Você está na página 1de 19

Centro Universitário de São José do Rio Preto

UNIRP

Edson José Benetti

CONSIDERAÇÕES SOBRE AS NORMAS ABNT

São José do Rio Preto

2007
2

REDAÇÃO E LINGUAGEM

O conhecimento científico surge dos diferentes modos de produção do conhecimento e


do uso que se faz dele. O progresso científico está atrelado à circulação e ao uso efetivo das
idéias, já que a informação constitui a um só tempo insumo e produto de toda atividade
científica.

Escrever é uma decorrência natural do estudo e da pesquisa e requer metodologias


relacionadas à elaboração e apresentação dos processos organizacionais e técnicos.

Os Trabalhos Acadêmico-científicos (TACs) são documentos que apresentam o


resultado formal de um estudo ou investigação científica. São elaborados observando os
mesmos princípios, porém diferem quanto à natureza e aos objetivos.

São considerados TACs: Trabalho de Graduação Interdisciplinar (TCI), Trabalho de


Conclusão de Cursos, de aperfeiçoamento e especialização (TCC), Dissertação e Tese.

Para a redação devem ser observadas as características da linguagem científica como:


Exatidão = precisão conceitual e terminológica.
Clareza = idéias expressas sem ambigüidade, uso vocabulário adequado, frases curtas.
Simplicidade e Objetividade = assuntos tratados de maneira direta e simples.
Coerência = seqüência lógica e ordenada na apresentação das idéias.
Impessoalidade = evitar o uso da primeira pessoa do singular e plural.
Recomenda-se o uso do verbo na terceira pessoa, evitando-se pronomes da primeira pessoa
tanto no plural quanto no singular (Adotar ...procurou-se analisar os resultados ... e não
...procuramos analisar os resultados...).

É importante lembrar que o uso do vocabulário adequado e de frases, sem


verbosidade, facilita a leitura e prende a atenção do leitor.
3

ASPECTOS NORMATIVOS E GRÁFICOS – ABNT - NBR 14724 – ago/2002


ASPECTOS NORMATIVOS E GRÁFICOS – ABNT - NBR 14724 – ago/2005 – 2ª
Edição

O texto deve ser digitado no anverso da folha em papel branco, de boa qualidade
formato A4 (21 cm X 29,7 cm)
impresso na cor preta
fonte tamanho 12 – para o texto geral (parte textual) – menor que 12 para outras partes. Para a
capa e a folha de rosto, fonte 16, conforme modelo

Obs.: Fontes (letras) mais comuns para a impressão do trabalho (semelhante à letra de forma)

Exemplos:

Arial nº 12 – esta fonte permite boa legibilidade

Arial Narrow nº 12 – esta fonte permite boa legibilidade

Book Antiqua nº 12 – esta fonte permite boa legibilidade

Currier New nº 12 – esta fonte permite boa legibilidade

Tahoma nº 12 – esta fonte permite boa legibilidade

Times New Roman nº 12 – esta fonte permite boa legibilidade

Verdana nº 12 – esta fonte permite boa legibilidade

Obs.: As fontes aparecem na sua forma original e como será impressa em folha.

O projeto gráfico é de responsabilidade do autor do trabalho.


O importante é manter a uniformidade em todo o trabalho.
4

Margens

Esquerda e superior de 3 cm; direita e inferior de 2 cm.

Espacejamento

Todo o texto deve ser digitado com espaço 1,5 linha.

Espaço simples para:


- citações longas,
- notas de rodapé,
- entre as linhas de uma referência,
- legendas das ilustrações e tabelas,
- ficha catalográfica.

Na folha de rosto, a natureza do trabalho, o objetivo, o nome da instituição, e a área de


concentração devem ser digitadas em espaço simples e alinhadas ao meio da folha para a
margem direita.

Os títulos das subseções devem ser separados do texto que os precede e que os sucede
por dois espaços 1,5 linha.

