Você está na página 1de 24

  

  
 

c 


c
c



c
   cc
ƥ  c  


!


ƥ DESPREZO PELA    QUE


NOS RECOMENDA A c"
    # $
 
%  & 
' 
(() 

ƥ  c cc 

(Quanto mais hermético for o


discurso mais científico será)
Carmo e Ferreira, 1998, p. 45
 * 

+,-.  ,/0 1023410 52/+1,60


 . 2/+1,607 0  821, 0 9/610 ,:
1;6-<0 1160 60  41:,16 0,16
0 / 16 821,  6 646+16-. 00
,/0  +6-. = 2206 
1401>6-.??
1401>6-.
c& @c 

c
cA2+6816B
ƥ Ajuda
Ajuda--nos a formular as questões de investigação
(algumas acabam com mais questões)
ƥ Estimula o investigador a verificar se os procedimentos
se podem empregar na solução de outros problemas ou
um estudo semelhante podia ser conduzido num campo,
área ou grupos diferentes
diferentes..
ƥ Pode sugerir o desejo de replicar a investigação para
confirmar resultados prévios.
prévios.
ƥ Pode levantar a questão da aplicabilidade dos resultados
noutras culturas.
culturas.
ƥ Pode resultar na localização de inconsistências,
contradições ou insatisfação com a conceptualização,
metodologia, instrumentos e análise estatística usada.
usada.
c  
c
c
  

C A6 A6/014  010D1,  2/+1,6-<0
+61460 6 31 6 1401>6-. 0,+E1F
Ë  e 
c410.+16/6+46G6+166H
ß antes
ß durante da realização do trabalho
ß depois

*16+16H
ß Obter ampla compreensão da informação que está disponível sobre o
tema.
*   c&  c B
De acordo com Blaxter et al al.. (1996),
1996), as revisões
das referências bibliográficas devem servir para:
para:
ƥ Justificar e apoiar argumentos;
ƥ Permitir comparações com os resultados de
outros trabalhos de investigação;
ƥ Exprimir o que queremos dizer melhor do que
seríamos capazes de fazer por nós mesmos;
ƥ Mostrar a nossa familiaridade com a nossa área
de investigação.
ƥ Ʀ
&    c  
,+/1H
( *61+1616
61+1616((0,9/01;1+6,16,
2+602,3;1,
( 9/G,0166,/6+
( &/1401>6-.201G,00D16

1>16H
ß 6
6!

!
 9/G,E,1.G,E,10/
;8?
/0 
 4
4I
I
Os mesmos autoresƦ
Sugerem, também, que as referências
bibliográficas não devem servir para:
para:
- Impressionar os leitores com a vastidão
das nossas leituras;
leituras;
- Salpicar os nossos trabalhos de nomes e
citações;;
citações
- Substituir a expressão dos nossos próprios
pensamentos;;
pensamentos
- Distorcer o que dizem os outros autores.
autores.

  c



IJ(( A2+6-.60;01+1>D;1,60H
IJ
? Livros , revistas científicas, teses, dissertações, actas de
congressos, outrasƦ

J(( 1/6
J
? carácter selectivo

J(( +66-.;1,E60
J
. aspectos mais importantes das fontes bibliográficas

KJ(( 6-.6D+1060;1,E60
KJ
? ordenadas segundo o seu conteúdo
? análise das fichas Š avaliação da sua confiabilidade

„J(( ,+/0<0
„J

   *cH

(
81,6 Š inclui análise de
conceitos, teorias e esquemas
conceptuais que apoiam o problema de
investigação seleccionado e o propósito
da investigação
investigação..

( 231,6 Š inclui estudos relevantes


publicados em revistas, livros, e
estudos não publicados, como
dissertações de mestrado e teses de
doutoramento..
doutoramento
*
   

( 1D16Š é escrita pelo autor que efectuou o estudo ou que é


responsável pelas ideias publicadas.

( ,/D16Š o autor resume ou descreve os conteúdos das


fontes primárias.

6H029/20034+/1+16;021D160
6H029/20034+/1+16;021D160??

c
2  Š  
 

   

   

þ   Š
 Š     


þ     




 
Š 

  
  Š
  
 


 

    


*  
c

`   v  


 Š
 
 
Š   
  

 
 v  
 Š

 
   


 v  
       
  Š


 v  

 Š
 

 v  

  
 Š
 Š 


 v  
 
Š
Š
 
 

/>0<02666>616-.H

Š `            


  

Š          !


    "#        $   

Š         %   !    
          $   

Š &        %  !  '  


(   %   

Š # )  '     

Š *!         %     


!  (! 
c
"c&   
 cc   cL*

1:,16
? 6626-. ,,6  M,  0/ 60 60?
?2410<0;1606410.1+1>D;1,6,6(0,;16600
0/+60?

A6/01416
? ;, 1+>16 266 0 0 ;80 9/ 0 2 0,4?
? ,G 0 0 ,,10 ,00D10 = 0/6 ,+6001;1,6-.?

2+1/
? 9/616 4616  6+,6, 60 6;16-<0 50 20034+ /06 60  /0
66+E0%6/0 266 ,266 ,  00 0/7?

1+16
? 4 6 01>1;1,6 6 >6 N  ;6,0?
? +466 460 9/0<0
? 6M/6 6 ,E, 60 0/2+60
? 0/>1 10  62+1,6-.  ,E,10 266 6 0+/-.  2+60?
*1  6+I?
 5O7 c

c 416026O
2>/6051+46
2>/605 1+46„7H
„7H
1. O que é que sabemos sobre o tópico?
2. O que você tem para dizer criticamente
acerca do que já é sabido?
3. Já alguma vez alguém fez exactamente
o mesmo?
4. Já alguém fez qualquer coisa
relacionada?
5. Onde é que o seu trabalho se encaixa
com o que se passou antes?
6. Porque é que a sua investigação vale a
pena ser feita à luz do que tem já sido
feito antes?

5P7 cc 
I? . +6,16 claramente a revisão da
literatura com o estudo do investigador
? . 11;1,6 as melhores fontes na
revisão da literatura
? 2  ;0 0,/D10 em
vez de fontes primárias
K? ,16 0 ,31,6 ,,+/0<0 de
outros estudos e interpretações como
válidas em vez de examinar criticamente
todos os aspectos do desenho e análise
da investigação
investigação..
 ERROS COMUNS (Cont
(Cont.)
.)
5. . 0,4 os procedimentos de
investigação que foram usados na revisão
da literatura
6. 206 0/+60 06301,0
10+60 em vez de os sintetizar.
sintetizar.
. . ,016 0/+60 ,D10
e interpretações alternativas na síntese de
literatura qualitativa.
qualitativa.
EXERCÍCIO
1. Enuncie três importantes papéis ou funções da revisão da
literatura
2. Quais das afirmações seguintes são estratégias recomendadas
para a organização da revisão da literatura?
a) Organizar os estudos por tópico
b) Começar pelos artigos ou literatura mais antiga e avançar a
partir daí
c) Ler os resumos ou secções sumárias de um relatório ou artigo
primeiro
d) Ler na diagonal de forma a encontrar as secções relacionadas
com a nossa pergunta de investigação
e) Escrever uma referência bibliográfica completa para cada obra
3. Em que ponto da investigação deve o investigador começar a
explorar a literatura?
4. Quais são as vantagens de usar acesso computorizado às bases de
dados da literatura profissional?
MSITESơ PARA PESQUISA
ƥ cQ E2H%%1,0R?/%1E

ƥ #
Q E2H%%S?0,E0?,

ƥ T *U T  Q E2H%%6220?101VS+>?,
ƥ   c 
Q E2H%%SSS?0,1,1,?,
ƥ  Q E2H%%SSS?0,1+?,0?,0?2
ƥ 
* *Q E2H%%SSS?0,1/0?,
ƥ  
 # 
Q E2H%%SSS?(?2
ƥ Q E2H%%/0,?/0,?>%/+10%1A?0E+
ƥ    
 ( E2H%%+1?06>2/?,%
MSITESơ PARA PESQUISA
ƥ  c cQ E2H%%SSS?>>+?,?
ƥ  "Q E2H%%0,E+6?>>+?2
ƥ     # Q
E2H%%SSS?>>+?,%1+%0%
ƥ 

Q E2H%%SSS?6+64106?,
ƥ W#Q E2H%%SSS?W6E?,?
ƥ @Q E2H%%SSS?,6?,??
ƥ 
cT cQ E2H%%SSS?6,6S+?,
MSITESơ PARA PESQUISA
c 
H
ƥ c 
 @   Q
E2H%%0101;?;2,?/+?2
ƥ c 
 $*    Q
E2H%%+/,6,6?/+/0;6?2
ƥ c 
 
c$  c c Q
E2H%%SSS?16,?
ƥ c 
  
c    Q
E2H%%SSS?;2,?/+?2
ƥ c 
 c
   Q
E2H%%SSS?0,1+?,0?,0?2%0,1+?2E2B0,1
2X0,1Y100/0Z21X[PI(I[PZ>X2ZX10
END

Bell, J. (2004). C  el u p ec de



es  (3ª ed.). Veu: G

TEXTO DE DURKHEIM
Neste artigo, Durkheim analisa a influência das religiões
sobre o suicídio.
suicídio. Fazendo uma análise de dados
estatísticos referentes à taxa de suicídio de diferentes
populações europeias de religião protestante ou católica,
chega á conclusão de que, 9/6 610 ;6,6 G 6
,0. +1>106 610 ; G 6 :,16 266 
0/1,31??
0/1,31
De facto, uma +1>1. ; 1>66,
1>66, como
o catolicismo, cujos fiéis partilham numerosas práticas e
crenças comuns, protege-
protege-os mais do suicídio do que
uma +1>1. ;6,6 1>66, 1>66, como o
protestantismo, que dá grande importância ao livre
exame..
exame