Você está na página 1de 45

SAUDE SEU BEM MAIS

IMPORTANTE

Esta apostila e uma coletânea,


feita por distribuidores
independentes, a partir de outros
textos, sem dados de autoria.
Outras informações contidas aqui,
foram obtidas de estudo em livros,
apostilas e Internet.

Problemas de uma Alimentação


Comum

Verificamos que nossa alimentação contém


excessos de gordura saturada, colesterol, sal, produtos
refinados (açúcar e farinhas) enlatados com conservantes
e corantes;
• Contaminação por agrotóxicos, medicamentos e
drogas como antibióticos, hormônios;
• Estimulantes como álcool, café e nicotina. Além
disso, respiramos ar contaminado com poluentes,
fumaça de cigarro, bactérias e parasitas.

Contaminantes

Existem muitas pragas que destroem as lavouras e


culturas em geral, obrigando o produtor a fazer uso de
inseticidas, fungicidas e pesticidas. Assim, por mais bem
lavados que seja os produtos e elaborados com todo o
cuidado e higiene no seu preparo, restam resíduos nos
alimentos que ingerimos.

Os frangos

Um frango “caipira” leva de 5 a 6 meses para chegar ao


tamanho ideal para o consumo. Hoje, os criadores,
visando lucro rápido e até mesmo pela necessidade de
abastecer o mercado, utilizam-se de hormônios que
reduzem este tempo para 4 a 6 semanas. É utilizado
ainda, uma quantidade enorme de antibióticos, para não
adoecerem. Ao comermos o frango, ingerimos estes
hormônios e antibioticos que se encontram ativos, pois
não tiveram tempo de serem destruídos.

Cigarro, Álcool, Café, Medicamentos...

Há pessoas que gostam de fumar, tomar café,


bebidas alcoólicas, refrigerantes, consumir drogas,
remédios. Com o passar do tempo, estes hábitos passam
a afetar o organismo. O resultado é que ele começa a não
funcionar como deveria, ficando debilitado e
favorecendo o aparecimento de doenças.
Nossa alimentação tem ainda, deficiências e
carências de proteínas, carboidratos, óleos essenciais
polissaturados, fibras, vitaminas, minerais,
oligoelementos, fatores botânicos e água.
Precisamos de um alimento completo, rico em
nutrientes, balanceado, limpo, sem pesticidas, de rápido
preparo, que não necessite ser mastigado por muito
tempo e isto é o que se consegue com nutrição celular.
Todos sabemos que os excessos e as deficiências
causam doenças e até a morte. Muitas pessoas morrem
em decorrência do que comem todos os dias.

O principal problema

Não conhecemos o que comemos diariamente.


Na verdade o maior problema não está nos excessos
e deficiências dos alimentos e sim no fato de que 98%
das pessoas desconhecem ou ignoram.
a) Quais nutrientes estão contidos em cada um dos
alimentos consumidos diariamente;
b) A quantidade de cada um desses nutrientes;
c) Quais são os nutrientes dos quais seu corpo
necessita diariamente. Não sabem quais são e
muito menos a quantidade diária necessária de
cada um deles.
Ex: se colocarmos diante de uma pessoa
todos os alimentos que consome diariamente: arroz,
feijão, carne, frango, peixe, massas, batata, leite,
ovos, sucos, frutas, ... E perguntarmos quais
nutrientes contém cada um desses alimentos,
certamente a resposta seria: não sei.
O mais grave é o fato de que se fizermos a
mesma pergunta ao seu médico, provavelmente a
resposta seria a mesma. Apenas uma ou outra pessoa
saberia informar um ou dois principais nutrientes de
cada alimento; mas se perguntássemos a quantidade
diária necessária de cada nutriente, se for honesto, dirá
que não sabe, caso contrário diria qualquer coisa. Outros,
como nos programas de TV, afirmariam que a banana
tem muito potássio, mas este muito, não diz nada. Muito
em relação a quê? Ao que precisa diariamente ou muito
em comparação a outros nutrientes. Se comer uma
banana terá potássio por um mês? Então esse muito
quanto é? É muito para quem? Para uma criança, para
um adulto? Se não soubermos quanto potássio
precisamos exatamente e quantos miligramas de potássio
contém uma banana a informação muito ou pouco é
inútil.
O mesmo acontece quando se diz que o feijão
tem muito mais ferro, ou que a cenoura tem muita
vitamina A;
Se perguntarmos quais são os nutrientes necessários para
o seu corpo diariamente, talvez respondesse, gordura,
proteínas, fibras, carboidratos, água, oxigênio, vitaminas,
minerais, e ainda, talvez dissesse oligoelementos e
fatores botânicos; É muito raro se encontrar pessoas que
conheçam esta lista, outras poderão incluir café, cerveja,
coca-cola, porque elegem que sem isso não podem viver.
Não sabemos também a quantidade de comida que cabe
em nosso estômago; é incrível, mas a maioria das
pessoas não sabe quantas gramas de arroz, feijão,
verduras, legumes ou carne comem em cada porção; isso
significa que calculamos tudo a olho.
Então a pergunta é: com quantas gramas de carne
obtenho a quantidade de ferro que preciso? Claro que
primeiro terá que saber quanto pesa a carne, quanto de
carne contém um pedaço, e quanto de ferro necessita por
dia.
Na verdade não sabemos o quem comemos
diariamente, e desconhecemos este fato, é normal
cometermos erros ao comer, pois não sabemos se
comemos nutrientes em excesso ou com falta, o que
torna impossível balancear nossa refeição e ter uma
alimentação correta.
Porque não sabemos que nutrientes contém
nossos alimentos?
A maioria de nós é leiga no assunto, não
estudamos essa matéria, não temos livros a respeito e
comumente pensamos que quem deve saber sobre esse
assunto são os médicos e nutricionistas. O que não
sabemos é que mesmo os médicos, na sua maioria,
desconhecem este assunto; o que justifica, pois médicos
estudam doenças e medicamentos e não alimentos.
Sabem curar, não alimentar.
Uma vida saudável está alicerçada na
alimentação balanceada, exercícios físicos, descanso
adequado, higiene pessoal e ambiental. Quando e se o
seu corpo adoecer o médico irá ajudá-lo a recuperar sua
saúde, fazendo uso do que dispõe, ou seja, dos remédios,
hospital, cirurgia... O ideal seria que todos os médicos
soubessem e acreditassem que uma alimentação
completa em nutrientes pode aliviar e promover uma
recuperação mais rápida, fazendo com que os
medicamentos ajam com mais eficácia.

