Você está na página 1de 7

Redação Publicitária I

Prof. Lúcio Amaral


31/10/2007 – Aula 14
Funções da Linguagem
Função emotiva (ou expressiva)
centralizada no emissor, revelando sua opinião,
sua emoção. Nela prevalece a 1ª pessoa do
singular, interjeições e exclamações. É a
linguagem das biografias, memórias, poesias
líricas e cartas de amor.
Ex.: Nós o amamos muito, Pedro!!
Funções da Linguagem
Função referencial (ou denotativa)
centralizada no referente, quando o emissor
procura oferecer informações da realidade.
Objetiva, direta, denotativa, prevalecendo a 3ª
pessoa do singular. Usada nas notícias de jornal
e livros científicos, descrições de fatos.
Ex.: Numa cesta de vime temos um cacho de
uvas, duas laranjas, dois limões, uma maçã
verde, uma maçã vermelha e uma pêra.
Funções da Linguagem
Função apelativa (ou conativa)
centraliza-se no receptor; o emissor procura
influenciar o comportamento do receptor. Como o
emissor se dirige ao receptor, é comum o uso de
tu e você, além de verbos no imperativo. Usada
nos discursos, sermões e propagandas que se
dirigem diretamente ao consumidor.
Ex.: Compre aqui e concorra a muitos prêmios.
Funções da Linguagem
Função fática
centralizada no canal, testa a sua eficiência, a fim
de observar se o receptor entendeu o emissor.
Linguagem das falas telefônicas, saudações e
similares.
Ex.: Alô, Pedro! Tô passando aí pra te pegar, ok?
Tá me ouvindo? Alô!!
Funções da Linguagem
Função poética
centralizada na mensagem, revelando recursos
imaginativos criados pelo emissor. Valorizam-se
as palavras e suas combinações. É a linguagem
figurada apresentada em obras literárias, letras
de música e em algumas propagandas.
Ex.: Moça do corpo dourado/Do sol de lpanema/O
seu balançado é mais que um poema/É a coisa
mais linda que eu já vi passar
Funções da Linguagem
Função metalingüística
centralizada no código, usando a linguagem para
falar dela mesma. A poesia que fala da poesia,
um texto que comenta outro texto, palavras que
explicam o significado de outra palavra, escrever
sobre o ato de escrever, falar sobre o ato de falar.
Ex.: Escrevo porque gosto de escrever. Ao passar
as idéias para o papel, sinto-me voar sobre um
mar de idéias...