P. 1
pORTOS DE PARANAGUA E ROTERDÃ

pORTOS DE PARANAGUA E ROTERDÃ

|Views: 7|Likes:
Publicado porGenilson Almeida

More info:

Published by: Genilson Almeida on Feb 11, 2014
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/25/2014

pdf

text

original

Portos de Paranaguá e Roterdã

Professora: Vera Saboya Aluno: Felipe Argolo Pires Período: 4º Turno: Noite Campus: Norte Shopping atri!ula: "##$#%""#"%"
%

e 5 o <ni!o no 4rasil !om um programa de !onstru)/o de terminais p<bli!os+ al5m disso+ in(este.oterd/0 1 porto de Paranagu.ond3nia+ S/o Paulo+ .se na 'ualidade dos produtos importados !om o trabalho de !lassifi!a)/o dos gr/os e a aferi)/o do peso de todas as !argas0 1 porto de .oterd/ re!ebeu BD" milh*es de toneladas0 " .PORTOS DE PARANAGUÁ E ROTERDÃ &ssa pes'uisa foi desen(ol(ida para a(aliar !ondi)*es+ ser(i)os+ e infra.io 2rande do Sul+ e países !omo 4olí(ia+ Argentina e Paraguai0 A (o!a)/o do porto 5 (oltada para a ati(idade graneleira+ mas !om o passar dos anos o porto passou a agregar no(os mer!ados0 1 porto 5 !onsiderado o maior porto graneleiro da Am5ri!a 6atina+ em "##$ o porto te(e uma re!eita !ambial de 7S8 %%+9 bilh*es0 1 Porto de Paranagu.estrutura dos portos de Paranagu.oterd/ tem 'uase oito s5!ulos de e=ist>n!ia e 5 o maior porto da &uropa e o ter!eiro maior porto do mundo+ o porto ofere!e uma ?tima infraestrutura !om di(ersos terminais 5 um lugar bem plane@ado e organiAado 'ue entre outras ati(idades faA transporte de !argas0 Numa !ompara)/o !om o porto de Santos 'ue em "##4 re!ebeu B9## na(ios de longo !urso+ o porto de .re!ebe mer!adorias de oito estados brasileiros Paran-+ Santa Catarina+ ato 2rosso+ ato 2rosso do Sul+ 2oi-s+ .5 respons-(el por mais de :#.oterd/ re!ebeu B#### na(ios+ e nesse mesmo ano o porto de Santos te(e um mo(imento re!orde de C9 milh*es de toneladas+ en'uanto 'ue . da re!eita !ambial do estado do Paran.e .

estrutura da opera)/o portu-ria+ o Fnfraport0 &sse tem (inte e seis ta=as0 A Tabela 4 s/o as tarifas espe!iais+ de(idas ao re'uisitante+ essas tarifas s/o !obradas pela utiliAa)/o de torres de !arregamento ou des!argas de gran5is s?lidos !om !apa!idade at5 C##toneladasGhora+ superior a C##toneladasGhora e superior !om opera)/o em a)<!ar0 & a 'uinta tabela 5 di(idida em tr>s partes0 A primeira parte s/o os ser(i)os a!ess?rios 'ue s/o relati(os a !onsumo de -gua+ energia+ !obran)a de !ertid*es+ de 46HS+ libera)/o de mer!adorias+ autoriAa)/o para presta)/o de ser(i)os dentro do porto+ e !obran)as de forne!imento de fiel deposit-rio0 A segunda parte se refere+ aos ser(i)os de apoio0 Cobran)a de(ido ao fato da utiliAa)/o das instala)*es de armaA5m da APPA IAsso!ia)/o dos portos de Paranagu.eais0 A ter!eira tabela se refere a utiliAa)/o da infra.PARANAGUÁ Tipos de Serviços Prestados 1 porto de Paranagu.ofere!e uma gama de ser(i)os0 1s ser(i)os ofere!idos pelo porto s/o de !ara!terísti!as informati(as+ de apoio+ de desen(ol(imento de pro@etos+ seguran)a e outros0 1 porto informa as tarifas portu-rias+ 'ue s/o di(ididas em !in!o tabelas0 A tabela % 5 referente E infra.estrutura marítima ou Fnframar e Fnframar de !ostagem 'ue 5 de(ida pelo armador+ afretador ou seu preposto0 A Fnframar !ont5m oito ta=as+ !omo por e=emplo+ importa)/o e e=porta)/o de gran5is s?lidos+ deri(ados de petr?leo e -l!ool a granel0 A Fnframar de !abotagem tamb5m !ont5m oito itens0 A tabela " 5 utiliAada para !obran)a da infra.estrutura de a!ostagem 'ue 5 a tarifa Fnfra!ais+ essa tarifa tem uma <ni!a ta=a 'ue 5 o metro linear do !umprimento total da embar!a)/o por período de C horas ou fra)/o de .e AntoninaJ+ utiliAa)/o de ser(i)os !one=os 'ue s/o ser(i)os !omo+ pesagem de mer!adorias em !aminh*es B .

um p-tio !om !apa!idade de armaAenagem para !er!a de tr>s mil !ont>ineres+ ser/o reformados os transt>ineres+ ter. FSPS C1L&0 1 Plane@amento do porto+ referente E rela)/o de e=porta)/o de gran5is s?lidos+ lí'uidos e a e=tra)/o de !arga em geral0 Plane@amento de importa)/o de ser(i)os de infra.uma tarifa p<bli!a de a!esso uni(ersal0 1 distrito industrial alfandeg-rio !om B4#mil mK lo!aliAado em -rea prim-ria+ ter.!er!a de (inte empresas instaladas+ isen)/o de impostos para produtos e=portados+ !om um in(estimento de .ou (ag*es+ abertura de (olumes para (erifi!a)/o ou (istoria+ e utiliAa)/o de e'uipamentos da APPA0 & a ter!eira parte das tarifas !on(en!ionais s/o os ser(i)os de armaAenagem+ sob mer!adorias importadas do estrangeiro+ mer!adorias di(ersas na!ionais ou na!ionaliAadas depositadas em armaA5ns ou p-tios n/o alfandegados+ !ereais a granel+ e farelos a granel0 As outras tarifas s/o re!eitas !omo+ ta=a de administra)/o+ anuidade para a!esso ao porto on.obra+ e a tarifa da CFF por dias de armaAenagem0 1 porto tamb5m informa a rela)/o de na(ios atra!ados+ as !argas 'ue est/o atra!adas+ na(ios 'ue est/o ao largo da !osta+ e os na(ios 'ue s/o esperados em at5 49 horas+ esse ser(i)o 5 denominado de lineup do porto0 Com rela)/o aos pro@etos para o porto de Paranagu-+ atualmente e=istem 'uatro0 1 terminal p<bli!o de !ont>ineres 'ue ter.a "0%DC09"%mK+ tertamb5m um muro de B0$4%m lineares+ esse pro@eto representarum in(estimento de .line0 A tarifa de ser(i)os de m/o.9"#m de !ais+ B no(os ber)os+ num praAo de B anos+ e um in(estimento de .8"0D##0###+##0 1utros ser(i)os s/o 6i!ita)*es e Normas de seguran)a.estrutura+ !omo !alados+ a!ostagem+ a!esso+ fundeadouros+ -rea de manobra+ graneis s?lidos0 1 porto de Paranagu.8%C#0###0###+##0 & por <ltimo o pro@eto de amplia)/o da -rea prim-ria de atra!a)/o 'ue disp*e ho@e de uma -rea de "9"09##mK+ o pro@eto pre(> uma amplia)/o de %09$40#"%mK 'ue num total !hegar.890###0###+##0 Pro@eto Cais 1este 'ue ter.tamb5m !ont5m ser(i)o de estatísti!as0 4 .de.

tem as suas fun)*es dentro do porto0 Fun)*es de propor+ elaborar e implementar políti!as e D .1 ser(i)o mostra as mo(imenta)*es gerais no porto0 A mo(imenta)/o geral de mer!adorias at5 B#G#4G#: tem os seguintes n<meros: &=porta)/o $0C#B0999 toneladas a importa)/o %0$B#04%D toneladas A mo(imenta)/o de !ont>ineres para e=porta)/o em "##9 foi de ":$0B#% e para importa)/o B#$0B9:0 A mo(imenta)/o de na(ios no porto de Paranagu.5 !lassifi!ada por tipo de na(io0 &m "##9 atra!aram %$: na(ios de !arga geral+ $:B na(ios full !ont>iner+ %# na(ios g-s li'uido de petr?leo+ 4DD de gran5is lí'uidos+ $4% de gran5is s?lidos+ e %DD na(ios roll on e roll off+ totaliAando "BBB na(ios atra!ados em "##90 A mo(imenta)/o de (eí!ulos para e=porta)/o foi de 9%0:%C e para importa)/o foi de 9#0D#B em "##9+ num total de %C"04%C0 A !ada ano a re!eita !ambial de e=porta)/o no porto aumenta o gr-fi!o mostra a e(olu)/o de "##" at5 "##9: 1 <ltimo ser(i)o prestado 5 tamb5m um dos mais importantes+ 'ue 5 o ser(i)o de meio ambiente realiAado pelo 2A A. Igrupo setorial de gest/o ambiental mar e terraJ+ por ser ne!ess-ria a implementa)/o de políti!as ambientais0 1 ob@eti(o do ser(i)o 5 plane@ar+ pes'uisar+ !ontrolar e monitorar os assuntos relati(os Es interfa!es ambientais mar e terra !om as ati(idades portu-rias em entendimento !om as diretriAes dos ?rg/os ambientais e da ANTAM0 Lentre esses ob@eti(os o 2A A.

