Você está na página 1de 12

Análise territorial para

Análise territorial para


agricultura irrigada: visão
agricultura irrigada: visão
para políticas públicas
para políticas públicas

Dr Durval Dourado Neto


Professor Titular
Diretor da Esalq, USP
Histórico do Projeto:
1. PROJETO REFERÊNCIA: ANÁLISE TERRITORIAL PARA O DESENVOLVIMENTO DA
AGRICULTURA IRRIGADA - Execução: USP/Esalq, FEALQ, IICA, MI/Senir

1ª APROXIMAÇÃO DO PLANEJAMENTO E EXPANSÃO DA AGRICULTURA


IRRIGADA NO BRASIL

Relatório Técnico Final aprovado como parte integrante do Plano Nacional de Irrigação
( MI, Portaria nº 115, de 18 de junho de 2015)
“Art 2º Os Projetos Públicos de Irrigação planejados e implantados com recursos da União (...) deverão
estar em conformidade com a Análise Territorial para Desenvolvimento da Agricultura Irrigada no
Brasil – Relatório Técnico Final (...)”

2. PROJETO REFERÊNCIA: ANÁLISE TERRITORIAL E AS POLÍTICAS VOLTADAS PARA A PROMOÇÃO DA GESTÃO INTEGRADA
E DO USO SUSTENTÁVEL DA ÁGUA NO MEIO RURAL NO BRASIL - Execução: USP/Esalq, FEALQ, IICA, MAPA/SMC

2ª APROXIMAÇÃO DO PLANEJAMENTO E EXPANSÃO DA AGRICULTURA IRRIGADA


NO BRASIL
 Analisar a disponibilidade de energia elétrica no meio rural para mapeamento de potencial de
expansão da agricultura irrigada e propor regionalização de ações de ATER para o médio
produtor rural associadas à agricultura irrigada
Área Irrigável BACIAS NÍVEL 12 (ANA)
166.843 polígonos
Área média = 5.000 ha
FASE I - PROJETO REFERÊNCIA (MI, 2015)
meio físico uso da terra irrigação

perfil de
produtor,
renda, infra,
etc...

Análise Territorial da Agricultura Irrigada

QUANTIFICAÇÃO
DA ÁREA IRRIGÁVEL CLASSES TERRITORIAIS PARA GESTÃO
• Expansão (Atual, Futura)
• Monitoramento
• Fomento privado
• Intervenção pública
Variável Territorial de
Agricultura Irrigada
Dinâmica
Municipal privado
Resultado principal – modelo classes territoriais para
ações de políticas públicas voltadas à
agricultura irrigada
Dinâmica
Municipal

CLASSE TERRITORIAL
DE AGRICULTURA
IRRIGADA
Interpretação para
gestão pública
Área adicional irrigável – melhores áreas para expansão

Fil
tro
s
 Áreas protegidas

 Aptidão agrícola

 Distribuição
energia elétrica
Após uso dos filtros Microrregião
Aripuanã
Área (ha)
47.907
Alta Floresta 43.452
Colíder 47.623
Parecis 100.964
Arinos 34.841
Alto Teles Pires 288.571
Sinop 64.079
Paranatinga 14.610
Norte Araguaia 14.801
Canarana 49.820
Médio Araguaia 30.442
Alto Guaporé 27.582
Tangará da Serra 35.609
Jauru 50.274
Alto Paraguai 17.028
Rosário Oeste 6.453
Cuiabá 9.041
Alto Pantanal 4.711
Primavera do Leste 91.257
Tesouro 50.593
Rondonópolis 83.043
Alto Araguaia 13.555

TOTAL MT 1.126.256

Total Brasil 8,2 milhões ha


ESCALA NACIONAL
Área adicional
irrigável
em:
Alta aptidão
+
Energia trifásica

Alta aptidão // <2 km até linha trifásica


=> 8,2 Milhões de hectares
Alta aptidão // 2 a 8 km até linha trifásica
=> 7,6 Mha
Média aptidão // <2 km até linha trifásica
=> 7,3 Mha
Média aptidão // 2 a 8 km até linha trifásica
=> 7,7 Mha
Soma = 30,9 Mha:
3ª APROXIMAÇÃO DO PLANEJAMENTO E EXPANSÃO DA AGRICULTURA IRRIGADA NO BRASIL

Momento oportuno

1 – Novo governo – alinhamento e priorização para desenvolvimento da agricultura irrigada


Articulação institucional
2 - Ampliação de disponibilidade “dados – informações” = + conhecimento
Malha fundiária, águas subterrâneas, censo agropecuário, etc.

Melhoria da obtenção e Processamento de dados – Alta capacidade computacional

Dados

Informação

Conhecimento

MALHA FUNDIÁRIA Escala de trabalho


• imóvel rural
• território municipal (ou outra escala)
3 - Articulação das instituições de pesquisa e entidades de classe para discussão técnica
Fórum do futuro (projeto biomas), painel da AF

- Dado
- Informações consistidas,
sistematizadas e
conhecimento gerado

- Diretrizes para políticas


Rede de discussão técnica – públicas construídas de forma
seminários
articulada e pactuada