Você está na página 1de 16

Meios Corrosivos

Prof. Denis Massucatto

Meios Corrosivos

24/04/2012

Os meios corrosivos mais importantes são:

Atmosfera (ar)

Águas naturais

Solo e produtos químicos

Alimentos

Substâncias fundidas

Solventes orgânicos

Madeiras

Plásticos

Meios Corrosivos

Atmosfera

Fatores que influenciam:

24/04/2012

Umidade relativa

Substâncias Poluentes (particulados e gases)

Temperatura

Tempo de permanência do filme eletrólito na superfície

Meios Corrosivos

Corrosão Atmosférica pode ser classificada em:

Corrosão atmosférica seca: ocorre em atmosfera isenta de umidade e sem a presença de filme eletrólito na superfície

Corrosão atmosférica úmida: ocorre em atmosferas com umidade relativa < 100% e a formação de filme

de eletrólito

Corrosão atmosférica molhada: umidade relativa em próxima a 100%. Ocorre a condensação na superfície metálica.

Meios Corrosivos

Umidade relativa

24/04/2012

possui acentuada influência na corrosão. Com uma umidade relativa em torno de 60% a corrosão é lenta, mas acima de 70% o processo se torna acelerado.

A corrosão é acelerada quando se tem material

particulado (fuligem) e dióxido de enxofre, pois a

fuligem adsorve o enxofre e facilita a formação de ácido sulfúrico (chuva ácida):

H 2 O + ½ O 2 + SO 2 -> H 2 SO 4

Meios Corrosivos

Substâncias poluentes - Particulados

Partículas em forma de poeira podem acelerar o processo de corrosão

Deposição de materiais não metálicos, como a sílica SiO 2 , pode criar zonas de aeração diferencial, facilitando a corrosão embaixo do depósito

Substâncias higroscópicas aceleram o processo de corrosão pois aumentam o tempo de retenção de água na superfície

Deposição de eletrólitos fortes:

MgCl 2 , NaCl presentes na maresia (névoa salina)

(NH 4 ) 2 SO 4 presentes em atmosfera poluída

Deposição de material metálico de diferente natureza, o que gera corrosão galvânica (formação de pilha)

Deposição de fuligem (carvão) acelera o processo de corrosão devido à adsorção de gases e formação de ácidos sulfúrico, nítrico e sulfídrico.

Meios Corrosivos

Substâncias poluentes Gases

24/04/2012

Monóxido de Carbono CO

Dióxido de carbono CO 2

Associados à queima de combustíveis, pode formar ácido carbônico CO 2 + H 2 O -> H 2 CO 3

Ozônio O 3 prejudicial à elastômeros (borracha), tornando-a quebradiça e sem elasticidade

Dióxido de enxofre SO 2

Trióxido de enxofre SO 3

Presentes no entorno de indústrias que utilizam queima de óleo combustível com teor de enxofre em torno de 4-5%. Esses gases formam o ácido sulfúrico em reação com água e oxigênio da atmosfera.

Meios Corrosivos

Substâncias poluentes Gases

Monóxido de nitrogênio NO

Dióxido de nitrogênio NO 2

Presentes na exaustão de gases automotivos, forma ácido nítrico HNO 3 em contato com o ar:

4NO + 3O 2 + 2H 2 O -> 4HNO 3 4NO 2 + O 2 + 2H 2 O -> 4HNO 3

Gás sulfídrico H 2 S

Presente nas proximidades de refinarias de petróleo, mangues e pântanos, responsável pelo escurecimento do cobre e prata, pela formação de seus sulfetos CuS e AgS

Meios Corrosivos

Substâncias poluentes Gases

Ácido clorídrico HCl

24/04/2012

Forte agente corrosivo, presente nas proximidades de fábricas de PVC

Ácido fluorídrico HF

Proveniente de fábricas de fertilizantes, este ácido

ataca também vidros e cerâmicas

Gás cloro Cl 2

Presente em fábricas de soda cáustica, branqueamento de papel e em contato com o ar forma ácido clorídrico.

Meios Corrosivos

Substâncias poluentes Atmosfera: outros fatores

Temperatura elevada reduz a condensação de vapor d’água na superfície metálica e também a adsorção de gases, minimizando a possibilidade de corrosão.

Tempo de retenção do filme de eletrólito: quanto menor o tempo de contato, menor a ação corrosiva.