realiAa ati(idades de Lragagem es!a(ando !anais de a!esso e -reas de atra!a)/o do porto para manuten)/o ou o aumento da profundidade0 A ati(idade de fumiga)/o 'ue 5 o ato de e=por um !orpo E influ>n!ia do fumo+ de gases ou (apores+ neste !aso a fumiga)/o !onsiste na manipula)/o e apli!a)/o de produtos 'uími!os na -rea do porto organiAado para o !ontrole de pragas0 &sta opera)/o 5 realiAada pelo grande flu=o de pessoas+ bens de !onsumo+ mudan)as !lim-ti!as e as pr-ti!as agrí!olas 'ue propor!ionam a dispers/o de organismos ao redor do planeta0 S/o !onhe!idos !omo esp5!ies in(asoras 'ue ao se estabele!erem em -reas diferentes da sua origem podem !ausar impa!tos ao e!ossistema re!eptor e para a sa<de e a e!onomia0 1utra ati(idade 5 a edu!a)/o ambiental0 1 mane@o de pragas 'ue 5 realiAado por uma e'uipe espe!ialiAada em Aoonoses e animais sinantr?pi!os !omo ratos+ pombos et!0 esse mane@o 5 realiAado periodi!amente nos armaA5ns e demais instala)*es0 A -gua de 6astro . no setor na(al 5 utiliAado um sistema de tan'ues de lastro+ os 'uais s/o preen!hidos !om -gua para manter a estabilidade do na(io durante a sua tra(essia at5 o pr?=imo porto+ o lastro estasso!iado E bioin(as/o+ o 'ue 'uer diAer 'ue na -gua e nos sedimentos 'ue est/o asso!iados a ela podem !onter organismos pro(enientes de (-rias partes do globo o 'ue pode !ausar impa!tos E regi/o+ de a!ordo !om a norma marítima "# todos os na(ios estrangeiros ou na!ionais de(em geren!iar a -gua de lastro os !omandantes de(em en(iar formul-rios aos ?rg/os !ompetentes e tamb5m de(em faAer a tro!a da -gua a pelo menos C .diretriAes para o desen(ol(imento da 'ualidade ambiental nas opera)*es portu-rias e as -reas de abrang>n!ia do porto0 A)*es de !ontrole ambiental das ati(idades e empreendimentos por meio de um plano de gest/o de resíduos s?lidos e lí'uidos nas -reas do porto0 Plano de &merg>n!ia IP&FJ para o !ombate E polui)/o por ?leo e substNn!ias no!i(as0 Plano de a@uda m<tuo IPA J0 Pro!edimentos de li!en!iamento ambiental das ati(idades portu-rias @unto aos ?rg/os ambientais !ompetentes0 As medidas ambientais propostas no estudo de impa!to ambiental para amplia)/o e moderniAa)/o da estrutura portu-ria do Porto de Paranagu.!omo os planos de programas ambientais nele propostos0 1 2A A.

!onta !om BD terminais e mais a inaugura)/o de um no(o 'ue 5 o terminal de para fertiliAantes e 4 p-tios para (eí!ulos e mais um no(o+ eles s/o di(ididos por tipo de mer!adoria0 Para gran5is s?lidos o porto !onta !om onAe terminais+ sendo um p<bli!o e deA arrendados e pri(ados+ em !apa!idade de ensilagem para %04"C0D## toneladas+ !onta tamb5m !om seis ber)os de atra!a)/o+ deA ship loaders sendo sete para %0D## tGh dois para %0### tGh e um para 9## tGh0 Para gran5is lí'uidos e=istem tr>s terminais+ dois arrendados e um pri(ado !om 'uatro ber)os de atra!a)/oO sua !apa!idade total de armaAenagem 5 de D#B0%DC mQ+ sendo sua !apa!idade de e=porta)/o igual a B04D# mQGh e de importa)/o igual a B0### mQGh0 Na modalidade de !arga geral+ o porto !onta !om "% armaA5ns entre p<bli!os e arrendados para uma -rea de CB0:9# mK e !apa!idade opera!ional de %0D## toneladas para na(ios sem prefer>n!ia a :0### toneladas !om prefer>n!ia maior para !arga geral Ina(ioGdiaJ0 Na -rea de !ongelados mere!e desta'ue a re!ente dupli!a)/o dos armaA5ns arrendados a Sadia+ ampliando (erti!almente e possibilitando uma armaAenagem de at5 90D## toneladas0 1 no(o terminal de fertiliAantes e o p-tio de (eí!ulos foram !onstruídos !om re!ursos pr?prios do porto+ as duas obras somadas geram !er!a de %D milh*es em in(estimentos0 1 porto de Paranagu.ho@e 5 o maior importador de fertiliAantes do 4rasil em "##9 foram registrados C+B milh*es da entrada do produto+ o !omple=o possui esteiras transportadoras ligando um silo at5 a fai=a portu-ria+ essas esteiras possuem !apa!idade para transportar %0### toneladas por hora 'ue ir/o retirar o produto direto do interior dos por*es dos na(ios e deposit-.feita por esteiras+ em m5dia $ .los no silo !om !apa!idade de B" mil toneladas0 1s !aminh*es difi!ulta(am a agilidade da opera)/o 'ue agora ser.B"" 'uil3metros da terra mais pr?=ima e em -guas !om pelo menos "## metros de profundidadeO o 2A A. tamb5m realiAa e(entos e sinaliAa)/o n-uti!a0 Terminais Po@e o porto de Paranagu.

