Você está na página 1de 58

CONCEITOS IMPORTANTES:

Armazém – é um espaço fisíco em


que se depositam matérias-primas,
produtos semi-acabados ou acabados
à espera de ser transferidos ao
seguinte ciclo da cadeia de
distribuição.
CONCEITOS IMPORTANTES:
Armazém – funciona também como
regulador do fluxo de mercadorias
entre a disponibilidade (oferta) e a
necessidade (procura) de fabricantes,
comerciantes e consumidores.
CONCEITOS IMPORTANTES:

Mercadorias –
tudo o que se
pode comprar ou
vender.
CONCEITOS IMPORTANTES:
Matérias-Primas –
produtos que são
susceptíveis de uma
posterior elaboração ou
fabricação de variados
bens.
CONCEITOS IMPORTANTES:

Stock – conjunto de matérias-primas


ou mercadorias que se têm em
depósito.
CONCEITOS IMPORTANTES:

Paletes – é um estrado
de madeira, metal ou plástico que é
utilizado para movimentação
de cargas.
Palete de Aço Palete de Madeira

Palete de Plástico
CONCEITOS IMPORTANTES:
Porta-paletes – equipamento
de movimentação destinado a
transportar paletes.
CONCEITOS IMPORTANTES:

Empilhadores – máquina
destinada a empilhar e arrumar
a carga em armazéns, parques
ferroviários, postos, etc..
CONCEITOS IMPORTANTES:

Estante – móvel com


prateleiras onde se
colocam materiais .
CONCEITOS IMPORTANTES:

Codificação – acto de codificar a


mercadoria ou matéria-prima de forma
a identificar cada produto.
ATIVIDADES NA
ARMAZENAGEM
Existem uma série de operações básicas
que são realizadas em qualquer armazém,
desde que o produto acabado sai da linha
de produção, até à sua expedição para os
clientes.
RECEPÇÃO
Inclui todas as operações envolvidas em três
processos principais.
1. Dar entrada física no sistema de todos os
produtos que são recebidos no armazém.
2. Assegurar-se de que o tipo, a quantidade e
a qualidade do produto correspondem às
especificações das ordens realizadas pela
empresa aos fornecedores.
RECEPÇÃO
Inclui todas as operações envolvidas em três
processos principais.
3. Direccionar os produtos para a secção de
armazenagem ou para as outras áreas da
empresa onde estes são requeridos.
PRÉ-EMBALAGEM (OPCIONAL)
Esta actividade é realizada nos armazéns
onde os produtos são recebidos a granel, e
que consequentemente têm de ser
embalados em embalagens unitárias
comerciais mais pequenas ou serem
agrupados com outros produtos, sob a
forma de sortido de produtos, para posterior
armazenamento.
PRÉ-EMBALAGEM (OPCIONAL)
É possível pré – embalar a totalidade da
mercadoria recebida, ou processar só uma
parte para assim armazenar o material a
granel. Esta decisão depende da
disponibilidade e disposição do espaço no
armazém. Esta operação é opcional e pode
realizar-se antes de os materiais serem
expedidos.
PUT-AWAY
É o termo técnico para a ação de arrumar os
artigos e significa dispor os produto na sua
posição de armazenagem.
Estão incluídas neste processo o
manuseamento do material, verificação da
posição de armazenagem e colocação física
do produto no local de armazenamento.
ARMAZENAGEM
Refere-se à permanência física dos produtos
no armazém enquanto não são requeridos
para expedição; noutras palavras, os
produtos estão à espera. O método de
armazenagem depende do tipo, tamanho,
quantidade do produto e das características de
manuseamento do mesmo ou do seu
contentor.
ORDER PICKING
É também chamado preparação das ordens e
é o termo técnico para se referir à selecção e
recolha dos produtos no armazém.
Basicamente é o processo inverso do put –
away.
Os produtos são retirados da posição de
armazenagem para serem agrupados por
encomendas e posteriormente despachados
aos clientes.
ORDER PICKING
A estratégia mais utilizada é o picking
discreto, na qual um trabalhador faz a recolha
de todos os produtos, destinados a um único
cliente, não iniciando outra encomenda até ter
completado a primeira.
É um método simples, fiável que evita atrasos
na recolha das encomendas já que não
permite a sua mistura.
ORDER PICKING

Esta estratégia é utilizada para operações em


tempo real. A maior desvantagem é que o
operador deve percorrer grandes distâncias
para fazer a recolha dos artigos das
encomendas.
EMBALAR E/OU ETIQUETAR (OPCIONAL)
Assim como a pré – embalagem, esta
operação implica agrupar e embalar os
produtos em embalagens unitárias para
propósitos comerciais. Em termos de tempos
e custos, é mais rentável realizar este
processo antes de serem expedidos os
produtos.
EMBALAR E/OU ETIQUETAR (OPCIONAL)
Os produtos individuais estão sempre
disponíveis para serem agrupados e
embalados quando são necessários. Por outro
lado, os produtos geralmente são etiquetados
com os preços correspondentes nos pontos
de venda, portanto um processo de etiquetar
anterior poderá vir a ser inútil e aumentar
tempos e custos.
DIVISÃO E AGREGAÇÃO
Uma vez feito o picking, os produtos são
distribuídos e reagrupados de acordo com as
encomendas individuais de cada cliente.
Este processo pode ser realizado quando as
encomendas contêm mais do que um produto
diferente e a agregação dos itens não foi
realizada em simultâneo com o picking.
EXPEDIÇÃO
Antes de transportar os produtos aos pontos
de venda, é necessário verificar que as
encomendas estão completas e que os
produtos apresentam os requisitos de
qualidade necessários. Uma vez feita esta
análise, os produtos devem ser colocados em
contentores apropriados para o seu
transporte.
EXPEDIÇÃO
É também necessário preparar os
documentos de transporte, como por exemplo
a lista de embalagens, etiquetas de endereço
e informação de embarque. Nalguns casos,
os carregamentos são pesados para
determinar as tarifas das cargas e depois
acumuladas à saída. Por último, são
carregadas nos camiões.
EXPEDIÇÃO