Em que acreditamos com relação à


alimentação:

A maioria das pessoas acreditam que comer bem


é comer em abundância, ou de maneira bastante
diversificada, ou que se deve comer de tudo. Muitas
vezes afirmamos que comemos de tudo, mas deixamos,
por exemplo, a fruta, por último, quando já não há mais
espaço no estômago. É comum vermos as famílias que
ao comerem no restaurante, quando as crianças vão se
servir de salada, serem chamadas à atenção pelos pais,
incentivando-os a comer só carne.
Neste caso está ensinando errado e dando
péssimo exemplo aos filhos.
Outro erro comum com relação à alimentação é o
fato de sempre repetirmos os mesmos pratos, sempre
comermos as mesmas coisas. Quando vamos a uma
pizzaria é comum repetirmos sempre o mesmo sabor, e é
assim no restaurante, é onde quer que vamos, de modo
que se na alimentação que elegemos como nossa
preferida, houver deficiências ou excessos vamos ter
deficiências ou excessos a vida toda.
Há ainda o problema de comermos o que
gostamos e não o que mais nos convêm. A isto
chamamos de maus hábitos alimentares. A melhor forma
de saber se alguém se alimenta bem é pelas doenças que
apresenta. Há doenças onde a causa especifica e a má
alimentação.
A verdade é que comemos muito, de forma
errada, não nos nutrimos e ganhamos excessos. Comer
bem significa ter uma boa alimentação, não uma farta
alimentação. Muitas doenças consideradas hereditárias
são somente o resultado do que comem os pais, que é o
mesmo que comem os filhos e o mesmo que come a mãe
desde a gestação. Em conseqüência, as doenças que
sofrem os pais também são sofridas pelos filhos. Nisso
consiste a hereditariedade da doença.
Muitos acreditam que comem bem, porque
comem alimentos e refeições caras, em restaurantes
caros, de luxo, comida importada, internacional. Elas
pensam que comer muito é comer bem. As pessoas
relacionam comer bem com os alimentos que os ricos
consomem, com isso comem arroz branco ao invés de
integral, vinho ao invés de água, etc... Então as pessoas
escolhem os alimentos de acordo com a cor, o sabor, o
nível social de quem o consome, é até mesmo modismo.
Comer como rico não significa que se come bem. Comer
como pobre também não significa comer mal. Ricos e
pobres tem alimentos bons e ruins. O importante é saber
o que contém esses alimentos, não quem os come.
Há pessoas que, erroneamente, pensam que
comem bem porque diminuíram a quantidade de
ingestão de carne vermelha, outros porque só comem de
tudo. Há os que pensam que estão salvos por comerem
coisas mais naturais e saudáveis, nada enlatado,
engarrafado ou processado, outros se preocupam muito
em comer alimentos limpos sem contaminação, bactérias
ou parasitas, ou ainda, complementam sua alimentação
com vitaminas e minerais. Existem aqueles que comem
somente fibras ou ainda, procuram fazer as refeições
apenas em suas casas. Há também aqueles que deixam
de ingerir café, álcool, param de fumar, etc... A verdade
é que fazer alguma ou varias dessas mudanças é válido,
mas não garantem que estejamos tendo uma alimentação
correta, completa e perfeita para sua total nutrição.
Boa alimentação significa ter todos os nutrientes
dos quais o seu corpo necessita todos os dias nas
quantidades recomendadas. Isso significa ter uma
alimentação completa e balanceada, enquanto que, má
alimentação significa cometer excessos, deficiências ou
carências de nutrientes em nossa alimentação,
independente do fato de as refeições serem caras ou
baratas, nacionais ou importadas, realizadas em casa ou
em bons restaurantes.
Ouve-se muito falar sobre desnutrição. Este é um
termo médico que mede apenas a quantidade de
proteínas que tem um organismo, medem a nutrição pela
quantidade de proteínas que se come todos os dias, como
a carne, leite e ovos, que contém proteínas e são o que
mais se consome, e ao comer muitas proteínas há quem
durma tranqüilo pensando que sua nutrição está
completa. Se a quantidade de proteínas for aceitável,
considera-se a pessoa como bem nutrida. Se faltarem
proteínas considera-se a pessoa como desnutrida.
Então o termo nutrição refere-se somente a um nutriente.
Isso é incrível, pois precisamos de 108 nutrientes todos
os dias.

Uma alimentação deficiente em nutrientes, só se


corrige com suplementos alimentares. Em outras
palavras, a única forma de ter uma alimentação completa
é agregando à sua refeição compostos, que contenham
proteínas, carboidratos, óleos, fibras, vitaminas,
minerais, oligoelementos e fatores botânicos.

Todas as pessoas, não somente os atletas devem


completar sua alimentação. Dos 108 nutrientes básicos
que nossos corpos precisam todos os dias, raríssimas são
as pessoas que sabem a quantidade necessária de cada
um e onde são encontrados. Se não sabemos que
nutrientes precisamos, não podemos escolher esses
nutrientes, e quando ficamos frente a um bom
complemento alimentar não sabemos identificá-lo. Por
isso, é comum que até mesmo os médicos não dêem o
real valor quando vêem um complemento alimentar de
boa qualidade, e é normal chegarem a dizer, tome-o, mas
não acredito que sirva, ou então tome, mal não irá fazer.
Isso é pura ignorância a respeito dos nutrientes e das
necessidades diárias. Por esta razão as pessoas não
sabem quais alimentos escolher e quais devem evitar,
como conseqüência, recebem alguns nutrientes a mais e
outros a menos. Isso é suficiente para causar muitas
doenças, problemas de peso e necessitar de médicos,
remédios, internações, cirurgias e até mesmo levar a
morte prematura. A solução para estes problemas está na
Nutrição Celular.

NUTRIÇÃO CELULAR (seus ingredientes)

PROTEÍNAS – Precisamos diariamente de


proteínas devido ao constante desgaste orgânico, as
células e as estruturas celulares são feitas de proteínas. A
célula nada mais é que um recipiente de proteínas cheio
de água onde são diluídos os nutrientes. Portanto, para
formarmos novas estruturas precisamos de proteínas. É
como dizer que somos feitos de proteínas, essa é a
matéria prima com a qual somos formados. Precisamos
diariamente um grama de proteína por quilograma de
peso. Digamos que as pessoas tivessem peso médio de
70 kg (homem) e 60 kg (mulher), precisamos de 70g e
60g respectivamente de proteínas todos os dias. As
proteínas são formadas por 22 aminoácidos. Nove deles
são considerados essenciais. Para sintetizá-los ou formá-
los, devemos, obrigatoriamente recebê-los através dos
alimentos. Precisamos de proteínas que contenham todos
os aminoácidos essenciais de forma balanceada. Se
algum deles faltar na dieta ou se encontrar em
quantidades suficientes farão com que o organismo não
forme todas as proteínas que precisamos. Recomenda-se
que 40% das proteínas que ingerimos seja de origem
animal e que 60% seja de origem vegetal.

