observar
as circunstâncias atenuantes e agravantes previstas no CP.
(E) Não é admitido, na apuração de ato infracional equiparado a crime contra o patrimônio, o benefício da escusa absolutória
prevista no CP.

81. Conforme o previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei n. 8.069/1990), constitui crime:
(A) privar a criança ou o adolescente de sua liberdade, procedendo à sua apreensão, ainda que resultante de flagrante de ato
infracional.
(B) prometer ou efetivar a entrega de filho ou pupilo a terceiro, independentemente de paga ou recompensa.
(C) vender, fornecer, servir, ministrar ou entregar, desde que onerosamente, de qualquer forma, a criança ou a adolescente,
bebida alcoólica ou, sem justa causa, outros produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica.
(D) corromper ou facilitar a corrupção de menor de 21 (vinte e um) anos, com ele praticando infração penal ou induzindo-o a
praticá-la.
(E) promover ou auxiliar a efetivação de ato destinado ao envio de criança ou adolescente para o exterior com inobservância das
formalidades legais ou com o fito de obter lucro.

21
000000 – PG22

82. A respeito do Estatuto da Criança e do Adolescente, assinale a alternativa correta.


(A) O Estatuto da Criança e do Adolescente prevê a aplicação de medidas de internação e semiliberdade ao jovem adulto cuja
prática do ato infracional tenha ocorrido antes da maioridade penal.
(B) O Estatuto da Criança e do Adolescente será interpretado conforme a intenção do legislador, in casu, a interpretação autên-
tica ou literal.
(C) A remissão concedida pelo Ministério Público resultará na extinção do processo por prática de ato infracional de menor
gravidade.
(D) A remissão ministerial pode ser cumulada com uma das hipóteses de medida socioeducativa ao adolescente infrator.
(E) A remissão judicial como forma de suspensão do processo será concedida para atos infracionais de natureza grave e
gravíssima.

83. Assinale a alternativa correta, a respeito do Conselho Tutelar e suas alterações na Lei n. 8069/1990:
(A) O Conselheiro Tutelar é agente público municipal, eleito dentre residentes desse município, maiores de 18 anos e com reco-
nhecida idoneidade moral.
(B) Os Conselhos Tutelares são órgãos autônomos, com poder de requisição de serviços públicos previstos em lei, mas susce-
tíveis de revisão jurisdicional.
(C) Os Conselhos Tutelares são órgãos permanentes, cujos membros cumprem mandato de quatro anos, permitida apenas uma
recondução.
(D) Os acolhimentos de crianças e adolescentes realizados pelo Conselho Tutelar, nos limites do artigo 101 do Estatuto da
Criança e do Adolescente, prescindem de guia específica.
(E) Os Conselhos Tutelares, tais quais o Ministério Público e o Poder Judiciário, podem fiscalizar entidades governamentais e
não-governamentais responsáveis pela execução de programas de proteção destinados a crianças e adolescentes, mas não
socioeducativas.

84. Marque a alternativa correta, sobre o instituto da adoção nos termos da jurisprudência mais recente dos Tribunais Superiores:
(A) A adoção é medida excepcional e irrevogável, à qual se deve recorrer apenas quando esgotados os recursos de manutenção
da criança ou adolescente na família natural ou extensa. Mas, a sentença concessiva de adoção, ainda quando proferida em
procedimento de jurisdição voluntária, pode ser encoberta pelo manto protetor da coisa julgada material e, como consectário
lógico, figurar como objeto de ação rescisória. Logo, é possível, mesmo ante a regra da irrevogabilidade da adoção, a resci-
são de sentença concessiva de adoção ao fundamento de que o adotado, à época da adoção, não a desejava verdadeira-
mente e de que, após atingir a maioridade, manifestou-se nesse sentido.
(B) A colocação em família substituta estrangeira constitui medida excepcional, somente admissível na modalidade de
guarda e adoção.
(C) O adotado tem direito de conhecer sua origem biológica, logo, a morte dos adotantes restabelece o poder familiar dos pais
naturais.
(D) Em caso de adoção por pessoa ou casal residente ou domiciliado fora do País, o estágio de convivência será de, no máximo,
30 (trinta) dias.
(E) A adoção atribui a condição de filho ao adotado, com os mesmos direitos e deveres, exceto sucessórios, desligando-o de
qualquer vínculo com pais e parentes, salvo os impedimentos matrimoniais.