Uma chuva pode ser benéfica para a superfície

metálica, retirando substâncias particuladas da superfície, porém, se houverem frestas e trincas, pode ocorrer o acúmulo da solução de sais, potencializando a ação local da corrosão.

Meios Corrosivos

24/04/2012

Substâncias poluentes Atmosfera: outros fatores

Ventos: podem levar agentes poluentes e névoa salina, podendo atingir regiões distantes das fontes geradoras

Variações cíclicas de temperatura e umidade: pode ocorrer uma intensificação da corrosão pelos fatores climáticos, por exemplo em países frios ocorre o aumento de da emissão de SO 2 durante o inverno, causado pelo aumento da queima de carvão para alimentar os sistemas de

aquecimento

Raios Ultravioleta: Causa deterioração de tintas a base de resina epóxi e em polímeros reforçados por fibra de vidro

Meios Corrosivos

Corrosão atmosférica de ferro, zinco, alumínio e cobre

Há predominância destes metais em equipamentos e estruturas externas

Ferro: A corrosão de aço carbono por óxidos de enxofre e de nitrogênio é severa, pois o Fe 2 O 3 é um agente catalítico na conversão destes em ácidos sulfúrico e nítrico

Aços patináveis são aqueles que formam uma camada protetora na superfície em certas circunstâncias, inibindo o avanço da corrosão. Esta camada é um filme de óxido denso, que não

permite a passagem de água e oxigênio. Para a formação desta

camada é necessário períodos alternados de umidade e secagem, não sendo efetivo quando sempre úmido ou imerso em solução de eletrólito (água marinha).

de umidade e secagem, não sendo efetivo quando sempre úmido ou imerso em solução de eletrólito

Meios Corrosivos

Zinco:

24/04/2012

É usado muito usado no revestimento do aço galvanizado, comum em linhas de transmissão, chapas para recobrimento ou paredes de instalações industriais, tubos usados como eletrodutos, silos de armazenamento de cereais.

Em áreas não poluídas, ocorre a formação de

óxido de zinco ZnO, que passiva a superfície e protege da corrosão. Já em ambientes poluídos, ocorre a reação do ZnO com óxidos de enxofre, causando severa corrosão do zinco.

Meios Corrosivos

Alumínio:

Utilizado na forma de chapas corrugadas, para cobertura ou tapamento lateral de fábricas, estruturas tubulares e de componentes anodizados. Quando em contato com a atmosfera ou quando anodizado o alumínio forma uma camada protetora de Al 2 O 3 que inibe a corrosão atmosférica. Em ambientes com cloreto ocorre a formação de AlCl 3 que é solúvel. Em atmosfera contendo óxidos de enxofre, o Al apresenta maior resistência à corrosão que o Zn.

Em atmosfera marinha o fator mais influente é o depósito de

material particulado higroscópico, que favorece a corrosão por

aeração diferencial e formação de pites.

Quando aplicado na construção civil, deve-se evitar o contato com argamassa de cimento úmida, pois o caráter alcalino (pH ~13) é corrosivo, causando a remoção da camada passivadora.

Meios Corrosivos

Cobre:

24/04/2012

O cobre e suas ligas (latão: 70% Cu e 30% Zn, bronze: 8-10% Sn) são utilizados em componentes de instalações elétricas, monumentos/esculturas e em cobertira de construções antigas, como museus e teatros. Quando exposto à atmosfera, o cobre forma inicialmente óxido de cobre Cu 2 O, com coloração castanha, que tem característica protetora da superfície. Mas uma vez que permanece o contato com oxigênio, ocorre a formação de CuO, de cor preta, que com umidade e gás carbônico CO 2 forma carbonatos básicos de cobre, de cor esverdeada CuCO 3 .Cu(OH) 2 e 2CuCO 3 .Cu(OH) 2 .

Em atmosfera marinha, observa-se a coloração esverdeada causada

pelo cloreto básico de cobre. Em esculturas e monumentos há a formação de uma pátina aderente e protetora, cuja coloração esverdeada é devido aos sais básicos e sua composição depende da poluição local.

