Você está na página 1de 65

ANTENAS / CATV

PRESA
EM C

APRESENTAÇÃO:

ER
TIFICADA
ISO 9
01

0
:20
00

Uma empresa construída com determinação.

A empresa iniciou suas atividades em 1968 tendo o nome de Ferramentaria e Estamparia Cervantes Ltda, em um prédio de
60 m2. Neste período o seu produto era molde para injeção plástica e ferramentas para estampagem.

Quando começou a fabricar antenas para os fabricantes de televisores, mudou sua razão social para
ANTENAS THEVEAR LTDA, no ano de 1974, percebendo um mercado muito carente de produtos para distribuição de sinal de TV, Até
então só haviam produtos importados, iniciou a fabricação destes acessórios, tais como, amplificadores, boosters, tomadas,
divisores, misturadores e filtros.

Em 1982, entrou no mercado de interfones, motivada pelos seus clientes antenistas, que queriam atender as solicitações dos
condomínios e passou a fabricar porteiros coletivos, centrais de portaria e porteiros residenciais.

Começaram a comercializar produtos para segurança eletrônico em 1997, como câmeras e monitores para CFTV, vídeo
porteiro, gravadores de imagens. Já em 2000 ocorreu a introdução da linha de produtos digitais, micro processados.

Passados 15 anos de atividade, em 1983, ocorreu um novo episódio de crescimento com a implantação de uma fábrica de
10.500 m2 de área construída, sendo ampliado em 1990 para a área atual com 12.500 m2, num terreno de 40.000 m2, localizado no
município de Itaquaquecetuba, região metropolitana de São Paulo. Conta hoje com 250 funcionários, 500 fornecedores e mais de
8.000 clientes espalhados pelo Brasil e América do Sul e em 2007 foi certificada pelo padrão de gestão de qualidade ISO9001:2000.

Após 40 anos, uma nova etapa teve início, com o objetivo de atender as necessidades do mercado e satisfazer as expectativas
dos clientes, entramos no segmento de fios e cabos, e uma nova razão social foi adotada, THEVEAR ELETRÔNICA LTDA.

Patrimônio maior:
8.000 clientes
250 funcionários
500 fornecedores
Pesquisa e
Desenvolvimento

Injetoras Furadeira C.N.C.

Vista Aérea

Metalização

Antenas / CATV -01-


ÍNDICE

ANTENAS / CATV

1 - TV DIGITAL : O QUE É ? ................................................................................................................................... 03


2 - CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DAS ANTENAS ......................................................................................................... 04
3 - INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE ANTENA COLETIVA .............................................................................................. 08
4 - ANTENAS EXTERNAS VHF/UHF E INTERNAS ........................................................................................................ 24
5 - MISTURADORES, ACOPLADOR E COMBINADOR ................................................................................................ 31
6 - AMPLIFICADORES .............................................................................................................................................. 35
7 - DIVISORES ......................................................................................................................................................... 47
8 - TOMADAS BLINDADAS ....................................................................................................................................... 49
9 - SIMETRIZADORES .............................................................................................................................................. 50
10 - SEPARADOR ....................................................................................................................................................... 51
11 - EMENDAS DE CABOS E ATENUADORES ............................................................................................................... 52
12 - FILTROS .............................................................................................................................................................. 54
13 - CONVERSORES ................................................................................................................................................... 58
14 - MODULADORES ................................................................................................................................................. 60
15 - AMPLIFICADORES PARA SATÉLITE SÉRIE TUB-LINE ............................................................................................ 61
16 - EQUALIZADORES PARA CATV E VHF SÉRIE TUB-LINE ........................................................................................... 62
17 - ALICATES PARA CABO COAXIAL .......................................................................................................................... 63
18 - REPRESENTANTES THEVEAR ............................................................................................................................... 64
19 - ASSISTÊNCIA TÊCNICA THEVEAR ......................................................................................................................... 64

Antenas / CATV -02-


APRESENTAÇÃO TV DIGITAL

1.0 - TV DIGITAL: O QUE É ?

A TV aberta (terrestre) transmitida para os televisores existentes em 90% das residências brasileiras utilizam canais
analógicos com largura de banda de 6 MHz.

Na TV Digital a transmissão do áudio e do vídeo passa a ser feita através de sinais digitais que, codificados, permitem um
uso mais eficiente do espectro eletromagnético, devido ao aumento da taxa de transmissão de dados na banda de
frequências disponíveis. É possível desta forma transmitir:

! Som e imagem de melhor qualidade viabilizando a Televisão de Alta Definição (HDTV). A resolução da imagem na TV
analógica que é de 480 x 320 pixels poderá ser de até 1920 x 1080 pixels.
! Mais canais (até 4) na mesma faixa de frequências utilizada por um canal analógico.

A TV digital apresenta algumas funcionalidades que permitem uma interatividade entre o telespectador e a emissora
possibilitando:

! O acesso à informações adicionais como por exemplo o menu de programação.


! A interação do usuário com a emissora, através de um canal de retorno via linha telefônica por exemplo, possibilitando a
este votar ou fazer compras.

1.1 - RECEPTORES DE TV

Com a introdução da tecnologia digital na radiodifusão de TV (TV Digital Terrestre), o usuário poderá optar por uma das
seguintes situações:

! Continuar a receber a TV aberta da forma atual utilizando a sua TV analógica.


! Adquirir um conversor (set-top-box) que permitirá receber o sinal digital e convertê-lo para um formato de vídeo e áudio
disponível em seu receptor de TV.
! Adquirir uma TV nova que já incorpore o conversor.

ANTENA DE UHF

CABO COAXIAL 75W


TV

CONVERSOR
PARA TV DIGITAL

Fig. 1 - Esquema de ligação utilizando conversor externo

Antenas / CATV -03-


CARACTERÍSTICAS BÁSICAS
DAS ANTENAS

2.0 - INTRODUÇÃO
Antena coletiva é um conjunto de equipamentos (antenas receptoras, misturadores, boosters, amplificadores, divisores,
tomadas etc.) que captam os sinais de TV e Rádio, amplificam, misturam e distribuem os sinais através de uma rede de
distribuição a cada usuário (apto.), de forma que os sinais disponíveis na instalação sejam iguais em todos os pontos. Em
outras palavras, que o primeiro andar tenha as mesmas condições de recepção que o último andar.

2.1 - COMO PROJETAR


Em um projeto de antenas coletivas, são diversos os pontos a considerar, os quais iremos explicar a seguir:
A localização do edifício nos dará a melhor posição das antenas, determinando o melhor lugar para a obtenção de maior
qualidade de sinal, para evitar ao máximo fantasmas, interferências, etc. Daqui partiremos para obter os dados de
intensidade de sinal e canais recebidos.
O sistema de distribuição correto a ser utilizado será dado pela configuração do edifício. Dele depende se a instalação é
externa ou interna, em série, em espinha dorsal ou se tem alguns pontos especiais.
Com estes dados partiremos para fazer a distribuição eqüitativa, fazendo um croqui, no qual será muito importante a
distância (metros) entre os diferentes pontos. Todo este conjunto de dados nos fornecerá o melhor sistema de distribuição e,
conseqüentemente, a menor atenuação na instalação.

2.2 - CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DAS ANTENAS

2.3 - FREQÜÊNCIA DE TRABALHO


É a freqüência para a qual a antena apresenta rendimento máximo.
Assim quando falarmos que uma antena é do "canal 5" queremos dizer que sua freqüência de ressonância é a mesma
deste canal e que nele apresentará o máximo rendimento.

2.4 - FAIXA
Embora especificada para uma dada freqüência, a antena poderá captar, com relativa eficiência, as freqüência próximas
destas. Assim uma antena para a freqüência de 180 MHz, cuja faixa seja de 12 MHz, por exemplo, recebe freqüência desde
174 até 186 MHz.

2.4.1 - FAIXA ESTREITA


Dizemos que uma antena é de faixa estreita quando se destina a apenas um canal, abrangendo apenas 6MHz
aproximadamente.

2.4.2 - FAIXA LARGA


Por outro lado, a antena dita de faixa larga quando capaz de operar satisfatoriamente com vários canais.
OBSERVAÇÃO: As freqüências de trabalho das estações transmissoras de TV estão divididas em dois grupos: canais
baixos e canais altos.
CANAIS BAIXOS: São os canais de 2 a 6
CANAIS ALTOS: São os canais de 7 a 13

2.5 - GANHO E DIRETIVIDADE


O ganho de uma antena é um dado comparativo. É a relação entre a energia captada por uma antena qualquer e a energia
captada por uma antena padrão, nas mesmas condições de teste. O ganho é conseqüência da diretividade da antena, que é
a capacidade de receber mais sinais vindos de uma direção preferencial que de outras. Quanto mais diretiva for a antena,
maior seu ganho. A diretividade de uma antena depende da sua construção, ou seja, do tipo e do número de elementos
utilizados. O ganho das antenas é normalmente expresso em decibéis (dB). Quanto maior o número de decibéis (dB) maior o
ganho da antena.

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: Nem sempre a antena de maior ganho é a mais indicada para uma determinada
instalação. Tudo vai depender da localização da antena transmissora, do canal de
televisão, em relação a antena receptora de nossa residência.
Se a antena do canal de televisão estiver muito próxima da residência deve-se optar por
uma antena receptora de baixo ganho, porque o sinal chega forte. Caso contrário vamos
saturar (distorcer) o sinal na entrada do aparelho de televisão. Por outro lado se a antena
do canal de televisão estiver muito longe, deve-se escolher uma antena receptora com
ganho mais elevado, porque o sinal vai chegar muito fraco por causa da distância.

Antenas / CATV -04-


CARACTERÍSTICAS BÁSICAS
DAS ANTENAS

2.6 - IMPEDÂNCIA CARACTERÍSTICA


Chamamos de impedância característica a resistência (impedância) da antena na freqüência de trabalho na qual está
sintonizada. Assim se uma determinada antena, por exemplo para o canal 6, tem uma impedância de 300 Ohms para as
freqüências compreendidas entre 82 à 88 MHz (pois o canal 6 funciona nesta faixa de freqüência, logo está sintonizada para
estas freqüências) dizemos que sua impedância característica é 300 W .
OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: A impedância característica é muito importante para que se obtenha a máxima
transferência do sinal captado pela antena para a linha de transmissão (cabo da
antena) e daí para o televisor. Para que haja a máxima transferência do sinal captado, é
preciso que sejam iguais a impedância característica da antena, linha de transmissão
(ou de descida) a do receptor de televisão. Quando isto ocorre, dizemos que o sistema
está casado.
Quando não houver um perfeito casamento entre a antena e a linha de transmissão
surgirá ondas estacionárias que provocarão a formação de imagens duplas
(fantasmas), que nada mais são que a sobreposição do sinal original com sua reflexão
atrasada no tempo.

2.7 - RELAÇÃO FRENTE-COSTAS


É a razão do sinal (tensão) captado com a antena orientada no sentido de máxima diretividade em relação ao sinal
recebido com a antena virada no sentido oposto. Quanto maior for essa diferença, melhor será a nossa antena, porque ela
capta muito mais energia pela frente do que por trás, o que é um fator essencial para eliminação de "fantasmas".
A relação frente/costa é medida em decibéis (dB). Quanto maior o valor em dB, melhor a relação frente/costa da antena.

2.8 - RELAÇÃO DE ONDAS ESTACIONÁRIAS (R.O.E.) E PERDA DE RETORNO


É uma medida de quanto a impedância da antena se afasta do seu valor nominal ao longo da faixa de operação. Esta
variação de impedância provoca um descasamento entre a antena e a linha de transmissão gerando um padrão de ondas
estacionárias na linha. Quanto mais próximo de 1 for o valor de R.O.E., menor o nível de descasamento do sistema.
Outra forma de medir o descasamento é através da perda de retorno que é a razão entre a potência que retorna pela que
incide na antena. Quanto menor a perda de retorno (mais negativo for o valor expresso em dB), melhor casada a antena está.

2.9 - POLARIZAÇÃO
É o sentido em que são transmitidos ou recebidos os sinais, podendo ser horizontal, vertical e circular.

2.10 - ESCOLHA DO TIPO DE ANTENA MAIS INDICADO PARA CADA CASO


É difícil determinar uma série de normas para a escolha de antenas, visto que são vários e bem diferentes os fatores a se
levar em consideração, já que estão relacionados com o lugar onde será feita a instalação.
A instalação de antenas nas capitais é normalmente feita sem grandes problemas porque dispomos de sinais fortes. A
escolha complica quando se trata de receber vários canais, ou quando o sinal é muito fraco.
A THEVEAR fabrica os seguintes tipos de antenas:

2.10.1 - ANTENAS INTERNAS


As antenas internas geralmente resolvem o problema de recepção de forma econômica nas capitais onde o sinal é forte.
Tem a vantagem de que com uma simples mudança de posição consegue-se uma imagem satisfatória.

2.10.2 - ANTENAS EXTERNAS MULTI-BANDA


São basicamente de dois tipos: um para regiões urbanas e sub urbanas e outro para recepção a longa distância.
Há ainda variações entre esses modelos, conforme a particularidade da região onde se pretende instalar a antena. Essas
antenas são dimensionadas para receber, da melhor forma possível, todos os canais de televisão e FM.

2.10.3 - ANTENAS EXTERNAS MONOCANAIS


São construídas especificamente para receber os sinais de um único canal.

2.10.4 - ANTENAS EXTERNAS BI (canais 2, 3, 4, 5 e 6), BII (FM) e BIII (canais 7, 8, 9, 10, 11, 12 e 13)
Nestas antenas se conseguiu unir as características de uma antena de faixa larga, com as de uma antena monocanal Yagi.
Assim quando se tem vários canais de uma mesma banda, chegando de uma mesma direção, será possível captá-los com
uma só antena.

Antenas / CATV -05-


CARACTERÍSTICAS BÁSICAS
DAS ANTENAS

2.10.5 - ANTENAS EXTERNAS DE UHF


São antenas projetadas para as localidades que recebem os sinais de retransmissoras de UHF e para captação dos sinais
da TV digital em UHF.

2.10.6 - ANTENAS EXTERNAS DE FM


São normalmente do tipo Yagi, indicadas para médias e longas distâncias. A THEVEAR fabrica também um modelo para
recepção local, uma antena circular do tipo omnidirecional.

2.11 - ORIENTAÇÃO TÉCNICA PARA INSTALAÇÃO DE ANTENA


Ao projetar um mastro para a instalação de antenas, devemos considerar dois pontos importantes: o seu comprimento e a
sua eficiência mecânica.

2.11.1 - COMPRIMENTO
A utilização de mastros muito compridos para colocação de várias antenas não é recomendável. Sempre que possível é
preferível a instalação de vários mastros.
O diâmetro e a espessura da parede dos mastros têm relação direta com o comprimento. Normalmente se usam canos de
água de ¾" e 1" galvanizados. Mastros com alturas superiores a três metros devem ser necessariamente de cano de água de
1" amarrado com tirantes.
Na utilização de vários mastros é recomendável deixar uma distância de pelo menos 5 metros entre os mastros, pois a
distância entre os mastros tem relação direta com o comprimento de onda das antenas utilizadas.
A figura abaixo ilustra a instalação de antenas com vários mastros.

CANAL 7

Sentido de
recepção

Sentido de
~5m recepção

Sentido de CANAL 2
recepção

Fig. 1 - Exemplo de sentido de recepção Fig. 2 - Exemplo de instalação

O lugar da instalação do mastro deverá ser sempre o mais alto possível e que permita colocação de tirantes, caso seja
necessário.

2.11.2 - EFICIÊNCIA MECÂNICA


Depende essencialmente do clima da região onde será instalada a antena. Fatores como ventos, maresia (corrosão),
poluição, etc, não podem ser desprezados numa boa instalação. Em regiões de litoral, por exemplo, os mastros mais
adequados são de aço inoxidável ou de latão duro, porém, são extremamente caros.
Nos locais onde a ocorrência de ventos fortes é freqüente, cuidados especiais deverão ser tomados porque o movimento
contínuo da antena provoca variações do sinal ('fading') captado, causando, na tela do receptor, movimentos constantes da
imagem.
Para evitar esse problema, o mastro da antena deve ser amarrado com tirantes. Os tirantes devem ser colocados a 1/3 da
altura total de mastro conforme indica a figura 6, e sempre em número de três. O ângulo entre o mastro e o tirante deve ser de
30º a 45º e ângulo entre os tirantes de 120º. Os tirantes podem ser de cabo de aço, de arame galvanizado, de fio de cobre, de
latão ou de alumínio com 2 a 3 mm de diâmetro.

Antenas / CATV -06-


CARACTERÍSTICAS BÁSICAS
DAS ANTENAS
É muito importante também que o sistema de amarração dos tirantes ao mastro seja feito por meio de abraçadeiras ou
disco giratório. A fixação do mastro no telhado, no caso de laje, deve ser feito por meio de tripés.
Se a fixação for na parede, ela deve ser feita com abraçadeiras ou porta-bandeiras, observando a distância de pelo menos
um metro entre os centros, como ilustra a figura 5.

ANTENA

1/3 h
1m
30º a 45º
120º

Fig. 3 - Posição dos tirantes na Fig. 4 - Fixação do mastro com tripé Fig. 5 - Fixação do mastro na parede Fig. 6 - Ângulo dos tirantes com o mastro
fixação do mastro

Uma vez definidos quantos mastros e quantas antenas utilizaremos na instalação, é necessário determinar a distância
entre as antenas.
As separações mínimas entre as antenas são dadas em função dos comprimentos de onda das antenas. Na figura abaixo
temos tabeladas as distâncias relativas entre antenas instaladas num mesmo mastro. Nas instalações que utilizam antenas
com refletor duplo, a distância entre elas será considerada a partir do próprio refletor.
Recomenda-se também colocar a antena no mastro a
uma distância mínima de 2 metros a partir do telhado.
Medidas inferiores podem gerar duplas imagens e
reflexões devido a existência de lajes, caixas de água ou
peças metálicas que podem atuar como espelhos para Banda V
sinais de R.F. Para evitar também reflexões, nunca
devemos instalar antenas num mesmo plano em mastros
de diferentes sentidos de recepção. Nestes casos devem- 0,7m
se distanciar as antenas de 30 a 40 cm, com relação ao
plano da superfície.
Banda III

BI BIII BIV BV 1,5m


2 AO 6 FM 7 AO 13 UHF UHF
BI
3m 1,7m 1,5m 1m 0,9m
2 AO 6
Banda I
FM 1,7m 1,3m 1,1m 0,9m 0,8m
BIII
1,5m 1,1m 1m 0,8m 0,7m 2m
7 AO 13
BIV
1m 0,9m 0,8m 0,7m 0,6m
UHF
BV
0,9m 0,8m 0,7m 0,6m 0,5m
UHF
Fig. 7 - Distância para Fixação das antenas

Ao colocar várias antenas num mesmo mastro não devemos instalar juntas antenas de mesma banda. Por exemplo, é
errado instalar no mesmo mastro a antena do canal 2 junto com a do canal 4. Sempre que possível, devemos instalar as
antenas o mais distantes possível entre canais. No caso da cidade de São Paulo por exemplo, o ideal é a instalação de 4
mastros sendo:

Mastro Nº 1: antena do canal 2 com a antena do canal 7;


Mastro Nº 2: antena do canal 4 com a antena do canal 9;
Mastro Nº 3: antena do canal 5 com a antena do canal 11;
Mastro Nº 4: antena de FM com a antena do canal 13.

Dentro do que foi exposto a antena de FM deve ser instalada no mastro número 4 por que o FM (88 a 108 MHz) fica longe
do canal 13 (210 a 216 MHz).

Antenas / CATV -07-


INTRODUÇÃO AO
SISTEMA DE ANTENA COLETIVA

3.0 - INTRODUÇÃO

Um sistema de antena coletiva é constituído, basicamente, de ANTENAS DE VHF COLETIVAS


duas partes: a cabeceira e a distribuição. ANTENA
ANTENA CANAL 2 CANAL 4 CANAL 7
DE UHF DE FM
A cabeceira é a parte do sistema constituída pelas antenas,
misturadores e amplificadores, e tem por função receber,
combinar, equalizar e amplificar os sinais recebidos. Já a
distribuição dos sinais é realizada por divisores e tomadas.
MISTURADOR
CABO
Para projetar a cabeceira é preciso saber quais canais de TV COAXIAL
vão ser distribuídos, de onde eles vêm e com que nível de sinal 75W
eles chegam. Por exemplo, os canais transmitidos em VHF e UHF
são recebidos por antenas de VHF e UHF; canais transmitidos via MISTURADOR
satélite, são recebidos por antenas parabólicas e necessitam-se
de receptores de satélite para recebê-los e modulá-los nas
freqüências dos canais em que eles vão ser distribuídos; os AMPLIFICADOR
canais recebidos em UHF podem ser distribuídos em UHF
mesmo ou, então, serem convertidos para a faixa de VHF, usando
COBERTURA
os conversores de UHF para VHF. Pode-se distribuir também
sinais provenientes de DVD, Videocassete ou Circuito Fechado
de TV. Basta modulá-los num canal e adicioná-los ao sistema de 12º ANDAR
distribuição. Se algum canal chega fraco, com um nível de sinal
baixo, pode ser preciso amplificá-lo usando um booster. 3m TOMADA

A etapa seguinte é combinar estes sinais usando misturadores


e depois amplificá-los para então distribuí-los. 11º ANDAR

O sistema de distribuição de sinais de antena coletiva e CATV 3m TOMADA


em prédios de apartamentos é composto de uma ou mais
prumadas (linhas de descida de sinal), da qual se extrai uma
fração do sinal para fornecer ao usuário. Os componentes 10º ANDAR
normalmente utilizados para fazer esta distribuição são as
tomadas blindadas e divisores.
Fig. 1 - Exemplo de instalação

3.1 - EXEMPLO DE UM PROJETO DE ANTENA COLETIVA

No dimensionamento de uma antena coletiva devemos considerar diversos fatores. A posição das antenas, por exemplo,
vai depender da localização do edifício. O estudo desse local determinará o melhor posicionamento para evitar ao máximo
interferências, fantasmas etc.

Vamos supor então que desejamos fazer a instalação de uma antena coletiva num prédio de doze andares, com 2
apartamentos por andar, localizada numa capital.

3.2 - ANTENAS

Normalmente a instalação de antenas nas capitais é feita sem maiores problemas, pois dispomos de sinais fortes. As
coisas começam a complicar quando os sinais são muito fracos ou quando se trata de receber vários canais de direções
diferentes.

No caso da nossa coletiva, vamos utilizar antenas do tipo monocanal Yagi que apresentam uma série de vantagens sobre
as antenas multi-canais. Vamos utilizá-las, entre outros motivos, porque recebemos sinais de três regiões diferentes. Com
uma antena multi-canal teríamos que encontrar uma direção "média" de recepção o que seria impossível. Com uma antena
independente para cada canal podemos direcionar cada antena corretamente, garantindo a recepção de sinais limpos, fortes
e definidos. Permitirá ainda atenuarmos ou amplificarmos cada canal separadamente, colocando todos no mesmo nível.

As antenas multi-canais perdem também em comparação com as monocanais na relação frente/costa porque são mais
sujeitas a recepção de imagens secundárias pela parte posterior da antena. Na antena multi-canal a intensidade de recepção
de cada canal é também muito variável.

Antenas / CATV -08-


INTRODUÇÃO AO
SISTEMA DE ANTENA COLETIVA
As antenas normalmente utilizadas em sistemas de antena coletiva são monocanais ou multibandas. As antenas
monocanais de VHF são projetadas para recepção de um único canal de TV. Assim para receber um conjunto de 7 canais de
VHF é necessário 7 antenas, uma para cada canal. Isso é feito para otimizar a recepção de cada canal. Assim é possível
apontar cada antena para a direção do transmissor e ajustar individualmente o nível de cada canal. Já as antenas
multibandas recebem todos os canais transmitidos numa mesma direção, não sendo possível ajustar um canal de forma
independente dos demais.

Fig. 2 - Antena Banda I - cód. 415C Fig. 3 - Antena FM circular - cód. 525CL Fig. 4 - Antena Banda III - cód. 417C

3.3 - MISTURADORES
São utilizados para misturar e equalizar sinais de TV provenientes de
diversas antenas, moduladores, conversores, etc. O misturador de 8
entradas de VHF possui em cada entrada um filtro passa canal e um
atenuador variável para ajustar o nível do sinal do canal na saída. Assim é
possível obter um conjunto de canais, todos com o mesmo nível de sinal.

Fig. 5 - Misturador

3.4 - MODULADORES
Utilizados para modular uma portadora de R.F. através de sinais de áudio
e vídeo provenientes de receptores de satélite, DVD, câmeras,
videocassetes, etc. Os moduladores normalmente utilizados em sistemas de
antena coletiva são do tipo DSB (double side band = banda lateral dupla), isto
é, não filtram a banda lateral inferior do canal de TV. Portanto, eles não
podem ser utilizados em sistemas que operam com canais adjacentes, tais
como os sistemas de CATV.