Faltam proteínas em nosso


organismo por muitas razões
a. Alimentação insuficiente – em nossa refeições
faltam proteínas;

b. As dietas para emagrecer – quando alguém quer


emagrecer, deixa de comer geralmente de 10 a 20
dias. Nesses dias, a pessoa toma café, água ou
suco. O organismo precisa de proteínas todos os
dias para absorver e como no corpo não há lugar
para armazená-las, começa a tirar as proteínas
que precisa de seus próprios músculos; Podemos
dizer que “come” os seus músculos. Em
conseqüência, a pessoa perde gordura e músculo,
podendo a cada 5 kg de gordura perder de 1 a 3
kg de músculo.

c. O estresse – durante o período de estresse o


corpo rdts do um desgaste de 2 a 3 vezes maior
que o normal, por isso consome mais proteínas;

d. O exercício - quando se faz muitos exercícios há


um desgaste maior do organismo destruindo as
proteínas;

e. Os estimulantes – o café, a nicotina, as drogas


aumentam o desgaste do corpo consumido mais
proteínas;

f. As doenças – a febre e qualquer outra doença


aumentam o desgaste do corpo;
g. Os sangramentos - a perda de sangue, seja por
ferida ou por menstruação causam uma perda
maior de proteínas;

h. Os antibióticos – matam muitas células do


organismo, não somente as bactérias, mas
também células sadias. Com a perda dessas
células perdemos muitas proteínas;

i. Os anti-sépticos e o álcool – também matam


muitas células do organismo;

j. As queimaduras – fogo, ácidos, produtos


químicos, etc. destroem os tecidos e com eles as
células que os formam;

k. O sedentarismo – a falta de exercícios físicos


provoca uma circulação mais lenta do sangue que
leva o oxigênio e os nutrientes. Isso faz com que
milhares de células morram diariamente e que
surjam dores inexplicáveis em diferentes partes
do corpo que são confundidas com tendinites,
neurites, etc. São condições em que até mesmo
os médicos não sabem o que fazer para resolver o
problema;

Sinais de falta de proteínas

O cabelo, a barba e as unhas crescem muito


lentamente, tornam-se quebradiços, aumenta a queda
de cabelos e aí culpamos os xampus. Quando nosso
organismo tem quantidade adequada de proteínas, os
cabelos e as unhas crescem rapidamente são fortes e
não se quebram com facilidade.

CARBOIDRATOS – os açúcares são importantes


já que nossa fonte de energia provém deles. Há
refeições com excesso de açúcar refinado. O
programa nutricional que sugerimos não contém
açúcar refinado, devido não ao fato de que este causa
mais fome e diminui a energia da pessoa, mas
também cria uma grande pressão osmótica no
intestino, o que destrói muitos nutrientes e ainda
retém muita água pelo pâncreas, chegando a forçá-lo
e danificá-lo. O açúcar deste programa é a frutose,
que é o açúcar principal das frutas – daí provem seu
nome. Este açúcar e utilizado porque produz insulina
para entrar nas células e metabolizar-se. É o açúcar
ideal para os diabéticos, proporciona energia
suficiente e se mantém em níveis constantes no
sangue.

GORDURA SATURADA – A gordura


necessária em nosso organismo, ajuda a metabolizar
algumas vitaminas, a formação de muitos compostos
como os hormônios, gera bastante energia mesmo
não sendo a fonte principal, nem a mais fácil de gerar
calor. Uma refeição comum traz uma quantidade
exagerada de gordura saturada. O excesso de gordura
é como um veneno mortal, que mata pouco a pouco e
sem se perceber.
O excesso de gordura é a principal causa da
obesidade e enfartos do coração. Primeiro se
acumula debaixo da pele até encher seus depósitos,
depois ao redor dos órgãos forçando seu
funcionamento e, por ultimo, dentro dos órgãos
prejudicando seu funcionamento. Por exemplo,
envolve o coração e artérias, forçando e aumentando
a pressão arterial, em seguida, entope as artérias e
provoca enfartos ou embolias.
A maioria dos enfartos não é causada pelo
estresse emocional. O Estresse faz o coração
trabalhar mais, mas se ele não estiver com as artérias
obstruídas com gorduras ou arteriosclerose, pode
trabalhar mais sem problemas. Somando estresse e
artérias obstruídas o resultado é um enfarto com
certeza. A gordura tem matado mais pessoas, nas
últimas décadas que os acidentes e guerras. A cada 6
minutos alguém sofre um enfarto nos Estados Unidos
e a cada 6 ou 7 milésimos de segundo alguém sofre
um enfarto em alguma parte do mundo.
A gordura saturada é encontrada em produtos
animais como a carne da vaca e de porco, leite,
queijo, gema de ovo, frango, peixe, frios, doces,
manteiga, maionese e nos temperos de salada.
Precisamos diariamente 1g de gordura saturada
por kg de peso. Aproximadamente 60 g para as
mulheres e 70 g para os homens. Para poder
emagrecer tem que se reduzir essa quantidade a
metade.

FIBRA – A fibra é parte dos alimentos que não é


digerível e é formada por carboidratos que não
podemos digerir. Geralmente é a celulose. A fibra
não é um nutriente, mas é muito necessária para um
bom funcionamento intestinal e na absorção dos
nutrientes. A fibra auxilia o bom trânsito intestinal.
Há dois tipos de fibras: solúvel em água e a
insolúvel. A solúvel favorece o volume dos
alimentos e a insolúvel favorece o trânsito intestinal,
ou seja, ajuda o avanço do bolo alimentar.

FALTA DE FIBRA
A maior parte dos nossos alimentos carece de
fibras, ora insuficientes devido ao refinamento
industrial. Pão branco, o açúcar branco e a margarina
carecem totalmente de fibras. Todos os produtos
animais, também carecem de fibras. A falta de fibra
causa prisão de ventre, diverticulite no cólon, câncer
no cólon, obesidade e problema de colesterol.
Diariamente precisamos de 25 g de fibra.

OLEOS ESSENCIAIS – Ou óleos vegetais


polissaturados: são óleos ólicos, linoleico e
linolenico. Chamam-se essenciais porque o
organismo não pode produzi-lo, devendo ser
ingeridos com os alimentos. São importantes porque,
associados à vitamina C, auxiliam na formação do
colágeno, substância responsável pela elasticidade
dos tecidos. Também ajudam no funcionamento
neural e das células sexuais. Nas refeições há
deficiências de óleos polissaturados sobretudo
porque a maior parte dos óleos vegetais que
consumimos estão queimados e assim não servem
mais. A falta desses óleos causa varizes,
hemorróidas, faz a pele ficar mais flácida no
pescoço, nos braços, nas genitálias, etc. Ao tomar
estes óleos que estão em nosso programa, todos os
seus tecidos começam a recuperar a elasticidade
normal, inclusive a pele. Na medida que se perde
peso a pele vai se ajustando ao corpo, isto é, não fica
flácida. Pessoas com problemas de visão começam a
ver melhor, porque os tecidos dos seus olhos ao
melhorarem recuperam sua elasticidade. Pessoas
com problemas de circulação, hemorróidas e varizes
melhoraram, pois as veias também recuperam sua
elasticidade. Da gordura que ingerimos diariamente,
70% devem vir de óleos polissaturados e 30% de
gordura saturada. Das calorias diárias, 20% devem
vir dos óleos polissaturados e 10% da gordura
saturada.