Meios Corrosivos

Observações gerais:

No início do processo corrosivo, a taxa de corrosão depende apenas da composição da atmosfera, independendo da composição do material

Uma vez formado o produto de corrosão, o material parra a corroer numa taxa que depende da composição do material e do produto de corrosão

As chuvas podem ter uma ação benéfica em atmosferas poluídas, pois lavam a superfície metálica exposta, impedindo a

concentração do agente atmosférico corrosivo sobre o material

Em atmosferas poluídas é conveniente o emprego de revestimentos protetores, como tintas de alto desempenho à base de resina epóxi, poliuretana, vinílica, acrílica

Meios Corrosivos

Águas naturais

24/04/2012

Os fatores que influenciam a corrosão de materiais metálicos em contato com água são:

Gases dissolvidos: oxigênio, nitrogênio, dióxido de carbono, cloro, amônia, dióxido de enxofre, trióxido de enxofre e gás sulfídrico

Sais dissolvidos: cloretos de sódio, magnésio, ferro, carbonato de sódio, bicarbonatos de cálcio, magnésio e ferro.

Matéria orgânica de origem animal ou vegetal

Bactérias, limos e algas

Sólidos suspensos

pH, temperatura e ação mecânica

Meios Corrosivos

Águas naturais

Sais dissolvidos: podem acelerar ou retardar o processo corrosivo. Os sais que influenciam o processo de corrosão são:cloretos, sulfatos, sais hidrolisáveis, sais oxidantes e bicarbonatos de cálcio, ferro e magnésio.

O NaCl é um eletrólito forte e acelera o processo de corrosão até uma concentração de 3% em massa. A solubilidade do oxigênio é reduzida com o aumento da concentração de NaCl, por isso a redução da corrosão.

a

solubilidade do oxigênio é reduzida com o aumento da concentração de NaCl, por isso a redução

Meios Corrosivos

Águas naturais sais dissolvidos:

24/04/2012

O Cl - destrói a camada de passivação de aços inox e de ligas de alumínio pois penetra na camada passivante de cromo ou de alumínio, ou dispersá-las na forma coloidal, na forma de pite.

Fosfatos PO 4 -3 , carbonatos CO 3 -2 e silicatos SiO 3 -2 aumentam o pH da solução, tornando-a alcalina. Este fator contribui para a passivação do ferro em presença de oxigênio, mas acelera a corrosão em metais como Al, Pb e Zn, pois formam sais solúveis.

A presença de sais dissolvidos pode acarretar problemas de

incrustrações e depósitos, uma vez que bicarbonato de cálcio, de magnésio e de ferro II podem se decompor por aquecimento,

formando CaCO 3 , Mg(OH) 2 e Fe 2 O 3 .nH 2

causando perda de eficiência térmica e/ou corrosão.

O que são insolúveis,

Meios Corrosivos

Águas sais dissolvidos

Sais de Mg e Ca, quando dissolvidos na água, caracterizam- na como água dura. Se o contra-íon for sulfatos ou cloretos, a dureza é dita permanente. Caso seja bicarbonato, a dureza é temporária ou carbonática. Ao ser aquecida, ocorre a decomposição dos bicarbonatos:

Ca(HCO 3 ) 2 -> CaCO 3 + H 2 O + CO 2 Mg(HCO 3 ) 2 ->Mg(OH) 2 + 2CO 2

O carbonato de cálcio e hidróxido de magnésio se

depositam nas paredes de tubos, evitando o contato do meio corrosivocom o material, reduzindo assim o desgaste. Porém deve-se levar em consideração a perda da eficiência térmica de trocadores de calor e a redução da seção transversal, que reduz o fluxo de material pelo tubo.

Meios Corrosivos

24/04/2012

A presença de sais contendo Fe 2+ , Cu 2+ e Hg 2+ pode acelerar o processo de corrosão. O íon cobre II pode agir como uma pilha galvânica:

Fe + Cu 2+ -> Fe 2+ + Cu

Sais de cromato CrO 4 -2 e de nitrito NO 2 - são utilizados na proteção de ferro em água de refrigeração, pois forma uma película protetora. Estes são exemplos de

protetores anódicos, uma vez que impedem a reação

no ânodo. Deve-se te ro cuidado de se proteger toda a superfície nestes casos, pois se houver alguma área desprotegida poderá ocorrer corrosão localizada, como a formação de pites.

Meios corrosivos

Gases dissolvidos

Os mais comuns são oxigênio, gás sulfídrico, dióxodo de enxofre, trióxido de enxofre, amônia, dióxido de carbono e cloro.

