Você está na página 1de 18

COMPÊNDIO DE ESTUDO 

PROVA DE CERTIFICAÇÃO DE 

OPERADOR RADIOTELEFONISTA 

ANATEL
Apresentação 

Olá. Para facilitar meus estudos para obter o CORTF-Geral, montei uma lista com as
questões das Apostilas que a ANATEL disponibiliza e criei este compêndio que
compartilho com a comunidade.

Apenas as questões assinaladas como certas estão neste compêndio para facilitar a
memorização e permitir uma avaliação crítica das questões de prova, caso não
tenham exatamente o mesmo enunciado.

Deixo agradecimento especial ao amigo RODRIGO PEREIRA SOUZA pela incansável


boa vontade e disposição em auxiliar a todos que abraçaram ou querem abraçar a
profissão de Rádio-Operador.

Espero que este material seja útil a você como está sendo a mim. Críticas, elogios ou
sugestões são bem-vindos.

Cordial abraço.

José Silva, Jr.


josesilvajunior@gmail.com

 
Compendio de Estudo Certificação CORTF  Página 2 
Conteúdo 
Apresentação ............................................................................................................................ 2 

Conhecimentos Técnicos ........................................................................................................... 4 

Legislação .................................................................................................................................. 9 

Operação Radiotelefônica ....................................................................................................... 15 

 
Compendio de Estudo Certificação CORTF  Página 3 
Conhecimentos Técnicos 
Mensagem é a informação que se deseja transmitir de um ponto a outro ponto
ou a outros pontos simultaneamente.

A informação pode ser transmitida de um ponto a outro, através de ondas


radioelétricas, utilizando como meios de propagação os condutores elétricos, o
espaço livre ou os condutores ópticos.

Quando sintonizamos um receptor de rádio numa determinada estação,


recebemos uma informação (música, voz, etc).

Entende-se como onda portadora um sinal radioelétrico, com freqüência


determinada, gerada por oscilador.

A freqüência autorizada pela Agência Nacional de Telecomunicações –


ANATEL é a da portadora.

Quando sintonizamos um receptor de rádio numa determinada estação,


estamos sintonizando o equipamento na freqüência da portadora dessa estação.

A portadora não contém a informação que se deseja transmitir, ela apenas


conduz informação de um ponto a outro.

O espectro de freqüência de voz está compreendido entre 300 Hz e 3400 Hz.

Por definição, classificam-se como “freqüência muito baixas” (VLF), aquelas


compreendidas entre 3 kHz e 30 kHz.

Por definição, classificam-se como “freqüência baixas” (LF), aquelas


compreendidas entre 30 kHz e 300 kHz.

Por definição, classificam-se como “freqüência médias” (MF), aquelas


compreendidas entre 300 kHz e 3000 kHz.

Por definição, classificam-se como “freqüências altas” (HF), aquelas


compreendidas entre 3 MHz e 30 MHz.

Por definição, classificam-se como “freqüências muito altas” (VHF), aquelas


compreendidas entre 30 MHz e 300 MHz.

Por definição, classificam-se como “freqüências ultra altas” (UHF), aquelas


compreendidas entre 300 MHz e 3000 MHz.

Por definição, classificam-se como “freqüências super altas” (SHF), aquelas


compreendidas entre 3 GHz e 30 GHz.

As freqüências situadas na faixa de ondas decamétricas (HF) possuem


comprimento de onda compreendido entre 100 metros e 10 metros.

As ondas métricas são aquelas cuja faixa de freqüência está compreendida


entre 30 MHz e 300 MHz.

Na faixa de freqüências entre 535 kHz e 1625 kHz temos as estações de


radiodifusão comercial que operam em AM.

As freqüências audíveis estão na faixa de 16 Hz a 16000 Hz.

 
Compendio de Estudo Certificação CORTF  Página 4 
As Ondas Curtas se subdividem numa série de faixas, para serviços de
polícia, radioamadorismo, intercomunicação do governo, aviação, marinha,
radiodifusão, radiotelegrafia, radiotelefonia, etc.

As ondas ultra-curtas têm aplicações em comunicações do Governo, sistema


FM, televisão, radiotelegrafia policial, radar, comunicações especiais, etc.

O espectro de freqüência de um sinal é dado pela relação entre a amplitude e


a freqüência do sinal.

As ondas eletromagnéticas estão divididas universalmente, de acordo com


suas freqüências e comprimento de onda.

A modulação propicia a transmissão de uma mensagem (de baixa freqüência),


através de um sinal com freqüência elevada.

