Você está na página 1de 40

CIAM

Os Congressos Internacionais da Arquitetura Moderna constituíram uma organização


e uma série de eventos organizados pelos principais nomes da arquitetura moderna
internacional a fim de discutir os rumos a seguir nos vários domínios da arquitetura
(Paisagismo, Urbanismo, Exteriores, Interiores, Equipamentos, Utensílios, entre
outros).

Fundados em 1928 na Suíça, os CIAM foram responsáveis pela definição daquilo que
costuma ser chamado INTERNATIONAL STYLE: introduziram e ajudaram a difundir
uma arquitetura considerada sintética, funcional e racional. Os CIAM viam a
arquitetura e urbanismo como um potencial instrumento político e econômico, o
qual deveria ser usado pelo poder público como forma de promover o progresso
social.

Talvez o produto mais influente dos CIAM tenha sido a Carta de Atenas, escrita por
Le Corbusier baseada nas discussões ocorridas na quarta conferência da
organização, em 1933. A Carta praticamente definiu o que é o urbanismo moderno.
• 1928, CIAM I (La Sarraz, Suíça). Fundação dos CIAM;
• 1929, CIAM II (Frankfurt am Main, Alemanha). Unidade mínima de habitação;
• 1930, CIAM III (Bruxelas, Bélgica). Desenvolvimento racional do lote;
• 1933, CIAM IV (Atenas, Grécia). Publicação da Carta de Atenas: A Cidade
funcional;
• 1937, CIAM V (Paris, França). Moradia e recreação;

• 1947, CIAM VI (Bridgwater, Inglaterra). Nossas cidades podem sobreviver? Nova


Monumentalidade;
• 1949, CIAM VII (Bérgamo, Itália). Sobre a cultura arquitetônica;
• 1951, CIAM VIII (Hoddesdon, Inglaterra). O Coração da cidade;
• 1953, CIAM IX (Aix-en-Provence, França). A Carta da habitação;
• 1956, CIAM X (Dubrovnik, Iugoslávia). Surgimento do Team X.
ALEMANHA
HABITAÇÃO SOCIAL

HUFEISEN SIEDLUNG, 1925


BRUNO TAUT
ALEMANHA
HABITAÇÃO SOCIAL

CONJUNTO EM FRANKFURT, 1925


ERNST MAY
ALEMANHA
HABITAÇÃO SOCIAL

COZINHAS FRANKFURT, 1925


ERNST MAY E GRETE SCHÜTTE-LIHOTZKY
ALEMANHA
HABITAÇÃO SOCIAL

BRUCHFELDSTRASSE SIEDLUNG, 1927


ERNST MAY
ALEMANHA
EXISTENZMINIMUM
ALEMANHA
ESTILO INTERNACIONAL NO LIVRO DE HITCHCOCK

TUGENDHAT HOUSE, 1930


MIES VAN DER ROHE
ALEMANHA
ESTILO INTERNACIONAL NO LIVRO DE HITCHCOCK

GROPIUS HOUSE
WALTER GROPIUS
A CIDADE FUNCIONAL
EUA
SUBÚRBIOS X ARRANHA-CÉUS

ANOS 1950
EUA
SUBÚRBIOS X ARRANHA-CÉUS

SEDE DA ONU, 1949


LE CORBUSIER E EQUIPE
EUA
SUBÚRBIOS X ARRANHA-CÉUS

LEVER HOUSE, 1951


SOM
EUA
SUBÚRBIOS X ARRANHA-CÉUS

SEAGRAM BUILDING, 1956


MIES VAN DER ROHE, PHILIP JOHNSON
“Em 1947, no CIAM VI, realizado em Bridgwater, Inglaterra, seus membros tentaram
transcender a esterilidade abstrata da 'cidade funcional', afirmando que 'o objetivo
dos CIAM consiste em trabalhar para a criação de um ambiente físico capaz de
satisfazer as necessidades emocionais e materiais do homem'. Esse tema foi
posteriormente desenvolvido sob os auspícios do grupo inglês MARS, que preparou
o tópico O núcleo para o CIAM VIII, realizado em 1951 em Hoddesdon, na Inglaterra.
Ao optar pelo tema O coração da cidade, o MARS fez com que o congresso se
voltasse para um tópico que já havia sido abordado por Siegfried Giedion, José Luis
Sert e Fernand Léger em seu manifesto de 1943, quando escreveram: 'as pessoas
querem que os edifícios que representam sua vida social e comunitária possam dar-
lhes uma satisfação funcional maior. Querem satisfazer sua aspiração à
monumentalidade, à alegria, ao orgulho e à comoção.
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA, 1937
LUCIO COSTA E EQUIPE

NOVA MONUMENTALIDADE
O EXEMPLO DO BRASIL
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA, 1937
LUCIO COSTA E EQUIPE

NOVA MONUMENTALIDADE
O EXEMPLO DO BRASIL
BOLONHA, ITÁLIA
Com a revisão do movimento moderno empreendida a partir dos anos 60, os CIAM e
todo o seu ideário passaram a ser duramente criticados, seja pela dita "monotonia"
das paisagens urbanas por ele criadas, seja pelo fato de a Carta alegadamente
exagerar na quantificação das necessidades dos indivíduos. Experiências diversas ao
redor do mundo que adotaram os ideais modernos em geral tenderam a criar
"espaços-de-ninguém", nos quais a definição abstrata entre o espaço público e o
espaço privado não fica clara, fazendo com que todo o espaço que teoricamente é
de todos, passe a não ser de ninguém.

Os críticos dos CIAM alegam que seus autores foram ingênuos ao confiar
exageradamente nas possibilidades do estado de bem-estar social, ao qual o
modernismo, segundo aqueles, é um projeto de mundo indissociável. Ainda segundo
estes críticos, os CIAM, acreditando no poder mediador do Estado, ignoravam o
aspecto conflitivo essencial à sociedade capitalista, propondo um mundo que não se
encaixa nem no Capitalismo nem no Socialismo.
TEAM X
GIANCARLO DE CARLO
JAAP BAKEMA
GEORGES CANDILIS
ALDO VAN EYCK
ALISON E PETER SMITHSON
SHADRACH WOODS

HUMANIZAR A ARQUITETURA MODERNA ATRAVÉS DAS


IDEIAS DE COMUNIDADE E PARTICIPAÇÃO
BERLIN HAUPTSTADT
COMPETITION, 1957
ALISON AND PETER SMITHSON
ROBIN HOOD GARDENS, 1972
ALISON AND PETER SMITHSON
TILBURGSE KONINGSPLEIN, 1964
JAAP BAKEMA
BIBLIOTECA CENTRAL DE ROTERDÃ, 1977
JAAP BAKEMA
ORFANATO DE AMSTERDÃ, 1960
ALDO VAN EYCK
PLAYGROUNDS
ALDO VAN EYCK
MATTEOTTI VILLAGE, 1971
GIANCARLO DE CARLO
UNIVERSIDADE LIVRE DE BERLIM, 1963
GEORGES CANDILIS E SHADRACH WOODS
UNIVERSIDADE LIVRE DE BERLIM, 1963
GEORGES CANDILIS E SHADRACH WOODS
UNIVERSIDADE LIVRE DE BERLIM, 1963
GEORGES CANDILIS E SHADRACH WOODS