Você está na página 1de 2

Na poca, j se faziam viagens pelos portos de Inglaterra, Frana, Flandres,

Norte de frica e desde tempos muito antigos que se navegava no


Mediterrneo.
Nas primeiras viagens combar, navegava-se junto costa e os marinheiros
no tinham grande dificuldade de orientao.

Utilizavam-se as cartas nuticas, onde se escolhia


o destino, seguia-se o roteiro da viagem e
mantinha-se o rumo com a bssola.

O esprito aventureiro do povo portugus fez com que as viagens fossem cada
vez mais longe, avanando em mares desconhecidos.
Sem cartas nem roteiros que orientassem os pilotos, era necessrio contornar
com cuidado os cabos, observar os ventos, os abrigos e prestar ateno ao
quebrar das ondas, para se evitarem os baixios.
O Cabo Bojador tinha fama de horrores. No se sabia se o mundo acabaria ali.
Ouvia-se dizer que o mar engolia os barcos, que havia monstros...

No entanto, o receio dos marinheiros portugueses eram as calmarias: o navio,


sem vento, ficava deriva durante um tempo sem fim e, neste clima quente,
rapidamente se esgotava a gua.