O indicativo numérico de uma seção precede seu título, alinhado à esquerda, separado
por um espaço (Exemplo: 1 INTRODUÇÃO).

A paginação deve ser colocada em evidência, preferencialmente no ângulo superior,


dentro da margem direita, em algarismos arábicos não se usando nenhum tipo de pontuação
ou sinal antes ou após o número. Todas as páginas são computadas, porém a numeração
aparece efetivamente a partir da estrutura do elemento do textual.

As referências, ao final do trabalho, devem ser digitadas na margem esquerda usando


espaço simples (um) entre as linhas e espaço duplo (dois espaços simples) entre os elementos
componentes das referências (Normas ABNT NBR 6023 – ago/2002).
5

Usam-se letras maiúsculas para:


- Sobrenome de autor,
- Primeira palavra da referência quando a referência começa pelo título,
- Nomes de entidades coletivas,
- Entradas de eventos e congressos,
- Nomes geográficos quando se tratar de Instituições Governamentais da administração
direta.

Os títulos sem indicativo numérico devem ser centralizados. (Sumário, Tabelas,


Resumo, Referência, Apêndice, Anexo).

As abreviaturas, quando citadas no texto pela primeira vez, devem vir precedidas do
nome e entre parênteses (Ex.: Organização das Nações Unidas (ONU)).

A estrutura dos TACs compreende elementos pré-textuais, textuais e pós- textuais.

Elementos pré-textuais: Elementos que antecedem o texto com informações que ajudam na
identificação e utilização do trabalho.

• Capa: Contêm dados que identificam o documento: autoria, título e outros dados a
critério do autor. É a proteção externa do trabalho.

• Folha de Rosto: Contém os elementos essenciais que identificam o trabalho.


Apresenta no alto da página o nome do autor, a seguir o título do documento em
destaque no centro da página. Incluir nota explicativa (qualificação do trabalho)
referente ao nível a que se destina o trabalho, com destaque para a área de
Concentração, Unidade, Orientador e Instituição. Centrados na parte inferior os dados
referentes às notas tipográficas (Local e Ano), um em cada linha.

• Folha de Aprovação: Deve conter data de aprovação, nome completo dos membros
da banca examinadora e local para assinatura dos mesmos.
6

Páginas Preliminares: Páginas que antecedem ao sumário.

• Dedicatória: Texto no qual o autor presta uma homenagem ou dedica seu trabalho a
alguém.
• Agradecimentos: Manifestação de agradecimento a pessoas e instituições que, de
alguma forma, colaboraram para a execução do trabalho.
• Epígrafe: Folha na qual o autor apresenta uma citação, seguida da indicação da
autoria, relacionada com a matéria tratada no corpo do trabalho.

• Resumo: É a recapitulação sucinta das partes mais importantes do texto. É obrigatório


em dissertações, relatórios, teses e artigos de revistas. Redigido pelo próprio autor em
linguagem clara, concisa, direta contendo no máximo 500 palavras. Deve ressaltar o
objetivo, o método, a técnica, o resultado e as conclusões do trabalho. Recomenda-se
evitar abreviaturas, fórmulas, equações e diagramas que não sejam absolutamente
necessários à compreensão, bem como palavras ou expressões supérfluas como: -“O
presente estudo trata de...”. Dar preferência a terceira pessoa do singular e ao verbo na
voz ativa. Não utilizar frases negativas, símbolos, contrações e parágrafos. Localiza-
se antes das Listas e do Sumário.

• Listas: Relação de elementos ilustrativos e/ou explicativos.

• Sumário: Listagem com a indicação do conteúdo do documento. Mostra as divisões e


seções do texto na mesma seqüência e grafia adota na redação. Usa-se o termo
SUMÁRIO e não ÍNDICE.

Elementos textuais: É o núcleo dos trabalhos acadêmicos, é nesta parte que o autor apresenta
a matéria.

