Você está na página 1de 4

nº 10 Boletim da Comissão

Maio de Nacional PRÓ-SUS


2011 Conselho Federal de Medicina (CFM)
Associação Médica Brasileira (AMB)
Federação Nacional dos Médicos (FENAM)

Comissão Pró-SUS faz reunião nacional


No dia 23 de maio, em a situação dos médicos da definida, com proposta a mentos dos movimentos
Brasília, a Comissão Na- rede pública e definir uma ser detalhada no próxi- reivindicatórios estaduais e
cional Pró-SUS realizou pauta conjunta de ação. mo encontro da comissão. locais de médicos do SUS.
reunião ampliada com a Foi definido pelas enti- A Pró-SUS lançou um “ob- A partir dos relatos das
participação de conselhos dades presentes, o indica- servatório” (ver mais à pági- entidades médicas durante
de medicina, sindicatos, as- tivo de um dia nacional de na 3), atualizado permanen- a reunião foi possível iden-
sociações e sociedades de paralisação dos médicos temente, para acompanhar tificar uma agenda mínima
especialidades para discutir do SUS, sem data ainda os motivos e os desdobra- nacional.
Agenda Mínima
1 | Remuneração (reajuste 2 | Condições de trabalho 3 | Atendimento à popula- 4 | Financiamento e gestão
de salários e gratificações; (desprecarização dos con- ção (melhoria das condições (regulamentação da EC 29,
implantação de Plano de tratos e vínculos, melhoria da de assistência, contratação de mais investimento de estados
Cargos, Carrei­ras e Venci- infra-estrutura, equipamentos mais médicos, solução para e municípios, qualificação e
mentos; Carreira do médico e insumos para diagnóstico as filas e o caos instalado em análise das diversas modalida-
e CBHPM no SUS) e tratamento dos pacientes) hospitais e pronto-socorros) des de gestão em curso)

São muitos empregadores, salários e vínculos


O encontro do dia 23, em dados à página 4), há várias A situação da remuneração cia, por incentivo etc).
Brasília, enfatizou os cená- formas de contratação: regi- também é diversa, tanto em Também os empregado-
rios heterogêneos vividos me jurídico único, celetista, valores quanto em modalida- res variam muito no SUS:
pelos médicos do SUS e a próprio, cedido, concursado, des, com salário definido por administração direta, OSs,
necessidade das entidades comissionado, terceirizado cargo e função (PCCS), vari- Oscips, Fundações, ONGs,
médicas promoverem estu- por meio de cooperativas de ável por produtividade, paga- cooperativas, dentre outros.
dos e levantamentos para especialidades ou cooperati- mento por procedimento ou E, por fim, a carga horária
detalhar as diversas realida- vas de trabalho médico, ad- plantão e inúmeras formas de dos médicos do SUS é va-
des existentes. mitidos por meio de contrato gratificação para complemen- riavel entre 20, 30, 40 horas
Embora a maioria dos mé- temporário, pessoa jurídica tar o salário-base, geralmente semanais ou plantões de 12
dicos com vínculo público ou recibo de pagamento de irrisório (por complementação e 24 horas, dentre outras
esteja nos municípios (ver autônomo (RPA). de carga horária, por distân- modalidades.

Senadores e entidades farão raio X de hospitais


A Comissão Nacional médicas e instituições locais, dia 7 de abril, em apoio ao dos direitos humanos. Os
Pró-SUS e a Comissão de que farão um diagnóstico movimento dos médicos. O senadores presentes trans-
Assuntos Politicos – que re- das condições de funcio- senador e presidente da co- formaram o pedido em ato
únem AMB, CFM e FENAM– namento e atendimento de missão, Paulo Paim (PT-RS), normativo.
entregaram uma relação de hospitais próprios e conve- anunciou na ocasião a cria- As visitas aos hospitais
hospitais à Comissão de Di- niados do SUS, o que inclui ção de uma subcomissão de vão gerar relatório com des-
reitos Humanos e Legislação uma avaliação da capacida- saúde. Em seguida, o coor- crição dos problemas e re-
Participativa do Senado Fe- de instalada, de pessoal e denador da Pró-SUS, Aloísio comendações propositivas,
deral. Nos próximos meses equipamentos disponíveis. Tibiriçá Miranda, propôs uma que serão posteriormente
terá início uma caravana de A ação conjunta foi defini- agenda comum para visita encaminhadas aos gesto-
visitas, com a participação da durante audiência públi- aos hospitais públicos sob res, ao Ministéiro Público e
de senadores, entidades ca especial no Senado no a ótica da eventual violação autoridades.
nº 10 Maio de 2011 Boletim da Comissão Nacional PRÓ-SUS

Pró-Sus critica meta do governo de meio milhão de médicos


A imprensa tem anteci- médicos formados no País. por ano em 180 cursos. Ou tempo, alerta para o risco de
pado informações sobre o Ou seja, o atual número de seja, teriam que ser abertos incentivo à abertura de mais
“Plano Nacional de Edu- 370 mil médicos em ativi- inúmeros novos cursos. cursos ruins e coloca-se
cação Médica”, que será dade subiria para aproxi- A Pró-Sus discorda da à disposição do Ministério
lançado pelos ministérios madamente meio milhão. proposta, reitera que o pro- da Saúde para contribuir,
da Educação e da Saúde. O objetivo seria alcançar a blema não é a falta, mas a com dados e argumen-
Foi divulgado que o gover- taxa de 2,5 médicos por mil má distribuição de médi- tos, na busca da resposta:
no federal pretende ampliar habitantes no Brasil. Hoje o cos no Brasil e a ausência “Quantos médicos o Brasil
em 120 mil o número de Brasil forma 16 mil médicos de uma carreira. Ao mesmo precisa?”
Editorial

“Serviço civil: Uma proposta Equivocada”


A antiga proposta do servi- gia de saúde da família (ESF) listas, não só de generalistas. cos mal formados.
ço civil, agora voluntário, para e em unidades de urgência, O suposto pacote de incen- A solução não é uma só,
médicos recém-formados , ga- com salário do ESF e um bô- tivos oferecidos aos egressos depende de estratégias diver-
nhou novo fôlego, apontada nus, uma pontuação adicional de medicina não parece nada sas, educacionais e regulató-
como panaceia para a es- para o exame de Residência. atrativo diante da ausência rias, que possam influenciar
cassez de profissionais em O serviço civil não irá resolver de condições de trabalho e na fixação dos médicos. A im-
áreas remotas e desprovidas o problema da distribuição irre- de vida nessas localidades. plantação da carreira do mé-
de assistência. No desenho gular de médicos. Ainda exis- Com as deficiências atuais dico combinada com a ofer-
defendido por técnicos do Mi- tem 387 municípios brasileiros do ensino médico, as popu- ta descentralizada de mais
nistério da Saúde, os jovens sem médicos, mas em cente- lações que mais necessitam vagas na Residência Médica
médicos atuariam por até dois nas de outros há elevada rotati- de assistência de qualidade são propostas, certamente,
anos em equipes de estraté- vidade e escassez de especia- terão à sua disposição médi- muito mais eficazes.