Com a modulação podemos fazer variar no tempo um dos parâmetros da


portadora (amplitude, freqüência ou fase).

Quando obtemos modulação por variação no tempo, da amplitude da


portadora, temos a modulação em amplitude (AM).

Quando obtemos modulação por variação no tempo, da freqüência da


portadora, temos a modulação em freqüência (FM).

Podemos fazer uma analogia com uma correspondência, onde temos a carta e
o envelope. O envelope contendo nome e endereço do destinatário representa a portadora e a
carta representa a mensagem. O conjunto carta-envelope seria o sinal modulado.

Com a modulação podemos construir antenas compatíveis a qualquer sistema


de comunicação.

A demodulação é o processo inverso da modulação.

A demodulação é o processo, pelo qual retiramos a mensagem contida na


portadora, eliminando esta última por filtragem.

Podemos afirmar que AM-DSB, comumente conhecido apenas por AM,


significa transmissão com modulação em amplitude-faixa lateral dupla.

Podemos afirmar que AM-SSB, comumente conhecido apenas como SSB,


significa transmissão com modulação em amplitude-faixa lateral única.

O diagrama de bloco a seguir esquematizado representa um transmissor


genérico de AM-DSB:

 
Compendio de Estudo Certificação CORTF  Página 5 
O diagrama em blocos a seguir esquematizado representa um receptor de
AM-DSB:

O diagrama de bloco a seguir esquematizado representa um transmissor de


FM:

O diagrama de blocos a seguir esquematizado representa um receptor de FM:

O meios de transmissão são estruturas de ligação entre dois pontos, utilizadas


para transmissão (transporte) de sinais elétricos.

A linha de pares metálicos é um dos tipos comuns de Linha de Transmissão. É


formada por dois condutores separados por um isolante.

Linha de Transmissão tipo par blindado consiste de dois condutores paralelos, separados entre
si e rodeados (envoltos) por um material dielétrico.

 
Compendio de Estudo Certificação CORTF  Página 6 
Podemos dizer que as Linhas de Transmissão tipo cabo coaxial são classificadas em dois
tipos: sólidas e de ar.

A grande vantagem das Linhas de Transmissão tipo cabo coaxial é proporcionar baixas perdas
por irradiação, pois com o isolamento, os campos que elas se propagam não escapam.

As antenas têm função de transmitir e/ou receber ondas eletromagnéticas


(sinais radioelétricos).

A antena de quarto de onda é assim chamada, porque seu comprimento físico


é igual à quarta parte do comprimento de onda (λ/4).

As antenas YAGI são de grande aplicação, tanto em transmissores como em


receptores, nos sistemas onde é exigido, principalmente, alta diretividade.

As antenas de meia onda podem ser montadas vertical ou horizontalmente,


ambas com aplicação em receptores e transmissores.

A antena de meia onda não é indicada para serviços que operem com
freqüência variável, como é o caso de navios.

As antenas de quarto de onda são de grande utilização em aviação.


Podemos deduzir que o comprimento físico das antenas está diretamente
ligado ao comprimento de onda (λ) do sinal.

Na faixa de freqüências de 100 kHz a aproximadamente 3 MHz (parte de LF a


MF), a propagação de sinais radioelétricos se dá por ondas de superfície.

Na faixa de freqüências de 30 MHz a 3 GHz (VHF e UHF), a propagação de


sinais radioelétricos se dá por difração, juntamente com visibilidade e tropodifusão.

Em freqüências a partir de 100 MHz, para sistemas economicamente


compensadores ou a partir de 1 GHz, podemos utilizar sistemas de
radiocomunicação em visibilidade direta ou com reflexão na própria terra.

Para sistemas de radiocomunicação em tropodifusão devem ser utilizadas


freqüências na faixa de 300 MHz a 3 GHz aproximadamente.

Na faixa de freqüência de 3 MHz a 30 MHz, a propagação de sinais


radioelétricos se dá por refração ionosférica.

São consideradas ondas terrestres aquelas cuja propagação se dá por onda


de superfície ou difração ou visibilidade ou, ainda, tropodifusão.

São consideradas ondas espaciais aquelas cuja propagação se dá por


reflexão ou refração ionosférica.

O efeito dos “dutos”, que seriam canais formados na troposfera (fenômeno


passageiro), que conduz uma dada onda a uma distância muito maior que aquela normalmente
alcançada pela mesma, é um fenômeno que ocorre em sistemas de radiocomunicação em
tropodifusão.

