Você está na página 1de 10

COMUNICAÇÃO DE RISCO

AÇÃO OBRIGATÓRIA DAS ORGANIZAÇÕES QUE


TRABALHAM COM PRODUTOS PERIGOSOS

CWM COMUNICAÇÃO
www.cwm.com.br
cwm@cwm.com.br
ESTRUTURA
DO MANUAL DE Definição
GERENCIAMENTO
DE CRISES  A U. S. National Research Concil, comitê
americano responsável pelo estudo da
comunicação e da percepção de riscos,
define a comunicação de risco como um
processo de troca de informações e opiniões
entre indivíduos, grupos e instituições
públicas e privadas.

 Ela abrange a criação e a troca de


mensagens sobre riscos (natureza, forma,
severidade, aceitabilidade, gerenciamento,
etc.) e sobre assuntos correlatos à
segurança e ao bem-estar do corpo social
existente dentro do universo de abrangência
e ao impacto de uma situação de
emergência.
ESTRUTURA
DO MANUAL DE Definição
GERENCIAMENTO
DE CRISES  A comunicação de risco é um processo
interativo e multilateral que envolve todos os
segmentos do público que possam ter
interesse ou se ver frente-a-frente com uma
situação de emergência provocada por
acidentes graves.

 Como um processo, tem começo, meio e fim,


assim a comunicação de risco também pode
ser dividida em quatro momentos ou etapas:

• Prevenção;
• Preparação;
• Resposta e
• Recuperação.
ESTRUTURA
DO MANUAL DE
GERENCIAMENTO
DE CRISES COMUNICAÇÃO DE RISCO

1. Definição dos Stakeholders

2. Orientação para sua organização

3. Empowerment

4. Facilitação

5. Informações sobre o Risco

6. Informações como se proteger preventivamente


a) Organizar ação em caso de acidente
ESTRUTURA
DO MANUAL DE
GERENCIAMENTO
DE CRISES

8. Informações / canais de ativação de emergência

8. Orientação jurídica

9. Treinamento – Técnicos e profissionais para


contatar os stakeholders

10. Criação de kit – operacional

11. Produção de peças de comunicação

12. Criação de campanhas de motivação /


participação / esclarecimento
ESTRUTURA
DO MANUAL DE
GERENCIAMENTO
DE CRISES 13. Treinamento de Porta-vozes – imprensa
a) Mensagens preferenciais
b) Adaptação de conteúdo técnico de
informações para leigos

13. Sensibilização / motivação da imprensa para


trabalhar o tema e participar dos eventos de
simulação e de divulgação

14. Gerenciamento do contato com autoridades


pública.
ESTRUTURA
DO MANUAL DE Visão estratégica
GERENCIAMENTO
DE CRISES  Mudança de conduta com relação ao risco

• Criar e/ou aumentar a conscientização da


comunidade sobre os possíveis perigos
existentes na fabricação, manuseio e
utilização de materiais perigosos e sobre as
medidas tomadas pelas autoridades e
indústria no sentido de protegê-la.

• Desenvolver, em cooperação com as


comunidades locais, planos de atendimento
para situações de emergência que possam
ameaçar a segurança da coletividade, seu
patrimônio pessoal e o patrimônio ambiental.
ESTRUTURA
DO MANUAL DE Visão operacional
GERENCIAMENTO
DE CRISES  Práticas recomendadas pelo Desaster
Recovery Institute International para
implantação de planos de continuidade de
negócios e de programas preventivo de
gerenciamento de crises:

• a) pré-planejamento;
• b) desenvolvimento e implantação e
• c) pós-implantação. Cada uma delas com
etapas distintas.
ESTRUTURA
DO MANUAL DE Visão operacional
GERENCIAMENTO
DE CRISES  Comitê de Comunicação de Riscos.

 Consulta e motivação dos stakeholders.

 Organização / treinamento dos parceiros


operacionais.

 Conscientização da mídia.

 Simulação / exercícios

 Avaliação de resultados / de briefing


ESTRUTURA RELACIONAMENTO E
DO MANUAL DE COMUNICAÇÃO DE RISCO
GERENCIAMENTO
DE CRISES

ONGs
Órgãos de Saúde
Estudual e Municipal
Defesa Civil I
Prefeituras M
Associações de Moradores
Secret Obras
P
Entidades de Classe COMUNICAÇÃO DE RISCO
Proteção da Àguas
DAEE e outros
R
Profissional Estratégia de Relacionamento
Segurança e Proteção E
Entidades de Classe Ministério Público
Empresariais
N
Agentes Afetados Agentes Poluidores
Câmaras S
Municipais
A
CETESB