Câmara aprova empresa para administrar hospitais Médicos Residentes


O Plenário da Câmara dos terá um conselho consultivo bilidade de os HUs venderem O Plenário da Câmara
Deputados aprovou no dia 25 formado pelo Conselho Fede- serviços para planos de saúde dos Deputados aprovou a
de maio a Medida Provisória ral de Medicina (CFM), Asso- privados, gerando discrimina- Medida Provisória 521/10,
520/10, que cria a Empresa ciação Nacional de Dirigentes ção e redução da capacidade que reajusta o valor da
Brasileira de Serviços Hospita- das Instituições Federais de do SUS. bolsa dos 23 mil médi-
lares (Ebserh) para administrar, Ensino Superior (Andifes), Fe- Repúdio cos residentes que atuam
a príncipio, os hospitais univer- deração dos Sindicatos de Tra- O Conselho Nacional de no SUS, de R$ 1.916,45
sitários federais e, segundo o balhadores das Universidades Saúde (CNS) aprovou moção para R$ 2.338,06. Ela
governo, regularizar a contra- Brasileiras (Fasubra) e Conse- de repúdio à Medida Provisória disciplina também outros
tação de médicos e de pesso- lho Nacional de Saúde (CNS). 520 , sob a alegação de que a direitos, como a licença-
al desses órgãos, atualmente A Procuradoria Federal dos Empresa a ser criada desvin- paternidade de cinco dias
feita pelas fundações de apoio Direitos do Cidadão do Minis- cula, na prática, os Hospitais e licença-maternidade de
das universidades em bases tério Público Federal divulgou das universidades, separando 120 dias, podendo haver
legais frágeis, de forma tem- o resultado de um seminário a assistência do ensino e da prorrogação por mais 60
porária e precária. sobre a MP 520, que aponta a pesquisa. Outros prejuízos, dias A matéria, aprovada
Os 53,5 mil servidores pú- inconstitucionalidade da me- segundo o CNS, é a precari- na forma do projeto de lei
blicos que trabalham nos HUs dida, ao gerar a coexistência zação da mão de obra, pois a de conversão da relatora,
federais poderão ser cedidos entre estatutários e temporá- relação de trabalho a ser es- deputada Jandira Feghali
à nova empresa. O texto apro- rios, acentuando a rotatividade tabelecida reforça o processo (PCdoB-RJ), será enviada
vado prevê que a empresa de pessoal e ao abrir a possi- de terceirização. para análise do Senado.
2
nº 10 Maio de 2011 Boletim da Comissão Nacional PRÓ-SUS

Paralisações crescem em estados e municípios


A Comissão Nacional Pró-SUS criou um “ Observatório” para acompanhar movimentos e mobilizações locais de médi-
cos na rede pública que, em comum reivindicam melhor remuneração, condições adequadas de trabalho e atendimen-
to digno à população.Confira a seguir os principais movimentos que aconteciam até o dia 30 de maio.

João Pessoa: Os médicos cirurgiões do Hospital Bahia: Os médicos da rede estadual encerraram a gre-
de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João ve iniciada no dia 3 de maio. Foi mantido o “estado de greve”
Pessoa, pediram demissão coletiva dia 27 de maio, depois de para pressionar o governo do estado a cumprir o acordado:
não receberem nenhuma proposta do governo do estado. A ca- revisão do plano de carreira, pagamento do adicional de in-
tegoria reivindica o restabelecimento dos valores dos plantões salubridade e aceleração nos processos de aposentadoria. A
fixados em R$ 1.000 que foram reduzidos no começo da ges- greve havia sido considerada ilegal pela Justiça.
tão do governador Ricardo Coutinho (PSB) para R$ 640 (entre
segunda e sexta-feira) e R$ 740 (finais de semana e feriados). Porto Alegre: Cerca de 1,2 mil médicos concursa-
Os médicos concursados do Estado protocolam no dia 31 de dos da rede municipal aprovaram, no dia 24 de maio, indicativo
maio na Secretaria de Saúde pedido de isonomia com os ci- de paralisação e o apoio ao movimento dos demais servidores.
rurgiões do Hospital de Trauma. No documento, antecipam a Eles pedem o cancelamento do ponto eletrônico, melhoria da
ameaça de suspensão dos atendimentos se não passarem a remuneração e plano de carreira prevendo médico especialista
receber R$ 1.000 por plantão. e jornada de 20 horas.

