Você está na página 1de 27

LICITAÇÕES

NOÇÕES BÁSICAS E TERMO DE REFERÊNCIA


ORIGEM DA LICITAÇÃO
• LATIM: “LICITATIONE”

• MUNDO: SURGIU NA EUROPA MEDIEVAL (VELA E PREGÃO)

• BRASIL: o primeiro relato que se tem, data de 150 anos atrás com o
Decreto 2.926 de 14 de maio de 1862. Foi tratada com Lei específica
em 1968 pela Lei 5456/68. Recebeu o “status” de preceito
constitucional pela CF/88
OBRIGAÇÃO LEGAL DE LICITAR
• Todos os órgãos da Administração Pública direta, os fundos especiais,
as autarquias, as fundações públicas, as empresas públicas, as
sociedades de economia mista e demais entidades controladas direta
ou indiretamente pela União, estados, Distrito Federal e municípios
estão obrigados à licitação.
• Decorre do inciso XXI do artigo 37 da CF/88. A Lei 8666/93 estabelece
normas gerais de licitação, assim como a Lei 10.520/02
• Normas especiais: Lei nº 12.462/2011 (MP 527 de 18 de março de
2011) – RDC. Lei nº 12.232/2010 – Serviços de publicidade prestados
por agências de propagandas, Lei Complementar nº 123/06, 155/16;
CONCEITO DE LICITAÇÃO

• Licitação é um procedimento administrativo formal, isonômico, de


observância obrigatória pelos órgãos/entidades governamentais,
realizado anteriormente à contratação, que, obedecendo à igualdade
entre os participantes interessados, visa escolher a proposta mais
vantajosa à Administração, com base em parâmetros e critérios
antecipadamente definidos em ato próprio (instrumento
convocatório).
PRINCÍPIOS
• Legalidade: no direito privado, a conduta do agente não pode ser contrária
à Lei. Ex: matar alguém. No direito público a conduta deve ser permitida
por lei, ex: a Licitação deve seguir os moldes da Lei 8.666/93;
• Impessoalidade e julgamento objetivo: A Administração não deve visar ou
escolher com pessoalidade este ou aquele fornecedor, é vedado o
subjetivismo, o julgamento deve ser objetivo;
• Moralidade: em nenhum momento a conduta da Administração poderá
ofender os valores fundamentais (ética e moral)
• Probidade: a Administração não deve extrair vantagens dos licitantes;
PRINCÍPIOS
• Igualdade: todos os licitantes deverão ser tratados de maneira igualitária, sem
preferência por este ou por aquele e as condições de competição deverão ser
equiparadas para não haver nenhum prejuízo a qualquer dos licitantes;
• Publicidade: todos os atos da Administração devem ser publicados em meios
de circulação de imprensa (jornais). Isso visa garantir a transparência dos atos
administrativos e garantir a participação da sociedade na produção dos atos;
• Vinculação ao edital: O edital, quando confeccionado em conformidade com a
lei e os princípios, vincula as partes, ou seja, faz “lei” entre as partes. Todas as
atribuições e deveres deverão constar no edital. Nem a Administração, nem o
licitante podem exigir ou realizar conduta diversa dos termos editalícios;
TIPOS DE LICITAÇÃO
• Artigo 45, § 1º da Lei nº 8.666/93.
• Menor preço: É A REGRA, a licitação sempre visa obter a melhor proposta pelo
menor custo possível. Nem sempre o menor preço constitui a proposta mais
vantajosa.
• Melhor técnica: a administração deve explicitar no edital o valor máximo que
propõe a pagar pelos serviços prevalecendo a melhor técnica apresentada;
• Melhor técnica e preço: o edital deve estabelecer critérios objetivos de avaliação
da valorização da técnica e dos preços apresentados. Sagra-se vencedor o
licitante que obtiver maior média ponderada com relação aos requisitos exigidos;
MODALIDADES DE LICITAÇÃO
CONCORRÊNCIA (artigo 22, inc. I e § 1º)

• modalidade de licitação que comporta maior amplitude da fase de divulgação.


Prazo de publicação do edital pode ser de 30 ou 45 dias. Qualquer interessado
pode participar da licitação sem a necessidade de preenchimento de requisitos
legais preexistentes, como o caso da TP e do convite. Os únicos requisitos a serem
preenchidos são os constantes no edital;
• Prazo de publicação do edital pode ser de 30 ou 45 dias (empreitada integral);
• Comporta qualquer tipo de contratação (inclusive registro de preços);
• Modalidade obrigatória em casos de concessão de bem ou serviço público (Lei
Federal nº 8987/95.
MODALIDADES DE LICITAÇÃO
TOMADA DE PREÇOS (artigo 22, inc. II e § 2º)

• Modalidade sumária e mais rápida, onde só podem participar interessados pré-


cadastrados no licitante até o 3º dia anterior à abertura dos envelopes. Deve-se
exigir, além do CRC, toda a documentação dos artigos 27 a 31 da Lei nº 8.666. Se
a empresa não estiver cadastrada, poderá participar desde que apresente toda a
documentação exigida pelo edital. (artigo 22, § 9º).

• Prazo de publicação do edital é de 15 dias ou 30 dias (técnica e preço);


MODALIDADES DE LICITAÇÃO
CONVITE OU CARTA CONVITE (artigo 22, inc. III e § 3º)

• Procedimento mais simplificado dentre as modalidades comuns de licitação onde


há a faculdade da administração escolher potenciais interessados em participar
da licitação. Não há necessidade de haver cadastro prévio. Admite-se a
participação de proponentes não convidados desde que manifestem interesse
com antecedência de 24 horas da abertura dos envelopes;
• Prazo de publicação do edital é de 05 dias úteis;
• Obrigatória a participação de, no mínimo, três empresas habilitadas e com
propostas válidas, sob pena de repetição do convite (§3º e 6º artigo 22, lei 8666);
MODALIDADES DE LICITAÇÃO
CONCURSO (artigo 22, inc. IV e § 4º)

• Pressupõe interesse da Administração em selecionar trabalho técnico ou artístico


destinado incentivo ao desenvolvimento cultural ou visando atender necessidade
do órgão licitante. Nesse caso não se visa o valor econômico, e sim o incentivo
cultural e artístico.
• Prazo de publicação mínimo de 45 dias ou o tempo necessário para a conclusão
da obra ou trabalho;
• O pagamento pode ser em forma de contrapartida econômica (prêmio em
dinheiro) ou não (certificado de participação);
MODALIDADES DE LICITAÇÃO
LEILÃO (artigo 22, inc. V e § 5º)

• Modalidade entre quaisquer interessados para a alienação de bens móveis


inservíveis e produtos empenhados (penhor) àquele que oferecer maior lance,
igual ou superior ao valor da avaliação.
• Prazo de publicação é de 15 dias;
• Deve ser realizado por Leiloeiro devidamente nomeado ou através de Leiloeiros
Oficiais, com registro.
MODALIDADES DE LICITAÇÃO
CREDENCIAMENTO

• Muito embora não esteja incurso no rol de modalidades previsto na Lei nº


8666/93, vem sendo muito utilizado pela Administração Pública nos últimos anos.
Ocorre quando há pluralidade de fornecedores de um determinado bem ou
serviço, de modo que se torna inviável a disputa. Assim, é mais interessante para
o órgão firmar vários contratos com valores pré-estabelecidos em edital, com os
interessados em fornecer os bens ou serviços pretendidos;
• Fundamento legal: Art. 25, Lei nº 8.666/93
• Leis Específicas: 11.947/09 – PNAE, 13.019/14 - ENTIDADES;
• Prazo de publicação do edital: depende da lei (ex. Lei 13.019 – 30 dias – art. 26)
MODALIDADES DE LICITAÇÃO
PREGÃO (artigo 1º, Lei nº 10.520/2002)

• Modalidade utilizada apenas para a aquisição de bens ou serviços comuns.


• Há inversão das fases, ou seja, abre-se a proposta primeiro a habilitação apenas
do vencedor. A fase competitiva difere-se das demais modalidades, pois há a fase
de lances.
• Deve ser realizada, obrigatoriamente, por pregoeiro devidamente qualificado
(curso de pregoeiro)
• Prazo de publicação mínimo de 08 dias úteis;
• Pode ser executado nas modalidades eletrônica e Presencial.
MODALIDADES DE LICITAÇÃO
DISPENSA DE LICITAÇÃO (artigo 24, Lei nº 8.666/93)

• Os 35 incisos do artigo 24 são taxativos e exaustivos, ou seja, A ADMINISTRAÇÃO


SÓ PODE DISPENSAR A LICITAÇÃO NOS CASOS PREVISTOS EM LEI.
• Nesse caso a licitação não é obrigatória pela razão de que o procedimento
licitatório só traria custos ao erário e tempo desperdiçado.
• A hipótese de dispensa deve ser devidamente e tecnicamente justificada;
• Dispensa apenas a fase externa, devendo haver todos os requisitos de um
processo licitatório (requisição, termo de referência, cotações, reserva de saldo,
parecer jurídico, ratificação da autoridade, empenho, e contrato (quando
necessário);
MODALIDADES DE LICITAÇÃO
INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO (artigo 25, Lei nº 8.666/93)
• Ocorre quando a licitação é impossível de ser realizada, ou seja, existe a
inviabilidade da competição, ou seja, ainda que seja realizada a licitação, apenas
uma ou várias licitantes poderão prestar o serviço ou fornecer o bem Nesse caso
a licitação não é obrigatória pela razão de que o procedimento licitatório só traria
custos ao erário e tempo desperdiçado.
• Ocorre quando há ausência ou pluralidade de possíveis fornecedores;
• A hipótese de inexigibilidade deve ser devidamente e tecnicamente justificada;
• Inexigibilidade apenas da fase externa, devendo haver todos os requisitos de um
processo licitatório (requisição, termo de referência, cotações, reserva de saldo,
parecer jurídico, ratificação da autoridade, empenho, e contrato (quando
necessário);
FASES DA LICITAÇÃO
FASE INTERNA
• Também conhecida como fase preparatória é formada pelos atos destinados a
formar a intenção da administração em abrir o procedimento licitatório, formada
de:
• Requisição de compras ou serviços;
• DOD – Documento de Oficialização de Demanda, com a fixação do objeto a ser
licitado, as especificações técnicas do produto ou do serviço, elaboração dos
projetos técnico e executivo,
• formulação do valor estimado da contratação;
• Declaração da existência de saldo orçamentário para suportar a contratação;
• Elaboração do edital e sua apreciação jurídica;
FASES DA LICITAÇÃO
FASE EXTERNA
• Ocorre quando a administração exterioriza a vontade de contratar o objeto e
explicita a condições em que pretende contratá-lo. Passa pelos seguintes passos:
• Publicação do edital;
• Sessão de abertura dos envelopes;
• Recursos (dois momentos nas modalidades comuns e apenas um no pregão)
• Análise jurídica do processo antes da homologação;
• Adjudicação e homologação do certame – (ato e publicação);
• Assinatura da Ata ou Contrato (ato e publicação);
• Empenho (Unidade Demandante);
• Emissão da requisição de compras ou serviços (Unidade Demandante);
DOD – DOCUMENTO DE
OFICIALIZAÇÃO DE DEMANDA
CONCEITO
• Documento, assinado pela unidade requisitante, que explicita a necessidade da
contratação dos bens ou serviços, devendo conter:

• Descrição clara e sucinta do Objeto a ser licitado;

• Justificativa para a contratação;

• Especificações técnicas dos bens ou serviços com indicação de marcas para


parâmetro;

• Tipo de contratação (registro de preços ou aquisição);


CONCEITO
• Serviço continuado ou não;

• Prazo de vigência da ata ou do contrato;

• Possibilidade ou não de prorrogação (em caso de serviços continuados);

• Local(is) onde os bens deverão ser entregues ou onde os serviços deverão ser
prestados;
 
• Sazonalidade das entregas ou da prestação dos serviços (diária, semanal, diurna,
noturna, etc);
 
CONCEITO
• Critérios técnicos para a seleção do fornecedor (inscrição em conselho de classe,
atestados de capacidade técnica, necessidade de recolhimento de ART, descrição
das parcelas de maior relevância, etc);

• Necessidade ou não de visita técnica (não pode ser obrigatória, nem causa de
inabilitação ou desclassificação);
 
• Necessidade ou não da apresentação de amostras ou requisitos técnicos (com a
descrição dos critérios objetivos a serem utilizados quando da análise dos
produtos ou serviços);
 
• Obrigações da contratante; 
CONCEITO
• Obrigações da contratada;

• Formas de pagamento (critérios para a liberação dos pagamentos – entrega,


medições, etc);
 
• Critérios e hipóteses de sanções administrativas (elenco de atos ou atitudes que
podem ensejar a aplicação de penalidades à contratada;
 
• Indicação de possíveis fornecedores;
 
• Assinatura do responsável pela confecção, bem como do Secretário da Unidade
demandante.
 
RISCOS DA INEXISTÊNCIA DO DOD
• Ausência da formalização da demanda que origina a contratação, levando a uma
aquisição ou contratação que não atende a uma necessidade da
organização, com consequente desperdício de recursos públicos;

• Contratação iniciada por outro documento que não o requisitante, levando a


aquisição ou contratação de uma solução que não atenda à necessidade de
negócio que a desencadeou, com consequente necessidade de muitos ajustes
para que a solução contratada atenda às necessidades ou abandono da solução
contratada;

• Impugnações e pedidos de esclarecimentos acerca de termos do edital, por


serem incompatíveis com os praticados no mercado ou inadequados à
necessidade da Prefeitura;
VÍCIOS E SUGESTÕES DE JUSTIFICATIVAS

• VÍCIO: Necessidade da contratação definida de forma redundante, como, por


exemplo, "contratação de locação de espaço em uma feira devido a necessidade
de participar da feira".

• SUGESTÃO: “contratação de locação de espaço em uma feira devido à


necessidade de divulgar os novos serviços que a organização passou a oferecer
recentemente aos cidadãos". 
VÍCIOS E SUGESTÕES DE JUSTIFICATIVAS

• VÍCIO: Contratação buscando a eficiência da solução contratada por si, sem


avaliar se a melhoria da eficiência da solução implica melhoria nas operações
da organização a que a solução dá suporte, como, por exemplo, "contratar
atualização da versão de software devido à nova versão ser mais rápida que a
atual".

• SUGESTÃO: contratar atualização da versão do software devido à nova versão ter


capacidade de processar os dados 1,5 vezes mais rápido, o que diminuirá em 30%
o tempo de espera para emissão de uma certidão". 
VÍCIOS E SUGESTÕES DE JUSTIFICATIVAS

• VÍCIO: Falta de vínculo da necessidade declarada com o negócio da organização


que realiza a contratação, ainda que aparentemente legítima a demanda, como,
por exemplo, "contratar cestas básicas devido a necessidade de distribuí-las às
famílias carentes de um determinado município", sendo que a organização
contratante executa atividades de polícia administrativa e não tem qualquer
atribuição legal de assistência social.