Vinicius Henrique Ferreira

RA: 205743 SI7B

Introdução a Macroeconomia 1- Introdução: A macroeconomia estuda a economia como um todo, estudando a determinação e comportamento de grandes agregados, assim como: a renda e produto nacional, o nível em geral dos preços, a taxa de desemprego, a concentração de moeda e as taxas de juros, balança de pagamentos e a taxa de câmbio. Quando estudamos a macroeconomia ignora o comportamento especifico das unidades econômicas e de mercados específicos, o foco do estudo e mais voltado ao todo dos mercados de bens e serviços e o mercado de trabalho. A vantagem de estabelecer relações entre grandes partes e que nos permite uma compressão maior de alguns pontos mais relevantes da economia, assim se tornando um grande instrumento para a política e a programação econômica. A teoria Macroeconômica preocupa-se mais com aspectos em curto prazo, ou seja, questões como desemprego, que sempre aparece quando a economia não está tão bem assim, trabalhando abaixo do nível máximo de produção e também com as conseqüências geradas em vários mercados quando é alcançada a estabilização dos preços.

2- Metas de política macroeconômica. As metas são: a) Alto nível de emprego: A questão do desemprego não preocupava os economistas à tempos atrás, pelo menos nos países conhecidos como capitalistas, pois acreditavam que os mercados iriam conseguir por si só levar a economia ao pleno emprego de seus recursos, ou seja, conseguiria andar com as próprias pernas se sustentando com a maneira de trabalho da época, o pensamento daquele momento era que os preços seriam determinados e o equilíbrio de produção pelas empresas e consumidores e com essa idéia pensariam que não existiria nada que pudesse atrapalhar essa “grande harmonia”. Com o passar do tempo a economia trouxe um grande barulho a essa falsa impressão de “paz”, com algumas novas variáveis, como o surgimento de sindicatos dos trabalhadores, grupos econômicos e o desenvolvimento do mercado de capitais e do comércio internacional. A macroeconomia que dura até hoje, qual seja e qual

quanto maior o nível de atividade econômica. Muitas vezes nesse processo gera-se uma demanda de mão-de-obra qualificada e por ser escassa. mas mesmo assim podemos ver a grande discrepância na renda da população. isso é visto tanto quando estudamos a nível pessoal quanto a nível regional. Assim o fator educacional era preponderante nessa etapa. mas deve saber a maneira certa de produzir recursos.. gerando assim uma turbulência inflacionária para que se controle a utilização desses recursos.. quando falamos de crescimento falamos de renda per capita. O problema que devemos ver que embora hoje haja uma distribuição de renda melhor o pobre ficou menos pobre. a renda per capita e um indicador para mostrar o crescimento. a melhora do padrão de vida da população. A inflação é considerada um problema. Nos anos 60 e 70 surgiram algumas duvidas relacionadas a importância de crescimento como meta principal da política . então essa distribuição ainda é precária. mais próximo fica a utilização dos recursos em seu limite extremo. A explicação para a concentração de renda era por um lado algo que viria junto com o desenvolvimento capitalista. os países em desenvolvimento que alcançaram um nível mais elevado também sofreram conseqüentemente com uma elevação dos níveis de preços. mas também rico acabou ficando mais rico. Em alguns momentos existem algumas condições inflacionarias que são atreladas a rota de crescimento econômico. c) Distribuição de renda socialmente justa: A economia cresceu entre os anos 60 e 70 aqui no Brasil. dos agentes econômicos e dos preços.deve ser o grau de intervenção do Estado na economia e em que medida ele deve ser produtor de bens ou serviços. como a migração da área para a cidade. as políticas econômicas devem estimular a atividade produtiva. quem tinha essas exigências obtinha um ganho extra. b) Estabilidade de preços: Define-se inflação como um aumento contínuo e generalizado no nível de preços. falta de qualificação dos trabalhadores e etc. colocar a disposição da coletividade uma quantidade de mercadorias e serviços que superem o crescimento populacional. apesar de apresentar algumas falhas. pois. devido a algumas transformações na estrutura do país. pois ela acarreta distorções ainda mais quando falamos de uma distribuição de renda. ou seja. d) Crescimento econômico: As políticas econômicas podem aumentar o produto nacional mesmo que o país esteja sofrendo de desemprego e de desqualificação.

