Linha do Tempo Facas Brasileiras Antigas

1500 - Chegam os colonizadores portugueses trazendo consigo adagas mediterrâneas, punhais, espadas e alabardas como Armas Brancas. 1532 - Martim Afonso de Souza chega a São Vicente (SP) e traz consigo Bartolomeu Fernandes, apelidado de "Bartolomeu Carrasco", ferreiro contratado por 2 anos para produzir itens de ferro, entre eles artigos de cutelaria. 1597 - Afonso Sardinha constrói o primeiro engenho (fundição) de ferro do Brasil em Araçoiaba da Serra (SP). c. 1600 - Os bandeirantes percebem que suas espadas e rapieras são de pouca valia nas matas fechadas e nos conflitos com os índios, logo desenvolvendo uma espada de lâmina larga, embrião dos famosos facões enterçados, ou "facões sorocabanos", esta última denominação referindo-se a cidade de Sorocaba (SP). c. 1700 - no Rio de Janeiro, artesãos de ourivesaria produzem adagas mediterrâneas de extremo requinte, usando prata e ouro em suas furnituras, muitas especialmente destinada à clientela abastada. 1722 - criada na capitania de São Paulo a primeira lei brasileira regulamentando o porte de armas, a qual incluía "facas de ponta, espadas e catanas". c. 1750 - surgem as primeiras variantes encurtadas do "facão enterçado", ou "facão sorocabano", genericamente chamadas de facas sorocabanas. 1780 - primeiros registros documentais das facas mineiras, inicialmente nada mais do que adagas mediterrâneas com empunhadura e bainha em prata lavrada. final do século XVIII - surgem as primeiras facas denominadas "Parnaibas", em função de terem se originado na cidade de Parnaíba (PI). c.1800 - surgem as primeiras criações, normalmente muito requintadas, dos cuteleiros do Sul da Bahia. 1810 - é criada a Fábrica de Ferro de São João do Ipanema na então Vila de Sorocaba, comarca de Itú, em São Paulo. 1817 - surgimento das primeiras facas de ponta com características tipicamente nordestinas na Aldeia de Pasmado, atual cidade de Abreu e Lima (PE). 1830 - surgimento das primeiras facas gaúchas com apresentações tipicamente brasileiras. 1840 - nesta década surgem as primeiras facas "franqueiras" ou aparelhadas de prata, originárias da cidade de Franca no Interior paulista.

final da década de 1930 . com modelos simples e utilitários. o emigrante húngaro Antal Bodolay viria a fazer par com ele.surge na cidade São Paulo o trabalho pioneiro daquele que seria o expoente máximo da moderna cutelaria artesanal brasileira. Alemanha e de Sheffield.. de Pelotas (RS).. ou Bob G. na qual permanecerá sem concorrência durante quase 30 (trinta) anos. 1915 . surge todo um novo estilo na facas de ponta e punhais da região Nordeste.em Amparo (SP). 1920 . 1904 . 1912 . 1931 . o imigrante italiano Alfonso Pascetta Cosmos funda a famosa AP Cosmos. inicia a produção de "katanás" na cidade paulista de Mogi das Cruzes. estabelecendo-se em Belo Horizonte (MG). tornando-se o pioneiro nessa atividade em nosso país. Inglaterra.Em Porto Alegre (RS) . joalheiro de profissão. logo tornando-se a famosa Casa Scholberg e comercializando as famosas lâminas de mesmo nome em todo o Rio Grande do Sul. inicia-se a produção da fábrica Corneta. descendente de uma antiga familia de "espadeiros".o imigrante japonês Yoshisuke Oura . 1931 .em Carlos Barbosa (RS). a Metalúrgica Abramo Eberle inicia a produção industrial de facas gaúchas.em São Paulo (SP). ou aparelhadas de prata. é fundada a fábrica Mundial. 1911 .inicia-se o trabalho da famosa família Caroca nos Estados da Paraíba e Ceará. 1936 .em Porto Alegre (RS). inicialmente com modelos de empunhadura e bainha em prata. cria as mais requintadas facas "franqueiras". passa a representar a empresa belga Scholberg & Cie.com o movimento do Cangaço. c. sendo posteriormente seguido por Kunio Oda e Tomizo Ishida. . que é como assina suas criações. inicio da década de de 1960 .Luis Bernardi. do Brasil. principalmente de Solingen. proprietária da loja Casa Laport. 1910 . o que perduraria até a década de 1950. Poucos anos depois. Roberto Gaeta.1850 .a firma Viúva Laport & Cia.a Casa Scholberg encerra suas atividades. Valentim Tramontina inicia sua cutelaria.Inicio do século XX .intensifica-se a importação de itens de cutelaria. em Belo Horizonte (MG). de Barretos (SP).

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful