Você está na página 1de 47

1.

CAPÍTULO 01

INTRODUÇÃO À
ADMINISTRAÇÃO
FINANCEIRA

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.2

OBJETIVOS

Espera-se que, ao terminar o estudo do capítulo,


você tenha adquirido boa noção sobre:

1 Os tipos básicos de decisões em administração


financeira e o papel do administrador financeiro.
2 Os objetivos do administrador financeiro.
3 As implicações financeiras das diferentes
modalidades de organização de empresas.
4 Os conflitos de interesse que podem surgir entre
administradores e proprietários de empresas.

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.3

Conceituação de Finanças

Finanças é a arte e a ciência de administrar fundos


(dinheiro).
Isto é, aplicar às tomadas de decisões em
negócios:
princípios econômicos,

princípios contábeis e

conceitos do valor do dinheiro no tempo.

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.4

Conceituação de Finanças (cont.)

A palavra “arte” implica que existem algumas


oportunidades para ser criativo na administração
de dinheiro. E a palavra “ciência” implica que
existem alguns fatos comprovados subjacentes às
decisões financeiras.

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.5

Áreas Básicas de Finanças


•Finanças Empresariais (Corporate Finance)
•Investimentos

•Instituições Financeiras

•Finanças Internacionais

Neste curso focalizaremos a nossa atenção principalmente às


Finanças Empresariais

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.6

Áreas Relacionadas
As Finanças estão estreitamente relacionadas
com
 Marketing
 Contabilidade
 Administração
 Você

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.7

Investimentos
• Trabalha com ativos financeiros tais como ações
e obrigações (bônus)
• Valor dos ativos financeiros, risco versus retorno
e alocação de ativos.
• Oportunidades de trabalho
• Corretor de títulos públicos ou consultor financeiro
• Administrador de Carteiras
• Analista de títulos

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.8

Finanças e Contabilidade
Para os Contadores, as Finanças é uma leitura obrigatória. Em
pequenas empresas em especial, os contadores geralmente são
solicitados tanto a tomar decisões financeiras como cumprir as
obrigações tradicionais da contabilidade. Cada vez mais, como a
complexidade do mundo financeiro continua a crescer, os contadores
precisam conhecer Finanças, para entender as implicações de muitos
dos novos tipos de contratos financeiros, e seu impacto sobre as
demonstrações financeiras. Além disso, a contabilidade de custos e as
finanças empresariais estão intimamente relacionadas, dividindo muito
dos mesmos assuntos e preocupações.
Os analistas financeiros fazem uso intensivo das informações
contábeis: são os seus usuários mais importantes. Conhecer Finanças
ajuda os contadores a reconhecerem os tipos de informações mais
valiosas e, mais genericamente, como as informações contábeis serão
realmente usadas (e manipuladas) na prática.
IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados
1.9

Finanças Empresariais
Algumas questões importantes que são
respondidas usando finanças
 Quais investimentos de longo-prazo a empresa
deveria fazer? Decisão de Investimento
 Onde obteremos financiamentos de longo-prazo para

pagar pelos investimentos? Decisão de


Financiamento
 Como administraremos as atividades financeiras

diárias da empresa?Administração de Capital de Giro

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.10
O Papel do Administrador Financeiro

(2) (1)

Operações Administradores Mercados


(4a)
da Empresa Financeiros Financeiros

(3) (4b)

(1) Dinheiro captados dos investidores


(2) Dinheiro investido na empresa
(3) Dinheiro gerado pelas operações
(4a) Dinheiro reinvestido
(4b) Dinheiro retornado aos investidores
IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados
1.11

O Administrador Financeiro
A função do administrador financeiro
freqüentemente está associada a um alto executivo
da empresa, geralmente denominado diretor
financeiro ou vice-presidente de finanças (em
inglês, Chief Financial Officer = CFO).

O organograma simplificado a seguir destaca a


atividade financeira em uma grande empresa.