VITAMINAS – As vitaminas são a parte


essencial de uma boa nutrição, mas ao contrário da
crença popular, não consistem por si só em toda
nutrição. Precisamos uma quantidade diária de
vitaminas, pois assim como as proteínas, as
vitaminas são parte estrutural de todas as células do
organismo. A maior parte das vitaminas não pode ser
armazenada em nosso corpo e se não forem
processadas, perdem-se através da urina e suor.
Faltam vitaminas em nosso corpo
por muitas razões:
a) Alimentação insuficiente – não comemos os
alimentos que contém a maior quantidade de
vitaminas. Por exemplo, a vitamina A: em uma
cenoura de 100 g contém 2.200 unidades de
vitamina A; Hoje se recomenda a ingestão de
5000 unidades por dia de vitamina A; Isso
significa que deveríamos comer 2 cenouras por
dia, coisa que a maioria não faz. A deficiência de
vitamina A, causa alterações de colesterol,
incapacidade de formar células que servem para
defender o organismo e destruir tumores até
mesmo de câncer. Essa vitamina evita o câncer.
b) Comemos os alimentos cozidos, às vezes, quase
queimados; deste modo, perdem-se em torno de
70 % das vitaminas. Alguns alimentos são
esterilizados perdendo todas as vitaminas em
função do calor;
c) As frutas ou sucos de caixinha ou enlatados
perdem de 30 a 50% das vitaminas;
d) As frutas ou sucos ao ar livre, sofrem oxidação
de suas vitaminas e perdem cerca de 17% de suas
vitminas por hora;
e) O estresse, o exercício e os estimulantes como o
café, nicotina, etc., nos fazem utilizar e destruir
uma quantidade maior de vitaminas;
f) A gravidez aumenta muito a necessidade de
ingestão de todas as vitaminas;
g) O álcool destrói a vitamina B1. Aumenta a
eliminação de líquidos que levam consigo as
vitaminas;
h) O café impede que seja absorvido todo o grupo
de vitamnina B no intestino.
i) O cigarro reduz os níveis de vitamina C. E o
curioso é que se alguém entrar em uma discoteca
ou em qualquer ambiente fechado onde as
pessoas estão fumando, mesmo que ela não fume,
ao medir os níveis de vitamina C, ao sair desse
lugar, verá que seu nível terá diminuído
drasticamente.
j) As doenças e os sangramentos fazem com que se
percam vitaminas.

Idéias erradas sobre vitaminas

Muitos acreditam que tomar muitas


vitaminas pode levar a obesidade. Isso não é
verdade, porque vitaminas não podem se
converter em gordura. As vitaminas do grupo B
aumentam o apetite, mas também aumentam o
metabolismo. Muitos consideram as vitaminas
como remédios mas, também não é verdade, pois
os remédios são drogas. As vitaminas são parte
estrutural do organismo; São essenciais para a
vida e delas necessitamos todos os dias, estando
doentes ou não. Muitas pessoas dizem que
somente as frutas e verduras têm vitaminas, o que
não está correto.

MINERAIS – São nutrientes importantes que


devemos ingerir diariamente, já que são
essenciais para a vida. Deles dependem o
equilíbrio hídrico e iônico da célula. Também
compõem parte da estrutura da célula e
influenciam em muitas reações químicas do
organismo. O único mineral que a comida tem
em excesso é o sal. O excesso de sal causa
retenção de líquidos, aumento de pressão arterial,
desidrata as células do intestino, mas os outros
minerais faltam em grande quantidade em nossa
alimentação.
No caso de cálcio é recomendada a
ingestão de 1.200 mg diariamente. Uma das
fontes do cálcio é o leite. Cada copo de leite de
240 ml contém 280 mg de cálcio. Portanto, para
obtermos as doses diárias necessárias,
deveríamos ingerir 4 copos de leite, o que poucas
pessoas fazem.
O que provoca falta de cálcio?
Na alimentação normal obtemos entre 300 e 600
mg de cálcio. Portanto, a diferença entre o que se ingere
e o que o organismo necessita é retirada da masssa óssea
na proporção de 0,5 g diariamente, o que faz com que ao
final de um ano percamos 1% da calcificação, em 10
anos perdemos 50%, fazendo com que, com o passar
dos anos, o indivíduo apresente uma doença chamada
osteoporose, que é a descalcificação dos ossos, que se
tornam porosos e se rompem ou fraturam com muita
facilidade, em processo extremamente doloroso.
A falta de magnésio favorece os ataques de asma
e alergias e falta de ferro favorece a anemia.

OLIGOELEMENTOS – São sais minerais que


necessitamos em quantidades pequenas e também
devemos ingerir todos os dias. Nos alimentos há
deficiências de muitos oligoelementos. Por exemplo, o
cromo: este nutriente ajuda a metaboliza a glicose
beneficiando as pessoas portadoras de diabetes. A
deficiência do cromo provoca intolerância à glicose o
que pode ser confundido com, a falta de insulinsa,
podendo através da reposição do cromo, que estava
faltando na alimentação, obter-se a cura da “diabetes”.

FATORES BOTÂNICOS (ERVAS) - Este programa é


feito à base de ervas e plantas que crescem em diferentes
partes do mundo, com o objetivo de limpar naturalmente
o intestino e o organismo. Muitos nutrientes básicos,
sobretudo os fatores botânicos dos quais precisamos para
viver, não são encontrados em todas as partes do mundo
e alguns só são encontrados em algumas regiões: China,
América do Sul, Sibéria, Pólo Norte, etc. É difícil, quase
impossível, encontrar todos os nutrientes em uma só
região do mundo, de acordo com altitude ou áreas
geográfica. Cabe lembrar que existem nutrientes que só
são encontrados em plantas ou frutas que crescem em
determinadas partes do mundo, de acordo com altitude
ou área geográfica. Alguns nutrientes são obtidos das
plentas diretamente dos animais, ele os metabolizam e
quando o homem come o animal, obtém os nutrientes,
mas se os nutrientes não crescem na região do mundo
onde você vive, poderá nunca obtê-los e sempre haverá a
deficiência deles. São como as especiarias com as quais
temperamos os alimentos: a pimenta e o cravo, dentre
outras, elas não crescem em todas as partes do mundo e
precisam ser trazidas de lugares específicos.
A nutrição celular é uma alimentação completa.
Quem precisa de uma refeição completa? As crianças?
Com certeza sim, eles precisam do dobro de nutrientes.
Os adultos? Também. As mulheres grávidas? Com toda
certeza precisam de uma alimentação mais completa
possível e em quantidade maior, o mesmo acontece com
as mulheres que estão amamentando. Ao se nutrir bem, a
mãe estárá nutrindo bem o filho. Os idosos? Também
precisam de uma boa alimentação, para ter uma velhice
com mais força e menos doenças. Os doentes? Com toda
certeza eles precisam de uma boa alimentação para se
recuperar com mais rapidez. Os esportistas? Necessitam
de maior quantidade de nutrientes para compensar o
desgaste orgânico
Resumindo, todos necessitam de uma
alimentação completa.

LICAO 2
O exemplo da fábrica. Imaginemos que nosso
organismo seja uma fábrica e os nutrientes, a matéria
prima e o combustível. Sem matéria prima a produção
dessa fábrica paralisa mesmo que haja combustível
suficiente, igualmente a produção paralisa se não houver
combustível, mesmo que haja matéria prima suficiente.
Ambos são necessários em quantidade balanceada. Se a
matéria prima estiver incompleta, a produção é
interrompida mais uma vez. Suponhamos que essa
fábrica tenha que produzir vestidos. Ela vai precisar de
tecidos, linhas, botões, forros, etc. A falta de qualquer
destes elementos interrompe a produção.
Nosso organismo necessita de matéria prima em
quantidade completa para:

I – Produzir Compostos. Agora sabemos que diariamente


necessitamos de 108 nutrientes básicos diferentes. Estes
nutrientes são: Água, oxigênio, fibra, gordura saturada,
polinsaturados. (5 nutrientes)
Vitaminas: A,C,D, E,K.
Complexo B: B-1, B-2, B-6, B-12.
Niacina, Acido Fólico, Acido pantatênico, Biotina,
Colina, Inositol e Paba ( 16 nutrientes).

