Você está na página 1de 16

CENTRO DE FORMAÇÃO DE SAÚDE MULTIPERFIL

1º CURSO DE PÓS-LICENCIATURA DE ESPECIALIZAÇÃO


EM ENFERMAGEM DE SAÚDE MATERNO-INFANTIL

RESPONSABILIDADE DO ENFERMEIRO
ESPECIALISTA NA ADESÃO DOS CUIDADORES À
PARCERIA DE CUIDADOS: TRÍADE ENFERMEIRO-
CRIANÇA-CUIDADORES

Suzana Florência Ngola Jonas Sumbelelo


Orientadora: Ana Paula Duarte

Luanda, Outubro de 2016


SUMÁRIO

o Introdução

o Objectivo/ Metodologia

o Enquadramento teórico

o Competências desenvolvidas e adquiridas

o Conclusão

o Referências bibliográficas
INTRODUÇÃO

O presente relatório surge no âmbito da elaboração da monografia do


1ºcurso de Pós Licenciatura de Especialização em Enfermagem de Saúde
Materno-Infantil ministrado no Centro de Formação de Saúde Multiperfil de
2015-2016.
Ao longo dos estágios foram desenvolvidas competências transversais e
específicas que constam do plano curricular do curso, aprovadas e
regulamentadas pelo Ministério da Saúde e pela Ordem dos Enfermeiros de
Angola.
No decorrer da prática clínica fui interiorizando que cada véz mais o
enfermeiro é o elo de ligação entre criança/cuidador e família e o enquanto o
envolvimento da família é tão importante na parceria dos cuidados.
OBJECTIVO

• Analizar de forma crítica e reflexiva as aprendizagens e competências


desenvolvidas e adquiridas ao longo do curso.

METODOLOGIA

• Para a realização da monografia utilizou-se a metodologia descritiva,


analítica, reflexiva, crítica e a pesquiza bibliográfica manual e
electrónica.
Justificação Finalidade

Reflectir sobre o envolvimento


Pouca adesão dos cuidadores na
participação dos cuidados. dos cuidadores na participação
dos cuidados à criança
A não identificação dos hospitalizada.
pais/família como primeiros
cuidadores e tema de particular
interesse.
Desenvolver Baseadas em

Reduz o elevado índice de competências a evidências


morbilidade infantil. luz do EESMI. científicas.
Impacto da doença na criança e cuidador

• Criança: é um ser em desenvolvimento que necessita de


bem-estar físico e psíquico.
• Cuidador: é aquele que cuida velando pelo bem-estar,
Conceitos saúde, alimentação, higiene pessoal, cultura, recreação,
lazer, da pessoa a ser cuidada (Guia Prático do Cuidador,
2009 ).

• A hospitalização e a doença interagem na vivência da


criança, sendo necessário desenvolver intervenções
Hospitalização preventivas para minimizar o impacto negativo (Oliveira,
et al, 2004).

• Criança e cuidador pode causar situações de stress,


muito sofrimento, ansiedade, medo e impotência (Melo,
Impacto da doença 2009).
TEÓRICAS DE ENFERMAGEM

Modelo de parceria Teoria de Conforto de Teoria da Promoção


dos cuidados de Anne Katharine Kolcaba de Saúde de Nola
Casey Pender

Teoria do
Autocuidado de Teoria de Transição Taxonomia
Dorothea Orem de Afaf Meleis NANDA,NIC, NOC
APRENDIZAGENS E
COMPETÊNCIAS DESENVOLVIDAS

o Responsabilidade profissional ética e legal;

o Melhoria contínua da qualidade;

o Gestão dos cuidados;

o Aprendizagem profissional;

o Competências específicas.
Estágio III-
Enfermagem
Estágio II- de saúde
Estágio I- Enfermag infantil em
Enfermagem em de contexto
de saúde saúde hospitalar
materno- materna e
infantil na obstétrica
comunidade
COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS NOS
DIFERENTES CONTEXTOS DE ESTÁGIOS
Responsabilidade Profissional ética Melhoria contínua da qualidade
e legal

Responsabilidade profissional. Administração de medicação de


forma segura.