O chamado “volume de confusão” é considerado quando tratamos de sistemas


de radiocomunicação de tropodifusão.

Para efeito de estudos sobre propagação das ondas eletromagnéticas


(radioelétricas), a atmosfera terrestre está dividida em três camadas, a saber:
troposfera, estratosfera e ionosfera.

 
Compendio de Estudo Certificação CORTF  Página 7 
Para estudo de propagação das ondas eletromagnéticas (radioelétricas) de
freqüência entre 3 MHz e 30 MHz (HF) deve ser considerada a constituição da
ionosfera.

Para as ondas eletromagnéticas (radioelétricas) de freqüência entre 30 MHz e


3 GHz, a sua propagação se dá na troposfera.

 
Compendio de Estudo Certificação CORTF  Página 8 
Legislação 
Telecomunicação é a transmissão, emissão ou recepção, por fio,
radioeletricidade, meios ópticos ou qualquer outro processo eletromagnético, de símbolos,
caracteres, sinais, escritos, imagens, sons ou informações de qualquer natureza.

Estação de telecomunicações é o conjunto de aparelhos ou equipamentos,


dispositivos e demais meios necessários à realização de telecomunicações, seus acessórios e
periféricos, e, quando for o caso, as instalações que os obrigam e complementam, inclusive
terminais portáteis.

Serviço de telecomunicações é o conjunto de atividades, que possibilita a


oferta de telecomunicação.

Compete à União, por intermédio da ANATEL e nos termos das políticas


estabelecidas pelos Poderes Executivo e Legislativo, organizar a exploração dos serviços de
telecomunicações.

A União, caso não tenha interesse na exploração direta dos serviços de


telecomunicações, pode autorizá-la a outras pessoas naturais ou jurídicas, através de
concessão ou permissão.

A competência da União atinge a todos os serviços que integram o Sistema


Nacional de Telecomunicações, incluindo suas conexões internacionais e os
serviços públicos de telégrafos, telefones e de radiocomunicações.

Na utilização e execução dos serviços de telecomunicações, devem ser


observados e seguidos, além dos preceitos contidos no Código Brasileiro de
Telecomunicações, os do Regulamento Geral de Serviços e dos demais
regulamentos específicos, dos atos internacionais de natureza normativa,
reconhecidos pelo Governo Brasileiro, através do Congresso Nacional e demais atos baixados
pelo Ministério das Comunicações referentes aos serviços de telecomunicações.

O Ministério das Comunicações é o órgão público federal, que representa a


União no trato dos assuntos ligados às telecomunicações.

A Agência Nacional de Telecomunicações – ANATEL é uma entidade


integrante da Administração Pública Federal indireta, submetida a regime
autárquico especial e vinculada ao MC, com função de órgão regulador das
telecomunicações.

Compete à ANATEL adotar as medidas necessárias para atendimento do


interesse público e para o desenvolvimento das telecomunicações brasileiras,
atuando com independência, imparcialidade, legalidade, impessoalidade e
publicidade.

À ANATEL compete realizar busca e apreensão de bens no âmbito de sua


competência, além de reprimir infrações dos direitos dos usuários.
A cada modalidade de serviço corresponderá uma outorga distinta,
formalizada através de um ato que autoriza sua execução.

A execução de qualquer serviço, objeto de concessão ou permissão está


sujeita ao pagamento das taxas fixadas em lei.

As autorizações podem ser revistas sempre que se fizer necessária sua


adaptação a novas determinações, tanto nacionais, quanto internacionais.

A Licença para funcionamento de estações, expedidas pela ANATEL, é o


documento que autoriza o funcionamento da estação do serviço autorizado.

 
Compendio de Estudo Certificação CORTF  Página 9 
A Licença para funcionamento de estação somente será expedida após
verificado, pela ANATEL, que foram cumpridas todas as formalidades legais.

Os serviços de telecomunicações são autorizados por prazo determinado.

O prazo da autorização deve constar da Licença para funcionamento da


estação.

O Serviço Móvel Marítimo (SMM) está sujeito às regras estabelecidas pela


Convenção para a Salvaguarda da Vida Humana no Mar, pelo Regulamento de
Radiocomunicações da UIT-RR e Normas baixadas pelo Ministério da Marinha e pela ANATEL.

As regras para instalação e a operação de estação de navio são baixadas pela


ANATEL.

Toda embarcação de carga de longo curso (curso internacional), com


arqueação bruta entre 300 toneladas e 1600 toneladas, a menos que possua
estação radiotelegráfica, deve possuir, obrigatoriamente, uma estação
radiotelefônica.