MINERAIS

OLIGOELEMENTOS
AMINOACIDOS

Estes nutrientes formam os 10.000 compostos vitais


que necessitamos diariamente.

Enzimas, fatores, cofatores, hormônios,


transmissores, atp, etc. Todos estes compostos não se
formam do nada, nem do ar nem por meio de
palavras mágicas. Não.
O organismo toma esses 108 elementos básicos e os
une uns aos outros, modifica-os, transforma-os e
assim obtém os 10.000 compostos de que necessita
diariamente.
A falta de um só desses 108 nutrientes é suficiente
para que muitos desses 10.000 compostos não se
formem nesse dia e, portanto, muitas reações
químicas vitais não se realizam. São necessários
alguns compostos para iniciar alguma reação, outros
para continuar e outros para terminar. A deficiência
ou a falta de um ou vários desses nutrientes básicos
se refletirá como insuficiência ou falta de algum
hormônio, alguma enzima, algum transmissor,
alguma substância, etc. A falta de um ou de vários
compostos afetará muito o funcionamento de outras
células, de outros órgãos e, finalmente, de todo o
organismo.
a) Produzir energia. Sem energia nenhum
sistema pode funcionar. Uma fábrica sem energia
interrompe totalmente sua produção. A energia que
utilizamos é obtida pelos compostos. Os compostos
que produzem essa energia fazem parte desses
10.000 compostos. Se faltar compostos, faltará
energia.
b) Repor a energia perdida. Como estamos o
tempo todo gastando energia, temos que recuperá-la
e isso só se consegue repondo os compostos que
geram a energia.

II. Produzir Células. Produzir uma nova célula


requer muitos compostos que se originam nos 108
nutrientes básicos. As células não se formam no “ar”.
Se faltam compostos ou nutrientes, as células não se
formam. Criar uma célula não é algo “mágico”. É um
processo complexo que requer matéria prima. O
organismo faz coisas maravilhosas e até milagres,
mas sem matéria prima não faz nada.

Quando descobrimos que o organismo pode fazer


algo por si só, pensamos de forma infantil que ele vai
fazer esse algo sem precisar de nada. Que é auto-
suficiente e que é algo assim como uma fonte
inesgotável de recursos e que não é preciso ajudá-lo
nem dar-lhe nada. E o deixamos só, pensando que
sua capacidade ou suas reservas são ilimitadas, como
se fosse um grande armazém cujo estoque não se
esgota nunca. E assim o deixamos sem ajuda até que
o matamos, às vezes prematuramente.

Porque precisamos produzir células?


a) Para repô-las. Ao desgastar-se, o nosso
organismo perde células. Muitas se desprendem,
outras morrem e outras se desfazem. Outras são
aniquiladas pelos radicais livres. Os antibióticos
matam muitas células ao entrar em contato com
elas. Não somente as bactérias, mas também a
menstruação provoca uma grande perda de
células na mulher.
b) Para reparar tecidos. Todos os órgãos sofrem
um grande desgaste enquanto trabalham. Todo
esse desgaste deve ser reparado completamente
com uma noite de sono.
c) Para defender o organismo. O organismo deve
produzir células de defesa para matar bactérias,
vírus e parasitas que nos invadem.
d) Para crescer. Precisamos produzir células para
crescer em estatura e volume. A altura de uma
pessoa depende muito da sua alimentação.
e) Para nos reproduzirmos. O óvulo e os
espermas não são mais que células que
pecisamos produzir constantemente.

O QUE OCORRE SE ALIMENTACÃO É


INCOMPLETA?
1 – Há um estado de escassez – Quando o
fornecimento de nutrientes é incompleto ou
insuficiente e existe um aumento no desgaste do
organismo, ele interpreta a situação como um estado
de escassez e imediatamente começa a fazer ajustes
para adaptar-se a esta situação.
2 – Há diminuição do metabolismo –
Quando a quantidade de nutrientes é isuficiente ou
incompleta, o organismo diminui o metabolismo a
um nível menor ou mínimo, para ajustar-se a
quantidade de matéria prima que recebe. A fome
diminui e a pessoa tem pouca vontade de comer. Mas
o desgaste orgânico que ocorre estimula o
metabolismo, confundindo a situação. O organismo
entra então em estado de alarme ou de emergência.
Em estado de escassez ou de alarme:

3 – A produção de compostos será


incompleta e insuficiente. Não serão
produzidos nenhum hormônio, nenhuma enzima e, se
forem produzidos, o será em quantidades
insuficientes e de má qualidade, o que ocasionará
alguma doença metabólica crônica.

4 – A produção de energia será


insuficiente. Antes de terminar o dia, a pessoa
se sentirá cansada, com sono, mesmo que tenha
dormido bem na noite anterior. Depois de um dia
normal de trabalho, a pessoa estará não só cansada,
mas também esgotada. Será uma pessoa que estárá
dormindo a toda hora. É só ela sentar ou encostar-se
a alguma coisa que dorme. Mal sobe no ônibus,
dorme. Se faz um esforço extra, ainda que pequeno,
fica esgotada.

5 – A reparação dos tecidos será


incompleta
a) O trabalho de reparação não termina. Mesmo que
tenha dormido bem durante 8 horas, a pessoa
acordará com sono de manhã. Porquê? Porque o
organismo não terminou o trabalho de reparação e
necessita de mais tempo para terminá-lo. O
organismo está pedindo mais tempo para terminar a
reparação, mas como não possui matéria prima
suficiente, mesmo que durma 20 horas, não
conseguirá terminar o trabalho de reparação e
continuará tendo sono.
b) os tecidos ficaram sem reparos. Se o desgaste não
é reparado, o tecido fica desprotegido, aberto. Depois
começa a se deteriorar, surgem irritações, ferimentos,
dores. Com o tempo se inflama, se ulcera e chega a
perfurar. Por exemplo, a gastrite nada mais é que um
tecido machucado, não reparado.
c) Facilita a invasão de bactérias, vírus e parasitas, e
com isso se apresentam infecções mais freqüentes.

7 - A defesa do organismo será fraca ou


muito lenta. Falta-se matéria prima, as células de
defesa não poderão produzir ou produzirão
lentamente. Com isso, a pessoa sofrerá infecções
freqüentes, como gripes, faringites, tosses, etc. Se o
tempo muda, ela pega uma infecção, se fica perto de
alguém com gripe, se contagia, etc.

8 – O crescimento do organismo será


lento e muito menor ao esperado. Talvez a
falta de hormônio do crescimento tenha como causa
uma alimentação incompleta.
9- A produção de espermatozóides ou de
óvulos ficará reduzida.
10 – Estado de alarme – Chegamos a um
estado de alarme ou de emergência por:
a) Falta de nutrientes: pouca comida, dietas, não ter
horário para comer, intervalos maiores que 6 horas
entre as refeições, alimentos com baixo conteúdo de
nutrientes, alimento cozido, alimento processado,
alimento enlatado.
b) Consumo acelerado de nutrientes: estimulantes
como café, cigarro, nicotina, medicamentos, álcool,
doenças, febre, gravidez, lactação.
c) Perda de nutrientes: Vômitos, diarréias, aumento
de urina, de suor.
d) muito desgaste do corpo: Estresse, mal humor,
exercício, trabalho excessivo, preocupações,
noitadas, falta de descanso, descanso insuficiente,
dormir menos horas que as necessárias, insônia.
e) perda de células: Sangramentos, menstruação,
feridas, queimaduras.
f) Morte acelerada de células: Sedentarismo, má
circulação, falta de oxigênio, fumo de cigarro
diminui o oxigênio dos pulmões, radicais livres e
falta de antioxidantes, antibióticos, anti-sépticos,
álcool.

COMO SE MANIFESTA O ESTADO DE


ALARME?
a) A fome continua: Se a alimentação é
incompleta ou insuficiente, a pessoa sempre está
com fome. Recordemos o exemplo da fábrica de
vestidos. Pode haver muito tecido, mas se faltar
linha, os vestidos não poderão ser terminados.
Que faria o encarregado da produção numa
situação dessas? Assim que ele notasse a falta de
linha, logicamente providenciaria sua reposição.
Caso a linha demorasse a chegar, levantaria a voz
para que o escutassem, mas se a produção
parasse, pediria mais linhas aos berros,
desesperado. E continuaria pedindo linha até que
a trouxessem. Assim é o organismo. Quando
faltam nutrientes na alimentação, ele fica
pedindo.
A fome é como a sede. O organismo pede água
só quando precisa. Não importa a hora. Acontece
o mesmo com os nutrientes: o organismo pede
nutrientes só quando necessita deles. Se tem
fome, é porque precisa de nutrientes. É comum
que se tenha fome depois de um período de
estresse, de angústia, de um aborrecimento,
depois de algum esforço físico, depois de uma
série de exercícios, de uma noite de vigília, de
um baile, etc. Por que tem fome? É muito lógico.
O organismo utilizou uma quantidade maior de
nutrientes que agora precisa repor. Além disso,
tem que reparar o desgaste sofrido durante esse
período. A fome é um indicador muito eficaz de
que o organismo está precisando de mais
nutrientes.

Outras causas da fome:


a) Alimentação desbalanceada. O
excesso de um nutriente cria, de forma
automática, a deficiência de outro. Está
deficiência provoca a fome para compensar o
excesso.
b) O excesso de açúcar refinado.
b) Dores por alimentação insuficiente. A
dor mais freqüente é a da cabeça, mas pode haver
outras dores em outras partes do corpo. A dor é
um aviso de alarme ou perigo. É comum ter dor
de cabeça ao deixar de fazer uma refeição, ou
logo depois de um período de estresse, de uma
noite sem dormir ou de um esforço incomum.
Essa dor pede o fornecimento de algum nutriente,
de forma imediata.
c) Obesidade. Causas:
1) Uma alimentação incompleta é a causa da
obesidade ou gordura. Por que? Porque quando o
organismo interpreta a falta de alimento ou
aumento do desgaste orgânico como uma
situação de escassez, automaticamente começa a
armazenar todos os nutrientes que pode.
Exemplo de falta de água. O organismo faz o que
faria qualquer pessoa. O que faria uma pessoa
que ao abrir a torneira notasse que só caem umas
gotas ou um fiozinho de água, e esta situação
continua por vários dias?
2) Começa a economizar água. Tratar de gastar o
menos possível.
3) Começa a armazenar o mais que pode,
sobretudo se não sabe quanto tempo vai durar a
falta.
O mesmo faz o organismo. Trata de economizar
ao Maximo os nutrientes que recebe e trata de
armazenar o mais que pode. Mas o problema é
este? Não se pode armazenar nem as vitaminas,
nem as proteínas, nem os minerais. A única coisa
que se pode armazenar e em grande quantidade é
a gordura, e então o organismo armazena a maior
quantidade de gordura que pode.
4) Excesso de gordura nos alimentos: O excesso
de gordura na comida aliada a uma alimentação
incompleta é a causa mais comum do sobrepeso.
Se não tem gordura na comida, é impossível
armazená-la. Não se pode armazenar o que não
existe.
5) Sedentarismo: A falta de atividade física
deprime totalmente o metabolismo. Nesse estado
cria-se mais facilmente o excesso de gordura.
d) Sonolência: A pessoa dorme a todo momento. E só
sentar, começar a ler ou entrar num avião ou num
ônibus, que dorme. O organismo é sábio e diz: “tenho
que evitar o desgaste ao máximo. Vou fazer essa pessoa
dormir para evitar que continue me desgastando, já que
não recebo matéria prima suficiente”.

d) Magreza: Esta é outra possibilidade. Por que se


emagrece em vez de engordar? Porque a pessoa
que come em quantidade mínima, sobretudo
gordura, não tem nada para armazenar. O
organismo está se autoconsumindo.

e) Irritabilidade, mau humor, insônia: A


deficiência de certas vitaminas ocasiona estes
transtornos que são confundidos com estresse.

ESTADO DE PERIGO OU ENFERMIDADE.


Se o estado de alarme prossegue, a pessoa cai num
estado de enfermidade e, se não é atendido corretamente,
pode ser levado à morte.

Enfermidades causadas por uma


alimentação incompleta, insuficiente e
desbalanceada.
A carência e o excesso de nutrientes em nossa
alimentação dão origem a 79% das enfermidades atuais
como:
. Fadiga, esgotamento, sonolência matutina (despertar
com sono) e cotidiana.
. Insônia ou falta de sono, hiperatividade, nervosismo.
. Fome, descontrole de apetite.
. Estresse, mau humor, depressão.
. Obesidade.
. Infartos, pressão alta.
. Embolias e derrames cerebrais.
. Varizes, hemorróidas.
. Gastrites, úlceras, má digestão, colites, prisão de
ventre, cálculos vesiculares, danos estruturais as
vilosidades intestinais, má absorção, etc.
. Diabetes Mellitus.
. Enxaqueca ou dor de cabeça.
. Câncer ou tumores.
. Queda de cabelo, problemas de crescimento de pelos,
barba e unhas.
. Enfermidades do tecido conectivo? Artrite reumatoide,
Lupo eritematoso, esclerodermia, esclerose múltipla, etc.
. Alergias: asma bronquial, rinite, alergia a pó, etc.
. Colesterol e triglicérides altos no sangue.
. Anemia.
. Artrite reumática e gotosa.
. Osteoporose.
. Problemas da pele: eczema e psoriase.
. Raquitismo, magreza.
. Infecções bacterianas e viroses muito freqüentes e um
sem fim de enfermidades.
Daqui se desprendem as três causas principais de mortes
no Brasil:
1. ENFARTES DE CORACAO
2. CÂNCER
3. DIABETES.
Depois seguem acidentes e embolias. Eis um caso
assombroso: 50% destas mortes poderiam ser
evitadas com uma alimentação completa.

A única maneira de solucionar os problemas de falta de


nutrientes é administrando melhor os nutrientes que
faltam. Isto é exatamente o que faz o programa de
Nutrição Celular.

O QUE FAZEMOS NORMALMENTE?


1. Temos uma alimentação insuficiente: Não
deixamos de comer o que comemos normalmente, a
comida que gostamos, alimentos muito cozidos, com
poucos nutrientes, pouca fibra, enlatados, processados,
etc.
O que seria mais inteligente? Tomar os
nutrientes que faltam na comida que é deficiente.

2. Destruição de nutrientes: Não deixamos os


hábitos nem os vícios de fumar, tomar café, álcool, de
passarmos noites em claro, de ir a discotecas, etc.
O que seria mais inteligente? Tomar uma
quantidade maior de nutrientes, já que sabemos que os
vícios nos levam a um maior consumo dos mesmos. Se o
fato de fumarmos causa a destruição das vitaminas no
organismo, seria mais inteligente tomarmos vitaminas
extras para repor as que se perdem por esta razão.

3. Desgaste do organismo: Não deixamos de


sofrer estresse nem de nos aborrecermos. Se o nosso
corpo se submete a um desgaste maior, estresse,
exercício, noite sem dormir, etc. em vez de tomarmos
café, o mais sábio seria tomarmos uma quantidade maior
de nutrientes para compensar o desgaste do corpo.
O que seria mais inteligente? Tomar mais
nutrientes, já que não se pode evitar o estresse, ou deixar
de ir a um baile, ou de passar a noite acordado.

4. Falta de algum nutriente: Em algumas ocasiões


e fácil dar-se conta da deficiência ou carência de algum
nutriente em particular, seja por uma análise de
laboratório, seja por alguma enfermidade em particular.
Que fazemos? Vamos ao médico, que nos ministra esse
nutriente em grandes quantidades, muitas vezes em
excesso, para compensar essa deficiência. O excesso de
um nutriente causa deficiência de todos os outros.
O que seria mais inteligente? Ministrar uma dose
completa de todos os nutrientes. Se há deficiência de um
ou vários, e possível que haja deficiência de todos os
outros.

5. Metabolismo debilitado: Quando o metabolismo


diminui, a fome também diminui. Se temos menos fome,
comemos menos, o que piora o problema.
O que seria mais inteligente? A melhor forma de
estimular o metabolismo e incrementando a alimentação
até completá-la, fazer um pouco de exercício e tomar
estimulantes do metabolismo em quantidade corretas.

6. Falta de algum composto: Algumas vezes


estimulamos o organismo a produzir hormônio, enzima
ou qualquer outro composto, sem proporcionar-lhe a
matéria prima adequada, forçando-o a produzi-los. Isto
agrava o problema. Outras vezes fornecemos esse
composto, impedindo o organismo de produzi-lo,
tornando-o dependente por toda a vida.
O que seria mais inteligente? Assegurar-se de
que não haja deficiência de nenhum nutriente, antes de
ministrar esse composto em particular, já que a falta de
um composto prova a deficiência de outros.

7. Falta de energia: Que faz a pessoa que se levanta


com sono, cansada, que sente que não descansou bem?
Toma uma grande xícara de café, que é um estimulante
do metabolismo. Que faz o café? Acaba com as poucas
reservas da pessoa e, se não tem reservas, força o
organismo a gastar matéria prima do próprio corpo para
responder ao estímulo. Isto resolve o problema?
Enquanto dura o efeito do café, de 2 a 4 horas, há um
aumento de energia, mas quando passa o efeito a pessoa
fica pior e vê-se obrigada a tomar outra xícara de café.
O que seria mais inteligente? Comer ou tomar
algo que contenha todos os nutrientes primeiro e depois
o café. Tomar café não faz mal. O problema e tomar só o
café e ainda mais com açúcar. De outra forma, tomar
café ou qualquer outro estimulante ajuda a utilizar esses
nutrientes de forma muito mais rápida.

8. Falta de células: Quando se está com anemia é


sinal de que faltam células vermelhas no sangue.
Sabemos que essas células necessitam de ferro para
poder formar-se. Que fazemos neste caso? Tomamos
ferro em quantidades gigantescas. Qual é o problema?
Mesmo que essas células estejam precisando de ferro,
elas não são feitas somente de ferro. Para se formar uma
célula, são necessários todos os elementos, mais o ferro.
Isto é, o ferro sozinho não pode conseguir criar toda uma
célula. O que seria mais inteligente? Ministrar todos os
nutrientes. Quando há falta de células por carência de
alguma vitamina ou mineral, isso é o que convém fazer,
porque o excesso de um nutriente cria deficiência de
todos os demais.

9. Dor pela reparação incompleta de tecidos:


A manifestação mais freqüente de que um tecido está
desprotegido ou avariado, é a dor, seja por gastrite,
colite, faringite, artrite, etc. Que fazemos? Tomamos um
analgésico para não sentir dor, enquanto continua o
desgaste aumenta o dano. O analgésico resolve o
problema? Não, só tira a dor enquanto dura o efeito,
mas quando este passa, o dano e a dor são maiores e
então tem-se que tomar um analgésico mais forte.
O que seria mais inteligente? Tomar todos os
nutrientes em quantidade adequada, junto com o
analgésico.

10. Defesa frágil: Que fazemos quando ocorrem


infecções freqüentes? Tomamos muito antibióticos que
matam muitas células e medicamentos que impedem que
o sistema de equilíbrio do organismo atue como deve. O
que seria mais inteligente? Garantir primeiro uma
alimentação completa e depois tomar antibióticos.

11. Falta de crescimento: Quando a criança não


cresce em estatura por falta de hormônio do crescimento,
ele é ministrado. Igualmente, se os músculos não
aumentam, ministramos anabólicos. O que seria mais
inteligente? Ministrar todos os nutrientes, antes de
ministrar o hormônio ou os anabólicos. Se isto não
corrigir o problema, então é preciso ministrar o
hormônio junto com todos os nutrientes.

12. Estado de alarme: Quando aumenta o desgaste


do corpo por estresse, exercícios, estimulantes, vigílias,
etc., caímos neste estado.

A) Fome: Neste estado, temos uma fome feroz e o


diagnóstico é descontrole do apetite, fome compulsiva,
etc. Que fazemos? Tomamos comprimidos para tirar o
apetite. E tira o apetite? Sim. Por quanto tempo? O
tempo que dura o efeito do comprimido, mas quando o
efeito passa, a fome é duas ou três vezes pior. O que
seria mais inteligente? Tomar uma dose completa de
nutrientes quando se tem fome, seja a hora que for. A
fome desaparece por si só, já que uma alimentação
completa faz desaparecer a fome como por milagre.

b) Dor por alimentação insuficiente. Que


fazemos quando nos dói a cabeça? Tomamos um
analgésico. Soluciona o problema? Não. A dor
desaparece, mas quando o efeito passa, a dor torna-se
duas ou três vezes pior e as vezes ocorre uma crise que
dura vários dias. Como resposta, o organismo ativa o
sistema cardiovascular e aumenta a pressão arterial com
o propósito de levar mais nutrientes ao local afetado. A
hipertensão é uma simples resposta ao estado de alarme,
não uma causa. Que fazemos agora? Damos um
comprimido para baixar a pressão arterial. O que seria
mais inteligente? A mesma solução: uma dose completa
de todos os nutrientes e a dor desaparece totalmente.
c)Obesidade: Que faz uma pessoa que nota que está
engordando?