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


O rg a n o g ra m a d e u m a C o rp o ra ç ã o 1.12

A c io n is t a s A c io n is t a s A c io n is t a s

C o n s e lh o d e
A d m in is t r a ç ã o

P r e s id e n te

V ic e - P r e s id e n te d e P r o d u ç ã o V ic e - P r e s id e n t e F in a n c e ir o V ic e - P r e s id e n te d e M a r k e t in g

T e s o u r e ir o C o n tr o lle r

G e re n te d e G e re n t e d e G e re n t e d e C a ix a G e re n t e d e G e re n te d o G e re n t e d e G e re n te d e G e re n t e d e T r ib u t o s G e re n te d e G e re n t e d e
I n v e s t im e n t o d e C a p it a l P la n e ja m e n t o d e F in a n ç a s e C r é d it o F undo de P ensão C â m b io I n f o r m á t ic a C o n t a b ilid a d e C o n t a b ilid a d e
IMESC/FAFICA
O b te nç ã o de F u n d os ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados F in a n c e ira d e C us to s
1.13

O Administrador Financeiro (cont...)


Conforme ilustrado, o diretor financeiro coordena as atividades de
tesouraria e controladoria. A controladoria lida com contabilidade
de custos e financeira, pagamentos de impostos e sistemas de
informações gerenciais. A tesouraria é responsável pela administração
do caixa e dos créditos da empresa, pelo planejamento financeiro e
pelas despesas de capital. Essas atividades de tesouraria estão todas
relacionadas às questões levantadas acima, e o capítulo a seguir lida
principalmente com esses assuntos. Nosso estudo enfatiza
principalmente as atividades em geral associadas com a tesouraria. Em
pequenas empresas, a tesouraria e a controladoria podem ser
desempenhadas pela mesma pessoa, e haverá apenas um
departamento.

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.14

O Administrador Financeiro (cont...)


Executivo Financeiro
Principal
Chief Financial Officer

Tesoureiro Controlador

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.15

O Administrador Financeiro (cont…)


 Os administradores financeiros tentam responder algumas
ou todas aquelas questões
 O administrador financeiro chefe dentro da empresa

geralmente é o Chief Financial Officer (CFO)


 Tesoureiro – fiscaliza a administração do caixa, administração de
créditos, despesas de capitais e planejamento financeiro
 Controller – fiscalização de impostos, contabilidade de custos,

contabilidade financeira e processamento de dados

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.16

Salário dos CEO


Remuneração dos CEO em 2001 ($ milhões)

Ganho de
Ganho Opções de
Nome do CEO Companhia Total Ações
Philip Condit Boeing 2,90 0,00
Sanford Weill Citigroup 34,60 15,90
Gordon Bethune Continental Airlines 4,70 0,00
Michael Dell Dell Computer 201,30 198,70
Michael Eisner Walt Disney 1,00 0,00
Lee Raymond Exxon Mobil 32,70 24,30
Ray Irani Occidental Petroleum 10,90 1,70
Robert Ulrich Target 6,60 2,20
David Bernaner Walgreen 2,20 0,79
Donald Graham Washington Post 1,10 0,00
Steven Rogel Weyerhauser 2,10 0,00

fonte: www.forbes.com/ceos

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.17
As Áreas da Administração de
Finanças Empresariais
ORÇAMENTO DE CAPITAL ou ANÁLISE
DE INVESTIMENTOS

ESTRUTURA DE CAPITAL

ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.18
Orçamento de Capital ou Análise de
Investimentos
Diz respeito aos investimentos a longo-prazo da empresa, mais
especificamente, ao planejamento e gerência destes investimentos a
longo-prazo.
Nesta função, o administrador financeiro procura identificar
oportunidades de investimentos que possuem valor superior a seu
custo de aquisição. Em termos gerais, isso significa que o valor dos
fluxos de caixa gerados pelo ativo excede o custo de tal ativo.
Independentemente do investimento em consideração, o administrador
financeiro precisa preocupar-se com o montante de fluxo de caixa que
espera receber, quando irá recebe-lo e qual a probabilidade de recebe-
lo. A avaliação da magnitude, da distribuição no tempo e do risco dos
fluxos de caixa futuros é a essência do orçamento de capital.

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.19

Estrutura de Capital
Refere-se à combinação específica entre capital de terceiros a
longo-prazo e capital próprio que a empresa utiliza para financiar suas
operações. O administrador financeiro possui duas preocupações nessa
área. Primeiro, qual o montante que a empresa deve tomar
emprestado?. Segundo, qual a fonte mais barata de fundos para a
empresa?.
Adicionalmente à combinação de recursos, o administrador
financeiro deve decidir exatamente sobre como e onde levantará os
recursos. Cabe a ele então a tarefa de escolher as fontes e os tipos de
empréstimos.

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.20

Administração de Capital de Giro


Refere-se à administração dos ativos de curto-prazo da empresa, tais
como estoques, e aos passivos de curto-prazo, tais como pagamentos
devidos a fornecedores. É uma atividade cotidiana que assegura que
os recursos sejam suficientes para continuar a operação.
As questões seguintes devem ser respondidas sobre o capital de giro:
1. Quais devem ser os volumes disponíveis de caixa e estoque?
2. Devemos vender a crédito para os nossos clientes?
3. Como obteremos os recursos financeiros a curto-prazo que
venham ser necessários?

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.21
Modalidades de Organização de
Empresas
As três formas principais são:
 Firma Individual (Sole proprietorship)
 Sociedades por cotas (Partnerships)
 Gerais
 Limitadas

 Sociedades por ações (Corporations )


 S-Corp
 Companhia de responsabilidade limitada

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.22

Firma Individual
 Vantagens  Desvantagens
 Mais fácil de ser constituída  Limitada à vida do
 Regulamentação Mínima proprietário
 Um único dono fica com  Patrimônio líquido limitado

todo o lucro à riqueza pessoal do


 Tributada uma vez como proprietário
 Responsabilidade Ilimitada
rendimento pessoal
 Dificuldade de vender os

direitos de propriedade

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.23

Sociedade por cotas (Partnerships)


 Vantagens  Desvantagnes
 Dois ou mais proprietários  Responsabilidade ilimitada
 Mais capital disponível  Sociedade Geral
 Relativamente fácil de se  Sociedade Limitada
abrir  As sociedades dissolvem-se
 Rendimentos tributados quando um dos sócios
uma vez como rendimentos morrem ou quer vender
pessoais  Dificuldade de se transferir

a propriedade

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.24

Sociedades por ações (Corporations)


 Vantagens  Desvantagens
 Responsabilidade limitada  Separação dos proprietários
 Vida ilimitada e administradores
 Separação dos proprietários  Dupla tributação

e administradores (rendimentos tributados à


 A transferência de taxa das corporações e os
dividendos tributados à
propriedade é fácil
taxas pessoais)
 Maior facilidade de

levantamento de capital

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.25
Modalidades de Organização de
Empresas - Resumo
Firma Sociedade Corporação
Individual
Quem é o dono da O gestor Sócios Acionistas
empresa?

Os gestores e os Não Não Geralmente


proprietários são pessoas
distintas?

Qual é a Ilimitada Ilimitada Limitada


responsabilidade do (exceções)
proprietário?

O proprietário e a Não Não Sim


empresa são tributados
separadamente?

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.26
Modalidades de Organização de
Empresas - Esquema
Firma Individual Responsabilidade Ilimitada
Imposto sobre os Rendimentos
Sociedades Pessoais

Responsabilidade Limitada
Corporações Impostos sobre os lucros da
corporação +
Impostos sobre os dividendos
pessoais

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.27
Objetivos da Administração
Financeira
Qual deveria ser a meta de uma coprporação?
 Maximizar o lucro?
 Minimizar os custos?

 Maximizar a participação no mercado?

 Maximizar o valor atual das ações da empresa?

Istosignifica que deveríamos fazer qualquer


coisa e de tudo para MAXIMIZAR A RIQUEZA
do proprietário?