s/o realiAadas por di(ersas empresas0 Lentre essas foram tirados dois e=emplos dessas opera)*es+ das empresas Cargona(e 'ue realiAa plane@amento pr5(io e detalhado da opera)/o !ontratada+ e=e!u)/o !om m5todos e e'uipamentos ade'uados a !ada !aso+ !oordena)/o de transporte terrestre e marítimo+ at5 o destino final da !arga+ !ontrata)/o e super(is/o de armaAenagens intermedi-rias e geren!iamento de e=pedi)/o da !arga em opera)*es de logísti!a @ust.1nG.oll.era pre!iso %0"## (iagens de !aminh/o para faAer a des!arga de um na(io de B# mil toneladas0 1 no(o p-tio de flu=o de (eí!ulos est.time0 & da empresa 1rion 'ue opera !omo empresa de esti(agem nos portos p<bli!os onde estestabele!ida !om es!rit?rios pr?prios+ as opera)*es de esti(a da empresa 5 !oberta por um seguro de 7S8 C##0###+##+ para as opera)*es !om gran5is !onta.se !om grabs pr?prios 'ue s/o um tipo de mo(imenta)/o de !arga utiliAada para !arregar e des!arregar !argas a granel e tremonhas0 In ra!estrutura La infra.lo!aliAado num terreno de B# mil mK somando.estrutura do porto do 'ue diA respeito E a!ostagem+ o !ais p<bli!o tem "09%C metros de e=tens/o !om %4 ber)os para atendimento simultNneo de %" a %4 na(ios+ e um ber)o !om dolfins+ na e=tremidade E 6este do Cais p<bli!o+ para atra!a)/o de na(ios .1ff0 1 píer de inflam-(eis tem ber)os internos de %$4 metros de e=tens/o e e=terno !om %94 metros+ 1 píer de gran5is lí'uidos !ont5m ber)os internos e e=ternos !om "44 metros de e=tens/o !ada+ e o píer de fertiliAantes !ont5m tamb5m ber)os internos e e=ternos !om "BD metros !ada0 Para a -rea de manobra as ba!ias de e(olu)/o est/o delimitadas pelas se)*es A+ 4 e C+ das !artas 'ue definem as -reas de manobra dos na(ios0 &stas t>m largura de D##m ao longo de toda e=tens/o do !ais !omer!ial0 9 .se aos mais 'uatro p-tios+ totaliAando onAe mil (agas para mo(imenta)/o de (eí!ulos0 Operações Portuárias As opera)*es portu-rias no porto de Paranagu.in.oll.

F21T L& S17SA situada no muni!ípio de ANT1NFNA.onGroll.P.off e PCCIPure Car CarrierJ se integram as modalidades de !arga geral no porto de Paranagu-0 1 transporte !onteineriAado no Porto de Paranaguofere!e uma e=!elente estrutura opera!ional de !ais e p-tio do TCPITerminal de Cont>ineres de Paranagu-J0 1 p-tio !ompreende uma -rea de B#"09##mK+ dois ber)os espe!ialiAados de atra!a)/o+ guindastes 'ue retiram os !ont>ineres dos na(ios IPortainerJ+ & guindastes 'ue s/o utiliAados nos p-tios Itranst>inerJ+ !aminh*es+ !arretas !om !apa!idade para armaAenar estati!amente %B0DC# !ont>ineres0 Por suas instala)*es e efi!i>n!ia opera!ional pode ser !omparado !om os mais modernos terminais dos portos desen(ol(idos0 Para operar o sistema : .!onta !om modernos sistemas de !omuni!a)/o e inform-ti!a+ posto de !orreio e telef3ni!o bem !omo telefones p<bli!os instalados na -rea prim-ria0 Para os !ombustí(eis h.foi des!rita para os terminais0 A energia el5tri!a 5 forne!ida pela C1P&6 Companhia Paranaense de &nergia &l5tri!a+ gerada pela usina PA.estrutura para !arga geral+ gran5is lí'uidos e s?lidos @.1 suprimento de -gua 5 feito pela &mpresa Rguas de Paranagu-+ !om hidr3metros instalados nos reser(at?rios e+ destes+ Es redes e=istentes ao longo do !ais !om hidr3metros nos ber)os de atra!a)/o+ permitindo forne!imento medido a na(ios0 A infra.0 Na -rea prim-ria o Porto !onta !om uma subesta)/o de re!ep)/o !om tens/o de %B+9 TV e+ !om outra+ Ualternati(aV+ de mesma !apa!idade0 Pot>n!ia instalada de transforma)/o igual a "40B## TVA0 &nergia &l5tri!a disponí(el em redes de %%#G""#GB9# V IC# Ci!losJ+ atra(5s de !ai=as muflas distribuídas ao longo dos ber)os de atra!a)/o e p-tios0 Tomadas para !ont>ineres refrigerados: %04## Imil e 'uatro!entosJ disponí(eis no p-tio de !ont>ineres do TCP Terminal de Cont>ineres de Paranagu-0 1 ser(i)o de tele!omuni!a)*es no porto de Paranagu.tomadas para abaste!imento de na(ios !om ?leo bunWer no !ais dos produtos inflam-(eis e atra(5s de bar!a)as para na(ios atra!ados ou ao largo0 No p-tio de !ont>ineres e no p-tio de autom?(eis os sistemas de transporte !onteineriAado+ roll.

