Você está na página 1de 37

Cálculo IV

Profª. Geciara Carvalho

Funções de Várias Vaiáveis


► Se f (x,y) é uma função que admite
derivadas parciais de 1ª ordem no ponto
( x0 , y0 ) P então o gradiente de f
no( xponto
0 , y0 ) P é dado
por:  f f 
grad f ( x0 , y0 )   ( x0 , y0 ), ( x0 , y0 ) 
 x y 
Notação: f ( x0 , y0 ) grad f ( x0 , y0 )

Funções de Várias Vaiáveis


► Se o vetor gradiente não é nulo então
ele é perpendicular a curva de nível.
z

y
x

Funções de Várias Vaiáveis


Proposição: Se f ( x, y ) é diferenciável
em  x0 , y0  então para todo vetor não nulo
 f
u , existe  ( x0 , y0 ) e
u
f f f
 ( x0 , y0 ) : ( x0 , y0 )  a  ( x0 , y0 )  b
u x y
 .

u0  u / | u |  a, b 
Funções de Várias Vaiáveis
f f f
 ( x0 , y0 )  ( x0 , y0 )  a  ( x0 , y0 )  b
u x y
f  f f 
 ( x0 , y0 )   ( x0 , y0 ), ( x0 , y0 )   (a, b)
u  x y 
f 
 ( x0 , y0 )  f ( x0 , y0 )  u0
u

Funções de Várias Vaiáveis


f  
 ( x0 , y0 )  f ( x0 , y0 )  u0  | f ( x0 , y0 ) | | u0 | cos 
u
f
 ( x0 , y0 )  | f ( x0 , y0 ) |  cos 
u

1  cos   1

Funções de Várias Vaiáveis


► A taxa de variação é máxima na
direção do vetor gradiente. Assim, a taxa
máxima é dada por:

f
 ( x0 , y0 )  | f ( x0 , y0 ) |
u

Funções de Várias Vaiáveis


►Dada a função abaixo, determine:

(a) a derivada direcional no ponto


dado, na direção do vetor indicado;
(b) determine a taxa de variação
máxima e a direção que isso
ocorre.2
z  ln( x  y ); P (2,1); v  1, 2
2

Funções de Várias Vaiáveis


2 2
z  ln( x  y ); P(2,1); v  1, 2
2 2
z ( x  y ) ' 2x
 2  z 2(2) 4
x ( x  y 2 ) ( x 2  y 2 )  
x ((2) 2  (1) 2 ) 5
2 2
z ( x  y ) ' 2y z 2(1) 2
 2 
y ( x  y 2 ) ( x 2  y 2 ) y  2 2

((2)  (1) ) 5

2 2
| v | (1)  (2)  5
 1 2
v0  ,
5 5

Funções de Várias Vaiáveis


f f f
 ( x0 , y0 )  ( x0 , y0 )  a  ( x0 , y0 )  b
u x y

(a) A derivada direcional no ponto dado,


na direção do vetor indicado;

f 4 1 2 2
 (2,1)     0
u 5 5 5 5

Funções de Várias Vaiáveis


Qual o significado da derivada
direcional ser zero?

Funções de Várias Vaiáveis


(b) Determine a taxa de variação
máxima e a direção que isso ocorre.
► Ocorre na direção do vetor
gradiente: 4 2
f (2,1)  ,
5 5
► A taxa máxima é
2 2
4 2  16   4  2 5
f (2,1)             
5 5  25   25  5
Funções de Várias Vaiáveis
Suponha que você esteja subindo um
morro cujo formato é dado pela função
4y  x 2  y 2
ze
e você esteja num ponto de coordenadas
1
P0 (2,3, e ).
Que direção você deve seguir de modo
a chegar ao topo do morro mais
rapidamente
Funções de Várias Vaiáveis
z
x
e 4y  x 2  y 2
 
4y  x  y '   2x e
2 2 4y  x 2  y2

z 43 22 32 1
(P)  2  2 e  4e
x
z
y
e 
4y  x 2  y 2

4y  x  y '  (4  2y) e
2 2 4y  x 2  y 2

z 43 22 32 1
(P)  (4  2  3) e  2e
y
Funções de Várias Vaiáveis
 f f  1

f (x, y)   ,   4e , 2e 1

 x y 

Funções de Várias Vaiáveis


Funções de Várias Vaiáveis
Seja f uma função escalar definida
em D. A cada ponto P(x,y,z)  D, f
associa uma grandeza escalar f(P) =
f(x,y,z). A região D juntamente com
os valores de f em cada um de seus
os pontos é chamada de um campo
escalar. 