• Introdução: Parte inicial do texto, elaborada de forma clara e precisa, onde devem
constar a delimitação do assunto, objetivos e outros dados necessários sobre o tema
pesquisado. Seu objetivo principal é situar o leitor no contexto da pesquisa, levando-o
a perceber claramente o que será analisado, como e por que as limitações foram
encontradas, o alcance da investigação e suas bases teóricas gerais, sem, contudo
7

repetir ou parafrasear o resumo, nem dar os dados sobre a teoria experimental, o


método ou os resultados, nem antecipar as conclusões e as recomendações contidas no
estudo.

Alguns autores preferem abrir uma seção só para revisão da literatura. Ela deve vir após a
introdução e antes do desenvolvimento e os dados apresentados em ordem cronológica.

• Desenvolvimento: Parte principal do texto, que contém a exposição ordenada e


pormenorizada do assunto. Divide-se em seções e subseções, que variam em função da
abordagem e do tema.

• Conclusão: Parte final do trabalho, na qual se apresentam conclusões correspondentes


aos objetivos ou hipóteses. O autor apresenta seu ponto de vista sobre os resultados
obtidos. Nesta etapa não é permitida a inclusão de dados novos.

Elementos pós-textuais: São materiais complementares, que tem por finalidade documentar
ou esclarecer o texto, no todo ou em parte, sem, contudo integrá-lo.

• Referências: Conjunto de elementos padronizados que permite identificar os


documentos que foram utilizados na redação do texto.

• Anexos e Apêndices: Documentos complementares e/ou comprobatórios do texto


com informações esclarecedoras, colocados à parte, para não “quebrar” a seqüência
lógica da exposição. Quando há mais de um cada anexo deve conter ao alto da página
a palavra ANEXO, numerado sucessivamente em algarismo arábico.

• Apêndice: Texto ou documento elaborado pelo autor, a fim de complementar sua


argumentação, sem prejuízo da unidade do trabalho.

• Anexo: Todo documento não elaborado pelo autor que serve de fundamentação,
comprovação e ilustração.
8

CITAÇÕES EM DOCUMENTOS – ABNT - NBR 10520 – ago/2002

Citações são pensamentos, conceitos, definições retirados das publicações consultadas


para a realização do trabalho.

Tem por objetivo esclarecer ou complementar as idéias do autor, informando


obrigatoriamente a fonte onde foi retirada a informação. Devem ser indicadas no texto por um
sistema de chamada, que será mantido ao longo de todo o trabalho.

Todos os trabalhos citados devem, obrigatoriamente, constar da lista de referências

Sistemas de chamadas no texto

As citações devem indicadas no texto por um sistema numérico ou alfabético.

• Sistema numérico

A indicação da fonte é feita por uma numeração única e consecutiva, em algarismo


arábico, remetendo à lista de referências na mesma ordem que aparecem no texto. Podem vir
entre parênteses, alinhado ao texto ou sobrescrito, após a pontuação que fecha a citação.

Na listagem de referência os trabalhos são relacionados por ordem que aparecem no


texto.

Diz Rui Barbosa: “Tudo é viver, previvendo.” (15) ou


Diz Rui Barbosa: “Tudo é viver, previvendo.” 15
O nome do autor pode, em alguns casos, não aparecer, sendo citada apenas a idéia ou
pensamento, seguido da indicação numérica.

Entretanto, o modelo de Cumming e Richards12


... dados então existentes para a fabricação do medicamento...1
9

• Sistema alfabético (autor-data)

A indicação da fonte é feita pelo sobrenome de cada autor ou pelo nome de cada
entidade responsável, seguida da data de publicação, separados por vírgula e entre parênteses.

Na listagem de referência os trabalhos são organizados alfabeticamente.

Merrian e Caffarella (1991, p.32) observaram que a localização de recursos tem papel crucial
no processo de aprendizagem dirigida.

“Comunidade tem que poder ser intercambiada em qualquer circunstância, sem quaisquer
restrições estatais, pelas moedas dos outros Estados-membros.” (COMISSÃO DAS
COMUNIDADES EUROPÉIAS, 1992, p. 34).