Fig. 6 - Modulador

3.5 - CONVERSORES
São empregados para converter a freqüência de um canal, normalmente
na faixa de UHF, para um outro canal na faixa em VHF.

Fig. 7 - Conversor

Antenas / CATV -09-


INTRODUÇÃO AO
SISTEMA DE ANTENA COLETIVA

3.6 - ATENUADORES

São utilizados para reduzir os níveis de sinais às


necessidades do sistema de distribuição de CATV ou antena
coletiva. Podem ser de atenuação fixa ou variável.

Fig. 8 - Atenuador

3.7 - BOOSTERS

São amplificadores de ruído baixo, montados junto às


antenas, para melhorar a relação sinal/ruído do sistema de
recepção. Possui uma fonte separada que envia alimentação ao
amplificador pelo próprio cabo de sinal. Existem vários modelos
de boosters, para as faixas de VHF, de UHF ou para ambas as
faixas, com diversas faixas de ganho.

Fig. 9 - Fonte (uso interno) Fig. 10 - Booster (uso externo)

3.8 - AMPLIFICADORES DE POTÊNCIA

Amplifica o sinal aplicado na sua entrada para que o nível na saída seja suficiente para compensar as perdas ocorridas no
sistema de distribuição. Podem ser amplificadores para CATV, TV à Cabo, do tipo push-pull, ou para as faixas de VHF e UHF,
utilizados em antenas coletivas. Os amplificadores de CATV empregam um módulo amplificador híbrido e possuem ajustes
de nível e de inclinação, que serve para compensar a
característica seletiva das perdas em cabos coaxiais.

Para escolher qual amplificador é o mais adequado numa


instalação, é preciso levar em conta a faixa de freqüências de
operação, ou seja, se é VHF, UHF ou então CATV, o ganho e a
potência de saída. Para determinar a potência de saída, é preciso
saber qual o nível de sinal que vai ser entregue nas tomadas e
quanto é perdido na distribuição do sinal. Uma vez determinado o
nível de sinal na saída, calcula-se o ganho necessário
subtraindo-se o nível de sinal na entrada do amplificador.

Fig. 11 - Amplificador VHF + UHF Fig. 12 - Amplificador CATV

3.9 - DIVISORES (POWER SPLITER)

Utilizado na divisão e
distribuição de um sinal para
diversas saídas e também para
combinar diversos sinais em uma
única saída (quando utilizado ao
contrário).

Fig. 13 - Divisor 4 saídas Fig. 14 - Divisor 3 saídas Fig. 15 - Divisor 2 saídas

Antenas / CATV -10-


INTRODUÇÃO AO
SISTEMA DE ANTENA COLETIVA

3.10 - TOMADAS BLINDADAS (TAP)


Utilizada na distribuição dos sinais nas prumadas. É composto de um AP
acoplador direcional que retira uma parcela do sinal que passa pela tomada.
A característica que nomeia uma tomada é quanto de sinal ela acopla da
linha principal. Existem tomadas de 4dB, 6dB, 9dB, 12dB, 16dB, 20dB, 24dB,
27dB e 30dB. Além do acoplamento, que é uma medida da atenuação da VE VS
linha para a tomada ALT, outros parâmetros importantes das tomadas são: a
atenuação de passagem AP e a atenuação de isolação AI. A figura ao lado
mostra como estas grandezas são medidas.

A LT VT AI
Fig. 16 - Tomada blindada

3.10.1 - ORDENADAÇÃO DAS TOMADAS BLINDADAS


APARTAMENTO Será considerada a situação em que o sinal é distribuído a partir da
DE CIMA cabeceira do sistema, que fica no topo do prédio. O objetivo do projeto é
APARELHO
determinar quais tomadas usar de modo que seja entregue aos usuários,
DE TV / FM VE ( J+1 ) aproximadamente, o mesmo nível de sinal. O sinal é máximo quando ele
sai da cabeceira, e vai sendo atenuado à medida que ele é distribuído.
TV
E

S
Portanto é de se esperar que as tomadas dos apartamentos próximos da
VT ( J+1 ) cabeceira tenham uma atenuação da linha para a tomada maior que a de
APARTAMENTO J+1 VS ( J+1 )
um usuário que esteja mais distante, onde o sinal já está atenuado.
d J,J+1 = distância entre Numa distribuição como a descrita acima, o nível de sinal na tomada do
d J,J+1
tomadas Apto J e Apto J+1 apartamento “j+1”, que fica acima do apartamento “j”, é dado por:

VE(j+1) = VE(j) + AC.dJ, J+1 + AP(j+1) [1]


APARELHO
DE TV / FM TOMADA
VE ( J )
VT(j+1) = VE(j+1) ALT(j+1) [2]
Onde:
E
TV
S

VT ( J )
APARTAMENTO J VS ( J )
VE(j), VE(j+1) níveis de sinal na entrada das tomadas dos
PERCURSO DO apartamentos “j” e “j+1”
SINAL NO CABO DA
ANTENA
VT(j) - nível do sinal entregue ao usuário pela tomada do apartamento
“j”
APARELHO
DE TV / FM TOMADA
VE ( 3 )
AP(j) - atenuação de passagem da tomada do apartamento “j”
E
TV
S

VT ( 3 ) ALT(j) - atenuação da linha para a tomada do apartamento “j”


APARTAMENTO 3 VS ( 3 )
AC - atenuação do cabo coaxial na freqüência em questão
d 2,3 = distância entre
d 2,3
tomadas Apto 2 e Apto 3
dJ, J+1 - comprimento do cabo entre os apartamentos “j” e “j+1”

APARELHO
DE TV / FM TOMADA Para se determinar quais tomadas utilizar em uma distribuição,
VE ( 2 )
começa-se pela tomada no final da linha, ou seja, no ponto j = 1, utilizando
TV
E

S
sempre que possível, a tomada de menor atenuação, que é a tomada de
VT ( 2 )
APARTAMENTO 2 VS ( 2 ) 6dB. Arbitra-se o nível de sinal entregue ao usuário e calcula-se, então,
quanto de sinal deve existir na entrada da tomada 1. A escolha da
d 1,2 = distância entre PAREDE atenuação da tomada é um processo interativo, onde se escolhe a tomada
tomadas Apto 1 e Apto 2 d 1,2 cujo nível de sinal entregue ao usuário 2 seja aproximadamente igual ao
do usuário 1. A primeira tentativa é repetir a tomada do andar de baixo.
APARELHO
Calcula-se o sinal entregue ao usuário 2 utilizando as expressões [1] e [2].
DE TV / FM TOMADA
VE ( 1 ) A segunda tentativa é a tomada seguinte de maior atenuação. Repete-se
este procedimento até chegar ao último apartamento.
E
TV
S

VT ( 1 )
APARTAMENTO 1
CARGA
Fig. 17 - Exemplo de instalação

Antenas / CATV -11-


INTRODUÇÃO AO
SISTEMA DE ANTENA COLETIVA

3.10.2 - ROTEIRO DE CÁLCULO DA ORDENAÇÃO


! Escolhendo-se a tomada 1 de 6dB, o nível de referência na saída para a TV VT(1) = 0dB, a distância entre tomadas
de d = 3m, e a atenuação do cabo AC = 0,133 dB/m.
! O nível na entrada da tomada 1 é VE(1) = VT(1) + ALT(1) = 0 + 6 = 6dB
! O nível na entrada da tomada 2 é VE(2) = VE(1) + AC.d1,2 + AP(2)
! O nível de sinal na saída para a TV na tomada 2 é VT(2) = VE(2) - ALT(2)
! A determinação da atenuação da tomada é interativa, ou seja, eu tenho que testar qual tomada fornece, na saída
para a TV, um nível mais próximo do nível de referência. Primeiro faz-se cálculo com a tomada do andar anterior e
depois com a seguinte:
a) Tomada 2 de 6dB. ALT´(2) = 6dB e AP(2) = 2dB

VE(2) = VE(1) + AC.d1,2 + AP(2) = 6 + 0,133x3 + 2 = 8,4dB

VT(2) = VE(2) - ALT(2) = 8,4 - 6 = 2,4dB

b) Tomada 2 de 9dB. ALT"(2) = 9dB e AP"(2) = 1,3dB

VE(2) = VE(1) + AC.d1,2 + AP"(2) = 6 + 0,133x3 + 1,3 = 7,7dB

VT(2) = VE(2) - ALT"(2) = 7,7 - 9 = -1,3dB

! A tomada de 9dB será escolhida por apresentar na saída para a TV um nível mais próximo do nível de referência
que é 0dB. Portanto VE(2) = 7,7dB
! O nível na entrada da tomada 3 é VE(3) = VE(2) + AC.d2,3 + AP(3)
! O nível de sinal na saída para a TV na tomada 3 é VT(3) = VE(3) - ALT(3)
! Primeiro faz-se o cálculo com a tomada do andar anterior e depois com a seguinte:
a) Tomada 3 de 9dB. ALT'(3) = 9dB e AP'(3) = 1,3dB

VE(3) = VE(2) + AC.d2,3 + AP`(3) = 7,7 + 0,133x3 + 1,3 = 9,4dB

VT(3) = VE(3) - ALT'(3) = 9,4 - 9 = 0,4dB

b) Tomada 3 de 12dB. ALT"(3) = 12dB e AP"(3) = 1,0dB

VE(3) = VE(2) + AC.d2,3 + AP"(3) = 7,7 + 0,133x3 + 1,0 = 9,1dB

VT(3) = VE(3) - ALT"(3) = 9,1 - 12 = -2,9dB

! A tomada de 9dB será escolhida por apresentar na saída para a TV um nível mais próximo do nível de referência
que é 0dB. Portanto VE(3) = 9,4dB
! De uma maneira geral, para determinar a atenuação da tomada do apartamento "j+1", quando já se chegou no
apartamento "j", procede-se da seguinte forma:
! O nível na entrada da tomada "j+1" é VE(j+1) = VE(j) + AC.dj,j+1 + AP(j+1)
! O nível de sinal na saída para a TV na tomada "j+1" é VT(j+1) = VE(j+1) - ALT(j+1)
! Primeiro faz-se o cálculo com a tomada do andar anterior e depois com a seguinte:
a) Tomada "j+1" igual à tomada do andar anterior. Das especificações da tomada obtém-se ALT`(j+1) e AP`(j+1)

VE(j+1) = VE(j) + AC.dj,j+1 + AP`(j+1)

VT(j+1) = VE(j+1) - ALT`(j+1)

b) Tomada "j+1" com atenuação maior que a do andar anterior. Das especificações da tomada obtém-se ALT"(j+1) e
AP"(j+1)

VE(j+1) = VE(j) + AC.dj,j+1 + AP"(j+1)

VT(j+1) = VE(j+1) - ALT"(j+1)

! Escolhe-se a tomada ALT`(j+1) ou ALT"(j+1) que apresentar na saída para a TV um nível mais próximo do nível de
referência que é 0dB.
! Este cálculo é repetido até que se chegar na última tomada.

Antenas / CATV -12-


INTRODUÇÃO AO
SISTEMA DE ANTENA COLETIVA

3.10.3 - TABELAS DE ORDENAÇÃO DE TOMADAS BLINDADAS


O projeto geral de ordenação de tomadas, onde a distância entre os pontos não é regular, deve ser calculado caso a caso.
Já, numa instalação predial, onde cada prumada possui apenas um ponto por andar, e a distância de um ponto a outro é
aproximadamente 3m, é possível gerar tabelas com a ordenação das tomadas blindadas. Como o cálculo da ordenação das
tomadas depende do tipo de cabo coaxial e da freqüência que ele é empregado, a tabela apresenta três colunas. Duas para
cabo coaxial de 75 do tipo "Celular", RGC-59, nas freqüências de 240 Mhz e 470 Mhz, e uma para cabo coaxial RG-59 em 240
Mhz. Estas tabelas simplificam o projeto de distribuições em prédios de apartamento, pois delas se obtém diretamente o valor
da tomada para cada andar.

RGC-59 RGC-59 RG-59 RGC-59 RGC-59 RG-59 RGC-59 RGC-59 RG-59


ANDAR ANDAR ANDAR
240MHz 470MHz 240MHz 240MHz 470MHz 240MHz 240MHz 470MHz 240MHz
1 6 dB 6 dB 6 dB 11 16 dB 20 dB 20 dB 21 27 dB 30 dB 30 dB
2 9 dB 9 dB 9 dB 12 20 dB 20 dB 20 dB 22 27 dB 30 dB 30 dB
3 9 dB 9 dB 9 dB 13 20 dB 20 dB 20 dB 23 27 dB 30 dB 30 dB
4 12 dB 12 dB 12 dB 14 20 dB 20 dB 20 dB 24 27 dB 30 dB 30 dB
5 12 dB 12 dB 12 dB 15 20 dB 24 dB 24 dB 25 30 dB 30 dB 30 dB
6 12 dB 16 dB 16 dB 16 20 dB 24 dB 24 dB 26 30 dB - -
7 16 dB 16 dB 16 dB 17 24 dB 24 dB 24 dB 27 30 dB - -
8 16 dB 16 dB 16 dB 18 24 dB 27 dB 27 dB 28 30 dB - -
9 16 dB 16 dB 16 dB 19 24 dB 27 dB 27 dB 29 30 dB - -
10 16 dB 20 dB 20 dB 20 24 dB 27 dB 27 dB 30 30 dB - -

3.11 - EXEMPLOS DE PROJETOS


3.12 - ANTENA COLETIVA EM PRÉDIO DE APARTAMENTO
Vamos considerar um prédio de 12 andares, com 4 apartamentos por andar, onde cada apartamento é servido por uma
prumada e possui um único ponto na sala. Deseja-se distribuir os canais de TV de VHF e UHF e entregar um sinal de
aproximadamente 75dBm V para cada ponto. O cabo coaxial escolhido foi o RGC-59, por ser o que apresenta a melhor
relação custo-desempenho.

3.13 - PROJETO DA CABECEIRA


Vamos supor que o prédio onde a antena
Canal Emissora Código da Antena Faixa
coletiva será instalada está em uma capital, onde
existem 7 canais de VHF, FM, canais de UHF na 2 TV Cultura 520CL VHF
Banda IV e Banda V. Além destes canais, serão 4 SBT 522CL VHF
distribuídos mais um canal de TV com sinal de 5 Rede Globo 523CL VHF
vídeo do circuito fechado, obtido das câmeras que FM 88 a 108MHz 525CL FM
ficam na portaria. Serão usadas as seguintes 7 Rede Record 526CL VHF
antenas: 9 Rede TV 528CL VHF
11 Rede Gazeta 530CL VHF
Os canais 16 e 32 serão recebidos por uma 13 Rede Bandeirantes 532CL VHF
única antena de UHF para Banda IV e os canais 40 16 CBI
e 42 serão recebidos por uma antena de UHF para 418C UHF
32 MTV
a Banda V. 40 Rede Vida
419C UHF
42 Rede Mulher
H Circuito Fechado Modulador VHF

3.14 - MASTROS
As antenas serão distribuídas em 4 mastros. Alguns mastros terão 3 antenas e outros 2 antenas. Quando se colocam
várias antenas num mesmo mastro, deve-se colocar na parte debaixo do mastro as antenas dos canais mais baixos, que são
as antenas maiores, no caso as antenas da Banda I. Acima destas vão as antenas de VHF da Banda III, e acima destas é que
são colocadas as antenas de UHF.

Mastro Antenas
1 Canal 2 Canal 13 -
2 Canal 4 Canal 11 -
3 Canal 5 Canal 9 UHF-Banda V
4 FM Canal 7 UHF-Banda IV

Antenas / CATV -13-


INTRODUÇÃO AO
SISTEMA DE ANTENA COLETIVA

3.15 - MISTURADORES
Para combinar os sinais das 7 antenas de VHF e da antena de FM será utilizado o misturador de VHF cód. 1050-E. Como
este misturador não tem uma entrada para o canal H, gerado pelo modulador, será usado o acoplador cód. 1053-F, canal H,
para acoplar este canal aos canais de VHF. Para combinar os sinais das antenas de UHF da Banda IV e da Banda V será
usado o misturador cód. 8192E. E para combinar os sinais de VHF, incluindo o canal H, com os sinais de UHF da saída do
misturador cód. 8192E, usa-se o misturador de VHF/UHF cód. 1020-F.

3.16 - INTENSIDADE DOS SINAIS


O passo seguinte será conhecer a intensidade dos sinais que chegam no prédio onde vamos instalar a antena coletiva.
Para isso será empregado um Medidor de Intensidade de Campo ou, simplesmente, um Medidor de Campo, que é um
voltímetro seletivo. O valor da intensidade do sinal é lido diretamente no mostrador do equipamento em dBm V,m V, dBmV ou
mV. Sem estes valores é impossível garantir que o projeto vai funcionar.
A medida da intensidade de sinal é o ponto de partida para determinar:
o
1 ) Se é possível instalar a antena no lugar desejado.
o
2 ) Qual é o tipo de antena mais adequado à instalação (antena de alto ou baixo ganho)
o
3 ) Se é necessário ou não amplificar o sinal recebido
O apontamento correto da antena é aquele em que se obtém a máxima intensidade de sinal e a melhor qualidade de
imagem. A tabela abaixo mostra os valores medidos do sinal no local de instalação.

Antena Nível de Sinal (dBm V) Procedimento


Medido Desejado Qualidade
Código Faixa Canal na na saída do Diferença Solução Código do Booster da Imagem
Antena Misturador
520CL VHF 2 60 78 -18 Amplificar 823-4ES14/24 Alguns Chuviscos
522CL VHF 4 45 78 -33 Amplificar 823-4ES30/42 Com Chuviscos
523CL VHF 5 81 78 +3 Atenuar - Boa
525CL FM FM 96 78 +18 Atenuar - Levemente Distorcida
526CL VHF 7 97 78 +19 Atenuar - Cores Saturadas
528CL VHF 9 90 78 +12 Atenuar - Limpa
530CL VHF 11 94 78 +16 Atenuar - Levemente Distorcida
532CL VHF 13 82 78 +4 Atenuar - Boa
16 86 78 +8 Atenuar - Boa
418CL UHF
32 80 78 +2 Atenuar - Boa
40 52 78 -26 Amplificar 823-5ECABO Alguns Chuviscos
419CL UHF
42 56 78 -22 Amplificar - Alguns Chuviscos
866-EA VHF H 80 78 +2 Atenuar - Boa

O sinal da antena, ao passar pelo misturador, sofre uma atenuação, que deve ser levada em conta quando se deseja
determinar com que nível de sinal todos os canais devem ficar. Somente os canais de VHF podem ser ajustados
individualmente. Isso é possível porque se usa o misturador de VHF cód.1050-E, que possui entrada separada para cada
antena e ajuste de atenuação para cada entrada. Analisando o nível dos sinais de VHF verifica-se que o mais razoável é
amplificar os canais 2 e 4 e tomar o nível do canal 5 na saída do misturador, que é 78dBmV, como nível de referência. Quanto
aos sinais de UHF, não é possível ajustá-los de forma independente. O que é possível fazer é um ajuste por banda, e isso é
realizado utilizando-se um booster para amplificar os canais recebidos pela antena da Banda V.

3.17 - MODULADOR
Para inserir o sinal de vídeo do circuito fechado, obtido das câmeras de segurança, na distribuição de antena coletiva, é
preciso primeiro transformá-lo num canal de TV. Isso é realizado utilizando o modulador ágil cód. 866-EA. Foi escolhido um
canal de VHF na Banda Média, o canal H ou canal 21 de CATV. Para juntar este canal aos demais canais de VHF foi preciso
usar o acoplador cód. 1053-F, uma vez que já não existia mais entrada livre disponível no misturador cód. 1050-E. O ajuste do
nível do canal H é feito no modulador, que possui um controle do nível do sinal de saída.

3.18 - PROJETO DAS PRUMADAS


Este projeto pode ser retirado diretamente da tabela, na coluna do cabo RGC-59, na freqüência de 470 Mhz. A última
tomada da prumada é a de 20dB, isso quer dizer que a atenuação da prumada é aproximadamente ALT = 20dB. Portanto para
entregar um sinal com o nível de VTV = 75dBm V em cada ponto de TV, é necessário um nível VPRUMADA = 95dB
m V na entrada
de cada prumada. Não se deve esquecer que na saída da tomada no primeiro andar deve ser colocado uma carga de 75W .

VPRUMADA = VTV + ALT = 75dBm V + 20dB = 95dB


m V

Antenas / CATV -14-


INTRODUÇÃO AO
SISTEMA DE ANTENA COLETIVA

3.19 - DIVISOR

Como no prédio existem 4 prumadas, é preciso dividir o sinal que sai do amplificador por 4. Isso é feito usando um divisor
blindado THEVEAR cód. 1010-F. A atenuação de nível de sinal introduzida pelo divisor é de ADIVISOR = 7dB.

3.20 - PERDA NOS CABOS

Para ligar o divisor até as tomadas dos apartamentos do andar 12, será preciso aproximadamente 10m de cabo coaxial
RGC-59. Na freqüência de projeto, 470 Mhz, a perda deste cabo é 0,2dB/m, o que vai adicionar uma perda de 2dB ao sinal
que vai para as prumadas.

ACABO = 10m x 0,2dB/m = 2dB

3.21 - PONTO DE TESTE

Uma boa estratégia de projeto é colocar uma tomada com aproximadamente a mesma atenuação da rede de distribuição
após o amplificador para que se possa ajustar e verificar o funcionamento da cabeceira sem que seja preciso desconectar
todos os usuários. Como as tomadas de 20dB a 30dB, que são as utilizadas como pontos de teste, possuem o mesmo valor
de atenuação de passagem AP-TOMADA = 0,5dB, acrescentaremos mais esta perda de sinal no cálculo da distribuição.

3.22 - AMPLIFICADOR DE POTÊNCIA

Para determinar o nível de sinal necessário na saída do amplificador é preciso somar as perdas causadas pelo ponto de
teste, divisor e cabo coaxial ao sinal necessário na entrada de cada prumada.

VAMP = VPRUMADA + ACABO + ADIVISOR + AP-TOMADA = 95dBm V + 2dB + 7dB + 0,5dB = 104,5dB
m V

Assim, na entrada do divisor é preciso um nível de sinal de 104,5dBm V. Arredondaremos este valor para 105dB
m V. Este é o
nível de sinal que deve ser fornecido pelo amplificador que vai ser empregado na cabeceira.

Para calcular o ganho do amplificador basta subtrair do nível de sinal na saída VAMP o nível de sinal presente na entrada
do amplificador VENTRADA:

GAMP = VAMP - VENTRADA = 105 dBm V - 78 dB


m V = 27dB

O amplificador escolhido neste caso é o amplificador cód. 1064-30, que é um amplificador de 30dB de ganho para as
faixas de VHF e UHF com ajuste de ganho independente para cada faixa.

Para determinar o valor da tomada que será usada no ponto de teste, fazemos a subtração da potência que sai do
amplificador menos a que é entregue para cada ponto de TV:

APONTO-TESTE = VAMP VTV = 105 dBm V - 75 dB


m V + = 30dB

Portanto será empregada uma tomada de 30dB no ponto de teste.

Antenas / CATV -15-


INTRODUÇÃO AO
SISTEMA DE ANTENA COLETIVA

3.23 - VERIFICAÇÃO DO PROJETO

Agora vamos fazer uma verificação da coletiva projetada. Este procedimento é o mesmo que se usa quando o instalador
chega numa instalação já feita e é preciso calcular qual é o nível que deveria ser entregue em cada tomada.

Começamos com o nível de sinal na entrada do amplificador VENTRADA = 78dBm V. Somando a este nível o ganho do
Amplificador GAMP=27dB, obtemos o valor do nível do sinal na saída VAMP = 105dBm V. Esta é a primeira linha da tabela. Na
linha seguinte da tabela temos a tomada do ponto de teste, depois vem o divisor e a perda nos 10m de cabo coaxial que unem
o divisor à tomada do andar 12. Na entrada da tomada do andar 12, o nível de sinal é VE(12)=95,5dBm V. O nível de sinal
entregue para a TV nos apartamentos do andar 12 é o nível presente na entrada da tomada menos a atenuação da linha para
a tomada, VTV(12) = VE(12) - ALT(12) = 95,5dBm V - 20dB = 75,5dB m V. Já no sinal que segue para os andares de baixo, ao
passar pela tomada, ocorre uma perda de sinal devido a atenuação de passagem da tomada VS(12) = VE(12) - AP(12) =
95,5dBm V - 0,5dB = 95dB m V. Da saída da tomada do andar 12 até a entrada da tomada no andar 11 (na linha de baixo da
tabela) existe a perda em 3 m de cabo coaxial. Portanto VE(11) = VS(12) - ACC = 95dBm V - 0,6dB = 94,4 dB
m V. Repete-se este
procedimento até chegar à última linha da tabela.

TABELA DO CÁLCULO DO NÍVEL DE SINAL


SINAL NA PRUMADA SINAL NO PONTO DE
PRODUTO NÍVEL DE ATENUAÇÃO NÍVEL DE ATENUAÇÃO ATENUAÇÃO NÍVEL DE
SINAL NA DE SINAL NA NO CABO LINHA PARA SINAL NA
ENTRADA PASSAGEM SAÍDA COAXIAL TOMADA TV
ANDAR
ACC=AC.d VTV=
VE AP VS=VE-AP AC=0,2dB/m ALT
ITEM CÓDIGO TIPO VE - ALT
(d=3M)
(dBm V) (dB) (dBm V) (dB) (dB) (dBm V)
Cabeceira Amplificador 1064-30 78 G= -27 105 - - -
Cabeceira Ponto de Teste 970-E30dB 30dB 105 0,5 104,5 - 30 75
Cabeceira Divisor 4 saída 1010-F 104,5 7 97,5 - - -
Cabeceira Cabo Coaxial RGC-59 10m 97,5 2 95,5 - - -
12 Tomada 970-E20dB 20dB 95,5 0,5 95,0 0,6 20 75,5
11 Tomada 970-E20dB 20dB 94,4 0,5 93,9 0,6 20 74,4
10 Tomada 970-E20dB 20dB 93,3 0,5 92,8 0,6 20 73,3
9 Tomada 970-E16dB 16dB 92,2 0,6 91,6 0,6 16 76,2
8 Tomada 970-E16dB 16dB 91,0 0,6 90,4 0,6 16 75,0
7 Tomada 970-E16dB 16dB 89,8 0,6 89,2 0,6 16 73,8
6 Tomada 970-E16dB 16dB 88,6 0,6 88,0 0,6 16 72,6
5 Tomada 970-E12dB 12dB 87,4 1,0 86,4 0,6 12 75,4
4 Tomada 970-E12dB 12dB 85,8 1,0 84,8 0,6 12 73,8
3 Tomada 970-E9dB 9dB 84,2 1,3 82,9 0,6 9 75,2
2 Tomada 970-E9dB 9dB 82,3 1,3 81,0 0,6 9 73,3
1 Tomada 970-E6dB 6dB 80,4 2,2 78,2 0,6 6 74,4

Antenas / CATV -16-


INTRODUÇÃO AO
SISTEMA DE ANTENA COLETIVA

3.24 - MODELO DE PROJETO

522CL 526CL 530CL 418C 419C


( CANAL 4 ) ( CANAL 7 ) ( CANAL 11 ) ( BANDA IV ) ( BANDA V )

520CL
( CANAL 2 )

8234ES30/42 532CL
(BOOSTER) 523CL 528CL ( CANAL 13 )
( CANAL 5 ) ( CANAL 9 )

8234ES14/24 8235ECABO
(BOOSTER) 525CL ( BOOSTER )

FONTE FONTE
FONTE

8192E
(MISTURADOR)

A V
2 4 5 FM 7 9 11 13 1050-E
866-EA CANAL (MISTURADOR)
(MODULADOR) H SAÍDA

SAÍDA
1053-F
(ACOPLADOR)

C/ H VHF CABO COAXIAL 75 W RGC-59


1020-F
(MISTURADOR)

VHF UHF

1064-30
(AMPLIFICADOR)

105 dBm V

30 dB PONTO TESTE - 75dBm V

1010-E
(DIVISOR) 10 METROS
CABO COAXIAL 75 W RGC-59
95dBm V

12º ANDAR 20 dB 20 dB 20 dB 20 dB 75dBm V

11º ANDAR 20 dB 20 dB 20 dB 20 dB

10º ANDAR 20 dB 20 dB 20 dB 20 dB

9º ANDAR 16 dB 16 dB 16 dB 16 dB

8º ANDAR 16 dB 16 dB 16 dB 16 dB

7º ANDAR 16 dB 16 dB 16 dB 16 dB

6º ANDAR 16 dB 16 dB 16 dB 16 dB

5º ANDAR 12 dB 12 dB 12 dB 12 dB

4º ANDAR 12 dB 12 dB 12 dB 12 dB

3º ANDAR 9 dB 9 dB 9 dB 9 dB

2º ANDAR 9 dB 9 dB 9 dB 9 dB

1º ANDAR 6 dB 6 dB 6 dB 6 dB

CARGA 75W CARGA 75W CARGA 75W CARGA 75W

Fig. 18 - Exemplo de instalação

Antenas / CATV -17-


INTRODUÇÃO AO
SISTEMA DE ANTENA COLETIVA

3.25 - PROJETO DE UMA MINI COLETIVA


o
Imaginemos agora que o morador de um dos apartamentos do 10 andar, além da TV da sala, deseja levar o sinal de TV
que lá chega para os dois quartos e para a cozinha.

CÓD. 970-E 4dB


CÓD. 1012-E

CABO
CÓD. 970-E 4dB COAXIAL 75W

SALA COZINHA QUARTO 1 QUARTO 2

AMPLIFICADOR
CÓD. 1024-F

Fig. 19 - Exemplo de instalação

Para fazer esta distribuição, foi necessário primeiro dividir o sinal, usando o divisor blindado de duas saídas, cód.1012-F.
Numa das saídas do divisor foi colocado uma tomada cód. 970-E4dB de 4dB para a TV da sala e, na saída da tomada, foi
puxado um cabo até a cozinha. Na outra saída do divisor, foi puxado um cabo para os quartos. No primeiro quarto foi colocada
uma tomada cód. 970-E4dB de 4dB e da saída dela foi puxado outro cabo para o segundo quarto.

A introdução das tomadas e do divisor provocou uma perda de sinal de pelo menos 7,5dB, além da perda nos cabos. Para
compensar esta perda de sinal foi necessário amplificar o sinal antes de dividi-lo. Isso foi feito com o amplificador de TV
código 1024-F, que apresenta 10dB de ganho.

3.26 - O QUE USAR: CABO COAXIAL OU FITA PARALELA?


Existem basicamente dois meios de se trazer o sinal da antena até o aparelho de TV. Pode-se usar a fita paralela, cuja
impedância é de 300 W , ou o cabo coaxial de 75
W .

Quando é mais conveniente usar um ou outro?

A fita paralela é um meio de transmissão aberto, ou seja, os campos Eletromagnéticos que conduzem os sinais de TV
ficam espalhados em uma região externa ao redor da fita. Por isso não se usa fita para passar em tubulações, conduítes, etc.
Por ser um meio aberto a fita paralela funciona também como uma antena, e isso pode gerar sombras ou fantasmas na
imagem.

Outra desvantagem da fita, é que a maioria dos equipamentos usados na distribuição do sinal de TV são projetados para
trabalharem com cabo coaxial de 75 W . Portanto, o uso da fita limita-se às instalações simples, onde o usuário se dispõe a
gastar o mínimo possível.

O cabo coaxial confina os campos eletromagnéticos entre o condutor central e a malha externa. Portanto ele é um meio
fechado e não sofre dos problemas da fita. Os cabos coaxiais mais comuns são os de 75 W . Para instalações de TV/FM os
modelos mais utilizados são o RG-59B/U e o RGC-59 "Celular". O RG-59B/U é indicado para instalações que trabalham só
com sinais de VHF e o RGC-59 "Celular" para instalações que trabalhem com VHF e UHF porque sua atenuação é menor.

Antenas / CATV -18-


INTRODUÇÃO AO
SISTEMA DE ANTENA COLETIVA

3.27 - TABELA DE CABOS COAXIAIS DE 75 W


Na tabela abaixo, para saber a atenuação por metro de cabo basta dividir a atenuação dada por 100.

TABELA DE CABOS COAXIAIS DE 75 W


CANAL FREQÜÊNCIA ATENUAÇÃO (dB/100m)
- RGC-11 RG-11 RG-59 RGC-59 TF-53 TF-88 RTS-59 RGC-6
- (MHz) 75 W 75 W 75 W 75 W 75 W 75 W 75 W 75 W
- 10 1,17 2,12 3,59 2,36 1,65 0,98 3,37 2,3
- 30 2,04 3,76 6,30 4,17 2,88 1,72 5,82 -
- 45 2,52 4,66 7,77 5,15 3,55 2,12 7,33 -
2 60 2,92 5,43 9,01 5,99 4,11 2,46 8,52 5,25
4 70 3,16 5,91 9,03 6,50 4,44 2,07 9,23 -
FM 100 3,80 7,17 11,81 7,86 5,34 3,21 10,92 6,4
- 120 4,18 7,93 12,97 8,68 5,86 3,54 12,32 -
8 180 5,17 9,94 16,13 10,83 7,23 4,38 15,34 9,35
- 240 6,02 11,70 18,85 12,66 8,40 5,11 17,96 10,82
- 300 6,78 13,30 21,26 14,30 9,44 5,76 19,95 11,64
- 360 7,48 14,78 23,54 15,91 10,37 6,36 21,88 -
- 420 8,13 16,18 25,65 17,37 11,27 6,92 23,86 13,68
15 480 8,74 17,51 27,63 18,74 12,06 7,45 25,74 -
24 500 9,32 18,979 29,52 20,06 12,88 7,94 27,53 15,09
36 600 9,87 20,02 31,33 21,32 13,62 8,42 29,52 16,73
45 660 10,40 21,20 33,07 22,54 14,34 8,68 30,90 -
55 720 10,91 22,36 34,75 23,71 15,02 9,32 32,50 -
65 780 11,40 23,48 36,86 24,86 15,66 9,75 34,06 -
75 840 11,88 24,58 37,97 25,97 16,32 10,17 35,57 20,0
83 900 12,35 25,65 39,51 27,06 16,94 10,57 37,04 -
- 960 12,80 26,70 41,02 28,12 17,55 10,97 38,48 -
- 1000 13,09 27,40 42,07 28,66 17,94 11,23 39,79 22,3
- 1020 13,24 27,74 42,47 29,16 18,13 11,35 39,89 -
- 1080 13,67 28,75 43,93 30,18 18,71 11,73 41,27 -
- 1140 14,09 29,75 45,34 31,18 31,18 19,37 42,13 -
- 1200 14,51 30,73 46,73 32,16 19,82 12,46 43,96 -
- 1260 14,91 31,70 48,06 33,13 20,35 12,82 45,27 -
- 1320 15,31 32,66 49,44 34,07 20,88 13,16 46,52 -
- 1380 15,70 33,60 50,76 35,03 21,36 13,51 47,83 -
- 1440 16,09 34,53 52,06 35,95 21,90 13,85 49,08 -
- 1500 16,46 35,45 53,31 36,87 22,40 14,18 50,32 -
- 2000 19,43 42,78 63,54 43,75 26,25 16,79 60,08 -

Antenas / CATV -19-


INTRODUÇÃO AO
SISTEMA DE ANTENA COLETIVA

3.28 - TABELA DE CONVERSÃO DE dBm V em V


A tabela apresentada fornece diretamente as tensões em m V, mV e V, correspondente aos níveis em dB
m V.
Inversamente a tabela fornece os níveis correspondentes as tensões.
Exemplo: O nível de 60 dBm V corresponde a uma tensão de 1 mV.
A tensão de 1V corresponde a um nível de 120 dBm V.

TABELA DE CONVERSÃO DE dBm V em V


NÍVEL
EM dBm V 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9
0 1 1,12 1,25 1,41 1,58 1,78 1,99 2,23 2,51 2,81
10 3,16 3,54 3,98 4,46 5,01 5,62 6,30 7,07 7,94 8,91
TENSÃO
20 10 11,22 12,58 14,12 15,84 17,78 19,25 22,38 25,11 28,18 EM
30 31,62 35,48 39,81 44,66 50,11 56,26 63,09 70,79 79,43 89,12 m V
40 100 112,20 125,89 141,25 158,48 117,82 199,52 223,87 251,18 281,82
50 316,22 354,81 398,10 446,68 501,18 562,34 630,34 707,94 794,32 819,25
60 1 1,22 1,25 1,41 1,58 1,78 1,99 2,23 2,51 2,81
70 3,16 3,54 3,98 4,46 5,01 5,62 6,30 7,07 7,94 8,91
80 10 11,22 12,58 14,12 15,84 17,78 19,95 22,38 25,11 28,18 TENSÃO
EM
90 31,62 35,48 39,81 44,66 50,11 56,26 63,09 70,79 79,43 89,12 mV
100 100 112,20 125,89 141,25 158,48 177,82 199,52 223,87 251,18 281,83
110 316,22 354,81 398,10 446,68 501,18 562,32 630,95 707,94 794,32 819,25
120 1 1,22 1,25 1,41 1,58 1,78 1,99 2,23 2,51 2,81
3,16 3,54 3,98 4,46 5,01 5,62 6,30 7,07 7,94 8,91 TENSÃO
130 EM V
140 10 11,22 12,58 14,12 15,84 17,78 19,95 22,38 25,11 28,18

Antenas / CATV -20-


INTRODUÇÃO AO
SISTEMA DE ANTENA COLETIVA

3.29 - TABELA DE FREQÜÊNCIA DOS CANAIS


TABELA DE FREQÜÊNCIAS DOS CANAIS
FAIXA DE FREQ. DA FREQ. DA FAIXA DE FREQ. DA FREQ. DA FAIXA DE FREQ. DA FREQ. DA FAIXA DE FREQ. DA FREQ. DA FAIXA DE FREQ. DA FREQ. DA
Nº Nº Nº DO Nº DO Nº DO Nº DO Nº
FREQ. DO PORT. DE PORT. DE FREQ. DO PORT. DE PORT. DE FREQ. DO PORT. DE PORT. DE FREQ. DO PORT. DE PORT. DE FREQ. DO PORT. DE PORT. DE
DO DO CANAL CANAL CANAL CANAL DO
CANAL - VÍDEO - SOM - CANAL - VÍDEO - SOM - CANAL - VÍDEO - SOM - CANAL - VÍDEO - SOM - CANAL - VÍDEO - SOM -
CANAL CANAL LETRA CATV LETRA CATV CANAL
MHZ MHZ MHZ MHZ MHZ MHZ MHZ MHZ MHZ MHZ MHZ MHZ MHZ MHZ MHZ
VHF 44 650-656 651,25 655,75 BANDA MÉDIA OO 51 384-390 385,25 389,75 100 648-654 649,25 653,75
2 54-60 55,25 59,75 45 656-662 657,25 661,75 A-5 95 90-96 91,25 95,75 PP 52 390-396 391,25 395,75 101 654-660 655,25 659,75
3 60-66 61,25 65,75 46 662-668 663,25 667,75 A-4 96 96-102 97,25 101,75 QQ 53 396-402 397,25 401,75 102 660-666 661,25 665,75
4 66-72 67,25 71,75 47 668-674 669,25 673,25 A-3 97 102-108 103,25 107,75 RR 54 402-408 403,25 407,75 103 666-672 667,25 671,75
5 76-82 77,25 81,75 48 674-680 675,25 679,25 A-2 98 108-114 109,25 113,75 SS 55 408-414 409,25 413,75 104 672-678 673,25 677,75
6 82-88 83,25 87,75 49 680-686 681,25 685,75 A-I 99 114-120 115,25 119,75 TT 56 414-420 415,25 419,75 105 678-684 679,25 683,75
FM 88-108 50 686-692 687,25 691,75 A 14 120-126 121,25 125,75 UU 57 420-426 421,25 425,75 106 684-690 685,25 689,75
7 174-180 175,25 179,75 51 692-698 693,25 697,75 B 15 126-132 127,25 131,75 VV 58 426-432 427,25 431,75 107 690-696 691,25 695,75
8 180-186 181,25 185,75 52 698-704 699,25 703,75 C 16 132-138 133,25 137,75 WW 59 432-438 433,25 437,75 108 696-702 697,25 701,75
9 186-192 187,25 191,75 53 704-710 705,25 709,75 D 17 138-144 139,25 143,75 XX 60 438-444 439,25 443,75 109 702-708 703,25 707,75
10 192-198 193,25 197,75 54 710-716 711,25 715,15 E 18 144-150 145,25 149,75 YY 61 444-450 445,25 449,75 110 708-714 709,25 713,75
11 198-204 199,25 203,75 55 716-722 717,25 721,75 F 19 150-156 151,25 155,75 ZZ 62 450-456 451,25 455,75 111 714-720 715,25 719,75
12 204-210 205,25 209,75 56 722-728 723,25 727,75 G 20 156-162 157,25 161,75 63 456-462 457,25 461,75 112 720-726 721,25 725,75
13 210-216 211,25 215,75 57 728-734 729,25 733,75 H 21 162-168 163,25 167,75 64 462-468 463,25 467,75 113 726-732 727,25 731,75
58 734-740 735,25 739,75 I 22 168-174 169,25 173,75 65 468-474 469,25 473,75 114 732-738 733,25 737,75
UHF 59 740-746 741,25 745,75 SUPER BANDA 66 474-480 475,25 479,75 115 738-744 739,25 743,75
14 470-476 471,25 475,75 60 746-752 747,25 751,75 67 480-486 481,25 485,75 116 744-750 745,25 749,75
15 476-482 477,25 481,75 61 752-758 753,25 757,75 J 23 216-222 217,25 221,75 68 486-492 487,25 491,75 117 750-756 751,25 755,75
16 482-488 483,25 487,75 62 758-764 759,25 763,75 K 24 222-228 223,25 227,75 69 492-498 493,25 497,75 118 756-762 757,25 761,75
17 488-494 489,25 493,75 63 764-770 765,25 769,75 L 25 228-234 229,25 233,75 70 498-504 499,25 503,75 119 762-774 763,25 773,75
18 494-500 495,25 499,75 64 770-776 771,25 775,75 M 26 234-240 235,25 239,75 71 504-510 505,25 509,75 120 774-780 775,25 779,75
19 500-506 501,25 505,75 65 776-782 777,25 781,75 N 27 240-246 241,25 245,75 72 510-516 511,25 515,75 121 780-786 781,25 785,75
20 506-512 507,25 511,75 66 782-788 783,25 787,75 O 28 246-252 247,25 251,75 73 516-522 517,25 521,75 122 786-792 787,25 791,75
21 512-518 513,25 517,75 67 788-794 789,25 793,75 P 29 252-258 253,25 257,75 74 522-528 523,25 527,75 123 792-798 793,25 797,75
22 518-524 519,25 523,75 68 794-800 795,25 799,75 Q 30 258-264 259,25 263,75 75 528-534 529,25 533,75 124 798-804 799,25 803,75
23 524-530 525,25 529,75 69 800-806 801,25 805,75 R 31 264-270 265,25 269,75 76 534-540 535,25 539,75 125 804-810 805,25 809,75
24 530-536 531,25 535,75 70 806-812 807,25 811,75 S 32 270-276 271,25 275,75 77 540-546 541,25 545,75 126 810-816 811,25 815,75
25 536-542 537,25 541,75 71 812-818 813,25 817,75 T 33 276-282 277,25 281,75 78 546-552 547,25 551,75 127 816-822 817,25 821,75
26 542-548 543,25 547,75 72 818-824 819,25 819,75 U 34 282-288 283,25 287,75 79 552-558 553,25 557,75 128 822-828 823,25 827,75
27 548-554 549,25 553,75 73 824-830 825,25 825,75 V 35 288-294 289,25 293,75 80 558-564 559,25 563,75 129 828-834 829,25 833,75
28 554-560 555,25 559,75 74 830-836 831,25 835,75 W 36 294-300 295,25 299,75 81 564-570 585,25 569,75 130 834-840 835,25 839,75
29 560-566 561,25 565,75 75 836-842 837,25 841,75 HIPER BANDA 82 570-576 571,25 575,75 131 840-846 841,25 845,75
30 566-572 567,25 571,75 76 842-848 843,25 847,75 AA 37 300-306 301,25 305,75 83 576-582 577,25 581,75 132 846-852 847,25 851,75
31 572-578 573,25 577,75 77 848-854 849,25 853,75 BB 38 306-312 307,25 311,75 84 582-588 583,25 587,75 133 852-858 853,25 857,75
32 578-584 579,25 583,75 78 854-860 855,25 859,75 CC 39 312-318 313,25 317,75 85 588-594 589,25 593,75 134 858-864 859,25 863,75
33 584-590 585,25 589,75 79 860-866 861,25 865,75 DD 40 318-324 319,25 323,75 86 594-600 595,25 599,75 135 864-870 865,25 869,75
34 590-596 591,25 595,75 80 866-872 867,25 871,75 EE 41 324-330 325,25 329,75 87 600-606 601,25 605,75 136 870-876 871,25 875,75
35 598-602 599,25 601,75 81 872-878 873,25 877,75 FF 42 330-336 331,25 335,75 88 606-612 607,25 611,75 137 876-882 877,25 881,75
36 602-608 603,25 607,75 82 878-884 879,25 883,75 GG 43 336-342 337,25 341,75 89 612-618 613,25 617,75 138 882-888 883,25 887,75
37 608-614 609,25 613,75 83 884-890 885,25 889,75 HH 44 342-348 343,25 347,75 90 618-624 619,25 623,75 139 888-894 889,25 893,75
38 614-620 615,25 619,75 II 45 348-354 349,25 353,75 91 624-630 625,25 629,75 140 894-900 895,25 899,75
39 620-626 621,25 625,75 JJ 46 354-360 355,25 359,75 92 630-636 631,25 635,75 141 900-906 901,25 905,75
40 626-632 627,25 631,75 KK 47 360-366 361,25 365,75 93 636-642 637,25 641,75 142 906-912 907,25 911,75
41 632-638 633,25 637,75 LL 48 366-372 367,25 371,75 94 642-648 643,25 647,75
42 638-644 639,25 643,75 MM 49 372-378 373,25 377,75
43 644-650 645,25 649,75 NN 50 378-384 379,25 383,75

Antenas / CATV -21-


INTRODUÇÃO AO
SISTEMA DE ANTENA COLETIVA

3.30 - TABELA DE CONVERSÃO DE dB


Esta tabela abaixo nos dá diretamente o coeficiente multiplicador correspondente ao ganho de potência (coluna da
direita), à atenuação (colunas da esquerda), expressos em decibéis (dB).
- A tensão de saída de um amplificador de 30 dB de ganho é 31,622 vezes maior que a tensão da entrada, se esta
tensão é de 20mV a tensão de saída é 31,622 x 20 = 632,440 mV.
- As tensões na saída é um distribuidor, com atenuação de 3,5 dB de distribuição, será o resultado da multiplicação,
dB tensão de entrada pelo coeficiente de 0,668, Se a tensão de entrada é de 300 mV, a tensão de saída será 0,668
X 300 = 200,4mV

TABELA DE CONVERSÃO DE dB EM ATENUAÇÃO E GANHO


dB ATENUAÇÃO GANHO dB ATENUAÇÃO GANHO dB ATENUAÇÃO GANHO
0 1 1 11 0,281 3,54 32 0,025 39,8
0,5 0,944 1,059 12 0,251 3,98 33 0,022 44,6
1 0,981 1,122 13 0,223 4,46 34 0,019 50,1
1,5 0,841 1,188 14 0,199 5,01 35 0,017 56,2
2 0,794 1,258 15 0,177 5,62 36 0,015 63
2,5 0,749 1,333 16 0,158 6,3 37 0,014 70,7
3 0,707 1,412 17 0,141 7,07 38 0,0125 79,4
3,5 0,668 1,496 18 0,125 7,94 39 0,011 89,1
4 0,63 1,584 19 0,112 8,91 40 0,01 100
4,5 0,595 1,678 20 0,1 10 41 0,0089 112,2
5 0,562 1,778 21 0,089 11,22 42 0,0079 125,8
5,5 0,53 1,883 22 0,079 12,58 43 0,007 141,2
6 0,501 1,995 23 0,007 14,12 44 0,0063 158,4
6,5 0,473 2,113 24 0,063 15,84 45 0,0056 177,8
7 0,446 2,238 25 0,056 17,78 46 0,005 199,5
7,5 0,421 2,371 26 0,05 19,95 47 0,0044 223,8
8 0,398 2,511 27 0,044 22,38 48 0,0039 251,1
8,5 0,375 2,66 28 0,039 25,11 49 0,0035 281,8
9 0,354 2,818 29 0,035 28,18 50 0,0031 316,2
9,5 0,334 2,985 30 0,031 31,62 55 0,0017 562,3
10 0,316 3,162 31 0,028 35,48 60 0,001 1,000

Antenas / CATV -22-


INTRODUÇÃO AO
SISTEMA DE ANTENA COLETIVA

3.31 - SIMBOLOGIA DE C.A.T.V E M.A.T.V.


M.A.T.V. - “MASTER ANTENNA TV”, SISTEMA DE ANTENA COLETIVA
C.A.T.V. - “COMMUNITY ANTENNA TV” OU “CABLE TV” TV A CABO.

Amplificador
Acoplador descompen- Compensador Isolador de
Estabilizador
de linha sador de de linha C.C.
linha variável
Compensador
Amplificador Antena Filtro passa
de linha Misturador
circular canal
variável

Amplificador Antena Filtro corta


dipolo Conversor Modulador
variável canal

Amplificador Atenuador Divisor de 2 Filtro passa


ajustável Terra
fixo saídas baixas

Amplificador Atenuador Divisor de 3 Filtro passa Tomada


com C.A.G variável saídas altas Blindada

Amplificador Fonte de
Divisor de 4 Carga 75W
Compensador Balun alimentação
saídas
L

Antenas / CATV -23-


ANTENAS EXTERNAS VHF/UHF
E INTERNAS

4.0 - ANTENAS EXTERNAS MULTIBANDA PARA VHF - LINHA SELADA


ANTENA RECEPTORA DE SINAL PARA TV, é um equipamento utilizado para receber ondas eletromagnéticas na faixa
de VHF, a qual é enviada ao televisor através de uma linha de transmissão (fios de 300W ou cabos coaxiais de 75
W ).

4.1 - ANTENA TLS-8 - CÓD. 290A 3.2 - ANTENA TLS-11 - CÓD. 291A

Fig. 1 - Antena Selada de 8 Elementos Fig. 2 - Antena Selada de 11 Elementos

4.3 - ANTENA TLS-15 - CÓD. 292A 3.4 - ANTENA TLS-18 - CÓD. 293A

Fig. 3 - Antena Selada de 15 Elementos Fig. 4 - Antena Selada de 18 Elementos

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
MODELO TLS-8 TLS-11 TLS-15 TLS-18
CÓDIGO 290A 291A 292A 293A
Banda BI BIII BI BIII BI BIII BI BIII
Canais 2a6 7 a 13 2a6 7 a 13 2a6 7 a 13 2a6 7 a 13
Ganho 3 dB 5 dB 5 dB 8 dB 6 dB 9 dB 8 dB 12 dB
Relação frente costa 10 dB 16 dB 12 dB 20 dB 14 dB 22 dB 18 dB 23 dB
Para regiões onde a Para regiões onde a Para regiões onde a
Para regiões intensidade do intensidade do relação sinal / ruído
Aplicações urbanas, onde o sinal sinal é moderada mas sinal é baixa mas é muito pequena
recebido é com boas condições ainda há condições com dificuldade
relativamente forte de recepção de recepção de recepção

Número de elementos 8 11 15 18
Comprimento 903 mm 1.284 mm 1.814 mm 2.724 mm
Peso 1.075 g 1.680 g 2.040 g 2.500 g
Freqüência de trabalho 54 a 216 MHz
Faixa larga
Impedância 300W - 75
W
R.O.E. < 1,8

Antenas / CATV -24-


ANTENAS EXTERNAS VHF/UHF
E INTERNAS
TLS-8 COSTAS TLS-11 COSTAS
A A
1 B 1
B
2 C 2
C
D 3
3
D 4
E
4
5
FRENTE M1 L1
Ativos A-B-C-D-E
ELEMENTOS

ELEMENTOS
Ativos A-B-C-D FRENTE
Passivos 1-2-3-4-5
Passivos 1-2-3-4 Diretores L1-M1
Fig. 5 - Identificação dos elementos montados Fig. 6 - Identificação dos elementos montados

TLS-15 TLS-18 COSTAS


COSTAS A
A
B
B 1
C
C 2
D 1
D 3
E 2
E 4
F 3
F 5
G 4
G 6
H 5
7
M1 L1 I 6
7
FRENTE M1 L1

Ativos A-BC-D-E-F-G Ativos A-B-C-D-E-F-G-H-I M2 L2


ELEMENTOS

ELEMENTOS

Passivos 1-2-3-4-5-6-7 Passivos 1-2-3-4-5-6-7


Diretores L1-M1 Diretores L1-L2-M1-M2 FRENTE
Fig. 7 - Identificação dos elementos montados Fig. 8 - Identificação dos elementos montados

4.5 - INSTRUÇÕES DE MONTAGEM


A montagem desta antena é relativamente simples, coloque os elementos no lugar correspondente a (letra), (número) ou
(letra e número). Ao introduzir o elemento, este fica conectado ao sistema por intermédio de uma Lâmina de material não
ferroso.
NUNCA INTRODUZA AS VARETAS COM MOVIMENTO GIRATÓRIO. Encaixe os elementos fazendo pressão em
sentido longitudinal, particularmente os elementos ATIVOS. Quando a letra que identifica o elemento facear a peça plástica, o
elemento está em seu lugar, ver figura 13.
THEVEAR
THEVEAR

LIGAÇÃO COM FITA 300W LIGAÇÃO COM CABO 75W


Fig. 9 - Caixa de conexão Fig. 10 - Ligação com fita Fig. 11 - Ligação com cabo coaxial Fig. 12 - Encaixe dos elementos

TLS-8 TLS-11, TLS-15, TLS-18

encaixar a vareta até que


a letra faceie o plástico
Fig. 13 - Detalhe do encaixe dos Fig. 14 - Suporte para fixação da antena - cód. 291A Fig. 15 - Suporte para fixação das antenas - cód. 291A, 292A e 293A
elementos

Antenas / CATV -25-


ANTENAS EXTERNAS VHF/UHF
E INTERNAS

4.6 - ANTENAS MONOCANAIS DE VHF PARA COLETIVAS

A linha de antenas coletivas série CL são fabricadas com materiais não ferrosos como alumínio, Iatão e nylon. Entre as
principais vantagens de uma antena coletiva podemos destacar:

! Com o sistema coletivo desaparece a interferência em decorrência da proximidade de outras antenas que
progressivamente, tende a perturbar a qualidade da imagem.
! O custo de uma antena coletiva de boa qualidade é distribuído entre diversos usuários.
! Excelente diretividade, alto ganho e baixa relação de onda estacionária.
! Conexões com contatos anti-oxidante e abraçadeiras com tratamento anti-ferrugem.

-10º 0º 10º -10º 0º 10º


º 20º º 20º
-20 -20
º 30 º 30
-30 1 º -30 1 º
0º 40 0º 40
-4 2 º -4 2 º
3 3


50

50
-5

-5
4 4

º
5 5
º

º
- 60

- 60
60

60
6 6

º
7 7
8 8
-70º

-70º
70º

70º
9 9
10 10
-90º -80º

-90º -80º
80º

80º
90º

90º
LÓBULO HORIZONTAL LÓBULO VERTICAL
Fig. 16 - Antena monocanal - canais 2 ao 6 (5 elementos) Fig. 17 - Lóbulos da antena monocanal para canais 2 ao 6

-10º 0º 10º -10º 0º 10º


º 20º º 20º
-20 -20
º 30 º 30
-30 1 º -30 1 º
0º 40 0º 40
-4 2 º -4 2 º
3 3


50

50
-5

-5
4 4
º

º
5 5
º

º
- 60

- 60
60

60
6 6
º

º
7 7
8 8
-70º

-70º
70º

70º
9 9
10 10
-90º -80º

-90º -80º
80º

80º
90º

90º
LÓBULO HORIZONTAL LÓBULO VERTICAL
Fig. 18 - Antena monocanal - canais 7 ao 13 (7 elementos) Fig. 19 - Lóbulos da antena para canais 7 ao 13

0º 10º
º -10º 20º
-20 30
º
-30 º
1 40
0º º
-4 2

3
50
-5

4
5
º

60
-60

6
º

7
- 70º

8
70º

9
10
-90º -80º

80º
90º

CAIXA DE CONEXÃO
Fig. 20 - Antena FM circular - cód. 525CL Fig. 21 - Lóbulo da antena FM circular Fig. 22 - Caixa de conexão

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 520CL 521CL 522CL 523CL 524CL 525CL 526CL 527CL 528CL 529CL 530CL 531CL 532CL
Canal 2 3 4 5 6 FM 7 8 9 10 11 12 13
Freq. de trabalho (MHz) 54-60 60-66 66-72 76-82 82-88 88-108 174-180 180-186 186-192 192-198 198-204 204-210 210-216
Comprimento (mm) 3.12 2.83 2.59 2.26 3.12 500 1.79 1.75 1.68 1.64 1.57 1.53 1.48
Peso (kg) 1.67 1.44 1.43 1.31 1.67 465 1.13 1.11 1.11 1.09 1.08 1.06 1.03
Número de elementos 5 1 7
Ganho 7 dB 0 dB 9,5 dB
Banda monocanal (6 MHz) BII monocanal (6 MHz)
Ângulo horizontal 54º 360º 43º
Ângulo vertical 76º 360º 52º
Relação frente costa 25 dB - 27 dB
R.O.E. < 1,2 < 1,4 < 1,25
Impedância 75W ou 300
W
Aplicação antena coletiva

Antenas / CATV -26-


ANTENAS EXTERNAS VHF/UHF
E INTERNAS

4.7 - ANTENAS EXTERNAS PARA VHF BANDA I, BANDA II e BANDA III

Esta linha de antenas foi desenvolvida para as situações em que temos vários canais de uma mesma banda
chegando de uma mesma direção sendo possível, portanto, captá-los com uma só antena.
Todos esses modelos são fabricados com materiais não ferrosos como o alumínio, o latão e o nylon. São dotados de
conexões anti-oxidantes, abraçadeiras com tratamento anti-ferrugem e possuem excelente diretividade, alto ganho e
baixa R.O.E.

º 0º 10º º 0º 10º
º -10 20º º -10 20º
-20 -20
º 30 º 30
-30 1 º -30 1 º
0º 40 0º 40
-4 2 º -4 2 º
3 3


50

50
-5

-5
4 4

º
5 5

º
- 60

- 60
60

60
6 6

º
7 7
8 8
-70º

-70º
70º

70º
9 9
10 10
-90º -80º

-90º -80º
80 º

80º
90º

90º
LÓBULO HORIZONTAL LÓBULO VERTICAL
Fig. 23 - Antena Banda I - cód. 415C Fig. 24 - Lóbulos da antena Banda I - cód. 415C

º 0º 10º º 0º 10º
º -10 20º º -10 20º
-20 -20
º 30 º 30
-30 1 º -30 1 º
0º 40 0º 40
-4 2 º -4 2 º
3 3


50

50
-5

-5
4 4
º

º
5 5
º

º
- 60

- 60
60

60
6 6
º

º
7 7
8 8
-70º

-70º
70º

70º
9 9
10 10
-90º -80º

-90º -80º
80 º

80º
90º

90º
LÓBULO HORIZONTAL LÓBULO VERTICAL
Fig. 25 - Antena Banda II - cód. 416C Fig. 26 - Lóbulos da antena Banda II - cód. 416C

º 0º 10º -10º 0º 10º


º -10 20º -20
º 20º
-20 º 30
º
-30 1
30
º -30 1 º
40 0º 40
0º º -4 2 º
-4 2
3

50

50

-5
-5

º
4
º

5
º

5
º

- 60

60
- 60

60

6 6

º
º

7 7
8
-70º

8
-70º

70º
9
70º

9
10 10
-90º -80º

8 0º
-90º -80º

80º

90º
90º

LÓBULO HORIZONTAL LÓBULO VERTICAL


Fig. 27 - Antena Banda III - cód. 417C Fig. 28 - Lóbulos da antena Banda III - cód. 417C

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
MODELO BANDA I BANDA II BANDA III
CÓDIGO 415C 416C 417C
Canais 2a6 FM 7 a 13
Freqüência de trabalho 54 a 88 MHz 88 a 108 MHz 174 a 216 MHz
Comprimento (mm) 2.420 1.800 1.620
Peso (Kg) 1.550 1.200 900
Número de elementos 5 5 8
Ganho 6 a 7 dB 6,5 dB 7 a 9 dB
Banda BI BII BIII
Ângulo horizontal 67º a 58º 60º 53º a 45º
Ângulo vertical 89º a 78º 80º 68º a 55º
Relação frente costa 20 a 22 dB 20 dB 23 a 26 dB
R.O.E. < 1,3 < 1,25 < 1,4
Impedância 75W ou 300 W

Antenas / CATV -27-


ANTENAS EXTERNAS VHF/UHF
E INTERNAS

4.8 - ANTENAS SUPER DIRECIONAIS UHF - HIGHT GD


Comparada com outros modelos, verifica-se que a antena HIGHT GD é sem dúvida um grande avanço tecnológico na
recepção de sinais de UHF. Nos seus três modelos - BANDA IV (cód. 418C), BANDA V (cód. 419C) e TODA BANDA (cód.
420C) - levam incorporada uma caixa de conexão que tem por finalidade:

1º Proteger os contatos e as ligações contra intempéries.


2º Transformar a impedância da antena 300W para 75 W que é a impedância do cabo coaxial usado nas instalações de TV.

As antenas códigos 418C1, 419C1 e 420C1 possuem um misturador de VHF e UHF incorporado na caixa de conexão.
Assim é possível ligar o cabo que vem de uma outra antena de VHF e descer com os sinais de VHF e UHF num mesmo cabo.

COMPATÍVEL COM COMPATÍVEL COM


TV DIGITAL TV DIGITAL

Fig. 29 - Antena Banda IV (UHF) - cód. 418C ou Fig. 30 - Antena Banda V (UHF) - cód. 419C ou
Antena Banda IV c/ misturador (VHF + UHF) - cód. 418C1 Antena Banda V c/ misturador (VHF + UHF) - cód. 419C1

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 418C 418C1 419C 419C1 420C 420C1
Entrada VHF NÃO SIM NÃO SIM NÃO SIM
Freqüência 470 a 580 MHz 580 a 890 MHz 470 a 890 MHz
Canais 14 ao 32 33 ao 83 14 ao 83
Relação frente costas 28 dB 29 dB 20 a 22 dB
Ângulo horizontal 29º 31º 45º COMPATÍVEL COM
Ângulo vertical 39º 40º 53º TV DIGITAL
Comprimento (mm) 1.570 1.240 890
Peso (Kg) 2.100 1.700 1.100
Ganho 14 dB 9 a 10 dB
R.O.E. < 1,25 < 1,2
Impedância 75W - 300
W
Fig. 31 - Antena Toda Banda (UHF) - cód. 420C ou
Antena Toda Banda c/ misturador (VHF + UHF) - cód. 420C1

4.9 - LÓBULOS DE RECEPÇÃO DAS ANTENAS

CÓD. 418-C CÓD. 419-C CÓD. 420-C


º 0º 10º
º 0º 10º º 0º 10º º -10 20º
º -10 20º º -10 20º -20
-20 -20 º 30
º 30 º 30 -30 º
-30 º -30 º 1
40
1
40
1
40 0º º
0º º 0º º -4 2
-4 2 -4 2
3

50

3 3

-5
50

50

4
-5

-5

4 4
º

5
º
- 60

60

5 5
º

6
- 60

- 60
60

60

6 6 7
º

7 7
-70º

8
70º

8 8 9
-70º

-70º
70º

70º

9 9 10
10 10
-90º -80º

80 º
-90º -80º

-90º -80º

8 0º
80 º

90º
90º

90º

LÓBULO HORIZONTAL LÓBULO HORIZONTAL LÓBULO HORIZONTAL


Fig. 32 - Lóbulos das antenas - cód. 418C e 418C1 Fig. 33 - Lóbulos das antenas - cód. 419C e 419C1 Fig. 34 - Lóbulos das antenas - cód. 420C e 420C1

OBS: Recomendamos a utilização de cabo coaxial 75W.

Antenas / CATV -28-


ANTENAS EXTERNAS VHF/UHF
E INTERNAS

4.10 - INSTRUÇÕES DE MONTAGEM


1- Desaperte os dois parafusos e as borboletas plásticas
dos suportes laterais da parte central da antena. Pantalha

2- Retire o parafuso e a borboleta plástica das duas


pantalhas que deverão ser montadas.
2 - Retire o parafuso 1 - Desaperte
3- Encaixe as duas pantalhas nos suportes laterais e fixe os parafusos
com os parafusos e borboletas.

4- Nas antenas banda IV e banda V juntem as duas partes


centrais utilizando as emendas metálicas que acompanham
a antena.

EMENDA METÁLICA 3 - Encaixe e


(BANDA IV e BANDA V) fixe o parafuso

2 - Retire o parafuso

Fig. 35 - Luva de emenda das antenas banda IV e banda V. Fig. 36 - Instrução de montagem.

INSTRUÇÕES DE LIGAÇÃO DA ANTENA DE UHF NO CIRCUITO 8142E


LIGAÇÃO COM FITA 300W LIGAÇÃO COM CABO
COAXIAL 75W
814-2E

83000232
Fixe a malha do cabo
Retire a placa de circuito e coaxial com a abraçadeira,
fixe a fita nos dois e o vivo do cabo coaxial no
parafusos de latão da parafuso do terminal do
TV caixa de conexão. TV circuito.

Fig. 37 - Instrução de ligação. Fig. 38 - Instrução de ligação.

ATENÇÃO: Em casos de instalação a 300W, é necessário retirar a placa de circuito (código 8142E) da caixa de conexão e
conectar o fio de 300W nos dois parafusos existentes no interior da caixa. Caso contrário a antena não terá um bom

INSTRUÇÕES DE LIGAÇÃO DA ANTENA DE VHF AO CIRCUITO MISTURADOR DE VHF / UHF


LIGAÇÃO DA ANTENA DE VHF COM FITA 300W LIGAÇÃO DA ANTENA DE VHF COM CABO COAXIAL 75W

Fixe a fita nos


dois parafusos
814-5E 814-5E
do terminal do
83000113 circuito. 83000113

S VHF 75
Não é neces- S VHF 75 Fixe a malha do cabo
sário utilizar a coaxial com a
abraçadeira. abraçadeira, e o vivo do

X
cabo no parafuso do
terminal do circuito.

TV ANTENA DE VHF TV ANTENA DE VHF

Fig. 39 - Instrução de ligação. Fig. 40 - Instrução de ligação.

Antenas / CATV -29-


ANTENAS EXTERNAS VHF/UHF
E INTERNAS

4.11 - ANTENA INTERNA IRIS COLOR - CÓD. 356A


CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS:
! Não depende de técnicos especializados para fazer instalação;
COMPATÍVEL COM ! VHF, UHF, FM e SBTVD-T;
TV DIGITAL ! Design moderno e decorativo;
! Ajuste através de controle circular;
! Dipolo de UHF;
! Hastes telescopias em latão cromado.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
MODELO ÍRIS COLOR
CÓDIGO 356A
Peso 840 g
Saídas única
Faixa VHF - UHF - FM - SBTVD-T
Sintonia por comando giratório
Fig. 41 - Antena interna Íris Color - cód. 356A

4.12 - ANTENA INTERNA COROLA - CÓD. 369A


CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS:
! Não depende de técnicos especializados para fazer instalação;
COMPATÍVEL COM ! VHF, UHF, FM e SBTVD-T;
TV DIGITAL ! Design moderno e decorativo;
! Ajuste através de controle circular;
! Dipolo de UHF acoplado na parábola;
! Hastes telescopias em latão cromado.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
MODELO COROLA
CÓDIGO 369A
Peso 370 g
Saídas Única
Faixa VHF - UHF - FM - SBTVD-T
Sintonia por comando giratório
Fig. 42 - Antena interna Corola - cód. 369A

4.13 - ANTENA INTERNA AMAPOLA - CÓD. 367A


CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS:
! Não depende de técnicos especializados para fazer instalação;
COMPATÍVEL COM ! VHF, UHF, FM e SBTVD-T;
TV DIGITAL ! Design moderno e decorativo;
! Ajuste através de controle circular;
! Dipolo de UHF;
! Hastes telescopias em latão cromado.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
MODELO AMAPOLA
CÓDIGO 367A
Peso 410 g
Saídas única
Faixa VHF - UHF - FM - SBTVD-T
Sintonia por comando giratório
Fig. 43 - Antena interna Amapola - cód. 367A

Antenas / CATV -30-


MISTURADORES

5.0 - INTRODUÇÃO AOS MISTURADORES

Os misturadores da THEVEAR
são construídos com um conjunto
ANT. DE VHF
de filtros, que tem por finalidade BANDA I
isolar e misturar os diversos CÓD. 415C
canais, ou grupos de canais, ou
bandas, introduzindo o mínimo
MISTURADOR
de perda possível no sinal. CÓD. 819E

ANT. DE VHF
BANDA III
CÓD. 417C CABO COAXIAL
Fig. 1 - Misturador mixer canal baixo + canal
75W
alto 75/75 - cód. 819E

A THEVEAR produz uma extensa linha de misturadores para cobrir


uma grande faixa de aplicações. Existem os misturadores de bandas,
por exemplo: (banda I e banda II) + (banda III), (banda IV) + (banda V),
de faixas, VHF + UHF e misturadores de canais em VHF e UHF.

Os misturadores de faixas e de bandas são usados normalmente


para residências em mini-coletivas. Por exemplo, o misturador 8211E
(3+2) é usado para misturar os sinais de dois grupos de canais, um com
3 canais e outro com 2, vindos de duas direções diferentes, por
exemplo canais (3-6-12) + (8-10).
Fig. 2 - Exemplo de instalação

5.1 - MISTURADOR PARA VHF - CÓD. 819E


Misturador para ser fixado externamente no próprio mastro da antena. Possui entrada para duas antenas de VHF e uma
saída.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Pode ser empregado para:


! Mistura sinais da banda I (antena 415C) ou banda
Número de entradas 2
II (antena 416C) com os sinais da banda III (antena
Faixa VHF (banda I e banda II) + VHF (banda III)
417C).
Impedância de entrada 75W ou 300 W ! Misturar sinais de duas antenas de faixa larga
Impedância de saída 75 W
códigos: 290A, 291A, 292A e 293A.
R.O.E. < 1,5
Atenuação de passagem < 2,0 dB
Ideal para sistemas de antenas coletivas. Indicado
Atenuação entre bandas > 35 dB
para as antenas monocanais códigos 520CL à 532CL.
Dimensões 115 x 125 x 90 mm
Peso 310 g

5.2 - MISTURADORES PARA VHF - CÓD. 8213E


Os misturadores cód. 8213E são indicados quando se tem um grupo de canais, tanto altos como baixos, numa mesma
direção de transmissão de TV e outro grupo de canais em outra, impossibilitando a utilização de misturadores comuns.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Caso seja necessário é possível fazer qualquer


combinação de canais, sempre tendo em conta que os
Número de entradas 3
canais a serem misturados não sejam adjacentes.
Faixa VHF + VHF + UHF
Impedância de entrada 75 W
OBS: Quando os canais de uma determinada
Impedância de saída 75 W
direção de transmissão são todos altos ou baixos
R.O.E. (depende dos canais) < 2,0
devem-se utilizar uma antena banda I (cód. 415C) ou
Atenuação de passagem 4 dB (depende dos canais)
banda III (cód. 417C) para se obter um maior ganho,
Atenuação entre entradas > 26 dB direcionalidade e atenuação entre entradas.
Atenuação entre canais a cortar > 30 dB
Dimensões 115 x 125 x 90 mm
Peso 310 g

Antenas / CATV -31-


MISTURADORES

5.3 - MISTURADOR PARA UHF - CÓD. 8192E


ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Misturador para ser instalado externamente
Número de entradas 2 no próprio mastro da antena. Possui entradas
Faixa UHF (banda IV + banda V) para duas antenas de UHF. Indicado para
Impedância de entrada 75 W misturar os sinais da banda IV (antena cód.
Impedância de saída 75 W 418C) com os da banda V (antena cód. 419C).
R.O.E. < 1,5
Atenuação de passagem < 1,0 dB
Atenuação entre bandas > 40 dB
Dimensões 115 x 125 x 90 mm
Peso 310 g

5.4 - MISTURADORES PARA VHF E UHF - CÓD. 820E e 8201E


Estes misturadores foram desenvolvidos para misturarem sinais de antenas de VHF e UHF. O misturador cód. 8201E foi
criado para ser instalado internamente e o misturador cód. 820E para ser fixado no próprio mastro das antenas.