!onteineriAado !om os na(ios PCC o porto !onta !om um ber)o espe!ialiAado na e=tremidade leste do !ais p<bli!o ligado por (ia rodo(i-ria espe!ífi!a a um p-tio de %"#0###mK e a outro !om "$0###mK+ alem de duas -reas protegidas I!er!adasJ 'ue s/o utiliAadas para apoio a este tipo de opera)/o0 Nos Fundeadouros o fundeio dos na(ios 5 realiAado nas -reas espe!ifi!amente destinadas para !ada fim+ !onforme !artas n-uti!as de marinha nºs %09"% e %09""0 No porto o sistema eletr3ni!o utiliAado 5 o NAV6FNT+ 'ue !ontrola a -rea alfandegada+ os armaA5ns para !arga geral solta+ a manuten)/o de e'uipamentos+ e a monitora)/o do baliAamento do !anal de a!esso ao porto0 1 p-tio de triagem !om -rea protegida de BB#0### mK para %04## !aminh*es+ dotado de infraestrutura 'ue engloba moderno sistema de som 'ue abrange toda -rea e 5 utiliAado para !onferir maior seguran)a e fa!ilidade de !omuni!a)/o entre a administra)/o do p-tio e motoristas nos treAe setores de esta!ionamento e=istentes0 P.tamb5m trinta e seis !antinas.restaurantes e (inte e oito unidades de sanit-rios a!oplados+ totaliAando %0$%C mK de -rea !onstruída0 7m posto de an-lise e !lassifi!a)/o de produtosO tr>s amplos banheiros !oleti(os+ sendo um femininoO entradas e saídas modulares m<ltiplas+ respe!ti(amente para 'uatro e dois !aminh*es simultaneamente0 1s Calados do porto possuem $ di(is*es0 1 Canal da 2alheta tem um !alado m-=imo de %B+%% metros na -rea e=terna e %%+9: metros na -rea interna0 A 4a!ia de &(olu)/o tem !alado 'ue (aria entre 9+DB e %%+9: metros !om uma largura de D## metros ao longo de toda e=tens/o do !ais p<bli!o0 1 Terminal arítimo da Cattalini tem !alado de %%+9: metros no ber)o e=terno e $ metros no ber)o interno0 1 Terminal dos Fnflam-(eis tem !alado de %%+D9 metros no ber)o e=terno e %# metros no interno0 1 Terminal da Fospar a!eita !alado at5 %#0C$ metros a 'ual'uer hora+ a!ima disso e at5 %"+%: metros da preamar at5 " horas+ ap?s a preamar+ tanto no período diurno !omo noturno0 Nos fundeadouros nas -reas % e "X+ s/o e=!lusi(as para bar!a)as+ %# .

estrutura Aeroportu-ria Y FNF.a administra)/o estpreo!upada em garantir essa prote)/o promo(endo a melhoria dos !ontroles opera!ionais de !argas e (eí!ulos0 As estruturas de seguran)a abrangem a!essos logísti!os !omo o a!esso ferro(i-rio+ a!esso de !aminh*es+ a!esso de pessoas+ no(as balan)as+ !argas espe!iais+ (isitantes+ autoridades+ e prestadores de ser(i)os0 Os modais 1 modal rodo(i-rio do porto tem a!esso pela 4."$$+ ligando Paranagu.4%% e P. 4#9+ P.se de tr>s aeroportos 'ue operam !om linhas regulares de passageiros+ lo!aliAando..A&..%%C pelas rodo(ias P.estrutura de seguran)a+ o porto trabalha !om as normas do FSPS !ode IFnternational ship port fa!ility se!urityJ0 A norma foi !riada ap?s o in!idente de %% de setembro a 1rganiAa)/o arítima Fnterna!ional IF 1J em no(embro de "##% !on!ordou em desen(ol(er no(as medidas E prote)/o de na(ios e instala)*es portu-rias+ o !?digo (isa intensifi!ar a prote)/o marítima+ !om esses no(os re'uisitos formam uma estrutura interna!ional atra(5s das 'uais na(ios e instala)*es portu-rias possam !ooperar e dete!tar e dissuadir atos 'ue amea!em a prote)/o no setor de transporte marítimo0 No porto de Paranagu.ainda a linha de oleoduto !om :# Wm de e=tens/o+ para deri(ados de petr?leo+ interligando o terminal de inflam-(eis do Porto de Paranagu-+ operado pela PetrobrasGTranspetro+ !om a refinaria 2et<lio Vargas em Arau!-ria0 1 sistema aero(i-rio do &stado do Paran-+ administrado pela empresa brasileira de Fnfra.4%#0 No modal ferro(i-rio a atual malha ferro(i-ria 'ue liga o Porto de Paranagu-+ 5 administrada e operada pela Con!ession-ria A66 Y IAm5ri!a 6atina 6ogísti!aJ+ formando o segmento ferro(i-rio do Corredor do Paran.1+ !omp*e.se nos muni!ípios de %% .Las -reas " a : os !alados (ariam de C+%# at5 %"+D# metros+ a -rea %# 5 e=!lusi(a para fundeio e atra!a)/o de bar!a)as utiliAadas no transporte das estruturas e de plataformas 1FFSP1.&0 La infra...a Curitiba e !one!tando a 4.G Santa Catarina numa e=tens/o de !er!a de "+" mil 'uil3metros+ transportando+ prin!ipalmente gran5is agrí!olas+ fertiliAantes e !ombustí(eis0 1s oleodutos !omplementam os meios de transportes terrestres+ h..