Dentro dos processos básicos na


armazenagem existe um em específico que
não se enquadra na série de operações
básicas: o cross-docking. Este sistema é de
criação recente e foi rapidamente adoptado
pelas grandes indústrias.
EXPEDIÇÃO

Como tal, situa-se entre as operações de


recepção e despacho, mas não tem algum
tipo de interacção com os processos principais
dentro do armazém, sendo assim uma
actividade separada.
CROSS-DOCKING
Refere-se a um método aplicado em
armazéns e centros de distribuição no qual os
produtos passam directamente da expedição
sem serem armazenados. Assim, as
instalações servem apenas como ponto de
coordenação e transferência da mercadoria,
permanecendo as mercadorias no local não
mais de doze horas.
Na figura
encontram-se
representadas as
actividades que
ocorrem no
armazém e os
fluxos que existem
entre elas.
TIPOS DE ARMAZÉNS

Dependendo da função que


desempenham ou dos itens
que possuem, os armazéns
podem ser classificados em
vários tipos.
TIPOS DE ARMAZÉNS
Segundo o tipo de Inventário, podem ser:

• Armazém de Matérias –Primas e


Componentes
• Armazém de Produtos em Processo
• Armazém de Produtos Acabados
Armazém de Matérias-Primas e
Componentes

Este tipo de armazém contém todos


os componentes classificados como
matéria-prima e componentes base
de
processos de montagem.
Armazém de Produtos em Processo

Num processo de fabrico ou de


montagem por vezes é necessário
armazenar produtos que já foram
parcialmente processados mas
ainda não são produtos
acabados.
Armazém de Produtos em
Processo(2)

Os armazéns de produtos em processo


abastecem a linha de produção em
vários locais, dependendo das
necessidades da linha de produção.
Armazém de Produtos Acabados

Contém os produtos acabados


resultantes do processo de fabrico,
mas que ainda não foram enviados
aos clientes. Geralmente, estão
localizados perto das instalações de
fabrico e caraterizam-se por receber
e despachar lotes grandes de
produção.
TIPOS DE ARMAZÉNS
Segundo a sua função ou localização,
podem ser:
•Centro de Distribuição
•Pequenos Centros de Distribuição
•Armazém Local
•Armazém de Valor Agregado
Centro de Distribuição
São instalações encarregadas de
receber os produtos acabados dos
centros de produção de uma ou
várias empresas para serem
separados, agrupados e
despachados aos clientes.
Centro de Distribuição

Geralmente, estes centros localizam-


se num ponto intermédio entre os
produtores e os clientes e têm um
fluxo constante de entrada e saída
de materiais.
Pequenos Centros de Distribuição

Fazem a receção, picking e


despacho de pequenas ordens para
clientes específicos.
Armazém Local
Localizam-se em zonas perto dos
clientes com o objetivo de
minimizar os tempos e custos de
transporte aos clientes e
permitindo assim uma resposta
rápida para com os clientes.
Armazém Local
Usualmente, o picking é feito em
produtos individuais e o mesmo
artigo pode ser enviado ao cliente
todos os dias.
Armazém de Valor Agregado
Os produtos que necessitam de
requesitos especiais, tais como
embalagens diferentes, ser
etiquetados, preços especiais ou
encontram-se em processo de
retorno têm de passar por este
armazém para serem processados.
MÉTODOS DE
ARMAZENAGEM
DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA
NA CIRCULAÇÃO DE
MERCADORIAS
•Guias de Remessa
•Fatura
•Notas de Encomenda ou Requisição
•Recibo
•Guia de Transporte
Guias de Remessa

É um documento juridicamente
vinculativo que indica que ocorreu
o envio de mercadorias ou a
prestação de serviço. Sem este
documento, as mercadorias só
podem ser entregues se já tiver
sido criada uma fatura.
Guias de Remessa
Ao criar uma guia de remessa, também
é lançada a saída de mercadorias.
Quando o stock se altera, tambem se
alteram os valores do sistema
contabilistico (inventário).
A guia de remessa é preenchida em
triplicado ou quadriplicado.
Esquema de Título e Objeto com Gráfico
Esquema de Conteúdo Duplo com Tabela

• Primeira marca aqui Classe Grupo A Grupo B

• Segunda marca aqui Classe 1 82 95

• Terceira marca aqui Classe 2 76 88

Classe 3 84 90
Esquema de Conteúdo Duplo com SmartArt

• Primeira marca aqui


Grupo Grupo
• Segunda marca aqui A Taref B Taref
• Terceira marca aqui a1 a1
Taref Taref
a1 a2
Taref Taref
a3 a3
Taref
a4
Adicionar um Diapositivo de
Título – 1
Adicionar um Diapositivo de Título – 2
Adicionar um Diapositivo de Título – 3
Adicionar um
Diapositivo de
Título – 4
Adicionar um
Diapositivo de
Título – 5