As embarcações de passageiros, de longo curso, qualquer que seja sua


dimensão devem possuir, obrigatoriamente, estação radiotelegráfica.

Toda embarcação de carga de longo curso (curso internacional), com


arqueação bruta igual ou superior a 1600 toneladas, deve, obrigatoriamente,
possuir estação radiotelegráfica.

A autorização para a execução do SMM é dada mediante a expedição da


Licença de Estação de Navio, cujo modelo adotado no Brasil é o recomendado
internacionalmente.

O prazo de validade das Licenças emitidas para estações de embarcações


arrendadas deve coincidir, sempre, com o prazo do contrato de arrendamento.

As embarcações sujeitas à obrigatoriedade de possuir estação radiotelegráfica


ou radiotelefônica serão licenciadas após realizada a vistoria prévia em suas
instalações.
A vistoria das estações de navio é realizada pela ANATEL, mediante pedido
do interessado.

A vistoria de estações de navio pode ser realizada por profissional habilitado,


quando:
- após trinta dias da data de entrega do pedido à ANATEL esta não a tiver
efetuado;
- for de interesse do executante do serviço, que a vistoria seja realizada antes do período de
trinta dias, facultado à ANATEL para realizá-la.

Todas as estações de navio são submetidas à vistoria periódica, pelo menos


uma vez a cada dois anos.

Tanto a ANATEL, quanto a Capitania de Portos e Costas têm competência


para realizar vistoria periódica nas estações de navio.

O tráfego de mensagens e comunicados entre estações do SMM obedecerá


aos procedimentos e regras estabelecidas pela legislação e pelas disposições
internacionais vigentes, reconhecidas pelo Governo Brasileiro.

As estações do SMM somente podem ser operadas nas faixas de freqüências


e tipos de emissão especificados na Licença para funcionamento.

 
Compendio de Estudo Certificação CORTF  Página 10 
Toda estação do SMM está obrigada a transmitir o seu indicativo completo em
linguagem clara, exceto:
- estações instaladas em bóias salva-vidas, quando transmitem sinais de socorro
automaticamente;
- radiobalizas indicando posições de emergência.

O indicativo de chamada das estações do SMM deve ser transmitido pelo


menos uma vez a cada hora.

As estações do SMM devem transmitir os seus indicativos de chamada


freqüentemente, durante o curso das suas transmissões, incluindo as de testes,
ajustes ou experimentais.

As estações radiotelegráficas de navio devem manter escuta durante suas


horas de serviço.

A escuta das estações radiotelegráficas de navio deve ser efetuada duas


vezes por hora, na freqüência de 500 kHz, guardando silêncio durante períodos de três minutos
que se iniciam aos 15 minutos e aos 45 minutos de cada hora,
Tempo Universal Coordenado – UTC.

Todas as estações de navio de radiotelefonia devem manter escuta nas horas


de serviço duas vezes por hora, guardando silêncio durante períodos de três
minutos, que se iniciam ao 00 minuto e aos 30 minutos de cada hora UTC.

Na operação da estação de navio é proibida a utilização das freqüências de


chamada e de socorro para o tráfego de mensagens.
Nas estações de radiocomunicações só podem ser utilizados equipamentos
que tenham certificados expedidos ou reconhecidos pela ANATEL.

A Convenção para a Salvaguarda da Vida Humana no Mar estabelece os


princípios e regras que devem ser observadas para a proteção e segurança da
vida humana.

A estação radiotelegráfica deve ser instalada de maneira a que não venha


sofrer interferência de ruídos exteriores, que possam impedir a recepção dos
sinais radioelétricos.

Uma instalação radiotelegráfica deve incluir uma instalação principal e uma


instalação de reserva, eletricamente separadas e independentes uma da outra.

Os receptores principal e de reserva de uma estação radiotelegráfica devem


receber na freqüência de socorro em radiotelefonia e nas classes de emissão
determinadas para esta freqüência.

O receptor principal deve ser capaz de receber mensagens meteorológicas e


de todas as outras comunicações relativas à segurança da navegação, nas
freqüências e nas classes de emissão utilizadas para a transmissão de sinais
horários.

Em casos excepcionais, as estações de aeronave podem utilizar freqüências


do SMM para estabelecer comunicados com as estações deste serviço.

As estações de aeronaves não podem utilizar as freqüências do SMM.

É proibida toda emissão que possa causar interferência prejudicial às


comunicações de socorro, alarme, urgência ou segurança, transmitidas nas
freqüências internacionais correspondentes.