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.28
Objetivos da Administração
Financeira
Carreira Salário Anual (em US$)
Banco
Presidente, banco de porte médio 225.000
Vice-Presidente, câmbio 150.000
Controller 160.000
Finanças Corporativas
Assistente de Tesoureiro 110.000
Controller Corporativo 165.000
Executivo Financeiro Principal (CFO) 250.000
Banco de Investimento
Corretores Institucionais 200.000
Vice-Presidente, vendas institucionais 190.000 + bônus
Diretor Administrativo 400.000 +
Chefe de Departamento 750.000 +
Administração Monetária
Gerente de Carteira 136.000
Chefe de Departamento 200.000
Seguros
Executivo de investimento principal 191.000 + bônus
Executivo financeiro principal 168.000 + bônus

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.29
A Quem os Administradores
Financeiros Devem Servir?
Os administradores financeiros servem melhor aos donos
da empresa, identificando produtos e serviços que
agreguem valor à empresa, porque eles são desejados e
valorizados no mercado. Mas numa grande sociedade por
ações (corporações) a propriedade pode estar repartida por
um grande número de acionistas. Esta dispersão da
propriedade significa na prática, que os administradores
financeiros, na maioria das vezes, controlarão a empresa.
Nesse caso, será que eles (administradores financeiros)
agirão de acordo com o melhor interesse dos acionistas ou
atenderão os seus próprios objetivos?

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.30

O Problema de Agency
Relação de representação (Agency)
O principal contrata um agente para representar seu
interesse
 Acionistas (principais) contratam administradores

(agentes) para tocar a empresa


Problema de representação (agency)
 Conflito de interesses entre o principal e o agente
Metas administrativas e custos de agency

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.31
Fatores que determinam a atuação
dos Administradores Financeiros
A atuação efetiva dos administradores de acordo
com o interesse dos acionistas depende de dois
fatores. Primeiro: até que ponto os objetivos dos
administradores estão alinhados com os objetivos
dos acionistas? Essa questão está relacionada à
maneira pela qual os administradores são
remunerados. Segundo: os administradores podem
ser substituídos se não atendem aos objetivos dos
acionistas? Essa questão refere-se ao controle da
empresa.
IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados
1.32

Takeover

Outra maneira pela qual a administração pode ser


substituída é por meio de um takeover. As
companhias mal geridas são alvos mais atrativos
para aquisições do que aquelas bem gerenciadas,
pois existe um potencial de aumento da
lucratividade.

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.33

Grupos de Interesse (stakeholders )


Será que somente os administradores e acionistas
são as únicas partes que têm interesse nas decisões
da empresa? Não, os empregados, os clientes, os
fornecedores e até o governo possuem interesse
financeiro na empresa. Esses vários grupos, em
conjunto, são denominados grupos de interesses
(ou stakeholders) associados à empresa. Portanto,
é alguém que tem direito potencial sobre os fluxos
de caixa da empresa e que não é nem acionista e
nem credor.
IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados
1.34

Metas da Corporação
Soluções para os Problemas de Representação
(“Agency Problem”)
1 – Planos de Compensação
2 – Quadro de Diretores
3 – Transferência de Administração (Takeovers)
4 – Monitoramento por especialistas
5 - Auditores

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.35

O Mercado Financeiro
Vimos que as principais vantagens da sociedade por ações
(corporations) como modalidade de organização de empresa, são:

 A transferência de propriedade, que pode ser feita de


maneira mais rápida e mais simples do que nas outras modalidades,
e
 O capital, que pode ser levantado de maneira mais rápida.

Essas duas vantagens são significativamente acentuadas pela


existência de MERCADOS FINANCEIROS que desempenham
papel de extrema importância nas finanças das sociedades por ações
(corporações).
IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados
1.36

Mercados Financeiros

Emissão de Dívidas

Empresa Investidores
Dinheiro

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.37

Mercados Financeiros
Companhia

Bancos Obrigações Fundos


Companhia de Seguros
Intermediários
Empresas de Corretagens
Obrigações Fundos
Depositantes
Investidor
Segurados
Investidores
IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados
1.38

Mercados Financeiros
Companhia

Empréstimo $2,5 mil

Bancos Intermediário

Depósitos Dinheiro

Investidor
Depositantes

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.39

Mercados Financeiros
Companhia

Empréstimo $250 mil


Companhia de
Seguro Intermediário

Políticas de venda
Dinheiro
Emissão de Ações

Investidor
Segurados

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.40

O Mercado Financeiro (cont...)


