Você está na página 1de 49

Acessibilidade

IHC
Acessibilidade
Para os fins de acessibilidade, considera-se:
I - Acessibilidade: condição para utilização, com
segurança e autonomia, total ou assistida, dos
espaços, mobiliários e equipamentos urbanos, das
edificações, dos serviços de transporte e dos
dispositivos, sistemas e meios de comunicação e
informação, por pessoa portadora de deficiência ou
com mobilidade reduzida.
DECRETO Nº 5.296 DE 2 DE DEZEMBRO DE 2004.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-
2018/2015/Lei/L13146.htm
Cidade acessível?

ABNT NBR9050 / 2015

Como? Removendo obstáculos nas calçadas, inclusive vegetação que
obstrua a mobilidade das pessoas, oferecendo vias de circulação
adequadas e construindo rampas de acesso

Equipando edifícios públicos com piso tátil

Adaptando balcões de atendimento para pessoas que
precisem ficar sentadas e como também Telefones públicos,
Bebedouros,
Calçadas, estacionamentos, Ônibus urbano, Parada de ônibus, Banheiro
público, etc.
Em quais locais devem ser
aplicadas as leis de acessibilidade?

Passeios públicos, feiras, praças e parques

Clubes, auditórios, cinemas e teatros

Bares, restaurantes, supermercados, shoppings

Espaços turísticos, hotéis e motéis


Enfim, em todos os espaços e edifícios públicos ou particulares
que sejam de uso público
Calçadas
Calçadas – Situações a serem
evitadas
Rebaixamento de calçadas
Os rebaixamentos das calçadas devem estar localizados na direção do
fluxo de pedestres. Podem estar situados nas esquinas ou em outro local
da quadra.
Obstáculos
Quando existirem elementos suspensos acima de 60cm do piso, como telefones
públicos, caixas de correio, lixeiras, deverá ser colocado o piso de alerta em
torno de sua projeção como sinalização indicativa de obstáculo (importante para
pessoas com deficiência visual),
Telefone público
Abrigo ideal
Vagas

mínima de 1,20m, devidamente sinalizada horizontalmente, através de faixas inclinadas (“z


Nada acessível...
Rampas …
Existência de banheiros
Acessível?!
Acessível?
Acessibilidade para todos

Pense em você, os azares não acontecem só aos outros, a pessoa com
deficiência amanhã poderá ser você.

Quando falamos em pessoas com deficiência, pensamos normalmente em
deficiências permanentes. ...

Pessoas com deficiência são clientes como os outros, porque excluir
clientes?

Segundo dados do IBGE (2010), 32,17% da população brasileira é
portadora de alguma deficiência.
Tecnologia Assistiva
Tecnologia Assistiva é uma área do conhecimento, de
característica interdisciplinar, que engloba produtos,
recursos, metodologias, estratégias, práticas e serviços
que objetivam promover a funcionalidade, relacionada à
atividade e participação, de pessoas com deficiência,
incapacidades ou mobilidade reduzida, visando sua
autonomia, independência, qualidade de vida e inclusão
social. (COMITÊ DE AJUDAS TÉCNICAS,
CORDE/SEDH/PR, 2007).
CÓD. PRODUTOS, BENS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA ASSISTIVA

1 Auxílios para a vida diária e a vida prática

2 CAA - Comunicação Aumentativa e/ ou Alternativa

3 Recursos de acessibilidade ao computador

4 Sistemas de controle de ambiente

5 Projetos arquitetônicos para acessibilidade

6 Órteses e Próteses

7 Adequação postural

8 Auxílios de mobilidade

9 Auxílios para qualificação da habilidade visual (pessoas com baixa visão ou cegas)

10 Auxílios para ampliação da habilidade auditiva (déficit auditivo, surdez e surdo-cegueira)

11 Adaptações em veículos e em ambientes de acesso ao veículo

12 Esporte e Lazer
Tipos de Deficiência

Deficiência Visual.

Deficiência Auditiva.

Deficiência Intelectual.

Deficiência Física.

