P. 1
A Barbie Da Vida Real

A Barbie Da Vida Real

|Views: 8.270|Likes:
Publicado porchickintimate

More info:

Published by: chickintimate on Jan 07, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/16/2013

pdf

text

original

EntrEvista

A Barbie da vida real
A inglesA sArAh Burge foi coroAdA como A mulher mAis plásticA pelo “guinness Book of World records”. em quAse 50 Anos, sArAh fez mAis de 150 cirurgiAs estéticAs e gAstou 630 mil euros nA suA BuscA pelA perfeição. os médiA Britânicos chAmAm-nA “the reAl life BArBie” (A BArBie dA VidA reAl) pelAs suAs semelhAnçAs físicAs com A BonecA e tAmBém porque sArAh e BArBie nAscerAm precisAmente nA mesmA dAtA. CHICK: A Sarah é actualmente a mulher mais parecida com a Barbie, batendo o recorde de cirurgias estéticas em todo o mundo. Estamos curiosos, quantas cirurgias fez? SARAH BURGE: Fiz mais de 150 cirurgias estéticas. CK: Pensa que todas as cirurgias a que foi submetida mudaram de alguma forma a perspectiva que os outros tinham de si? SB: No primeiro instante, sim! Mas ao longo do tempo, aperceberam-se que eu não sou tão “bimbo” como parecia (bonita, mas pouco inteligente). Posso ter sido uma das coelhinhas da Playboy, mas nas entrevistas tendo a desarmar as pessoas quando lêem que também sou consultora de beleza na Harley St onde dou conselhos de estética. CK: Sente-se realmente parecida com a Barbie? SB: Para além do longo cabelo loiro e dos seios grandes, transformei-me nela ao ser baptizada pelos media como a Barbie Real. Penso que tem a ver com o aspecto plástico e também com as similaridades da minha vida com a da boneca. Ambas nascemos no mesmo ano; conheci o amor da minha vida aos 14 anos e casei com ele aos 30 anos tal como a Barbie; desempenhei igualmente várias profissões, fui actriz, dançarina, coelhinha da Playboy, consultora estética, enfermeira, manequim, embaixadora da cirurgia plástica, mulher de negócios, etc. Passamos as duas por mudanças de visual; ambas parecemos mais novas ao longo do tempo e divertimo-nos como há 30 anos. Que mulher não gostaria de ter a vida dela? Ah, e não temos rugas aos 50 anos. CK: Alcançou o seu ideal de beleza? SB: Nem pensar! Continuarei a fazer cirurgias

66

Sarah Burge

estéticas até que preguem o último prego no meu caixão. De facto vou fazer mais uma depois do aniversário da Barbie no dia 9 de Março onde revelarei o antes e o depois das minhas operações plásticas. Para este dia, tão especial, decidi criar um evento que doará um milhão de dólares para a luta contra o cancro de mama. Como tenho sido chamada de “Million Dollar Barbie” tive a ideia de criar um evento que igualasse o valor das minhas cirurgias de um milhão de dólares para esta causa contra o cancro da mamã. No evento “Humanhi” vou também apresentar e comentar as minhas cirurgias. CK: Como surgiu a sua paixão pela Barbie? SB: Aconteceu simplesmente, nunca brinquei realmente com Barbies, quando era criança preferia subir árvores e brincar com o Action Man. Era uma daquelas raparigas com quem os rapazes gostavam de brincar e continuam a gostar. A minha paixão pela Barbie começou apenas

quando os media me começaram a chamar por Barbie Real. Desde então decidi aproveitar-me da situação e transformei-me num negócio. CK: Tem-se a percepção da futilidade do mundo da Barbie, isso não a choca? SB: Claro que não! Penso que muitas pessoas têm uma ideia negativa da Barbie e do seu mundo, mas na realidade a Barbie é uma inspiração para todos, na medida em que ela está sempre a divertir-se, continua fabulosa mesmo entrando nos 50 anos, construiu um grande império tornando-se numa excelente mulher de negócios, e desempenhou as mais variadas funções, de hospedeira a piloto de avião, de enfermeira a cirurgiã, etc, nunca desistiu dos seus sonhos que fizeram-na uma business girl. Na verdade, as pessoas que não gostam dela ou da sua vida são aquelas que intimamente desejam ser como ela. CK: De alguma forma, está a viver num corpo que não é seu, num mundo Kitsch. O seu mundo é rosa como o da Barbie? SB: Bem! Eu preocupo-me com o meu corpo, não posso tolerar a sua deterioração, isso só me faria sentir miserável. Fiz a minha própria sorte e estou a colher os frutos do meu trabalho. Nem tudo na minha vida tem sido cor-derosa, depois de ter casado 3 vezes, enfrentado a dor de dois divórcios, 3 crianças, sofri ao longo da vida de violência doméstica, fui manipulada, controlada e subestimada por muitas pessoas, mas não me abati, segui em frente e lutei pela minha felicidade tendo construído uma carreira brilhante no mundo da estética. CK: O que a atrai na beleza da Barbie? SB: Há uma razão para não fazerem bonecas feias e enrugadas! O que me atrai é que esta

boneca vai fazer 50 anos e está cada vez mais bonita. Penso que é uma fabulosa inspiração para todos nós! Embora não obtenível no mundo real, esta procura de beleza está disponível a todas as mulheres, que podem agora cuidar e mudar a sua aparência. Podemos finalmente “ser quem quisermos”. CK: Qual a sua Barbie preferida? SB: Gosto das Barbies antigas, penso que têm mais carácter. CK: “O mundo diz que sou a Barbie da vida real. Mas sou mais plástica do que ela… e adoro”. Explique-nos a sua frase? SB: O plástico representa perfeição. O plástico é feito de petróleo e a indústria de petróleo é uma das mais ricas do mundo. CK: Ivo Pitanguy, um dos cirurgiões plásticos brasileiros mais conceituados, disse um dia que só faz cirurgia plástica quem não se tolera. Não se estava a tolerar mais? SB: Ele tem toda a razão, não quero tolerar-me ao parecer mais velha! Quero acordar todos os dias e gostar do que vejo no espelho. Quero ser capaz de rir com as minhas crianças e desfrutar da minha nova juventude. Não quero que o meu marido perca o interesse em mim, quero ser a mesma rapariga sexy que ele conheceu aos 14 anos, que continua com a mesma força de vida e sonhos como na juventude. CK: Pensa que, actualmente, quem não se encaixa nos standards de beleza irá sofrer da punição da rejeição e exclusão social? SB: Depende da personalidade de cada um, eu não me interesso pelos julgamentos dos outros. Por exemplo, se queres ser um neurocirurgião então não precisas ser bonito, mas se queres ser uma modelo de lingerie precisarás de um belo par de seios e uma cara bonita! Cada um é como é e ninguém deveria ser excluído. A beleza tem variadas faces e o que é bonito para uns não é necessariamente bonito para outros. CK: As pessoas têm actualmente a noção de que é muito simples fazer uma cirurgia estética. É verdade? SB: A mensagem que gostaria de passar é: Quem se sente infeliz com a sua aparância deve ir em frente. A cirurgia é sempre uma opção, nem sempre a resposta. É fácil fazer uma cirurgia? Sim! CK: Falando em moda íntima, que estilos elege? SB: Burlesca, e ao mesmo tempo sexy! CK: Finalmente como se define, Sarah? SB: Uma perfeccionista, sempre à procura da Beleza, ambiciosa, divertida, louca, sem barreiras no envelhecer!!!!!!!! ¬
Primavera verão 09 - Chick intimate Cult

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->