Você está na página 1de 18

Director de Segurança

vs
carreira profissional.

ASSOCIAÇÃO DOS DIRECTORES


DE SEGURANÇA DE PORTUGAL
ADSP
www.directoresdeseguranca.pt
directoresdeseguranca@gmail.com
APRESENTAÇÃO:
 ADSP - Associação dos Directores de
Segurança de Portugal.
 A Segurança Privada (SP) em Portugal.
 Director de Segurança vs Carreira
Profissional.
 Coordenação da SP com as Forças de
Segurança.
Associação dos Directores de
Segurança de Portugal – ADSP.

 PEDS - Programa Especializado em


Direcção de Segurança.
Instituto de Estudos Políticos
Universidade Católica Portuguesa
Associação dos Directores de
Segurança de Portugal – ADSP.

Regulamentação, por Portaria, da figura do


DIRECTOR DE SEGURANÇA nas
empresas de Segurança Privada e nas
entidades com licença de Auto-
Protecção.

 Espanha – Director de Seguridad


 Portugal – Director de Hotel
Associação dos Directores de
Segurança de Portugal – ADSP.

 Previsto no DL 35/2004 de 21FEV.

Artigo 7.º
Director de segurança
1 - As entidades que prestem serviços de segurança ou organizem
serviços de auto protecção podem ser obrigadas a dispor de
um director de segurança, nas condições previstas em portaria
do Ministro da Administração Interna.
2 - O director de segurança tem como funções ser responsável pela
preparação, treino e actuação do pessoal de vigilância.
Associação dos Directores de
Segurança de Portugal – ADSP.

 EURO 2004 – Director de Segurança nos


Estádios de Futebol.
 Estatuto deontológico.
 Criação dum partenariado com as Forças de
Segurança:
Artigo 1.º
Objecto

1 – ...
2 - A actividade de segurança privada só pode ser exercida nos termos do
presente diploma e de regulamentação complementar e tem uma
função subsidiária e complementar da actividade das forças e
dos serviços de segurança pública do Estado.
Associação dos Directores de
Segurança de Portugal – ADSP.

 Novas realidades – empresas


detidas por fundos de private equity
(ao lado de fábricas de rações,
café, ginásios, etc.)
A Segurança Privada em
Portugal.
 Tradicionalmente, até aos anos 60:
A Segurança Privada em
Portugal.
Nos anos 60 / 70:
 CUSTÓDIA – Organização da Vigilância e Prevenção, Lda.
Constituída no Cartório de Sintra a 17MAI65 (publicado no DR III Série nº 147, 24JUN65)

 RONDA
 SECURITAS (1966)
 GRUPO 8 (1972)
 ... alterações na estrutura militar (reforma dos Coronéis)
A Segurança Privada em
Portugal.
 Presença activa em 80% das estruturas vitais
do País.
 Em 2007, 169 empresas: com Alvará SP –
113 e de Auto-Protecção – 56.
 Nº de Vigilantes – 38.874
 Volume de negócios estimado de 800
Milhões €.
(Fonte: Relatório de Segurança Privada de 2007)

 Crescimento é fruto da democratização da


segurança pública.
A Segurança Privada em
Portugal.
Relação Nrº efectivos das Forças de
Segurança / Nrº efectivos da Segurança
Privada (2006):

 FORÇAS DE SEGURANÇA – 48.082


 SEGURANÇA PRIVADA – 36.998
FONTES: Relatório de Segurança Privada de 2006 e Relatório Anual de Segurança Interna 2007.
A Segurança Privada em
Portugal.
PORTUGAL Nº de Nº de Habitantes Efectivos / 10 Habitantes /
Efectivos Mil habitantes Efectivos

Forças de 48.082 10.599.095


segurança
45 220
Segurança 36.998
Privada
35 286

ESPANHA Nº de Nº de Habitantes Efectivos / 10 Habitantes /


Efectivos Mil habitantes Efectivos

Forças de 210.419 44.474.631


segurança
47 211
FONTE: Relatório Anual de Segurança Interna 2007.
A Segurança Privada em
Portugal.
 Falta de reconhecimento público pelo trabalho
da Segurança Privada.
 Grandes eventos: EXPO 98, EURO 2004, ROCK
IN RIO ...
 A Segurança Privada é um actor inequívoco
nas políticas de segurança interna.
Director de Segurança vs
Carreira Profissional.
 Formação profissional de nível superior e/ou
 Experiência profissional relevante no sector
 Notificação obrigatória à tutela
 Elemento de ligação às Forças de Segurança
 ADSP: código deontológico
 Assegurar o cumprimento de todos os normativos legais
Director de Segurança vs
Carreira Profissional.

 Adjunto do Director de Segurança


 Chefias intermédias
 Vigilantes

 Formação, reciclagem e treino


 Diferenciação dos perfis de formação
Coordenação da SP com
as Forças de Segurança.

Baseado nos seis


C’s
( RSI 2004)
Seis C’s:
1. CAPACIDADE
2. COMUNICAÇÃO
3. COORDENAÇÃO
4. COOPERAÇÃO
5. CONFIANÇA
6. CONVIVIALIDADE
Daniel P. Simões.
www.directoresdeseguranca.pt
directoresdeseguranca@gmail.com
Braga - 7 de Março de 2009

Interesses relacionados