85. Marque a alternativa incorreta, nos termos da jurisprudência do STJ, a respeito dos crimes praticados contra criança e adolescente:
(A) O crime de produzir, reproduzir, dirigir, fotografar, filmar ou registrar, por qualquer meio, cena de sexo explícito ou pornográ-
fica, envolvendo criança ou adolescente, trata-se de crime formal, o delito se consuma independentemente da ocorrência de
um resultado naturalístico. Assim, a ocorrência de efetivo abalo psíquico e moral sofrido pela criança ou adolescente é mero
exaurimento do crime.
(B) Fotografar cena e armazenar fotografia de criança ou adolescente em poses nitidamente sensuais, com enfoque em seus
órgãos genitais, ainda que cobertos por peças de roupas, e incontroversa finalidade sexual e libidinosa, adequam-se, res-
pectivamente, aos tipos do art. 240 e 241-B do ECA.
(C) Caso o delito praticado pelo agente e pelo menor de 18 anos seja o art. 33, 34, 35, 36 ou 37 da Lei n. 11.343/2006: o maior
responderá pelo delito da lei de drogas em concurso formal com o art. 244 b do ECA.
(D) Deixar o encarregado de serviço ou o dirigente de estabelecimento de atenção à saúde de gestante de manter registro das
atividades desenvolvidas, na forma e prazo referidos no art. 10 dessa Lei, bem como de fornecer à parturiente ou a seu res-
ponsável, por ocasião da alta médica, declaração de nascimento, onde constem as intercorrências do parto e do desenvolvi-
mento do neonato. Trata-se de crime próprio.
(E) Se deixar a autoridade policial responsável pela apreensão de criança ou adolescente de fazer imediata comunicação à auto-
ridade judiciária competente e à família do apreendido ou à pessoa por ele indicada, responderá nos termos do ECA e não
por abuso de autoridade.

22
000000 – PG23

86. Com relação aos dispositivos do Estatuto da Criança e do Adolescente que disciplinam a aplicação das medidas socioeducativas,
assinale a opção correta.
(A) A remissão pré-processual concedida pelo MP poderá ser cumulada com medida socioeducativa de semiliberdade.
(B) A medida socioeducativa de liberdade assistida terá como prazo máximo de duração a pena mínima estabelecida para o tipo
penal praticado.
(C) O início do cumprimento de qualquer medida socioeducativa pelo autor de ato infracional somente ocorrerá quando este
ainda não tiver completado dezoito anos de idade.
(D) A medida de internação provisória determinada cautelarmente terá duração máxima de quarenta e cinco dias, prorrogável,
por duas vezes, por igual período.
(E) A medida de internação definitiva não comporta prazo determinado, mas, em nenhuma hipótese, excederá a três anos.

87. Segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente, compete ao Ministério Público:


(A) nos processos e procedimentos em que for parte, ter vista dos autos posteriormente às demais partes, na defesa dos direitos
e interesses previstos no Estatuto.
(B) homologar a remissão para exclusão do processo de apuração de ato infracional.
(C) representar ao juízo visando a aplicação de penalidades por infrações cometidas contra as normas de proteção à infância e
à juventude.
(D) promover, desde que por solicitação do interessado, a inscrição de hipoteca legal de bens de crianças e adolescentes em
caso de falta dos pais ou responsável.
(E) requerer à autoridade judiciária medidas que interrompam as irregularidades constatadas na fiscalização de entidades de
atendimento, haja vista que não pode adotar de pronto medidas administrativas para saná-las.

88. Em relação ao crime de corrupção de pessoa menor de 18 anos, assinale a alternativa correta.
(A) Se o agente maior de idade apenas induz o menor de 18 anos à prática de ato infracional, não há crime de corrupção de menor.
(B) O agente maior de idade que pratica tráfico de drogas junto de menor de 18 anos, responde por esse delito, em concurso
formal com a corrupção.
(C) O agente maior de idade que pratica infração penal junto de dois menores de 18 anos não responde por duas corrupções.
(D) Segundo o STJ, o crime de corrupção de menores de 18 anos é material.
(E) O agente maior de idade que pratica infração penal junto de menor de 18 anos, o qual não registrava qualquer antecedente,
responde por dois delitos, em concurso formal.

23
000000 – PG24

DIREITO DO IDOSO
Deusdedy Solano

89. A Constituição Federal de 1988 trouxe a necessidade do enfrentamento as questões envolvendo o envelhecimento, sendo assim
instituída uma política nacional voltada especificamente para os idosos, dentre outras regulamentações, a Política Nacional do
Idoso (PNI – Lei n. 8.842/94). Sobre as questões legais envolvendo os idosos no Brasil, analise os itens a seguir indicando a
assertiva correta.
(A) A Política Nacional do Idoso, tem por objetivo assegurar os direitos sociais do idoso, criando condições para promover sua
dependência, isolamento consciente e participação efetiva na sociedade.
(B) O processo de envelhecimento diz respeito essencialmente à família, devendo ser objeto de conhecimento e informação de
todo o núcleo familiar.
(C) Constitui uma das diretrizes da política nacional do idoso a viabilização de formas alternativas de participação, ocupação e
convívio do idoso, que proporcionem sua integração às demais gerações.
(D) O Benefício de Prestação Continuada (BPC), da Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS/1993), que garante um salário-
-mínimo mensal ao idoso com 60 anos ou mais que comprove não possuir meios de prover a própria manutenção, com famí-
lia sem qualquer renda per capita, tem sido alvo de disputa no âmbito dos debates sobre a Reforma da Previdência do atual
governo, que suspendeu temporariamente este benefício.
(E) As diferenças econômicas, sociais, regionais e, particularmente, as contradições entre o meio rural e o urbano do Brasil não
poderão ser observadas pelos poderes públicos e pela sociedade em geral, na aplicação desta lei, para não violar a regra
da isonomia.

90. Conforme estabelecido no Estatuto do Idoso, é correto afirmar que


(A) em todo atendimento de saúde, os maiores de oitenta anos terão preferência especial sobre os demais idosos, mesmo nos
casos de emergência.
(B) o poder público deverá criar universidades abertas para as pessoas idosas e incentivará a publicação de livros e periódi-
cos, de conteúdo e padrão editorial adequados ao idoso, que facilitem a leitura, considerada a natural redução da capaci-
dade visual.
(C) nos programas habitacionais, públicos ou subsidiados com recursos públicos, o idoso goza de prioridade na aquisição de
imóvel para moradia própria, observada a reserva de pelo menos 10% (dez por cento) das unidades habitacionais residen-
ciais para atendimento aos idosos.
(D) as entidades governamentais e não-governamentais de atendimento ao idoso serão fiscalizadas pelos Conselhos do Idoso,
Ministério Público, Vigilância Sanitária e outros previstos em lei.
(E) havendo risco para a vida ou à saúde do idoso, a autoridade competente aplicará à entidade de atendimento as sanções
regulamentares, sem prejuízo da iniciativa e das providências que vierem a ser adotadas exclusivamente pela Defenso-
ria pública.

91. Acerca do acesso do idoso à justiça, é correto afirmar:


(A) Dentre os processos de idosos, dar-se-á prioridade especial ao idoso deficiente, com mais de 75 anos.
(B) A prioridade de acesso à justiça se estende aos processos e procedimentos na Administração Pública, empresas prestadoras
de serviços públicos e instituições financeiras, ao atendimento preferencial junto à Defensoria Pública da União, dos Estados
e do Distrito Federal em relação aos Serviços de Assistência Judiciária.
(C) Para o atendimento prioritário será garantido ao idoso o fácil acesso aos assentos e caixas, dispensando a identificação de
local específico.
(D) Aplica-se, prioritariamente às disposições do acesso à justiça, o procedimento ordinário previsto no Código de Processo Civil,
naquilo em que os prazos previstos no Estatuto do Idoso coincidam com os do CPC.
(E) É assegurada prioridade na tramitação dos processos e procedimentos e na execução dos atos e diligências judiciais em
que figure como parte ou interveniente pessoa com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, desde que o procedimento
esteja na primeira instância.

24
000000 – PG25

92. De acordo com a interpretação jurisprudencial do Superior Tribunal de Justiça sobre os Direitos do Idoso, analise as afirma-
ções abaixo.
I. O art. 88 do Estatuto do Idoso, que prevê a possibilidade de pagamento das custas processuais ao final do processo, aplica-
-se somente às ações referentes a interesses difusos, coletivos e individuais indisponíveis ou homogêneos. (Art. 88 – Nas
ações de que trata este Capítulo, não haverá adiantamento de custas, emolumentos, honorários periciais e quaisquer outras
despesas).
II. O Estatuto do Idoso (Lei n. 10.741/2003) tem aplicação imediata sobre todas as relações jurídicas de trato sucessivo, ainda
que firmadas anteriormente à sua vigência, por se tratar de norma cogente.
III. É desnecessária a intervenção do Ministério Público na qualidade de fiscal da lei em demandas que não envolvam direitos
coletivos ou em que não haja exposição de idoso aos riscos previstos no art. 43 da Lei n. 10.741/2003. (Art. 43. As medidas
de proteção ao idoso são aplicáveis sempre que os direitos reconhecidos nesta Lei forem ameaçados ou violados: I – por
ação ou omissão da sociedade ou do Estado; II – por falta, omissão ou abuso da família, curador ou entidade de atendimento;
III – em razão de sua condição pessoal).
IV. Tratando-se de serviço diretamente vinculado ao lazer, o idoso faz jus à benesse legal relativa ao desconto de 70% (setenta
por cento) no valor do ingresso.

Está correto o que se afirma em


(A) I, II e IV, apenas.
(B) I, II e III, apenas.
(C) I e II, apenas.
(D) II e III, apenas.
(D) I, II, III e IV.

PRINCÍPIOS E ATRIBUIÇÕES INSTITUCIONAIS DA DEFENSORIA PÚBLICA


Fabrício Rodrigues

93. Conforme previsão da Lei Complementar Estadual n. 164/2010, são órgãos de Administração Superior da Defensoria Pública do
Estado de Roraima, exceto:
(A) Defensoria Pública-Geral.
(B) Subdefensoria Pública-Geral.
(C) Ouvidoria-Geral.
(D) Conselho Superior.
(E) Corregedoria Geral.

94. Considerando o disposto na Lei Complementar Estadual n. 164/2010, assinale a alternativa correta:
(A) São princípios institucionais da Defensoria Pública a unidade, a divisibilidade e a independência funcional.
(B) O princípio do Defensor natural não está presente na Lei Complementar Estadual n. 164/2010.
(C) O exercício do cargo de Defensor Público do Estado é delegável e privativo de membro da Carreira.
(D) O instrumento de transação, mediação ou conciliação referendado pelo Defensor Público do Estado valerá como título exe-
cutivo judicial, inclusive quando celebrado com a pessoa jurídica de direito público.
(E) A Defensoria Pública-Geral, órgão executivo da administração superior da Defensoria Pública do Estado, tem como titular o
Defensor Público-Geral, nomeado pelo Governador do Estado, dentre os membros estáveis da carreira maiores de trinta e
cinco anos, escolhidos em lista tríplice, formada pelo voto direto, secreto, plurinominal e obrigatório de seus membros, para
mandato de dois anos, permitida uma recondução.

95. A respeito da autonomia institucional, assinale a alternativa correta:


(A) À Defensoria Pública do Estado é assegurada autonomia funcional, financeira e administrativa, cabendo-lhe praticar atos
próprios de gestão.
(B) Se a Defensoria Pública do Estado não encaminhar a respectiva proposta orçamentária dentro do prazo estabelecido na Lei
de Diretrizes Orçamentárias, o Poder Executivo considerará, para fins de consolidação da proposta orçamentária anual, os
valores aprovados na lei orçamentária do ano anterior.
(C) A Defensoria Pública do Estado elaborará sua proposta orçamentária atendendo aos seus princípios, as diretrizes e aos
limites definidos na Lei de Diretrizes Orçamentárias, encaminhando-a ao Chefe do Poder Executivo para consolidação e
encaminhamento ao Poder Judiciário.
(D) Durante a execução orçamentária do exercício, poderá haver a realização de despesa que extrapolem os limites estabeleci-
dos na Lei de Diretrizes Orçamentárias, exceto se previamente autorizadas, mediante abertura de créditos suplementares ou
especiais.
(E) As decisões da Defensoria Pública do Estado, fundadas em sua autonomia funcional, financeira e administrativa, obedecidas
às formalidades legais, não têm eficácia plena e executoriedade imediata.

25
000000 – PG26

96. Considerando o texto constitucional e a jurisprudência recente do Supremo Tribunal Federal sobre a autonomia da Defensoria
Pública, é correto afirmar:
(A) A Defensoria Pública não possui legitimidade para ajuizar ação civil pública.
(B) A Defensoria Pública é instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe, como expressão e
instrumento do regime democrático, fundamentalmente, a orientação jurídica, a promoção dos direitos humanos e a defesa,
em todos os graus, judicial e extrajudicial, dos direitos individuais e coletivos, de forma integral e gratuita, aos necessitados.
(C) A Defensoria Pública não tem a garantia de estar em juízo para defesa de suas prerrogativas e funções institucionais, se
mostrando necessário, nessa hipótese, que sua representação judicial fique a cargo da Advocacia-Geral da União.
(D) Lei complementar organizará a Defensoria Pública da União e do Distrito Federal e dos Territórios e prescreverá normas
gerais e específicas para sua organização nos Estados.
(E) É assegurada aos membros da Defensoria Pública a garantia da inamovibilidade e vedado o exercício da advocacia fora das
atribuições institucionais, exceto em causa própria.

97. Considerando as ondas renovatórias relatadas por Cappelletti e Garth, na obra Acesso à justiça, assinale a opção correta.
(A) A segunda onda foi fundamental para enfrentar os processos essencialmente individuais.
(B) Na terceira onda, houve abandono das técnicas utilizadas nas duas primeiras ondas de reformas.
(C) A primeira onda visava para superar os instrumentos processuais individuais, com a apreciação dos direitos da coletividade.
(D) Um dos objetivos principais do método empregado pela terceira onda é a prestação de assistência jurídica de forma a preve-
nir disputas sociais, com foco na solução judicial de conflitos.
(E) A primeira onda tinha entre seus modelos o sistema judicare, que consistia na indicação, pelo Estado, de advogados particu-
lares que atuavam sem receber remuneração para representar judicialmente as pessoas mais pobres.

98. A Lei Complementar n. 80/1994, Lei Orgânica Nacional da Defensoria Pública, prevê que são garantias dos membros da Defen-
soria Pública do Estado, exceto:
(A) a independência funcional no desempenho de suas atribuições.
(B) a inamovibilidade.
(C) a irredutibilidade de vencimentos.
(D) não ser preso, senão por ordem judicial escrita, salvo em flagrante, caso em que a autoridade fará imediata comunicação ao
Defensor Público-Geral.
(E) a estabilidade.

99. Conforme a Lei Complementar Estadual n. 164/2010, o Conselho Superior da Defensoria Pública é órgão de administração supe-
rior da instituição, com funções normativas, consultivas, de controle e deliberativas, incumbindo-lhe zelar pela observância dos
princípios e funções institucionais e tem, como membros natos, a seguinte composição, exceto:
(A) Defensor Público-Geral.
(B) Subdefensor Público-Geral.
(C) Corregedor Geral.
(D) Ouvidor Geral.
(E) Presidente da entidade de classe de maior representatividade dos membros da Defensoria Pública do Estado.

