Você está na página 1de 22

MODELO DE AUTO - AVALIAÇÃO

WORKSHOP
WORKSHOP

Maria Idalina Veloso Ribeiro


Objectivos deste workshop:
WORKSHOP

-Conhecer o Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares


proposto pele RBE.


-Tomar consciência da importância da integração da BE nos conteúdo


programáticos e educativos da escola.


-Consciencializar para a utilidade da BE nas aprendizagens e no sucesso


educativo;


- Reflectir sobre os impactos da aplicação

deste modelo;

AVALIAR
WORKSHOP

 O quê?


Biblioteca escolar no
contexto da escola
As aprendizagens, o desenvolvimento
curricular e o sucesso educativo.
1-Conceito de biblioteca escolar segundo a construção do Modelo


- Novos contextos e conceitos de aprendizagem;


- Novas estratégias de abordagem à realidade e ao conhecimento;


- Introdução das TIC, desenvolvimento de redes, surgimento de

novos ambientes de disponibilização da informação, de trabalho e de

construção do conhecimento que obrigam ao desenvolvimento de novas

literacias.


- Necessidade de gerir a mudança procurando evidências

2-Conceitos implicados na melhoria da prestação de serviços e da



WORKSHOP

qualidade da biblioteca escolar.


AVALIAR
WORKSHOP

Como?


Numa perspectiva
formativa…
WORKSHOP
Procedimentos e práticas organizativas e
pedagógicas na avaliação das BEs
 “O quadro referencial apresentado e que constitui o Modelo pretende ser, em si mesmo,

um instrumento pedagógico, permitindo orientar as escolas, através da definição de

factores críticos de sucesso para áreas nucleares ao funcionamento e sucesso da BE e

sugerindo possíveis acções para melhoria. [...] Os exemplos de acções para a melhoria

e os próprios factores críticos de sucesso apontam pistas importantes, mas em cada

caso a auto-avaliação, através da recolha de evidências, ajudará cada BE a identificar

o caminho que deve seguir com vista à melhoria do seu desempenho. A auto-avaliação

deverá contribuir para a elaboração do novo plano de desenvolvimento, ao possibilitar

a identificação mais clara dos pontos fracos e fortes, o que orientará o

estabelecimento de objectivos e prioridades, de acordo com uma perspectiva realista

face à BE e ao contexto em que se insere.”



 
 Modelo de Auto-Avaliação (2008) Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares pp. 3-10.
UTILIZAÇÃO DE INSTRUMENTOS
- Instrumentos que:

Proporcionem elementos que(periodicamente analisados)

identifiquem necessidades, áreas de interesse, de modo a planear

no sentido da resolução do problema, com vista a melhorá-lo.



Instrumentos devem:

- Permitir identificar Pontos – fracos/pontos – fortes;

- Determinar a área de intervenção.
 WORKSHOP

Para se:

- Definir objectivos e prioridades;


- Organizar mudanças na prática;


Elaborar:

Recolha de Evidências
WORKSHOP

-
-
- A utilização de instrumentos diversificados, de forma
sistemática, permite verificar e cruzar dados e
informações, para a qual procuramos melhoria.


1- Melhoria da qualidade


2- Perspectivas de inovação
Instrumentos de Recolha de
Evidências WORKSHOP

DOCUMENTOS COMO:


- Regulamento Interno, Projecto Educativo Escola; Plano Anual Actividades, etc.

- Actas de reuniões

- Relatórios de actividades/avaliação

- Planificações/

- Materiais de promoção produzidos pela BE ou em

colaboração com os departamentos

- Estatísticas da BE

- Registos diversos da BE

- Registos de Observação, questionários, entrevistas , trabalho de alunos sobre a BE

MODELO DE AUTO AVALIAÇÃO
Práticas de Pesquisa Acção

 WORKSHOP


1- Identificar um problema;


2- Recolher evidências;


3- Avaliar, interpretar as evidências recolhidas;


4- Procurar extrair conhecimento que oriente futuras acções e que planeie
caminhos. Centrar a pesquisa, mais uma vez, no impacto e não nos inputs
(recursos).

O IMPACTO QUALITATIVO NA BE


-Aferir as modificações positivas que o seu funcionamento tem nas atitudes, valores e

conhecimento dos utilizadores.



-Aferir o sucesso do serviço, junto dos utilizadores. A eficácia dos serviços – os

resultados que os serviços produziram, o valor que eles acrescentam nas atitudes e nas

competências dos utilizadores.



-O impacto das bibliotecas na aprendizagem e no sucesso educativo dos alunos.


WORKSHOP


-Identifica os domínios que são considerados críticos a uma biblioteca escolar

efectiva e de qualidade.

 

Organização do Modelo de Auto Avaliação
das BE

Organiza-se em quatro domínios e num conjunto de indicadores sobre os quais assenta o

trabalho da biblioteca escolar.



Domínios:

A- Apoio ao desenvolvimento Curricular - Articulação com os

Departamentos

B- Leitura e Literacias - Integrado no desenvolvimento curricular

C- Projectos parcerias e actividades livres e de abertura à comunidade

D- Gestão da BE

Os indicadores, indicam as zonas essenciais de intervenção, e permitem a

aplicação de elementos de medida, possibilitando uma análise sobre a qualidade WORKSHOP

da BE.


WORKSHOP

Etapas do Modelo

Depois de seleccionado um domínio, mediante o contexto da BE,

será objecto de aplicação dos instrumentos. O ciclo completa-se ao fim de

quatro anos e deve fornecer uma visão holística e global da BE.



Etapas de cada ciclo:

- Identificação de um problema ou de um desafio;

- Recolha de evidências;

- Interpretação da informação recolhida;

- Realização das mudanças necessárias;

- Recolha de novas evidências acerca do impacto dessas mudanças.

Áreas Chave para a sua construção:


WORKSHOP


1 – Integração na escola e no processo de ensino/ aprendizagem


2 – Acesso. Qualidade da Colecção.


3 – Gestão da BE

ENVOLVIMENTO

O modelo indica o caminho, a metodologia, a operacionalização. Pressupõe

a motivação individual dos seus membros e a liderança forte do professor

coordenador, que tem de mobilizar a escola para a necessidade e

implementação do processo avaliativo.

Uma metodologia, que requer:



-Elaborar diagnósticos/ avaliar o impacto e o valor da BE na escola que

serve;

-Definição precisa de conceitos e processos.

-Comunicação com o órgão directivo, demonstrando o valor da WORKSHOP

implementação do processo de avaliação.



-Apresentação do processo no Conselho Pedagógico.

-Aproximação/ diálogo com departamentos e professores.
Para a optimização do processo

- Identificação dos pontos críticos.

- Capacidade de determinar o conjunto de relações e de intercepções que se
estabelecem entre cada um dos domínios.

-Análise do impacto e da percepção de situações isoladas ou inter-
relacionadas e cumulativas.

Papel do Professor Bibliotecário:


- Pensar estrategicamente;

- Gerir de acordo com as prioridades da escola e para o sucesso educativo;


 WORKSHOP

- Promover uma cultura de avaliação;


- Comunicar permanentemente. Articular prioridades.



AVALIAR
PARA QUÊ?

WORKSHOP


Definir as áreas de intervenção…
WORKSHOP

ACÇÕES DE MELHORIA…
Avaliação é um processo de melhoria que serve de suporte/base

ao planeamento e:

-Se estabeleçam e coordenem políticas, isto é, linhas
orientadoras dos planos de acção, de modo a que estejam
concertadas com a estratégia da escola;

-Se definem estratégias, no sentido de ser escolhida a
direcção mais viável e enriquecedora;

-Se identifiquem oportunidades e constrangimentos e
definam fins e objectivos, operacionalizando-os em planos que
realizam as estratégias;

DIVULGAÇÃO

- Os resultados devem ser partilhados com o director, ser

divulgados e discutidos nos órgãos de gestão pedagógica.



-A avaliação da BE deve, ser participada a nível da escola e ser

conhecida e divulgada.

-A informação resultante do processo de auto-avaliação das

bibliotecas escolares terá, um valor estratégico para a escola, com a qual a

biblioteca escolar tem intersecções e links directos, mas é também

indispensável à tomada de decisões do Programa que gere a instalação e o

desenvolvimento da rede de bibliotecas escolares WORKSHOP


– Programa RBE.

Bibliografia:

Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares (2008).


Texto da Sessão 2, disponibilizado na Plataforma;


Todd, Ross (2008) “The Evidencebased Manifesto for School Libraries”

Journal. 4/1/2008.
“The Evidence-Based Manifesto for School Librarians”


Eisenberg, Michael & Miller, Danielle (2002) “
This Man Wants to Change Your Job”, School Library Journal.
9/1/2002 <
http://www.schoollibraryjournal.com/article/CA240047.html>
[13/10/2009].


Todd, Ross (2002)“School librarian as teachers: learning outcomes and
evidence-based practice”. 68th IFLA Council and General Conference
August. <http://www.ifla.org/IV/ifla68/papers/084-119e.pdf>
[13/10/2009].
WORKSHOP

Tarefa:
- Vamos dividir o grande grupo em dois grupos. Cada grupo terá o

desafio de “construir” o que considera ser uma melhor

Biblioteca, com base na seguinte área chave, “Integração na

escola e no processo de ensino/ aprendizagem”, podem

recheá-la de forma a torná-la um local de bem-estar,

identificando pontos fortes e pontos fracos.

- Para tal, é construída uma pequena maqueta da Biblioteca

materializando as relações que lá se vivem, a qual irá

reflectir a Biblioteca que cada grupo gostaria de ter.



Apresentação e debate:

- No final da tarefa, cada grupo apresentará o seu trabalho, será feita
uma análise dos produtos “construídos” e discutidos os resultados obtidos.


 WORKSHOP


BOM TRABALHO