oterd/0 \ uma empresa p<bli!a 'ue tem !omo s?!ios o muni!ípio de .ligado diretamente ao mar do norte+ e tamb5m ofere!e e=!elentes liga)*es intermodais0 1 porto tamb5m ofere!e uma boa a!essibilidade e tamb5m !onta !om pro@etos 'ue ir/o fa!ilitar ainda mais o !om5r!io e=terior na &uropa !om a !onstru)/o de um no(o porto dentro do porto de %" .oterd/ 5 o gerente+ operador e programador da -rea portu-ria da !idade .oterd/0 Na abordagem da -rea ao largo da !osta 5 ne!ess-rio o desen(ol(imento+ a !onstru)/o+ a gest/o e a opera)/o da -rea portu-ria0 As fun)*es do porto de .estrutura portu-ria+ e operadores portu-rios0 \ um porto !on!entrador de !argas+ e tamb5m um !omple=o industrial0 Tem !apa!idade para suportar 4## milh*es de toneladas de mer!adoria anualmente+ est.oterd/ e o estado0 1s ob@eti(os do porto 5 operar em dois domínios o transporte marítimo e portu-rio0 Para promo(er o fun!ionamento efi!aA+ seguro+ e a efi!iente mo(imenta)/o dos na(ios no porto de .oterd/ englobam ser(i)os !omo: Autoridade portu-ria 'ue garanta fis!aliAa)/o e seguran)a+ Fnfra.S/o Zos5 dos Pinhais+ regi/o metropolitana de Curitiba e E 9# Wm de Paranagu-+ 6ondrina e FoA do Fgua)u0 & o transporte marítimo 'ue tem a!esso pela barra de entrada o !anal da galheta+ definida nas Cartas N-uti!as de arinha nºs %09"% e %09""+ !om %D# a "## metros de largura+ e "# milhas de e=tens/o0 In "uen#ia da sua "o#a"i$aç%o &eo&rá i#a Na !idade de Paranagu-+ no &stado do Paran-+ na margem sul da baía de Paranagu-+ lo!aliAa)/o esta 'ue se !ara!teriAa em um abrigo natural para as embar!a)*es+ fa!e a tran'[ilidade das -guas da baía+ o 'ue torna o Porto e=!elente sobre o ponto de (ista de seguran)a0 ROTERDÃ Tipos de Serviços Prestados 1 porto de .

a!essí(el para !arriers 'ue s/o in!apaAes de atra!ar em outros portos da &uropa0 1utro ser(i)o ofere!ido s/o os setores do porto 'ue abaste!em 'ual'uer tipo de !arga+ 'ual'uer (olume+ e a 'ual'uer re'uisito0 A logísti!a por onde esses produtos s/o en(iados para !ada parte da &uropa 5 muito efi!iente+ usando todos os modais disponí(eis0 Terminais 1s portos de maior profundidade est/o mais pr?=imos ao litoral+ o maior deles 5 o 9º porto de petr?leo 'ue fi!a fora da linha !osteira0 \ onde os SuperTanWers s/o des!arregados+ a maioria pro(eniente do 2olfo P5rsi!o0 1s grandes tan'ues !ir!ulares !om !apa!idade total de milh*es de gal*es+ parte do terminal de petr?leo aas(laWte pro(eniente de (-rias empresas petrolíferas+ esses tan'ues s/o usados para o transporte de ?leo !ru0 1utro porto 5 o issisippiha(en+ onde est..lo!aliAado um grande terminal de min5rio+ o &&CV no !anal Caland onde at5 as maiores embar!a)*es s/o atendidas0 Super Carriers !omo 4erge Stahl dependem desse terminal+ 'ue 5 o <ni!o na &uropa 'ue pode ser a!essado por essas embar!a)*es t/o grandes0 Naturalmente 'ue min5rio n/o 5 a <ni!a !ommodity transportada nessas embar!a)*es0 Car(/o e metais s/o igualmente importantes+ assim !omo bens agrí!olas e outras !argas se!as0 A regi/o do &urooport 5 o mais importante lo!al de transfer>n!ia de bens em massa da &uropa0 1s maiores terminais s/o prin!ipalmente dedi!ados ao manuseio de min5rio e !ar(/o0 1 terminal de !ar(/o n/o 5 apenas usado para le(ar !ar(/o para o !ontinente+ mas tamb5m para forne!er !ombustí(el para a usina el5tri!a de aas(laWte0 7ma rede de !ondutores subterrNneos transporta !ar(/o direto das embar!a)*es at5 as !ar(oeiras da usina+ 'ue produA a eletri!idade forne!ida para toda a -rea industrial0 1 montante de min5rio e !ar(/o re!ebido 5 transferido para embar!a)*es menores e trens+ 'ue !uidam do transporte para o interior do !ontinente0 2rande parte do min5rio (ai para a regi/o do .uhr+ na Alemanha+ para ser fundida na ind<stria do a)o alem/0 %B .oterd/ o aas(laWte " !om uma profundidade de "# metros 'ue ser.