100. Na ADI 2167, o Supremo Tribunal Federal julgou a constitucionalidade da Emenda n. 7/1999 à Constituição de Roraima que prevê
a sabatina prévia, pela Assembleia Legislativa, do indicado para o cargo de Defensor Público-Geral. Restou decidido que:
(A) Não houve violação ao princípio da independência e da harmonia entre os Poderes.
(B) O artigo 134, § 1º, da Constituição Federal diz que a Defensoria Pública deve ser organizada por lei complementar, e a Lei
Complementar n. 80/1994 prevê a necessidade de aprovação do defensor público-geral federal pelo Senado. Tal regra deve
ser observada pelos Estados-membros.
(C) A submissão prévia ao legislativo das nomeações do Executivo para os cargos de Defensor Público-Geral configura afronta
à reserva de administração.
(D) A Lei Complementar n. 80/1994 prevê regras específicas que devem ser observadas pelos demais entes da Federação, sob
pena de violação ao princípio da simetria.
(E) É constitucional a sabatina prévia pelo Legislativo ao indicado ao cargo de Defensor Público-Geral.

26
000000 – PG27

PEÇA PROCESSUAL
Thiago Deienno

Antônio, presidente da AME (ASSOCIAÇÃO DE MORADORES ESPECIAIS) – associação regularmente constituída de mora-
dores de uma comunidade informal de baixa renda, formada por 10 (dez) famílias que ocupam um imóvel – procura a Defensoria Pública
a fim de regularizar a situação daquela população nesse imóvel que ocupam. O imóvel em questão é um terreno que pertence à Cons-
trutora Sólida S.A. (empresa privada do ramo da construção civil), terreno esse de aproximadamente 2400m² na zona urbana de Nor-
molândia. Antônio afirma, baseado em provas apresentadas, que as famílias não possuem nenhum imóvel, tendo construído suas casas
e efetivamente moram naquele terreno com ânimo definitivo de donos, sem oposição alguma, há sete anos ininterruptos. Assevera ainda
que três famílias que originariamente ocuparam o imóvel não mais lá residem, mas que foram imediatamente sucedidas por outras três
famílias que atualmente ocupam e residem na área. Por fim, apresenta Ata de Assembleia na qual há permissão para a associação,
como substituta processual, ajuizar medidas judiciais e extrajudiciais cabíveis, além Declaração de Hipossuficiência de cada um dos
moradores.

Como defensor público, redija a peça processual cabível, apta a pleitear o domínio do referido imóvel, explorando os fundamentos apli-
cáveis à espécie.

27
000000 – PG28

PEÇA PROCESSUAL
Tulio Mendes

1. Em relação ao delito de roubo, discorra sobre o momento da consumação do delito de roubo especificando a teoria predominante
(0,4) bem como sobre como se dá a consumação em relação às hipóteses de roubo próprio e roubo impróprio (0,7), abordando
inclusive sobre a admissão ou não de tentativa em cada uma das espécies (0,4). (pontuação total 1,5)

2. Em sentença, houve a condenação de Otávio por tráfico de drogas, tendo sido, na dosimetria da pena, considerada a reincidência
em decorrência de condenação anterior por delito de porte de substância entorpecente para consumo próprio em relação a qual
não houve o decurso do período depurador (art. 64, I, do CP) (0,75), bem como fora, por tal razão, afastada a incidência da causa
de redução do art. 33, § 4º, da Lei de Drogas (0,75). À luz da jurisprudência do STJ, quais as teses poderiam ser apresentadas em
apelação em benefício do assistido. (pontuação total 1,5)

3. Pedro dispara contra João com intenção de matar. João é socorrido, tendo sido necessária a realização de cirurgia. Considere as
seguintes situações e, analisando o nexo de causalidade, indique por qual crime responderá Pedro: a) em decorrência de infecção
hospitalar, João morre (0,75); e b) em decorrência de incêndio no hospital, João morre carbonizado (0,75). (pontuação total 1,5)

