Você está na página 1de 6

c cc



c  
Todas as sociedades, sejam elas eclesiásticas ou não, passam por altos e baixos.
Nós também, como indivíduos, passamos por momentos de maior ou menor
entusiasmo...
Todas as sociedades, sejam elas eclesiásticas ou não, passam por altos e baixos.
Nós também, como indivíduos, passamos por momentos de maior ou menor
entusiasmo, maior ou menor alegria, maior menor engajamento nas a tividades
que nos cercam, etc. Logo, se a sociedade é formada por pessoas, também vai
passar por crises e períodos de efervescência ou marasmo.Aqui vão algumas
sugestões que podem fazer com que uma UMP saia de um estado de baixa
produtividade, pouco entusi asmo de seus sócios, falta de entrosamento com a
programação geral da Igreja.1. Entrosamento com a Classe da Escola
DominicalDependendo da igreja, nem todos que freqüentam a ED integram a UMP
e vice versa. Assim sendo, como uma das finalidades da UMP é ent rosar o jovem
na igreja e proporcionar ambiente tal que ele participe ativamente de todos os
trabalhos, comprometendo-se com o Senhor, consigo mesmo e com a
comunidade. Aos domingos pela manhã é possível se ter um termômetro da
participação e interesse dos moços e motivá-los a uma filiação à União da
Mocidade Presbiteriana.Se a classe da ED estiver fraca e não for um celeiro para
a UMP, você que está preocupado com a juventude de sua igreja e sua
integração, deve conversar com o professor da classe, com o s uperintendente e
com o pastor, e, certamente, juntos, vão encontrar uma solução. Lições que não
atendem aos anseios de aprendizagem, professores que não se preparam,
instalações inadequadas, podem ser alguns motivos que afastam os jovens de sua
classe específica.Mas, se por outro lado, a sala dos jovens estiver bem
freqüentada, é o melhor local para você conversar sobre a dinamização das
atividades da UMP. Com certeza o professor vai permitir que você utilize alguns
minutinhos para uma conversa. Daí você po de marcar uma reunião logo após a
Escola e começar uma tempestade de idéias a respeito da programação da
Mocidade. 2 Necessidade de Planejamento ² (Esmero na preparação da
Agenda)Não é qualquer programação que vai conseguir que o jovem se motive
para participar da UMP. O mundo está pleno de atrativos, todos bem atualizados,
dispondo dos melhores recursos que o mercado oferece para prender o jovem.Vir
à Igreja para mais um culto aos sábados, assistir a um filme em televisor e
aparelho de videocassete bons pa ra o conserto ou revenda, participar de uma
social onde a brincadeira de roda é o ponto forte, etc. etc. são programas que
davam certo nos anos sessenta e princípio da década de setenta.Qualquer escola
ou faculdade já utilizam multimídia em seus programas e apresentações, os
cinemas cada dia inovam em conforto e qualidade e a televisão por assinatura
oferece dezenas de programações para todos os gostos, incluindo musicais
evangélicos.O jovem percebe quando há toda uma dedicação no preparo da
programação que está sendo oferecida.Dentre as atividades que se pode sugerir
para uma diversificação simpática da agenda da UMP, encontramos:1. Sorvetada
no salão social ou em casa de um dos jovens2. Encontro em um Pizzaria3. Ver um
filme no salão social ou em casa de u m dos jovens (que tal muitas pipocas e coca -
cola?4. Uma ida ao cinema, em grupo, para ver um dos bons lançamentos.5.
Discussão de um tema do momento, como por exemplo: Pode ou não o cristão
participar de uma greve? Pode ou não o jovem da UMP ser um líder n o sindicato?
Que se pode fazer para que a escolha dos candidatos no próximo pleito recaia
sobre homens dignos do nosso voto? Existem ou não preconceitos em nossas
igrejas (raça, nível social, etc.)6. Ação Social concreta em favor dos necessitados