Interação com a criança/cuidadores


Respeito pela pessoa. e mulher/família.

Registos de enfermagem.
Privacidade .

Envolvimento dos cuidadores nos


Autonomia. cuidados.
COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS NOS
DIFERENTES CONTEXTOS DE ESTÁGIOS

Gestão de cuidados Aprendizagens profissionais

Elaboração e apresentação do Guia


Promoção de segurança de orientação de consulta infanto-
juvenil.

Diários de aprendizagem e folha


Supervisão
farmacológica.

Recursos Materiais Elaboração, apresentação e


publicação de posters e trabalhos
no congresso.
Avaliação dos indicadores de
qualidade. Elaboração do guia de alta da
neonatologia.
COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS

Controle de
infecção Parceria dos
Controle da cuidados Envolvimento
Uso dos dor e dos cuidadores
equipamentos promoção de Negociação dos / família nos
de protecção conforto cuidados com
os cuidadores cuidados à
individual.
Uso de medidas /mulher/família criança e
Lavagem de tratamento mulher
.
correcta das não
mãos. Comunicação Ensinos aos
farmacológicos.
assertiva cuidadores/mulh
Técnica
asséptica er e família.
cirúrgica.
CONCLUSÃO

No final do curso aprofundei conhecimentos teórico-práticos e


habilidades através dos quais consegui adquirir e desenvolver competências
que perante a vivência de uma situação nova, fui capaz de identificar e
avaliar os problemas de enfermagem.

Percebi também que os cuidadores estavam receptivos para o cuidar


em parceria, colaborando em todos os procedimentos com o enfermeiro.
Por todo o percurso realizado penso que atingi o objectivo a que me
propus ao ter sido capaz de adquirir competências necessárias para a
obtenção do título de Enfermeira Especialista em Enfermagem de Saúde
Materno Infantil.
DIFICULDADES

• Registos de enfermagem
• Relacionar a teoria com a prática
Aprendizagens
• Elaboração dos diários.

• Higiene
• Comunicação
Cuidados
• Privacidade
Pontos fortes
• Adquirir conhecimentos
científicos.
Pesquisa bibliográfica • Desenvolvimento de habilidades
práticas.

• Reflexão da prática dos cuidados.


• Identificação, avaliação de
Análise crítica
problemas de enfermagem.
• Autonomia na tomada de decisão.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Anteprojecto de código penal (2015), Lei criminal. Disponível em


file:///C:/Users/cfs.biblioteca/Downloads/ANTEPROJECTO%20CODIGO
%20PENAL%20DE%20ANGOLA.pdf.
Barros, L. (1998). As consequências psicológicas da hospitalização infantil:
prevenção e controlo. Faculdade de psicologia e de ciências de educação
da universidade de lisboa. Lisboa. Disponível em:
http://www.scielo.mec.pt/pdf/aps/v16n1/v16n1a03.pdf.
Barros, D.M.S & Lustosa, M.A. (2009). A ludoterapia na doença crónica
infantil. Rev. SBPH, Rio de Janeiro, V12, nº 2. Disponível em:
http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rsbph/v12n2/v12n2a10.pdf.
Bicho, M. F. (2006). A criança, a hospitalização e a resiliência. Rev. Nursing nº
211, ISSN; Pg. 44-45; Disponível em:
https://www.google.com.br/?gws_rd=ssl#q=Bicho%2C+M.+F.+(2006).+A
+ciança%2C+a+Hospitalização+e+a+re.
CENTRO DE FORMAÇÃO DE SAÚDE MULTIPERFIL
1º CURSO DE PÓS-LICENCIATURA DE ESPECIALIZAÇÃO
EM ENFERMAGEM DE SAÚDE MATERNO-INFANTIL

RESPONSABILIDADE DO ENFERMEIRO
ESPECIALISTA NA ADESÃO DOS CUIDADORES À
PARCERIA DE CUIDADOS: TRÍADE ENFERMEIRO-
CRIANÇA-CUIDADORES

Suzana Florência Ngola Jonas Sumbelelo


Orientadora: Ana Paula Duarte

Luanda, Outubro de 2016