Deficiência Múltipla.
Deficiência Visual
“Os graus de visão abrangem um amplo espectro de possibilidades:
Refere-se a uma situação
Refere-se
desde a uma
a cegueira situação
total, até irreversível
a visão perfeita, tambémde diminuição
total. A expressão da
irreversível de diminuição da resposta
resposta visual, se
‘deficiência visual’ emrefere ao espectro
virtude de que vai da congênitas
causas cegueira até a ou
visão
visual,
subnormal.” (GIL,
emp.7) virtude
2000,
de causas
hereditárias, mesmo após tratamento clínico e/ou
congênitas ou hereditárias, mesmo
cirúrgico e uso de óculos convencionais.
após tratamento clínico e/ou cirúrgico
e uso de óculos convencionais.
Conceituando a cegueira e a baixa visão:

Pessoas com baixa visão – aquelas que apresentam ‘desde


condições de indicar projeção de luz até o grau em que a
redução da acuidade visual interfere ou limita seu
desempenho’. Seu processo educativo se desenvolverá,
principalmente, por meios visuais, ainda que com a
utilização de recursos específicos.

Cegas – pessoas que apresentam ‘desde ausência total de
visão até a perda da projeção de luz’. O processo de
aprendizagem se fará através dos sentidos remanescentes
[...]” (BRUNO, MOTA, 2001, p. 33)
Recursos para pessoas com DV
Acessibilidade - Tecnologia

Pessoas cegas
Como estas pessoas acessam a Internet?
Utilizam leitores de tela:
NVDA - Gratuito (http://www.nvaccess.org/)
JAWS – A licença custa de 800 a 1000 dólares.
O que é um leitor de tela?
Os leitores de tela são programas que interagem com o
sistema operacional do computador, capturando toda e
qualquer informação apresentada em forma textual,
transformando-a em uma resposta falada através de um
sintetizador de voz.
NVDA (pessoas cegas)
NVDA (Non Visual Desktop Access) é um leitor de telas livre e
gratuito, desenvolvido a partir de 2006, pela NV Access,
organização australiana e sem fins lucrativos.
Audiodescrição

O que é?

É uma descritiva em peças de teatro, filmes, de tudo
que não está sendo dito. O cenário pode ser
narrado, o figurino, as expressões faciais, de forma
que o deficiente visual consiga apreender a
narrativa do contexto.
Pessoas com deficiências visuais

Pessoas com baixa visão por doenças como
glaucoma, retinopatia diabética ou degeneração
ligada a idade.

Ferramentas de ampliação de imagens e textos.
Exemplo: lupa do windows.

Daltonismo: distúrbio visual caracterizado pela
incapacidade de percepção e distinção das cores primárias.
Devemos ter cuidado de selecionar cores com contraste...

Página interessante:

http://www.tabeladecores.org/daltonismo.php
DALTONISMO

Distúrbio visual caracterizado pela


incapacidade de percepção e distinção das
cores primárias. Devemos ter cuidado de
selecionar cores com contraste...
PESSOA COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA E COM SURDEZ

A pessoa com deficiência auditiva ou com surdez apresenta perda


parcial ou total de audição em determinadas frequências por
conta de doenças congênitas ou adquiridas, o que dificulta a
compreensão da fala por meio da audição (órgão: ouvido, que a
partir do ano de 2.000 passou a ser denominado Orelha). A
deficiência auditiva pode manifestar-se por:

Surdez leve/moderada: a perda dificulta, mas não impede, a
pessoa de se expressar oralmente, bem como de perceber a
voz humana com ou sem a utilização de uma prótese auditiva.
• Surdez severa/profunda: perda auditiva vai impedir a pessoa de
entender, com ou sem aparelho auditivo, a voz humana, bem
como de adquirir naturalmente o código da língua oral (fala)
Deficiências auditivas

Muitos sites usam vídeos para compartilhar informações.
Proporcionar legendas para os vídeos.

LIBRAS – O que é? Língua Brasileira de Sinais

Aplicativo interessante → Hand Talk é um aplicativo para
dispositivos móveis que converte textos, imagens e áudio
para a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS).

Muitas pessoas surdas têm dificuldade de entender
português.