da igreja, do bairro, da cidade. (Sopão, campanha de agasalhos, visita a creches,
asilos, etc.)7. Visita aos pontos turísticos e culturais da cidade. De repente não
conhecemos nossa própria cidade, como os recifenses não conhecem o atelier de
Brennand, os cariocas nunca foram ao Corcovado ou Pão de Açúcar, ou os
paulistanos não andaram de bonde ou trem que estão ao lado do Museu do
Imigrante. Os teatros também merecem atenção, desde que se saiba escolher
uma peça digna ser vista por um jovem comprometido com a Palav ra.8.
Cooperação com o a Junta Diaconal, no sentido de verificar em que pontos a UMP
pode ajudar em trabalhos de assistência social, manutenção da ordem do culto,
etc.9. Reuniões conjuntas com outros departamentos da igreja, promovendo a
comunhão e se descobrindo um ao outro, num verdadeiro entrosamento bíblico,
ecumênico, e de verdadeira comunhão dentro da Palavra.10. Finalmente,
programações básicas e tradicionais como cultos de evangelização, noites para
apresentação de conjuntos e cântico de músicas con temporâneas, lembrando
sempre que se o sábado for uma antecipação do que acontece no domingo, a
programação pode se tornar repetitiva e nada atraente. Lembre que estamos
tratando aqui de como levantar uma UMP que está desanimada, apática, sem
motivação.11. O inteirar-se do que está acontecendo de programação em outras
igrejas, e engajar-se com a Federação, também é um ponto importante a ser
lembrado, pois, de repente, o contágio com mocidades animadas faz com que se
tome uma injeção eficaz de entusiasmo.3 ² Conversa franca e aberta com o
Conselheiro e com o PastorA ajuda, cooperação, a parceria e presença desses
dois é imprescindível. Em casos excepcionais onde isto não seja possível, redobre
o tempo de oração e o Senhor promoverá a mudança na situação. Tenh o
certeza.4 ² Pedido de ajuda à Federação e líderes com comprovada
experiência.Certamente você já encontrou alguém que lhe disse: - ´Ah! No meu
tempo era diferente, a UMP era bem mais alegre, todo mundo participavaµ, etc.
etc. Não gosto muito dessa história de ´no meu tempo era melhorµ. Todavia, vale
a pena um bom bate papo com antigos líderes da sua UMP. Descobrem -se, então,
algumas possibilidades de atuação que essa determinada comunidade gosta e que
é possível repetir, respeitando -se as diferenças de tempo, condições e situação,
de hoje, na maioria das vezes, bem melhor. Por outro lado, a Federação tem
como principal finalidade, o estar junto das UMPs tentando fortalecê -las e sugerir
e assessorando nas dificuldades. Explore sua Federação. Se ela estiver i nativa,
converse com o Secretário Presbiterial.5 ² Cruzada de OraçãoSomos filhos de um
Deus que nos ama e tem especial carinho pela UMP. Não é por acaso que, como
organização, temos 64 anos. Tenho certeza de que ele aprova nossa existência e
deseja o melhor para cada jovem presbiteriano. Assim sendo, se nos entregamos
a um intenso período de oração, buscando soluções para as dificuldades de nossa
UMP, Ele colocará em nossas mentes soluções as melhores! ConclusãoHá solução
para as dificuldades que você encon tra na sua UMP. É imprescindível que se gaste
tempo pensando nas alternativas. Dois ou três, em oração, podem receber do
Senhor a orientação necessária para o agir. E se você se sente sozinho, também
isto o Senhor vai resolver motivando outros para somarem ao seu lado.Tente
participar sempre das reuniões, encontros, treinamentos, promovidos pela sua
Federação, Sinodal e Confederação nacional. É maneira excelente de alargarmos
nossas mentes, sentir o que passa pelos outros mundos e fortalecer a nossa
vontade de trabalhar nesta área tão importante da igreja, que é o Ministério com
a Juventude. Y