TIPOS DE CITAÇÃO

• Citação direta
São citações diretas aquelas que reproduzem literalmente o texto original.

A extensão de uma citação determina sua localização no texto. Se tiver até três linhas,
deve ser incorporada ao parágrafo; sendo mais extensa, deve ser apresentada abaixo do texto,
em bloco recuado, sem necessidade de aspas.

- Com até três linhas devem vir entre aspas duplas.

“Não se mova, faça de conta que está morta.” (CLARAC; BONNIN, 1985, p.104)

- Com mais de três linhas, são transcritas em bloco e destacadas com recuo de 4 cm da
margem esquerda, com letra menor que a do texto utilizado e sem as aspas, constituindo um
parágrafo único.

Os agentes antidepressivos (em geral TCA) são frequentemente


utilizados na tentativa de suicídio, de modo que seus efeitos
10

tóxicos agudos constituem um assunto de importância prática.


(RANG et al, 2001, p.94).

• Citação de citação

A transcrição de um texto ao qual não se teve acesso ao documento original. Só deve


ser utilizada na total impossibilidade de acesso ao documento original.

No texto, a citação de citação obedece a ordem: autor do documento não consultado


seguido da expressão “apud” (que significa conforme, citado por) e autor da obra consultada.

Benfey (1976, p.57) citado por Solomons (1982, p.79) ou (BENFEY, 1976, p.57 apud
SOLOMONS, 1982, p.79)

A referência, neste caso, inicia pelo autor do documento não consultado seguido dos
dados do documento original. Os dois trabalhos são listados; na letra “B” o trabalho do
BENFEY e na letra “S” o SOLOMONS.

BENFEY, O T. The names and strutures of organic compounds. New York : Wiley, 1976 apud
SOLOMONS, T.W.G. Química orgânica. Rio de Janeiro, LTC, 1982. v.1. (Na letra “B”)

SOLOMONS, T.W.G. Química orgânica. Rio de Janeiro, LTC, 1982. v.1. (Na letra “S”)

• Citações indiretas

Reproduz idéias da fonte consultada sem, no entanto transcrever o texto. O uso de


aspas é dispensável.

O Brasil representa, para estes, importante fonte financeira para pagamento de suas
importações de bens de consumo. (SILVA, 1999, p.43)

Segundo Costa e Couto (1997, p.23), há uma relação da qualidade do café com os
diversos constituintes físico-químicos responsáveis pelo aroma e sabor característicos da
bebida.
11

•Observações

- Dados obtidos por informação verbal (palestras, debates, comunicações etc.) ou dados de
trabalhos em fase de elaboração, indicar, entre parênteses informação verbal ou em fase de
elaboração e mencionar os dados disponíveis, em nota de rodapé.
No texto: O novo medicamento estará disponível até o final deste semestre (informação
verbal)1

1
Notícia fornecida por John A Smith no Congresso Internacional de Engenharia Genética,
em Londres, em outubro de 2001.

- Citações indiretas de diversos documentos de diversos autores, mencionados


simultaneamente, devem ser separadas por ponto-e-vírgula, em ordem alfabética.

Diversos autores salientam a importância do “acontecimento desencadeador” no início


de um processo de aprendizagem (CROSS,1984, p.58; KNOX, 1986;p.29; MEZIROW,1991,
p.33).

- Quando o autor for incluído no texto ele deve ser grafado em letras minúsculas, com a data e
a página entre parênteses.

Em Teatro Aberto (1963, p.76) relata-se a emergência do teatro do absurdo.

- Quando houver coincidência de sobrenome de autores acrescentar as iniciais do prenome.

(BARBOSA, C., 1988,p.67) (BARBOSA, O. 1934, p.32)

- Citação de diversos documentos do mesmo autor com datas diferentes, separar por vírgula
da mais antiga para mais atual (DREYFUSS, 1989, 1991, 1995).
12

- Quando houver mais de um trabalho do mesmo autor, publicados no mesmo ano, distingüir
pelo acréscimo de letras minúsculas, em ordem alfabética, após a data, sem espaçamento,
conforme a lista de referências.
De acordo com Reeside (1927a, p.154)... Ou ...(REESIDE, 1927b, p.13).

- No caso de documentos sem indicação de autoria ou responsabilidade, citar pela primeira


palavra do título seguida de reticências.

No texto ...(ANTEPROJETO ..., 1987, p.57)

Na listagem de referência:

ANTEPROJETO de lei. Estudos e debates, Brasília, n.13,p.51-60, jan.1987.

- Se optar pelo sistema de chamada numérico a listagem de referência bibliográfica deve estar
organizada conforme a ordem de citação dos autores no texto e numeradas.

- Quando utilizar mais de um autor para redigir um parágrafo, separar por ponto-e-vírgula.

(CLARAC; BONNIN, 1985, p.280; DERRIDA, 1967, p.31; RIBEIRO et al., p.22)

-Quando o autor for uma entidade coletiva conhecida por sigla. Na primeira vez que for citar
adotar o nome por extenso seguido da sigla, nas citações subseqüentes somente a sigla.

A TAB.1 confirma os dados apresentados anteriormente. (INSTITUTO BRASILEIRO DE


GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE, 1975).

- A alfabetação dos autores segue a ordem alfabética, e dentro da ordem alfabética a


ordem cronológica
13

REFERÊNCIA - ABNT 6023 ago 2002.

Referência é um conjunto de elementos que permite a identificação, no todo ou em


partes, de documentos impressos ou registrados em diversos tipos de material.

É importante salientar a diferença entre referência bibliográfica e Bibliografia.


Referência bibliográfica é a relação dos documentos que foram efetivamente utilizados na
redação do trabalho. Todos os documentos listados devem obrigatoriamente estar citados e
Bibliografia é a relação dos documentos que foram lidos, porém não foram efetivamente
utilizados na redação do trabalho, pode-se considerar como literatura sugerida ou leitura
complementar.

As especificações a seguir, identificam os elementos (autor, título, edição, local,


editora, data) das referências bibliográficas e estabelecem uma ordem ou seqüência
padronizada para sua apresentação.

Seguem, em geral, uma única ordem de descrição, embora tenham características


próprias quanto à forma de apresentação.

Independente do tipo de material é importante observar:

1. Documentos redigidos por dois ou três autores: mencionar todos os autores, na ordem
que aparecem na folha de rosto, utilizando ponto e vírgula (;) para separá-los.

PELCZAR, M.; REID, R.; CHAN, E. C. S. Microbiologia. São Paulo: McGraw-Hill, 1981. 2 v.

2. Documentos de mais de três autores: Mencionar o autor que aparece em primeiro


lugar, seguido da expressão latina et al. Em casos específicos onde a menção do nome é
indispensável para certificar a autoria, é facultado entrar com todos os nomes. (Projetos de
pesquisa científica, indicação de produção científica em relatórios para órgão de
financiamento etc.)

VALLE, L. B. S. et al. Farmacologia integrada. São Paulo: Atheneu, 1991. 2 v.


14

3. Documentos de responsabilidade de um editor, compilador ou organizador: mencionar


o nome seguido da abreviatura pertinente, entre parênteses.

MOURA, R. A. (Coord.). Técnicas de laboratório. 3.ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 1987. p.78.

HARDMAN, J.G.; LIMBRID,L.E.(ED.). Goodman e Gilman as bases farmacológicas da terapêutica. 10.ed.


Rio de Janeiro: Mac Graw-Hill, 2003.

4. Documentos sem autoria determinada: Iniciar a referência pelo título, com a primeira
palavra escrita em letras maiúsculas.

FARMACOPÉIA Brasileira. 3.ed. São Paulo: Organização Andrei, 1977. p.32.

5. Obra de autoria de entidade coletiva: Mencionar o nome da Instituição em letras


maiúsculas, seguido da sigla.

ASSOCIATION OF OFFICIAL AGRICULTURAL CHEMISTS - AOAC. Official methods of analysis of


AOAC International. 16th.ed. Arlington: AOAC International, 1995. 2 v.

UNITED STATES PHARMACOPEIAL CONVENTION. USP-DI 2000. 20th ed. Englewood: Micromedex,
2000. 3v.

6. Documento com mais de um local, editora e/ou data: Mencionar o primeiro lugar, a
primeira editora e a data mais recente.

7. Edição: Mencionar a partir da segunda.

8. Dados tipográficos: Na ausência de algum dado tipográfico, usar as abreviaturas:


Sem local [s.l]
Sem editora [s.n.]
Sem data [s.d.]
Sem notas [s.n.t.]
15

9. Notas especiais: Sempre que necessário à identificação da obra deve ser incluído ao
final da referência.

RESPRIN:comprimidos. Responsável técnico Delosmar R. Bastos. São José dos Campos: Johnson & Johnson,
1997. Bula de medicamento.

10. Data: Recomenda-se não deixar nenhuma referência sem data. Registrar a data
aproximada.

Data provável [1981?]


Década certa [197-]
Século certo [19--]

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA POR TIPO DE MATERIAL:

• LIVROS

AUTOR.. Título; subtítulo. edição. Local: Editora, data. nº de páginas.

NEVES, D. P. Parasitologia humana. 9. ed. São Paulo: Ateneu, 1995. 524 p.

RANG, H. P. et al. Farmacologia. 4.ed. São Paulo: Elsevier, 2004.

• CAPÍTULOS DE LIVROS

Autores diferentes

AUTOR DO CAPÍTULO. Título do capítulo. In: AUTOR DO LIVRO. Título do livro.


edição. Local: Editora, ano. Cap., páginas inicial-final.

TREVOR, A. J.; MILLER, R. D. Anestésicos gerais. In: KATZUNG, B.G. Farmacologia básica e clínica.
5.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1994. Cap. 24, p.262-270.
16

NIES, A. S. Princípios da terapêutica. In: HARDMAN, J.G.; LIMBRID,L.E.(ED.) Goodman e Gilman as


bases farmacológicas da terapêutica. 10.ed. Rio de Janeiro: Mac GrawHill, 2003. p.35

Autores iguais

AUTOR DO LIVRO. Título do capítulo. In:______. Tìtulo do livro. Edição. Local: Editora,
ano. Capítulo. Páginas inicial-final.

KOROLKOVAS, A. Espectometria de absorção. In:______. Análise farmacêutica. Rio de Janeiro:


Guanabara Dois, 1984. Cap. 9, p.72-76.

• DISSERTAÇÕES E TESES

AUTOR.. Título; subtítulo. Ano. n° f.Grau do trabalho. (Tipo) – Instituição. Local, ano.

PERINI, E. Abastecimento de água e saúde; uma contribuição para o desenvolvimento de metodologia de


avaliação epidemiológica utilizando dados oficiais. 1988. 118f. (Dissertação mestrado em parasitologia) –
Instituto de Ciências Biológicas – Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte,1988.

• CONGRESSO, CONFERÊNCIAS, ENCONTROS,

Evento no todo.

NOME DO CONGRESSO, no, ano, local de realização. Título. Local de publicação: Editora,
ano. No de páginas ou volumes.

CONGRESSO DE QUÍMICA FINA NO BRASIL, 4, 1990, Rio de Janeiro. Anais ... Rio de Janeiro: ABIFINA,
1990. 110 p.

Trabalhos apresentados em congressos


17

AUTOR DO TRABALHO. Título. In: NOME DO CONGRESSO, no, ano, Local de


realização. Título. Local de publicação: Editora, ano. No de páginas.

CANÇADO, A. L. Toxicômanas de substituição. In: CONGRESSO FARMACÊUTICO E BIOQUÍMICO PAN-


AMERICANO, 3, 1954, São Paulo. Anais ... São Paulo: Federação das Associações de Farmacêuticos do Brasil,
1958. p. 259-300.

• ARTIGOS DE PERIÓDICOS

Artigos de revistas

AUTOR..Título do artigo. Título do periódico, Local de publicação, v., n., páginas inicial-
final, mês e ano.

GLÓRIA, M. B. A.; GRAY, J. I.; GRULKE, E. A. Estabilidade de alfa e beta carotenos em cenoura desidratada.
Rev. Bras. Farm. Bioquím. UFMG, Belo Horizonte, v.9, n.1/2, p.15-27,1988.

Artigos de jornais

AUTOR. Título do artigo. Título do jornal, Local, dia, mês, ano. Nº. ou tÍtulo do caderno,
seção ou suplemento, páginas inicial-final.

NUNES, E. Retrato do nordeste. Estado de Minas, Belo Horizonte, 20 ago.1980. Caderno Economia, p.8.

FACULDADE pesquisa poder da “Fruta do Lobo”. Hoje em Dia, Belo Horizonte, 14 ago. 1993. Caderno Minas
Hoje, p.18.

• CITAÇÃO DE CITAÇÃO

AUTOR DA OBRA NÃO CONSULTADA. Título. Edição. Local: Editora, ano. apud Dados
da obra consultada com o título em destaque.
18

MARINHO, P. A pesquisa em ciências humanas. Petrópolis: Vozes, 1980. apud MARCONI, M. A.; LAKATOS,
E. M. Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1982. 157 p.

Obs.: Na lista de Referências os dois trabalhos devem estar relacionados.

• DOCUMENTOS ELETRÔNICOS

A referenciação do documento eletrônico deve incluir os dados comumente usados


para os documentos convencionais, acrescentando-se os específicos que possibilitem sua
localização e recuperação.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Tratados e organizações ambientais em matéria do meio
ambiente. Disponível em <http//www.bdt.org.br/sma/atual.html> Acesso em: 8 de março.

ALVES, Castro. Navio negreiro. [S.l]: Virtual Books, 2000. disponível


em:<http://www.terra.com.br/virtualbooks/freebook/navionegreiro.htm> Acesso em: 10 jan.2002.

MORFOLOGIA dos artrópodes. In: ENCICLOPÉDIA multimídia dos seres vivos. [S.l.]: Planeta DeAgostini,
1998. CD-ROM 9.

SILVA, Ives Gandra A .Pena de morte para o nascituro. O Estado de SãoPaulo, São Paulo, 19 set. 1998.
Disponível em: <http://www.providafamilia.org/pena_morte_nascituro.htm> Acesso em: 19 set. 1998.

GUNCHO, M.R. A educação à distância e a biblioteca universitária. In: SEMINÁRIO DE BIBLIOTECAS


UNIVERSITÁRIAS, 10, 1998, Fortaleza. Anais... Fortaleza: Tec Treina, 1998. 1 CD-ROM.

BRASIL. Lei nº9.887, de 7 de dezembro de 1999. Altera a legislação tributária federal. Diário Oficial [da]
República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 8 dez 1999. Disponível em:
<http://www.in.gov..br/mp_leis/leis_texto.asp?Id=LEI%209887> . Acesso em: 22 dez.1999.

Almeida, M.P.S. Fichas para MARC [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por < mtmendes@uol.com.br>
em 12 jan.2002.
19

REFERÊNCIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724: informação e documentação –


trabalhos acadêmicos – apresentação. Rio de Janeiro, ago 2002.

________ . NBR 6023: informação e documentação – Referências – elaboração. Rio de Janeiro, ago 2002.

________ . NBR 10520: apresentação de citação em documentos. Rio de Janeiro, ago 2002.