Você está na página 1de 26

JOGOS E LUDICIDADE

Prof. MSc Luciano Lopes


"A esperança de uma criança, ao caminhar
para a escola é encontrar um amigo, um guia,
um animador, um líder - alguém muito
consciente e que se preocupe com ela e que a
faça pensar, tomar consciência de si de do
mundo e que seja capaz de dar-lhe as mãos
para construir com ela uma nova história e
uma sociedade melhor". (ALMEIDA, 1987,
p.195)
Introdução
 As pessoas aprendem de maneiras
diferentes

 As pessoas valorizam coisas diferentes

 O jogo não é um fim em si, mas um


meio
História
 Civilizações Antigas – Grécia e Egito

 Família que educava as crianças

 Platão
História
 Pedagogia Medieval (Séc. VIII)

 Ludus est necessarius ad


conversationem humanae vitae - O
brincar é necessário para a vida humana
(São Tomás de Aquino)

 Uso de enigmas e brincadeiras


História
"Um boi que está arando todo dia, quantas
pegadas deixa ao fazer o último sulco?"
"Um homem devia passar, de uma a outra
margem de um rio, um lobo, uma cabra e um
maço de couves. E não pôde encontrar outra
embarcação a não ser uma que só
comportava dois entes de cada vez, e ele
tinha recebido ordens de transportar ilesa
toda a carga. Diga, quem puder, como fez ele
a travessia?"
História
 Idade Média

 Ascensão do cristianismo

 Séc XVI – Pensamento


Pedagógico
 Uso do lúdico no ensino do
português
História
 Séc XVII e XVIII

 Rompimento com o modelo


pedagógico do HOMEM ADULTO

 Descobrimento da INFÂNCIA
Conceito de Jogo
 Uma atividade ou ocupação voluntária,
exercida num certo nível de tempo e
espaço, segundo regras livremente
consentidas e absolutamente obrigatórias,
dotado de um fim em si mesmo, atividade
acompanhada de um sentimento de tensão
e alegria e de uma consciência de ser que
é diferente daquela da vida cotidiana
Características dos Jogos
 Capacidade de absorver o participante
de maneira intensa e total
 Envolvimento emocional
 Espontaneidade e criatividade
 Limitação de tempo e espaço
 Possibilidade de repetição
 Existência de regras
Pilares da Ludicidade
 A imitação

 O espaço

 A fantasia

 Os valores

 As regras
Objetivos do Uso de Jogos
 Conhecer o grupo

 Estimular o desenvolvimento de
determinada área

 Promover aprendizagens específicas


(cognitivo)
Benefícios dos Jogos
 As atividades lúdicas possibilitam
fomentar a “resiliência”, pois permitem a
formação do autoconceito positivo;

 As atividades lúdicas possibilitam o


desenvolvimento integral da criança, já
que através destas atividades a criança se
desenvolve afetivamente, convive
socialmente e opera mentalmente.
Benefícios dos Jogos
 O brinquedo e o jogo são produtos de
cultura e seus usos permitem a inserção
da criança na sociedade;

 Brincar é uma necessidade básica


assim como é a nutrição, a saúde, a
habitação e a educação;
Benefícios dos Jogos
 A criança forma conceitos, relaciona
idéias, estabelece relações lógicas,
desenvolve a expressão oral e corporal

 Reforça habilidades sociais, reduz a


agressividade, integra-se na sociedade e
constrói seu próprio conhecimento.
Classificação de Jogos Piaget
 Jogos de Exercício Sensório-Motor
 atividade natural
 exercícios motores simples: agitar braços,
pular, correr, emitir sons
 repetição de gestos
Classificação de Jogos Piaget
 Jogos Simbólicos

 Reprodução das relações predominantes


em seu meio ambiente
 Revelação de conflitos e angústias

 Alívio de tensões e conflitos


Classificação de Jogos Piaget
 Jogos de Regras

 Existência de regras definidas pelo grupo

 Penalidade para o descumprimento

 Alta competitividade
Classificação de Jogos Freire
 Jogos Sociais

 Foco na desenvolvimento da socialização

 Despertar o interesse da criança em


aprender e criar algo diferente
Classificação de Jogos Vygotsky
 Primeira Fase

 Começa a se distanciar de seu


primeiro meio social, representado pela
mãe

 Adulto assume papel de condução do


processo
Classificação de Jogos Vygotsky
 Segunda Fase

 Caracterizada pela imitação

 Terceira Fase

 Marcada pelas convenções que


surgem de regras
O Lúdico e as Faixas Etárias
 2 a 3 anos
 Necessidade de manipular materiais
variados
 Precisam estimular a criatividade
 Necessitam conviver com outras
crianças
 Gostam de brincar sozinhas
 Interesse em descobrir o corpo
O Lúdico e as Faixas Etárias
 4 a 6 anos
 Gostam de ser elogiadas
 Adoram novidades
 Ficam pouco tempo em uma atividade

 Adoram mostrar o que sabem fazer


 Descobrindo o prazer de brincar com
outras crianças
O Lúdico e as Faixas Etárias
 7 a 9 anos
 Dominam a execução dos movimentos
 Precisam de incentivo para o convívio
social
 Importância de ações que
proporcionem reflexões e descobertas
 Adoram mostrar o que sabem fazer
O Lúdico e as Faixas Etárias
 10 a 12 anos
 Interesse em atividades ao ar livre
 Necessidade de autonomia e
oportunidades de aceitação no grupo
 Valorização das diferenças de gênero

 Personalização das atividades


O Lúdico e as Faixas Etárias
 13 anos acima
 Interesse por assuntos culturais com
busca por suas idéias próprias
 Ênfase em atividades esportivas

 Acentuação das diferenças de gênero