P. 1
Questões De Direito Civil Fcc

Questões De Direito Civil Fcc

4.0

|Views: 520|Likes:
Publicado pormaoc0208

More info:

Published by: maoc0208 on Apr 12, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/22/2014

pdf

text

original

PODIVM WWW.CURSOPARACONCURSOS.COM.

BR
Direito Civil
ANALISTA JUDICIÁRIO (ADMINISTRATIVO) / TRE / AP / 2006 (CARGO J) 36. Íris é pródiga. Caio, por deficiência mental, não tem o necessário discernimento para a prática pessoal dos atos da vida civil. Tício é excepcional, sem desenvolvimento mental completo. Com relação a capacidade para exercer pessoalmente os atos da vida civil, Íris, Caio e Tício são, respectivamente, (A) absolutamente, absolutamente e relativamente incapazes. (B) absolutamente, relativamente e absolutamente incapazes. (C) relativamente, absolutamente e relativamente incapazes. (D) relativamente, relativamente e absolutamente incapazes. (E) absolutamente, relativamente e relativamente incapazes. GABARITO: C ANALISTA JUDICIÁRIO (ADMINISTRATIVO) / TRE / AP / 2006 (CARGO J) 37. Com relação à nulidade e à anulabilidade do negócio jurídico é certo que: (A) o negócio jurídico nulo é suscetível de confirmação e convalesce pelo decurso do tempo. (B) é anulável o negócio jurídico quando o motivo determinante, comum a ambas as partes, for ilícito. (C) é nulo o negócio jurídico por vício resultante de estado de perigo, lesão ou fraude contra credores. (D) as nulidades devem ser pronunciadas pelo juiz, quando conhecer do negócio jurídico, sendo-lhe, em qualquer hipótese, permitido supri-las. (E) é nulo o negócio jurídico simulado, mas subsistirá o que se dissimulou, se válido for na substância e na forma. GABARITO: E ANALISTA JUDICIÁRIO (ADMINISTRATIVO) / TRE / AP / 2006 (CARGO J) 38. Prescreve em um ano a pretensão (A) para haver o pagamento de título de crédito, a contar do vencimento, ressalvadas as disposições de lei especial. (B) para haver juros, dividendos quaisquer prestações possessórias, pagáveis, em período não maiores de uma ano, com capitalização ou sem ela. (C) de restituição dos lucros ou dividendos recebidos de má-fé, correndo o prazo da data em que foi deliberada a distribuição. (D) dos tabeliões, auxiliares da justiça, serventuários judiciais, árbitros e peritos, pela percepção de emolumentos, custas e honorários. (E) dos profissionais liberais em geral, procuradores judiciais, curadores e professores pelos seus honorários. GABARITO: D ANALISTA JUDICIÁRIO (ADMINISTRATIVO) / TRE / AP / 2006 (CARGO J) 39. Com relação a responsabilidade civil considere as seguintes assertivas: I. Haverá obrigação de reparar o dano, independentemente de culpa quando a atividade normalmente desenvolvida pelo autor implicar, por sua natureza, risco para os direitos de outrem. http://www.pdf4free.com II. A responsabilidade civil é dependente da criminal, podendo, inclusive, ser questionada sobre a existência do fato, ou

PDF Creator - PDF4Free v2.0

Em relação aos contratos. GABARITO: C ANALISTA JUDICIÁRIO (ADMINISTRATIVO) / TRE / AP / 2006 (CARGO A) 46.00. (C) o direito real sobre objetos móveis.É obrigação quesível. II. c) defeito grave. II e III. Está correto o que se afirma apenas em (A) I e II. / ANALISTA DE SISTEMA / TRT / MTS / 2006 21 . (B) a energia que tenha valor econômico.PDF4Free v2. e) defeito leve. a rigor. c) a obrigação do paciente pelos honorários médicos. são nulas as cláusulas que estipulem a renúncia antecipada do aderente a direito resultante da natureza do negócio. mesmo sendo observadas as normas gerais fixadas em lei. sendo o contrato. (B) I.com . e) todas as anteriores. Nos contratos de adesão. por presunção legal iuris tantum: a) a obrigação de quem deve até $100. b) a obrigação de indenizar por parte daquele que causa dano injusto. GABARITO: C ANALISTA JUD.0 http://www. pelos honorários advocatícios. As partes não podem estipular contratos atípicos.COM.pdf4free. sendo o contrato considerado negócio jurídico nulo. em princípio. (D) II. A liberdade de contratar será exercida em razão dos limites da função social do contrato. GABARITO: A ANALISTA JUD. GABARITO: E PDF Creator . (D) o direito pessoal de caráter patrimonial. b) defeito leve. IV. considerando-se o contrato. (C) I e IV. cuidando-se de nulidade relativa. sendo o contrato considerado ato jurídico anulável. Pode ser objeto do contrato a herança de pessoa viva. (E) III e IV. III e IV. a ausência do pressuposto pluralidade de partes é: a) defeito grave. (E) a ação correspondente a direitos pessoais de caráter patrimonial. Dentre outros. / ANALISTA DE SISTEMA / TRT / MTS / 2006 22 . considera-se bem imóvel para os efeitos legais (A) o direito à sucessão aberta.BR I. III. d) a obrigação do cliente.PODIVM WWW. ato inexistente. ato anulável pleno iure. d) defeito leve.CURSOPARACONCURSOS.