28
000000 – PG29

PEÇA PROCESSUAL
Tulio Mendes

João induz Maria, 13 anos de idade, e Cátia, 19 anos de idade, a participarem de um jogo que envolvia obrigatória relação
sexual com Paulo, 20 anos de idade. João relatou a Maria e Cátia que Paulo era um artista famoso e estava de passagem pela cidade.
Para tanto, havia feito um perfil falso em rede social, com montagens envolvendo Paulo e artistas famosos. Paulo tinha ciência dessa
“estratégia”. João, para viabilizar o encontro, exigiu de Maria que essa filmasse a relação sexual e enviasse o vídeo para João, que
repassou o número do celular do seu irmão Caio para receber o vídeo, ficando o vídeo armazenado automaticamente na memória de
celular de Caio quanto chegou pelo whatsapp. Maria ocultou o celular para ser feita a filmagem, sendo que Cátia e Paulo não tinham
ciência da filmagem. Caio, irmão de João (19 anos de idade), sem nada saber sobre o fato, ao acessar o seu celular dias depois, viu o
vídeo e, pensando se tratar de vídeo pornô profissional que costuma receber em um grupo específico que possui essa finalidade espe-
cífica, encaminhou o vídeo para um outro grupo de amigos no whatsapp. A conduta de João foi imprescindível para iludir Maria e Cátia
a participarem do jogo. Houve relação sexual consentida entre Maria, Cátia e Paulo. Não houve representação por parte de Cátia, tendo
o Ministério Público, diante da repercussão do fato, oferecido denúncia sem sequer ter sido aberto inquérito policial.
Após regular processamento da ação penal, realização de instrução probatória e alegações finais, Paulo foi condenado por estupro de
vulnerável (art. 217-A do CP) por duas vezes com a causa de aumento do art. 226, I, do CP, bem como por registro não autorizado de
intimidade sexual por duas vezes (art. 216-B do CP), todos em concurso material. João foi condenado por estupro de vulnerável (art.
217-A do CP) por duas vezes com a causa de aumento do art. 226, I, do CP em razão da sua condição de partícipe (art. 29 do CP).
Outrossim, João foi condenado pelo delito do art. 216-B, 218 e 218-A do CP. Caio, por sua vez, foi condenado pelos crimes dos artigos
216-B e 218-C do CP. Foi aberto prazo para ciência da sentença para ambas as partes.

Elabore a peça processual cabível, articulando as teses defensivas pertinentes, considerando a sua condição de defensor(a) público(a)
de Paulo, João e Caio. (pontuação total 5,5)

29
SIMULADO PREPARATÓRIO PARA CONCURSO PÚBLICO
Defensoria Pública do Estado de Roraima
Gabarito

Número do Caderno Cargo ou Opção


000000000 DEFENSOR PÚBLICO

Objetiva Seletiva

001 011 021 031 041 051 061 071 081 091
002 012 022 032 042 052 062 072 082 092
003 013 023 033 043 053 063 073 083 093
004 014 024 034 044 054 064 074 084 094
005 015 025 035 045 055 065 075 085 095
006 016 026 036 046 056 066 076 086 096
007 017 027 037 047 057 067 077 087 097
008 018 028 038 048 058 068 078 088 098
009 019 029 039 049 059 069 079 089 099
010 020 030 040 050 060 070 080 090 100
L C U R S O S
D E 2 3 M I V O C Ê :
MAIS NLINE PARA
O
q u a n d o quiser, r,
Estude cargo que quise
para o que quiser.
na hora
dos
Seus estu jeito.
do seu #VEM
SER
GRAN

Assinatura
ILIMITADA6.0
para concursos e OAB

FACILITE SEUS TUDO NO SEU


ESTUDOS: VOCÊ NÃO
TEMPO E ESPAÇO: ESTÁ SOZINHO:
rotas de aprovação, mapas
faça o download de mentorias diárias, ao vivo, e
mentais, resumos e exercícios
videoaulas e de PDFs e fórum de dúvidas não te
irão te guiar por um caminho
estude onde e quando deixarão só
mais simples e rápido.
você quiser e puder. nesta caminhada.

TUDO DE NOVO QUANTAS NÚMEROS GRANDES: TUDO NA SUA MÃO:


VEZES VOCÊ QUISER:
milhares de alunos aprovados, só a Assinatura Ilimitada
quantas vezes você quiser, mais de 1 milhão de questões, oferece, de forma livre
quantas vezes você precisar, mais de 23 mil cursos e e gratuita: Gran Questões,
estude com o material mais centenas de professores para Gerenciador de Estudos,
atualizado e de melhor te ajudar a passar. Audiobooks e muito mais!
qualidade do mercado.

Contato para vendas: Quero passar em


(61) 99884-6348 | No horário de segunda a quinta até as 22h e sexta até as 21h. concurso público