13. Dieta: Deixa de comer, e com isto agrava o


problema e engorda ainda mais.
14. Faz exercício: Vai a uma academia de ginástica
ou corre, desgasta mais seu organismo e, como
conseqüência, agrava o problema e engorda mais.
15. Deixa de jantar: Diminui sua alimentação e
sente mais fome.
16. Deixa de comer ou diminui os alimentos que
contém calorias, como carboidratos e gordura. Ao
diminuir a gordura e os carboidratos também diminui
outros nutrientes, agravando o problema. Os alimentos
que contém gordura e carboidratos não contém
unicamente isso, mas também nutrientes como
vitaminas, minerais, etc.
17. Toma comprimidos para a fome e agrava
o problema.
18. Toma mais estimulantes: café, nicotina, etc. e
agrava ainda mais o problema.
19. Faz cirurgia estética, lipoaspiração, arranca os
dentes, amarra a boca, corta um pedaço do intestino, e o
problema não se resolve nunca, só se agrava.
O que seria mais inteligente? A primeira coisa a
fazer é tirar o organismo do estado de alarme. Como?
a) garantir uma alimentação completa.
b) evitar o excesso de gordura nos alimentos.
c) Estimular o metabolismo com exercícios leves e
estimulantes.
d) Garantir descanso suficiente.

20. Sonolência: Que fazemos para evitar o sono?


Tomamos café, é claro, e estimulantes.
O que seria mais inteligente? O sono acaba quando se
tem uma alimentação completa.
21. Magreza: Que faz a pessoa quando o corpo já se
acostumou a não receber nada de fora? Toma vitaminas
para abrir o apetite ou faz exercícios para sentir mais
fome.
O que seria mais inteligente? Uma alimentação
completa faria com que a pessoa aumentasse de peso e
incrementasse seu metabolismo.
22. Mau humor, irritablidade: Que faz e
pessoa acalmar-se e dormir? Toma valium, um sonífero
que a relaxa, a acalma e faz dormir. E ele se acalma?
Sim. Por quanto tempo? O tempo que dura o efeito do
comprimido, mas quando o efeito passa, fica 3 vezes
pior. E agora, o que faz? Toma mais comprimidos para
dormir. Este tipo de medicamento deprime o
metabolismo, o que agrava o problema. O metabolismo
dessa pessoa já estáva deprimido e com o comprimido
fica mais deprimido ainda.
O que seria mais inteligente? Uma alimentação
completa em vitaminas soluciona esta situação.

23. Enfermidades: Que fazemos quando


adoecemos? Vamos a uma farmácia e compramos
remédios. Os mais inteligentes vão a um médico que
lhes receita algum remédio. O problema é que os
remédios não substituem os nutrientes. A única coisa que
pode substituí-los são os nutrientes faltantes. E, durante
o tempo que for, o doente poderá tomar todos os
medicamentos do mundo, mas não conseguira se curar
porque ele não precisa deles. O que ele precisa é dos
nutrientes que faltam e não há nada que substitua os
nutrientes. Os medicamentos que menos podem
substituir os nutrientes são os sintomáticos ou drogas.
Então, os nutrientes que faltam no seu organismo só
podem ser substituídos por nutrientes. O ato de você ou
o seu médico ignorar isso, não vai evitar que a falta de
nutrientes o afete, o faça ficar doente, o mate. O
problema número um da humanidade é precisamente a
ignorância. O que seria mais inteligente? Antes
de ministrar medicamentos, verificar se há falta de
nutrientes e se há, fornecê-los. Com uma alimentação
completa as enfermidades relacionadas com a
deficiência dos nutrientes desaparecem por si só, exceto
nos casos em que o estrago já seja demasiado grave. Se o
dano não pode ser reparado, pelo menos pode se deter
seu avanço. As células que se restabelecem totalmente,
recuperam sua função normal. Quando a reparação é
parcial, da mesma forma será a função.

O programa mais completo.


O único programa no mundo que atualmente tem todos
os nutrientes conhecidos, é o de Nutrição Celular. Se
amanhã for descoberto um outro, com certeza se uniria a
este programa. Acredite!

Os resultados de uma alimentação tão completa são


incríveis: já nos primeiros dias consegue-se uma
recuperação celular completa e muitas enfermidades
consideradas incuráveis, melhoram facilmente com este
programa. Isto significa que todo mundo deve consumir
o programa de Nutrição Celular porque todos nós
necessitamos dele. E a ÚNICA forma de se obter todos
os nutrientes básicos, independentemente de ter ou não
problemas de peso. O objetivo da Nutrição Celular e
proporcionar uma alimentação realmente completa.
90% de OPINIÕES, 10% DE FATOS
As pessoas sabem de tudo que foi falado aqui? Não, mas
mesmo assim tem suas opiniões. Às vezes boas, outras
más, às vezes corretas, outras incorretas. O melhor é não
falar sobre opiniões e menos ainda discutir, porque
quando se discute, perde-se tempo, dinheiro e a própria
pessoa. Dá na mesma, quer você ganhe quer você perca
a discussão.

O melhor será falar sempre dos fatos .....

Lei do rotulo: Esta lei é aplicada em todos os países


do mundo para os produtos de consumo humano. É uma
lei muito rigorosa e tem três pontos.
1. Diz que um fabricante não pode colocar no seu
produto nenhum ingrediente que não esteja
escrito no rótulo.
2. Diz que nenhum fábricante pode imprimir no
rótulo o nome de um ingrediente e não incluí-lo
no produto.
3. Diz que se o produto provoca efeitos colaterais
ou pode causar algum dano ao consumidor, o
fabricante deve anotar isso no rótulo.

Nos produtos de NUTRIÇÃO Celular não há nenhuma


observação dizendo que o produto causa efeitos
colaterais que podem causar algum dano ou que há
pessoas que não podem tomá-lo. Isso significa que todos
podem tomá-lo.
No rótulo há uma nota de precaução para as pessoas que
tomam o produto para perder peso. Diz: É aconselhável
sempre consultar um médico ou nutricionista ao usar um
programa de controle de peso, especialmente crianças,
mulheres grávidas, pessoas com problemas renais
crônicos, diabéticos que usem insulina, hipertensos.

Atenção: Não diz que essas pessoas não podem tomar o


produto. Diz que se pretendem perder peso e
aconselhável consultar o médico.

Que acontece se tomo álcool? A nutrição celular


é alimento, não é remédio, não há contra indicação. Não
importa o que esteja tomando nem a quantidade de
álcool que a bebida contenha.
Devo deixar de tomar os produtos de
nutrição celular se ficar doente enquanto os
estiver tomando? Não. Se ficar doente, uma
alimentação completa o ajudará a melhorar mais
rapidamente.

Devo deixar de tomar os produtos se começo


a tomar remédios? Não. Os produtos de Nutrição
Celular não reagem com nenhum medicamento.

A nutrição Celular faz a gente se sentir melhor,


mais viva, com mais saúde. E o prolongamento
da vida com BOA SAÚDE. Os cientistas dizem que o
homem deveria viver mais de 120 anos e envelhecer sim,
mas sem ficar doente. Contudo, só vivemos 75 anos em
media e é raro encontrar alguém com mais de cinqüenta
anos completamente são.