Funções de Várias Vaiáveis


Se a cada ponto P(x,y,z) de uma
região D do espaço está associado
um vetor que tem P como ponto
inicial, então a região D juntamente
com a coleção de todos esses
vetores constitui um campo vetorial.

Funções de Várias Vaiáveis


Exemplo de campo elétrico: Seja um fluido
percorrendo um encanamento com fluxo
constante. Se associamos a cada ponto a
velocidade do fluido nesse ponto, obtemos um
campo de vetores F de velocidades do fluido.

Funções de Várias Vaiáveis


Um campo vetorial em três
dimensões é uma função F cujo
domínio D é um subconjunto do R3,
que associa cada ponto (x,y,z) de D o
vetor
F(x,y,z) = f(x,y,z) i + g(x,y,z) j +
h(x,y,z) k,
onde f, g e h são funções escalares
nas variáveis x, y e z. 
Funções de Várias Vaiáveis
O gradiente de u(f. escalares) é um
campo vetorial definido por
u u u
 f ( x , y, z )  ( x , y, z)i  ( x , y, z ) j  ( x , y, z)k
x y z

e é chamado de campo gradiente .


Notação mais compacta: 

  u x (x, y, z) i  u y (x, y, z) j  u z (x, y, z) k

Funções de Várias Vaiáveis


Se F(x,y,z) = f(x,y,z) i + g(x,y,z) j + h(x,y,z) k, a
divergência de F, denotada por div F, como a
função escalar : f g h
divF   
x y z

•o rotacional de F, denotado por rot F, pela


 h g   f h   g f 
função vetorial
rotF    i     j    k
 y z   z x   x y 

Funções de Várias Vaiáveis


Significado do gradiente  como um
operador, ou seja,
  
  i j k
x y z

quando aplicado sobre a função escalar


u(x,y,z) produz o gradiente
u u u
u  i j  k
x y z
Funções de Várias Vaiáveis
Se
F(x, y, z)  f(x, y, z) i  g(x, y, z) j  h(x, y, z) k

então a divergência de F é dada por:


div F    F
    
div F   i j k    f(x, y, z) i  g(x, y, z) j  h(x, y, z) k
 x y z 

f g h
divF   
x y z
Funções de Várias Vaiáveis
O rotacional de F é dado por:
i j k
  
rot F    F 
x y z
f g h

 h g   f h   g f 
   i     j    k
 y z   z x   x y 

Funções de Várias Vaiáveis


Dizemos que um campo vetorial F é
conservativo numa determinada região se
for o campo gradiente de alguma função
escalar u naquela região, ou seja, F é
conservativo se existe u (x,y,z) tal que

 u(x,y,z) = F(x,y,z)
u(x,y,z) =função potencial e u(x,y,z) é
o potencial no ponto P(x,y,z)
Funções de Várias Vaiáveis
F(x,y,z) é um campo conservativo  rotF = 0
 h g   f h   g f 
rotF    i     j    k  0i  0 j  0k
 y z   z x   x y 
h g h g
 0 
y z y z
f h f h
 0 
z x z x
g f g f
 0 
x y x y

Funções de Várias Vaiáveis


F(x,y) é um campo conservativo  rotF = 0

i j k
 
0 0
x y
f g 0
f g

y x

Funções de Várias Vaiáveis


Funções de Várias Vaiáveis
A integral  f ( x , y)ds é chamada de integral
C
de linha de f em relação a s ao longo de
C.

Funções de Várias Vaiáveis


Funções de Várias Vaiáveis
Funções de Várias Vaiáveis
Funções de Várias Vaiáveis
Funções de Várias Vaiáveis
Funções de Várias Vaiáveis
Funções de Várias Vaiáveis
Funções de Várias Vaiáveis