Você está na página 1de 11

Literatura Portuguesa

Contemporânea
José
Saramago
Por que Saramago é o único Nobel em Língua
Portuguesa?
1) Projeto literário bem arquitetado
2) Projeto de vida
Saramago foi, com uma coerência que, a meu ver, ele explicitou como
nenhum outro de sua geração, um escritor observador, participante, e
crítico do seu tempo: talentoso e genial, mas também um intelectual
engajado num projeto que, “através e para além da escrita literária”, se
realizava na vida, como exercício e defesa da cidadania política.
O projeto literário é extraordinário. Sua obra parece ter como origem
uma “potência” capaz de fazê-la se estruturar como um complexo e
articulado discurso crítico-criativo, que, partindo da reflexão sobre o
seu país, vai se expandindo para toda a civilização europeia, e para o
próprio Ocidentalismo, com sua cultura fundada no pensamento
judaico-cristão.
Pensando em Portugal

A Viagem do Elefante –
Levantando do Chão – Memorial do Convento –
Portugal e Europa do
século XX Repúblicas de revisitação de Portugal do
século XVI – imperialismo
1910 até a Revolução dos século XVIII, reinado de D.
Sacro-império-germânico
Cravos 1974 João VI
e atual UE

Jangada de Pedra – trata O ano da morte de História do Cerco de


da Península Ibérica, Ricardo Reis – Europa de Lisboa – Se´culo XII – AS
Europa, Brasil e África 1936 cruzadas
Pensando em Portugal
• Evangelho Segundo Jesus Cristo – arquivo judaico-cristão, guerra
Santa
• Caim
Todos os nomes
Ensaio sobre a cegueira

Crítica cultural A Caverna


contemporânea O homem duplicado
Ensaio sobre a lucidez
Intermitências da morte
• Viagem a Portugal
Mais intimista • As pequenas memórias
Saramago – filho e neto de pequenos agricultores analfabetos, e
ganhador do mais cobiçado prêmio da alta cultura – que se
comprometeu de modo profundamente humano e político (no mais
nobre sentido da palavra) com aquele projeto de vida que se expressou
na combativa e corajosa defesa de um mundo mais justo, mais igual,
menos excludente. Cito apenas dois exemplos de coragem e coerência:
filiado ao Partido Comunista desde 1969, rompeu publicamente com
Cuba por discordar da pena de morte para os críticos do regime de
Fidel Castro. Por também defender a ampla liberdade de expressão,
rompeu igualmente com o governo português quando este , intimidado
pela Igreja Católica Portuguesa, censurou o seu Evangelho , o que o fez
exilar-se voluntariamente na Espanha.
http://www.ufjf.br/revistaipotesi/files/2012/03/5
-saramago-para-que.pdf

Interesses relacionados