Milhares de brasileiros com deficiência auditiva vivem em
uma realidade cheia de palavras escritas que nem sempre
fazem sentido.
Deficiências auditivas

Algumas formas de adaptação...
– Adotar uma linguagem mais simples nos textos,
quando possível
– Favorecer ilustrações
– Oferecer transcrição para a linguagem de sinais
Deficiência Física
A deficiência física se refere ao comprometimento do
aparelho locomotor que compreende o sistema
Osteoarticular, o Sistema Muscular e o Sistema Nervoso. As
doenças ou lesões que afetam quaisquer desses sistemas,
isoladamente ou em conjunto, podem produzir grande
limitações físicas de grau e gravidades variáveis, segundo
os segmentos corporais afetados e o tipo de lesão ocorrida.
(BRASIL, 20.06, p. 28)
Deficiência Intelectual
Funcionamento intelectual significativamente inferior à
média, com manifestação antes dos dezoito anos e
limitações associadas a duas ou mais áreas de
habilidades adaptativas, tais como: a) comunicação; b)
cuidado pessoal; c) habilidades sociais; d) utilização dos
recursos da comunidade; e) saúde e segurança; f)
habilidades acadêmicas; g) lazer; e h) trabalho;
(Lei 13.146/15)
Deficiência Múltipla
Associação de duas ou mais deficiências.
Usuários com deficiência motora

Pessoas com deficiência motora estão
impossibilitadas ou apresentam
dificuldades para se deslocar ou se
movimentar

Lesões da medula espinhal podem
resultar em um estado de paralisia dos
membros.

A paralisia cerebral é uma lesão no
cérebro, resultando na diminuição do
controle muscular.

Artrite ocorre mais frequentemente em
pessoas idosas, mas pode ocorrer em
pessoas mais jovens também. Aluna que é impossibilitada
de digitar as mãos...
Alguns teclados
Possui orifícios em cada tecla, evitando que o
usuário com dificuldades motoras dispare
várias teclas ao mesmo tempo.

Ideal para crianças, idosos e portadores de deficiências.


Rastreio de olhos

Os dispositivos de rastreio e monitoramento dos
olhos podem ser uma alternativa para os indivíduos
sem nenhum controle, ou apenas um domínio,
durante os seus movimentos manuais.

O dispositivo segue o movimento dos olhos e
permite que a pessoa possa utilizar o com apenas
movimentos oculares. Exemplo: Tobii PCEye

O objetivo é permitir que pessoas que possuam
uma limitação física extrema (tetraplégicos) possam
utilizar o computador de forma plena.
Mouse para os pés
Adaptador para teclado

estabilizador de punho e abdutor
de polegar com ponteira para
digitação, para alunos,
principalmente com paralisia
cerebral
GlassOuse

GlassOuse, é um dispositivo Bluetooth que é vestido como um óculos e possui sensores


que identificam o movimento da cabeça para mover o cursor dos computadores.
Acessibilidade na web
Algumas razões para tornar os sites acessíveis:

Impedir o acesso à informação infringe os direitos
humanos

A maioria das adaptações de acessibilidade beneficia a
todos, não apenas às pessoas com necessidades
especiais

No âmbito dos negócios: pessoas com necessidades
especiais também tem dinheiro para gastar

Todos nós poderemos precisar de sites com acessibilidade...


Alguns cenários improváveis ...
Alguns cenários improváveis ..
W3C

O World Wide Web Consortium (W3C) é um consórcio
internacional em que organizações filiadas, uma equipe em
tempo integral e o público trabalham juntos para desenvolver
padrões para a web.

O W3C já publicou mais de cem padrões, como HTML, CSS, etc

O W3C Brasil iniciou suas atividades em 2008 por iniciativa do
Comitê Gestor da Internet no Brasil


 Guia para construção de na web c/ acessibidade:
Web Content Accessibility Guidelines  WCAG 2.0
GT

O W3C Brasil conta com o Grupo de Trabalho de
Acessibilidade na Web do W3C Brasil (GT Acessibilidade
na Web), criado em março de 2012


Uma das demandas desse grupo foi produzir uma
Cartilha de Acessibilidade na Web (link)


Tem por objetivo, orientar gestores, desenvolvedores e
cidadãos sobre a importância de se preocupar com e
investir em acessibilidade na web
Objetivos da Cartilha

Contextualizar o tema acessibilidade na web

Apresentar as principais barreiras de acesso à web aos diferentes
grupos de usuários

Listar, de maneira simples e organizada, as recomendações e
diretrizes que podem ser usadas por desenvolvedores de aplicações e
soluções web

Apresentar orientações a respeito dos procedimentos que devem ser
adotados para avaliar a acessibilidade de um sítio web

Orientar os cidadãos e seus representantes sobre como devem
proceder para cobrar a acessibilidade em sítios web