ANT. DE UHF TODA BANDA


(CANAIS 14 AO 83)
CÓD. 420C

ANT. DE VHF
CÓD. 292A

Fig. 3 - Misturador mixer externo - cód. 820E Fig. 4 - Misturador mixer interno cód: 8201E MISTURADOR CABO
CÓD. 8201E COAXIAL
ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 75W
CÓDIGO 820E 8201E
Dimensões 115 x 125 x 90 mm 70 x 65 x 24 mm
Peso 310 g 50 g
Atenuação de passagem 0,5 dB - VHF e 1 dB - UHF 1 dB
Impedância de entrada 75W ou 300 W 75 W
Impedância de saída 75 W
Número de entradas 2
Faixa VHF e UHF
R.O.E. < 1,5
Atenuação entre bandas > 40 dB
Fig. 5 - Exemplo de instalação

5.5 - MISTURADOR DE VHF E UHF - CÓD. 1020-F


O Misturador cód. 1020-F, é um misturador de duas entradas, para
combinar sinais da faixa de VHF e UHF em uma única saída, todas com
conectores F-fêmea. A caixa do misturador cód. 1020-F é blindada e
selada, o que a torna imune a interferências externas e a intempéries.
ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Faixa de VHF 50 a 420 MHz
Faixa de UHF 450 a 800 MHz
Perda em VHF < 1 dB
Perda em UHF < 1,2 dB
Impedância de entrada e saída 75 W
R.O.E. < 1,5
Rejeição do sinal na faixa adjacente VHF - UHF > 28 dB UHF - VHF > 30 dB
Conectores F-fêmea
Dimensões 44 x 32 x 14 mm
Peso 21 g
Fig. 6 - Misturador VHF/UHF Blindado interno

Antenas / CATV -32-


MISTURADORES

5.6 - MISTURADORES DE CANAIS - CÓD. 1050-E e 1055-F


Os misturadores códigos 1050-E e 1055-F são aparelhos utilizados em instalações coletivas, onde se deseja "somar",
canais de diferentes freqüências e origens, em uma única saída, ou seja, em um único cabo. O misturador cód. 1050-E possui
8 entradas e uma saída, sendo sete entradas para canais de TV e uma entrada para FM (3 canais na banda I, 1 entrada para
FM e 4 canais na banda III).
É possível sob encomenda, colocar canais de letra no misturador cód. 1050-E, obedecendo a configuração do item
anterior, isto é, sai um canal da banda III e entra um de letra. O mesmo pode ser feito para se colocar um filtro de UHF (filtro
passa altas).
O misturador cód 1055-F, também com 8 entradas e uma saída, é usado para misturar canais de letra, banda média e
superbanda, e canais banda III.
Estes misturadores possuem um atenuador variável de 0 a 20 dB na entrada de cada canal. Assim além de misturar, é
possível ajustar independentemente o nível de sinal de cada canal.
Os misturadores utilizam conectores do tipo F-fêmea, e são construídos em uma caixa metálica, o que lhes conferem uma
ótima blindagem elétrica.

Ao fazer o pedido de compra do misturador cód. 1050-E ou 1055-F, é necessário especificar os canais de entrada que se
deseja misturar, pois o misturador é produzido especificamente para cada localidade ou cidade, em função dos canais
presentes na região.

ANTENAS DE VHF COLETIVAS CANAL 7

CANAL 2 CANAL 4

ANT. DE FM
ANT. DE UHF

Fig. 7 - Misturador 7 canais blindado com conector "F" - cód. 1050-E MISTURADOR
CÓD. 1050-E

MISTURADOR AMPLIFICADOR

CABO COAXIAL
75W
SAÍDA

Fig. 8 - Misturador 7 canais blindado de letra - cód. 1055-F Fig. 9 - Exemplo de instalação

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 1050-E 1055-F
Faixa de freqüência VHF (banda I, III + FM) 90 a 300 MHz
R.O.E. < 1,5 < 1,4
banda I < 3 dBc banda média e banda III < 4 dB
Perda de Inserção
banda III < 8 dBc super banda < 6 dB
Atenuação entre banda I e banda III > 35 dB -
Atenuação entre canais não adjacentes > 25 dB > 20 dB
Atenuação ajustável de 0 à 20 dB
Número de entradas 8
Impedância de entrada - saída 75 W
Dimensões 90 x 48 x 240 mm
Peso 643 g

Antenas / CATV -33-


ACOPLADOR E COMBINADOR

5.7 - ACOPLADOR VHF/UHF MAIS CANAL DE LETRA - CÓD. 1053-F


O acoplador cód. 1053-F é ideal para instalações onde se
necessita somar, em um sistema coletivo ou Individual, circuito
Interno de TV, câmera de vídeo e etc, à antenas de VHF/UHF ou
cabo. O acoplador cód. 1053-F permite a entrada de um sinal de
um modulador de áudio e vídeo na freqüência de um canal de
LETRA (A-3 até W) e também que este nível seja ajustado para
equalizá-lo ao sistema. Montado em caixa metálica com
conectores F-fêmea, sendo uma entrada para o canal de LETRA
escolhido (com ajuste de nível), outra para banda de VHF/UHF na
qual é rejeitado o canal de LETRA, evitando-se assim que
interferências externas se somem ao canal do Modulador.
Não deve ser usado em sistemas onde o canal de LETRA seja
adjacente a outros canais. Exemplo, canal I (168 a 174 Mhz) na
entrada de LETRA e canal 7 (174 a 180 Mhz) na entrada VHF/UHF.
Fig. 1 - Acoplador VHF/UHF+LETRA

CÂMERA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS


MISTURADOR 2 (1 para VHF/UHF e
Número de entradas
outra para canal de letra)
Faixa de freqüência LETRA do canal A-3 até W (102 a 300 MHz)
MODULADOR Faixa de freqüência VHF + UHF 54 a 750 MHz
Perda de inserção (LETRA) < 6 dB
Perda de inserção (VHF + UHF) < 3 dB em VHF e < 4 dB em UHF
Ajuste do nível do canal de
LETRA (± 1,5 dB) até -20 dB
Impedância de entrada e saída 75 W
ACOPL. Isolação entre entradas > 30 dB
Peso 250 g
Dimensões 125 x 56 x 56 mm
Fig. 2 - Exemplo de instalação

5.8 - COMBINADOR VHF+UHF - CÓD. 1054-F


O combinador cód. 1054-F é usado para somar um canal
(3 ou 4) ao sinal proveniente da antena, montado em uma caixa
metálica e com conector F-fêmea, o que lhe confere uma ótima
blindagem, possui duas entradas e uma saída. Uma das entradas é
utilizada para a antena (VHF/UHF), na qual é rejeitado o canal 3 ou
4, (que deve ser especificado no pedido).

A outra entrada permite entrar com o sinal do canal


especificado, vindo de um vídeo-cassete ou decodificador de TV
por assinatura (3 ou 4), e desta maneira, a saída para a TV
apresenta os dois sinais combinados. As entradas possuem ajuste
de atenuação de sinal independente.
Fig. 3 - Combinador VHF/UHF+CANAL 3 ou 4

ANTENA DE VHF

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
entrada antena = VHF/UHF
Faixa de freqüência
entrada canal = canal 3 ou 4
Perda de inserção < 5,5 dB
Ajuste de atenuação até 13dB (canal) e até 14dB (antena)
R.O.E. <2
Conectores F-fêmea
Impedância de entrada e saída 75 W
MODULADOR COMBINADOR Peso 70g
CÓD. 1054-F Dimensões 51 x 80 x 19 mm
Fig. 4 - Exemplo de instalação

Antenas / CATV -34-


AMPLIFICADORES

6.0 - INTRODUÇÃO
Amplificadores são equipamentos utilizados para aumentar o nível de potência de sinais. Existem vários tipos de
amplificadores, cada um otimizado para um tipo de uso. Por exemplo, para amplificar os fracos sinais recebidos por uma
antena usa-se um booster, que é um amplificador para pequenos sinais com baixo ruído. Para uso na cabeceira de uma
antena coletiva é necessário um amplificador de potência.
As três características fundamentais que diferenciam os amplificadores são: Figura de Ruído, Ganho e Potência Máxima
de Saída.

6.1 - FIGURA DE RUÍDO


É uma medida da quantidade de ruído que o amplificador adiciona ao sinal. Todo amplificador adiciona ruído ao sinal que
está sendo amplificado. Os amplificadores que adicionam pouco ruído ao sinal são chamados amplificadores de baixo ruído
(LNA - Low Noise Amplifiers) e possuem figura de ruído baixo. Os Boosters, que são pré-amplificadores para sinais de
antenas, são exemplos de amplificadores de baixo ruído.

6.2 - GANHO
Ganho é uma medida da relação entre a potência dos sinais que saem do amplificador e os sinais que entram. Em
sistemas de TV, onde a impedância de entrada é igual a de saída, 75 W , o ganho pode ser expresso simplesmente como uma
relação entre a tensão de saída e a tensão de entrada, ou então em decibéis (dB). A tabela abaixo mostra a equivalência entre
o ganho em tensão e os valores em dB´s.

O ganho de um amplificador não fornece informação sobre a RELAÇÃO DE TENSÕES dB (decibéis)


máxima potência que um amplificador fornece, por isso é 2 6 dB
necessário especificar a máxima potência que um amplificador 3,16 10 dB
fornece. Se tentarmos dar mais ganho a um sinal do que o 10 20 dB
amplificador pode fornecer, o sinal ficará distorcido, gerando 31,6 30 dB
vários tipos de interferências nas imagens. 100 40 dB
316 50 dB

6.3 - POTÊNCIA MÁXIMA DE SAÍDA


O efeito que limita a máxima potência de saída que um amplificador fornece por canal é a distorção que o amplificador
introduz no sinal. Como todos os amplificadores distorcem os sinais que estão sendo amplificados, a máxima potência é
especificada para um determinado nível de distorção, normalmente 60dB abaixo do nível do sinal. É que distorções a partir
deste nível não são mais perceptíveis. Para um mesmo amplificador, quanto mais canais estão sendo amplificados, menor
será a máxima potência por canal que se pode obter. Isso ocorre porque para compensar o aumento de distorção devido ao
aumento do número de canais é necessário diminuir o nível de sinal de cada canal na saída.

Nos amplificadores de TV, em vez de se especificar a VOLTS dBm V dBmV


potência de saída, especifica-se o nível máximo de tensão de 1m V 0 -60
saída. O nível máximo de saída pode ser dado em Volts, dBmV 1mV 60 0
ou dBm V. A tabela ao lado mostra a equivalência entre estas 10mV 80 20
diversas unidades. 100mV 100 40
1V 120 60
2V 126 66

6.4 - TIPOS DE AMPLIFICADORES PARA SINAIS DE TV


Existem pelo menos três tipos de amplificadores para sinais de TV: Boosters, Amplificadores de Linha e Amplificadores de
Potência. Quanto à faixa de freqüências, existem amplificadores para VHF, UHF, VHF + UHF e CATV.

6.5 - PRÉ-AMPLIFICADORES - BOOSTERS


Os Boosters são amplificadores para pequenos sinais, com baixa figura de ruído. Estes amplificadores, normalmente, são
colocados no mastro junto com a antena. A alimentação para estes amplificadores vai pelo próprio cabo por onde desce o
sinal, e é fornecida por uma fonte de alimentação que fica abrigada num ambiente interno. A razão pela qual se coloca o
booster próximo da antena é para que o sinal seja amplificado antes que ele sofra degradações adicionais devido às perdas
no cabo.

Antenas / CATV -35-


AMPLIFICADORES

Existem boosters somente para a faixa de VHF, somente para a faixa de UHF, e com misturador incorporado para as faixas
de VHF e UHF. Estes últimos combinam os sinais de duas antenas, uma de VHF e outra de UHF, e fornecem uma única saída
amplificada.
Alguns modelos possuem ajuste de ganho, o que os tornam bastantes versáteis para utilização em uma grande variedade
de situações.

6.5.1 - OBSERVAÇÕES
1) Se o sinal recebido é muito fraco, ou seja, se ele já chega com a relação sinal/ruído degradada, só o booster não
melhora o sinal. Para melhorar a qualidade da imagem é preciso primeiro melhorar a qualidade do sinal recebido, o que é feito
colocando-se a antena num mastro mais alto ou, então, trocando-se a antena por uma outra de maior ganho (com mais
elementos).
2) O booster não elimina "fantasmas" na imagem. Imagens com "fantasmas" são geradas quando o sinal chega na antena
por múltiplos caminhos, provocados por reflexões em obstáculos.

6.6 - AMPLIFICADORES DE LINHA


Os amplificadores de linha são utilizados em instalações residenciais, antena coletiva ou CATV quando se deseja
distribuir os sinais que chegam num ponto para vários televisores. Estes amplificadores situam-se numa posição média entre
os boosters e os amplificadores de potência, e são utilizados para compensar perdas de sinal introduzidas por divisores ou
longos comprimentos de cabo.
Existem amplificadores de linha para a faixa de freqüências de VHF, para VHF e UHF, e para a faixa de CATV.

6.7 - AMPLIFICADORES DE POTÊNCIA


Os amplificadores de potência são utilizados nas cabeceiras de antenas coletivas e em distribuições de CATV. Como
nestes sistemas o sinal é dividido para um grande número de usuários, a forma mais simples de fazer esta distribuição é
primeiro aumentar a potência dos sinais, usando o amplificador de potência, para que cada usuário receba os sinais com
nível de sinal suficiente para que a qualidade da imagem seja boa.
Os amplificadores para antena coletiva são, normalmente, do tipo desbalanceados, e amplificam os sinais nas faixas de
VHF e UHF. Já os amplificadores para CATV são do tipo balanceados (push-pull) e amplificam toda a faixa de sinais e não
apenas os sinais nas bandas de VHF e UHF. Os circuitos usados nestes amplificadores podem ser discretos ou integrados
híbridos.

6.8 - CRITÉRIOS PARA ESCOLHA DE AMPLIFICADORES


Para se escolher um amplificador, primeiro é necessário saber a aplicação e a faixa de freqüências de operação. Isso
define se o amplificador deve ser um booster, um amplificador de linha ou de potência. Define também se o amplificador é
para a faixa de VHF, UHF, ou ambas, ou CATV.

6.8.1 - DETERMINAÇÃO DO GANHO


Para especificar o ganho do amplificador é preciso saber o nível de sinal na entrada e quanto deve ser o nível na saída. O
valor do ganho, em dBs, é o nível de entrada menos o de saída. Para determinar o nível de saída é preciso saber qual é o nível
que vai ser entregue aos televisores e quanto é a perda na distribuição.
Tem-se a impressão de que quanto maior o ganho de um amplificador, melhor será a qualidade do sinal, mas nem sempre
isso é verdade. Existem amplificadores com muito ganho e pouca potência. Se o nível de sinal na entrada for muito forte, ou
seja, maior que o permitido, o amplificador vai saturar causando intermodulação, cujo sintoma é a distorção da imagem ou o
aparecimento de outros canais passando ao fundo do canal principal.

6.8.2 - NÍVEL DE SINAL DE ENTRADA DE TV e FM


Para funcionar adequadamente, os aparelhos de TV precisam, na entrada de antena, um sinal com nível na faixa de 1mV
a 10mV, ou então, de 60dBm V a 80dB m V. Sinais abaixo desta faixa podem produzir imagens ruidosas e sinais acima podem
gerar distorções na imagem.
Já os rádios receptores de FM precisam de um sinal com nível em torno de 56dBm V.

6.8.3 - REGRAS PRÁTICAS PARA ESCOLHA DE UM AMPLIFICADOR


1) Selecionar aquele cujo ganho seja suficiente apenas para compensar as perdas introduzidas pela distribuição do sinal
(nos cabos, divisores e tomadas).
2) Quanto maior for a potência máxima de saída, menor será a chance de ocorrerem problemas de saturação e
intermodulação.

Antenas / CATV -36-


AMPLIFICADORES

6.9 - PRÉ-AMPLIFICADORES BOOSTER JUBILEU VHF e UHF

AMPLIFICADOR ANTENA DE VHF OU UHF

FONTE CABO COAXIAL 75W


BOOSTER 723V-22
OU 723V-40

FONTE

Fig. 1 - Booster VHF ganho variável cód. 723V-22 e 723V-40 Fig. 2 - Exemplo de instalação
Booster toda banda UHF cód. 723-5ES26 e 723-5ES40

Os Boosters de VHF, da família 723V, permitem o ajuste do ganho do sinal recebido, fazendo com que o usuário consiga
um melhor rendimento do conjunto antena + booster, não sendo necessário saber exatamente o nível de sinal no local de
instalação. Os dois modelos cobrem a faixa de 10 a 40dB de ganho.

Os Boosters de UHF, da família 723-5ES, apresentam dois valores de ganho do sinal recebido, 26dB e 40dB.

O Booster é um reforçador de sinal, usado quando o sinal recebido pela antena é fraco ou para compensar as perdas no
cabo de descida. Porém, quando o sinal recebido pela antena é muito fraco, somente o booster não consegue melhorar a
qualidade da imagem. É preciso usar uma antena de maior ganho (mais elementos) ou, então, colocar a antena num mastro
mais alto, não resolve problemas de fantasmas na imagem, que é um problema de posicionamento da antena (sinais vindos
por múltiplos percursos, devido a obstáculos ou superfícies reflexivas próximas).

A fonte de alimentação não pode ficar exposta ao tempo. A tensão de alimentação é selecionada através de uma chave
seletora de 110/220V.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 723V-22 723V-40 723-5ES 26 723-5ES 40
Para sinal FRACO MUITO FRACO FRACO MUITO FRACO
Nível máximo entrada com 7 canais 80 dbm V 60 dbm V 75 dbm V 60 dbm V
Consumo < 1,4 W < 1,9 W < 1,5 W < 1,7 W
Consumo mensal 1,0 KW.h/mês 1,37 KW.h/mês 1,08 KW.h/mês 1,22 KW.h/mês
Ganho ± 2 dB 22 dB 40 dB - -
Ajuste de ganho ± 2 dB de 10 dB a 22 dB de 20 dB a 40 dB - -
Ganho ± 1 dB - - 26 dB 40 dB
Impedância de entrada 75W - 300
W 75W - 300
W 75W
R.O.E. < 1,5 < 1,6
Figura de ruído (média) < 3,5 dB < 3 dB
Faixa de freqüência VHF (40 à 220 MHz) UHF
Nível máximo saída 7 canais 100 dbm V
Impedância de saída 75W
Alimentação (seleção por chave) 110/220V
Intermodulação > 60 dB
Peso fonte 150 g
Peso booster 80 g
Dimensões fonte 89 x 63 x 55 mm
Dimensões booster 110 x 58 x 48 mm

Antenas / CATV -37-


AMPLIFICADORES

6.10 - PRÉ-AMPLIFICADORES BOOSTER PARA VHF e FM


Os Boosters de VHF, da família 823-4ES e 823-7ES, permitem o ajuste do ganho do sinal recebido, fazendo com que o
usuário consiga um melhor rendimento do conjunto antena + booster, não sendo necessário saber exatamente o nível de
sinal no local de instalação.

AMPLIFICADOR ANTENA DE VHF

FONTE
CABO
BOOSTER COAXIAL
75W

FONTE

Fig. 3 - Pré-amplificador booster para UHF e FM Fig. 4 - Exemplo de instalação

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 8234ES14/24 8234ES30/42 8237ES10/38
Impedância de saída 75W - 300
W 75W 75W
Figura de ruído < 4,75 dB < 3,5 dB < 4 dB
Nível máximo entrada 1 canal 96 dBm V 78 dBm V 80 dBm V
Nível máximo entrada 7 canais 76 dBm V 58 dBm V -
Ganho ± 2 dB 24 dB 42 dB 40 dB
VHF FM
Faixa
40 a 220 MHz 88 a 108 MHz
Nível máximo saída 7 canais 100 dBm V -
Ajuste de ganho até - 15 dB até - 20 dB
Para sinal de recepção FRACO MUITO FRACO
Tipo booster
Para uso externo
Impedância de entrada 75W - 300W
R.O.E. < 1,5
Nível máximo saída 1 canal 120 dBm V
Intermodulação > 60 dBc
Atenuação de faixa não desejada > 40 dB
Temperatura -10 a + 50ºC
Alimentação (seleção por chave) 110/220V
Consumo 2W
Consumo mensal 1,44 KW.h/mês
Peso fonte 250 g
Peso amplificador 200 g
Dimensões fonte 110 x 90 x 36 mm
Dimensões amplificador 125 x 115 x 90 mm

Antenas / CATV -38-


AMPLIFICADORES

6.11 - PRÉ-AMPLIFICADORES BOOSTER PARA UHF


Normalmente a captação do sinal consiste numa antena, numa linha de descida (cabo) e finalmente uma ligação do
receptor (TV). Se a linha de descida for longa, e tiver que ser presa ou passar por conduites é normal que haja uma perda de
sinal forte no cabo.

Nesses casos, muitas vezes o sinal na antena é razoável, mas sofre uma atenuação muito forte no cabo, chegando muito
fraco na entrada do receptor (TV), na verdade tão fraco que se confunde com o ruído.

Uma das formas de se resolver esse problema é colocarmos um reforço de sinal (pré-amplificador) no próprio mastro da
antena. Ali ele recebe o sinal razoavelmente maior que o ruído e o amplifica antes de ser atenuado pela linha. Depois, o sinal
amplificado é lançado na linha, onde sofre uma atenuação, mas chega na entrada do receptor com o nível acima do ruído.

AMPLIFICADOR ANTENA DE UHF

FONTE CABO COAXIAL


BOOSTER 75W

FONTE

Fig. 5 - Pré-amplificador booster para UHF Fig. 6 - Exemplo de instalação

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 8235ECABO 8235EC40DB
Para sinal de recepção FRACO MUITO FRACO
Ganho ± 1 dB 26 dB 40 dB
Impedância de entrada 75W - 300W 75W
Figura de ruído < 4,5 dB < 3,5 dB
Nível máximo entrada 1 canal 94 dBm V 78 dBm V
Nível máximo entrada 7 canais 74 dBm V 60 dBm V
Nível máximo saída 1 canal 120 dBm V 118 dBm V
Nível máximo saída 7 canais 100 dBm V
UHF
Faixa
470 a 900 MHz
Tipo booster
Para uso externo
Impedância de saída 75 W
R.O.E. < 1,5
Intermodulação > 60 dBc
Atenuação de faixa não desejada > 40 dB
Temperatura -10 a + 50ºC
Alimentação (seleção por chave) 110/220V
Consumo 2W
Consumo mensal 1,44 KW.h/mês
Peso fonte 250 g
Peso amplificador 200 g
Dimensões fonte 110 x 90 x 36 mm
Dimensões amplificador 125 x 115 x 90 mm

Antenas / CATV -39-


AMPLIFICADORES

6.12 - PRÉ-AMPLIFICADORES BOOSTER PARA VHF + UHF


O booster cód. 822E um pré-amplificador com um misturador de VHF mais UHF incorporado com ganho fixo, e o
cód. 8222E tem controles de ajustes de ganho incorporado, independentes, para as faixas de VHF e UHF.

AMPLIFICADOR ANTENA DE VHF

FONTE MISTURADOR C/ BOOSTER

CABO COAXIAL
ANTENA 75W
DE UHF

FONTE

Fig. 7 - Pré-amplificador booster para VHF + UHF Fig. 8 - Exemplo de instalação

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 822E 8222E
Ajuste de ganho - até -18 dB
Consumo 3,6 W 3,7 W
Consumo mensal 2,6 KW.h/mês 2,7 KW.h/mês
VHF e UHF
Faixa
40 a 220 MHz + 470 a 900 MHz
Tipo booster com misturador incorporado
Para uso externo
Para sinal de recepção FRACO
Ganho ± 1 dB 26 dB
Impedância de entrada 75W - 300W
Impedância de saída 75 W
Figura de ruído < 4,5 dB
R.O.E. <2
Nível máximo entrada 1 canal 86 dBm V
Nível máximo saída 1 canal 112 dBm V
Nível máximo entrada 7 canais 70 dBm V
Nível máximo saída 7 canais 96 dBm V
Intermodulação > 60 dBc
Atenuação de faixa não desejada > 35 dBc
Temperatura -10 à + 50ºC
Alimentação (seleção por chave) 110/220V
Peso fonte 250 g
Peso amplificador 200 g
Dimensões fonte 110 x 90 x 36 mm
Dimensões amplificador 125 x 115 x 90 mm

Antenas / CATV -40-


AMPLIFICADORES

6.13 - AMPLIFICADOR DE LINHA PARA VHF e VHF+UHF

Os Amplificadores de Linha são aparelhos para uso interno (dentro da casa) e utilizado em sistemas de antenas coletivas,
para compensar as perdas de sinal em cabos, divisores e etc.

Em especial, o amplificador cód. 826-VAR com ganho ajustável de 6 a 26 dB, permite um melhor dimensionamento prático
de ganho do sistema, pois nem sempre se possui todos os parâmetros técnicos da instalação.

O amplificador 856E foi projetado com a finalidade de compensar o problema da perda de potência devido a atenuação
em longas distâncias de cabo coaxial, nas instalações onde só recebemos canais de VHF

Seu ganho é constante em toda faixa de VHF (canais 2 ao 13). Recomendamos também seu uso em residências nas
quais se desejam vários pontos de TV.

ANTENA DE VHF

MISTURADOR

CABO COAXIAL
75W
ANTENA
DE UHF

AMPLIF.