 
Compendio de Estudo Certificação CORTF  Página 11 
Todas as estações são obrigadas a limitar sua potência irradiada, ao mínimo
necessário a um serviço satisfatório.

É proibido a todas as estações:


- as transmissões inúteis;
- a transmissão de sinais de correspondências supérfluas; e
- a transmissão de sinais falsos ou enganosos.

Com o propósito de evitar interferências, devem ser observadas as


determinações relativas à seleção e à utilização dos equipamentos transmissores e receptores.

Quando uma estação receptora informar sobre uma interferência, deve indicar
todos os dados que possam contribuir para identificação da origem e das
características da interferência.

As interferências radioelétricas, quando detectadas, devem ser informadas à


ANATEL.
As interferências radioelétricas provenientes de aparelhos existentes a bordo,
devem, sempre que possível, ser eliminadas ou suprimidas.

A instalação, a bordo de navios, de antenas ligadas às estações receptoras de


radiodifusão, não deve causar interferência prejudicial ao funcionamento eficaz e correto da
instalação radiotelegráfica.

Os sinais de prova e de ajuste devem ser escolhidos de modo a não ocasionar


qualquer confusão com outro sinal ou abreviatura, que tenham seus significados especiais.

Uma estação terrestre pode utilizar, em circunstâncias excepcionais, todos os


meios disponíveis para prestar assistência a uma estação móvel em perigo.

Qualquer estação a bordo de aeronave ou navio, que participe de operações


de busca e salvamento, pode fazer uso, em circunstâncias excepcionais, de todos os meios de
que disponha para prestar ajuda a uma estação móvel em perigo.

A chamada de socorro tem prioridade absoluta sobre todas as demais


comunicações.

Todas estações de radiocomunicação que ouvirem uma chamada de socorro,


devem cessar imediatamente qualquer transmissão que possa perturbar o tráfego de socorro e
permanecer na escuta da freqüência utilizada.

Os radiotelegrafistas e radiotelefonistas devem observar rigorosamente todas


as disposições relativas ao funcionamento das estações, a fim de não cometerem infrações na
execução do serviço.

As estações de radio costeiras devem estar aptas a assegurar a recepção e a


transmissão das mensagens meteorológicas provenientes de navios e a eles
destinados.

Os navios que não têm comunicação direta com a costa, devem transmitir
suas mensagens meteorológicas por intermédio dos navios do serviço
meteorológico em alto-mar ou por outros navios, que estejam em ligação com a
costa.

Durante as transmissões, a todas as estações (CQ), de informações, alarmes


e previsões meteorológicas, todas as estações de bordo devem obedecer o
preconizado pelo RR.

 
Compendio de Estudo Certificação CORTF  Página 12 
Todo data utilizada nas radiocomunicações deve seguir o Calendário
Gregoriano.

A data utilizada nas radiocomunicações pode ser indicada de forma completa


ou abreviada.

A data utilizada nas radiocomunicações pode ser indicada de forma


totalmente numérica, numa seqüência fixa de algarismos, onde cada grupo
representará o dia, o mês e o ano.

Em radiocomunicações sempre que se indicar uma data, esta deve ser a


correspondente ao meridiano original de longitude zero grau.

Salvo indicação expressa em contrário, sempre se usará o UTC,


representando-se a hora por um grupo de quatro algarismos (0000-2359).

A abreviatura UTC deve ser utilizada em todos os idiomas.

Todas as transmissões devem ser identificadas por sinais específicos ou por


outros meios.

Todas as transmissões operacionais de radiobaliza devem ter sinais de


identificação.
Nas transmissões que tenham sinais de identificação, a estação se
identificará por um sinal de chamada, por um indicativo do SMM ou por qualquer outro
processo reconhecido.

Todas as estações de navio, as quais se aplicam as disposições relativas ao


Serviço Móvel Aeronáutico (SMA) e ao SMM por satélite e todas as estações
costeiras ou estações terrenas costeiras, que possam comunicar-se com estas
embarcações, serão identificadas como do SMM.

Cada País estabelecerá os indicativos de chamada de suas estações, de


acordo com a série que receber internacionalmente.

Quando uma estação terrestre empregar mais de uma freqüência, cada uma
delas pode ser identificada, por meio de Indicativo de Chamada diferente.

As estações costeiras devem, quando possível, utilizar um Indicativo de


Chamada comum para cada série de freqüências.

Os indicativos de chamada das estações dos diversos serviços no Brasil são


formados dentro das séries PPA a PYZ e ZVA a ZZZ.

