Você está na página 1de 8

RELAÇÕES ENTRE OS ELEMENTOS, AS FUNÇÕES E OS NÍVEIS DE LINGUAGEM NO PROCESSO DE COMUNICAÇÃO

A linguagem deve adequar-se às diferentes situações de comunicação, que se relacionam, por sua vez, ao objetivo que o expositor pretende atingir com sua mensagem. Por este motivo, a comunicação em processo exige uma mensagem construída de acordo com a função de linguagem mais adequada àquela situação comunicativa.

Observe o quadrinho abaixo, extraído do site WWW.mundodocalvin.com.br:

RELAÇÕES ENTRE OS ELEMENTOS, AS FUNÇÕES E OS NÍVEIS DE LINGUAGEM NO PROCESSO DE COMUNICAÇÃO A

A tirinha lida representa uma situação de comunicação, pois nela as personagens interagem pela linguagem, de modo que um modifica o comportamento do outro. Observe que a MENSAGEM (aquilo que se pretende comunicar) emitida pelo LOCUTOR (quem origina a comunicação) é plenamente compreendida pelo INTERLOCUTOR (a quem se destina a comunicação). Além disso, observe que ainda é possível perceber um CONTEXTO (o assunto a que se refere) e que esta comunicação somente existe visto que ambas personagens compartilham do mesmo CÓDIGO (a linguagem escolhido para produzir a mensagem) e que há um CONTATO, um canal físico e uma conexão psicológica entre eles.

ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO

Jakobson propõe o seguinte esquema didático para esclarecer a relação entre os elementos de comunicação e as funções da linguagem orientadas por eles:

Emissor (ou locutor) – É a pessoa que emite a mensagem. Receptor (ou interlocutor) – É a pessoa a quem a mensagem é remetida. Mensagem – Constitui a essência do que se propõe a dizer, ou seja, o conteúdo contido na informação. Código – Representa o conjunto de signos linguísticos combinados entre si, de acordo com o conhecimento do falante em relação à língua materna.

Canal – Trata-se do meio pelo qual a mensagem é transmitida, seja por livros, meios de comunicação de massa, entre outros. Contexto ou Referente – É o objeto, assunto ou lugar a que a mensagem faz referência.

Canal – Trata-se do meio pelo qual a mensagem é transmitida, seja por livros, meios de

Perceba que nele se postula a existência de seis FUNÇÕES DA LINGUAGEM: Referencial, Conativa ou Apelativa, Emotiva ou Expressiva, Fática, Poética, Metalingüística.

FUNÇÃO REFERENCIAL A função referencial privilegia justamente o referente da mensagem, buscando transmitir informações objetivas sobre ele. Valoriza-se, assim, o objeto da situação de que trata a mensagem, sem que haja manifestações pessoais ou persuasivas. É a função que predomina nos textos de caráter científico. É também a função que muitos textos jornalísticos buscam privilegiar.

Canal – Trata-se do meio pelo qual a mensagem é transmitida, seja por livros, meios de

FUNÇÃO EMOTIVA ou EXPRESSIVA

Por meio dessa função, o emissor manifesta no texto as marcas de sua atitude pessoal:

emoções, opiniões, avaliações. Sente-se no texto a presença do emissor, a qual pode ser clara ou sutil. Aparece nas cartas pessoais, na resenhas críticas, na poesia confessional, nas canções sentimentais, etc.

FUNÇÃO EMOTIVA ou EXPRESSIVA Por meio dessa função, o emissor manifesta no texto as marcas de
FUNÇÃO EMOTIVA ou EXPRESSIVA Por meio dessa função, o emissor manifesta no texto as marcas de

Soneto de Fidelidade

De tudo ao meu amor serei atento Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto Que mesmo em face do maior encanto Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento E em seu louvor hei de espalhar meu canto E rir meu riso e derramar meu pranto Ao seu pesar ou seu contentamento

A FUNÇÃO CONATIVA ou APELATIVA

(Vinícius de Moraes)

Essa função procura organizar o texto de forma que se imponha sobre o receptor da mensagem,

persuadindo-o, seduzindo-o. Nas mensagens em que predomina essa função (as publicitárias, por exemplo) busca- -se envolver o leitor com o conteúdo transmitido, levando-o a adotar um determinado comportamento. Esta indução pode ser construída de forma sutil, valendo-se de artifícios de linguagem que a mascaram.

FUNÇÃO EMOTIVA ou EXPRESSIVA Por meio dessa função, o emissor manifesta no texto as marcas de

FUNÇÃO FÁTICA

Essa função ocorre quando a mensagem se orienta sobre o canal de comunicação ou contato,

buscando verificar e fortalecer sua eficiência. São exemplos típicos dessa função as formas de aberturas de diálogos que constituem frases feitas.

FUNÇÃO FÁTICA Essa função ocorre quando a mensagem se orienta sobre o canal de comunicação ou

FUNÇÃO METALÍNGUÍSTICA

Quando a linguagem se volta sobre si mesma, transformando-se em seu próprio referente, ocorre

a função metalinguística. Dessa forma, nessa função, a mensagem se orienta para elementos do código, explicando-os, definindo-os ou analisando-os. É o que ocorre nos dicionários, nos textos que estudam e interpretam outros textos, nos poemas que falam da própria poesia, etc.

FUNÇÃO FÁTICA Essa função ocorre quando a mensagem se orienta sobre o canal de comunicação ou

Foi assim que sempre se fez. A literatura é a literatura, Seu Paulo. A gente discute, briga, trata de negócios naturalmente, mas arranjar palavras com tinta é outra coisa. Se eu fosse escrever

como

falo,

ninguém

 

me

lia.

(Graciliano Ramos)

 

Lutar

com

palavras

é

a

luta

mais

vã.

Entanto

lutamos

mal

rompe

a

manhã.

(Carlos Drummond de Andrade)

FUNÇÃO POÉTICA

linguagem exerce função poética quando valoriza o texto na sua elaboração, ou seja, quando o

autor faz uso de combinação de palavras, figuras de linguagem (metáfora, antítese, hipérbole, aliteração, etc.), exploração dos sentidos e sentimentos, expressão do chamado eulírico, dentre outros. Assim, é mais comum em textos literários, especialmente nos poemas que enfatizam com mais frequência a subjetividade. No entanto, podemos encontrar este tipo de função nos

anúncios publicitários e na emotiva. É muito comum denotativo.

prosa, bem como

aliada

aos demais tipos de

função, como da

a utilização de

palavras no

seu sentido

conotativo ao invés do

Que não há forma de pensar ou crer De imaginar sonhar ou de sentir Nem rasgo de loucura Que ouse pôr a alma humana frente a frente Com isso que uma vez visto e sentido Me mudou, qual ao universo o sol Falhasse súbito, sem duração No acabar ..

(Fernando Pessoa)

QUIS MUDAR TUDO MUDEI TUDO AGORAPÓSTUDO EXTUDO MUDO (Pós-tudo – Augusto de Campos)

EXERCÍCIOS 01. Reconheça nos textos a seguir, as funções da linguagem:

  • a) "O risco maior que as instituições republicanas hoje correm não é o de se romperem, ou serem

rompidas, mas o de não funcionarem e de desmoralizarem de vez, paralisadas pela sem- vergonhice, pelo hábito covarde de acomodação e da complacência. Diante do povo, diante do mundo e diante de nós mesmos, o que é preciso agora é fazer funcionar corajosamente as instituições para lhes devolver a credibilidade desgastada. O que é preciso (e já não há como voltar atrás sem avacalhar e emporcalhar ainda mais o conceito que o Brasil faz de si mesmo) é apurar tudo o que houver a ser apurado, doa a quem doer." (O Estado de São Paulo)

  • b) O verbo infinitivo Ser criado, gerar-se, transformar O amor em carne e a carne em amor; nascer Respirar, e chorar, e adormecer E se nutrir para poder chorar

Para poder nutrir-se; e despertar Um dia à luz e ver, ao mundo e ouvir E começar a amar e então ouvir E então sorrir para poder chorar.

E crescer, e saber, e ser, e haver E perder, e sofrer, e ter horror De ser e amar, e se sentir maldito

E esquecer tudo ao vir um novo amor E viver esse amor até morrer

E ir conjugar o verbo no infinito

...

(Vinícius de Morais)

  • c) "Para fins de linguagem a humanidade se serve, desde os tempos pré-históricos, de sons a

que se dá o nome genérico de voz, determinados pela corrente de ar expelida dos pulmões no

fenômeno vital da respiração, quando, de uma ou outra maneira, é modificada no seu trajeto até a parte exterior da boca." (Matoso Câmara Jr.)

  • d) " - Que coisa, né?