Fig. 9 - Amplificador de linha com ganho variável Fig. 10 - Exemplo de instalação

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 826-VAR 826E 8262E 856E
Ganho ± 2 dB 6 a 26 dB ajustável 26 dB 16 dB 18 dB
Nível máximo entrada 1 canal 112 dBm V (aten. máx. ) 92 dBm V 102 dBm V 101 dBm V
Nível máximo entrada 7 canais 102 dBm V (aten. máx. ) 82 dBm V 92 dBm V 91 dBm V
Para sinal de recepção MÉDIO E FORTE MÉDIO FORTE MÉDIO
Ruído < 4,5 dB (ganho máx. ) < 5,5 dB < 5 dB
Consumo 2,5 W 3W 2W
Consumo mensal 1,8 KW.h/mês 2,16 KW.h/mês 1,44 KW.h/mês
Peso 310 g 300 g 295 g
VHF + UHF VHF
Faixa de freqüência
50 a 850 MHz 50 a 220 MHz
Nível máximo saída 1 canal 118 dBm V 120 dBm V
Nível máximo saída 7 canais 108 dBm V 110 dBm V
intermodulação > 40 dBc > 60 dBc
Temperatura de operação -10 a + 50ºC
Alimentação (seleção por chave) 110/220V
Impedância de entrada 75 W
Impedância de saída 75 W
Para uso interno
R.O.E. <2
Dimensões 110 x 90 x 36 mm

Antenas / CATV -41-


AMPLIFICADORES

6.14 - AMPLIFICADORES DE LINHA - CÓD. 1024-F e 1025-F

Os Amplificadores códigos 1024-F e 1025-F, são


amplificadores de linha com baixo ruído, para as faixas de TV À CABO
VHF e MMDS convertido, destinados a residências onde o
sinal recebido é fraco, ou, quando se deseja dividir o sinal
para mais de um ponto. Nestes casos usa-se o amplificador AMPLIFICADOR
para compensar as perdas de divisores, somadores e cabos.
CABO COAXIAL
Possuem também um filtro para rejeitar a faixa de FM, que
75W
pode ser ligado através de uma chave.
DIVISOR
O amplificador cód. 1024-F é montado em caixa plástica e
o amplificador cód. 1025-F em caixa metálica, com TOMADAS
BLINDADAS
conectores tipo F-fêmea. São produtos extremamente
versáteis, podendo ser utilizados em 110/220V.

TV 1 TV 2 TV 3 TV 4 TV 5 TV 6 TV 7 TV 8
Fig. 11 - Exemplo de instalação

Fig. 12 - Amplificador de linha 10dB - cód. 1024-F Fig. 13 - Amplificador de linha 25dB - cód. 1025-F

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 1024-F 1025-F
Faixa de freqüência 54 a 700 MHz 54 a 420 MHz
Nível máximo saída para 1 canal 104 dBm V 106 dBm V
Nível máximo saída para 16 canais 95 dBm V 97 dBm V
Ganho 10,5 dB ± 1 dB 26 dB ± 1 dB
Consumo 3,84 W 2,8 W
Consumo mensal 2,8 KW.h/mês 2 KW.h/mês
Peso 220 g 480 g
Dimensões 110 x 92 x 50 mm 178 x 79 x 55 mm
Figura de ruído < 3,8 dB
Produtos de intermodulação de 3ª ordem < 60 dBc
Rejeição de FM > 30 dB
Impedância de entrada e saída 75 W
R.O.E. <2
Alimentação 110/220V
Temperatura de operação -10 à + 50º C

Antenas / CATV -42-


AMPLIFICADORES

6.15 - AMPLIFICADORES DE POTÊNCIA PARA VHF - CÓD. 860-EV e 862-EV

ANTENAS DE VHF COLETIVAS


CANAL 6
CANAL 11

CANAL 2 ANT. DE FM

ANT. DE UHF

MISTURADOR
Fig. 14 - Amplificador de potência com ganho variável 50dB - cód. 860-EV

CONVERSOR

AMPLIFICADOR
CABO COAXIAL
75W

DIVISOR
TOMADAS
BLINDADAS

TV 1 TV 2 TV 3 TV 4 TV 5 TV 6 TV 7 TV 8

Fig. 15 - Amplificador de potência com ganho variável 30dB - cód. 862-EV Fig. 16 - Exemplo de instalação

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 860-EV 862-EV
Para ampliar sinal FRACO MÉDIO
Ganho máximo ±1 dB 48 dB 29 dB
Nível máximo entrada 1 canal 75 dBm V 91 dBm V
Peso 540 g 520 g
Faixa de freqüência VHF (50 a 220 MHz)
Para uso interno
Ajuste de ganho 0 a -20 dB
Impedância de entrada 75 W
Impedância de saída 75 W
Figura de ruído < 5,5 dB
R.O.E. <2
Nível máximo saída 1 canal 122 dBm V
Nível máximo saída 7 canais 118 dBm V
Produtos de intermodulação < -50 dBc
Temperatura de operação -10 à + 50ºC
Alimentação (seleção por chave) 110/220V
Consumo 9W
Consumo mensal 6,5 KW.h/mês
Dimensões 163 x 100 x 60 mm

Antenas / CATV -43-


AMPLIFICADORES

6.16 - AMPLIFICADORES DE DISTRIBUIÇÃO PARA CATV e MATV - CÓD. 1062CA20 e 1062CA30


Os amplificadores de distribuição THEVEAR foram projetados para serem utilizados em sistemas de antenas coletivas e de
TV a cabo que operam com grande número de canais.
Os amplificadores cód. 1062CA30 utilizam um circuito integrado híbrido para a amplificação dos sinais. Os amplificadores
cód. 1062CA20 utilizam amplificadores discretos em configuração "push-pull" com características de baixa distorção e de
baixa intermodulação. Todos os modelos possuem ajuste de ganho. O amplificador cód. 1062CA30 apresenta também
ajuste de inclinação da curva de ganho, que possibilita compensar a diferença de atuação introduzida pelo cabo coaxial entre
a máxima e a mínima freqüência.
Estes amplificadores são montados em caixas de alumínio aletadas, que proporcionam excelente blindagem elétrica e
dissipação térmica. Possuem fonte de alimentação para operação em 110/220V incorporada, que os tornam práticos e
confiáveis. Portanto deve-se especificar a tensão de operação ao fazer o pedido do amplificador.
Para sistemas operando com menor número de canais que o especificado, pode-se aumentar o nível de saída em 3dB
cada vez que se diminui o número de canais pela metade.

TV À CABO

AMPLIFICADOR

CABO COAXIAL
75W

TOMADAS
DIVISOR
BLINDADAS

TV 1 TV 2 TV 3 TV 4 TV 5 TV 6 TV 7 TV 8
Fig. 17 - Amplificador de linha CATV - cód. 1062CA20 Fig. 18 - Amplificador CATV - cód. 1062CA30 Fig. 19 - Exemplo de instalação

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 1062CA20/110 1062CA20/220 1062CA30/110 1062CA30/220
Alimentação 110V 220V 110V 220V
Ganho 24 dB 30 dB
Linearidade 2 dB 1 dB
Ajuste de inclinação - 18 dB
Figura de ruído 6 dB 7,5 dB
6 canais 108 dBm V 116 dBm V
12 canais 105 dBm V 113 dBm V
Nível de saída
24 canais 102 dBm V 110 dBm V
99 dBm V (@ 48 canais) 104 dBm V (@ 77 canais)
Intermodulação 3ª ordem
"Composite Triple Beat (CTB)" - 60 dB (100 dBm V @ 35 canais) - 57 dB (104 dBm V @ 77 canais)
Intermodulação 2ª ordem (F1 + F2) - 65 dB (95 dBm V) - 68 dB (104 dBm V)
Modulação cruzada
"Cross Modulation (Xmod)" - 65 dB (90 dBm V @ 35 canais) - 59 dB (104 dBm V @ 77 canais)
Sinal do ponto de teste - - 30 dB
Dimensões 140 x 130 x 70 mm 220 x 130 x 70 mm
Peso 650 g 1.100 g
Faixa de freqüência 40 - 550 MHz
Ajuste de ganho - 20 dB
R.O.E. entrada e saída 10 dB
Modulação "Hum" (60 Hz e 120 Hz) - 65 dB
Impedância de entrada e saída 75W
Conectores de entrada e saída F-fêmea
Temperatura de operação 0 a + 50ºC
Potência máxima 25 W
Consumo mensal 18 KW.h/mês

Antenas / CATV -44-


AMPLIFICADORES

6.17 - AMPLIFICADORES DE VHF E UHF PARA ANTENA COLETIVA - CÓD. 1064-30 e 1064-50
Os amplificadores de VHF e UHF THEVEAR foram
ENTRADA DA ANTENA
projetados para serem utilizados em sistema de antena
coletiva que operam com canais nas faixas de VHF ou UHF. A
CABO
amplificação dos sinais é realizada por amplificadores COAXIAL 75W
transistorizados, com características de baixa distorção e de
DIVISOR
baixa intermodulação.

Os amplificadores cód. 1064-30 e 1064-50 operam nas TOMADAS AMPLIFICADOR


BLINDADAS
faixas de VHF e UHF, com amplificação e controle de ganho
independentes para cada banda de freqüência. Montados em
caixas de alumínio aletadas que proporcionam excelente
blindagem elétrica e dissipação térmica. Possuem fonte de
alimentação para operação em 110/220V ajustada através de
uma chave seletora de voltagem incorporada, que os tornam
práticos e confiáveis. TV 1 TV 2 TV 3 TV 4 TV 5 TV 6 TV 7 TV 8
Fig. 20 - Exemplo de instalação

Fig. 21 - Amplificador VHF+UHF 30dB - cód. 1064-30 Fig. 22 - Amplificador VHF+UHF 50dB - cód. 1064-50

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
1064-30 1064-50
CÓDIGO
VHF UHF VHF UHF
Faixa de freqüência 50 a 220 MHz 470 a 800 MHz 50 a 220 MHz 470 a 800 MHz
Ganho (± 1 dB) 30 dB 28 dB 50 dB 48 dB
Figura de ruído < 5,5 dB < 8 dB < 5 dB < 7,5 dB
Ajuste de ganho - 18 dB
R.O.E. entrada e saída 10 dB
1 canal 120 dBm V
Nível de saída 4 canais 113 dBm V
8 canais 110 dBm V
Produtos de intermodulação < - 40 dB
Impedância de entrada e saída 75 W
Conectores de entrada e saída F-fêmea
Temperatura de operação 0 a + 50ºC
Alimentação (seleção por chave) 110/220V
Potência máxima 25 W
Consumo mensal 18 KW.h/mês
Dimensões 220 x 130 x 70 mm
Peso 1.100 g

Antenas / CATV -45-


AMPLIFICADORES

6.18 - AMPLIFICADORES DE VÍDEO - CÓD. TACF-400, TACF-420 e TACF-440

Os amplificadores de vídeo códigos TACF-400, TACF-420 e TACF-440, são equipamentos utilizados para amplificar e
dividir sinal de vídeo provenientes de câmeras de circuito fechado de TV, videocassetes, filmadoras, etc.

Fig. 23 - Amplificador de vídeo 3 saídas - cód. TACF-400 Fig. 24 - Amplificador de vídeo - cód. TACF-420 Fig. 25 - Amplificador de vídeo 2 saídas - cód. TACF-440

O amplificador de vídeo com três saídas, cód. TACF-400, foi especialmente MONITOR MONITOR
projetado para dividir sinal de vídeo, podendo também ser utilizado para recuperar
pequenas perdas causadas por curtos comprimentos de cabos coaxiais.
O amplificador de vídeo com equalizador, cód. TACF-420, foi especialmente
projetada para amplificar sinal de vídeo que devem ser transmitidos por cabos de
longo comprimento. A equalização é realizada através do ajuste de inclinação da
curva de ganho. É possível amplificar e equalizar o sinal em comprimentos de até
1000m de cabo coaxial de boa qualidade (RGC-6, RGC-59). Este amplificador CABO COAXIAL
pode ser usado junto a câmera para "empurrar" ou junto ao monitor para recuperar 75W
o sinal.
O amplificador de vídeo com duas saídas, cód. TACF-440, é utilizado tanto para AMPLIFICADOR
amplificar como para dividir sinais de vídeo. O ganho deste amplificador permite
recuperar ou empurrar o sinal em lances de até 300m de cabo coaxial de boa
qualidade (RGC-6, RGC-59), porém não se presta para utilização de vários destes
CABO
amplificadores em cascata, pois não apresenta equalização.
200m
Estes amplificadores possuem fonte de alimentação incorporada, sendo que a
tensão de alimentação pode ser selecionada internamente, através de uma chave
CÂMERA
seletora de 110/220V.
Fig. 26 - Exemplo de instalação

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO TACF-400 TACF-420 TACF-440
Número de saídas 3 1 2
Ganho 3,5 dB ± 0,5 dB 19 dB ± 1 dB 13 dB ± 1 dB
Ajuste de ganho -10dB -18dB -13dB
Ajuste de inclinação - 16dB -
Nível mínimo de entrada 0,5 Vpp 0,2 Vpp 0,2 Vpp
Nível máximo de saída 1,5 Vpp 5 Vpp 3 Vpp
Peso 350 g 230 g 240 g
Consumo 3,5 W 3,2 W
Consumo mensal 2,5 KW.h/mês 2,3 KW.h/mês
Dimensões 125 x 56 x 56 mm 110 x 92 x 50 mm
Faixa de freqüência 5 Hz a 4 MHz
Linearidade 1 dB
R.O.E. entrada e saída 15 dB
Impedância de entrada e saída 75 W
Conectores de entrada e saída F-fêmea
Alimentação (seleção por chave) 110/220V
Temperatura de operação -10 a + 50ºC

Antenas / CATV -46-


DIVISORES

7.0 - INTRODUÇÃO
Depois de receber o sinal de TV é necessário distribuí-los para os pontos (tomadas) da instalação. Para efetuar essa
distribuição de sinal utilizam-se equipamentos denominados divisores.

7.1 - DIVISORES - CÓD. 810E, 8101E, 811E, 8111E, 812E e 8121E


Para se escolher um divisor é necessário saber se a instalação usa cabo coaxial (de 75W ) ou fita paralela (de 300
W ). Para
funcionamento adequado do sistema deve-se colocar um resistor de 75W ou 300 W , respectivamente, nas saídas não
utilizadas.

ANTENA DE VHF

CABO COAXIAL
75W

Fig. 1 - Divisor 75/300 VHF+UHF Fig. 2 - Exemplo de instalação

TV TV TV TV

S S

S S
E
ENTRADA ENTRADA
E

S S
S S

TV TV TV TV

Fig. 3 - Divisor para ligação com cabo coaxial 75W Fig. 4 - Divisor para ligação com fita 300W

OBS: Na divisão do sinal ocorre uma diminuição no nível, que é denominada atenuação de passagem. Quando for
necessário compensar estas atenuações, utiliza-se um amplificador.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 810E 8101E 811E 8111E 812E 8121E
Impedância 75 W 300 W 75 W 300 W 75 W 300 W
Atenuação passagem 6,5 dB 12 dB 6,5 dB 9,5 dB 3,5 dB 6 dB
Atenuação entre saídas > 20 dB > 12 dB > 20 dB > 9,5 dB > 20 dB > 6 dB
Conexão abraçadeira terminal abraçadeira terminal abraçadeira terminal
Peso 55 g 40 g 50 g 35 g 45 g 30 g
Número de saídas 4 saídas 3 saídas 2 saídas
R.O.E. < 1,3
Faixa de freqüência 5 a 900 MHz
Dimensões 70 x 65 x 24 mm

Antenas / CATV -47-


DIVISORES

7.2 - DIVISORES BLINDADOS - CÓD. 1010-E, 1011-E, 1012-E, 1002-ST e 1004-ST

Os divisores blindados THEVEAR são utilizados para a distribuição de sinais de TV e FM em


sistemas de antenas coletivas e para divisão de sinais recebidos de satélite. A caixa do divisor
é selada e blindada, tornando-a imune a intempéries e interferência de sinais espúrios.
Os divisores blindados código 1010-E, 1011-E e 1012-E são construídos para operação na
faixa de 5 a 1000 MHz, apresentando atenuação praticamente constante dentro da faixa de
operação. São usados para divisão de sinal em VHF e UHF em antenas coletivas ou CATV.
Os divisores código 1002-ST e 1004-ST são utilizados para divisão de sinal de satélite na
faixa de 950 a 2050 Mhz
OBS: Se alguma das saídas não for utilizada, deve ser colocada nela uma carga de 75W
com conector F-macho. Nos divisores de satélite a carga deve ser desacoplada para DC.
Fig. 5 - Divisor 4 saídas - cód. 1010-E

ANTENA
PARABÓLICA

CABO
COAXIAL 75W

AMPLIFICADOR
Fig. 6 - Divisor 3 saídas - cód. 1011-E Fig. 7 - Div. sat. 2 saídas - cód. 1002-ST
DIVISOR
DE SATÉLITE

RECEPTOR
DE SATÉLITE

RECEPTOR
DE SATÉLITE

Fig. 8 - Divisor 2 saídas - cód. 1012-E Fig. 9 - Div. sat. 4 saídas - cód. 1004-ST Fig. 10 - Exemplo de instalação

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Número Freqüência Atenuação de Isolação Perda de Massa Dimensão
Código Conector
de Saídas (GHz) passagem (dB) (dB) Retorno (dB) (g) (Ixcxh) (mm)
0,95 - 1,45 3,5 ± 0,5 21 10
1002-ST 2 1,45 - 1,75 3,5 ± 0,5 25 15 50 51 x 61 x 19 F-fêmea
1,75 - 2,05 3,5 ± 1,0 13 18
0,95 - 1,45 6,5 ± 0,5 12 13
1004-ST 4 1,45 - 1,75 6,5 ± 0,5 16 20 70 51 x 80 x 19 F-fêmea
1,75 - 2,05 6,5 ± 1,0 16 10

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Freqüência Atenuação de Atenuação Isolação Perda de Massa Dimensão
Código Número Conector
de Saídas (MHz) passagem (dB) Porta 1(dB) (dB) Retorno (dB) (g) (Ixcxh) (mm)
5 - 30 3,5 ± 0,5 3,5 ± 0,5 18 10
1012-E 2 30 - 600 3,5 ± 0,3 3,5 ± 0,3 22 12 21 52 x 40 x 14 F-fêmea
600 - 1000 3,5 ± 0,5 3,5 ± 0,5 18 10
5 - 30 7 ± 1,0 3,5 ± 0,5 18 10
1011-E 3 30 - 600 7 ± 0,5 3,5 ± 0,3 22 12 68 51 x 80 x 19 F-fêmea
600 - 1000 7 ± 1,0 3,5 ± 0,5 18 10
5 - 30 7 ± 1,0 7 ± 1,0 18 10
1010-E 4 30 - 600 7 ± 0,5 7 ± 0,5 22 12 70 51 x 80 x 19 F-fêmea
600 - 1000 7 ± 1,0 7 ± 1,0 18 10

Antenas / CATV -48-


TOMADAS BLINDADAS

8.0 - INTRODUÇÃO
As tomadas blindadas THEVEAR são utilizadas para a distribuição de sinais de TV e FM em sistemas de antenas coletivas.
A caixa de tomada é selada e blindada, tornando-a imune a intempéries e interferência de sinais espúrios.
8.1 - TOMADAS BLINDADAS
As tomadas blindadas cód. 970-E são construídas para operação na faixa de 5 a 1000 MHz, apresentando atenuação de
passagem e acoplamento (atenuação da linha para tomada) praticamente constantes dentro da faixa de operação.
A ordem de colocação das tomadas blindadas deve ser tal que o nível de sinal na saída para a TV da tomada, seja
aproximadamente o mesmo em todas as tomadas da prumada. Esta ordem depende da distância entre os pontos aonde vão
as tomadas, das características do cabo coaxial utilizado e da máxima freqüência de operação.

OBSERVAÇÕES:
1 - A tomada de 4 dB é utilizada como tomada de passagem para extensões.
2 - No conector de saída da tomada que fica no final da prumada, normalmente a do andar número 1 (6 dB), deve ser
colocada uma carga de 75W com conector F-macho.

TV À CABO
CABO AMPLIFICADOR
COAXIAL 75W
DIVISOR
TOMADAS
BLINDADAS

TV 1 TV 2 TV 3 TV 4 TV 5 TV 6 TV 7 TV 8
Fig. 1 - Tomada blind. 4 dB - cód. 970-E4dB Fig. 2 - Tomada blind. 12 dB - cód. 970-E12dB Fig. 3 - Exemplo de instalação

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Freqüência Atenuação de Acoplamento Isolação Perda de Massa Dimensão
Código Conector
(MHz) passagem (dB) (dB) (dB) Retorno (dB) (g) (mm)
10 - 30 3,5 ± 0,5 3,5 ± 0,5 20 20
970-E4dB 30 - 600 3,7 ± 0,5 4 ± 0,5 18 15 20 44 x 32 x 14 F-fêmea
600 - 1000 4,0 ± 0,5 4 ± 1,0 15 10
10 - 30 2,5 ± 0,5 6 ± 0,5 25 13
970-E6dB 30 - 600 2,2 ± 0,5 6 ± 0,5 22 15 20 44 x 32 x 14 F-fêmea
600 - 1000 2,5 ± 0,5 6 ± 1,0 18 12
10 - 30 1,5 ± 0,6 9 ± 1,0 27 15
970-E9dB 30 - 600 1,3 ± 0,5 9 ± 0,5 24 15 20 44 x 32 x 14 F-fêmea
600 - 1000 1,5 ± 0,5 9 ± 1,0 20 10
10 - 30 1,5 ± 0,5 12 ± 1,0 30 15
970-E12dB 30 - 600 1,0 ± 0,5 12 ± 0,5 27 15 20 44 x 32 x 14 F-fêmea
600 - 1000 1,0 ± 0,2 12 ± 1,0 22 10
10 - 30 0,5 ± 0,2 16 ± 0,5 35 20
970-E16dB 30 - 600 0,6 ± 0,3 16 ± 1,0 30 14 20 44 x 32 x 14 F-fêmea
600 - 1000 0,7 ± 0,4 16 ± 1,0 26 10
10 - 30 0,5 ± 0,1 20 ± 0,1 37 20
970-E20dB 30 - 200 0,5 ± 0,2 20 ± 0,1 35 20 20 F-fêmea
44 x 32 x 14
200 - 600 0,6 ± 0,4 19 ± 2,0 35 17
600 - 1000 0,7 ± 0,5 19 ± 2,0 25 10
10 - 30 0,5 ± 0,1 24 ± 0,1 40 20
970-E24dB 30 - 200 0,5 ± 0,2 24 ± 0,1 39 20 20 F-fêmea
44 x 32 x 14
200 - 600 0,6 ± 0,4 23 ± 2,0 39 17
600 - 1000 0,7 ± 0,5 23 ± 2,0 28 10
10 - 30 0,5 ± 0,1 27 ± 0,1 44 20
970-E27dB 30 - 200 0,5 ± 0,2 27 ± 0,1 42 20 20 F-fêmea
44 x 32 x 14
200 - 600 0,6 ± 0,4 26 ± 2,0 42 17
600 - 1000 0,7 ± 0,5 26 ± 2,0 32 10
10 - 30 0,5 ± 0,1 30 ± 0,1 47 20
970-E30dB 30 - 200 0,5 ± 0,2 30 ± 0,1 45 20 20
45 44 x 32 x 14 F-fêmea
200 - 600 0,6 ± 0,4 29 ± 2,0 17
600 - 1000 0,7 ± 0,5 29 ± 2,0 35 10

Antenas / CATV -49-


SIMETRIZADORES

9.0 - INTRODUÇÃO
O simetrizador é empregado para transformar a impedância de 300W das linhas paralelas (Fita) para 75
W ou vice-versa.

9.1 - SIMETRIZADORES VHF / UHF - CÓD. 8092E e 1009-2E


Nos televisores onde a entrada da antena é 300W o simetrizador é usado para "casar" os 75 W do cabo coaxial com os
300W do televisor.
Não se deve ligar diretamente o cabo coaxial em televisores com entrada de 300W, pois isso causa uma perda de 60% do
nível do sinal. Podendo também gerar sombras e fantasmas na imagem devido às reflexões do sinal.
A THEVEAR fabrica simetrizadores para uso interno e externo.
OBS: O simetrizador também é conhecido com o nome de balun ou casador de impedância.

Fig. 1 - Casador interno VHF+UHF 75/300 - cód. 8092E Fig. 2 - Simetrizador com conector "F" VHF+UHF - cód. 1009-2E

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 8092E 1009-2E
Conexão de entrada abraçadeira conector F-fêmea
Dimensões 43 x 26 x 19 mm 56 x 26 x 19 mm
Peso 18 g 20 g
Impedância de entrada 75 W
Impedância de saída 300 W
Atenuação de passagem < 1 dB
R.O.E. < 1,5
Faixa 20 a 800 MHz

9.2 - CAIXA PARA SIMETRIZAR - CÓD. 8141E


A caixa de conexão com Fixe a malha do cabo coaxial com a abraçadeira e
simetrizador cód. 8141E o vivo do cabo no parafuso do terminal do circuito.
(entrada 300 W - saída 75W )
foi desenvolvido para uso
nas antenas de VHF
monocanais e banda I, II e III.

CAIXA DE CONEXÃO TV

Fig. 3 - Caixa de conexão com casador VHF Fig. 4 - Ligação com cabo coaxial 75W

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Faixa VHF
Impedância entrada 300 W / saída 75W
Atenuação entre bandas > 40 dB
R.O.E < 1,4
Atenuação de passagem 0,1 dB
Dimensões 112 x 60 x 48 mm
Peso 140 g

Antenas / CATV -50-


10.0 - INTRODUÇÃO

Os separadores de VHF-UHF são utilizados quando os sinais de VHF e UHF que chegam à TV vêm por um único cabo
coaxial de 75W , como ocorre em antenas coletivas, e a TV possui entradas separadas para VHF e UHF. As funções do
separador são separar os sinais e também transformar a impedância de 75W para 300
W .

10.1 - SEPARADORES - CÓD. 8081E e 8084E

A THEVEAR fabrica dois modelos de separador: um com saídas de VHF e UHF em 300W e outro com saída de VHF em 75
W
e UHF em 300W .

ANTENA DE VHF

CABO
COAXIAL
ANTENA 75W
Fig. 1 - Separador com casador VHF+UHF 75/300 - cód. 8081E DE UHF

MIST.

SEPAR.

Fig. 2 - Separador VHF+UHF 75/300 com conector - cód. 8084E Fig. 3 - Exemplo de instalação

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 8081E 8084E
Impedância de saída 300 W 75W W
VHF / 300 UHF
Atenuação entre bandas > 10 dB > 20 dB
Atenuação de passagem < 1,5 dB
Bandas a separar VHF - UHF
Impedância de entrada 75 W
R.O.E. < 1,3 dB
Dimensões 66 x 49 x 22 mm
Faixa 20 a 900 MHz
Peso 50 g

Antenas / CATV -51-


EMENDAS DE CABOS
E ATENUADORES

11.0 - EMENDA DE CABO - CÓD. 833E


Devem-se evitar emendas
em cabos coaxiais, mas há ANTENA DE VHF
casos em que elas são
inevitáveis e principalmente
nos casos de junção de cabos
de diferentes tipos ou bitolas. CABO COAXIAL
75W

Fig. 1 - Emenda para cabo coaxial aberta

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 833E


Atenuação de passagem < 0,5 dB
Dimensões 60 x 35 x 20 mm
Peso 35 g
Impedância de entrada e saída 75 W
Fig. 2 - Exemplo de instalação

11.1 - INTRODUÇÃO AOS ATENUADORES


Atenuadores são elementos que quando colocados em uma linha de transmissão de sinais produzem uma diminuição do
nível do sinal sem alterar os valores de impedância da linha.

11.2 - ATENUADORES FIXOS - CÓD. 1015F-6dB, 1015F-12dB e 1015F-20dB


Os atenuadores fixos para CATV THEVEAR foram projetados
ANTENA DE VHF
para adequar os níveis de sinais às necessidades do sistema de
distribuição de CATV.
Estes componentes são construídos dentro de um tubo
metálico, o que confere ao produto alta resistência mecânica e CABO
COAXIAL 75W
excelente blindagem elétrica, com conectores F-macho de um dos
lados e F-fêmea do outro, assim podem ser inseridos diretamente
entre o cabo e o aparelho que recebe ou envia sinal. A utilização de
componentes SMD, possibilita uma montagem compacta, confiável
e com excelente resposta em freqüência, excedendo 1 GHz.

ATEN.

Fig. 3 - Atenuador fixo com conector "F" 6dB, 12dB e 20dB - cód. 1015F Fig. 4 - Exemplo de instalação

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 1015F-6dB 1015F-12dB 1015F-20dB
Perda de inserção 6 ± 0,5 dB 12 ± 0,5 dB 20 ± 1 dB
Faixa de Freqüência DC - 1 GHz
Potência máxima 0,2 W
Impedância 75 W
DC - 0,6 GHz > 20 dB
R.O.E.
0,6 - 1 GHz > 15 dB
Conectores F-fêmea
Diâmetro 13 mm
Comprimento 33 mm
Peso 13 g

Antenas / CATV -52-


EMENDAS DE CABOS
E ATENUADORES

11.3 - ATENUADOR VARIÁVEL - CÓD. 815E

Em instalações de
antenas coletivas, é muito
comum ter que atenuar os ANTENA DE VHF
sinais de entrada do
misturador, pois é muito
difícil ter a mesma CABO COAXIAL
intensidade de sinal em 75W
todas as freqüências a
serem misturadas.

Nestes casos a melhor


solução é colocar um
atenuador.
Fig. 5 - Atenuador regulável 3 a 26dB VHF+UHF ATEN.

OBS: Não é recomendável a utilização desses atenuadores em


série.
Fig. 6 - Exemplo de instalação

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Faixa de freqüência de DC à 1000 MHz
Atenuação máxima ajustável 3 a 26 dB
Atenuação de passagem < 3 dB
R.O.E. < 1,5
Diâmetro 65 mm
Comprimento 30 mm
Peso 45 g
Impedância de entrada e saída 75 W

11.4 - ATENUADOR VARIÁVEL - CÓD. 915-E

Atenuador Variável, código 915-E, é CABO COAXIAL 75W


um dispositivo bastante útil ao instalador. TV À CABO
Este atenuador possui uma faixa de TOMADA
CÂMERA BLINDADA
atenuação de até 20 dB, mantendo a
impedância característica de 75W , dentro
da faixa de freqüência de VHF até UHF. MOD.
É construído dentro de um tubo de AMPLIF.
alumínio, o que lhe confere alta
resistência mecânica e uma ótima
blindagem elétrica. Possui também SAÍDA
conectores tipo F-fêmea, para conexão
ao sistema. FILTRO ATENUADOR
Fig. 7 - Atenuador variável TUB LINE - cód 915-E Fig. 8 - Exemplo de instalação

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Perda de inserção máxima 0,8 dB em UHF
Faixa de freqüência 1 a 850 MHz
Atenuação máxima ajustável 20 ± 1 dB
Conector F-fêmea
Atenuação de passagem < 1 dB
Diâmetro 30 mm
Comprimento 70 mm
Peso 43 g
Impedância de entrada e saída 75 W

Antenas / CATV -53-


FILTROS

12.0 - INTRODUÇÃO
Filtros PASSA FAIXA são equipamentos que permitem a passagem de sinal apenas em uma faixa de freqüência e corta o
restante. Se a faixa de passagem for a de um canal de TV, tem-se um filtro PASSA CANAL, se a faixa for uma banda, por
exemplo BANDA I, BANDA IV, etc, obtém-se um filtro PASSA BANDA, etc.
Seus circuitos são compostos de bobinas e capacitores, as quais permitem a passagem ou atenuação de determinadas
freqüências.
Vários tipos de filtros poderão ser utilizados em uma antena coletiva. As características dos filtros serão sempre
determinadas pelas necessidades de cada instalação.
A THEVEAR tem condições de fabricar qualquer tipo de Filtro para resolver qualquer problema, tanto em VHF como UHF.
Os modelos utilizados são: PASSA CANAL, CORTA CANAL, PASSA BANDA e CORTA BANDA.

12.1 - FILTRO PASSA FAIXA - CÓD. 880E

ANTENA DE VHF

CABO
COAXIAL 75W FILTRO PASSA FAIXA

Fig. 1 - Filtro passa canal - cód. 880E Fig. 2 - Exemplo de instalação

CURVA DE FILTROS PASSA CANAL


54 MHz 88 MHz 115 MHz
Canais:
Baixos
Altos

-6 -3 Pi PS +3 +6 40 50 60 70 80 90 100 110 120 130


MHz MHz MHz MHz MHz
Fig. 3 - Curva de filtro passa canal Fig. 4 - Curva de filtro corta faixa FM

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 880E
Características técnicas canais baixos canais altos especial corta FM
Atenuação a canais não adjacentes > 25 dB ver figura 4
Faixa 6 MHz (ver fig. 3) ver figura 4
Atenuação de passagem < 1 dB
Impedância de entrada e saída 75 W
R.O.E. entrada e saída < 1,5 dB
Dimensões 125 x 115 x 90 mm
Peso 310 g

Antenas / CATV -54-


FILTROS

12.2 - FILTRO CORTA FAIXA - CÓD. 881E


Filtros CORTA FAIXA são equipamentos que desempenham uma função oposta à dos filtros PASSA FAIXA, ou seja, eles
cortam uma determinada faixa de freqüências e permitem a passagem do restante. Analogamente eles também são
conhecidos por CORTA CANAL, CORTA BANDA, etc.

Estes filtros são normalmente utilizados quando se necessita eliminar alguma interferência ou combinar um canal, por
exemplo vindo de uma certa direção, com os demais canais, vindos de outra.

Nos filtros de corte, temos também um modelo para cortar uma determinada emissora de FM.

ANTENA DE VHF

CABO COAXIAL FILTRO CORTA FM


75W

MIST. COM BOOSTER


ANTENA DE UHF

FONTE

Fig. 5 - Filtro corta canal - cód. 881E Fig. 6 - Exemplo de instalação

dB CURVA DE FILTROS CORTA CANAL


500 KHz 500 KHz
Canais:
Baixos
Altos

-6 -3 Pi PS +3 +6 40 90 100 110 ATÉ UHF


MHz MHz MHz MHz MHz MHz MHz MHz
Fig. 7 - Curva de filtro corta canal Fig. 8 - Curva de filtro corta canal

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 881E
Características técnicas canais baixos canais altos especial corte FM
Faixa 6 MHz (ver fig. 7) ver figura 8
Atenuação fora da faixa < 1 dB
Atenuação canal > 30 dB
Impedância de entrada e saída 75 W
R.O.E. entrada e saída < 1,5 dB
Dimensões 125 x 115 x 90 mm
Peso 310 g

Antenas / CATV -55-


FILTROS
SÉRIE TUB-LINE

12.3 - FILTROS PASSA CANAL SÉRIE TUB LINE - CÓD. 884-EV, 884-EC e 884-EU

Os filtros tipo PASSA CANAL OU PASSA FAIXA, foram desenvolvidos para eliminar interferências próximas a freqüência
de operação, além de selecionar apenas o canal de interesse, recebido por uma antena.

Estes filtros utilizam conectores do tipo F-fêmea, tem uma excelente seletividade, além de possuírem uma alta imunidade
a interferências externas, pois são blindados e encapsulados em tubo de alumínio.

Na encomenda destes filtros deve vir especificada a freqüência ou o canal de utilização.

ANTENAS DE VHF COLETIVAS


CANAL 2
CANAL 4
CANAL 7
ANT. DE FM

FILTRO
MISTURADOR

CABO COAXIAL
Fig. 9 - Filtro passa canal VHF - cód. 884-EV 75W

DIVISOR
15 dB TOMADAS
à BLINDADAS
6 MHz

6 MHz
884-EV ou 884-EU TV 1 TV 2 TV 3 TV 4 TV 5 TV 6 TV 7 TV 8

Fig. 10 - Curva de filtros passa canal Fig. 11 - Exemplo de instalação

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 884-EV** 884-EC** 884-EU**
54 a 88 MHz 120 a 174 MHz
Freqüência 470 a 800 MHz
174 a 216 MHz 216 a 450 MHz
Perda de inserção < 2 dB < 2 dB < 5 dB
Atenuação fora da faixa > 38 dB > 38 dB > 40 dB
Tipo PASSA CANAL
Faixa de passagem 6 MHz
R.O.E. < 1,7
Impedância de entrada e saída 75W
6 MHz > 15 dB
Atenuação (*)
12 MHz > 27 dB
Diâmetro 32 mm
Comprimento 94 mm
Peso 45 g
* - Tomando-se como referência o início e o fim da faixa utilizada.
** - Deve-se especificar a freqüência ou canal de utilização.

Antenas / CATV -56-


FILTROS
SÉRIE TUB-LINE

12.4 - FILTROS CORTA CANAL SÉRIE TUB LINE - CÓD. 885-EV, 885-EU, 885-FM e 885-E1

Os Filtros tipo CORTA CANAL, foram projetados para cortar canais ou interferências causadas por determinadas
freqüências. Cada modelo possui uma característica própria de largura de faixa e atenuação.
Estes filtros são encapsulados em um tubo de alumínio e utilizam conectores do tipo F-fêmea.
Na encomenda deste modelo deve vir especificada a faixa de freqüência ou canal que deseja cortar.

ANTENA DE VHF

CABO COAXIAL
75W

FILTRO

Fig. 12 - Filtro corta FM BIP - cód. 885-FM Fig. 13 - Exemplo de instalação

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 885-EV** 885-EU** 885-FM** 885-E1**
atenua freqüência ou atenua freqüência ou rejeita FM + BIP, passa
Freqüência ** rejeita canal de VHF
canal na banda I, II e III canal na banda IV e V banda I, III e UHF
Largura de faixa de rejeição 6 MHz abaixo de 54 MHz e FM trap (BW = 500 KHz)
Atenuação no canal ou freqüência > 37 dB > 38 dB > 48 dB
R.O.E. (na faixa de passagem) < 1,7
Impedância de entrada e saída 75 W
Perda de inserção fora da faixa < 1 dB
Diâmetro 32 mm
Comprimento 94 mm
Peso 45 g
** - Deve-se especificar a freqüência ou canal de utilização.

885-E1
37 dB
48 dB

500 KHz
885-EV ou 885-EU 6 MHz
Fig. 14 - Curva de filtros corta canal Fig. 15 - Curva de filtros corta canal

38 dB

54 MHz 88 MHz 110 MHz

30 MHz 885-FM
Fig. 16 - Curva de filtros corta canal

Antenas / CATV -57-


CONVERSORES

13.0 - INTRODUÇÃO
Os conversores de freqüência são equipamentos que mudam a freqüência de um canal de TV para outra freqüência. Por
exemplo, utilizando um conversor podemos converter o canal 32 de UHF no canal 8 de VHF.

13.1 - CONVERSOR FIXO VHF / UHF - CÓD. 882E


Os conversores fixos de freqüência THEVEAR são utilizados quando, por alguma razão, é conveniente converter um canal
de uma freqüência para outra. Eles são empregados tipicamente em cidades onde os canais são transmitidos em UHF e
deseja-se fazer a distribuição dos sinais na antena coletiva em VHF, para evitar o uso dos conversores de UHF individuais
sobre os aparelhos de TV. As conversões mais comuns estão indicadas na tabela abaixo.
CANAL ORIGINAL CANAL CONVERTIDO ANTENAS DE VHF COLETIVAS
UHF VHF (banda I ou banda III)
VHF (banda I) VHF (banda III)
VHF (banda III) VHF (banda I) ANT. DE FM

ANT.
DE UHF

MISTURADOR
CONVERSOR

CABO COAXIAL
75W
AMPLIFICADOR SAÍDA
Fig. 1 - Conversor fixo - cód. 882E Fig. 2 - Exemplo de instalação

OBS: Qual é a diferença entre um CONVERSOR e um MODULADOR de Áudio e Vídeo ?


O conversor e o modulador de áudio e vídeo são aparelhos completamente distintos, pois enquanto o conversor converte
a freqüência de um canal para outro, o modulador gera um sinal de R.F. com a informação de áudio e vídeo na freqüência de
um canal de TV.
ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 882E
Impedância de entrada/saída 75 W
Ganho de conversão (depende dos canais convertidos) 20 à 35 dB
R.O.E. < 1,5
Ruído (depende dos canais convertidos) < 6 dB
Nível mínimo aconselhada de entrada 54 dBm V
Nível de saída 80 < VO < 100 dBm V
Intermodulação > 60 dB
Oscilador LC, compensado em temperatura
Sinal do oscilador na saída < 30 dB
Sinal do oscilador na entrada < 20 dB
Sinal do canal de entrada na saída < 30 dB
Sinal do canal de saída na entrada < 10 dB
Deriva do oscilador (depois de 15 minutos ligado) ± 300 ppm
Tensão de alimentação 110/220V
Consumo 6W
Consumo mensal 4,3 KW.h/mês
Temperatura de operação 0º à + 40ºC
Dimensões 165 x 100 x 70 mm
Peso 650 g

Antenas / CATV -58-


TABELA DE CONVERSÕES
CANAIS DE ENTRADA

CATV
LETRAS
BI BIII BIV BV
FI 2 3 4 5 6 7 8 9 1 0 11 1 2 1 3 1 4 1 5 1 6 1 7 1 8 1 9 2 0 2 1 2 2 2 3 2 4 2 5 2 6 2 7 2 8 2 9 3 0 3 1 3 2 3 3 3 4 3 5 3 6 3 7 3 8 3 9 4 0 4 1 4 2 4 3 4 4 4 5 4 6 4 7 4 8 4 9 5 0 5 1 5 2 5 3 5 4 5 5 5 6 5 7 5 8 5 9 6 0 6 1 6 2 6 3 6 4 6 5 6 6 6 7 6 8 6 9 7 0
FI
2
3

BI
4
5
6
7
8
9
10

BIII
11
12
13
A-2 98
A-1 99
A 14
B 15
C 16
13.2 - TABELA DE CONVERSÕES

D 17

BM
E 18
F 19
G 20
H 21
I 22
J 23
K 24
L 25
M 26
N 27
O 28
P 29

SB
Q 30
R 31
S 32
T 33
U 34
V 35
W 36
AA 37
BB 38

CANAIS DE SAÍDA
CC 39
DD 40
EE 41
FF 42
GG 43
HH 44
II 45
JJ 46
KK 47
LL 48
MM 49
NN 50

HB
OO 51
CONVERSORES

PP 52
QQ 53
RR 54
SS 55
TT 56
UU 57
VV 58
WW 59
XX 60
YY 61
ZZ 62

LEGENDA
BI = BANDA I BM = BANDA MÉDIA
BIII = BANDA III HB = HIPER BANDA
BIV = BANDA IV SB = SUPER BANDA
BV = BANDA V

CONVERSÃO NÃO POSSÍVEL CONVERSÃO POSSÍVEL

Antenas / CATV -59-


MODULADORES

14.0 - MODULADORES VHF CANAL 3 - CÓD. 866-C3 e VHF-UHF-CATV - CÓD. 866-EA


Os moduladores códigos 866-EA e 866-C3 são equipamentos compactos e versáteis, que servem para transformar os
sinais de vídeo e áudio, provenientes de câmeras de vídeo, receptores de satélite, DVD, etc, em sinais de RF nas freqüências
e formato dos sinais recebidos pelos aparelhos de TV, na faixa de canais de VHF e UHF ou CATV.

A freqüência do canal de saída é obtida através de síntese de freqüências por PLL. Esta tecnologia proporciona alta
estabilidade em freqüência e, também, versatilidade ao produto. O modulador cód. 866-C3 possui canal de saída fixo. Já o
866-EA é um modulador ágil que pode gerar canais tanto na faixa de VHF e UHF ou CATV. As indicações do número do canal
e do plano de freqüências aparecem no mostrador no painel.

O modulador código 866-EA foi projetado para ser ligado diretamente em aparelhos de TV. Para ligar este modulador em
cabeceiras de antena coletiva pode ser necessário acrescentar um filtro passa canal na saída de RF, na freqüência do canal
modulado, para evitar interferências em outros canais, cujas freqüências coincidam com as harmônicas geradas pelo
modulador. A tensão de alimentação pode ser 110/220V. A seleção é feita por uma chave que está localizada na parte interna
do produto.

APARELHO DE DVD
ANTENA
DE VHF

MODULADOR
CÓD. 866-C3

COMBINADOR

CABO COAXIAL
75W

Fig. 1 - Modulador VHF a cristal - cód. 866-C3 Fig. 2 - Modulador VHF/UHF/CATV - cód. 866-EA Fig. 3 - Exemplo de instalação

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Código 866 -C3 * 866 -EA
Canal de saída - VHF 3 ou 4 FI, 2 ao 13
Canal de saída - UHF - 14 ao 70
Canal de saída - CATV - 14 ao 99
Armazenamento do canal - memória não volátil
Nível de saída 75 ±1 dBµV 80 ± 2 dBµV
Harmônicas < 60 dBc < 20 dBc
Consumo 2,2 W 2,1 W
Consumo mensal 1,6 kW.h/mês 1,5 kW.h/mês
Peso 220g 230g
Largura da faixa 10 MHz
Estabilidade em freqüência ± 100 ppm
Modulação AM DSB (dupla banda lateral)
Conector / impedância de saída F-fêmea / 75 W
Freqüência da subportadora de áudio 4,5 MHz
Nível da subportadora de áudio - 12 ±1 dBc
Entrada de vídeo (polaridade negativa) ajustável de 0,8 a 2 Vpp
Conector / impedância entrada de vídeo tipo RCA / 75 W
Entrada de áudio ajustável de 1 a 4 Vpp
Conector / impedância entrada de áudio tipo RCA / 1000 W
Alimentação (chave de seleção interna) 110/220V
Temperatura de operação 0 a 40º C
Dimensões 110 x 92 x 50 mm
* - Quando o display estiver aceso, podem aparecer alguns riscos horizontais na imagem. Eles desaparecem quando o display se apaga.

Antenas / CATV -60-


AMPLIFICADORES PARA SATÉLITE
SÉRIE TUB-LINE

15.0 - INTRODUÇÃO

15.1 - AMPLIFICADORES DE LINHA PARA SATÉLITE - CÓD. 1026-ST e 1027-ST

A série TUB-LINE, é uma linha de produtos que vem ao encontro das necessidades de qualquer sistema, seja coletivo ou
individual, onde a confiabilidade e a imunidade a interferências elétricas externas são necessárias.

Os produtos da série TUB LINE devem ser protegidos de intempéries, pois não são selados. Se for necessário instalá-los
externamente, deve-se usar uma fita isolante de alta fusão, para evitar a entrada de umidade.

Os amplificadores de Linha para Satélite, códigos 1026-ST e 1027-ST, são amplificadores para a faixa de freqüência de
950 à 1450 MHz e 950 a 2050 MHz, respectivamente. O amplificador cód. 1027-ST apresenta inclinação na curva de ganho
para equalização das perdas no cabo coaxial. A tabela abaixo mostra quantos metros de cabo podem ser compensados com
um amplificador cód. 1027-ST, para diversos tipos de cabo.

CABO RGC-11 RGC-6 RGC-59 RG-59


COMPRIMENTO 125 m 72 m 55 m 38 m

Estes Amplificadores são encapsulados em um tubo de alumínio com conectores tipo F-fêmea, o que lhe confere uma
excelente blindagem e resistência mecânica. São utilizados para compensar as perdas em chaves H/V, divisores e no cabo
coaxial existente entre a LNB e o receptor de satélite. A alimentação do amplificador utiliza a tensão de alimentação de 15V do
LNB, que vai pelo cabo coaxial.

ANTENA
PARABÓLICA

CABO
COAXIAL 75W

AMPLIFICADOR

Fig. 1 - Amplificador de linha satélite com 20 dB de ganho - cód. 1026-ST DIVISOR


DE SATÉLITE

RECEPTOR
DE SATÉLITE

RECEPTOR
DE SATÉLITE

Fig. 2 - Amplificador de linha satélite com equalizador - cód. 1027-ST Fig. 3 - Exemplo de instalação

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 1026-ST 1027-ST
Faixa de freqüência 950 a 1450 MHz 950 a 2050 MHz
Ganho 19 ± 2 dB 20 ± 1 dB
Inclinação de 0,95 à 2,05 GHz - + 4 dB
Alimentação 15 ± 1 Vcc
Consumo 20 mA
Impedância de entrada e saída 75 W
Figura de ruído < 4,5 dB
Conector F-fêmea
Peso 35 g
Comprimento 87 mm
Diâmetro 19 mm

Antenas / CATV -61-


EQUALIZADORES PARA CATV E VHF
SÉRIE TUB-LINE

16.0 - INTRODUÇÃO
Os equalizadores para CATV e VHF THEVEAR foram projetados para compensação das perdas introduzidas por cabos
coaxiais em sistemas operando com longos comprimentos de cabo.
Como a atenuação em cabos coaxiais aumenta com a freqüência, é necessário introduzir equalizadores em
determinados trechos do cabo para compensar esta diferença de atenuação. Os equalizadores são dispositivos que
apresentam a característica de atenuação inversa a dos cabos coaxiais, dentro da faixa de freqüência de uso, ou seja, eles
atenuam mais os sinais de baixa freqüência e menos os de alta.
Estes componentes são construídos dentro de um tubo de alumínio, o que confere ao produto alta resistência mecânica e
excelente blindagem elétrica.
Para se determinar a valor do equalizador a ser utilizado para compensar um determinado comprimento de cabo coaxial,
deve-se primeiro calcular a diferença de atenuação introduzida pelo cabo entre a máxima e a mínima freqüência de
operação, e depois escolher a valor mais próximo do calculado. A tabela abaixa mostra, para diversos tipos de cabos, os
comprimentos necessários para que a diferença de atenuação seja de 9dB, entre 50 Mhz e 250 Mhz, e seja 6dB entre 50 Mhz
e 1 Ghz.