e mais de "# grandes empresas 'uími!as possuem instala)*es na -rea0 &ssas empresas dependem totalmente do Porto para o forne!imento de mat5ria. prima e da logísti!a de todo o setor para a distribui)/o de produtos finais e semifinais entre instala)*es e empresas0 Todos esses mo(imentos !riam seus pr?prios problemas de logísti!a0 Tanto as estradas 'uanto as ferro(ias da -rea de(em ser !onstantemente e=pandidas para poderem atender E !res!ente ne!essidade de transporte0 Operações Portuárias 1 porto de .oterd/ tem os maiores e mais modernos terminais do mundo0 7m deles !hamado 5 Terminal Fantasma+ 5 assim !hamado por n/o ha(er motoristas dirigindo !aminh*es nem operadores manobrando empilhadeiras+ 5 um !omple=o terminal informatiAado 'ue 5 !ontrolado por uma torre0 7ma das empresas 'ue trabalham no porto de .oterd/ lo!aliAa.oterd/+ !om opera)*es portu-rias 5 a V1PAT+ ofere!e ser(i)os !omo armaAenagem de produtos em terminais ou tan'uesO mo(imenta)/o de (olumes em píeres e linhas e ser(i)os de utilidade+ transfer>n!ia+ do!umenta)/o+ alfNndega+ limpeAa+ blendagem e !arga e des!arga de na(ios+ trens+ !aminh*es e bar!a)as0 %4 .oterd/0 No setor de bens em geral+ !ont>ineres se tornaram !ada (eA mais importantes por poderem ser embar!ados !om muito mais efi!i>n!ia 'ue produtos soltos0 1s !ont>ineres t>m dois tamanhos padr*es+ "# e 4# p5s+ o 'ue possibilita a lota)/o de embar!a)*es sem desperdí!io de espa)o0 A maioria dos !ont>ineres 5 transferida nos Terminais Combinados I&CTJ+ onde guindastes automatiAados e !aminh*es !omputadoriAados manuseiam !ont>ineres !om um mínimo de inter(en)/o humana0 1s portos 'ue fi!am mais ao interior s/o bem menores0 A maior parte da ind<stria 'uími!a de .Al5m de produtos lí'uidos e se!os em massa+ (-rios outros bens s/o tamb5m uma importante parte do total transferido no Porto de .se nessa -rea0 As !in!o maiores empresas petro'uími!as 'ue s/o Shell+ 4P+ &sso+ Tu]ait Petroleum e Te=a!o t>m refinarias l.

ho] e e=peri>n!ia nesta -rea d.oterd/+ e=istem tamb5m muitas empresas prestadoras de ser(i)os !omo ban!os+ !ompanhias de seguros !omer!iais e !asas0 A !on!entra)/o e=!ep!ional de instala)*es+ Wno].oterd/ est.oterd/ 5+ 'ue todos os tipos de flu=os de !arga !hegam @untos0 No porto de .oterd/ pode ser !ara!teriAado !omo uma !ole)/o de portos0 A regi/o ofere!e uma gama !ompleta de empresas espe!ialiAadas em armaAenagem e transbordo+ transporte+ transforma)/o industrial e de ser(i)os au=iliares0 &m .a D$ Wm de !omprimento0 aas(laWte " em bre(e estar.e'uipado para lidar !om produtos 'uími!os+ min5rios+ gran5is lí'uidos+ gran5is s?lidos+ (eí!ulos e !arga geral+ !arga refrigerada+ alimentos e !ont>ineres simultaneamente0 Sempre 'ue possí(el+ as empresas est/o agrupadasO !onse'[entemente+ .a!essí(el para Na(ios Porta Y Cont>ineres no futuro0 Com uma profundidade de "# metros+ o porto 5 a!essí(el para Na(ios Porta Y Cont>ineres 'ue s/o in!apaAes de atra!arem em outros portos europeus0 A !adeia de suprimento 5 uma se'[>n!ia de ati(idades ne!ess-rias para obter os produtos da f-bri!a para o !onsumidor0 1 porto de .oterd/ 5 um dos elos desta !adeia0 7m dos pontos !ara!terísti!os de um mainport !omo .a melhor garantia para aperfei)oar ní(eis de ser(i)o e solu)*es !ustomiAadas0 %D .In ra!estrutura A !ada ano+ !er!a de 4## milh*es de toneladas de !arga s/o tratados a'ui+ s/o B40### na(ios de longo !urso e %BB0### de na(ega)/o flu(ial+ para isso 5 importante ter uma boa infra.a uma profundidade sufi!iente para a!omodar os maiores na(ios do mundo+ !omo o ammoth tanWers+ !arriers e na(ios transportadores de min5rio0 Ao largo da !osta+ no mar do Norte+ o &urogeul foi !a(ado para este fim0 1 &urogeul tem uma profundidade de "B metros e est. estrutura0 1 porto 5 a!essí(el Le(ido E lo!aliAa)/o imediata ao abrir a !one=/o !om o ar do Norte+ 1s terminais no aas(laWte podem ser al!an)ados dentro de uma ou duas horas a partir da esta)/o piloto0 1 porto de .oterd/+ todos os tipos imagin-(eis de bens s/o !arregados+ des!arregados e distribuídos atra(5s de diferentes modos de transporte0 &stes diferentes flu=os de !arga s/o manipulados por empresas espe!ialiAadas0 1 porto est.

