Você está na página 1de 25

GINCANA

FENOMENOLÓGICA
Baseado nos textos e nos encontros,
Edmund Husserl foi:
• A) Um filósofo alemão de origem judaica, nascido
em Prosznitz, Morávia (nos domínios do Império
Austro-húngaro), tendo formação acadêmica em
filosofia na Universidade de Berlim, sendo
influenciado por Franz Brentano ao estudo da
Psicologia.
• B) Um filósofo alemão de origem judaica, nascido
em Prosznitz, Morávia (nos domínios do Império
Austro-húngaro), tendo formação acadêmica em
matemática na Universidade de Berlim, sendo
influenciado por Franz Brentano ao estudo da
Psicologia.
• C) Um filósofo alemão de origem judaica, nascido
em Prosznitz, Morávia (nos domínios do Império
Austro-húngaro), tendo formação acadêmica em
matemática na Universidade de Berlim, sendo
influenciado por Franz Brentano ao estudo da
Filosofia.
• D) Um filósofo alemão de origem judaica, nascido
em Prosznitz, Morávia (nos domínios do Império
Austro-húngaro), tendo formação acadêmica em
matemática pura na Universidade de Berlim, sendo
influenciado por Rene Descartes ao estudo da
Filosofia.
• E) Um filósofo alemão de origem judaica, nascido
em Prosznitz, Morávia (nos domínios do Império
Austro-húngaro), tendo formação acadêmica em
filosofia grega, sendo influenciado por Wundt ao
estudo da Psicologia.
Baseado nos textos e nos encontros,
Eidos para Fenomenologia de
Husserl é:
• A) Uma estrutura invariante, cuja presença

permanente define a essência do objeto para uma

consciência intencional.
• B) Uma significação do sujeito em relação ao

objeto, não variando em relação a experiência.


• C) Uma essência do objeto em relação ao sujeito

não variada em tempo, espaço e lugar.


• D) Uma estrutura variante, cuja presença

permanente define a essência do objeto para uma

consciência intencional.
• E) As alternativas A e B estão corretas.
Husserl propunha um modo para
sairmos da atitude natural e irmos em
direção a atitude fenomenológica.

Como isso acontecia?


• A) Para Husserl o modo de sairmos da atitude
natural e irmos em direção à atitude fenomenológica
era através da epoché, esta última entendida como a
suspensão da tese sobre o mundo, juízos, teorias e
ou qualquer a priori que diga o que o mundo é.
• B) Para Husserl o modo de sairmos da atitude
natural e irmos em direção à atitude fenomenológica
era por meio da noção de noema e noesis, pois assim
poderíamos conceber o lugar do sujeito e do objeto
em relação ao conhecimento.
• C) Para Husserl o modo de sairmos da atitude
natural e irmos em direção à atitude fenomenológica
era através da psicologia fenomenológica ou
eidética, pois só era possível sair da noção do a
priori por uma ciência rigorosa.
• D) Para Husserl o modo de sairmos da atitude
natural e irmos em direção à atitude fenomenológica
era reconhecermos a impossibilidade de chegar ao
fundamento último por meio dos procedimentos
usados pela ciências de base naturalista.
• E) As alternativas A e B estão corretas.
Baseado nos textos e nos encontros,
vimos que
Husserl rejeita a distinção entre
ciência descritiva e ciência
explicativa, tal como suposta por
Brentano e Dilthey, pois:
• A) Ao realizar a crítica das concepções naturalistas
da psicologia, enfatizou o conceito de experiência,
fruto da vivência humana no mundo, compreendo
que a distinção entre descrição e explicação não é
válida dado o fundamento ontico que as unifica.
• B) Concorda com a concepção de Brentano de que a
Psicologia deva ser uma ciência descritiva,
valorizando a experiência empírica contingente.
• C) Discorda que seja possível fazer ciência nos
moldes naturalistas
• D) Concorda que seja possível fazer ciência apenas
pela descrição dos fenômenos que aparecem a
consciência do Eu
• E) As alternativas A e B estão corretas