www.institutomarcondesjunior.com.

br

Paralelismo Sintático

Paralelismo ou simetria de construção é, portanto, um importante fator para a coesão textual, para a construção das idéias do texto. Estudar o paralelismo é estudar a coordenação. Já que a coordenação é um processo de interligação de idéias e termos de valores sintáticos iguais, é justo – e correto – que quaisquer elementos do período coordenados entre si devem apresentar a mesma estrutura gramatical; logo, devem apresentar construção paralela. Observe o excerto abaixo: Art. 23. É competência comum da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios: I - zelar pela guarda da Constituição, das leis e das instituições democráticas e conservar o patrimônio público; II - cuidar da saúde e assistência pública, da proteção e garantia das pessoas portadoras de deficiência; III - proteger os documentos, as obras e outros bens de valor histórico, artístico e cultural, os monumentos, as paisagens naturais notáveis e os sítios arqueológicos; IV - impedir a evasão, a destruição e a descaracterização de obras de arte e de outros bens de valor histórico, artístico ou cultural; V - proporcionar os meios de acesso à cultura, à educação e à ciência; VI - proteger o meio ambiente e combater a poluição em qualquer de suas formas; VII - preservar as florestas, a fauna e a flora; VIII - fomentar a produção agropecuária e organizar o abastecimento alimentar; IX - promover programas de construção de moradias e a melhoria das condições habitacionais e de saneamento básico; X - combater as causas da pobreza e os fatores de marginalização, promovendo a integração social dos setores desfavorecidos; XI - registrar, acompanhar e fiscalizar as concessões de direitos de pesquisa e exploração de recursos hídricos e minerais em seus territórios; XII - estabelecer e implantar política de educação para a segurança do trânsito. Comentário: Cada inciso inicia com um verbo no infinitivo, pois todos estão ligados ao centro comum "É competência...". A reiteração do infinitivo garante estabilidade e uniformidade ao texto e evita que escritor construa períodos esdrúxulos, estranhos. Exemplos de paralelismos Sintático. a) Estávamos receosos de um governo que fosse incompetente e que fosse autoritário. OU Estávamos receosos de um governo incompetente e autoritário. b) Era fundamental que eles viessem e que comprassem logo o carro. OU Era fundamental eles virem e comprarem logo o carro.

Os dois últimos períodos constituem exemplos bem simples de paralelismos sintáticos. Veja que na letra "a" o paralelismo tanto se perfaz com a presença das duas orações adjetivas, ambas introduzidas pelo pronome relativo “que”, quanto com o emprego dos adjetivos restritivos simples “incompetente” e “autoritário”. Na letra “b”, o paralelismo é cumprido tanto com o emprego da conjunção integrante "que", a qual inicia ambas as orações substantivas subjetivas, quanto com a redução de tais orações para o infinitivo flexionado "virem” e "comprarem". Entendeu? O que não pode é a mistura, é o descompasso. Imagine um período construído da seguinte maneira: "A energia nuclear não somente se aplica à produção da bomba atômica ou para outros fins militares, mas também pode ser empregada na medicina, nas comunicações e para outros fins". Percebeu? Sentiu os dois erros de paralelismo?  O primeiro está no trecho "se aplica à produção da bomba atômica ou para outros fins militares", uma vez que a preposição "para" deveria ser substituída por “a” que é a mesma preposição do termo precedente. Logo, o correto seria “se aplica à produção da bomba atômica ou a outros fins militares”.  O segundo erro se encontra no trecho "pode ser empregada na medicina, nas comunicações e para outros fins". Mais uma vez, quebrou-se o paralelismo da frase, porquanto a preposição "em" deveria reger igualmente todos os três termos: "medicina, comunicações e outros fins". Portanto, a construção correta seria "pode ser empregada na medicina, nas comunicações e em outros fins". Na língua portuguesa, bons paralelismos se obtêm com o emprego de algumas construções correlatas como: a) não só... mas também... b) não só... como também... c) não só... mas também... d) ou... ou... e) quer... quer... f) tanto... quanto... g) quanto mais... mais / menos... h) quanto menos... mais / menos... Observe mais uma quebra de paralelismo: Fiquei decepcionado com a nota da prova e quando o professor me disse que eu não sei nada. Perceba a estranheza da construção. A conjunção coordenativa "e" une aditivamente dois segmentos: 1º. ... a nota da prova. 2º . ... o professor me disse que eu não sei nada. Como os dois segmentos possuem função sintática idêntica e estão subordinados ao adjetivo "decepcionado", era de se esperar que ambos fossem iniciados pela preposição “com”, solicitada pela regência do adjetivo e possuíssem construção idêntica, fato que não se deu. Em suas provas, as bancas fazem largo uso de "quebras de paralelismo" nas questões que envolvem a correção gramatical. Muitas vezes, as bancas não falam explicitamente em

1 PRODUZINDO RESULTADOS POSITIVOS

vem dos mercados ricos. Perceba também que todo o “problema” gira em torno do paralelismo promovido pela correlação aditiva “não só. quereres.” Comentário: o item é falso..não apenas por seu modelo.. o Brasil recebeu menção elogiosa do relatório por seu modelo de maços com fotos ilustrativas das moléstias associadas ao fumo e pelo oferecimento. em princípio pelo menos... das agências multilaterais e dos governos do grupo dos mais ricos.. o Brasil recebeu menção elogiosa do relatório por ter um modelo de maços com fotos ilustrativas das moléstias associadas ao fumo e pelo oferecimento na rede pública de saúde terapias de interrupção do tabagismo. mas também por oferecer" – o emprego do infinitivo no termo aditivo não respeita o paralelismo." – novamente se empregou o infinitivo no segundo termo sem que o primeiro estivesse nessa forma nominal..www. o que desrespeita a regra do paralelismo”.. incluindo necessidades. e à homogeneização dos modos de vida. na rede pública de saúde. são desnecessárias outras transformações para que o período se mantenha gramaticalmente correto. d) ". o que..br Paralelismo Sintático paralelismo.. Observa-se que todos os termos possuem um núcleo sintático-semântico comum que é o verbo tender ( tende). (B) Mais do que isso. mas também por oferecer na rede pública de saúde terapias de interrupção do tabagismo. Na famosa obra Comunicação em prosa moderna. como um erro concordância. Observe a questão abaixo – coletei-a de uma prova elaborada pelo CETRO para o Concurso para o Tribunal Regional do Trabalho da 12ª região.. a) Os ministros negaram estar o governo atacando a Assembléia e que ele tem feito tudo para prolongar a votação do projeto.. das empresas transnacionais. incluindo necessidades. Comentários: Perceba que já no enunciado da própria questão a banca.." – mais uma vez se empregou o infinitivo no primeiro membro da correlação. um erro por causa do emprego inadequado de uma conjunção.Assinale a alternativa em que a reescritura do terceiro parágrafo respeita a recomendação do famoso estudioso: (A) Mais do que isso..” Exercícios 1... pois não se podem coordenar frases que não comportem constituintes do mesmo tipo". mas também pelo oferecimento.. gostos e modos de expressão. em um movimento que tende à apropriação e ao controle do patrimônio natural e cultural dos países do Sul. mas não se o manteve no segundo termo.. quereres. e pelo oferecimento. um erro por ausência de oração principal ou por ausência de oração subordinada etc. reescreva-as. e à homogeneização dos modos de vida. e) ". 2 PRODUZINDO RESULTADOS POSITIVOS . mas usam expressões do tipo "truncamento sintático".” Sendo assim todos os complementos do verbo são regidos pela preposição “a” seguidos de artigo definido.. não só por seu modelo.. o Brasil recebeu menção elogiosa do relatório não só por seu modelo de maços com fotos ilustrativas das moléstias associadas ao fumo. mas também”. É certo que um truncamento sintático não só abarca o paralelismo. uma vez que a estrutura a ser analisada é idêntica em todas as alternativas. (C) Mais do que isso. na rede pública de saúde. Texto: “O ‘desenvolvimento’ no mundo capitalista vem dos países do Norte para os países do Sul..por ter um modelo. sem dúvida. gostos e modos de expressão." – o emprego do infinitivo no primeiro termo exigiria a mesma forma nominal no segundo termo. incluindo necessidades.. mas também a qualquer erro de estruturação sintática. Atenção! É possível retirarmos todos os artigos a construção ficaria assim: . de terapias de interrupção do tabagismo. Questão . mas também pelo oferecimento. Nas frases abaixo há erros de paralelismo sintático. Othon M. b) ".. de terapias de interrupção do tabagismo. Garcia afirma que "quaisquer elementos da frase – sejam orações sejam termos dela –. A questão não é difícil..em um movimento que tende à apropriação e ao controle do patrimônio natural e cultural dos países do Sul. o Brasil recebeu menção elogiosa do relatório não apenas por seu modelo de maços com fotos ilustrativas das moléstias associadas ao fumo como também por oferecer na rede pública de saúde terapias de interrupção do tabagismo. Soli Deo Gloria! Questão Desafio (Auditor /CE/03/Esaf/sup) Pergunta: Caso o artigo masculino em “ao controle” seja eliminado.. apresentar estrutura gramatical idêntica. fazendo uso de uma definição do Othon Garcia.institutomarcondesjunior.. o Brasil recebeu menção elogiosa do relatório não só por ter um modelo de maços com fotos ilustrativas das moléstias associadas ao fumo.. Observe os erros das outras alternativas: a) ". ► A única alternativa que respeita a construção paralela é a da letra C.. essa relação é estabelecida nos três núcleos. . portanto a retirada do artigo masculino “o” em ao controle quebraria o paralelismo sintático. (E) Mais do que isso. "erro de construção sintática".. "relação caótica de dependência". facilita a percepção do erro. (D) Mais do que isso. Aqui o candidato deveria estar atento à construção que se segue a esta correlação. e a homogeneização dos modos de vida.. É bom também não nos esquecermos de que muitos casos de paralelismo sintático envolvem o emprego do acento grave.em um movimento que tende a apropriação e a controle do patrimônio natural e cultural dos países do Sul.com. como também por oferecer. gostos e modos de expressão.. exige o conhecimento sobre o paralelismo sintático. quereres.. coordenados entre si devam. não só por ter.

f1) Trata-se de um argumento que é forte e que pode encerrar o debate. (elimina-se a conjunção “e”.www. de mamão e de melão. Não. entre os amores de antanho e as desilusões da velhice prematura. Certo ou errado? 5. Adaptado do Teste de Pré-Seleção para o Instituto Rio Branco (CESPE) de 2006 (q. Certo ou errado? 4. em luta aberta com o meio. que pode encerrar o debate. g) Tal método não ocupa a tela de modo escancarado. 2. que eu pus a viver no palco da peça de teatro chamada: Que Farei com Este Livro?. c) Quando o ditador morreu. (são duas pessoas distintas).” O paralelismo sintático seria observado com mais rigor gramatical caso se substituísse “com o grande surto de prosperidade” por: quando se assistiu ao grande surto de prosperidade. aquela que nunca saberemos se alguma vez chegará a ter resposta suficiente: “Que farei com este livro?” A menção ao sofrimento de Luís de Camões está construída por meio do paralelismo sintático introduzido pela forma “foi a este”. não se trata de defender mais intervenção do Estado na economia ou que o Estado volte a produzir aço… e) Ele não só trabalha mas também é estudante. mamão e melão. f) Trata-se de um argumento forte e que pode encerrar o debate. foi a este homem doente que regressa pobre da Índia. h) Funcionários cogitam nova greve e isolar o governador. quando todos os países europeus procuraram liquidar os resquícios deixados pela guerra e voltar às condições econômicas normais. foi a este soldado cego de um olho e golpeado na alma. mas por meio de acúmulo de imagens. A dificuldade aparece também na hora de trocar a agulha. entre a dor de escrever e a alegria de ter escrito. desenvolvendo práticas intervencionistas não adotadas até então. equivale dizer. “Amantes dos antigos bolachões penam não só para encontrar os discos. de 1932–33 a 1939. seu porta-voz conseguir transformar-se no comandante das Forças de Defesa e ser o homem forte do país. seu porta-voz conseguir transformar-se no comandante das Forças de Defesa e que era o homem forte do país. aquela que importa verdadeiramente. c) Quando o ditador morreu. mantendo o mesmo sentido e fazendo as alterações necessárias para que o paralelismo se estabeleça. com isso elimina-se o paralelismo). todos os autores tiveram ou terão de ser Luís de Camões. 2-E): No trecho: Ao menos uma vez na vida. Adaptado do Teste de Pré-Seleção para o Instituto Rio Branco (CESPE) de 2005 (q. reescreva-o em um só período.” Tendo em vista que no texto acima falta paralelismo sintático. j) Ele hesitava entre ir ao cinema ou ir ao teatro.com. i) Pedida a prisão de petista e empresário. em cujo final ecoa uma outra pergunta. h1) Funcionários cogitam nova greve e isolamento do governador h2) Funcionários cogitam fazer nova greve e isolar o governador. Respostas Exercício 1. l) Eu gosto de açaí. Certo.br Paralelismo Sintático b) O presidente sentia-as acuado pelas constantes denúncias de corrupção em seu governo e o crescimento na Constituinte da pressão em favor da fixação de seu mandato em quatro anos. i) Pedida a prisão de petista e de empresário. não se trata de defender que o Estado intervenha mais na economia ou que o Estado volte a produzir aço… e) Ele não só trabalha mas também estuda. (duas orações adjetivas). 3 PRODUZINDO RESULTADOS POSITIVOS . que trazia. l) Eu gosto de açaí. não se trata de defender mais intervenção do Estado na economia ou a volta da produção estatal de aço… d2) Não. b) O presidente sentia-as acuado pelas constantes denúncias de corrupção em seu governo e pelo crescimento na Constituinte da pressão em favor da fixação de seu mandato em quatro anos. nômade ou mal fixo à terra…” observa-se perfeito paralelismo sintático? Sim ou não? 3. g) Tal método ocupa a tela não de modo escancarado. aonde muitos só iam para enriquecer.institutomarcondesjunior. quando os governos se empenharam no esforço coletivo para superar a crise. Adaptado do Teste de Pré-Seleção para o Instituto Rio Branco (CESPE) de 2005 (q. no seu bojo. mesmo se não escreveram as redondilhas entre fidalgos da corte e censores do Santo Ofício. f2) Trata-se de um argumento forte. que não o conhece. d) Não. de 1924–28 a 1931–33. d1) Não. j) Ele hesitava entre ir ao cinema e ir ao teatro. com o grande surto de prosperidade. 24-3): No trecho “Insulado deste modo no país. a) Os ministros negaram o governo estar atacando a Assembléia e ter feito tudo para prolongar a votação do projeto. ou de levar o toca-discos para o conserto. às condições dominantes em 1914. foi a este sedutor sem fortuna que não voltará nunca mais a perturbar os sentidos das damas do paço. f3) Trata-se de um argumento forte. os elementos da crise detonada nos EUA em 1929. que ficam a cada dia mais raros. 2. 12-E): No trecho: “O período que se seguiu à Grande Guerra pode ser decomposto em três grandes fatias: de 1919 a 1924–28. 3. Lula e Dantas têm duas semanas para recorrer. (dois adjetivos). capaz de encerrar o debate. que lhe parece haver estampado na organização e no temperamento a sua rudeza extraordinária. mas por meio de acúmulo de imagens.

www.” 4 PRODUZINDO RESULTADOS POSITIVOS . penam não só para encontrar os discos mas/como também para trocar a agulha.br Paralelismo Sintático 4. Certo 5. ou de levar o toca-discos para o conserto. “Amantes dos antigos bolachões. que ficam a cada dia mais raros.com.institutomarcondesjunior.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful