Você está na página 1de 43

AULA 2

Conceitos básicos

O valor do dinheiro no tempo

O juro (interesse)

Valor Futuro de um Capital Inicial

Valor Presente de um Capital Futuro

Valor Presente de uma Anuidade

Valor Presente de uma Perpetuidade

Taxa de juro nominal e efectiva

2
Conceitos básicos

 A avaliação de um investimento envolve a análise de custos e


benefícios, expressos em valores monetários, que ocorrem em
diferentes momentos da vida do projecto.

 De modo a comparar esses fluxos monetários é necessário recorrer


ao conceito de taxa de juro ou taxa de interesse que permite avaliar
como o valor do dinheiro varia no tempo.

 1 € agora vale mais do que 1 € amanhã; 1 € amanhã vale mais do


que 1 € depois de amanhã… Quais as razões para isso?

3
Conceitos básicos

Será preferível receber 140 000€ de uma só vez ou receber


prestações anuais de 24 000€ durante 9 anos?

Para fazer estas comparações de fluxos financeiros, temos de saber


comparar o valor do dinheiro em diferentes momentos do tempo.

Para fazer isso, temos de desenvolver um método que reduz uma


sequência de benefícios e custos a um único ponto no tempo. Então,
podemos fazer as comparações nessa base.

4
O Juro

 Juro ou interesse (i) é a medida do valor do dinheiro no tempo e


permite quantificar a diferença entre o dinheiro inicialmente
investido/emprestado e o valor final obtido/devido.

 O capital inicial investido ou emprestado é chamado o principal.

Juro = (valor final obtido)t1-(principal)t0

Taxa de juro (interesse) =


5
Exemplo

Uma empresa têxtil investe 10 000€ num novo projecto, obtendo 10 650€
12 meses depois. Determine:

(a) O juro ou interesse subjacente ao projecto.

(b) A taxa de juro ou interesse sobre o capital investido.

(a) Juro = 10650 – 10000 = 650 €

(b) Taxa de juro =


6
Valor Futuro de um Capital Inicial

VF = VP (1+i)n = VP × FPF,i,n

7
Exemplo 1

Admita-se que são investidos 100 €, numa conta de poupança durante 20


anos a uma taxa de juro de 10%. Qual o valor acumulado?

O problema pode ser representado da seguinte forma:

VF = VP (1+i)n = VP × FPF,i,n

VF = 100 (1 + 0.1)20
VF = 100 x 6.7275 = 672,75€
8
Exemplo 2

A taxa de juro obtida num determinado investimento também pode ser


obtida a partir da equação anterior. Espera-se que um investimento de
1 000 € hoje, num fundo de investimento, gere um valor acumulado ao
fim de 20 anos de 4 661€.

Para se obter a taxa de juro, é preciso resolver em ordem a i na equação:

4 661 = 1 000 (1 + i)20


i = 0.08

A taxa de juro obtida foi de 8%


9
Exemplo 3

Uma empresa pede um empréstimo no valor de 12 000 € por um período


de 4 anos e com uma taxa de juro de 5%. Quanto deverá pagar ao fim do
período do empréstimo?

VF = 12000 (1+0,05)4 = 14586,1 € ou VF = 12000 × FPF,5,4 = 12000 × 1,2155 = 14586 €

10
Princípio da equivalência

 De acordo com este exemplo 12 000 € agora são equivalentes a


possuir 14586 € dentro de 4 anos, ou seja têm o mesmo valor económico.

 Permite que diferentes valores de fluxos monetários que ocorram em


diferentes momentos possam ser comparados num instante de tempo
comum.

11
Equivalência Económica

 Existe entre fluxos de dinheiro que têm o mesmo efeito económico e podem
ser trocados um pelo outro.

 Mesmo que o montante e o timing dos fluxos seja diferente, uma taxa de
juro apropriada torna-os iguais.

 Fluxos monetários Equivalentes são equivalentes em qualquer ponto


comum do tempo.

12
Valor Presente de um Capital Futuro

VP = VF (1+i)-n = VF × FFP,i,n

13
Exemplo

Admita que o tio do André, que faz hoje 15 anos, lhe prometeu dar 20 000€,
quando fizer 20 anos. Se a taxa de juro for 10%, qual o valor presente
daquele valor futuro?

VP = VF (1+i)-n = VF × FFP,i,n

VP = 20 000 (1 + 0.1)-5 = 20 000 x 0.6209 = 12 418 €


14
Anuidades

 Pagamentos uniformes

Frequentemente os projectos/investimentos requerem pagamentos


ou recebimentos uniformes, caracterizados por um valor A constante e
pago no final de cada sub-período durante um período de tempo n.

1 2 3 n

(…)
A A A A A A
15
Valor Futuro de uma Anuidade

16
Exemplo 1

Suponha-se que uma pessoa decide depositar 1 000 € numa conta


poupança reforma no final de cada ano, durante o seu período de vida
activa de 40 anos. O dinheiro pode ser investido a uma taxa de juro de
10% ao ano.

Então, os 1 000 euros anuais transformar-se-ão num valor futuro de:

VFA = 1 000 × F AF, i, n = 1 000 x 442.59 = 442 590 €

17
Exemplo 2

A empresa Construções Patacho, Lda, necessita de substituir uma betoneira


dentro de cinco anos, com um custo estimado de um milhão de euros. A empresa
pretende efectuar depósitos de igual montante numa conta de investimento no final
de cada ano, durante 5 anos, de forma a obter um valor acumulado igual ao
necessário para adquirir o novo equipamento. Aos fundos depositados será
aplicada uma taxa de juro de 10%.

O valor do depósito anual pode ser obtido da seguinte forma:

VFA = A x F AF, 10%,5

1 000 000 = A x 6.1051

A = 1 000 000 / 6.1051 = 163 797,48 € 18


Exemplo 3

São feitos depósitos no valor de 110 €, no final de cada ano, num


fundo de investimento que rende 8% ao ano. Quanto estará
acumulado no fundo ao fim de 12 anos?

19
Valor Presente de uma Anuidade

20
Exemplo 1

Imagine-se que o vencedor da Lotaria do Noroeste receberá um prémio de vinte


milhões de euros. No entanto, o regulamento desta lotaria estipula que o prémio
não será pago todo de uma vez mas sim que o vencedor receberá de imediato
um pagamento de um milhão de euros e o montante restante será pago em
parcelas de um milhão de euros, no final de cada ano, durante os dezanove anos
seguintes. Se a taxa de juro for de 10% ao ano, pode calcular-se o valor presente
(actual) desta série de pagamentos.

Valor presente = 1 000 000 + 1 000 000 F AP, 10%, 19

VP = 1000000 + 1000000 x 8.3649 = 9 364 900 €


21
Exemplo 2

Qual o valor do investimento a realizar hoje num fundo que rende 10%
ao ano, de modo a poder retirar 200 € no final de cada ano, durante os
próximos 4 anos, esgotando por completo o fundo no final desse
período?

22
Factor da anuidade - valor presente

Factor de recuperação
do capital

Factor da anuidade-
valor futuro

23
Valor Presente de uma
Perpetuidade

 Perpetuidades

 Um projecto pode ter uma sequência infinita de recebimentos ou


pagamentos.

 O custo capitalizado representa o valor presente dos custos e


benefícios uniformes de um projecto com tempo de vida infinito.

24
Exemplo

Uma fundação pretende criar um fundo de investimento que lhe


permita distribuir anualmente 80 000 € para um período de tempo
infinito. Se a taxa de interesse do fundo for de 7,75% quanto deverá
ser investido hoje?

25
F = P (1+i)n = P FPF,i,n
Estas relações assumem que o valor
P = F (1+i)-n = P FFP,i,n
presente (VP) ocorre no princípio do
período em análise, as anuidades (A)
A=P = P FPA,i,n e o valor futuro (VF) ocorrem no fim
do período em análise.

P=A = P FAP,i,n

Conhecidos os métodos de
valorização do dinheiro no tempo é
F=A = A FAF,i,n
agora possível avaliar um projecto ou
um conjunto de projectos.
P∞ = A
26
Será preferível receber 140 000 € de uma só vez ou receber prestações
anuais de 24 000 €, durante 9 anos?

Depende da taxa de juro!

Se i = 10% VP = 24 000 × FAP,10%,9 = 138 216 €

Se i = 5% VP = 24 000 × FAP,5%,9 = 170 588 €

Se i = 0% VP = 24 000  9 = 216 000 €

Qual a taxa de juro que torna indiferente a escolha?


27
i = 9,68%
Taxa de juro nominal e efectiva

 Capitalização:
Por exemplo, se o juro for vencido duas vezes num ano com uma taxa de juro de
6% em cada período de meio ano, a taxa pode ser expressa como 12% ao ano
com capitalização semestral.

Taxa anual nominal = 12%


Taxa efectiva semestral = 6%

Exemplo: se um banco oferecer uma taxa de juro nominal de 12% ao ano


para um depósito de 1 000 €, teremos ao fim de 1 ano:

com capitalização anual VF = 1 000×(1+0,12) = 1 120 €


28
com capitalização semestral VF = 1 000×(1+0,06)2 = 1 124 €
Taxa de juro nominal e efectiva

 A utilização de taxas equivalentes torna os cálculos independentes


do período de capitalização.

Por exemplo, se um banco oferecer uma taxa de juro efectiva de 12% ao ano
para um depósito de 1 000 €, teremos ao fim de 1 ano:

VF = 1 000×(1+0,12) = 1 120 €

A taxa efectiva semestral associada a esta conta poderia ser calculada por
uma relação de equivalência:

1 000×(1+0,12) = 1 000×(1+isemestral)2  isemestral = 5,83%

VF = 1 000×(1+0,0583)2 = 1 120 €
É fundamental efectuar os cálculos de matemática financeira utilizando 29
sempre as taxas de juro efectivas e não as anunciadas ou nominais.
Taxa de juro nominal e efectiva

 A partir de uma taxa nominal é sempre possível calcular a taxa efectiva


referente ao período de capitalização sabendo qual a periodicidade dessa
capitalização.

 Relação de proporcionalidade:

ief = in / m , para o período de capitalização m

 Para converter uma taxa de juro efectiva referentes a um período numa


taxa efectiva referente a um sub-período p, utilizaremos a relação da
equivalência:

(1+i) = (1+ip)p ,onde p é o numero de sub-períodos dentro do período da taxa.


30
Exemplo 1

Considerando a taxa anual nominal de 18% com capitalização semestral,


determine a taxa de juro mensal efectiva:

Pela relação de proporcionalidade teremos a taxa semestral efectiva:


is = 18% / 2 = 9%.

Pela relação de equivalência teremos a taxa mensal efectiva,


(1+0,09) = (1+im)6 im = 1,45%

31
Exemplo 2

O Sr. Antunes colocou 1 000 € num banco durante 5 anos à taxa anual
nominal de 16%. Determine o valor acumulado com:

(a) Capitalização anual

VF = 1 000 × (1+0,16)5 = 2 100,34 €

32
Exemplo 2 (cont.)

(b) Capitalização mensal

imês = 16% / 12 = 1,33%

VF = 1 000 × (1+0,0133)60 = 2 209,44 €

Ou

(1+iano) = (1+0,0133)12  iano = 17,18%

VF = 1 000 × (1+0,1718)5 = 2 209,44 €


33
Exemplo 3

Suponha-se que o Banco da Lua, SA, paga uma taxa de juro de 10% ao ano, com
capitalização semestral. Um depósito de 100€ transformar-se-á num valor futuro, ao
fim de 3 anos, de:
• Se Taxa de juro efectiva semestral:
• isem = 10% / 2 = 5%
VF = 100€(1 + 0.05)3x2 = 134€

• Se Taxa de juro efectiva anual:


(1 + iano) = (1 + isem)2
(1 + iano) = (1 + 0.05)2  iano = 10.25%
VF = 100€(1 + 0.1025)3 = 134€ 34
Tabela resumo

Fórmula Factor
Descrição

Valor futuro de um capital inicial VF = VP (1 + i)n F


PF, i, n

Valor presente de um capital VP = VF [1 / (1 + i)n] F


futuro FP, i, n

Valor futuro de uma anuidade VFA = A x [(1 + i)n – 1]/i F


AF, i, n

Valor presente de uma anuidade VPA = A x [1 – 1/(1 + i)n]/i F


AP, i, n

Valor presente de uma VP = A / i


perpetuidade

Taxa de juro efectiva anual


(1 + i ) = (1 + i )p
ano p
35
EXERCÍCIOS
Exercício 1

O fundo de investimento Oportunidades de Crescimento


publicita que tem proporcionado uma taxa de rendibilidade
anual de 14% nos anos mais recentes. Se este fundo
continuar a obter esta rendibilidade no futuro, qual será o
valor daqui a 20 anos de um capital inicial de 10 000€?
Exercício 2

Imagine que comprou um terreno à 10 anos atrás por 20 000€


e que vendeu hoje esse mesmo terreno por 74 144€. Qual foi a
taxa de rendibilidade anual que obteve?
Exercício 3

Calcule quanto terá que depositar hoje, para obter 1 200€


daqui a 5 anos, a uma taxa de juro de 4% ao ano.
Exercício 4

Espera-se que um investimento gere o seguinte fluxo de rendimentos:

Ano 1 2 3
Rendimento 20 000€ 30 000€ 40 000€

Considerando uma taxa de juro anual de 10%, qual é o valor presente deste fluxo
de rendimentos?
Exercício 5

Imagine que decide aplicar num Plano Poupança Reforma


(PPR) 2 000€ no final de cada ano, durante os próximos 40
anos. Qual o valor que terá acumulado ao fim de 40 anos, se
a taxa de rendibilidade anual for de 10%?
Exercício 6

O Banco do Litoral, SA paga uma taxa de juro anual


nominal de 12% nos depósitos. Qual é a taxa de juro anual
efectiva se a capitalização for trimestral? E se for mensal?
Exercício 7

Considere que aluga um terreno vitaliciamente a 1


800€ anuais. Admitindo uma taxa de juro de 9% ao
ano, calcule o valor do terreno.