O oxigênio é considerado como um fator de controle do processo corrosivo, podendo acelerá-lo ou retardá-lo.

Para Al e aço inox é fundamental a presença de O 2 para a formação da camada de passivação, o que inibe a

corrosão.

A presença de H 2 S é devido à causa química ou biológica e confere à água um odor e sabor característico e acelera o processo de corrosão em ferro, aço e outros metais.

Meios Corrosivos

24/04/2012

SO 2 e SO 3 dissolvidos na água causam a redução do pH pela formação de ácido sulfúrico e sulfuroso, acelerando a corrosão

NH 3 pode causar corrosão em ligas de Cu e Zn, pois forma produtos solúveis, removendo a camada de passivação.

A presença de cloro, originada pelo tratamento de

água para evitar proliferação de microorganismos,

causa aumento no teor de Cl- e diminuição no pH, acelerando a corrosão.

CO 2 dissolvido em água forma ácido carbônico, que reduz o pH e consequentemente acelera a corrosão

Meios Corrosivos

Sólidos Suspensos

Material particulado de diferentes naturezas está presente na água. Pode ser poluentes atmosféricos, pós de óxido de alumínio, de cimento, óxido de Ca e também matéria orgânica. Essas partículas podem se depositar em tubos de

trocadores de calor, reduzindo a eficiência térmica

e também originar corrosão sob o depósito. Para se remover estes sólidos utiliza-se a floculação com sulfato de alumínio ou filtração por gravidade ou sob pressão.

Meios Corrosivos

Bases e ácidos

24/04/2012

Ocorre a variação do pH e podem influenciar no processo corrosivo

Al e suas ligas: resistentes ao ácido nítrico pela formação da camada de óxido passivadora, mas não resiste ao ácido clorídrico e à soluções de pH elevado, pois formam aluminatos solúveis

Pb e suas ligas: resistem ao ácido sulfúrico pela formação de

sulfato de chumbo insolúvel, mas não resiste à base forte.

Fe e suas ligas: a corrosão aumenta em pH < 4, diminuindo com a elevação do pH

Aços inox: podem resistir ao ácido nítrico, mas não ao HCl

Meios Corrosivos

Temperatura

Normalmente ocorre um aumento da corrosão com o aumento da temperatura, pois a velocidade de reação química é aumentada. A mudança de temperatura pode alterar a solubilidade dos produtos de corrosão.

Os gases sao menos solúveis coma elevação da temperatura

Meios Corrosivos

Solo:

24/04/2012

Os gasodutos, oleodutos, minerodutos e grandes tanques de armazenamento são todos enterrados

por isso a necessidade de protegê-los contra a corrosão, para se evitar vazamentos e contaminação do solo e de lençóis freáticos

e

A

maior influência na corrosão pelo solo é devido

a composição do mesmo, sendo pequenas

variações na composição do material irrelevantes.

Meios Corrosivos

A natureza do solo é influenciada pelas variáveis:

Tomada de amostra Variabilidade

Aeração, umidade, pH

Potencial Redox, Microorganismos

Condições climáticas

Heterogeneidade do solo

Características físico químicas

Presença de água, sais solúveis e gases

Acidez

pH

Resistividade elétrica

Potencial redox

Meios Corrosivos

24/04/2012

A natureza do solo é influenciada pelas variáveis:

Condições microbiológicas

Modificação na resistência de revestimentos

Origem de meios corrosivos

Condições operacionais

Condições climáticas

Emprego de fertilizantes

Despejos industriais

Profundidade

Aeração diferencial

Contato bimetálico

Corrente de fuga

Meios Corrosivos

Tomada de amostra variabilidade

O solo é considerado um dos meios corrosivos mais complexos para se determinar previamente sua ação agressiva para materiais metálicos

A heterogeneidade dificulta a amostragem de solos para análise físico-química. A retirada do solo causa alteração de suas propriedades, o que dificulta obtenção de parâmetros analíticos corretos

Meios corrosivos

Características Físico-químicas

24/04/2012

Presença de água

Presença de sais solúveis

Presença de gases

Acidez

pH

Resistividade elétrica

Potencial Redox

Estas características não são completamente independentes, havendo combinações das mesmas. A presença de água e sais influencia a resistividade elétrica da mesma.