Caxias do Sul: Até dia 25 de maio seguia, há 45


Cuiabá: Os médicos se reuniram dia 30 de maio com dias, a paralisação dos médicos , que querem plano de carrei-
o governador Silval Barbosa (PMDB) para reivindicar a cons-
ra, piso da Fenam ou um abono de 60%.
trução de um hospital com capacidade mínima para mil lei-
tos. Também exigiram mais contratações e o fim do caos do
Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá (HPSM), onde os médi- Belém: Médicos pediatras, neonatologistas e obstetras
cos exigem melhores condições de trabalho, infraestrutura, de três hospitais realizaram uma paralisação de 24h, no dia 19
equipamentos e medicamentos. Após diálogo, os médicos de maio, por reajuste salarial e equiparação nos valores pagos
saíram com a promessa de que o governo vai contratar emer- em plantões extras. Os profissionais decidiram não dar mais
gencialmente mais 220 leitos na rede privada , até a constru- plantões extras a partir de junho.
ção de um Hospital Regional em Cuiabá.
Teresina: Devido ao não cumprimento da progressão
Juiz de Fora:Os cerca de mil médicos da rede de carreira, os médicos da prefeitura pararam as atividades
municipal mantinham, em 30 de maio, há um mês, greve por por 48 horas, dia 30 de maio. Todas as consultas e cirurgias
tempo indeterminado. Eles exigem um plano de cargos, car- eletivas foram suspensas, em todas as unidades do municí-
reira e vencimentos; implantação do piso nacional da Fenam; pio, gerenciadas pela Fundação Municipal de Saúde.
realização de concursos públicos para repor a falta de médicos;
eleições para as Comissões de Ética Médica e Diretorias Clíni-
cas, dentre outras reivindicações. Alagoas: A Secretaria de Estado da Saúde não hon-
rou o pagamento da gratificação aos médicos. Com isso,
Rio Grande do Norte: Os médicos da rede muitos profissionais têm optado por concursos para outros
estados, que pagam salários mais atrativos, o que poderá
estadual iniciaram paralisação dia 1º de junho, devido à quebra
de compromisso do governo, que não pagou a incorporação agravar ainda mais a crise da saúde no Estado.
prevista para o mês de maio, atrasou os salários dos recém
contratados, não pagou plantões por indenizações e nem au- Olinda: Em assembleia no dia 24 de maio médicos defi-
mentou o quantitativo de profissionais. Em Parnamirim, mais niram a pauta prioritária com a prefeitura: pagamento da produ-
de 30 médicos, entre obstetras e pediatras entregaram à pre- tividade de forma individualizada, reajuste no salário-base para
feitura demissão coletiva os plantonistas e diaristas, e reajuste no salário do PSF.

3
nº 10 Maio de 2011 Boletim da Comissão Nacional PRÓ-SUS

NOVOS DADOS

Médicos brasileiros: 60% já trabalham no SUS


A Comissão Nacional Pró- tes no Brasil. Médicos no SUS, segundo postos de trabalho
SUS buscou os últimos Em outra fonte, o Cadastro e número de vínculos, por Unidade da Federação.
dados disponíveis que dão Nacional de Estabelecimentos Postos de trabalho Médicos que Médicos inscri- % de Médicos
conta da distribuição dos de Saúde (CNES) do Ministé- UF de médicos do SUS atuam no SUS tos nos CRMs do Estado que
(IBGE - 2010) (CNES- 2011) (CFM- 2011) atuam no SUS
médicos que atuam no Siste- rio da Saúde registrava, em
ma Único de Saúde em cada maio de 2011, que 222.010 Brasil 281.481 222.010 367.902 60%
Unidade da Federação. médicos (60% do total de mé- SP 69.181 58.729 106.498 55
Para isso, foram conside- dicos brasileiros) têm algum
RJ 36.424 25.905 56.561 46
radas duas fontes de dados vínculo com o SUS.
(quadro ao lado) que, por Alimentado pelos gestores, MG 31.460 24.610 37.859 65
apresentarem metodologias o CNES tem inconsistências RS 12.864 15.804 24.557 64
distintas e momentos dife- quanto à carga horária e o PR 13.039 11.950 18.873 63
rentes de coleta das informa- numero de vinculos por mé- BA 15.757 11.684 16.644 70
ções, não podem ser com- dico, mas quanto ao número
paradas, porém são com- total de médicos traz infor- PE 13.186 8.806 13.058 67
plementares no sentido de mação que pode estar bem SC 8.128 7.389 11.590 64
traçar um retrato atual da in- próxima da realidade. GO 7.278 7.141 9.719 73
serção profissional dos mé- Acre e Amapá são os Esta- CE 10.058 6.590 9.184 72
dicos no SUS. dos onde o SUS mais empre-
DF 5.398 4.927 10.231 48
De acordo com a pesquisa ga médicos, enquanto Rio de
Assistência Médico-Sanitária Janeiro e Distrito Federal são ES 6.128 4.332 7.242 60
(AMS) do IBGE, divulgada os estados nos quais o SUS PA 6.112 4.018 6.188 65
em 2010, o SUS oferece menos emprega médicos, PB 6.053 3.686 4.746 78
281.481 postos de trabalho proporcionalmente ao núme-
RN 5.018 3.239 4.267 76
para os médicos, sendo que ro de profissionais registrados
um médico pode ocupar até nos respectivos CRMs. MA 6.090 3.219 4.361 74
dois postos, conforme pre- O SUS firmou-se como o MS 3.339 2.863 3.931 73
coniza a legislação. Os Es- principal empregador de mé- AL 3.607 2.822 3.670 77
tados de São Paulo, Rio e dicos no país, principalmente AM 5.706 2.816 3.819 74
Minas concentram quase a os municípios (quadro abai-
MT 3.158 2.532 3.701 68
metade de todos os postos xo), que concentram 67%
de trabalho do SUS existen- dos postos de trabalho. PI 4.129 2.464 3.000 82
SE 2.880 2.275 2.813 81
Postos de Trabalho de médicos no SUS,
conforme esfera de gestão IBGE, 2010 TO 1.940 1.269 1.730 73
RO 1.824 1.142 1.693 67
Esfera de
gestão do SUS
Numero de postos de
trabalho de médicos no SUS
%
AC 936 711 732 97
Federal 23.386 8% AP 888 578 638 90
Estadual 70.442 25%
RR 900 509 597 85
Municipal 187.653 67% Elaboração Pró-SUS. Fontes: CNES, AMS/IBGE, CFM - 2011
TOTAL 281.481 100 OBS: São condiderados pelo IBGE vínculos públicos de médicos quando o estabelecimento é públi-
co, da administração direta, ou quando presta serviços ao SUS ( no caso de serviços particulares e
filantrópicos conveniados). O IBGE considera vínculos públicos aqueles pagos mediante repasse de
Elaboração Pró-SUS. Fonte: AMS/IBGE - 2011 verbas públicas, independente da natureza do empregador.

Comissão Nacional PRÓ-SUS


Coordenador: Aloísio Tibiriçá Miranda . Membros: Abdon José Murad Neto, Alceu José Peixoto Pimentel, Ceuci de Lima Xavier ,
Cláudio B. Souto Franzen, Eduardo Santana, Florentino Cardoso Filho, Frederico Henrique de Melo, Hermann V. Tiesenhausen,
José Fernando Maia Vinagre, Makhoul Moussalem, Márcio Costa Bichara, Mauro Luiz de Britto Ribeiro, Renato Azevedo
Júnior, Roberto Queiroz Gurgel, Roberto Tenório de Carvalho, Waldir Cardoso, Wilton Mendes,Wirlande Santos da Luz .
Conselho Federal de Medicina (CFM)
Tel: (61) 3445-5957 Fax: (61) 3246-0231 – e-mail: comissoes@portalmedico.org.br