TABELA DE USO DOS EQUALIZADORES Cód. 1035 Cód. 1034


0
COMPRIMENTO DO CABO
CÓDIGO FREQÜÊNCIA
RGC-11 RGC-06 RGC-59 RG-59
-3 dB
50 MHz e
1035-9dB 285 m 160 m 135 m 90 m
250 MHz

-6 dB
50 MHz e
1034-6dB 58 m 36 m 20 m 18 m
1 Ghz
-9 dB
0,05 0,25 0,5 0,75 1 GHz

Fig. 1 - Curva dos equalizadores

16.1 - EQUALIZADORES PARA CATV - CÓD. 1034-6dB e 1035-9dB

ANTENA COLETIVA
EQUALIZADOR
CÓD. 1034-6dB
CABO
40m

Fig. 2 - Equalizador 1 Ghz com conector "F" 6dB - cód. 1034-6dB


AMPLIFICADOR

AMPLIFICADOR

CABO
COAXIAL 75W

Fig. 3 - Equalizador VHF com conector "F" 9dB - cód. 1035-9dB Fig. 4 - Exemplo de instalação

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
CÓDIGO 1034-6dB 1035-9dB
Freqüência de operação 50 MHz a 1 GHz 50 MHz a 250 MHz
Perda de inserção (máxima freqüência ) 0,8 dB 0,5 dB
Diferença de atenuação 6 dB 9 dB
Impedância de entrada e saída 75 W
R.O.E. > 10 dB
Conectores F-fêmea
Dimensões 29 x 67 mm
Peso 30 g

Antenas / CATV -62-


ALICATES PARA CABO COAXIAL

17.0 - INTRODUÇÃO

17.1 - ALICATE PARA DESENCAPAR CABO COAXIAL - CÓD. 900E


O ALICATE 900E foi desenvolvido com a finalidade de facilitar o trabalho de desencapar cabo coaxial.

CABO COAXIAL

ALICATE

1 2

Fig. 1 - Alicate para desencapar cabo coaxial - cód. 900E Fig. 2

17.2 - ALICATE PARA FIXAR ILHÓS DO CABO COAXIAL - CÓD. 832E


O ALICATE 832E foi desenvolvido para agilizar o trabalho de fixação do ilhós no cabo coaxial.

1 ILHÓS 2 COLOQUE O ILHÓS 3 4


NA MALHA DO
CABO COAXIAL

COM O
CABO COAXIAL ALICATE ILHÓS FIXADO
APERTE O ILHÓS
Fig. 3 Fig. 4 Fig. 5 Fig. 6

Fig. 7 - Alicate para grampear cabo coaxial - cód. 832E

Antenas / CATV -63-


REPRESENTANTES E
ASSISTÊNCIAS TÉCNICAS THEVEAR

18 - REPRESENTANTES THEVEAR Base: Representantes Thevear - V.03

Acre / Amapá / Amazônia / Mato Grosso / Pernambuco Alagoas / Bahia / Ceará / Distrito Federal / Goiás / Maranhão Minas Gerais Minas Gerais
Rondônia / Roraima / São Paulo / Tocantins Pará / Paraíba / Piauí / Rio Grande do Norte / Sergipe Governador Valadares e região Belo Horizonte e região
THEVEAR ELETRÔNICA LTDA. FASORIAL LTDA.
Av: Thevear, 92 - Cx. Postal 1004 - Quinta da Boa Vista ANTÔNIO VALENTE REPRESENTAÇÕES S/C LTDA. RAPOSO REPRESENTAÇÕES LTDA.
CEP: 08597-660 Itaquaquecetuba - SP Av: Padre Raposo, 1.158 - Mooca Rua: Afonso Pena, 2.130 sala 4 - Centro Av: Prof. Mário Werneck, 2.850 sala 5 - Buritis
Telefone: PABX: (11) 4646-8222 / FAX: (11) 4645-0435 CEP: 03118-001 São Paulo - SP CEP: 35010-000 Governador Valadares - MG CEP: 30575-180 Belo Horizonte - MG
E-mail: vendas@thevear.com.br Telefone: (11) 6601-6535 / FAX: (11) 6601-1646 Telefone: (33) 3275-1820 Telefone: (31) 3378-7315 / FAX: (31) 3378-0050
Homepage: www.thevear.com.br E-mail: valentethevear@uol.com.br E-mail: fasorial@superimaistv.com E-mail: raposorep@yahoo.com.br

Espírito Santo Paraná Mato Grosso do Sul Santa Catarina Rio Grande do Sul
REGATO REPRESENTAÇÕES LTDA. REPRESENTAÇÕES DIPLOMATA LTDA. REPRESENTAÇÕES MATOS LTDA. REPRESENTAÇÕES THIESEN LTDA. OLM COMÉRCIO E REPRESENTAÇÕES LTDA.
Av: Jerônimo Monteiro, 490 sala 308 Rua: Baltazar C. dos Reis, 2.843 sl 02 - Água Verde Av: Madri, 1.208 - Vila Espanhola Rua: 7 de Setembro, 357 sala 13 Praça: Osvaldo Cruz, 15 conj. 611 - Centro
CEP: 29010-002 Vitória - ES CEP: 80250-130 Curitiba - PR CEP: 79100-430 Campo Grande - MS CEP: 89120-000 Timbó - SC CEP: 90030-160 Porto Alegre - RS
Telefone: (27) 3222-7113 / FAX: (27) 3222-8402 Telefone: (41) 3332-8611 / FAX: (41) 3332-5329 Telefone: (67) 3361-2105 Telefone: (47) 3382-0029 Telefone: (51) 3226-2577 / FAX: (51) 3226-2513
E-mail: regato@uol.com.br E-mail: diplomata@qwnet.com.br E-mail: repremato@brturbo.com.br E-mail: thiesen.bnu@terra.com.br E-mail: ferricom@terra.com.br

19 - ASSISTÊNCIA TÉCNICA THEVEAR Base: Folheto Assistência Técnica - V.38

Amazonas Minas Gerais (continuação) Paraná Santa Catarina São Paulo - Capital (continuação)
4º DIMENSÃO TELEINFORMATICA CHAVECO AS CAMPOS GERAIS COM. PROD. ELETRÔNICOS CIMEL COM. MAT. ELÉTRICO LTDA. MT - TELEINFORMÁTICA
Rua: Codajás, 888 - Cachoeirinha Rua: Tupis, 509 - Centro Rua: Cel. Generoso Martins de Araújo, 1444 Rua: Henrique Lage, 2181 Rua: Iguatinga, 368 - Santo Amaro
CEP: 69065-130 Manaus - AM CEP: 30190-060 Belo Horizonte - MG CEP: 84053-010 Ponta Grossa - PR CEP: 88804-010 Criciúma - SC CEP: 04744-040 São Paulo - SP
Telefone: (92) 3663-3333 Telefone: (31) 3201-6111 Telefone: (42) 3027-4248 Telefone: (48) 3437-5573 Telefone: (11) 5522-6688
ELETRO ELETRÔNICA ASTEC E-mail: mtteleinformatica@uol.com.br
Bahia DIVINO JOSÉ PEREIRA & CIA LTDA. ELETRÔNICA SCAPELATTO LTDA-ME
Rua: Duque Caxias, 419 - Padre Lázaro Menezes Rua: Barão do Rio Branco, 1770 - Centro
CEP: 85900-000 Toledo - PR Rua: Lauro Milher, 182-E PORTE PRODUTOS ELETRÔNICOS
COMERCIAL RADIOFAX LTDA. CEP: 38550-000 Coromandel - MG CEP: 89801-600 Chapecó - SC Rua: Senador Casemiro da Rocha, 90 - V. Mariana
Telefone: (34) 3841-1725 Telefone: (45) 3277-1425
Rua: Ruy Barbosa, 586-A - Centro Telefone: (49) 3329-3500 CEP: 04047-000 São Paulo - SP
CEP: 47805-010 Barreiras - BA GSS COMÉRCIO E SERV. TÉCNICOS LTDA. E-mail: scapelatto@zipmail.com.br Telefone: (11) 5589-3652
Telefone: (77) 3612-3333 ELETROMIG Rua: Maranhão, 616
E-mail: radiofax@uol.com.br Av: Simão da Cunha, 353 - Centro CEP: 86010-380 Londrina - PR TECSTAR
CEP: 35620-000 Abaeté - MG ELITEL TELECOMUNICAÇÕES
Telefone: (43) 3321-5550 Rua: Prof. Humberto Rohden, 38 - Costa e Silva Rua: João Soromenho, 208 - Itaquera
ROBERTO PAULO LEAL SILVA Telefone: (37) 3541-1937 CEP: 08280-570 São Paulo - SP
Av: Presidente Getúlio Vargas, 3471 - Centro MML COM. PRODUTOS ELETRÔNICOS CEP: 82219-330 Joinville - SC
Telefone: (47) 3418-0084 Telefone: (11) 6748-2000
CEP: 45995-000 Teixeira de Freitas - BA ELETRÔNICA N. SENHORA APARECIDA LTDA. Av: Juscelino kubitschek, 3868 - Centro E-mail: tecstar@osite.com.br
Telefone: (73) 3291-8697 Rua: José Leite de Andrade, 2 CEP: 86010-540 Londrina - PR E-mail: eliteltelecom@terra.com.br
CEP: 36300-038 São João Del Rei - MG Telefone: (43) 3026-1755 UNIVERSAT SISTEMAS ELETRÔNICOS LTDA-ME
Telefone: (32) 3371-3155 M. A. CAMPOS JUNIOR ELETRÔNICA-ME
Ceará Rua: Célio Veiga, 567 - Jd. Cidade Florianópolis Rua: Santa Efigênia, 714 5º andar cj 17 - Sta Efigenia
Pernambuco CEP: 88111-320 São José - SC CEP: 01207-000 São Paulo - SP
ATUAL TECNOLOGIA ELETRÔNICA POPULAR Telefone: (11) 3361-4202
Rua: São Vicente de Paulo, 22 LUMAQ LTDA. Telefone: (48) 3258-6606
Rua: Pereira Filgueiras, 658 - Centro E-mail: universat@antenasuniversat.com.br
CEP: 60160-150 Fortaleza - CE CEP: 36204-000 Barbacena - MG Rua: da Concórdia, 278 sobreloja B - Sto Antônio
Telefone: (85) 3231-1030 Telefone: (32) 3332-9196 CEP: 50020-050 Recife - PE MILTON NAZÁRIO TELECOMUNICAÇÕES-ME
Telefone: (81) 3424-6374 Av: 7 de Setembro, 650 São Paulo - Interior
ELETRÔNICA ITASOM ELOS SEGURANÇA ELETRÔNICA LTDA. E-mail: ingrid.mike@hotmail.com CEP: 88301-202 Itajaí - SC
Rua: Padre Ibiapina, 1365 - Centro Rua: Santa Catarina, 1401 - Boa Vista Telefone: (47) 3348-1503 ATIVA SEGURANÇA ELETRÔNICA
CEP: 60010-690 Fortaleza - CE CEP: 35700-086 Sete Lagoas - MG Rua: XV de Novembro, 1671 - Centro
Telefone: (85) 3223-1856 Telefone: (31) 3772-7120 Píaui PORTEC PORTÕES ELETRÔNICOS LTDA EPP CEP: 13333-330 Indaiatuba - SP
E-mail: itasom@ig.com.br Rua: João Planincheck, 1479 sala 06 Telefone: (19) 3834-5055
HUGO CESAR DE SOUSA & CIA LTDA. TELPI - TELECOM. PIAUIENSE LTDA. CEP: 89252-220 Jaraguá do sul - SC E-mail: ativaseguranca@ig.com.br
Av: Brasil, 1307 Rua: David Caldas, 424 - Sul Telefone: (47) 3275-3098
Distrito Federal CEP: 35590-000 Lagoa da Prata - MG CEP: 64001-190 Teresina - PI BRASEG
Telefone: (37) 3261-3544 Telefone: (86) 3221-7172 Rua: Alvares Machado, 286 - Centro
GECOM TELECOMUNICAÇÕES LTDA-ME E-mail: telpi@telpi.com PROJECTRON PROJ. E ASSIST. TÉC. LTDA.
End.: QND 58 lote 01 loja 05 - Taguatinga Norte Rua: Prudente de Morais, 185 sala 01 - Vila Nova CEP: 13013-070 Campinas - SP
INGEL INSTRUMENTAÇÃO LTDA. Telefone: (19) 3233-3999
CEP: 72120-580 Brasília - DF Rua: Jacutinga, 589 CEP: 89035-360 Blumenau - SC
Telefone: (61) 3963-6468 Telefone: (47) 3378-2821 E-mail: andreamoraes@dataplace.com.br
CEP: 30730-430 Belo Horizonte - MG Rio de Janeiro
MARTELI TELE-INFORMÁTICA LTDA. Telefone: (31) 3412-2498 / Fax: (31) 3411-1911 CIATEL
E-mail: ingel@newview.com.br CONTEC EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS LTDA. TECNOSUL
End.: SCLN 410 bloco "C" loja 69 subsolo - Aza Norte Rua: Alfredo Backer, 536 bl 04 sl 108 - Alcântara Rua: Carlos Gomes, 399 - Humaitá Rua: Moraes Barros, 1492 - Centro
CEP: 70865-530 Brasília - DF CEP: 24452-001 São Gonçalo - RJ CEP: 88704-520 Tubarão - SC CEP: 13400-350 Piracicaba - SP
Telefone: (61) 3340-9028 MCM ELETRÔNICA LTDA. Telefone: (21) 2702-3609 Telefone: (19) 3432-6735
Av: Benjamim Constant, 661-C Telefone: (48) 3622-3000
E-mail: marteli@globo.com E-mail: ciatel_tele@ig.com.br
CEP: 37010-000 Varginha - MG IMPROE DE FRIBURGO ASSESS. DE TELEC. LTDA.
Telefone: (35) 3212-3654 Av: Conselheiro Julius, Arp 517 loja 01 - Olaria WASS LABORATÓRIO TÉCNICO 2LZ SISTEMAS DE SEGURANÇA
Espírito Santo CEP: 28623-000 Nova Friburgo - RJ Ser.: Turquia, 100-E sala 02 - Pres. Médici
PAM SAT Rua: Rangel Pestana, 990 - Vila Virgínia
Telefone: (22) 2523-2224 CEP: 89801-303 Chapecó - SC CEP: 14030-210 Ribeirão Preto - SP
ASSISTEC Rua: Tompson Flores, 160 sala 201 Telefone: (49) 3322-2835
Av: Augusto Calmon, 1307 - Centro E-mail: improe@improe.com.br Telefone: (16) 3919-1000
CEP: 30410-030 Belo Horizonte - MG
CEP: 29900-060 Linhares - ES Telefone: (31) 3292-8604 E-mail: nalulorenco@2lz.com.br
TH-RIO RJ
Telefone: (27) 3371-9500 Rua: Buenos aires, 271 Sala 315 - Centro Sergipe
SERTEL CEP: 20061-003 Rio de Janeiro - RJ CT ELETRÔNICA
STAR SAT Rua: Armando Sales de Oliveira, 551 - Taquaral
Rua: Bernardo Horta, 324 loja B - Guandu Av: Amazonas, 2452 Telefone: (21) 2221-1633 / 2221-1658 / 2221-1677 TELESTAR COMÉRCIO E TELECOM. LTDA.
CEP: 30180-003 Belo Horizonte - MG E-mail: thriorj@yahoo.com.br CEP: 13090-150 Campinas - SP
CEP: 29300-782 Cachoeiro do Itapemirim - ES Av: Desembargador Maynard, 621 - Suiça Telefone: (19) 3294-2047
Telefone: (28) 3200-5566 Telefone: (31) 3337-5249 CEP: 49052-210 Aracajú - SE E-mail: centraltecnica@centraltecnica.com
Telefone: (79) 3214-5709
SISCOM SISTEMA DE SEG. E COM. LTDA-ME Rio Grande do Norte
Goiás Rua: Rivalino Pereira, 1016 EQUIPE
CEP: 38400-344 Uberlândia - MG EDSON ELETRÔNICA Rua: Bartolomeu de Gusmão, 166 - Vila Santana
ASSISTE PORTAS AUTOMÁTICAS LTDA. Telefone: (34) 3236-4886 Av: Esdras César da Silva, 2119 conj. CNB São Paulo - ABC CEP: 18080-050 Sorocaba - SP
Av: 85, número 1271 quadra 62 lote 18 CEP: 59108-240 Natal - RN Telefone: (15) 3233-5049
CEP: 74160-015 Goiânia - GO TELEAÇO TELECOMUNICAÇÕES LTDA. Telefone: (84) 3214-4238 ELETRÔNICA TUCCI E-mail: amanda.equipe@terra.com.br
Telefone: (62) 3241-9755 / 3241-1233 Av: Brasil, 475 loja 02 Rua: Carijos, 540 sala 02
E-mail: assiste@hotmail.com CEP: 35162-036 Ipatinga - MG CEP: 09180-000 Santo André - SP ELETRO DEZ
Telefone: (31) 3822-1212 Rio Grande do Sul Telefone: (11) 6828-9497 Av: 10, número 333 - Centro
E-mail: eletronicatucci@ig.com.br CEP: 13500-450 Rio Claro - SP
Maranhão EKF TELEFONIA LTDA.
TELEBET LTDA-ME Av: Amazonas, 1087 Telefone: (19) 3524-7500
PHONETEC TELEC. ELETRÔNICA LTDA. Rua: do Rosário, 1042 - Angola CEP: 90240-542 Porto Alegre - RS
Rua: Teófilo Dias, 276-A CEP: 32630-000 Betim - MG Telefone: (51) 3337-2020 São Paulo - Capital ELETRÔNICA CASTELINHO
CEP: 65031-690 São Luiz - MA Telefone: (31) 3595-7011 Av: Juscelino Kubistchek, 5163 - Monte Castelo
E-mail: telebet@terra.com.br ELETRO VIDEOSOM C. M. ELETR. ABRADOOR
Telefone: (98) 3232-8193 Rua: Tenente Pena, 373 casa 13 - Bom Retiro CEP: 12215-380 São José dos Campos - SP
Rua: Gal Pedro Bittencourt, 17 - Passo d'Areia Telefone: (12) 3923-2501
TV SOM LTDA. CEP: 91340-050 Porto Alegre - RS CEP: 01127-020 São Paulo - SP
Telefone: (11) 3223-3062 / 3337-8171 E-mail: fabio.isaac@uol.com.br
Mato Grosso Av: Getúlio Vargas, 1040 - Centro Telefone: (51) 3362-7437 / Cel.: (51) 9969-0470
CEP: 39800-015 Teófilo Otoni - MG E-mail: eletrovideosom@bol.com.br E-mail: abradoor@ig.com.br
OPUS SISTEMAS ELETRÔNICOS LTDA. ELETRÔNICA RF DE JACAREÍ
Telefone: (33) 3522-3043 Rua: Dr. Lúcio Malta, 122 - Centro
Av: Miguel Sutil, 321 - Dom Aquino ABRASAT
ELETRÔNICA BECKMANN LTDA. Av: Dr. Vital Brasil, 576 - Butantã CEP: 12327-001 Jacareí - SP
CEP: 78015-100 Cuiabá - MT Rua: Patrimônio, 57 - Glória Telefone: (12) 3951-8812
Telefone: (65) 3027-6777 CEP: 05503-000 São Paulo - SP
E-mail: compras@opustecnologia.com.br Paraíba CEP: 91710-300 Porto Alegre - RS Telefone: (11) 3813-3572
Telefone: (51) 3339-1741 E-mail: abrasat@abrasat.com.br LOPES E LOPES ELETRÔNICOS LTDA.
ELETRÔNICA MIX Homepage: www.abrasat.com.br Av: General Alvaro Góes Valeriani, 75
Av: Almirante Barroso, 600 loja 04 IMEEL INST. M. EQ. ELETRO ELET. LTDA.
Mato Grosso do Sul Av: Palmeiras, 35 CEP: 13660-000 Porto Ferreira - SP
CEP: 58013-120 João Pessoa - PB Telefone: (19) 3589-2056
NIKKEI COM. SERVIÇOS TELECOM. LTDA. Telefone: (83) 3043-0233 CEP: 90470-300 Porto Alegre - RS ASTEL ASSES. TELECOM.
Telefone: (51) 3334-1635 Rua: Martins Fontes, 368 - Centro E-mail: eletric@netsait.com.br
Rua: Pedro Celestino, 382
CEP: 79004-560 Campo Grande - MS TELETRONICA VICTOR CEP: 01050-000 São Paulo - SP
LAGRANHA DIST. PRODS. ELETRO ELET. LTDA. Telefone: (11) 3255-2744
Telefone: (67) 3325-5363 Rua: Cavalcante Belo, 88 - Centro Trav: João Saldanha, 120 São Paulo - Litoral
CEP: 58100-230 Campina Grande - PB CEP: 91030-440 Porto Alegre - RS
Telefone: (83) 3322-1000 ELETROFIX INSTEC - RB ELETRÔNICA
Minas Gerais Telefone: (51) 3341-0888 Rua: Coronel Carlos Oliva, 234 - Tatuapé Rua: Martin Afonso, 82
A A CATTUCI & CATTUCI LTDA. MIRO ELETRÔNICA COM. SERVIÇOS LTDA. CEP: 03067-010 São Paulo - SP CEP: 11310-010 São Vicente - SP
ALÔ ALÔ TELECOMUNICAÇÕES Rua: Tapajós, 469 Telefone: (11) 2296-2388 Telefone: (13) 3468-7048
Av: Minas Gerais, 364 - Centro Rua: Jacob Luchesi, 2082 - Sta. Catarina
CEP: 85501-030 Pato Branco - PR CEP: 95030-000 Caxias do Sul - RS E-mail: eletrofix@eletrofix.com.br E-mail: instecrb@zipmail.com.br
CEP: 35010-150 Governador Valadares - MG Telefone: (46) 3225-4777 Homepage: www.instecrb.cjb.net
Telefone: (33) 3278-0000 Telefone: (54) 3211-5753 JOMAC
AUDIOFIX LTDA. ABS SISTEMAS DIGITAIS SERVISAT ELETRO ELETRÔNICA Av: Virgínia Ferni, 2037 - Itaquera INTER SAT COMERCIAL LTDA-ME
Rua: Tamoios, 671 loja 02 Rua: Erechim, 1021 - Centro Rua: Frederico Baldisserotto, 200 - Sta. Catarina CEP: 08253-001 São Paulo - SP Rua: Dr. Bernardo Browne, 113
CEP: 30120-050 Belo Horizonte - MG CEP: 85808-060 Cascavel - PR CEP: 95032-130 Caxias do Sul - RS Telefone: (11) 6205-9469 CEP: 11025-240 Santos - SP
Telefone: (31) 3201-4692 Telefone: (45) 3222-1917 Telefone: (54) 3025-6466 E-mail: faleconosco@jomacservicos.com.br Telefone: (13) 3278-2800

ARDAN ELETRÔNICA LTDA. AMA COM. AP. ELET. ZAMPIERON E DALACORTE LTDA. MACRO ENGENHARIA PROVIDENCE
Rua: Barbosa Lima, 264 Av: Água Verde, 355 - Água Verde Av: Alberto Bins, 468 - Centro Rua: Capitão A. Carneiro, 313 - Penha de França Av: Dr. Carvalho de Mendonça, 635 cj 01 - V. Belmiro
CEP: 36010-050 Juiz de Fora - MG CEP: 80620-200 Curitiba - PR CEP: 90030-140 Porto Alegre - RS CEP: 03603-010 São Paulo - SP CEP: 11070-103 Santos - SP
Telefone: (32) 3215-2899 Telefone: (41) 3332-7675 Telefone: (51) 3226-7322 Telefone: (11) 6862-1848 / 6647-7166 / 7213-0260 Telefone: (13) 2202-1721
E-mail: ardaneletronica@gratis1.com.br E-mail: luana.lenzi@terra.com.br E-mail: sroth@ez-poa.com.br E-mail: macro_engenharia@terra.com.br E-mail: providencesistemas@bol.com.br

SUGESTÕES OU RECLAMAÇÕES ACESSAR O SITE WWW.THEVEAR.COM.BR, NA ÁREA FALE CONOSCO

Antenas / CATV -64-