oterd/+ todos os prin!ipais !entros e!on3mi!os e industriais na &uropa 1!idental+ podem ser al!an)ados em menos de "4 horas0 7ma das prin!ipais (antagens de .oterd/ 5 a sua lo!aliAa)/o no estu-rio dos rios .oterd/ tem uma lo!aliAa)/o ideal0 .estrutura0 A !onstru)/o de t<neis a amplia)/o de estradas+ por e=emplo+ permite uma melhoria da !ir!ula)/o de tr-fego0 A @.oterd/ estdiretamente ligado Es profundas -guas do ar do Norte .oterd/ por mar+ !om mais de "## portos europeus+ muitas (eAes !om (-rias partidas por dia0 1 short.oterd/ tem liga)*es diretas !om os prin!ipais !entros industriais no resto do Noroeste da &uropa0 1s dutos s/o um ideal modo de transporte a granel para produtos 'uími!os+ petr?leo bruto e produtos petrolíferos0 Apesar de tudo isto+ os !aminh*es permane!em indispens-(eis+ em espe!ial 'uando se trata de mais !urta distNn!ia de entrega0 In "uen#ia da sua "o#a"i$aç%o &eo&rá i#a 1 porto de .1 porto in(este !ontinuamente em infra.seaGfeeder na(io est.eno e aas0 A no(a rota 5 a 4etu]e+ %C#.e=tensa rede de oleodutos est.formando !ada (eA mais uma importante alternati(a ao transporte de mer!adorias atra(5s da &uropa0 . a mais pesadamente Na(egada rota marítima do mundo0 2randes rios %C .oterd/ e o interior da Alemanha0 'odais 1 mer!ado europeu 5 a!essí(el atra(5s de .4retanha E tarde0 A partir de .oterd/+ em uma manh/ podem !hegar+ por e=emplo+ na Alemanha+ 45lgi!a+ Fran)a e 2r/.oterd/ 5 a a!essibilidade a linha de 4etu]e0 A .oterd/ diretamente !om a Alemanha0 Na(ios Alimentadores e na(ios de !urta distan!ia ligam .ota 4etu]e !onstitui uma linha dedi!ada E ferro(ia para mer!adorias 'ue pre(> uma liga)/o direta entre o porto de .!onstantemente sendo e=pandido+ tanto no interior do porto e ainda mais para a &uropa0 7m dos mais mar!antes pro@etos 'ue (isam otimiAar . 'uil3metros 'ue ligam .oterd/ !om !in!o !on!orrentes modalidades: rodo(i-rio+ ferro(i-rio+ transporte flu(ial+ a na(ega)/o !osteira e os dutos0 As mer!adorias 'ue saem de .

eno+ osa e o &s!alda seguem para o mar em .!omo o .5 um e=emplo de 'ue os portos no 4rasil podem render uma grande re!eita para os seus estados+ e traAer mais in(estimentos no setor0 1s portos brasileiros est/o longe da estrutura do porto de .situado no !ora)/o da &uropa+ 1 mer!ado europeu de mais de D## milh*es de !onsumidores e !entros industriais na Alemanha+ 45lgi!a+ Fran)a+ mas tamb5m na &uropa 1riental todos de f-!il a!esso0 Le(ido E sua lo!aliAa)/o !entral .oterd/ 5 um dos mais importantes do mundo0 (on#"us%o 1 porto de Paranagu.oterd/ 'ue 5 um porto de refer>n!ia na &uropa+ no sentido da infra.da.oterd/0 . estrutura lo!al e de sua logísti!a+ onde tudo gira em torno do porto para desen(ol(imento da regi/o0 )i*"io&ra ia ]]]0portosdoparana0pr0go(0br ]]]0portofrotterdam0!om ]]]0!roni!as.lilian0!om0br ]]]0portaldoimter!ambio0!om0br ]]]0re(istae=ame0!om0br %$ .oterd/ est.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->