Você está na página 1de 26

SISTEMA-TAMPÃO

KARINA ALVES
LÍVIA LUÍZA
SANDY SOARES
DEFINIÇÃO
➤ São sistemas que resistem a alterações bruscas de pH de
uma solução na adição de pequena quantidade de um ácido
(H+) ou uma base (OH-).
➤ Constituídos por um ácido fraco e sua base conjugada.
➤ No sangue: pH normal entre 7,35-7,45
SANGUE
➤ TAMPÃO BICARBONATO
➤ PULMÕES
✤ Hiperventilação: alcalose respiratória
✤ Hipoventilação: acidose respiratória
➤ RINS - reabsorvem HCO3 e secretam H+
✤ Alcalose ou acidose metabólica
ACIDOSE RESPIRATÓRIA AUMENTA CO2 NO ORGANISMO

ALCALOSE RESPIRATÓRIA ELIMINA O CO2 DO ORGANISMO

ACIDOSE METABÓLICA AUMENTA H+

ALCALOSE METABÓLICA AUMENTO DE BICARBONATO


DEFINIÇÕES
➤ ACIDOSE RESPIRATÓRIA
✦ Ex.: obstrução pulmonar
➤ ALCALOSE RESPIRATÓRIA
✦ Ex.: hiperventilação
➤ ACIDOSE METABÓLICA
✦ Ex.: diarréia e diabetes
➤ ALCALOSE METABÓLICA
✦ Ex.: vômito e uso de diuréticos
CONSIDERAÇÕES
➤ DISTÚRBIO MISTO
➤ TENTATIVA DE COMPENSAÇÃO
CASOS
CLÍNICOS
➤ Considere os seguintes valores de referência:
★ pH: 7,35-7,45
★ PaCO2: 35 a 45 mmHg
★ HCO3: 22 a 26 mEq/L
CASO 1
➤ Paciente de 30 anos chega ao Setor de Emergência em
estado de coma, apenas respondendo aos estímulos
dolorosos. Sua respiração é superficial. Familiares
encontraram próximo a ela diversas caixas de tranquilizantes
vazias. Gasometria arterial: pH=7,20; PaCO2=80mmHg;
HCO3=23 mEq/L.

★ pH: 7,35-7,45

★ PaCO2: 35 a 45 mmHg

★ HCO3: 22 a 26 mEq/L
CASO 2
➤ Paciente de 21 anos, com história de diabetes mellitus, chega
ao Setor de Emergência, desidratado, com aumento da
frequência e profundidade respiratória. Ao exame clínico nota-
se hálito cetônico. Gasometria arterial: pH=7,10; PaCO2=20
mmHg; HCO3= 15 mEq/L.

★ pH: 7,35-7,45

★ PaCO2: 35 a 45 mmHg

★ HCO3: 22 a 26 mEq/L
CASO 3
➤ Paciente jovem chega ao Centro Cirúrgico com história de
traumatismo abdominal há duas horas. No local do acidente
foi encontrado lúcido, hipocorado e com sinais de choque
hipovolêmico. Foi reposto rapidamente com solução fisiológica
e bicarbonato de sódio. Chegou à emergência estável e
equilibrado, o que permitiu avaliação adequada e pronta
indicação cirúrgica. Gasometria arterial: pH=7,55; PaCO2=35
mmHg; HCO3=32 mEq/L.

★ pH: 7,35-7,45

★ PaCO2: 35 a 45 mmHg

★ HCO3: 22 a 26 mEq/L
CASO 4
➤ Paciente de 23 anos está internado com quadro de choque
séptico consequente a peritonite e insuficiência respiratória
por um processo de pneumonia. Gasometria arterial: pH=7,21;
PaCO2=54 mmHg; HCO3=19 mEq/L.

★ pH: 7,35-7,45

★ PaCO2: 35 a 45 mmHg

★ HCO3: 22 a 26 mEq/L
CASO 5
➤ Paciente de 70 anos em pós-operatório de cirurgia abdominal
queixa-se de cãimbras e prostração. Ao exame clínico
minucioso observam-se abalos musculares e drenagem
elevada pela sonda nasogástrica (2.000mL/24 h). Gasometria
arterial: pH=7,62; PaCO2=40 mmHg; HCO3=36 mEq/L.

★ pH: 7,35-7,45

★ PaCO2: 35 a 45 mmHg

★ HCO3: 22 a 26 mEq/L
CASO 6
➤ Paciente de 65 anos, fumante, procura o pronto socorro
queixando-se de dispnéia, cansaço e tosse acompanhada por
secreção clara. Gasometria arterial: pH=7,40; PaCO2=58
mmHg; HCO3=34 mEq/L.

★ pH: 7,35-7,45

★ PaCO2: 35 a 45 mmHg

★ HCO3: 22 a 26 mEq/L
VIA GLICOLÍTICA
KARINA ALVES
LÍVIA LUÍZA
SANDY SOARES
QUEBRA DA GLICOSE

PIRUVATO
1 GLICOSE
PIRUVATO

GASTA 2ATP E PRODUZ 4ATP = SALDO DE 2 ATP


GLICÓLISE
➤ Processo anaeróbico
➤ Ocorre no citosol
➤2 fases
1. Preparatória: gasto de 2 ATP
2. Ganho: produz 4 ATP

✤ Importância desse processo para as HEMÁCIAS


FUNÇÕES
➤ Degradação da glicose para gerar ATP
➤ Fornecimento de substratos para outras vias
metabólicas
DESTINOS DA GLICOSE
➤ GLICÓLISE

➤ SÍNTESE DE GLICOGÊNIO
➤ SÍNTESE DE LIPÍDIOS
DESTINOS DO PIRUVATO
➤ Anaeróbico: fermentação alcoólica - forma etanol
fermentação lática - forma ácido lático

➤ Aeróbico: forma Acetil-CoA


ENZIMAS ALOSTÉRICAS
➤ HEXOCINASE

➤ FOSFOFRUTOCINASE
principal reguladora - sinaliza
➤ PIRUVATOCINASE
deficiência: ANEMIA HEMOLÍTICA

➤ Reações irreversíveis
➤ Papel regulador
ETAPAS
VIA DAS PENTOSES
➤ Desvio da via glicolítica
➤ Formação do NADPH
➤ Manutenção da GLUTATIONA no seu estado
reduzido
➤ Manter a integridade da membrana da hemácia
AÇÕES HORMONAIS
➤ GLUCAGON e EPINEFRINA
✦ os níveis de glicose no sangue
✦ liberados na hipoglicemia
✦ O glucagon NÃO atua no músculo
➤ INSULINA

✦ os níveis de glicose no sangue


✦ liberada na hiperglicemia