/ ANALISTA DE SISTEMA / TRT / MTS / 2006 27 . c) preso. da Constituição Federal e o artigo 6" da Lei de Introdução ao Código Civil. d) será anulada. b) as associações. em princípio: a) será anulada. que é onde estiver cumprindo a pena. a repristinação da lei se regula pela seguinte regra: (A) a lei nova que estabelecer disposição geral revoga a lei especial já existente. No direito brasileiro. e) apenas aos bens sonegados na primeira partilha. d) as sociedades de economia mista.É exemplo de domicílio necessário. d) funcionário público. (C) a lei posterior só revoga a anterior se expressamente o declarar ou se com esta for incompatível.0 . / ANALISTA DE SISTEMA / TRT / MTS / 2006 28 . que é o mesmo de seu representante legal. / ANALISTA DE SISTEMA / TRT / MTS / 2006 30 . e) não será anulada. sem saber que esta estava em situação precária perante seus credores.BR d) a bens ilíquidos. provando o adquirente sua boa fé. que é onde for encontrado.com 22. (D) a lei revogada só se restaura se o seu texto for nova e integralmente publicado.CURSOPARACONCURSOS.COM. que é onde estiver servindo. e) incapaz.São pessoas jurídicas colegiadas. A venda. por configurar fraude contra credores. c) os partidos políticos. depende da aprovação deste e começará no prazo que a legislação fixar. Considere o disposto no artigo 5". GABARITO: E PROCURADOR / BACEN / 2005 21. incertos e remotos.Uma pessoa adquiriu imóvel de outra. GABARITO: A ANALISTA JUD. PDF Creator . b) não será anulada. mesmo provando-se a má fé do alienante. (B) a vigência das leis. abaixo transcritos e assinale a alternativa correta.PODIVM WWW. c) só será anulada se o adquirente não pagar o preço integralmente. a princípio relegados a segundo plano.PDF4Free v2. que é onde estiver servindo. GABARITO: D ANALISTA JUD. XXXVI. que os governos estaduais elaboram por autorização do Governo Federal. GABARITO: E PROCURADOR / BACEN / 2005 http://www. b) militar. e) as autarquias. exceto o do: a) cigano. GABARITO: B ANALISTA JUD. exceto: a) as sociedades. a lei revogada não se restaura por ter a lei revogadora perdido a vigência.pdf4free. por configurara fraude de execução. (E) salvo disposição em contrário. O preço pago foi o de mercado.

(C) a qual nunca pode ser presumida. (E) e o ausente será presumido morto somente depois de passados dez (10) anos do pedido de sucessão definitiva. (C ) II. A exceção não está sujeita a prazo prescricional. IV E V.CURSOPARACONCURSOS. IV. São pessoas jurídicas de direito público interno (A) as fundações e associações. É correto o que se afirma em (A ) I. {B) somente a União. III.com (C) os ébrios habituais e os viciados em tóxicos que tenham o discernimento reduzido. GABARITO: B PROCURADOR / BACEN / 2005 24.Quando a ação indenizatória se originar de fato que deve ser apurado no juízo criminal.BR PROCURADOR / BACEN / 2005 23. (O) os que. (B) os maiores de 18 (dezoito) e menores de 21 (vinte e um) anos. os Municipios e o Distrito FederaL (C) as empresas públicas e as sociedades de economia mista. se for extremamente provável a morte de quem estava em perigo de vida. I I .PDF4Free v2. não ocorrerá a prescrição antes da respectiva sentença definitiva.COM. São relativamente incapazes (A) os que. de ofício. V. (D) e o ausente será presumido morto somente depois de contar oitenta (80) anos de ídade e de cinco anos antes forem suas últimas noticias. conhecer da decadência. a falta de alegação da prescrição se favorecer a pessoa absolutamente incapaz e deve. http://www.pdf4free. por causa transitória. IV e V. por enfermidade ou deficiência mental não tiverem o necessário discernímento para a prática dos atos da vida civil. PDF Creator . GABARITO: D PROCURADOR / BACEN / 2005 25. (A) a qual pode ser declarada. III e IV . (B) presumindo-se a morte quanto aos ausentes. sem decretação de ausência. desde que aberta sua sucessão provisória. (B) II. (E) I. III E V. quando estabelecida em lei. As causas que determinam a interrupção e a suspensão do curso do prazo prescricional também determinam a interrupção e a suspensão do prazo decadencial. A existência da pessoa natural termina com a morte. os Estados.0 . (D) as autarquias e associações públicas. II e III. não puderam exprimir sua vontade. O Juiz pode suprir. (E) os partidos políticos e as autarquias. GABARITO: A PROCURADOR / BACEN / 2005 26. A respeito da prescrição e da decadência considere as afirmações: I .PODIVM WWW. de ofício. pelo Juiz.Contra os absolutamente incapazes não corre prazo decadencial. (D) III.

CURSOPARACONCURSOS. P o d e s e r te s te m u n h a o m e n o r c o m m a is d e d e z e s s e is ( 1 6 ) a n o s . ( E ) s e n d o a m e s m a p e s s o a o b r ig a d a p o r v á r ia s d iv id a s c o m p e n s á v e is n ã o s e p o d e . A s p r e s u n ç õ e s . O s liv r o s e fic h a s d o s e m p r e s á r io s p r o v a m c o n tr a a s p e s s o a s a q u e p e rte n c e m .COM. (C ) II e I V . até que se prove o contrário. q u a n d o e s c r itu r a d o s v íc io e x tr ín s e c o o u in tr ín s e c o . terá de pagar metade do valor da construção. GABARITO: D PDF Creator . V . para se tornar proprietário da construção levantada por outrem de boa-fé. s ã o a d m is s ív e is n o s c a s o s e m q u e a le i e x c lu i a p r o v a te s te m u n h a l. aquele que. p o rq u e s o m e n te n e s te s c a s o s s e a d m ite a p ris ã o c iv il.s e a e x a m e m é d ic o n e c e s s á r io te m c o n tr a s i a p r e s u n ç ã o a b s o lu ta d e v e r a c id a d e d o f a to q u e s e p r e te n d a o b te r c o m o e x a m e . (D) II e V . o b s e r v a r a s r e g r a s e s ta b e le c id a s q u a n to à im p u ta ç ã o d o p a g a m e n to . e . fo r e m c o n f ir m a d o s p o r o u tro s s u b s íd io s . GABARITO: A PROCURADOR / BACEN / 2005 2 9 . C o n s id e r e a s a f ir m a ç õ e s : I. se em proporção à vigésima parte deste e o valor da construção exceder consideravelmente o dessa parte e não se puder demolir a porção invasora sem grave prejuízo http://www.s e p o r te r c e ir o u m a p e s s o a . exceto se o construtor quiser ficar com o terreno. A v a lid a d e d o in s tr u m e n to p a r tic u la r f e ito e a s s in a d o . e m s e u f a v o r. ( D ) o b r ig a n d o . mesmo que de má-fé. pagando o décuplo do valor deste. (B ) a d if e r e n ç a d e c a u s a n a s d ív id a s s e m p r e im p e d e a c o m p e n s a ç ã o . I V . p o d e c o m p e n s a r e s s a d iv id a c o m a q u e o c r e d o r d e le lh e d e v e r. e n tr e ta n to ( A ) o fia d o r p o d e c o m p e n s a r s u a d ív id a c o m a d e s e u c r e d o r a o a f ia n ç a d o . q u e n ã o a s le g a is .com para a construção.la s . A q u e le q u e s e n e g a a s u b m e te r. (C) quem constrói em terreno alheio sempre adquirirá a propriedade do solo. (B) I e V. S ã o c o rr e ta s ( A ) I e II I. porém (A) o dono do terreno. (C ) a d ív id a p r o v e n ie n te d e a lim e n to s p o d e c o m p e n s a r -s e a p e n a s c o m a s p r o v e n ie n te s ta m b é m d e a lim e n to s o u d e d e p ó s ito . III .BR GABARITO: B PROCURADOR / BACEN / 2005 2 8 .PODIVM WWW. construindo em terreno próprio invadir terreno alheio. ( E ) II I e I V . o u s o m e n te a s s in a d o p o r q u e m e s te ja n a liv r e d is p o s iç ã o e a d m in is tr a ç ã o d e s e u s b e n s d e p e n d e d a a s s in a tu r a ta m b é m d e d u a s te s te m u n h a s .pdf4free. adquire a propriedade da parte do solo que invadiu. Toda construção existente em um terreno presume-se feita pelo proprietário e à sua custa. II.PDF4Free v2. (B) pagando em dobro as perdas e danos.0 PROCURADOR / BACEN / 2005 30. pagando o preço do terreno . O d e v e d o r s o m e n te p o d e c o m p e n s a r c o m o c r e d o r o q u e e s te lh e d e v e r. n o c o m p e n s á .

o abuso de direito integra o ato ilícito. c) O termo inicial suspende o direito e. com suas pertenças e acessórios. nos casos de condição suspensiva. porquanto a eficácia do direito depende do evento futuro e incerto. d) O titular de direito somente pode praticar atos destinados à conservação do direito nos casos de condição resolutiva. aí.COM. c) Ao adotar o critério objetivo-finalístico no conceito de ato ilícito. é correto afirmar: a) Com a criação do novo Código Civil. b) O abuso de direito não constitui propriamente um ato ilícito e transcende os limites da responsabilidade civil. não pode praticar atos destinados à sua conservação. (E) apenas do imóvel de menor valor. perdendo a eficácia com o implemento da condição.0 . b) relativamente ineficaz. quando o instituidor tiver mais de um. GABARITO: B PDF Creator . destinado à residência da família. b) O termo inicial suspende o exercício. GABARITO: D PROCURADOR / GO / 2005 Questão 40 A respeito do abuso de direito.PDF4Free v2. mesmo que a instituição se dê por escritura pública registrada no serviço de Registro de Imóveis. o próprio exercício. mas não a aquisição do direito.BR PROCURADOR / BACEN / 2005 32. sendo apenas uma das várias espécies de sua http://www. (D) de aplicações financeiras destinadas ao sustento da família. porque. c) lesão.com manifestação.pdf4free. (C) somente de prédio urbano destinado à residência da família ou de pequena propriedade rural explorada pela família. o novo Código Civil incorporou a culpa como elemento conceitual. e poderá abranger valores mobiliários. d) O abuso de direito não se contém no conceito de ato ilícito. sem limitação de valores. assim. cuja renda será aplicada na conservação do imóvel e no sustento da família. GABARITO: B PROCURADOR / GO / 2005 Questão 38 Assinale a alternativa verdadeira: a) O titular de direito eventual.CURSOPARACONCURSOS. d) nulo. há aquisição do direito.PODIVM WWW. O bem de família pode consistir (A) somente de prédio urbano. (B) de prédio residencial urbano ou rural. GABARITO: B PROCURADOR / GO / 2005 Questão 39 Marque a alternativa que completa corretamente a afirmação abaixo: O negócio jurídico simulado é a) anulável. destinando-se em ambos os casos a domicílio familiar.

d) As despesas condominiais pretéritas podem ser exigidas do novo adquirente. Tendo em vista as prescrições legais acerca da nova PDF Creator . c) Somente em caso de dúvida é que não se pode julgar posse contra aquele a quem evidentemente pertence o domínio da coisa. esta.245/91. motivo pelo qual a sentença não lhe poderia ser desfavorável. b) Dada a natureza dúplice da ação possessória.0 . b) As despesas condominiais são consideradas obrigações propter rem.PDF4Free v2. Analise a proposição acima e assinale a alternativa correta: a) O adquirente da unidade responde pelos débitos do alienante. d) direito real de aquisição. devem ser cobradas do culpado. propôs ação de cobrança. De acordo com o Código Civil. promessa de venda.PODIVM WWW. o locatário tem preferência para adquirir o imóvel locado. c) elemento da validade do contrato.com Questão 46 O novo Código Civil resgatou da história o direito de superfície.pdf4free. por constituírem obrigação de natureza real. c) As prestações condominiais podem ser exigidas do novo adquirente. tendo caráter punitivo. exceto as multas. GABARITO: B PROCURADOR / GO / 2005 Questão 43 Preceitua o art. GABARITO: A PROCURADOR / GO / 2005 Questão 45 Certa pessoa adquiriu um apartamento com prestações condominiais atrasadas. repousando a preempção na lei. que “no caso de venda. b) obrigação propter rem. GABARITO: C PROCURADOR / GO / 2005 Questão 44 Proposta ação possessória contra certa pessoa. cessão ou promessa de cessão de direitos ou dação em pagamento. é correto afirmar: a) Nas ações possessórias não se admite a exceção de domínio. c) obrigação com eficácia real. b) limitação da autonomia privada. pois este independe de contrato escrito. é admissível a exceção de domínio.COM.BR a) cânon de interpretação dos contratos. d) E sempre possível a admissão da exceção de domínio nas ações possessórias. alegou a condição de proprietária. Contra o novo adquirente. na resposta. da Lei n° 8. 27. GABARITO: A PROCURADOR / GO / 2005 http://www. motivo pelo qual as prestações pretéritas não podem ser exigidas do novo adquirente. o condomínio. d) requisito indispensável à eficácia do contrato.” Esse texto legal caracteriza hipótese de a) ônus real. por intermédio do síndico. incluídas as multas e os juros moratórios.CURSOPARACONCURSOS. porque estas.

não seria possível a renúncia abdicativa. mas a cláusula não terá qualquer eficácia. impenhorabilidade e incomunicabilidade. preceitua que “salvo se houver justa causa declarada no testamento. cuja eficácia depende da morte.0 http://www.CURSOPARACONCURSOS. sobre os bens da legítima. a renúncia foi in favorem e. torna-se definitiva a transmissão ao herdeiro e a renúncia posterior não invalidou esta transmissão. motivo pelo qual deve-se pagar o imposto.pdf4free. d) Aceita a herança.PODIVM WWW.848. c) In casu. O novo Código Civil. renunciaram em favor da mãe viúva. se o óbito do testador ocorrer no prazo de dois anos. o testamento valerá.com . do antigo Código Civil. d) Se o óbito ocorrer no prazo de um ano após a entrada em vigor do novo Código.BR d) rescisória. assim. c) 15 anos. a solução correta é: a) O testamento não sofrerá os efeitos da lei nova.848 somente será aplicada aos testamentos celebrados à luz da lei antiga.PDF4Free v2. GABARITO: B PROCURADOR / GO / 2005 Questão 48 A hipoteca poderá prorrogar-se até perfazer a) 30 anos. aceita a herança. houve aceitação da herança. motivo pelo qual deve o ato ser tributado. GABARITO: D PDF Creator . morto o testador ao tempo da lei nova.723. 1. não pode o testador estabelecer cláusula de inalienabilidade. Assim. d) 10 anos. pois se trata de ato jurídico perfeito. Estes. b) In casu. assinale a alternativa verdadeira. 1 . a cláusula somente terá eficácia se o testador aditar o testamento para declarar ajusta causa da restrição. mas a trasladativa. tendo o testador estabelecido cláusula de inalienabilidade em relação aos bens da legítima dos herdeiros necessários. deixando viúva e três filhos solteiros. Assim. a) In casu. ao dar procuração ao advogado para o inventário. b) 20 anos. 1. após darem procuração ao advogado para requerimento do inventário. b) O testamento é ato jurídico perfeito.COM. GABARITO: B PROCURADOR / GO / 2005 Questão 52 Um homem morreu. GABARITO: C PROCURADOR / GO / 2005 Questão 53 Certo testamento foi realizado à luz do art. sendo garantia constitucional sua intocabilidade. c) A exigência do art.” Se o testador vier a falecer após a vigência do novo Código. A propósito da natureza e das conseqüências tributárias da renúncia. corresponde à cessão gratuita de direitos hereditários. no conflito entre os dois diplomas. o recolhimento da herança pela mãe em virtude da renúncia dos filhos constitui ato entre vivos que não pode ser tributado. no art. motivo pelo qual deve pagar o respectivo imposto.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->