Os mercados financeiros funcionam tanto como
mercados primários quanto como mercados
secundários para títulos de dívidas e ações.

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.41

Mercados Financeiros
Dinheiro

Mercados Mercados
Primários OTC ou de
balcão
Mercados
Secundários
IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados
1.42

Mercado Primário
O mercado primário refere-se à venda original
dos títulos por governos e empresas

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.43

Mercado Secundário
O mercado secundário é aquele onde os títulos
são comprados e vendidos após a venda original.
Existem dois tipos de mercado secundário: bolsas
organizadas e mercados de balcão (mercado OTC
= Over-The-Counter).

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.44

O Mercado de Balcão
O mercado de distribuidores de ações e dívidas a longo
prazo é denominado mercado de balcão. A maior parte dos
negócios de títulos de dívida acontece no mercado de
balcão. A expressão mercado de balcão refere-se aos
tempos antigos, quando os títulos eram literalmente
comprados e vendidos em balcões de escritórios por todo o
país. Hoje, uma parcela significativa do mercado de ações
e quase todo o mercado de dívidas a longo prazo não têm
localização central; os diversos distribuidores estão
ligados eletronicamente.

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.45

As Bolsas de Valores
As bolsas de valores diferem dos mercados de balcão de duas maneiras. Em
primeiro lugar, a bolsa de valores possui uma localização física (como, por
exemplo Wall Street). Em segundo lugar, no mercado de balcão, a maior parte
da compra e venda é realizada por distribuidores. O primeiro objetivo de uma
bolsa de valores, por outro lado, é juntar os que desejam vender àqueles que
desejam comprar. Os distribuidores desempenham papel limitado.
A maior bolsa de valores do mundo é a Bolsa de Valores de Nova Iorque
(NYSE = New York Securities Exchange). No Brasil, a maior é a BOVESPA
(Bolsa de Valores de São Paulo).
Além das bolsas de valores, existe um grande mercado de balcão para
negociação de ações. A NASDAQ (National Association of Securities Dealers
Automated Quotations) tem um número de empresas três vezes maior do
aquele registrado na NYSE, mas o valor total das ações do NASDAQ
corresponde a apenas 20% do valor total das ações da NYSE.

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.46

Resumo e Conclusões
Este capítulo apresentou a você algumas das idéias básicas em negócios financeiros. Nele,
vemos que:
1. Os negócios financeiros têm três áreas principais de concentração:

a. Orçamento de Capital. Quais investimentos de longo prazo a empresa deveria fazer?


b. Estrutura de Capital. Onde a empresa obteria financiamentos de longo prazo para saldar seus
investimentos? Em outras palavras, que mistura de débitos e patrimônio líquido deveríamos usar
para financiar as nossas operações?
c. Administração de Capital de Giro. Como a empresa deveria administrar suas atividades
financeiras diárias?

2. A meta da administração financeira num negócio com fins lucrativos é tomar decisões
que aumentem o valor das ações, ou, mais genericamente, aumente o valor de mercado do
patrimônio líquido.
3. A forma de organização em corporação é superior às outras formas quando ela volta-se
para acumular dinheiro e transferir interesses dos proprietários, mas ela tem a desvantagem
significativa da dupla tributação.
4. Existe a possibilidade de conflitos entre acionistas e administradores numa grande
corporação. Chamamos estes conflitos de problemas de representação (agency) e discutimos
como eles poderiam ser controlados e reduzidos.
Dos tópicos discutidos até aqui, o mais importante é a meta do administrador financeiro. Por
todo o texto, analisaremos muitas decisões financeiras diferentes, mas sempre
perguntaremos a mesma coisa: Como as decisões sob consideração afetam o valor do
patrimônio líquido da empresa?

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados


1.47

IMESC/FAFICA ©2004 Luiz A. Bertolo. Todos os Direitos Reservados