Y
ý  
  
             
              
   

!     "  #   #
   
       

$!
      %&# '  
 #         #( 
  #   %
        (  #
             ! 
         # 
     '
)      *     # '  
      %& %&  %
 
+, 
-    # (#  
        

Ê 
  
 Ê      
 !"    
  # $ %
&Ê $Ê'
()*#+ ,-./.Ê#0'
01234'5637
8Ê,"9:   ;  
<Ê  '5*0 .=
  'Ê0 
 73Ê $
>0

, 
 !  ý 
$./0     
)1  /0#   #     
+2 /  
3,  #1  - & /  # #  4 # 4
   #  5!  .   6
78 /9  1  0   # 0
*  # : 
;  %
 /"      #  
# 0     #     9  
         # 
  

!        #  


   

,  1 <


î   YY

iYYY YY
  Y Y Y Y     Y Y

iYYY 
 Y
 Y Y Y Y  YY Y Y Y Y Y

iYYY 
 YY  YY Y Y Y YYY   Y Y

iYYY 
 Y Y ! YY Y Y  "#Y  Y Y Y Y

:   Y

iYYY Y  Y Y YY Y     Y Y

iYYY$Y
Y Y
YY
  Y Y Y ! Y YY
   "#YY

iYYY% Y   Y Y 


 Y Y   Y  " YY  YY
  Y  Y  
 Y Y  Y Y  YY  Y YY
  Y   YY YY&Y Y

iYYY YY  Y Y Y 


 Y Y  Y  YY'  Y
%
Y (  Y  YY   Y Y Y  YYY
  Y Y  YY"Y   YYY

c  
  Y

iYYY)Y YY*)
Y+,-YYYY   !Y YYY Y
   YY   Y Y.   "#YY/  Y0   Y  YY
1Y Y2 YY    Y

iYYY3YY.
YYY 
  YY  !"YY YY
  YY  Y Y  YYY  Y Y  Y Y! Y
*  "-YY YYY Y Y   Y Y
 "YY 4  Y  Y Y

1  =3>)?@?+A9  %
    Y

1  =+++$@?3/9     $)2=B)7?@B7#  %


 
   C C
:   2#             
   #    %&Y

$YYYYYY Y 5Y677877Y9Y$ YY:


Y   YY  "#Y
; Y<==>8?6Y
%Y Y ! Y 
 Y
 Y Y  YY YY
 Y Y Y Y

)YYYYYY Y 5Y?@718A BY9Y


  YY  YYC   Y
  Y 
YY YY:Y Y! Y 
 YY  Y
Y YY Y "Y YC)D$;.%E)Y%
 YY
 Y YY "Y Y   Y Y Y! Y 
 Y
 YY  YY

+YYYYYY Y 5Y==B<8A@Y 9Y  Y "YY 


 Y YYY Y
Y   Y   Y 
 Y
%Y Y Y   Y Y 
 Y Y  Y  " YY
 YF Y% Y   YY  
 Y YY   Y Y
 Y Y  Y Y  YY  Y$Y Y YY
Y   YY YY&Y Y Y  Y Y  Y Y

3YYYYYY Y 5Y7B68A@Y9Y/YYY YY 


YY
 Y Y   Y YYGYYY
   Y Y; YY 2  YY  "#Y Y Y
   Y Y Y 
  Y Y ! YY Y Y

7YYYYYY Y 5Y<6>A8A<H8IY 9Y& YY   Y Y  Y


"#Y  Y Y
Y  
Y Y Y  YY"Y  Y
%Y   Y Y; YY.
Y/
 Y   Y   YY 
 Y
 Y  Y  YY'  Y%
Y Y   Y  " Y
 YY Y%YY !  Y Y Y  YYY   Y Y  Y
Y"Y  Y Y

;YYYYYY YY 5Y6=?8A<H8IY 9YJ Y 


YY "Y 
Y YY

   Y
%
 YYY YY  Y 
Y "YY   Y Y
 Y
Y  Y Y YY Y
 Y(   Y Y Y

YY

Y
Y