  • - É. Puxa vida!

  • - Ora, droga!

  • - Bolas!

  • - Que troço!

  • - Coisa de louco!

  • - É!"

  • e) "Fique afinado com seu tempo. Mude para Col. Ultra Lights."

  • f) "Sentia um medo horrível e ao mesmo tempo desejava que um grito me anunciasse qualquer

acontecimento extraordinário. Aquele silêncio, aqueles rumores comuns, espantavam-me. Seria

tudo ilusão? Findei a tarefa, ergui-me, desci os degraus e fui espalhar no quintal os fios da

gravata. Seria tudo ilusão?

Estava doente, ia piorar, e isto me alegrava. Deitar-me, dormir, o

Quis ver-me no

... pensamento embaralhar-se longe daquelas porcarias. Senti uma sede horrível

... espelho. Tive preguiça, fiquei pregado à janela, olhando as pernas dos transeuntes." (Graciliano Ramos)

  • g) " - Que quer dizer pitosga?

    • - Pitosga significa míope.

    • - E o que é míope?

    • - Míope é o que vê pouco."

02. No texto abaixo, identifique as funções da linguagem:

"Gastei trinta dias para ir do Rossio Grande ao coração de Marcela, não já cavalgando o corcel do cego desejo, mas o asno da paciência, a um tempo manhoso e teimoso. Que, em verdade, há dois meios de granjear a vontade das mulheres: o violento, como o touro da Europa, e o insinuativo, como o cisne de Leda e a chuva de ouro de Dânae, três inventos do padre Zeus, que, por estarem fora de moda, aí ficam trocados no cavalo e no asno." (Machado de Assis)

03. Descubra, nos textos a seguir, as funções de linguagem:

  • a) "O homem letrado e a criança eletrônica não mais têm linguagem comum." (Rose-Marie

Muraro)

  • b) "O discurso comporta duas partes, pois necessariamente importa indicar o assunto de que se

trata, e em seguida a demonstração. ( a prova." (Aristóteles)

...

)

A primeira destas operações é a exposição; a segunda,

  • c) "Amigo Americano é um filme que conta a história de um casal que vive feliz com o seu filho

até o dia em que o marido suspeita estar sofrendo de câncer."

  • d) "Se um dia você for embora Ria se teu coração pedir Chore se teu coração mandar." (Danilo Caymmi & Ana Terra)

  • e) "Olá, como vai? Eu vou indo e você, tudo bem?

Tudo bem, eu vou indo em pegar um lugar no futuro e você?

Tudo bem, eu vou indo em busca de um sono tranqüilo

"

...

(Paulinho da Viola)

Texto para as questões 04

Poética

Que é poesia? uma ilha cercada de palavras por todos os lados Que é um poeta? um homem que trabalha um poema com o suor do seu rosto Um homem que tem fome como qualquer outro homem.

(Cassiano Ricardo)

04. Quais as funções da linguagem predominantes no poema anterior?

IFAL (2012)

TEXTO 02

CRONOMETRADO

UM

POEMA

E SEUS

SEIS

SEGUNDOS.

EM TRANSE

UM

POEMA

E SEUS

DOZE

SEGUNDOS.

QUE CORREM

UM

POEMA

E SEUS

DEZOITO

SEGUNDOS

EXAUSTOS.

(SERENATA, Mário. Recife: FASA, 2010. p. 13)

05) Assinale a única alternativa que se pode afirmar da leitura do poema de Mário Serenata.

  • A) Os dezoito segundos descritos na terceira estrofe, sugerem o tempo total que o poema

levou para ser construído relações estabelecidas com o título, que significa “tempo medido”.

  • b) A exaustão cantada na última estrofe corresponde não só ao fim do poema, como ao cansaço

do próprio poeta, pois a construção de cada verso consome-lhe um segundo de êxtase e

abstração.

  • c) A oração adjetiva “que correm”, na segunda estrofe, insinua-nos que o tempo passa muito

rápido com relação à fluidez das ideias, que só acometem o poeta num estado de transe, de

lentidão do pensamento.

d) A cronometragem e a repetição dos versos “Um poema e seus [

...

]

segundos”, em cada uma

das estrofes do poema, indica-nos que dar corpo à poesia é, para o poeta, algo difícil e

inquietante.

  • e) As funções da linguagem que se destacam neste poema são a poética e a referencial, em que

se podem perceber os sentimentos e as emoções do eu lírico