O cometimento de infrações pode acarretar penalidades tais como,


advertência, suspensão temporária da execução do serviço, multa, caducidade ou declaração
de inidoinedade.

Quem indevidamente divulgar, transmitir a outrem ou utilizar abusivamente


de comunicação telegráfica ou radioelétrica dirigida a terceiro ou conversação
telefônica entre outras pessoas, incorre na pena de multa.

Quem se apossar indevidamente de correspondência alheia, embora não


fechada e, no todo ou em parte a sonega ou destrói, incorre na pena de multa.

Quem impede a comunicação telegráfica ou radioelétrica ou conversação


telefônica está sujeito à multa.

Quem instala ou utiliza aparelho radioelétrico sem observância das normas


legais pertinentes, está sujeito à pena de detenção ou multa.

 
Compendio de Estudo Certificação CORTF  Página 13 
Deixar de cumprir, no prazo estipulado, exigência feita pela ANATEL,
constitui infração nos serviços de telecomunicações.

O agente fiscalizador da ANATEL não pode ser impedido de executar sua


missão.

Constitui infração às normas reguladoras dos serviços de telecomunicações


causar, com a operação da estação ou do equipamento, interferência prejudicial a outros
serviços de telecomunicações.

O Indicativo de Chamada da estação de radiocomunicações, deve ser


transmitido no início e no final de cada comunicado realizado.

Os serviços de telecomunicações são definidos, sempre que possível,


levando-se em consideração sua natureza, fim e âmbito.

Os serviços de telecomunicações são mantidos e explorados diretamente


pela União, que, caso não tenha interesse em explorá-los diretamente, pode,
através de concessão ou permissão, autorizar sua exploração a outras pessoas, naturais ou
jurídicas.

Concessão de serviço de telecomunicações é a delegação de sua prestação,


mediante contrato, por prazo determinado, no regime público, sujeitando-se a
concessionária aos riscos empresariais, remunerando-se pela cobrança de tarifas dos usuários
ou por outras receitas alternativas e respondendo diretamente pelas suas obrigações e pelos
prejuízos que causar.

Permissão de um serviço de telecomunicações é o ato administrativo, pelo


qual se atribui a alguém o dever de prestar serviço de telecomunicações no
regime público e em caráter transitório, até que seja normalizada a situação
excepcional que a tenha ensejado.

 
Compendio de Estudo Certificação CORTF  Página 14 
Operação Radiotelefônica 
O sinal radiotelefônico de socorro será constituído da palavra MAYDAY,
pronunciada como a expressão francesa “M’AIDER” (em espanhol “medé”).

A mensagem radiotelefônica de socorro será constituída do sinal de socorro


MAYDAY, nome ou qualquer sinal de identificação da estação móvel em perigo, indicação
relativa à sua situação, natureza do perigo, tipo de auxílio necessário e qualquer outra
informação que possa facilitar o socorro.

Em radiotelefonia, a estação em perigo ou a que estiver dirigindo o tráfego de


socorro, pedirá silêncio utilizando-se da expressão SILENCE MAYDAY.

Em radiotelefonia, o sinal de urgência consistirá na transmissão do grupo de


palavras “PAN PAN” repetido três vezes antes da chamada.

Em radiotelefonia, o sinal de segurança consistirá da palavra SECURITÉ,


repetido três vezes antes da chamada.

Em radiotelefonia, 2182 kHz é uma das freqüências que equipa as estações


de navios para chamada e socorro.

A freqüência 2182 kHz deve ser empregada, em radiotelefonia, para a


chamada e tráfego de socorro, sinais de radiobalizas de localização de sinistros e para sinal de
mensagens de urgência e de segurança.

A chamada na freqüência de 2182 kHz deve ser limitada aos casos de socorro
e urgência e aos avisos de muita importância para a navegação.

A estação costeira que utilizar a freqüência de 2182 kHz, para fins de socorro,
deve estar em condições de transmitir o sinal de alarme radiotelefônico.

A freqüência 156,8 MHz é uma das freqüências internacionais radiotelefônicas


de socorro, segurança e chamada das estações do Serviço Móvel Marítimo e seu tempo de
transmissão não deve exceder a 1 minuto, de forma a facilitar a
recepção das chamadas de socorro.

O sinal de alarme radiotelefônico consiste de dois sinais aproximadamente


senoidais de freqüência de áudio, transmitidos alternadamente.

O sinal de alarme radiotelefônico consiste de dois sinais, que são transmitidos


alternadamente, sendo que o primeiro deles terá uma freqüência de 2200 Hz e
outro de 1300 Hz, transmitidos cada um, durante 250 milisegundos.

O sinal de alarme, em radiotelefonia, tem por objetivo atrair a atenção do


operador, que está na escuta ou fazer funcionar os aparelhos que dão alarme ou ativar um
dispositivo, que conecta um alto-falante para a recepção da mensagem que vem a seguir.

As estações costeiras devem procurar transmitir o sinal de aviso aos


navegantes, durante um período de 15 segundos, transmitidos em radiotelefonia, nas faixas de
ondas hectométricas do Serviço Móvel Marítimo.

O serviço radiotelefônico das estações de navio, para o qual se exige apenas


o Certificado de Operador Radiotelefonista Restrito, pode ficar a cargo de um
radiotelegrafista portador do Certificado RTE.

As estações de navio que disponham unicamente de equipamento para


radiotelefonia em ondas métricas e que funcionem nas faixas de 156 MHz a 174 MHz devem
procurar manter, em alto mar, escuta em 156,8 MHz.

 
Compendio de Estudo Certificação CORTF  Página 15 
Uma das formas de utilização dos indicativos de chamada ou outros meios de
identificação das estações radiotelefônicas costeiras ou de navio são os sinais de código
morse, transmitidos à velocidade manual.

Uma das formas de utilização dos indicativos de chamada ou outros meios de


identificação das estações radiotelefônicas costeiras ou de navio são os sinais
emitidos em código telegráfico compatível com o equipamento convencional de
impressão.

Qualquer forma recomendada pela UIT pode ser utilizada para os sinais de
identificação das estações radiotelefônicas costeiras ou de navio.

O serviço radiotelefônico internacional de correspondência pública dos navios


será explorado, se possível, em duplex.

Em radiotelefonia não é permitido o uso de dispositivos que transmitem sinais


de chamada ou identificações contínuas ou repetidas.

Nenhuma estação radiotelefônica está autorizada a transmitir informação


idêntica, simultaneamente, em duas ou mais freqüências, quando estiver se
comunicando com outra estação.

As estações radiotelefônicas devem, sempre que possível, ter dispositivos que


lhes permitam passar instantaneamente da transmissão à recepção e vice-versa.

As estações equipadas para radiotelefonia podem transmitir e receber


radiotelegramas em radiotelefonia.

Antes de transmitir, as estações de radiocomunicações devem tomar as


precauções necessárias a fim de evitar interferência às comunicações em
andamento.

Caso seja provável ocorrer interferência numa transmissão, a estação de


radiocomunicações deve esperar cessar a transmissão em curso, antes de iniciar a sua.

A estação de navio, cuja emissão produza interferência na comunicação de


uma estação móvel com uma costeira, deve cessar de transmitir ao primeiro
pedido da estação costeira.

A estação costeira pode solicitar da estação de navio, por meio de abreviatura


TR 9TANGO ROMEO), indicação quanto a situação, roteiro, velocidade e próximo ponto de
escala.

As operações preliminares para o estabelecimento da comunicação


radiotelefônica podem ser efetuadas, também, em radiotelegrafia, conforme
procedimento estabelecido para as comunicações radiotelegráficas.
Quando uma estação radiotelefônica de navio chamar uma estação que efetua
o serviço de praticagem, deve utilizar para a chamada, em ordem de preferência:
a) um canal apropriado nas faixas entre 156 MHz e 174 MHz;
b) uma freqüência de trabalho nas faixas entre 1605 kHz e 4000 kHz; e
c) a freqüência de 2182 kHz (somente para definir a freqüência de trabalho a ser utilizada).

Para efetuar uma comunicação radiotelefônica com a terra, a costeira deve


procurar estabelecer, o mais rapidamente possível, conexão com a rede
telefônica, ficando a estação de navio, no intervalo, em escuta na freqüência de
trabalho que lhe tenha sido indicada pela costeira.

Nas comunicações com a estação costeira, a estação de navio deve seguir as


instruções da costeira, em tudo o que se referir à ordem e hora de transmissão,
escolha de freqüência, duração e suspensão do trabalho.

 
Compendio de Estudo Certificação CORTF  Página 16 
No caso de comunicações radiotelefônicas na transmissão dos
radiotelegramas não será necessário transmitir, mais de uma vez, o indicativo de chamada ou
outro sinal de identificação.

A transmissão de um ou de uma série de radiotelegramas deve ser


considerada terminada até que se tenha recebido o “aviso de recebimento”.

O fim de trabalho entre duas estações deve ser indicado pela palavra
“Terminado”(ou VA utilizando as palavras de código VICTOR ALFA).

A transmissão de chamada e dos sinais preparatórios de tráfego em 2182 kHz


ou em 156,8 MHz não deve exceder a um minuto, exceto nos casos de socorro, urgência ou
segurança.

São proibidas as emissões do sinal de prova do alarme radiotelefônico em


2182 kHz e 156,8 MHz, exceto quando o equipamento de socorro só possa emitir nestas
freqüências.

Para facilitar as comunicações radiotelefônicas podem ser utilizadas as


abreviaturas do Alfabeto Fonético Internacional.

A abreviatura “DE” representa, no Alfabeto Fonético Internacional, as palavras


DELTA ECHO.

A abreviatura “TR” representa, no Alfabeto Fonético Internacional, as palavras


TANGO ROMEO.

A abreviatura “PT” representa, no Alfabeto Fonético Internacional, as palavras


PAPA TANGO.

A abreviatura “Z” representa, no Alfabeto Fonético Internacional, as palavras


ZULU.

A abreviatura “AF” representa, no Alfabeto Fonético Internacional, as palavras


ALFA FOXTROT.

As abreviaturas “W”, “X”, “Y” e “Z”, no Alfabeto Fonético Internacional,


correspondem as palavras WHISKEY, X-RAY, YANKEE e ZULU,
respectivamente.
As abreviaturas “V”, “U”, “T” e “S”, no Alfabeto Fonético Internacional,
correspondem as palavras VICTOR, UNIFORM, TANGO e SIERRA,
respectivamente.

As abreviaturas “O”, “P”, “Q” e “R”, no Alfabeto Fonético Internacional,


correspondem as palavras OSCAR, PAPA, QUEBEC e ROMEO,
respectivamente.

As abreviaturas “N”, “M”, “L” e “K”, no Alfabeto Fonético Internacional,


correspondem as palavras NOVEMBER, MIKE, LIMA e KILO, respectivamente.

As abreviaturas “J”, “I”, “H” e “G”, no Alfabeto Fonético Internacional,


correspondem as palavras JULIETT, INDIA, HOTEL e GOLF, respectivamente.

As abreviaturas “B”, “C”, “D”, “E” e “F”, no Alfabeto Fonético Internacional,


correspondem as palavras BRAVO, CHARLIE, DELTA, ECHO e FOXTROT,
respectivamente.

Os números, no Alfabeto Fonético Internacional, são considerados sinais,


representados por palavras.

 
Compendio de Estudo Certificação CORTF  Página 17 
Os sinais 0, 1, 2 e 3 são representados, no Alfabeto Fonético Internacional,
pelas palavras NADAZERO, UNAONE, BISSOTWO e TERRA-THREE.

Os sinais 4, 5 e 6 são representados, no Alfabeto Fonético Internacional, pelas


palavras KARTEFOUR, PENTAFIVE e SOXISIX.

Os sinais 7, 8 e 9 são representados, no Alfabeto Fonético Internacional, pelas


palavras SETTESEVEN, OKTOEIGHT e NOVENINE.

Auto Alarme Radiotelefônico é um aparelho receptor de alarme automático,


que responde ao sinal de alarme radiotelefônico.

As comunicações de socorro, segurança e urgência se aplicam a todas as


estações de telecomunicações e são efetuadas sempre que seja necessário
salvaguardar e proteger a vida humana ou a propriedade.

As estações de embarcações ou dispositivos de salvamento e as estações de


radiobaliza de localização de sinistros, também podem participar do Serviço Móvel Marítimo.

As mensagens do Serviço de Operações Portuárias estão restritos àquelas


relacionadas ao controle operacional, ao movimento e à segurança de
embarcações e, em emergência, à segurança das pessoas.

No Serviço de Operações Portuárias não serão admitidas mensagens de


natureza de correspondência pública.

As estações de navio que mantenham escuta simultaneamente em 2182 kHz


e numa freqüência de trabalho, devem procurar chamar estações nesta
freqüência.

Quando uma estação receber uma mensagem, sem ter certeza de que lhe foi
destinada, não responderá, até que a chamada tenha sido repetida e
compreendida.

Quando uma estação receber uma chamada a ela destinada, tendo porém
dúvidas quanto a identificação da estação que chama, deve responder
imediatamente e pedir que seja repetido o indicativo de chamada ou qualquer
outro sinal de identificação.

 
Compendio de Estudo Certificação CORTF  Página 18