emissões. nisso podem acontecer pressões pelo aumento de preços então a política deve intervir para controlar o crescimento pra que não haja inflação. essa política fiscal deve ser usada de modo que faça a população ter uma segurança e que tenha uma distribuição de renda mais eficaz. poderia aumentar a renda dos pobres sem ferir a renda de outras camadas mais ricas. redescotos (empréstimos do Banco Central aos bancos privados) e regulamentação de taxas de credito e taxas de juros. apesar de um crescimento espantoso como é o caso do Brasil foi visto que esse crescimento aumentou a renda dos setores mais ricos da população. visando que possa se manter o funcionamento mas com taxas baixas de inflação e uma distribuição justa de renda. muitas vezes podemos atingir uma meta e sanar alguns problemas básicos da população que é a pobreza. c) Política cambial e comercial: são duas políticas que tem variáveis dependentes do setor externo da economia. 3. a utilização é feita para estimular ou inibir os gastos de consumo do setor privado. A política tributária deve obedecer a Lei de Anterioridade que trocando em miúdos serve para que a medida depois de aprovada só pode correr no ano seguinte ao que foi feito. Os principais instrumentos da política são: a) Política Fiscal: refere-se aos instrumentos que o governo possui para a arrecadação de tributos. b) Política Monetária: è atuação do governo sobre a moeda e os títulos públicos. a política monetária diferentemente da fiscal pode entrar em vigor logo deposi de aprovada. open market (compra e venda de títulos públicos).Instrumentos da política macroeconômica. que com isso faria que utilizássemos quase que toda a base recursos que temos. a Política cambial é voltada a atuação do governo sobre a taxa de cambio permitindo que ela seja uma taxa fixa ou flexível e determinada pelo mercado de divisas que atua com uma taxa flutuante. pois nos países em desenvolvimento. mas não são independentes um dos outros. Essa política envolve a atuação do governo nessa parte produtiva e de despesas planejas. outro ponto que podemos ver esse conflito seria a diminuição do desemprego. reservas compulsórias (percentual que os bancos privados devem ceder ao Banco do Central a cada depósito).econômica. Já a . Ela funciona com alguns instrumentos como. Os objetivos podem ser muitas vezes conflitantes.

c) Mercado Monetário: tudo o que é feito no mercado é feito através de moeda. A demanda agregada depende muito da demanda dos quatro setores econômicos que são: consumidores. que seria a junção de todos os bens produzidos. a demanda e a procura da mão-deobra depende de dois fatores: salário real (custo efetivo de mãode-obra para a empresa) e do nível de produção que a empresa necessita. então o governo deve controlar e ver as necessidades de efetuar transações de modo que possa valorizar o país. a determinação do nível geral de preços e do nível agregados de produção estaria atrelada a evolução do nível da demanda e da oferta agregadas do bem e serviço. empresas. . com o lado fiscal e de credito que atuam no lado das importações e exportações. b) Mercado de Trabalho: Nesse mercado e o todo que se vê e não só a parte individual. d) Mercado de Títulos: serve para analisar o papel de agentes que gastam menos do que sua rendas.política comercial se volta para o lado de exportação. setor externo. 4. d) Política de Rendas: ela é a atuação do governo diretamente a formação de rendas e controle e congelamentos de preços. governo. já a oferta depende do nível de emprego e da capacidade da economia. normalmente funciona como combate a inflação.Estrutura da Analise macroeconômica As variáveis ou agregados macroeconômicos são determinados pelo encontro de oferta e da demanda em cada um dos mercados a seguir: a) Mercados de Bens e serviços: a idéia e tratar a economia com se ela produzisse um único bem. no estimulo das exportações ou e a inibição das importações. os chamados superavitários e os agentes que gastam além de sua rendas que são os deficitários e) Mercado de divisas: depende das exportações e da entrada de capitais (oferta) e a demanda é determinadas pela importação e a saída do capital estrangeiro. a demanda de moeda é que determina a taxa de juros.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful